P. 1
Nossos Gurus

Nossos Gurus

|Views: 26|Likes:
Published by GVP - BRASIL

More info:

Published by: GVP - BRASIL on May 08, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/17/2012

pdf

text

original

NOSSOS GURUS

:

UNIDOS EM SIDDHšNTA UNIDOS EM CORAÇÃO

Para incrementar o respeito do leitor compreendendo o transcendental relacionamento entre ®r…la Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda e ®r…la Bhaktivedānta NārāyaŠa Mahārāja apresentados. , os seguintes artigos são

Conteúdo:
As Diferenças. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .03

O Homônimo ISKCON. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13

Websites: www.bhaktibrasil.com www.purebhakti.com

Vndavana, Uttar Pradesh, Índia,

2

Çré Çrémad Bhaktivedänta
3

Swämé Prabhupäda

Çré Çrémad Bhaktivedänta
4

Näräyaëa Mahäräja

A DIFERENÇA
Este artigo é uma resposta ao documento intitulado “a posição da ISKCON sobre ®r…la NārāyaŠa Mahārāja” por S G Badri NārāyaŠa Prabhu. O documento tentou substanciar a idéia que ®r…la NārāyaŠa Mahārāja e ®r…la Prabhupāda diferem sobre importantes princípios fundamentais. O artigo seguinte examinará, um por um, os pontos feitos naquele documento, na luz de evidências escriturais e nas declarações do próprio ®r…la Prabhupāda. As declarações da posição da ISKCON no documento será referida como “OBJEÇÃO” e nossa contraparte como “REFUTAÇÃO”.

5

1: OBJEÇÃO 1 ®r…la Prabhupāda advertiu repetidamente sobre ouvir prematuramente descrições mādhurya l…lā, os passatempos íntimos que K÷Ša está desfrutando com as gop…s. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja fala abertamente sobre estes tópicos.

REFUTAÇÃO 1: REFUTAÇÃO 1 Discussão dos tópicos de K÷Ša e as gop…s não é proibido nas escrituras, e isto também é comprovado pelas seguintes declarações de ®r…la Prabhupāda:

“A política deveria ser não apresentar as gop…s como meninas ordinárias. Você deveria ter cuidado para apresentar as gop…s. Isto não significa que ‘Nós não proferiremos o nome das gop…s, ou coisa como boicotar as gop…s.’ Não. Elas são nossas adoráveis devotas. Como nós podemos as evitar?” (Discussão em Boston: 24 de dezembro de 1969).

“A adoração da deidade deve ser continuada por todos. Outro segredo de sucesso é que quando a pessoa está muito perturbada sexualmente, ela deva pensar nos passatempos de K÷Ša com as gop…s, e ela vai esquecer do seu desejo sexual. Pensar nos passatempos de K÷Ša com as gop…s, mas não tentar imitar”. (Carta de ®r…la Prabhupāda para Hayagriva: 8 de novembro de 1968, Los Angeles)

“Deus é tão misericordioso que Ele desce para levar as almas caídas para o reino de Deus, onde os princípios eróticos de Deus são
6

apreciados eternamente em sua real forma, distinto do amor sexual pervertido tão adorado e realizado pelas almas caídas em sua condição doente. A razão que o Senhor exibe a rāsa l…lā é para essencialmente induzir todas as almas caídas a abandonar a moralidade doente e religiosidade, e para os atrair para o reino de Deus e desfrutar a realidade. Uma pessoa que na verdade entende o que é a rāsa l…lā certamente odiará o vício da vida sexual mundana”. (®r… Caitanya Caritāmta, Adi- l…lā, 4.31)

®r…la Prabhupāda pessoalmente falou sobre as gop…s – até mesmo com pessoas novas. Não há nenhum erro nisto. Uma tal conversação era até mesmo publicada e distribuída em massa, e é apresentada aqui:

Bob: Pode ele (o devoto) manter os seus individuais ‘gosto’ e ‘não gosto’?

®r…la Prabhupāda: “Sim, ele mantém tudo. Mas ele dá preferência para K÷Ša. K÷Ša diz positivamente, ‘eu gosto destas coisas’. Assim nós temos que oferecer a K÷Ša o que Ele gosta, e então aceitamos prasāda. K÷Ša gosta de RādhārāŠ…. Então, todas as gop…s estão tentando levar RādhārāŠ… para K÷Ša. ‘K÷Ša gosta desta gop…. Certo, leve-a diante dEle’. Isso é Consciência de K÷Ša”.

Bob: K÷Ša é atraído a namoro?

7

®r…la Prabhupāda: Oh, sim! Ele também é o maior maroto.

Bob: Como é isso?

®r…la Prabhupāda: [rindo] Porque Ele sempre estava se divertindo com as gop…s.

®yāmasundara: Divertindo-se?

®r…la Prabhupāda: Sim. Às vezes, quando RādhārāŠ… saía, K÷Ša a atacava, e quando ela caia: “K÷Ša, não me torture deste modo” – Eles caíam, e K÷Ša aproveitava a oportunidade e a beijava. [Ele ri.] Dessa forma, RādhārāŠ… estava muito satisfeita, mas superficialmente K÷Ša era o maior patife. A menos que este humor (patifaria, marotisse, namoro) exista em K÷Ša, como poderia ele existir no mundo? (Perguntas perfeitas Respostas Perfeitas: Cap. 1, K÷Ša o Todoatrativo)

Desde 1970, os discípulos de Prabhupāda e seus seguidores distribuíram rāsa l…lā no K÷Ša book à literalmente milhões de não devotos. Na maioria de seus livros há centenas de bonitas referências aos passatempos de K÷Ša e as gop…s. No Caitanya Caritāmta, por exemplo, o qual Prabhupāda ordenou [em 1974 - carta para JadurāŠ… dās…] que fosse distribuído a todas as classes de homens, o Senhor Caitanya está tomando mahā-prasāda do Senhor Jagannātha. Nesse
8

capítulo há vários versos sobre o néctar dos lábios de K÷Ša no humor de ®r…mat… RādhārāŠ… e das gop…s, Mahāprabhu diz: “Em seguida, furiosa, a flauta dirigiu-se para Mim: ‘Abandona Tua vergonha, religião e temor e vem beber os lábios de K÷Ša. Nessa condição abandonarei meu apego a eles. No entanto, se não abandonares Tua vergonha e temor, beberei continuamente o néctar dos lábios de K÷Ša. Estou levemente temerosa, pois tens também o direito de beber esse néctar, mas quanto aos demais os considero como palha

(insignificantes)”. (®r… Caitanya Caritāmta Antya L…lā 16.126)

Os passatempos de K÷Ša com as gop…s não estão todos no mesmo nível. É certo que alguns passatempos muito íntimos ou

aparentemente sensuais não devam ser discutidos publicamente. A maioria das conferências de ®r…la Bhaktivedānta NārāyaŠa Mahārāja que são postados na Internet são para todos lerem. Todas as gravações das conferências que estão disponíveis também. Quase todas as leituras de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja são sobre Dhruva Mahārāja, Prahlāda Mahārāja, Ambar…÷a Mahārāja, primeiros oito lokas do Néctar da Instrução – explicando os significados de ®r…la Prabhupāda cuidadosamente, etc.

Também ficam convidados os leitores deste documento a subscrever para nossa lista de correspondentes e ou visitar as aulas de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja na Internet:
http://www.purebhakti.tv/

ou

http://www.purebhakti.tv/dsl.htm ou em português www.bhaktibrasil.com. 9

Às vezes as conferências de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja lida com assuntos os quais podem ser considerados elevados à perspectiva de um novato, mas isso é porque a maioria dos devotos que se incluem na audiência de ®r…la Mahārāja foram devotos por vinte anos ou mais. Não se pode dizer que um estudante deva ficar na escola primária até trinta anos de idade.

É verdade que ®r…la Mahārāja falou sobre textos elevados ou confidenciais, como ®ri Vilāpa Kusumāñjali, a pedido de certos líderes da ISKCON seniores e gurus como; Sua Santidade Tamāla-K÷Ša Mahārāja, Sua Santidade Girirāja Mahārāja, Sua Santidade ®ivarāma Swām…, Sua Santidade Dhanurdhara Swām…, Sua Graça Bh™rijana Prabhu, Pārtha-sārathi Prabhu e outros. Porém, estas classes foram ministradas seletivamente e em local privado – não em público.

2: OBJEÇÃO 2 ®r…la NārāyaŠa Mahārāja encoraja a leitura de literatura que ®r…la Prabhupāda restringiu para seus discípulos ou que determinou como não importante ou com traços de impersonalismo. Um exemplo disso são as escrituras íntimas dos Gosvām…s, ou o Rāmacarita-mānasa de Tulas… dāsa.

2: REFUTAÇÃO 2 As escrituras escritas por nossos šcāryas prévios, os Gosvām…s, são pertinentes a diferentes devotos nas várias fases de seu desenvolvimento espiritual. Se ®r…la Prabhupāda proibiu um discípulo
10

que lesse uma escritura particular em 1969, quando ele estava principiando a sua prática devocional, não significa que aquele discípulo em particular não deveria ler aquela escritura no ano 2000, quando ele estiver em uma fase mais avançada.

O ponto essencial para se guiar nessa questão é que um devoto aspirante requer a orientação de um Vai÷Šava avançado que pode prescrever o assunto de uma leitura apropriado conforme o nível do progresso dele no caminho de bhakti. Isto foi expresso por ®r…la Prabhupāda nas seguintes palavras:

“Deste modo, depois de desenvolver um gosto para tais coisas, a pessoa deveria tentar viver em Vndavana e passar o tempo dele constantemente se lembrando do nome de K÷Ša, fama, passatempos e qualidades SOB A DIREÇÃO E PROTEÇÃO DE UM DEVOTO PERITO. Esta é a essência e significado de toda a instrução relativa ao cultivo de serviço devocional”. (Néctar da Instrução: Texto Oito)

E se houver ainda alguma dúvida sobre se ®r…la Prabhupāda realmente desejaria que todos seus seguidores estudassem os livros do Gosvām…s ao tornarem-se mais qualificados, então:

pa- ghunāthar™pa-raghunātha-pade hoibe ākuti hā yugalakabe hāma bujhaba se yugala-p…riti

11

“Oh, Quando eu ficarei muito ávido para estudar os livros deixados pelo seis Gosvām…s? Somente então é que poderei entender os

passatempos conjugais de Rādhā e K÷Ša”. ( ®r… Caitanya Caritāmta Madhya L…lā 25.271)

Relativo ao ®r… Rāma-carita-mānasa de Tulas… dāsa, Objeção 2 estabelece que o ®r… Rāma-carita-mānasa é manchado com

impersonalismo. Mas, vamos ler a opinião de ®r…la Prabhupāda:

“Este é um verso composto por um GRANDE DEVOTO, Tulas… dāsa. Ele era devoto do Senhor Rāmacandra”. (Montreal: 30 de agosto de 1968)

“Assim, ele se tornou GRANDE DEVOTO de Rama, Tulas… dāsa. O livro dele, Rāma-carita-mānasa, “Sempre Pensando em Rāma,” é um livro muito famoso, e é a única LITERATURA IMPORTANTE no idioma Hindi: Rāma-carita-mānasa”. (Nova Iorque: 12 de abril de 1969)

Tulas… dāsa é respeitado por todos os Vai÷Šavas de todas as sampradāyas. É verdade que são muitos oradores que contaminam o livro dele com māyāvāda, como muitos oradores do ®r…mad Bhāgavatam. Isto não significa, todavia, que o ®r… Rāma-carita-mānasa de Tulas… dāsa é contaminado por māyāvāda. Tulas… dāsa escreveu:
12

…vara aˆa j…va avināi, cetanā amala sadā sukha rāsi.

‘A entidade viva, que sempre está consciente e cheia de felicidade, é eternamente uma parte e parcela indestrutível da Suprema Personalidade de Deus’.

Este verso é diretamente oposto a māyāvāda. Não há nem mesmo um verso de uma tradução fidedigna do ®r… Rāma-carita-mānasa que tem a impressão mais leve de māyāvāda.

3: OBJEÇÃO 3 ®r…la NārāyaŠa Mahārāja diz que o trabalho de ®r…la Prabhupāda está inacabado porque ele não nos proveu com literatura íntima rasika e métodos de rāgānuga-sādhana. ®r…la Prabhupāda descreveu o trabalho inacabado dele pelo fato que o varnŠāramadharma não havia sido estabelecido em sua Sociedade, que seus livros não estavam em todas as casas, que as pessoas ainda andavam famintas a dez milhas dos templos da ISKCON, que os santos nomes de Deus não eram ouvidos em toda cidade e aldeia, etc.

3: REFUTAÇÃO 3 Embora o estabelecimento de varnŠārama-dharma faça parte do movimento para consciência de K÷Ša ele é um objetivo externo, ao passo que a progressão a graus mais altos de bhakti é o objetivo vital e interno de ®r…la Prabhupāda e de sua missão. Ambos estes pontos são evidentes nas seguintes declarações:
13

“O movimento da consciência de K÷Ša está muito ansioso a reintroduzir o sistema de varnŠārama na sociedade humana de forma que esses que estão confusos ou menos inteligentes poderão receber orientação de brāhmaŠas qualificados”. (®r…mad-Bhāgavatam 10. 8.6)

“Simplesmente seguindo as regras e regulações do sistema varŠāama pode-se adorar Vi÷Šu. Vi÷Šur ārādhya... nānyat tat-to÷akāraŠam. Não há outra alternativa para satisfazê-lo. Isto é uma declaração autorizada. Mas, Caitanya Mahāprabhu disse: eho bāhya āge kaha āra - ‘ISTO É EXTERNO’ - ESTA NÃO É UMA COISA MUITO IMPORTANTE”. (Conferência em New Vndāvana: 23 de maio, 1969)

“A era está tão degradada que é muito difícil de reavivar esta cultura de varŠāama-dharma. Então Caitanya Mahāprabhu disse, ‘eho bāhya āge kaha āra’. Sim, isto tudo está certo, mas é EXTERNO agora”. Conversação em Londres: 2 de setembro de 1973)

A concepção que a razão primária para o aparecimento de ®r… Caitanya Mahāprabhu neste mundo é propagar o yuga-dharma - nāmasa‰k…rtana, em toda cidade e aldeia, não é verdadeira. Essa causa é estabelecida como externa e incidental por ®r…la K÷Šadāsa Kavirāja no ®r… Caitanya Caritāmta:

“Da mesma maneira que estes desejos (o desejo de K÷Ša vir na forma humana para desfrutar de passatempos e dar misericórdia aos devotos
14

- ver ®r… Caitanya Caritāmta Adi- l…lā 4-versos 27 a 37) são a razão fundamental para o aparecimento de K÷Ša - considerando que destruir os demônios é só incidental, assim, para ®r… K÷Ša Caitanya, a Personalidade Suprema de Deus, PROMULGAR O DHARMA DA ERA É INCIDENTAL”. (®r… Caitanya Caritāmta Adi-l…lā 4.36–37)

“O Senhor veio propagar sa‰k…rtana. ISSO É UM PROPÓSITO EXTERNO, como eu já indiquei”. (®r… Caitanya Caritāmta, Adi-l…lā 4.102)

Destas evidências é compreendido que ®r… Caitanya Mahāprabhu não estabelece pessoalmente o yuga-dharma. Ao contrário, esta função é executada por Mahā-Vi÷Šu que está presente junto com todos os outros avatāras em seu corpo, da mesma maneira que a matança de demônios não é executada por K÷Ša, mas por Mahā-Vi÷Šu que está presente nEle.

Se o trabalho primário de ®r…la Prabhupāda fosse estabelecer varŠāama-dharma, ele seria relegado da sua verdadeira posição de ser o servo da missão de ®r… Caitanya Mahāprabhu ou Rādhā-K÷Ša, para ser o servo de Mahā-Vi÷Šu. ®r… Caitanya Mahāprabhu não aparece neste mundo para estabelecer varŠāama-dharma. As duas causas dEle descer são estabelecidas como as seguintes:

15

“O desejo de o Senhor aparecer são duas razões: Ele quis provar a doce essência das doçuras do amor a Deus, e Ele quis propagar RšGAMšRGA BHAKTI, serviço devocional no mundo na plataforma de atração espontânea”.(®r… Caitanya Caritāmta, Adi-l…lā 4.15–16)

®r…la Prabhupāda escreve que a menos que se pratique rāgānuga bhakti sob a orientação pessoal de um guru perfeitamente realizado não se pode voltar para Vraja-dhāma, a morada eterna de RādhāK÷Ša:

“Em todo lugar no mundo as pessoas me adoram de acordo com as injunções escriturais (vaidh…-bhakti). Mas, simplesmente seguindo tais princípios de regulação A PESSOA NÃO PODE ATINGIR OS SENTIMENTOS AMOROSOS DOS DEVOTOS EM VRAJABHUMI (vraja-bhāva)”.( ®r… Caitanya Caritāmta, Adi-l…lā 3.15)

Na conferência seguinte, ®r…la Prabhupāda declara:

“Quanto mais você está engajado em serviço devocional, mais seus sentidos ficam puros ou descobertos. E quando ficarem completamente descobertos, então sem qualquer designação, você é capaz de servir K÷Ša. ISTO É PARA APRENDIZES – VAIDHŸ-BHAKTI É PARA APRENDIZES... REAL BHAKTI, PARš-BHAKTI, É RšGšNUGABHAKTI”.(Conferência em Vndāvana: 12 de novembro de 1972)

16

Estas supracitadas citações mostram que rāgānuga-bhakti é o próximo passo na missão de ®r…la Prabhupāda.

4: OBJEÇÃO 4 ®r…la NārāyaŠa Mahārāja apresenta uma visão que aquele nascido em um corpo Ocidental é inerentemente caído, especialmente a respeito à adoração da deidade. ®r…la Prabhupāda engajou e encorajou seus discípulos Ocidentais na adoração das deidades e os aceitou como Vai÷Šavas habilitados.

4: REFUTAÇÃO 4 É amplamente conhecida na Índia a notoriedade de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja entre todas demais ramificações da Gau…ya Ma˜ha, por promover solidariedade e aceitação entre devotos do Ocidente e do Oriente. Pela primeira vez, e à idade de quase oitenta anos, ®r…la Mahārāja está conferindo sannyāsa a discípulos durante as celebrações de Gaura-p™Šimā Estes discípulos não são devotos Indianos, mas ocidentais. O que falar sobre adoração às deidades, os discípulos Ocidentais de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja regularmente realizam o abhi÷eka das deidades nos principais festivais e sacrifícios de fogo nos templos na Índia e no mundo. Além disto, ele pessoalmente instalou dúzias de deidades de ®r… ®r… Goura Nitāi e ®r… ®r… Rādhā-K÷Ša para devotos Ocidentais, homens e mulheres, adorarem ao redor do mundo. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja publicou recentemente o Arcana-d…pikā (livro para a adoração às Deidades) em inglês. A versão original em bengali, escrita pelo d…k÷ā guru de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, que
17

também é o sannyāsa guru de ®r…la Prabhupāda - nitya l…lā pravi÷˜a oˆ ®r… ®r…mad Bhakti Prajñāna Keava Gosvām… Mahārāja, também foi traduzido em inglês pelas autoridades da ISKCON para uso nos templos da ISKCON.

OBJEÇÃO 5: ®r…la Prabhupāda

disse: “O šcārya não é Deus,

onisciente. Ele é o servo de Deus”. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja apresenta ®r…la Prabhupāda como onisciente.

REFUTAÇÃO 5: Se ®r…la Prabhupāda não é onisciente, se ele não pode nos ouvir a qualquer hora ou em qualquer lugar, por que deveríamos orar a ele? Qual seria a função de recitar mantras para oferecer bhoga diante do quadro dele, se ele não está presente em seu quadro? Até mesmo semideuses como os do ar, fogo, água e outros, que são insignificantes em comparação a ®r…la Prabhupāda, testemunham todos os eventos deste mundo. Isto é descrito no ®r…mad-Bhāgavatam. ®r… K÷Ša confirmou pessoalmente que: “sarva deva mayo guruƒ – o guru é a corporificação da essência de todos os semideuses”, e: “guru÷u nara-matir / yasya vā nārak… saƒ - quem considera que o mestre espiritual tem a consciência de um ser mortal é um residente do inferno”. Uma pessoa pode perguntar: Porque em algumas declarações ®r…la Prabhupāda apresentou uma idéia que aparentemente é contraditória ao que foi estabelecido nos livros dele?

18

®r…la Prabhupāda escreve:

“Yasmin vijñāte sarvam evaˆ vijñātaˆ bhavati - Qualquer um que seja devoto do Senhor conhece o Senhor até certa dimensão, e o serviço devocional ao Senhor capacita-o a conhecer tudo pela graça do Senhor. APESAR DE O DEVOTO APARENTEMENTE SE EXPRIMIR COMO SENDO IGNORANTE, ele é pleno de conhecimento sobre todos os assuntos complexos”. (®r…mad-Bhāgavatam 3.7.8)

“Os mantras Védicos dizem - yasmin vijñāte sarvam evaˆ vijñātaˆ bhavati: Quando o devoto vê a Suprema Personalidade de Deus em sua meditação, ou quando ele vê o Senhor face a face, pessoalmente, ele se dá conta de tudo dentro deste universo. Realmente, nada é desconhecido a ele. Tudo dentro deste mundo material se manifesta completamente a um devoto que viu a Suprema Personalidade de Deus”. (®r…mad-Bhāgavatam 8.6.9)

Duryodhana-guru: “Então, em outras palavras, isso significa que devotos puros podem ser oniscientes?”.

Prabhupāda: “Tudo. Deus é onisciente, assim um devoto puro pode tornar-se onisciente pela graça do Senhor”. (Passeio matutino em Los Angeles: 8 de junho de 1976)

19

Sendo cem-por-cento consciente da personalidade de K÷Ša, ®r…la Prabhupāda tem todas as oito perfeições místicas. Isto significa que ele pode até mesmo sair e pegar uma fruta de outro planeta. Isto é confirmado em muitos lugares no āstra, inclusive nesse próximo verso e significado citados:

“Meu Senhor! Todos os mistérios te são conhecidos, porque adoras o criador e destruidor do mundo material e o mantenedor do mundo espiritual - a original Personalidade de Deus, que é transcendental aos três modos de natureza material”.

SIGNIFICADO: “Uma pessoa cem-por-cento ocupada no serviço ao Senhor é a insígnia de todo o conhecimento. Tal devoto do Senhor, em plena perfeição do serviço devocional, também é perfeito pela qualificação da Suprema Personalidade de Deus. Deste modo, os oito tipos de perfeições de poderes místicos (a÷˜a-siddhi) constituem mínima parcela de sua opulência divina”. (®r…mad-Bhāgavatam 1.5.6)

Quando os devotos oram, “nama oˆ vi÷Šu-pādāya...” Prabhupāda, que não está fisicamente presente diante deles, está os ouvindo. Se não fosse assim, qual seria o uso de todas nossas canções e orações que temos recebido de nossos šcāryas anteriores? Qual seria o uso de nosso guru-gāyatr… mantra? Não seria tudo apenas um ritual vazio?

20

OBJEÇÃO 6: ®r…la Prabhupāda disse que harināma-d…k÷ā (primeira iniciação) é real iniciação. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja iniciação real começa com brāhmaŠa-d…k÷ā. ensina que

6: REFUTAÇÃO 6 ®r…la Prabhupāda escreve:

“Considerando

suas

perguntas,

segunda

iniciação

é

REAL

INICIAÇÃO. Primeira iniciação é preliminar, só a composição preparatória – como educação primária e secundária. A primeira iniciação dá chance a alguém de ser purificado, e quando ele é purificado de fato, então ele é reconhecido como um brāhmaŠa e isso significa REAL INICIAÇÃO”. (Carta para JādurāŠi New Vndāvana: 4 de setembro de 1972)

OBJEÇÃO 7: ®r…la NārāyaŠa Mahārāja re-inicia os discípulos de gurus vai÷Šavas em posição adequada.

REFUTAÇÃO 7: Muitos dos devotos denominados “re-iniciados” que eram os discípulos de gurus em “padrão adequado” foram criticados por tomar abrigo de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja. Porém, o tempo provou que tomaram a decisão correta, porque o que se revelou depois foi que os seus gurus considerados em “padrão adequado” simplesmente voltaram aos seus maus hábitos ou não expondo mais a posição de “šcāryas” que se auto-atribuíram.
21

No Bhakti-sandarbha (Anuccheda 238) ®r…la J…va Gosvām… prescreve a injunção de que se o guru da pessoa é invejoso de um Vai÷Šava exaltado, tal pessoa deve imediatamente rejeitar aquele guru e procurar um guru Vai÷Šava mahā-bhāgavata. Desde que muitos gurus em “padrão adequado” cometeram pesadas ofensas aos pés de lótus de ®r…la Bhakti Rak÷aka ®r…dhara Mahārāja, ®r…la Goura Govinda Mahārāja e ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, os ex-discípulos desses gurus agiram conforme as injunções escriturais rejeitando-os. Portanto, não houve nenhuma “re-iniciação”, apenas “real iniciação”. Se um guru estiver de fato em boa posição, então não existe a questão de ®r…la Mahārāja re-iniciar os discípulos dele. Ao invés disso, ele lhes dá simplesmente instruções e encorajamento em suas práticas espirituais, e os ajuda a desenvolver uma fé mais profunda no d…k÷āguru deles. Um mal entendido às vezes surge porque, em ocasiões raras, ®r…la NārāyaŠa Mahārāja nomeia aqueles que levam ik÷ā dele com nomes relacionados ao vraja-l…lā de ®r… ®r… Rādhā-K÷Ša. Isto às vezes é entendido mal como “re-iniciação”. Um exemplo famoso disto é JādurāŠi dās…. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja a chama afetuosamente como “®yāmarān…”. Isto não significa de qualquer forma que ela foi reiniciada. Até mesmo ®r…la Prabhupāda às vezes a chamava afetuosamente como “®ādhurān…”.. Este uso afetuoso de outro nome não significa que ®r…la Prabhupāda conferiu outra iniciação.

22

Além disto, há precedente histórico significativo em nossa sampradāya para um ik÷ā-guru mudar o nome de seu discípulo ik÷ā. ®r…la J…va Gosvām… mudou o nome do discípulo de ®r… Hdayacaitanya, Duƒkh… K÷Ša dāsa, para “®yāmānanda”. ®r… Hdayacaitanya era o d…k÷ā-guru dele e ®r…la J…va Gosvām… era o ik÷ā-guru dele, mas esta mudança de nome não significou ou significa reiniciação. Se forem examinados um a um os casos desses devotos que tiveram gurus na ISKCON, nós acharemos que ninguém foi re-

iniciado. Ás vezes acontece que um discípulo é rejeitado pelo guru dele, ou um discípulo perde a fé e oficialmente desliga a conexão com o mestre espiritual. Para evitar enganos desnecessários, o secretário de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja mantém meticulosamente guardado arquivos de cartas em tais casos, dos discípulos, mostrando que a relação de guru - discípulo previamente existente foi encerrada antes deles virem tomar o abrigo dele.

OBJEÇÃO 8: ®r…la Prabhupāda trabalhou para criar uma sociedade 8 mundial que proveu ocupação e abrigo a seus seguidores. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja não faz assim.

8: REFUTAÇÃO 8 Muitos devotos não estão informados sobre as atividades de pregação de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja. Embora ele tenha pregado fora da Índia por apenas sete anos, ele estabeleceu muitos templos e centros pregando em lugares como Birmingham, Inglaterra;
23

Berlim, Alemanha; Murwillumbah, Austrália; Rio de Janeiro, São Paulo, Brasil; Prabhupāda Gau…ya Matha na Costa Rica;

Bhaktivedānta Gau…ya Matha em Moscou, Rússia; St Petersburg, Rússia; Croácia; ®r… Ananta Gau…ya Matha em Bali, Indonésia; ®r… ®r… Rādhā Govinda Gau…ya Matha em Cuala Lumpur, Malásia; Sociedade Hare K÷Ša das Filipinas; ®r… Rādhā-Govinda Gau…ya Math em Venice Beach, Califórnia; e outros lugares. Além disto, há as comunidades de ghastha em Gales, Reino Unido; Texugo, Califórnia; Perth e Murwillumbah, Austrália; e assim por diante. ®r…la Mahārāja também é o patrono de um gurukula na Califórnia. E, além disso, ®r…la NārāyaŠa Mahārāja nunca clamou estabelecer uma instituição mundial. Ele esta apenas tentando executar a ordem ou desejo que ®r…la Prabhupāda manifestou a ele. Exatamente antes de sua partida desse mundo, ®r…la Prabhupāda pediu que ®r…la NārāyaŠa Mahārāja lhe ajudasse por guiar e orientar seus discípulos. Milhares de devotos, alguns dos quais perderam previamente um pouco da sua fé na consciência de K÷Ša; devotos que se sentiram negligenciados e foram forçados a deixar os templos; devotos que se tornaram impotentes para seguirem com os princípios religiosos; e devotos que quiseram aprofundar a relação deles com ®r…la Prabhupāda – todos eles estão sendo inspirados e encorajados pelo amor e ensinamentos de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja.

24

9: OBJEÇÃO 9 ®r…la Prabhupāda e ®r…la NārāyaŠa Mahārāja têm ensinamentos diferentes sobre a posição original da j…va (a alma individual).

REFUTAÇÃO 9: ®r…la Prabhupāda deu muitos comentários diferentes 9: a pessoas diferentes em circunstâncias diferentes com respeito à origem da j…va. Porém, a CONCLUSÃO, i.e. a última palavra no assunto, ficou expresso nos livros dele que serão os livros de lei durante os próximos 10,000 anos. Prabhupāda escreve:

“A CONCLUSÃO é que ninguém cai do mundo espiritual, ou seja, o planeta Vaikuntha, porque é a morada eterna”. (®r…mad-Bhāgavatam 3. 16.26)

“De acordo com o Vi÷Šu Purana, Bhagavad-g…tā e todas as outras literaturas Védicas, as entidades vivas são geradas da energia ta˜asthā do Senhor, e assim eles são sempre a energia de Deus e não são o enérgico”. (®r…mad-Bhāgavatam 3.7.9)

Nós nunca nos associamos pessoalmente com K÷Ša antes. Prabhupāda escreve:

“Os devotos maduros, que tem executado a consciência de K÷Ša de maneira completa, são transferidos imediatamente para o universo onde K÷Ša estiver aparecendo. Em tal universo, os devotos obtêm sua
25

PRIMEIRA oportunidade de se associar pessoal e diretamente com K÷Ša. O treinamento continua, como verificamos no vndāvana-l…lā de K÷Ša neste planeta”. ( K÷Ša Book: Capítulo Vinte e oito)

Para informação adicional sobre este assunto muito importante da origem do j…va, a pessoa pode usar por referência o livro “®r…la Prabhupāda na Origem da J…va”, compilado por ®r…la Goura Govinda Svām…, onde ele dá aproximadamente 100 citações sustentadas por ®r…la Prabhupāda, como também muitas outras de nossos šcāryas prévios. Uma das citações é a seguinte carta:

“Em referência adicional para sua pergunta sobre a forma da alma espiritual da entidade viva condicionada; sempre há uma forma espiritual, mas ela só é completamente desenvolvida quando a entidade viva volta para Vaikuntha. Esta forma se desenvolve de acordo com o desejo da entidade viva. Até que esta fase de perfeição seja alcançada, essa forma jaz dormente como a forma de uma árvore que está adormecida na semente”. (Carta para R™pānuga: 1969)

Aqueles que são de fato residentes dos planetas espirituais, aqueles que são realmente os associados do Senhor, nunca caem:

“De fontes autorizadas pode ser discernido que os associados do Senhor Vi÷Šu que descendem de Vaikuntha de fato não caem. Eles vêm com o propósito de cumprir o desejo do Senhor, e a descida deles
26

para este mundo material é comparável com a descida do Senhor. O Senhor vem para este mundo material através da diligencia de Sua potência interna, e, similarmente, quando devotos ou associados do Senhor descendem para este mundo material eles o fazem pela ação da energia espiritual. Qualquer passatempo administrado pela

Personalidade Suprema de Deus é arranjado por yogamayā, não mahāmayā. Portanto, é pra ser compreendido que quando Jaya e Vijaya desceram para este mundo material, eles vieram porque havia algo para ser feito pela Suprema Personalidade de Deus. Caso contrário, é um fato que ninguém CAI DE VAIKUNTHA”. (®r…madBhāgavatam 7.1.35)

Mahārāja Yudhisthira também não acredita que alguém possa cair de Vaikuntha: Mahārāja Yudhisthira indagou: “Que tipo de grande maldição poderia afetar liberados vi÷Šu-bhaktas, e que tipo de pessoa poderia amaldiçoar de fato associados do Senhor? Para devotos que não se desviam do Senhor cair novamente a este mundo material é impossível. Eu não posso acreditar nisto”. (®r…mad-Bhāgavatam 7.1.34)

Não há nenhuma mayā em toda Goloka Vndavana dhāma. ®r…la Prabhupāda cita freqüentemente o relevante verso arādhyo bhagavān vraje÷a-tanayas tad-dhāma vndāvanam de ®r…la Vivanātha

Cakravart… µhākura. Lá ®r…la Cakravart…pada diz que a morada de K÷Ša é adorável como o próprio K÷Ša. “Assim como não há nenhuma mayā no corpo transcendental de Vrajendra-nandana - ®r…
27

K÷Ša, o mesmo é verdadeiro para sua morada”. ®r…la Cakravart…pada diz que esta é a opinião de ®r… Caitanya Mahāprabhu, e que ele não está interessado em qualquer outra opinião. O ®r…mad-Bhāgavatam (1.1.1) afirma: “dhāmnā svena sadā nirasta-kuhakaˆ satyaˆ paraˆ dh…mahi – a morada de K÷Ša é sempre livre de mayā. Assim, lá ninguém pode ser desviado de sua constitucional posição de servidão amorosa”.

10: OBJEÇÃO 10 ®r…la Prabhupāda ensina que o guru iniciador aceita pra si o karma do discípulo. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja ensina que o guru não o faz.

10: REFUTAÇÃO 10 É verdade que ®r…la Prabhupāda mencionou que o mestre espiritual sofre alguma reação pelas más ações dos discípulos. Ele escreve:

“Então, duƒsvapna – sonhos ruins, ocorrem por causa de atividades pecaminosas. Um devoto às vezes aceita uma pessoa pecaminosa como seu discípulo e, para impedir as reações pecaminosas que aceitou do discípulo, ele tem um sonho ruim. Muito embora isso, o mestre espiritual é tão gentil que, a despeito de ter sonhos ruins devido ao discípulo pecaminoso, ele aceita este penoso negócio pela liberação das vítimas de Kali-yuga. Após a iniciação, então, um discípulo deveria ter extremo cuidado para não cometer novamente qualquer ato

28

pecaminoso que poderia causar dificuldades para ele e para o mestre espiritual”. (®r…mad-Bhāgavatam 8.4.15)

Esta declaração é verdadeira para uma pessoa que aceitou a posição de guru embora ainda não situado firmemente na plataforma transcendental. De acordo com a intensa humildade dele, ®r…la Prabhupāda recorreria às vezes a ele próprio como tal guru. Porém, se o discípulo aceitar uma expressão como essa de humildade de um guru auto-realizado como prova genuína da limitação dele, isso será uma grande ofensa. Quando este ponto de vista é apresentado por ®r…la Prabhupāda, fica também observado a vantagem óbvia adicional de poder controlar os discípulos imaturos e travessos, sugerindo neles sentimentos de culpa sobre o mau comportamento deles. A humildade perfeita de ®r…la Prabhupāda é confirmada nos extratos seguintes de uma conversação com Bob Cohen (quem depois se tornou um discípulo iniciado de Prabhupāda). Isto mostra a humildade de Prabhupāda e também mostra o desejo dele em dar a um neófito uma boa razão para deixar de cometer pecados:

Bob: você pessoalmente sente alguma moléstia ou doença? ®r…la Prabhupāda: Sim. Bob: E isso é resultado do seu karma passado? ®r…la Prabhupāda: Sim. Bob: Então, alguém neste mundo material nunca escapa de seu karma completamente?
29

®r…la Prabhupāda: Sim, ele escapa. Nenhum karma mais para um devoto. Nenhuma reação kármica mais. Bob: Mas você deve ser o melhor devoto! ®r…la Prabhupāda: Hm-m... Não, eu não me considero eu mesmo o melhor devoto. Eu sou o mais caído. Bob: Não! ®r…la Prabhupāda: Você é o melhor devoto! Bob: [Rindo] Oh, não, não! Mas o que você diz... sempre parece certo. ®r…la Prabhupāda: Sim. Bob: Então você deve ser o melhor devoto. ®r…la Prabhupāda: Assim como Rādhārān…, Ela não vê ninguém como um não devoto. Então, tentamos nos aproximar de Rādhārān…. Bob: Quem é Ela? ®r…la Prabhupāda: Rādhārān…, a consorte de K÷Ša. Bob: Ah! ®r…la Prabhupāda: Se qualquer um chegar a Rādhārān…, Ela o recomenda a K÷Ša: “Aqui está o melhor devoto, ele é melhor que eu” e K÷Ša não o pode recusar... Assim é o melhor devoto, mas isto não é para ser imitado: “agora me tornei o melhor devoto...” Um devoto de Segunda classe tem a visão que alguns são invejosos de Deus, mas esta não é a visão do melhor devoto. O melhor devoto vê: “Ninguém é invejoso de Deus. Todo mundo é melhor que eu”. Assim como o autor do Caitanya Caritāmta - K÷Šadāsa Kavirāja - diz: “eu sou mais baixo que um verme no excremento”. Bob: Quem está dizendo isto?
30

®r…la Prabhupāda: K÷Šadāsa Kavirāja, o autor do Caitanya Caritāmta – “pur…÷era k…˜a haite muñi se laghi÷˜ha”. Ele não está fazendo um espetáculo. Ele está se sentindo assim: “Eu sou o mais caído. Todo mundo é melhor, mas eu sou o mais baixo. Todo o mundo está engajado no serviço a K÷Ša. Eu não estou engajado”. Caitanya Mahāprabhu disse: “Oh, eu não tenho uma pitada de devoção a K÷Ša. Eu choro para fazer um espetáculo. Se eu fosse devoto de K÷Ša, eu teria morrido há muito tempo. Mas eu estou vivendo, isso é a prova que eu não amo K÷Ša”. Isso é a visão do melhor devoto. Ele é tão absorto no amor a K÷Ša que ele diz, “Todos o servem, mas eu sou o mais baixo. Então eu não posso ver Deus”. Isso é o melhor devoto. ®yāmasundara: Uma vez você disse que às vezes você sente enfermidade ou dor devido às atividades pecaminosas de seus devotos. Pode algumas vezes doenças surgir devido a isso? Causadas por isso? ®r…la Prabhupāda: Você vê, K÷Ša diz, “ahaˆ tvāˆ sarva-pāpebhyo mok÷ayi÷yāmi mā ucaƒ – eu livrarei você de toda reação pecaminosa. Não tema”. Assim, K÷Ša é tão poderoso que Ele pode tirar fora todos os pecados dos outros e imediatamente os corrigir. Mas, quando uma entidade viva aceita uma tarefa no lugar de K÷Ša, ela também leva a responsabilidade pelas atividades pecaminosas dos Seus devotos. Portanto, tornar-se um guru não é uma tarefa fácil. Você vê, ele tem que pegar todos os venenos e os absorver. Às vezes, porque ele não é K÷Ša, há alguma dificuldade. Dessa maneira, Caitanya Mahāprabhu proibiu, “não faça muitos i÷yas, muitos discípulos”.
31

Aqui ®r…la Prabhupāda está fazendo o papel de um neófito e está falando para induzir hesitação nas mentes desses que são de fato neófitos e desejando tomar partido de um mestre espiritual fidedigno.

“Dessa forma, fazer muitos discípulos é um trabalho arriscado a menos que a pessoa seja capaz de assimilar todos os pecados...” Esta idéia também está na Bíblia. Jesus Cristo tirou todas as reações pecaminosas das pessoas e sacrificou a vida dele. Essa é a responsabilidade de um mestre espiritual...

Em outras ocasiões ®r…la Prabhupāda disse que o Senhor Jesus apenas simulou morrer. Ele nunca sofreu, porque ele é um devoto puro. Prabhupāda agora continua falando com Bob:

“Porque K÷Ša é K÷Ša, Ele é apāpa-viddha. Ele não pode ser atacado pelas reações pecaminosas. Mas, uma entidade viva fica às vezes sujeita à influência disso porque ela é muito pequena. Fogo grande, fogo pequeno. Se você põe alguma coisa grande em um fogo pequeno, o próprio fogo pode ser extinguido. Mas em um fogo grande, tudo o que colocar estará bem. O fogo grande pode consumir qualquer coisa”.

A citação acima mencionada era outro exemplo da humildade de ®r…la Prabhupāda:

32

Bob: O sofrimento de Cristo era dessa natureza? ®r…la Prabhupāda: Mm-m? Bob: Cristo estava sofrendo? ®r…la Prabhupāda: Como eu já expliquei. Ele recebeu as reações pecaminosas de todas as pessoas. Portanto ele sofreu. Bob: Eu sei. ®r…la Prabhupāda: Eles deveriam estar se sentindo envergonhados (e pensando que) agora, se cometermos atividades pecaminosas

novamente, nosso mestre espiritual deverá sofrer. Um discípulo deve ser simpatizante e considerar isto: “Por minhas atividades

pecaminosas, meu mestre espiritual sofrerá”.

Prabhupāda é completamente transcendental, incólume (ileso) à energia material, e muito hábil em persuadir as almas condicionadas para agir em proveito delas mesmas. Como podem as duas declarações ser reconciliada: “O mestre espiritual leva o karma do discípulo” e “O mestre espiritual não leva o karma do discípulo”. Elas podem ser reconciliadas deste modo: ele os leva do discípulo, mas ele não os sofre. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja explica que os devotos puros são como grandes fogueiras. Não importa quanto lixo, na forma de nossos anarthas e pecados, seja lançado numa grande fogueira na hora da rendição, o fogo consome isto transformando tudo em cinzas. Contudo, o fogo ele próprio não é afetado.

33

O que dizer dele próprio estar livre do toque das reações pecaminosas – na verdade, apenas por seu olhar e presença um devoto puro pode livrar os outros dos pecados. Não há a necessidade de seu sofrimento. Isto é confirmado no Livro de canção dos šcāryas da ISKCON, em uma canção de ®r…la Narottama dāsa µhākura:

“Todos os pecados vão embora em sua associação. Onde encontraremos um mestre tão misericordioso quanto você?”

“Por banhar-se repetidamente no sagrado Ganges a pessoa é purificada gradualmente. Mas, ó venerável Vai÷Šava, uma pessoa é imediatamente misericordioso”. K÷Ša Ele mesmo diz que grandes almas não são afetadas pela natureza material. (Bhagavad-g…tā 9.13) purificada simplesmente por seu olhar

11: OBJEÇÃO 11 ®r…la Prabhupāda idealizou uma sociedade mundial onde muitos gurus trabalhariam colegiosamente (cooperativamente dentro de uma instituição) sob direção de um corpo administrativo. ®r…la NārāyaŠa Mahārāja pratica o sistema de šcārya único da

Gau…ya Ma˜ha. Nota: ®r…la Bhaktisiddhānta Sarasvat… µhākura orientou que seus seguidores também trabalhassem juntos sob orientação de um corpo administrativo e ®r…la Prabhupāda

freqüentemente citava a negligência desta ordem como a causa para a interrupção da missão de seu mestre espiritual.
34

11: REFUTAÇÃO 11 ®r…la Prabhupāda escreve: “a idéia dele (®r…la Bhaktisiddhānta Sarasvat… µhākura) era que o šcārya não seria nomeado entre o corpo administrativo. Ele disse abertamente: ‘Você faz um GBC e administra a missão’. Então, a idéia dele era que entre os membros do GBC quem surgisse como bem sucedido e auto-refulgente šcārya seria automaticamente

selecionado”.(Carta para R™pānuga dāsa: 24 de abril de 1974)

Objeção 11 declara que ®r…la NārāyaŠa Mahārāja pratica o “sistema único de šcārya da Gau…ya Ma˜ha”. Contudo, ®r…la Mahārāja, embora uma personalidade transcendental e não confinada a parâmetros de qualquer instituição, é um membro do GBC da ®r… Gau…ya Vedānta Samiti. ®r… Gau…ya Vedānta Samiti foi fundada em 1940. Os três curadores originais da sociedade eram ®r…la Bhakti Prajñāna Keava Gosvām… Mahārāja (o sannyāsa-guru de ®r…la Prabhupāda), Pujyapadā Nsimhānanda Brahmacār… e, naquele momento, Abhay

CaraŠāravinda Prabhu (depois conhecido como Sua Divina Graça ®r…la A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda). ®r…la NārāyaŠa Mahārāja segue a constituição estabelecida por estes três curadores. ®r… Gau…ya Vedānta Samiti tem um presidente šcārya, ®r… ®r…mad Bhaktivedānta Vāmana Gosvām… Mahārāja. ®r…la Bhaktivedānta NārāyaŠa Mahārāja é o vice-presidente e secretário da sociedade. Ele e outros também atuam como šcāryas iniciantes dentro da sociedade, e a sociedade é governada por um GBC. Até o presente dia, o GBC da ®r…
35

Gau…ya Vedānta Samiti tem conduzido sua sociedade pacifica e prospera, e nenhum de seus membros caiu.

12: OBJEÇÃO 12 ®r…la NārāyaŠa Mahārāja criticou vários dos nomes que ®r…la Prabhupāda deu a deidades da ISKCON.

12: REFUTAÇÃO 12 Objeção 12 recorre da ocasião quando ®r…la NārāyaŠa Mahārāja expressou a preocupação dele sobre a adoração de algumas das deidades de Rādhā-K÷Ša na ISKCON chamadas pelos nomes Nila-madhava, Rādhā-Govinda Mādhava, etc. ®r…la Mahārāja nunca criticou nomes dados por Prabhupāda. Ao invés disso, ele questionou se Prabhupāda na verdade os deu. ®r…la Mahārāja simplesmente está trazendo a nossa atenção que ®r…la Prabhupāda é um devoto puro de Rādhā-K÷Ša no humor de Vndāvana e, como tal, esses que desejam segui-lo necessariamente têm que também adorar Rādhā-K÷Ša de acordo com os princípios explicados por ®r…la Prabhupāda e nossos šcāryas prévios. Os nomes das supracitadas deidades ou são rasa-ābhāsa ou impróprios, de modo que a forma curvada em três pontos de K÷Ša tocando flauta na companhia de ®r…mat… Rādhārān… nunca pode ser chamada pelo nome de Dvārakādh…a, cônjuge de Rukmin…, ou como Rādhā-Pārtha-sārathi. Isto foi explicado claramente por ®r…la Prabhupāda no seguinte significado:

36

“As gop…s nunca chamaram K÷Ša como Rukmin…-ramaŠa. Os devotos de K÷Ša em Vndāvana O chaman-nO como Rādhā-ramaŠa, Nandanandana e Yaodā-nandana, mas não como Vasudeva-nandana ou Devak…-nandana. Embora de acordo com a concepção material, NārāyaŠa, Rukmin…-ramaŠa e K÷Ša são um e os mesmos, no mundo espiritual, não se pode usar o nome Rukmin…-ramaŠa ou NārāyaŠa no lugar de K÷Ša. Caso alguém faça isso, devido a um pobre fundo de conhecimento, sua doçura de relacionamento com o Senhor torna-se espiritualmente defeituosa, sendo chamada rasa-ābhāsa, uma

sobreposição (ou a sombra) de doçuras transcendentais.

O devoto avançado que realmente compreendeu as características transcendentais do Senhor de fato não cometerá o engano de criar uma situação de rasa-ābhāsa usando um nome por outro. Por causa da influência de Kali-yuga, há muita rasa-ābhāsa em nome de extravagância e liberalidade. Tal fanatismo não é muito apreciado por devotos puros”. (®r… Caitanya Caritāmta, Significado Madhya-l…lā 8.90)

®r…la NārāyaŠa Mahārāja também declarou que o nome RādhāPārtha-sārathi é rasa-ābhāsa porque ®r…mat… Rādhikā nunca deixa Vndāvana. Ela só é atraída a ®r… K÷Ša na Sua característica de svayam-r™pa original, que só pode ser encontrada em Vndāvana; Ela não é atraída a Dvārakādh…a-K÷Ša ou K÷Ša no campo de batalha de Kuruk÷etra. Quando ®r…mat… Rādhikā (em uma manifestação parcial)
37

deixa Vndāvana para ir para Kuruk÷etra, Ela não fica satisfeita em ver K÷Ša vestido como um rei; não se completavam Seus humores amorosos em relação a Ele. Embora K÷Ša, Dvārakādh…a e NārāyaŠa são um em tattva, eles são diferentes em virtude da rasa. Alguém pode dizer que os passatempos de K÷Ša, como mencionados acima, não tem nada a ver com as deidades mencionadas, mas ®r…la Prabhupāda escreve:

“Outro nome de K÷Ša é Pārtha-sārathi. Pārtha. O nome de Arjuna é Pārtha. Pārtha quer dizer; ‘O filho de Pthā ', outro nome de Kunti é Pthā. O nome do pai de Kunti era Pthu, assim o nome de Kunti era Pthā. Então o nome de Arjuna era Pārtha. E porque K÷Ša serviu como o condutor da carruagem de Arjuna, outro nome dele é Pārthasārathi. Assim, é um fato que o Senhor não tem apenas um nome. Às vezes alguns filósofos dizem que ‘Deus não tem nome’. Não, ele tem muitos nomes. Isso é fato. Mas por que Deus tem tantos nomes? ESTES NOMES SÃO CALCULADOS DE ACORDO COM OS

PASSATEMPOS DELE”.(Conferência em Los Angeles: 11 de janeiro, 1974).

Em vista que Rādhā nunca deixa Vndāvana

na sua forma

original, e visto que K÷Ša nunca pode ser chamado como Pārthasārathi em Vndāvana, a combinação destes nomes contradiz os princípios de rasa.

38

Prabhupāda escreve:

“Se houvesse apenas uma leve menção que as doçuras transcendentais se sobrepusessem de alguma maneira em contrariedade aos princípios do culto de bhakti, ®r… Caitanya Mahāprabhu não toleraria isto e

ficaria muito irado” (®r… Caitanya Caritāmta, Madhya-l…lā 8.97).

De acordo com ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, Prabhupāda nunca pretendeu que as deidades de Delhi fossem chamadas Rādhā-Pārthasārathi. Nos anos 70, quando ®r…la NārāyaŠa Mahārāja ouviu o nome delas, ele, perguntou a ®r…la Prabhupāda por que ele tinha feito isso. Prabhupāda respondeu que ele nunca tinha Lhes dado tal nome, pois seria como uma contradição aos seus próprios livros. Esta história é confirmada pelo siddhānta apresentado na seguinte conversação:

Acyutananda: O nome das deidades é Rādhā-Pārtha-sārathi. Prabhupāda: Hm? Acyutananda: O nome das deidades de Delhi é Rādhā-Pārtha-sārathi. Assim, como vamos entender? Porque Pārtha quer dizer Arjuna. Então Rādhā, como vamos entender que Rādhā vai estar lá? Prabhupāda: Quando K÷Ša é Pārtha-sārathi, Rādhā está separada dEle?. O que isso significa! Um Indiano (1): O que você quer dizer, Pārtha-sārathi é ®r… K÷Ša. Acyutananda: Sim.

39

Prabhupāda: Isso é tudo. Sim. “rādhā-k÷Ša-praŠaya-vikir āhlādin… aktir”. Quando Ele está lutando, āhlādin…-akti está lá. (Rādhā) NÃO É MANIFESTA... (Passeio matutino em Madras: 9 de janeiro de 1976)

Aqui, ®r…la Prabhupāda

declara que ®r…mat… Rādhārān…

não é

MANIFESTA na presença de Pārtha-sārathi.

A respeito de como os nomes Rukmin…- Dvārakādh…a foram concebidos, quando Prabhupāda executou o prāŠa-prathistha

(instalação) para ‘Rukmin…- Dvārakādh…a’ em Los Angeles em 1968, ele chamou as deidades de ‘Rādhā-K÷Ša’, depois ele foi para a Índia. Quando ele voltou, ele descobriu que um discípulo tinha mudado o nome. Prabhupāda ficou preocupado e disse: “K÷Ša tem uma pena de pavão e flauta. Ele é o filho de Nanda. Dvārakādh…a é o filho de Vasudeva. Ele não tem nenhuma flauta e nenhuma pena de pavão. Por que você mudou o nome?” O argumento dado era que desde que o Templo de Los Angeles era opulento e, assim, atraente a muitas pessoas, os nomes das deidades deveriam refletir aquela opulência. ®r…la Prabhupāda respondeu que ®r… ®r… Rādhā-K÷Ša são

supremamente opulentos. Num curto tempo depois disso Prabhupāda foi novamente para a Índia, e os devotos ainda mantiveram o nome como Rukmin…- Dvārakādh…a.

Mesmo se um templo é opulento, e mesmo se a adoração do templo for opulenta, mas ainda assim se as vigrahas estão na forma de Rādhā40

K÷Ša, i.e. K÷Ša está tocando uma flauta, então eles são Rādhā e K÷Ša. ®r…la Prabhupāda escreve:

“Rādhā-K÷Ša” não podem ser alcançados pelos devotos neófitos; esta adoração no templo de acordo com princípios regulativos é oferecida a Lak÷m…-NārāyaŠa. Embora possa haver uma vigraha, ou forma, de Rādhā-K÷Ša, a adoração dos devotos neófitos é aceitável como adoração a Lak÷m…-NārāyaŠa”. (®r…mad-Bhāgavatam 4.24.45–46)

CONCLUSÃO: CONCLUSÃO Controvérsias surgem na comunidade de Vai÷Šavas para clarificar pontos filosóficos importantes para o benefício de todos interessados.

siddhānta baliyā citte nā kara alasa ihā ha-ite k÷Še lāge sudha mānasa

“Um estudante sincero não deveria negligenciar a discussão de tais conclusões, considerando-os controversos, pois tais discussões

fortalecem a mente. Assim a mente da pessoa é atraída a ®r… K÷Ša”. (®ri Caitanya Caritāmta, Adi- l…lā, 2.117)

Eu oro que os pontos apresentados aqui possam servir todos os membros da ISKCON, na qual se inclui ®r…la NārāyaŠa Mahārāja e seus seguidores, de modo que eles possam trabalhar juntos, como uma
41

família, pregando a missão de ®r…la Prabhupāda e nossos šcāryas anteriores.

Vai÷Šava kpā lea prarthi (implorando por uma insignificante porção de clemência dos Vai÷Šavas),

TridaŠi Swām… Bhaktivedānta AraŠya

42

O HOMÔNIMO ISKCON
Uma Resposta ao Artigo: “Compreendendo NārāyaŠa Mahārāja: Suas Próprias Palavras e Fontes Primárias”

Havia uma compilação publicada no website Cakra que tentou mostrar os ensinamentos de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja como diferentes dos de ®r…la Prabhupāda. A compilação que foi postada ao site Cakra é chamada “Compreendendo NārāyaŠa Mahārāja: suas próprias palavras e outras fontes primárias” e oferece citações de ®r…la Prabhupāda e ®r…la NārāyaŠa Mahārāja. Os expostos a seguir explicam esse mesmo artigo e suas citações à luz de outras evidências. Ao citar a compilação do Cakra nós a iniciaremos com a palavra COMPILAÇÃO, e as nossas próprias apresentações serão iniciadas com a palavra REFUTAÇÃO.

1: COMPILAÇÃO 1 NārāyaŠa Mahārāja sobre A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda e ISKCON:

NārāyaŠa Mahārāja, Alemanha: 12 de dezembro de 2001: “Meu ik÷ā-guru, nitya-l…ā-pravi÷˜a oˆ vi÷Šupāda ®r… ®r…mad Bhaktivedānta Swām… Mahārāja.”

43

NārāyaŠa Mahārāja, Mathurā: 24 de outubro de 1999: “Nós podemos glorificar Swām…j…, Bhaktivedānta Swām… Mahārāja. Mas esses que estão caindo, como eles podem glorificá-lo? Eles não podem glorificá-lo, nunca; eles estão fugindo. Eles estão estabelecendo que ele era o fundador da ISKCON, mas eu sei que ele não era o fundador; ele era um dos membros dela no guru-paramparā. Ela foi fundada por K÷Ša, e o primeiro ācārya foi Brahmā, então Nārada, então Vyāsa. Ele somente mudou o nome e pregou desta maneira em países ocidentais”.

1: REFUTAÇÃO 1 O uso da compilação das citações de ®r…la Mahārāja, dizendo primeiro que ele é o discípulo ik÷ā de ®r…la Prabhupāda e então depois dizendo que ®r…la Prabhupāda não é o Fundador-šcārya da ISKCON, significa querer mostrar que ele realmente não é o discípulo de Prabhupāda (ou que ele é infiel e se contradiz sobre ®r…la Prabhupāda). Mas ®r…la Mahārāja não está dizendo nada que ®r…la Prabhupāda não disse muitas vezes. No Prefácio do Bhagavad-g…tā, ®r…la Prabhupāda escreve: “Alguns deles disseram que é muito afortunado para os americanos que eu comecei o movimento para consciência K÷Ša na América. Mas, de fato o pai original deste movimento é o próprio Senhor K÷Ša, desde que foi iniciado a um longo tempo atrás, e ele está descendendo à sociedade humana através da sucessão discipular. Se eu tiver qualquer crédito nesta conexão, não pertence pessoalmente a mim, mas é devido a meu mestre espiritual eterno, Sua Divina Graça oˆ
44

vi÷Šupāda

paramahaˆsa

parivrājakācārya

108

®r…

®r…mad

Bhaktisiddhānta Sarasvat… Gosvām… Mahārāja Prabhupāda”. ®r…la Prabhupāda também escreve em seu significado do ®r…madBhāgavatam (2.9.6): “Assim Brahmā foi iniciado pelo K÷Ša mantra, pelo próprio Senhor K÷Ša, e assim ele se tornou um Vai÷Šava... nós pertencemos a Brahmā-sampradāya, diretamente na corrente

discipular de Brahmā até Nārada, de Nārada para Vyāsa, de Vyāsa para Madhva Muni, de Madhva Muni para Mādhavendra Pur…, de Mādhavendra Pur… para Ÿvara Pur…, de Ÿvara Pur… para o Senhor Caitanya e gradualmente para Sua Divina Graça Bhaktisiddhānta Sarasvat…, nosso mestre divino”.

2: COMPILAÇÃO 2 NārāyaŠa Mahārāja, 28 de abril de 1999, manhã: Caracas, Venezuela: “Você também deveria saber que Caitanya Mahāprabhu é o fundador da ISKCON. Swam…j…i, A.C. Bhaktivedānta Swām… Mahārāja, só é um dos šcāryas proeminentes nesta linha. Ele não é o fundador; ele é um dos šcāryas proeminentes que difundiu todas estas coisas sobre o mundo inteiro, em um tempo muito curto”.

2: REFUTAÇÃO 2 A compilação está tentando dizer que ®r…la NārāyaŠa Mahārāja não respeita a posição de Prabhupāda como Fundadoršcārya deste movimento. Mas, de fato, ele está estabelecendo as glórias de Prabhupāda. Com orgulho, ®r…la Prabhupāda confirma a declaração de ®r…la Mahārāja no seu próprio significado do ®r…mad45

Bhāgavatam. Lá ele diz: “O movimento Hare K÷Ša não é um movimento novo como às vezes erradamente as pessoas pensam. O movimento Hare K÷Ša está presente em todos os milênios da vida do Senhor Brahmā, e o santo nome é cantado em todos os sistemas planetários mais altos, inclusive Brahmaloka e Candraloka, sem falar de Gandharvaloka e Apsaraloka. O movimento de sañk…rtana que foi iniciado neste mundo ha quinhentos anos atrás por ®r… Caitanya Mahāprabhu não é, portanto, um movimento novo”. (®r…madBhāgavatam 7.15.72 Significado) No seu significado do ®r…mad-Bhāgavatam (1.9.6–7), ®r…la Prabhupāda lista alguns dos outros šcāryas proeminentes neste movimento. Ele escreve: “Ele (Nārada) é o filho e discípulo de Brahmāj…, e dele a sucessão discipular na linha de Brahmā foi propagada. Ele iniciou Prahlāda Mahārāja, Dhruva Mahārāja e muitos devotos célebres do Senhor. Ele iniciou igualmente Vyāsadeva, o autor das literaturas Védicas, e de Vyāsadeva foi iniciado Madhvācārya, e assim a Madhva-sampradāya, no qual a Gau…ya-sampradāya também é incluída, difundiu-se por toda parte no universo. ®r… Caitanya Mahāprabhu pertenceu a esta Madhva-sampradāya; então, Brahmāj…, Nārada, Vyāsa, até Madhva, Caitanya e os Gosvām…s todos pertenceram à mesma linha de sucessão discipular” Então, ser um šcārya proeminente nesta linha é a maior glória.

3: COMPILAÇÃO 3 NārāyaŠa Mahārāja, Murwillumbah, Austrália: 18 de fevereiro de 2002 (noite):
46

“Seu Prabhupāda, ®r…la Swām… Mahārāja, só mudou o nome para o inglês. Ele não é o Fundador-šcārya desta ISKCON eterna. Eu sou ISKCON. Eu não sou [®r…la diferente da ISKCON. NārāyaŠa Eu sou

‘BHAKTIVEDšNTA'

Bhaktivedānta

Gosvām…

Mahārāja]. Tal pai, tal filho. Eu sou o real sucessor de ®r…la Bhaktivedānta Swām… Mahārāja, e não há nenhum outro. Você deveria saber disso muito abertamente. Eu sou Bhaktivedānta e ele é Bhaktivedānta, mas ele recebeu este nome depois de mim. Eu sou sênior a ele nesta consideração. Eu sou Bhaktivedānta, e eu também sou ISKCON. Não pense que eu estou fora da ISKCON”.

3: REFUTAÇÃO 3 Esta citação inexata insinua dizer que ®r…la NārāyaŠa Mahārāja está tentando usurpar a posição de Prabhupāda como Fundador-šcārya. Mas, a verdade é que ele está revelando de fato o orgulho dele em ser o criado humilde de Prabhupāda. A compilação não incluiu as orações precedentes e explicação, e também substituiu uma clarificação importante resumindo-a nuns meros três pontos. A seguir apresentamos a versão original e exata dessas declarações de ®r…la Mahārāja, como havia sido postado na forma de palestras divulgadas pela Internet: (As palavras em parênteses também fazem parte do que havia sido postando originalmente na Internet). “Na época de ®r…la Bhaktisiddhānta Sarasvat… Gosvām… µhākura, ®r…la Sarasvat… µhākura era o presidente da ISKCON. Ele enviou um braço, ®r…la Prabhupāda Bhaktivedānta Swām… Mahārāja, que recebeu sannyāsa por ®r…la Bhakti Prajñāna Keava Gosvām… Mahārāja, e que
47

deu, então, o nome ISKCON em inglês. [Previamente fora chamada por nomes diferentes, como Gau…ya Vedānta Samiti, Gau…ya Ma˜ha, Viva Vai÷Šava Rājā Sabhā, e K÷Ša-bhakti-rasa Bhāvitaƒ Mati.] Seu Prabhupāda, ®r…la Swām… Mahārāja, só mudou o nome em inglês. Ele não é o Fundador-šcārya desta ISKCON eterna. O Fundador-šcārya é originalmente Brahmā, e ela é realmente estabelecida por K÷Ša. Todos vocês que estão seguindo esta sucessão discipular são ISKCON. Não pense que você não é. Eu sou ISKCON. Eu não sou diferente da ISKCON. Eu sou ‘Bhaktivedānta' [®r…la Bhaktivedānta NārāyaŠa Gosvām… Mahārāja]. Tal pai, tal filho. Eu sou o real sucessor de ®r…la Bhaktivedānta Swām… Mahārāja, e não há nenhum outro. Você deveria saber disto muito abertamente. Eu sou Bhaktivedānta e ele é Bhaktivedānta, mas ele recebeu este nome depois que eu o encorajei a isso. Eu sou sênior a ele nesta consideração. Por meu pedido ele tornou-se pronto para tomar sannyāsa, e meu guru mahārāja deu sannyāsa a ele. [®r…la NārāyaŠa Mahārāja e ®r…la Prabhupāda foram ambos denominados

Bhaktivedānta por ®r…la Bhakti Prajñāna Keava Gosvām… Mahārāja na hora das iniciações de sannyāsa deles.] Eu estava como sacerdote na cerimônia de sannyāsa dele. Eu executei o sacrifício de fogo, eu fiz a daŠa dele e eu lhe ensinei como usar os artigos de vestuário de sannyāsa dele. Embora ele era júnior para mim e eu sou sênior a ele em sannyāsa, ele é meu ik÷ā-guru. Eu sou o discípulo dele. Eu sou Bhaktivedānta, e eu também sou ISKCON. Não pense que eu estou fora da ISKCON”.
48

Nós também havíamos postado a seguinte citação de ®r…la Prabhupāda junto com a conferência de ®r…la Mahārāja, confirmando a declaração de ®r…la Mahārāja que o real crédito de ®r…la Prabhupāda é que ele trouxe ao Ocidente, no idioma inglês, pura e eterna consciência de K÷Ša. Prabhupāda declarou em uma conferência em Detroit, no dia 3 de agosto de 1975: “Não é que, ‘Bhaktivedānta Swām… trouxe isto.' Eles dizem. Eles me dão o crédito. Isso também é minha boa fortuna. Mas, de fato eu sou igual a um mensageiro. Eu trouxe, mas eu estou entregando isto sem qualquer adulteração. Este pode ser meu crédito. E se você recebe isto sem qualquer adulteração e pratica isto, então sua vida será bem sucedida.” Além disso, a compilação não citou a precedente introdução de ®r…la Mahārāja: “Você deveria saber uma coisa. ISKCON foi primeiro estabelecida através do cātur-mukha (quatro-cabeças) Brahmā. Ele é nosso primeiro guru. Ele é o Fundador-šcārya original da ISKCON, e os discípulos dele como Sanaka, Sanandana, Sanātana, Sanat-kumara, e Nārada são reais pregadores da ISKCON. Depois deles,

especialmente em Kali-yuga, Madhvācārya, Rāmānuja, Vi÷ŠuSwām… , Nimbāditya e tantos outros apareceram. Em nossa linha (a Gau…yasampradaya), especialmente em Kali-yuga, ®r… Mādhavendra Pur… é a raiz, a semente. Os discípulos dele são ®r…la Ÿvara Pur…padā e Nityānanda Prabhu; de Ÿvara Pur…padā veio ®r… Caitanya

Mahāprabhu, e dEle veio Svar™pa Dāmodara. Então, depois deles, ®r…la Bhaktivinoda µhākura e ®r…la Prabhupāda Bhaktisiddhānta
49

Sarasvat… Gosvām… µhākura apareceu na linha deles, e eles também fazem parte da real ISKCON. Todas estas são personalidades da ISKCON ideal, e vocês sempre deveriam estar atentos nisto.” ®r…la Mahārāja simplesmente está nos encorajando a que nos lembremos de honrar nossos šcāryas prévios. Eles também podem nos ajudar e podem nos abençoar. Se nós pensamos que Prabhupāda é o primeiro neste movimento, nós não o estamos glorificando. Ele não quer ser desconectado do seu guru paramparā. A glória dele é sua castidade nas palavras e humores da sucessão discipular. Se nós pensarmos que Prabhupāda é o primeiro, significa pensarmos que não temos que recorrer aos šcāryas prévios da sucessão para entender o que ele (Prabhupāda) está tentando ensinar. Significa pensar que nós, e almas condicionadas como nós, somos as autoridades no

entendimento relativo a ele. Quanto à declaração de ®r…la Mahārāja que ele, como também outros, podem ter recebido o título “Bhaktivedānta”, ®r…la Prabhupāda confirma isto no ®r…mad-Bhāgavatam (1.5.24) como segue: “Como tal, vedānta-vād…s, ou os seguidores do Vedānta, indica os devotos puros da Personalidade de Deus. Tais vedānta-vād…s, ou bhakti-vedāntas, são imparciais distribuindo o conhecimento transcendental do serviço devocional. A eles ninguém é inimigo ou amigo; ninguém é educado ou ignorante. Ninguém é especialmente favorável, e ninguém é desfavorável. Os bhakti-vedāntas vêem que as pessoas em geral estão desperdiçando o tempo em falsas coisas sensuais. O seu

empreendimento é abordar a massa ignorante das pessoas para
50

restabelecer a perdida relação delas com a Personalidade de Deus. Por tal empenho, mesmo as almas mais adormecidas são despertas ao senso da vida espiritual e, sendo assim iniciadas pelos bhaktivedantas, as pessoas em geral progridem gradualmente no caminho da realização transcendental.” O d…k÷ā-guru de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, ®r…la Bhakti Prajñāna Keava Gosvām… Mahārāja, também é o sannyāsa-guru de ®r…la Prabhupāda. ®r…la Bhakti Prajñāna Keava Gosvām… Mahārāja deu para todos seus discípulos de sannyāsa o título “Bhaktivedānta”. A compilação citou ®r…la Mahārāja dizendo, “eu sou o real sucessor de ®r…la Bhaktivedānta Swām… Mahārāja, e não há nenhum outro”. Talvez a compilação está tentando dizer que ®r…la Mahārāja não é fidedigno porque um auto-refulgente šcārya não precisa se proclamar. De fato, ®r…la Mahārāja está apenas se separando dos falsos gurus. Esta declaração não é exclusiva, mas inclusiva. Quando Prabhupāda foi questionado em 1969, em Boston, o que Jesus quis dizer quando ele disse, “eu sou o único filho de meu pai. Ninguém pode vir a Ele senão por mim”, Prabhupāda respondeu: “Eu quer dizer ‘por mim’ ou qualquer um como eu; em outras palavras, por mim ou qualquer representante fidedigno de Deus.” ®r…la Mahārāja não está

menosprezando outros instrutores fidedignos. Ele simplesmente está dizendo que não é coisa pequena representar a linha dos Gau…ya šcāryas perfeitamente. A declaração de ®r…la Mahārāja também pode ser vista deste modo: A declaração de um filho que ama o pai (Prabhupāda) tanto que ele
51

pode dizer, “ninguém pode amar meu pai mais que eu”. Este não é orgulho dele nele próprio, mas no ®r…la Svām… Mahārāja amado dele, nosso ®r…la Prabhupāda. Nós não podemos imaginar tal amor em nossa cultura Ocidental.

4: COMPILAÇÃO 4 Hari Sauri 3/31/97-7:54 da manhã. Carta: “Ele (NārāyaŠa Mahārāja) gritou, ‘Eu não estou sob suas regras. Eu não sou ISKCON, eu sou Gau…ya Ma˜ha!’”

4: REFUTAÇÃO 4 A compilação está tentando dizer que ®r…la Mahārāja se contradiz para se adequar aos seus propósitos. Mas de fato, ele está pondo um foco na real ISKCON eterna, e distingue isto da corporação ISKCON moderna. O incidente referido acima aconteceu em Navadv…pa. Hari ®auri e alguns dos irmãos espirituais dele estavam tentando castigar ®r…la Mahārāja com uma linguagem severa. Eles tinham acusado-o de re-iniciar Gaurāng…-dās… que realmente nunca havia sido iniciada antes. Eles também tinham acusado-o de iniciá-la no primeiro encontro dele com ela, sem ver as suas qualificações. Eles disseram que os discípulos de Prabhupāda esperavam seis meses, mas que Gaurāng… recebeu iniciação em seu primeiro dia. Contudo, de fato ela nasceu em consciência de K÷Ša, estava praticando há

aproximadamente vinte anos, tinha lido profundamente os livros de Prabhupāda e de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, e tinha sido recomendada por vários devotos seniores. ®r…la Mahārāja respondeu a eles, sem gritar, que ele não era parte da ISKCON [corporação] deles, e que,
52

portanto, eles não eram sua autoridade. A declaração dele de maneira alguma indica que ele se sente além das regras da ISKCON eterna. Na conferência dele de 13 de maio de 200l, em Los Angeles, Califórnia, ®r…la Mahārāja explicou as glórias de Prabhupāda relação a ISKCON eterna. Seguem alguns trechos. em

[®r…la NārāyaŠa Mahārāja]: “Eu vi ®r…la Svām… Mahārāja dando a definição de ISKCON com este loka”:

÷Ša bhakti-rasa-bhāvitā matiƒ k÷Ša-bhakti-rasa-bhāvitā matiƒ kr…yatā kr…yatāˆ yadi kuto ’pi labhyate m™ ekalaˆ tatra laulyam api m™lyam ekalaˆ janma-ko˜ suk janma-ko˜i-suktair na labhyate

‘Serviço devocional puro em consciência de K÷Ša não pode ser obtido nem sequer por atividades piedosas executadas em centenas e milhares de vidas. Só pode ser obtido pagando um preço; quer dizer, intensa avidez por obtê-lo. Se isto estiver em algum lugar disponível, a pessoa deve adquiri-lo a qualquer custo, e sem demora”. Significado: Esta é a base da ISKCON.

Nesta consideração, citamos ®r…la Prabhupāda também em outro livro - Viagem ao auto-conhecimento: “Em outro verso, R™pa Gosvām… diz: k÷Ša-bhakti-rasa-bhāvitā matiƒ, kr…yatāˆ yadi kuto ’pi labhyate. Eu traduzi as palavras “consciência de K÷Ša” de k÷Ša-bhakti-rasa53

bhāvitā. Então, aqui, R™pa Gosvām… aconselha: -‘Se consciência de K÷Ša estiver disponível, por favor compre imediatamente. Não demore. é uma coisa muito agradável.’” Em Seattle, Washington, 4 de outubro de 1968, ®r…la Prabhupāda declarou: “k÷Ša-bhakti-rasabhāvitā matiƒ. Matiƒ quer dizer inteligência ou estado mental que eu servirei K÷Ša. Se você puder comprar este estado mental em qualquer lugar, por favor, compre-o imediatamente”.

[®r…la NārāyaŠa Mahārāja]: “Se qualquer um não estiver seguindo isto, mesmo que ele esteja tentando ser ISKCON, ele realmente não é ISKCON. Ele é ābhāsa de ISKCON (uma semelhança ou sombra). Nós vemos na semelhança de ISKCON que tantos membros podem cair. Os reais sócios da ISKCON, contudo, nunca cairão. Brahmā é o primeiro na ISKCON, Nārada é o segundo, ®r…la Vyāsadeva é terceiro, o quarto é ®r… Sukadeva Gosvām…. Eles não podem cair. ®r…la R™pa Gosvām… não pode cair, e ele também é ISKCON. ®r…la Raghunatha dasa Gosvām… nunca cairá, e ele também é ISKCON. Nós somos todos ISKCON, mas esses que podem cair, esses que simplesmente estão tentando ser ISKCON, realmente não são membros. Nós devemos ajudar devotos que estão nesta categoria. Eu oro a K÷Ša para aspergir Sua misericórdia para que um dia eles possam ser a real ISKCON. Geralmente - janma-ko˜i-suktair na labhyate: este padrão de alta classe não pode ser obtido meramente por sukti (atividades espirituais piedosas, ou bhakti regulada). Se a pessoa acumular sukti por milhares e milhares de nascimentos, em relação a
54

K÷Ša e aos seus devotos ou então em relação a qualquer coisa relacionado a K÷Ša, isso será real sukti. Quando houver sukti em bastante quantidade, você pode ter darana de qualquer devoto exaltado. Sādhu-sa‰ga será alcançado”.

5: COMPILAÇÃO 5 A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda Carta para Dr. Bigelow –Allahabad, 20 de janeiro de 1971: “eu sou o Fundadoršcārya da Sociedade Internacional para Consciência de K÷Ša”.

5: REFUTAÇÃO 5 A compilação está tentando mostrar aqui que ®r…la NārāyaŠa Mahārāja não aceita as palavras de Prabhupāda de que ele é o Fundador-šcārya, mas aqui Prabhupāda está dizendo que ele é o fundador da corporação ISKCON, não a ISKCON eterna. Na mesma carta Prabhupāda escreve: “Esta vida antinatural de repetidos nascimentos, mortes, doença e velhice podem parar quando a sua consciência é conectada com a Suprema consciência de Deus. Esse é o princípio básico do nosso Movimento para Consciência de K÷Ša”. Prabhupāda não está dizendo que ele é o “Fundador-šcārya” desse princípio básico.

6: COMPILAÇÃO 6 A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda Carta para Kurure÷˜ha–Bombay, 28 de dezembro de 1974: “Também sua idéia de formar um truste composto por membros da ISKCON e homens influentes da comunidade Indiana é aprovada por mim. Isso é muito bom. Deixe os Indianos tomar parte em nosso
55

movimento e nos ajudar a impulsionar esta missão de ®r… Caitanya Mahāprabhu. Neste truste (corpo administrativo) você deve ser muito cuidadoso para ter certeza que meu nome estará registrado lá como o Fundador-šcārya e que eu serei a última autoridade. Em outras palavras, em caso de necessidade de vetar ou cancelar qualquer decisão feita pelos outros fiduciários, eu serei capaz de fazer isso. Minha decisão deverá prevalecer sobre a dos outros fiduciários combinados.”

6: REFUTAÇÃO 6 Prabhupāda nunca diria que ele é a autoridade acima de Brahmā, K÷Ša ou o próprio guru-mahārāja dele; nem que eles seriam seus fiduciários. Está claro que ele está falando da ISKCON corporação e não da ISKCON eterna da qual ele fala em outro lugar. Há um termo usado na língua inglesa conhecido por “homônimo”. Homônimos referem-se a palavras que têm a mesma ortografia ou pronúncia, mas com significados diferentes. ISKCON é como um caso de homônimo.

COMPILAÇÃO

7: 7

Conversação

de

NārāyaŠa

Mahārāja,

Murwillumbah, Austrália: 12 de fevereiro de 2002 (manhã): “Então, no serviço para Rādhikā, para rati-keli-siddhyai, um guru não pode servir em sua forma masculina. ®r…la Swām… Mahārāja e meu gurudeva ambos estão servindo lá nas formas femininas deles como gop…s. Naquela morada meu gurudeva é Vinoda Mañjar…, ®r…la Prabhupāda Bhaktisiddhānta Sarasvat… µhākura é Nayana Mañjar…,
56

®r…la Bhaktivinoda µhākura é Kamala Mañjar…, ®r…la J…va Gosvām… é Vilasa Mañjar…, ®r…la R™pa Gosvām… é R™pa Mañjar…, e ®r…la Raghunatha dasa Gosvām… é Rati Mañjar…. Estas mañjar…s podem servir o casal Rādhā-K÷Ša”. [®r…pada Bhaktisār Mahārāja:] “E nosso ®r…la Prabhupāda?” [®r…la NārāyaŠa Mahārāja:] “Se você render-se completamente, com corpo, mente, palavras e ego, então eu posso lhe falar. Caso contrário, eu não vou. Eu sei quem ele é, mas você não sabe. Nenhum dos líderes da ISKCON sabe. Seu Prabhupāda os enganou a todos, no sentido de que ele não se revelou a ninguém”.

7: REFUTAÇÃO 7 Talvez a compilação esteja tentando dizer que ®r…la Mahārāja afirmou que Prabhupāda é um trapaceiro, e os líderes da ISKCON foram enganados por ele, e que ele não é um mestre espiritual fidedigno. Mas, ®r…la Mahārāja não está dizendo nada disso. Ele está apenas dizendo que Prabhupāda não revelou a identidade espiritual dele. Devido a eles, e nós, não temos a qualificação para saber, ele manteve isto em segredo.

8: COMPILAÇÃO 8 NārāyaŠa Mahārāja, conferencia dada no dia 19 de setembro de 1994: “Esses que não são rasika Vai÷Šavas, eles não sabem tattva, eles não tem tido associação com qualquer Vai÷Šava... eles pensam que ao pregar no mundo inteiro... o nome de K÷Ša... e dar o G…tā sandesa é tudo. Assim, eu quero dizer que seu Prabhupāda deu estas coisas... só
57

estas coisas... e não além destas coisas. Então ele foi só o servo de Mahā-Vi÷Šu, não de K÷Ša. Uma coisa estranha para os que são ignorantes. Mas, esses que são sábios e tomaram iniciação de qualquer rasika Vai÷Šava, bhava-bhakta de Caitanya Mahāprabhu... Esses que deram o coração deles a eles e que realizaram qualquer coisa... muito pequena... eles podem perceber estas coisas. No princípio, se vai construir qualquer templo... nós teremos que limpar... o terreno. Os espinhos estão lá, as árvores que têm espinhos... inútil... devem ser cortados, e abrimos algum espaço... Mas, cavar e varrer não é tudo. Cavar para a fundação deste grande templo não é tudo. Assim, Swam…j…i clareou a atmosfera no princípio... preparando o chão... pregando nome e o sandesa do G…tā... ele preparou. Um trabalho muito importante. Sem isto, sem isto, ele não poderia ter dado estas coisas. Assim como Caitanya Mahāprabhu primeiro pregou o nome de K÷Ša

mundialmente, e ele queria que todos os Vai÷Šavas entendessem o humor interno dele... Caso contrário ninguém poderá entender... assim ele fez esta tarefa e isso era tão necessário para aquele mundo... para todo o mundo... ele fez, mas ele não fez tudo... além disso. Isto foi apenas a base... fundação”.

8: REFUTAÇÃO 8 Esta não é uma transcrição exata da conferência de ®r…la Mahārāja. Citando de maneira distorcida esta conferência, a compilação está tentando mostrar que ®r…la Mahārāja disse que Prabhupāda não é servo de Caitanya Mahāprabhu, mas meramente de
58

Mahā-Vi÷Šu. Porém, nada pode ser adicionado além da verdade. Aqueles devotos que estavam realmente presentes àquela conferência, que ouviram várias vezes o tape das gravações, e que (além disso) ouviram as várias conferências de ®r…la Mahārāja sobre este mesmo tópico muitas vezes, transcreveram a palestra do seguinte modo: (completo e correto) “Esses que não são rasika Vai÷Šavas que não sabem tattva e que não tiveram a associação de qualquer Vai÷Šava puro, pensam que pregar ao redor do mundo o nome de K÷Ša e dar G…tā-sandesa, a mensagem do G…tā, é a coisa toda. Assim eu quero dizer que se seu Prabhupāda tivesse dado só estas coisas e nada além destas coisas, então ele teria sido apenas o servo de Mahā-Vi÷Šu, não de K÷Ša. Esta idéia estranha é para esses que são ignorantes. Mas, esses que são sábios e tomaram iniciação de qualquer rasika Vai÷Šava e bhavakā-bhakta de Caitanya Mahāprabhu, esses que deram o coração deles a ele e perceberam algo, até mesmo muito pequeno, podem perceber estas coisas de fato sobre quem é Prabhupāda. Primeiro, se qualquer templo for ser construído nós teremos que limpar o terreno. As árvores que têm espinhos são inúteis e precisam ser cortadas, para dar algum espaço para a construção. Mas cavar e varrer não é tudo. Cavar para a construção do alicerce deste grande templo não é tudo. Assim, Swām…j…i primeiramente limpou a atmosfera e preparou o terreno pregando o santo nome e a mensagem de sandea do G…tā, e este é um trabalho muito importante. Sem isto, ele não poderia ter dado estes conceitos mais avançados. Caitanya
59

Mahāprabhu também pregou primeiro por todo o mundo o nome de K÷Ša, mas Ele também desejava que todos os Vai÷Šavas entendessem o seu humor interno. Caso contrário, sem uma fundação, ninguém pode entender isto. Assim, seu Prabhupāda executou esta tarefa, e isso era tão necessário para todo o mundo, mas isto não é tudo que ele fez. Isso foi apenas uma base ou fundação”. O texto acima foi só uma pequena citação. Na continuidade da conferencia, ®r…la Mahārāja explica como Prabhupāda manteve as verdades mais elevadas de bhakti, uddha-bhakti ou vraja-bhakti, nos livros dele, e que, portanto, nós precisamos nos tornar servos de Rādhā-K÷Ša e Caitanya Mahāprabhu. No dia 31 de maio de 2000 em Los Angeles ®r…la Mahārāja explicou este mesmo princípio novamente: “Você deve saber quem seu Prabhupāda é. Você deve saber; então você pode glorificá-lo, caso contrário você não pode. Ele também descendeu. Ele é um associado de Mahāprabhu, e ele descendeu para dar aquele mesmo humor e missão de Mahāprabhu. Ele não veio apenas para pregar: ‘Você deve fazer k…rtana e acrescentar isso a tudo o mais que você já estiver fazendo’. (Prabhupāda pregava assim para nós ocidentais e Gurudeva está dando o exemplo de como ele, Prabhupāda, falava) Ele não veio apenas também para estabelecer yuga-dharma. Isso é o trabalho de Mahā-Vi÷Šu, não de K÷Ša. Não é a função de K÷Ša. Quem é MahāVi÷Šu? ®r… Advaita šcārya. Ele é o aˆa (parte) do aˆa do aˆa do aˆa do kāla do próprio K÷Ša. Ele é uma parte da parte da parte da parte de K÷Ša. Estando tão longe, Ele pode pregar com k…rtana, mas
60

Ele não pode dar vraja-bhakti. Ele não está qualificado para isto. Só K÷Ša pode fazer isto. Quando Ele vem, portanto, Ele prega através de sa‰k…rtana aquele mais elevado amor e afeição, assim como também o processo para alcançar isto. Você não deve pensar que ele (Prabhupāda) era apenas um pregador de harināma. Você não deve pensar que ele apenas escreveu tantos livros, e os publicou e os distribuiu. Esta não é a última glória dele. Qual é a glória dele? Ele é um r™pānuga Vai÷Šava, servindo o casal Rādhā-K÷Ša da mesma maneira como R™pa Mañjar…”.

9: COMPILAÇÃO 9 NārāyaŠa Mahārāja, Bambra, uma fazenda perto de Melbourne: “®r…la Bhaktivedānta Swām… Mahārāja me pediu nos últimos dias, ‘Você deveria ajudar meus discípulos. Eles são como macacos; eu não os pude treinar o suficiente. Sempre tente ajudá-los '”.

9: REFUTAÇÃO 9 Talvez a compilação está tentando dizer que ®r…la Mahārāja está inventando que Prabhupāda disse algo ruim sobre nós, os discípulos dele. Mas, há um registro gravado disto (desta conversação de ®r…la Prabhupāda com ®r…la NārāyaŠa Mahārāja) se referindo a seus discípulos como macacos. Nós temos uma certa grande concepção a respeito de nós mesmos, e porque Prabhupāda encorajou (-nos) seus pequenos recém-nascidos bebês, continuamos a pensar que nos éramos grandes. Podemos muitos de nós dizer honestamente que não agimos como macacos? Pelo menos às vezes,
61

sendo vigorosos e bravos, famintos e briguentos? Nós pessoalmente experimentamos (®yāmarān… ou JādurāŠ… era uma das principais artistas da BBT) Prabhupāda chamando os artistas da BBT de animais, porque disputávamos dessa maneira entre nós mesmos. Prabhupāda nos treinou de acordo com nossa receptividade para ser treinado, e como nós continuamos servindo e cantando, construindo sukti e saˆskāra, créditos devocionais, nós nos tornamos mais treinados. ®r…la Prabhupāda escreveu no Bhāgavatam (3.32.39–40 Significado):

“Também, há assim DENOMINADOS DISCÍPULOS que se tornam submissos muito artificialmente a um mestre espiritual, com um motivo ulterior (imediatista, secreto), e “NÓS TEMOS EXPERIÊNCIA QUE ALGUNS ESTUDANTES VÊM SE JUNTAR A NÓS, mas devido a existência de outros conceitos em algum tipo particular de fé, eles deixam nosso acampamento e vão se perder na selva”.

10: COMPILAÇÃO 10 Satsvar™pa Goswām…: “Na última publicação, entretanto, o assunto era que não importa o quanto ®r…la Prabhupāda pode ter dito ou não a ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, mas o que ®r…la Prabhupāda disse a nós, os discípulos dele. E não há nenhum registro dele em tempo algum instruindo os membros da ISKCON a tomarem a direção de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja, ou outros que se refiram a requerer sua guia envolvendo os detalhes de executar a cerimônia do samādhi de ®r…la Prabhupāda”.

62

10: REFUTAÇÃO 10 Primeiro, ®r…la Mahārāja é o discípulo de Prabhupāda. Ele se tornou o discípulo dele em 1947, antes da maioria dos membros da ISKCON nascerem e quase vinte anos antes da ISKCON (instituição) ser estabelecida. Assim como não há diferença entre o d…k÷ā e ik÷ā-guru, não há diferença entre o discípulo ik÷ā e d…k÷ā. De fato, o discípulo ik÷ā pode ser mais avançado e íntimo, como no caso do melhor discípulo de ®r…la Jagannātha dāsa Bābāj… Mahārāja, ®r…la Bhaktivinoda µhākura, que era discípulo ik÷ā dele. Secundariamente, COMPILAÇÃO 10 atesta que ®r…la Mahārāja não foi anunciado. Mas, Prabhupāda Bhaktisiddhānta Sarasvat… µhākura também não anunciou a todos seus discípulos sobre o discípulo dele que depois se tornaria nosso Prabhupāda. O próprio Prabhupāda atestou: “Eles nunca pensaram, Guru Mahārāja nos deu instrução sobre tantas coisas. Por que ele não disse que, ‘Este homem deveria ser šcārya?’ Eles quiseram criar artificialmente algum šcārya e tudo falhou. Eles não consideraram mesmo com um senso comum que se Guru Mahārāja quisesse designar alguém como šcārya, por que ele não disse? Ele disse tantas coisas, e este ponto ele omitiu?”. Assim, o próprio Prabhupāda não foi anunciado ou externamente designado. Ele manifestou-se como um auto-refulgente šcārya e os que eram sinceros o reconheceram. Esse é o sistema desde tempos imemoriais.

11: COMPILAÇÃO 11 Carta de Hdayānanda Mahārāja, quinta-feira, 7 de dezembro de 2000:
63

"NārāyaŠa Mahārāja declara que ele é o ‘primeiro’ ou talvez o ‘verdadeiro’ discípulo de ®r…la Prabhupāda, etc. De fato eu servi ®r…la Prabhupāda pessoalmente durante tantos anos como um membro do GBC e ele nunca mencionou NārāyaŠa Mahārāja, nem NārāyaŠa Mahārāja foi ocupado em qualquer serviço significante à Missão de ®r…la Prabhupāda. ®r…la Prabhupāda nunca disse em qualquer livro, entrevista, artigo ou qualquer outra declaração documentada, que NārāyaŠa Mahārāja deveria se tornar o ik÷ā-guru da ISKCON”.

REFUTAÇÃO 11: O leitor reflexivo pode ver o livro, Meu ®ik÷ā-guru e Priya-bandhu (Meu Mestre Espiritual Instrutor e Mais querido Amigo). Este livro é importante para qualquer um que deseja um entendimento adicional sobre os eventos desde 1922, o ano em que Prabhupāda conheceu seu mestre espiritual, até sua divina partida em 1977. ®r…la Mahārāja fez serviço significante a ®r…la Prabhupāda por esses anos, e ainda faz assim. Prabhupāda declarou em uma conferência no dia 26 de abril de 1975: “Esta é a missão de ®r… Caitanya Mahāprabhu, que você va pregar e faça propaganda sobre k÷Ša-upadea. Este é o movimento para consciência de K÷Ša”. Ele citou este verso em numerosas ocasiões:

yāre dekha, tāre kaha ‘k÷Ša’-upadea āmāra ājñāya guru hañā tāra’ ei dea (®r… Caitanya-caritāmta, Madhya-l…lā 7.128)
64

[Caitanya Mahāprabhu instruiu:] ‘Instrua todo mundo para seguir as ordens de ®r… K÷Ša como elas são determinadas no Bhagavad-g…tā e ®r…mad-Bhāgavatam. E deste modo se torne um mestre espiritual e tente liberar todo mundo nesta terra’.

®r…la Mahārāja cumpre esta instrução continuamente de vários modos. Durante os últimos 40 anos, satisfazendo o desejo de Prabhupāda, o desejo do d…k÷ā-guru dele e o desejo de todo o guruparamparā, e auxiliado por outros sannyās…s e brahmacār…s, ele tem conduzido o anual Gau…ya Vedānta Samiti Navadv…pa-dhāma Parikrama durante Gaura-p™rŠimā. Mais de vinte mil devotos, principalmente da Índia e várias centenas de estrangeiros participam. Também anualmente, durante o mês de Kārtika, ele conduz mais de 700 devotos do mundo todo e principalmente do Ocidente no VrajamaŠala Parikrama. Ele tem realizado estes parikramas durante nada menos que 50 anos, e durante os últimos sete anos ele tem pregado ao longo do mundo. Através de sua pregação, centenas de discípulos diretos de Prabhupāda e milhares de seguidores de ®r…la Prabhupāda tornaram-se rejuvenescidos nas suas práticas da consciência de K÷Ša, e milhares a mais estão precisamente começando. Como Prabhupāda pediu através de seus discípulos, ele distribui centenas de milhares de livros e também está publicando livros. Ele dá todo o crédito de seu sucesso para o seu d…k÷ā-guru, ®r…la Bhakti Prajñāna Keava Gosvām…

65

Mahārāja, e para o seu ik÷ā-guru, nosso ®r…la Prabhupāda. Estes são alguns dos serviços dele a Prabhupāda.

Almas condicionadas não podem entender um devoto puro como Prabhupāda, ou por que ele pode escolher não contar a seus discípulos jovens algo num momento particular e, então, revelar isto em outro momento. O guru Mahārāja de Prabhupāda não anunciou sobre Prabhupāda à sua instituição. Apenas um devoto completamente auto-realizado pode entender os caminhos de outro do mesmo calibre. No ®r… Caitanya-caritāmta (Madhya-l…lā 23.39), ®r… Caitanya Mahāprabhu diz a ®r… Gosvām…: Sanātana

k÷Š premā ka ÷Ša yā‰ra citte k÷Ša-premā karaye udaya vāk kriyā mudrā vijñ āky nā tā‰ra vākya, kriyā, mudrā vijñeha nā bujhaya

‘Nem mesmo o homem mais instruído pode entender as palavras, atividades e sintomas de uma pessoa situada no amor a Deus’.

Por exemplo, alguns dos membros do GBC poderiam ter acreditado que Prabhupāda os estava fazendo sucessores espirituais quando eles ajudaram-no na formulação de seu testamento final, mas esse não era seu testamento final concernente a assuntos espirituais. Depois do desaparecimento de Prabhupāda de nossa visão em novembro de 1977, todos os devotos e membros da congregação da ISKCON foram
66

informados que Prabhupāda tinha escrito um testamento final, tornando os membros do GBC as autoridades máximas gerenciadoras e executoras de toda administração concernente a ISKCON. Ironicamente, com tudo, o desejo era só um documento legal relativo a propriedades. O seguinte é um extrato de uma conversação que aconteceu no dia 2 de junho de 1977, relativa a esse testamento:

Girirāja: Então, nós esboçamos um testamento, incluindo os guardiões para as propriedades da Índia e algumas dos outros... Prabhupāda: Testamento? Testamento. Lá haverá o direcionamento que “A administração deverá ser feita desse jeito”. Isso é tudo. Girirāja: Sim. Prabhupāda: Ninguém poderá dizer no tribunal que “Este templo estará a cargo desta pessoa, este templo...”. Ramevara: Sim, somente como você disse. Girirāja: Assim nós incluímos esses pontos em seu sumário (resumido) testamento. Eu deveria lê-lo? Prabhupāda: Hm? Girirāja: Então nós podemos imprimir “eu, A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda, Fundador-šcārya da Sociedade Internacional para Consciência de K÷Ša, idealizador da Bhaktivedānta Book Trust, e discípulo de om vi÷Šupada 108 ®r… ®r…mad Bhaktisiddhānta Sarasvat… Gosvām… Mahārāja Prabhupāda, no momento residindo em ®r… K÷ŠaBalarāma Mandira em Vndāvana, faço disto meu testamento final. 1o. O (os membros do) Corpo de Comissão Governamental, GBC, serão os
67

curadores de toda Sociedade Internacional para Consciência de K÷Ša.” Prabhupāda: Você pode. Então há uma pergunta: “Um certificado de curadoria deve ser emitido? Então, haverá alguma taxa.” Girirāja: Não, porque os curadores da ISKCON já estão lá, e a ISKCON é isenta de impostos. A única dificuldade é se você criar novos curadores. Prabhupāda: Não, nenhum novo curador. Girirāja: Não. Prabhupāda: Em vez de curadores... Tamāla-K÷Ša: Use uma palavra diferente. Prabhupāda: Ah! Ramevara: Não se refira a ‘curadores’. Girirāja: Oh, sim. Ramevara: Uma palavra diferente. Prabhupāda: Supremos administradores. Gopāla-K÷Ša: Supremos administradores. (rindo) Prabhupāda: Ou os administradores últimos, assim. Gopāla-K÷Ša: Os executivos últimos? Prabhupāda: Sim. Tamāla-K÷Ša: Sim, os realizadores. Gopāla-K÷Ša: Os realizadores últimos. Tamāla-K÷Ša: Ou representante oficial. Você tem... Prabhupāda: Hm. Sim, representante oficial. Tamāla-K÷Ša: Representante oficial é bom, deixe assim mesmo...
68

Prabhupāda: Use tal palavra. Tamāla-K÷Ša: Use uma palavra que é apropriada. Girirāja: Okay. Tamāla-K÷Ša: Por agora use apenas uma palavra. Girirāja: 2o. Cada templo será propriedade dos curadores...” Prabhupāda: Novamente a palavra “curadores”. Gopāla-K÷Ša: Novamente “proprietários da ISKCON.” Girirāja: Okay, nós podemos mudar estas expressões.

12: COMPILAÇÃO 12 NārāyaŠa Mahārāja, Los Angeles, Califórnia, 31 de maio de 2000: “Nunca. ®r…la Swām… Mahārāja (®r…la Prabhupāda) não instruiu assim. Ele disse que nós deveríamos ir para universidades de ateístas'? ®r…la Swām… Mahārāja disse em algum lugar que você deveria ir para esta má universidade ou para aquela má universidade? Qual será o resultado? Esses que vão se tornar como historiadores. Eles não acreditarão em Deus. Eles não acreditarão em nāma e hari-kathā. Eles não acreditarão que Caitanya Mahāprabhu veio de Goloka Vndāvana (Svetadv…pa). Eles pensarão que K÷Ša não é Deus. Gradualmente esta convicção virá. Eles compararão Caitanya Mahāprabhu com Buda. Eles estão indo alcançar isso. Eles não serão capazes de ter fé no Caitanyacaritāmta e no ®r…mad-Bhāgavatam.”

NārāyaŠa Mahārāja, Moscou, 30 de julho de 2000:

69

“Estas universidades são como matadouros e elas estão cheias de māyāvād…s. ®r…la Swām… Mahārāja veio e anulou todos os argumentos dos māyāvād…s e nirvee÷a-vād…s. Por que os discípulos dele deveriam aderir a todas estas coisas? É porque eles não têm fé nas palavras do seu guru, e porque eles próprios não são gurus de modo algum. Eles são caídos desde o princípio. Não há posição da qual eles poderiam cair”.

REFUTAÇÃO 12: A compilação insinua que embora Prabhupāda autoriza que os gurus estudem em uma universidade, ®r…la NārāyaŠa Mahārāja não o faz. Contudo, há muitas citações do fólio de Prabhupāda como essas que mencionamos a seguir confirmando as declarações de ®r…la NārāyaŠa Mahārāja:

“Somente quem está realmente engajado em consciência de K÷Ša e serviço devocional pode compreender quem é K÷Ša. Graus universitários não podem ajudar”. (Bhagavad-g…tā 18.55 Significado)

“A educação universitária moderna praticamente prepara a pessoa para adquirir uma mentalidade de cachorro com a qual ela se coloca a serviço de um grande amo”. (®r…mad-Bhāgavatam 2.3.19 Significado)

“Similarmente, as assim chamadas vibrações educacionais das línguas de professores universitários que não têm conhecimento

70

espiritual são como o coaxar de rãs”. (®r… Caitanya-caritāmta, Adi-l…lā 8.6 Significado)

“Que tolo duvidaria que a opinião do Senhor Caitanya seja de longe superior a milhões de doutorados universitários?”. (Renúncia através da Sabedoria: Capítulo 4, Texto 2) “Alguém pode contestar, ‘Como você pode chamar um cavalheiro ateísta com grau universitário de demônio? Ele é tão educado e altamente qualificado!’ Mas, o veredicto do āstra é que embora ele pareça ser muito instruído, o conhecimento real dele foi roubado pra longe por maya devido a sua existência ateísta”. (Uma Segunda Chance)

“Ninguém precisa de um grau universitário. Isso é uma coisa falsa. BrāhmaŠas deveriam ser estudantes altamente instruídos. Assim os brāhmaŠas darão conselhos aos k÷atriyas como governar, e os k÷atriyas arrecadarão impostos, e os vaiyās produzirão alimentos. Então a sociedade será perfeita”. (Conversação no quarto: 1o de agosto de 1975)

“Assim, esta é a posição dos assim chamados professores, estudantes, universitários, todos patifes. Nós os desafiamos. Todos patifes. Porque estão no conceito corpóreo da vida”. (Conferência: 11 de abril de 1973).

71

COMPILAÇÃO 13: A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda Carta para Pierre Sauvageau–Honolulu, 2 de fevereiro de 1975: “Eu gosto da sua idéia de continuar com seu PhD, apresentando nossos livros e filosofia em sua tese. Este será um grande serviço para você executar e eu serei muito grato a você se puder fazer isto. Então, por favor, prossiga em obter PhD e se torne um estudante erudito na ciência do amor à K÷Ša”.

REFUTAÇÃO 13: A compilação tenta dizer que Prabhupāda autorizou certos gurus da ISKCON a adentrarem universidades e adquirir PhD. Esta carta não é evidência que um real sannyās… ou ācārya deva adentrar qualquer outra universidade além da universidade de Haridāsa µhākura. Esta carta simplesmente encoraja um típico novo devoto aspirante, que já estava em uma universidade, a se tornar um devoto.

COMPILAÇÃO 14: NārāyaŠa Mahārāja, ®r… Vraja-mandala Parikramā, pág. 45: “Esses que não estudaram minuciosamente o sagrado ®r…madBhāgavatam, e quem não compreendeu conscienciosamente o ®r… Caitanya-caritāmta, compreende livros e quem como também não apropriadamente Bhad

Bhakti-rasāmta-sindhu,

bhāgavatāmta, Ujjvala-n…lamaŠi, K÷Ša-kanāmta e outras literaturas desta natureza, estas pessoas consideram vipralambha, o humor de separação, sendo o nível mais alto de êxtase. Nossos šcāryas prévios
72

também consideraram vipralambha como um estado exaltado; mas depois de muita reflexão, eles distinguiram vipralambha como um prérequisito para realçar, ampliar e embelezar ainda mais completamente o êxtase da união. Se houvesse apenas vipralambha por toda a eternidade, qual seria o seu uso? Qual seria seu serviço? Vipralambha só é necessário porque intensifica os sentimentos extáticos de união novamente.”

NārāyaŠa Mahārāja, ®r… Vraja-mandala Parikrama, p.46: “Assim, você pode ver que o humor de vipralambha é muito mais complexo que possivelmente você imaginou antes. E esses que ainda persistem em advogar que vipralambha é o mais elevado, eles ainda não têm a maturidade espiritual e compreensão para realizar que não é possível algo ser mais elevado que as trocas amorosas extáticas de ®r…mat… RādhārāŠ… e K÷Ša encontrando-se novamente”.

Do

®r…

Caitanya

Caritāmta

(Madhya-l…lā

8.191–197)

em

os

‘Ensinamentos do Senhor Caitanya’, A.C. Bhaktivedānta Swām… Prabhupāda:

“Assim ouvindo sobre essas atividades transcendentais, o Senhor Caitanya disse: ‘Meu querido Rāmānanda, o que você explicou relativo aos passatempos transcendentais de ®r… Rādhā e K÷Ša está perfeitamente correto, contudo há algo mais que eu gostaria de ouvir de você'. ‘É muito difícil para eu expressar algo além disto'.
73

Rāmānanda Rāya respondeu. ‘Eu só posso dizer que há uma atividade emocional chamada prema-vilāsa-vivarta que posso tentar explicar, mas eu não sei se Você ficará feliz em ouvir isto'. Em prema-vilāsa há dois tipos de atividades emocionais – separação e união. A separação transcendental é tão aguda que realmente é mais extática que a união”.

14: REFUTAÇÃO 14 Quando ®r…la NārāyaŠa Mahārāja ouviu sobre essas citações na COMPILAÇÃO, ele deu as seguintes classes para mostrar que ele e ®r…la Prabhupāda pregam na mesma linha: Primeiro, ele estabeleceu a sua conclusão, e então mostrou como ®r…la Prabhupāda tem realmente a mesma exata conclusão. As classes foram dadas em Hilo, Havaí, no dia 13–14 de janeiro de 2003:

“Eu elucidei esses tópicos nas citações mencionadas acima. Separação é apenas necessária porque serve para incrementar o prazer no encontro; ela ajuda nisso. Mas, ainda eu desejo explicar isso adicionalmente: ®r…la Vivanātha Cakravart… µhākura escreveu que em mādanākyamahābhāva (o limite mais alto de amor por K÷Ša) há a experiência da mais alta intensidade de separação no encontro, e encontro na separação. Todos os humores, em suas extremas exaltações, estão

presentes em ®r…mati Rādhikā em seu mādanākya-mahābhāva. K÷Ša também se revela em intensa separação (divyā-viraha). Em tal humor de separação as gop…s estão completamente absortas em K÷Ša - em todas Suas qualidades e em todos Seus passatempos. E
74

ainda, ao mesmo tempo, elas desejam abraçar K÷Ša imediatamente ali mesmo. Elas não desejam queimar no fogo da separação. As gop…s não estão satisfeitas em seu humor de separação; elas não podem se satisfazer. O desejo delas é este: ‘K÷Ša deve vir diretamente diante de nós, face a face, de forma que Ele possa por seus pés de lótus muito macios e suaves em nossos seios’. Elas lamentam que seus seios sendo muito rígidos elas têm que colocar os pés de lótus Dele lá com um cuidado muito extremo. A quais pés de lótus elas estão se referindo? Os pés de lótus daquele K÷Ša os quais mesmo Brahmā, ®r… Nārada ¬÷i, ®r… ®ukadeva Gosvām… e ®r… Bh…÷madeva não podem alcançar em seus transes de meditação. São esses pés que as gop…s querem colocar nos seios delas.”

yat te sujāta-caraŠāmburuhaˆ stane÷u bh…tāƒ anaiƒ priya dadh…mahi karkae÷u tenā˜av…m a˜asi tad vyathate na kiˆ svit k™rpādibhir bhramati dh…r bhavad-āyu÷āˆ naƒ ®r…mad-Bhāgavatam 10.31.19

‘Ó querido amado, Seus pés de lótus são tão macios que nós os assentamos suavemente sobre nossos seios, temendo que Seus pés se firam. Nossa vida repousa apenas em Você. Nossas mentes, portanto, estão cheias de ansiedade devido a Seus pés macios poderem ficar feridos por seixos enquanto você anda no caminho da floresta.’

75

“As gop…s lamentam nessa convergência: ‘Oh, o que devemos fazer? K÷Ša gosta que seus pés estejam assentados sobre nossos seios, mas nós ficamos temerosas de poder estar ferindo Ele’. As gop…s não desejam meditar em K÷Ša. Eles desejam isto: ‘K÷Ša deve sair de dentro de nossos corações para que nós possamos abraçá-Lo. Apenas dessa maneira nosso fogo da separação será extinguido’”.

“Algumas pessoas dizem que vipralambha é mais elevado que sambhoga. Só uma pessoa neutra pode dizer isto. Unicamente pessoas neutras podem dizer que é bom se as gop…s verem K÷Ša apenas em seus transes. Tais pessoas podem dizer que embora as gop…s desejem abraçar K÷Ša, é melhor se a associação de K÷Ša vir para elas por seus humores de separação, tal como elas fecham seus olhos e relembram Dele em seus corações. Tais pessoas neutras pensam que a separação das gop…s é muito boa, e tais pessoas são como Akr™ra e Kaˆsa, que não tem nenhum desejo pela união de Rādhā e K÷Ša. Akr™ra pode dizer: ‘Leve K÷Ša de Vraja. Deixe os Vrajavās…s sentirem separação; eles devem sentir sempre separação.’ E Kaˆsa ficará muito feliz em dizer, ‘Traga K÷Ša aqui para Mathurā, e eu O matarei lá’. Essas duas pessoas podem falar dessa maneira, mas nenhum Vrajavās… deseja K÷Ša separado de Vraja. Nem mesmo uma planta, trepadeira ou pássaro de Vndāvana deseja que K÷Ša deixe Vraja. Ninguém lá deseja os Vrajavās…s sentindo separação. Ninguém deles pensa: ‘Separação é tão elevado’. Nenhum dos Vrajavās…s quer sentir separação. Nenhum deles pensa: ‘Separação é muito elevado’. E o que
76

dizer das gop…s? O que dizer de Lalitā e Viākhā e R™pa Mañjar… e Rati Mañjar…? Estas que são as criadas confidenciais de ®r…mat… Rādhikā, e que têm mais afeto à Ela que à K÷Ša, nunca desejam a separação dela de K÷Ša. De fato, Vrajavās…s como Lalitā e Viākhā, e pālya-dās…s como R™pa Mañjar…, Rati Mañjar… e Kamala Mañjar…, não podem tolerar a separação de Rādhikā por K÷Ša de modo algum. Vocês sabem quem é Kamala Mañjar…? Na forma de sādhaka dela ela (ele) é ®r…la Bhaktivinoda µhākura. Em sua canção ‘®r… K÷Ša Virahe’ ®r…la Bhaktivinoda µhākura escreve: ‘Eu não posso suportar ver os sentimentos de separação de Rādhikā’. Ele está derramando lagrimas enquanto escreve: ‘Quando Rādhikā lamenta em divyonmada, na loucura transcendental de separação de K÷Ša que ela exibiu no Brahmāra-g…tā (Rādhikā fala com uma abelha) e em outros momentos, eu não posso suportar isto. Eu não desejo K÷Ša deixando Rādhikā. Ele sempre deveria permanecer com Ela em Vraja’. Ele continua; ‘eu não posso tolerar a separação de Rādhikā por K÷Ša, mas eu posso facilmente e felizmente deixar minha vida se isso ajudar a trazer K÷Ša para Ela'. Este é o humor da pālyadās… de Rādhikā. Então, em outra canção, chamada V÷abhānu-sutā, ®r…la

Bhaktivinoda µhākura escreve”:

rādhā-pak÷a chadi, je jana se jana, je bhave se bhāve thāke, am… to rādhikā-pak÷a pati sadā, kabhu nāhi heri tā’ke
77

‘Se alguém pensa que o humor de separação de ®r…mati Rādhikā é muito bom, eu não quero ver a face desta pessoa! Seria um ato pecaminoso ver a face de tal pessoa!’’

“Somente Mathurāvās…s, somente esses que não são capazes de apreciar vraja-l…lā, como Akr™ra e Kaˆsa, desejarão que Rādhikā e K÷Ša estejam separados. Um r™pānuga Vai÷Šava compreende que todos em Vraja estão atuando de tal modo a incrementar a felicidade de ®r… ®r… Rādhā e K÷Ša. Uddhava foi para Vraja, realizou a separação das gop…s até certo ponto, e então voltou a K÷Ša e disse: ‘Você tem que ir de uma vez; de outra maneira, se Você não for, Nanda e Yaodā, todas as gop…s, e todas as vacas e bezerros, logo todos estarão mortos. Você tem que ir lá.’ Mesmo Baladeva e RohiŠ…-maiya disseram para K÷Ša: ‘Por que você não vai para Vraja? Todos morrerão se Você não for’. Baladeva disse a Ele: ‘Se Você não for lá, então eu devo ir; e eu lhes direi que Você estará vindo muito em breve’.” “Assim, todos os Vrajavās…s desejam que K÷Ša esteja com as gop…s e com o seu pai e mãe em Vraja. Se vipralambha é mais elevado que união, então Lalitā e as outras sakh…s e mañjar…s estariam tentado manter K÷Ša fora de Vraja. Elas teriam tentado ficar muito longe dEle. Mas elas fizeram isto? Elas nunca podem fazer isso. Você quer isto? Alguém de vocês deseja que K÷Ša seja separado de Rādhikā? Você quer Rādhikā chorando profusamente e rolando pelo chão?
78

Lalitā uma vez enviou um cisne a Mathurā. Quando o enviou ela lhe disse: ‘Vá e conte a K÷Ša sobre o daam…-daa, o décimo estágio da condição de Rādhikā. No décimo primeiro estágio ela seguramente morreria. Por agora Ela está freqüentemente inconsciente, e engajada como uma pessoa louca ocupada em diversos tipos de conversas malucas (divyonmada). Vá e conte a K÷Ša: “Você deve vir em um dia, ou agora mesmo. De outra maneira, se você vir a Vraja tardiamente, você não poderá se encontrar mais com Rādhikā absolutamente. Você deve ter isso em mente. Se Você deseja ser feliz e se Você deseja fazer todos os outros felizes, então venha imediatamente.”’ Assim, de acordo com as explicações de nossos šcāryas prévios, o que eu disse está correto. Vipralambha é apenas necessário para ajudar a conduzir à união. Se isto não for completado, não há necessidade de vipralambha.” “É declarado no ®r… Ujjvala-n…lamaŠi: ‘na vina vipralambhena sambhoga pustimasnute – sem vipralambha a união não será nutrida.’ União vem primeiro ou vipralambha vem primeiro? Se as gop…s não tivessem se encontrado com K÷Ša, como eles poderiam ter experimentado vipralambha? Primeiro há o encontro, e então separação. Sem encontro, o humor de separação não pode vir e ®r…mat… RādhārāŠ… não pode chorar por K÷Ša. Por que você não está chorando? Você pode chorar por K÷Ša do âmago de seu coração? Você não pode, porque você nunca O viu. Se você ver Sua beleza, Suas qualidades, Sua afeição e Seu amor e compaixão, então você pode chorar por Ele. Assim primeiro há união, sambhoga, então separação
79

no meio, e então união novamente. Há quatro tipos de separação, e elas são: p™rva-rāga, manā, pravāsa e prema-vaicittya. Quando K÷Ša vai para a floresta as gop…s sentem separação. Elas se lamentam por K÷Ša e discutem entre elas mesmas os passatempos dEle na floresta. O último estágio de amor conjugal é mādhanākyamahābhāva, o qual está presente apenas em Rādhikā. Todas as variedades de humores de união e separação residem em

mādhanākya, e este é o monopólio de ®r…mati Rādhikā.” “Este maravilhoso humor de Rādhikā é tal que até mesmo os mais elevados humores de separação estão incluídos nele. Este humor não pode ocorrer quando há separação; ele ocorre apenas no encontro. Isto ocorre, por exemplo, quando Rādhikā está sentada sobre a perna de K÷Ša no Prema-sarovara. Imaginando que K÷Ša partiu e nunca mais retornará, Rādhikā lamenta: ‘Onde está K÷Ša?' Isto é muito maravilhoso e prazeroso. Nós deveríamos tentar conhecer todas estas verdades, e tal compreensão reconciliará todas as declarações de seu ®r…la

Prabhupāda. Eu sei que ele é um filósofo e um rasika-bhakta também. Ele realiza ambos vipralambha e sambhoga. Como seus šcāryas antecessores, ele é uma serva de ®r…mat… Rādhikā. Ele diria que Rādhā deve estar sempre longe de K÷Ša? Nunca. Eu o conheço. Eu estive com ele desde 1947, e eu ainda o estou servindo. Se ele escreveu, em uma ocasião rara, que separação é mais elevado que união, ele fez isso apenas para iniciantes. Nós devemos sentir separação de K÷Ša, e nós devemos lamentar que estamos separados dEle desde há muito tempo.
80

É essencial para um sādhaka sentir que ele está separado de K÷Ša, e assim ele deve lamentar em separação [veja nota mais abaixo]. Por outro lado, para o devoto maduro, ®r…la Swām… Mahārāja escreveu em seus muitos livros que separação é apenas aceita se ajuda a incrementar o prazer do encontro. Eu muito humildemente peço aos que tiverem dúvidas a virem discutir pessoalmente comigo este assunto tão profundo. Eu dou boasvindas a eles, e eu sei que com tal discussão a reconciliação virá.”

[Pergunta]: Eu não sei filosofia e eu não sou um erudito, mas eu me lembro que no livro de K÷Ša K÷Ša disse às gop…s; ‘eu nunca deixei vocês’. Assim, as gop…s estão no humor de separação, mas de fato K÷Ša nunca as deixou.

[®r…la NārāyaŠa Mahārāja:] “Se Ele nunca partiu, então por que as gop… estavam sempre se lamentando e sofrendo por Ele? A idéia que K÷Ša nunca partiu, que Ele está em todo lugar, e que portanto não há necessidade das gop…s se lamentarem, essa é a versão de Uddhava. Esta não era a versão das gop…s. Rejeitando isso as gop…s derrotaram todos os argumentos de Uddhava.”

MANHÃ SEGUINTE, EM UM DARSANA:

“Todos os sakhās (vaqueirinhos) usualmente também sentem grande separação de K÷Ša. Até mesmo quando K÷Ša escondia-se
81

atrás de uma árvore eles corriam muito rapidamente para encontrá-lo; e especialmente as gop…s usualmente experimentavam dolorosa separação. Está escrito no Gop…-g…tā do ®r…mad-Bhagavatam: ‘O significado é claro. Quando K÷Ša saia pela manhã para pastorear as vacas, e também quando Ele voltava do pastoreio, as gop…s iam vêLo. E naquele momento elas desejavam uma maneira de ficar livre do impedimento das pálpebras cobrindo os olhos. Elas desejavam milhares de olhos sem pálpebras, por todos os corpos delas, porque elas desejavam ver K÷Ša sem impedimentos. Elas acusavam o criador: - ‘Ó Brahmā, por causa do piscar das pálpebras que foram criadas por você, nossa visão de K÷Ša está afetada. Nós não podemos tolerar a separação de K÷Ša por mesmo uma fração de um segundo. Cada fração de segundo assemelha-se para nós como milhares e milhares de yugas’. Como seriam os Vrajavās…s capazes de tolerar o sofrimento das gop…s, e especialmente de Rādhikā?”

NOITE SEGUINTE, DURANTE A CLASSE -14 de janeiro de 2003:

“Era apenas para iniciantes e sādhakas que parama p™jāpada Bhaktivedānta Swām… Mahārāja disse que deve-se adotar o humor de separação. Nós estamos esquecidos de K÷Ša desde o início dos tempos. Então, um sādhaka-bhakta deve sempre lamentar, chorar e sentir lamentação em seu bhajana. Ele deve chorar como ®r… Caitanya Mahāprabhu, como ®r…la Narottama dāsa µhākura, e como ®r…la Bhaktivinoda µhākura. Iniciantes devem saber que nós estamos
82

esquecidos de K÷Ša, e que nós estamos separados Dele desde tempos imemoriais, e portanto o bhajana deles deve estar cheio de sentimentos de separação”. “Os devotos maduros também sentem separação, mas

adicionalmente eles não desejam ®r…mat… Rādhikā sentindo separação de K÷Ša. As gop…s criticaram Brahmā assim: ‘Você não sabe como criar. Você nos fez com apenas dois olhos, e você também nos deu pálpebras que continuamente piscam. Você não sabe nada. Se algum novo Brahmā surgir e seguir nossas instruções, ele fará milhares e milhares de olhos ao longo de nossos membros, sem pálpebras. Em tal ocasião veremos K÷Ša nitidamente quando Ele voltar para casa do pastoreio ao entardecer e quando Ele novamente partir pela manhã. No presente momento, contudo, nós esperamos avidamente por K÷Ša retornar ao longo do dia. Então, quando Ele volta pra casa e nós tentamos vê-Lo, duas coisas obstruem nossa visão. Uma primeira obstrução são as lágrimas que caem de nossos olhos, e a segundo, nós temos pálpebras. Quando K÷Ša está na frente de nós, se por um segundo nós não podemos vê-Lo por causa de nossas lágrimas ou de nossas pálpebras, tal segundo parece tão longo quanto milhares e milhões de yugas (milênios). Nós sentimos grande separação neste momento’. Se você deseja as gop…s sempre separadas porque isto é mais elevado, então o que será delas? Elas irão morrer muito rapidamente. Se você fica feliz em fazer elas morrer, então você pode dizer que o humor de separação é mais elevado. Se eu perguntar a aqueles que
83

escreveram tal papel o qual tenta provar que separação é mais elevado: ‘Vocês desejam Rādhā e K÷Ša sempre separados e sempre sentindo separação?’ Eu penso que eles não responderão de modo afirmativo.” “Apenas alguém que não tem bhakti de modo algum poderá dizer ‘sim’ para isto”. ®r…la Kavi KarŠap™ra escreveu sobre as atividades de K÷Ša no rāsa-l…lā, holi-l…lā, os passatempos no balanço, e assim por diante, e ele nunca descreveu como K÷Ša foi com Baladeva para Mathurā e como Ele enviou Uddhava para Vraja. Ele nunca contou isto porque não poderia tolerar a idéia da separação entre Rādhā e K÷Ša. Ele pensa que se K÷Ša for deixar sua svāmin…j… Rādhikā e partir para Mathurā, Rādhikā morrerá. Em Vraja, quando K÷Ša costumava ir à floresta pastorear as vacas, as gop…s sentiam uma separação semelhantemente comparada àquela que elas sentem quando K÷Ša parte para Mathurā. Quando K÷Ša partia para pastorear, grupos de gop…s costumavam se reunir para cantar Gop…-g…ta e VeŠu-g…ta, e era assim que elas podiam sustentar suas vidas. Nós devemos ficar felizes pela união de Rādhā e K÷Ša, e devemos estar tristes na separação deles. Esta é a essência de toda nossa discussão de ontem.” [fim da classe]

NOTA: As seguintes são citações de ®r…la Prabhupāda confirmando os pontos da conferência de ®r… NārāyaŠa Mahārāja:

“Quando o amante e o amado se encontram, eles são chamados yuktā (conectados). Antes da sua união, eles são chamados ayuktā (não
84

conectados). Se conectados ou não conectados, a extática emoção que acontece por não serem capazes de abraçar e beijarem-se um ao outro como desejado é chamado vipralambha. Esse vipralambha ajuda a nutrir as emoções na hora do encontro.” (®r… Caitanya Caritāmta, Madhya-l…lā 23.60- Significado)

“Na plataforma sambhoga, os ornamentos são ilimitados, e em vipralambha eles são quatro em número. O êxtase exibido antes do encontro do amante e do amado, o êxtase experimentado entre eles depois do encontro, o estado mental experimentado por não se encontrarem, e o estado mental experimentado depois do encontro temendo a separação são chamados vipralambha. Este vipralambha serve como um elemento nutritivo para os futuros encontros”. (Ensinamentos do Senhor Caitanya)

Relativo a sentimentos de separação para almas condicionadas, ®r…la Prabhupāda escreve:

“Assim, para um devoto avançado tudo é possível, como descrito por este cavalheiro. Mas isso não é para todos. Isso não é uma coisa comum. Excepcional. Para pessoas comuns, como aconselhou Caitanya Mahāprabhu e como Ele mostrou na prática em sua vida, serviço devocional em separação: ‘Onde está K÷Ša?’ ®™nyāyitaˆ jagat sarvaˆ govinda-viraheŠa me. ‘estou vendo tudo vazio porque não posso ver

85

K÷Ša.’ A mesma coisa foi seguido pelos Gosvām…s”. (Conferência do Quinto Canto do ®r…mad-Bhāgavatam) “Na Gau…ya-sampradāya dentro da descendência de Caitanya Mahāprabhu nossa linha de realização de Deus é tal sentimento de separação. Não que nós temos K÷Ša em nossa mão. Não. O sentimento de separação, adoração à K÷Ša por sentimento de separação é melhor que a adoração por encontrar-se diretamente. Vipralambha-seva”. (Leitura de 2 de fevereiro de 1968)

“A real sampradaya de Caitanya Mahāprabhu é aquela que deve estar sentindo-se como Caitanya Mahāprabhu: separação, não sambhoga. Vipralambha. Vipralambha-seva: ‘Oh, eu sou tão miserável, eu não posso servir K÷Ša. Como eu posso ver K÷Ša? Não é possível.’ Dessa maneira. Esse é o ensinamento de ®r… Caitanya Mahāprabhu: ‘eu não vejo Ele, e nem é possível para eu ver Ele...’ Isto significa: ‘O que sou eu? Eu sou uma pessoa insignificante.’” (Māyāpura: 27 de junho de 1973).

Ambos ®r…la Prabhupāda e ®r…la NārāyaŠa Mahārāja dizem muito mais sobre esse assunto, como também sobre muitos outros assuntos; o investigador sincero da verdade pode ver que não há diferença entre os dois.

Aspirando pelo serviço de ®r… Hari, Guru e Vai÷Šavas, ®yāmarān… dāsi.
86

87

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->