Plectrophora calcarhamata Hoehne (1910

)
8 janeiro 2009 17 comentários

Rara, linda e de difícil cultivo! Pequena planta tida como de crescimento cespitoso, isto é, aquela que cresce em tufos ou touceiras. Talvez tenha sido assim num passado distante sob condições favoráveis; oxalá ainda fosse, pois teríamos muitas plantas disponíveis, mas isto não ocorre, em razão da destruição de seu habitat, seja por fazendeiros ou movimentos organizados dos chamados “sem-terra” no interior do Estado de Mato Grosso, Brasil e principalmente por sua fragilidade e fácil estresse dependendo das condições de manuseio, o que deve

ser evitado. A planta foi inicialmente descoberta próxima de Porto Esperidião vegetando em árvores de terras baixas e úmidas, cercanias do rio Jaurú. O único exemplar que tenho, foi coletado numa região do município de Cuiabá, em local quente e de mata úmida fechada, próxima de rego de água, num tronco meio caido e repleto de musgos, sinal da alta umidade ambiente. Tenho-a faz bons pares de anos, praticamente não multiplicou e floriu apenas três vezes ao longo desse tempo; a quarta vez acontece agora, em fins de

passou a trabalhar na Seção de Botânica do Instituto Butantã. Tribo: Oncidiinae. tornando-se um dos maiores especialistas do país e do exterior e verdadeiro doutor “honoris causa”. parecido com. do latim “calcar”. em alusão ao apêndice basal (calcar). A pequena haste floral sai da axila das folhas intercaladas. que tem ponta curva. relação. Em 1928 coordenou a construção de duas estufas no Parque do Estado. descendente de alemães e autodidata. o que a diferencia é o alongamento da parte basal na junção de pétalas e sépalas. sobrepostas sobre o labelo em forma de cone de bordas ligeiramente franjadas. o formato lembra flores do gênero Galeandra. Quem foi Hoehne? Frederico Carlos Hoehne (1882 – 1959). espora. Etimologia: Plectrophora. Floresce entre novembro e dezembro. destinadas a serem o orquidário do lugar. Cor amarelo ouro em sua totalidade. de folhas carnudas. C. Planta pequena. Minas Gerais. mas dedicou toda a sua vida aos estudos botânicos. nunca cursou faculdade de biologia ou agronomia. que forma leque sobre curto caule nodiforme e enraizamento fino. conhecido no meio científico como F. curvo. Hoehne. extremamente estudioso. Epíteto: calcarhamata.dezembro. adunco. com uma só flor por haste. do que foi diretor superintendente e também Chefe da Seção de Botânica e Agronomia do Instituto . principalmente de orquídeas. Classificação: Gênero: Plectrophora Focke. Chegando em São Paulo em 1917. parecido com espora de ponta ligeiramente curva. Não mede mais que 4 cm de comprimento. Subtribo: Ionopsideae.5cm de diâmetro. espora e “phoros”. gumiformes. Espécie: Plectrophora calcarhamata Hoehne (1910). denominado na época “Orchidário do Estado de São Paulo”. formando um delicado esporão oco (calcar). do grego “plektron”. nasceu na cidade de Juiz de Fora. por 1 a 1. Pétalas e sépalas pouco abrem. “hamatus”. e hamata.

O orquidário sob as estufas originais idealizadas por Hoehne. O outro. ao longo de todos esses anos nada mudou. aos aficcionados da orquidofilia. e Álbum de Orchidaceas Brasileiras. e de forma mais direta. elaborou o “Flora Brasílica” entre 1940 e 1955. Plectrophora calcarhamata Hoehne (1910). mais amplo e um claro complemento a enciclopédia “Flora Brasiliensis”. Antes disso. Créditos: foto e parte dos dados bibliográficos de Hoehne no website do Jardim Botânico de São Paulo. compilada entre 1840 – 1906 pelo alemão Carl Friedrich Philipp von Martius (seu maior idealizador). Visionário e ambientalista. cerrados e matas brasileiras. August Wilhelm Eichler e Ignatz Urban. Hoehne. F. dentre elas sua descoberta. fato que infelizmente. Durante sua vida dedicada aos estudos botânicos escreveu vários artigos para jornais e boletins que acabaram transformando-se em livros. A literatura botânica deixada por Hoehne. na qualidade de naturalista e observador botânico. ainda serve como fonte de pesquisa e referência para estudiosos de biologia. grande parte dela editada e publicada pela então Secretaria da Agricultura. ainda existe na Água Funda com acervo botânico de diversas espécies preservadas sob nova denominação – Jardim Botânico de São Paulo. botânica ou agronomia. resultado do apanhado ao longo de anos de estudos. com armação de ferro. permanecendo até 1952. em 1910 e anos seguintes integrou a Missão Rondon. 1930. Industria e Comércio de São Paulo. na implantação das Linhas Telegráficas do Mato Grosso ao Amazonas. um deles o reconhecido “Iconografia de Orchidaceas no Brasil”. suas anotações botânicas onde descreve diversas orquídeas.C.Biológico. No Flora Brasílica descreve plantas e orquídeas inexistentes no trabalho de Martius. época em que elaborou no “Relatório da Commissão de Linhas Telegraphicas e Estratégicas de Matto Grosso ao Amazonas”. ainda hoje – 2009 – a destruição continua a favor do vento. já em 1930 demonstrava preocupação com as queimadas e desmatamento das selvas. de propriedade do Orquidário Cuiabá . liderada pelo Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon. o anexo V desse documento.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful