P. 1
Slide Tcc 1 Guga

Slide Tcc 1 Guga

|Views: 22|Likes:
Published by Gustavo Martins

More info:

Published by: Gustavo Martins on May 22, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/02/2013

pdf

text

original

DESENVOLVIMENTO DE ROTINA EM VISUAL BASIC (VB) PARA OBTENÇÃO DA CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DE ÁREA DE DRENAGEM

Acadêmico: Gustavo Martins Pinto
Orientador: M.Sc. Edivaldo Alves dos Santos

possibilitam uma maior obtenção de informações a partir da mesma base de dados. A utilização do Sistema de Informações Geográficas (SIG). somado a diversos softwares disponíveis.A obtenção de dados com maior precisão e sua posterior análise são fatores que influenciam no uso de ferramentas computacionais específicas para determinados estudos. .

.A escolha do software ArcGIS para o desenvolvimento do trabalho ocorreu devido a possibilidade de implementar novas rotinas para análise de dados.

MODELO DIGITAL DE ELEVAÇÃO .

.O tempo demandado para obtenção de elementos fisiográficos dificultam sobre maneira o bom resultado dos estudos hidrológicos. neste contexto a caracterização da área de forma automática com auxilio de modelos digitais de elevação tende a agilizar e melhorar os resultados obtidos.

.JUSTIFICATIVA A redução do tempo para o tratamento dos dados viabiliza a elaboração deste trabalho de modo a agilizar obtenção de elementos fisiográficos que subsidiam o estudo hidrológico da área de drenagem.

Geral Fornecer informações sobre uma área de drenagem a montante de um ponto específico de estudo. .

Utilizar macro comandos do software ArcGIS para obtenção de dados do Modelo Digital de Elevação .

Implemento do modelo de individualização de área de drenagem através da linguagem de programação VB .

Estudo prévio da bacia hidrográfica modelo definindo dados característicos como: •Área total • Perímetro da bacia • Fator de Forma • Tempo de concentração • Coeficiente de compacidade • Índice de circularidade • Densidade hidrográfica • Densidade de drenagem • Índice de sinuosidade .

cartas topográficas. . assim descaracterizando essa ação por meios analógicos com exemplo.Estudos mostram a importância de um bom estudo preliminar da área de drenagem para coerência das variáveis hidrológicas.

/Rev.inpe.2 n.2 (viii.. p. http://jorgesaavedra. F.2008) 73-8 São José dos Campos: INPE. Jaboticabal. “Regionalização de Vazões com base em Modelo Digital de Elevação para a Bacia do Rio Paraíba do Sul.24.nasa. C.inpe.. Agríc.42/doc/1701.gov.. S.4 Out/Dez 2009. p.3.asp (02/09/2011) .20.S.H. 2004.pdf BAENA. n.11.asp (02/09/2011) Manual de hidrologia básica DNIT disponível em http://ipr.dpi.D da.nasa. Artigos. L.br/col/ltid.dnit.br/sbsr/2004/11. D. PRUSKI.L.N. Riccomini. 2007./dez.F.gov/gdem. SILVA.” Eng.. Acadêmica v. On-line.wordpress. Geogr.pdf>.jpl. v. Acesso em 06 out.gov/gdem. http://pt. C.612-624. set.com/2008/04/16/historia-de-visual-basic/ http://asterweb.com/doc/51559611/16/Formula-de-Kirpich (16/09/2011) Grohmann. Disponível em < http://marte.br/manuais/manual_de_hidrologia_basica.jpl. 1701-1707. M. 2011. CALIJURI.G.scribd.. Steiner. 51-69 The Shuttle Radar Topography Mission disponível em http://asterweb.RBRH — Revista Brasileira de Recursos Hídricos Volume 14 n. CD-ROM.

FIM .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->