TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

IMPORTÂNCIA DA DOENÇA

   

< 5 casos / 100.000 / ano 500 casos / 100.000 / ano

< 15 anos 80 anos

Maior incidência nas raças caucasiana e negra

Condição idiopática: 25% - 50% dos casos

TVP proximal sintomática e risco de EP

IMPORTÂNCIA DA DOENÇA

 

Natureza dinâmica do TEP

Mortalidade: 10% na EP sintomática


Anticoagulação e recorrência: 10% aos 6 meses

Síndrome pós-trombótico grave: 10% aos 5 anos

DIAGNÓSTICO

Sinais e sintomas:
• • • • • • • dor edema sensação de peso impotência funcional hipersensibilidade local aumento da temperatura local circulação colateral venosa superficial

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA • Mais frequente nas veias distais, particularmente nas veias gemelares; • Habitualmente inicio a nível das válvulas; • TVP distal sem propagação proximal em 80% dos casos; • TVP com propagação proximal nos restantes 20%; embolia pulmonar em 10-20% destes; • TVP mais frequente no MIE (Síndrome MayThurner); • TVP(membro superior) < 5% da totalidade.

EVOLUÇÃO
TVP distal assintomática TVP distal sintomática TVP femoro-poplítea TVP ilio-femoral Phlegmasia alba dolens

Phlegmasia cerulea dolens
Gangrena Venosa

DIAGNÓSTICO
Suspeita clinica de TVP Eco-Doppler positivo Tratamento duvidoso Flebografia negativo Investigar outras causas

positiva

negativa

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
• • • • • • • • • • Rotura muscular com hematoma Hemorragia espontânea ou hematoma Artrite, sinovite, miosite Erisipela, celulite, linfangite Rotura cistos de Baker TVS / IVC Linfedema Lipedema Compressão venosa extrínseca Edema sistémico / Gravidez

VARICOFLEBITE

VARICORRAGIA

ERISIPELA, CELULITE

ERISIPELA, CELULITE

LINFEDEMA

LINFEDEMA

COMPLICAÇÕES
Aguda: Embolia pulmonar Gangrena venosa
Tardia: Síndrome pós-trombótico

EMBOLIA PULMONAR
Sinais e sintomas
• • • • • Dispneia Hemoptises Dor pleuritica Taquicardia TVP

Meios auxiliares
• • • • • • • Gasimetria Rx ECG Scanning perfusão Scanning ventilação Angiografia pulmonar Pressão AP e VD

EMBOLIA PULMONAR

PHLEGMASIA

GANGRENA VENOSA

SÍNDROME PÓS-TROMBÓTICO

ETIOPATOGENIA DA TVP

Tríade de Virchow:

lesão endotelial estase hipercoagulabilidade

Virchow, Abhandlungen wissenschaftliche Medicin 1856

Tendência trombótica familiar
Briggs, John Hoppkins Hosp 1905

Mecanismos pró-coagulantes e anticoagulantes

FACTORES DE RISCO

ADQUIRIDOS

Idade

Neoplasia
História prévia TEP

Anticorpos antifosfolipídeos

FACTORES DE RISCO

TRANSITÓRIOS
Cirurgia recente Traumatismo Gravidez e puerpério Contracepção oral Substituição hormonal Imobilização prolongada

FACTORES DE RISCO

HEREDITÁRIOS
Défice de antitrombina
Egeberg, Thromb Diath Haemorrh 1965; 13: 516-530

Défice de proteína C
Griffin et al, J Clin Invest 1981; 68: 1370-1373

Défice de proteína S
Schwartz et al, Blood 1984; 64: 1297-1300

MUTAÇÃO FV R506Q

Resistência à Proteína C Activada (RPCA)
Dahlback et al, Proc Natl Acad Sci 1993; 90: 1004-1008

Mutação R506Q do gene do Factor V de Leiden
Bertina et al, Nature 1994; 369: 64-67

MUTAÇÃO FII G20210A

Mutação G20210A do gene da Protrombina
Poort et al, Blood 1996; 88: 3698-3703

FII G20210A e aumento dos níveis plasmáticos de protrombina
Poort et al, Blood 1996; 88: 3698-3703 Franco et al, Br J Haematol 1998; 104: 50-54

Hiperhomocisteinemia e “Doença Vascular”
McCully, Am J Pathol 1969; 56: 111-128

Hiperhomocisteinemia e TEP
Falcon et al, Arterioscler Thromb 1994; 14: 1080-1083 Key & McGlennen, Arch Pathol Lab 2002; 126: 1367-1375

Mutação C677T do gene da 5,10-Metileno TetraHidroFolato Reductase
Gallagher et al, Circulation 1996; 94: 2154-2158

CONCEITO DE TROMBOFILIA

HEREDITÁRIA
Episódio inexplicado de TVP Idade jovem História familiar positiva Carácter recorrente

Localização atípica

CONTROVÉRSIAS
quais os doentes a estudar por suspeita de trombofilia hereditária?
quais os testes a efectuar? quando devem ser efectuados? os resultados dos testes poderão afectar a forma e duração de tratamento? quando examinar e testar familiares?

TRATAMENTO - Objectivos
• Limitar extensão • Evitar recorrência • Evitar embolia pulmonar • Preservar função valvular • Restaurar patência • Evitar/reduzir síndrome pós-trombótico

TRATAMENTO - Fase aguda
• Tratamento anticoagulante
Heparina não fraccionada Heparina de baixo peso molecular

• Cuidados posturais
Repouso absoluto no leito Drenagem postural

TRATAMENTO - Fase aguda
• Tratamento cirúrgico
Trombectomia venosa Interrupção VCI

• Tratamento fibrinolítico

TRATAMENTO - Fase tardia
• Anticoagulantes orais
Tempo: 3 - 6 meses Controlo analítico: INR (2 - 3) S. Sangue Varfarina

• Compressão elástica

PROFILAXIA
• HBPM

• Cuidados posturais
• Compressão elástica

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful