UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS SOCIAIS – ANTROPOLOGIA

Julio Cesar Brito do Nascimento

Os Nuer – E.E. Evans-Pritchard

Belo Horizonte 2013

Introdução
A etnografia sobre os Nuer foi feita a pedido do governo do Sudão angloegípicio. Vários viajantes conseguiram entrar nas terras nuer, entretanto seus relatos não são bons o suficiente, o melhor relato sobre os nuer, segundo o autor, é do caçador de elefantes Jules Poncet. Nesse livro Evans-Pitchard descreve sobre a subsistência dos nuer e sobre suas instituições políticas. Os Nuer chamam a si mesmo de nath, singular ran, são apriximadamente 200 mil pessoas que vivem nos pantânos e nas savanas que se ampliam em ambos os lados do rio Nilo. Assemelham-se culturalmente aos Dinka, ambos fazem parte de uma subdivisão do povo nilota, que ocupa parte da África Oriental, entretanto suas carcterísticas são mal definidas. Os Nuer e os Dinka são semelhantes fisicamente, nas suas línguas e costumes, não existem dúvidas que ambos tenham uma origem em comum. Os próprios afirmam isso. As instituições políticas Nuer não podem ser entendidas se não compreendermos a importância do meio ambiente e sua forma de subsistência. Sendo assim o autor dedica a primeira parte do livro para descrever a região da terra Nuer e como eles vivem. Dessa maneira pode ser observado que o sistema político nuer é harmônico com o seu meio ambiente. O autor fala do povo, da tribo dos segmentos, dos conjuntos etários. Cada um desses grupos faz parte de um sistema segmentário, e a partir desse sistema e do status que lhe é atribuído que as relações sociais de seus membros serão definidas. “nos referimos aos relacionamentos, dentro de um sistema territorial, entre grupos de pessoas que vivem em áreas bem definidas espacialmente e que estão consciente de sua identidade e exclusividade”(p.8-10) Existe uma distinção entre os grupos políticos e os grupos locais. Os laços sociais em grupos domésticos são de ordem de parentesco e não há alterações na vida corporativa. O sistema político Nuer inclui todos os povos com o quias eles mantêm contato. Isso quer dizer que são todas as pessoas que falam a mesma língua, que de certa forma possuem a mesma cultura e se consideram diferentes dos agregados. O maior segmento político dos nuer é a tribo, não existe grupo maior do que ela, e esse grupo reconhce a si mesmo como uma comunidade local, afirma sua obrigação de unir-se na guerra e reconhece o direito de seus membros. A tribo divide-se em pequnas extensões de terra, estas extensões constituem mais do que divisões geográficas. Os membros de cada uma dessas extensões na maioria dos casos consideram a si mesmos como membros de comunidades distintas. Os maiores segmentos tribais são as seções primárias, os segmentos da seção primária são as seções secundárias, e os segmentos de uma seção secundária são as seções terciárias. A seção terciária é uma série de aldeias que constituem a menor instituição política Nuer. A aldeia é formada por grupos domésticos que ocupam casas, choupanas e aldeiolas.

Quando discute sobre o feudo, o autor menciona o chefe em pele de leopardo. Apesar da palavra chefe, ele não possui nenhum poder político, é apenas uma pessoa sagrada. Os Nuer não possuem um governo, seu sistema político pode ser definido como uma anarquia organizada. Não possuem leis – se analisarmos lei no sentido de haverem julgamentos feitos por uma autoridade independente e imparcial-. Chefes em pele de leopardo e profetas são os únicos que possuem alguma importância política. As linagens Nuer são agnáticas. O clã é o maior grupo de linhagens que existe. A linhagem é um grupo de agnatos, entre os quais pode traçar uma árvore genealógica e um clã é um sistema exôgamico de linhagens. As linagens são diferentes dos grupos políticos, essa difrença se dá devido aos relacionamentos entre seus membros, esse relacionamento se baseia na ascendência, pelos valores de linhagem que opera de forma diferente dos valores políticos. A população masculina divide-se em conjuntos etários. Esses conjuntos não formam um ciclo, é um sistema progressivo. Esses conjuntos possuem indentidade social, mas não possuem funções corporativas. Esses sitemas são organizados em termos de tribo, cada tribo possui sua estratificação de acordo com a idade. Além da idade os Nuer se diferenciam de acordo com o sexo. Essa diferença é muito mais relevante no meio doméstico do que no político. Os Nuer não estão estratificados em classes. Existe dentro de cada tribo uma pequena diferenciação pelo status entre os membros de um clã. Quando o governo do Sudão pediu ao autor esse estudo ele ainda estava completando seu estudo sobre os Azande. Recebeu a proposta receoso, pois sabia das dificuldades que teria pela frente, a região era inóspita e os Nuer pouco amistosos. O autor afirma não ter grandes pretensões com esse livro, afirma que seus relatos muitas vezes são insuficientes devido a simplcidade e pobreza da cultura nuer. “Um homem deve julgar sua obra pelos obstáculos que superou e as dificuldades que suportou, e, por tais padrões não fico envergonhado dos resultados.” (p.15)

1. Interesse pelo Gado
Os Nuer dependem amplamente do meio ambiente, são pastoris, mas cultivam sorgo e milho muito mais do que se supõe. Esse cultivo pode ser maior ou menor, depende das condições do solo e do tamanho do rebanho, todavia eles consideram a horticultura como um fardo, o seu maior prazer é cuidar do gado. O gado não serve apenas como provedor de subsistência, mas como um modo de enxergar as coisas. O gado é o bem mais precioso dos Nuer e eles arriscam sua vida para protegê-los ou para roubar o rebanho de seus vizinhos. As maiores partes das atividades sociais nuer giram ao redor do gado. Seu relacionamento com os povos vizinhos também são influenciados pelo mesmo.

Cada seção tribal possui seus próprios pastos e reservas de água, as divisões políticas estão diretamente ligadas a essa distribuição, essa propriedade é expressa em termos de clã e linhagem. Além do chefe em pele de leopardo e os profetas existe outro especialista em rituais, o Homem do Gado. O parentesco é dado pela exôgamia colocada em função do gado. O matrimônio é realizado através do pagamento em gado. O status do consorte e dos filhos é determinado pelas obrigações e direitos sobre o gado. Esse gado pertence às famílias. À medida que cada filho atinge a idade para casar ele retira parte do rebanho, o próximo filho só poderá casar quando o rebanho estiver completo.O parentesco é definido através dos pagamentos de gado, o movimento do gado de kraal para kraal equivalem as linhas de uma árvore genealógica, é também enfatizada pela divisão da carne entre cognatos e agnatos. Os Nuer possuem uma verdadeira obsessão com o gado, não conseguem falar de outra coisa. Possuem a tendência de definir os relacionamentos sociais em função do mesmo, seu idioma social é o gado. Os Nuer eram muito mais ricos do eram na época em que o autor foi visitá-los, era próvavel que plantassem menos sorgo. O rebanho foi prejudicado pelos surtos de peste bovina que ainda mata muitos rebanhos. Os Nuer sempre tentam ressacir suas perdas atacando os Dinka. O gado encontra-se distribuído igualmente em toda parte. Ninguém é muito rico, ou não possui nenhum boi. O gado é uma riqueza que dá para acumular, mas nenhum homem possui um rebanho maior que o seu estábulo pode abrigar, isso ocorre porque quando o rebanho está grande demais alguém da família acaba por se casar levando consigo uma parte do mesmo. Todas as casas passam por esse tipo de oscilação. Não existe a acumulação do gado devido ao casamento e as pestes, sendo assim não existe uma grande desiguladade social que ofenda o senso democrático dos Nuer. Uma das coisas que os Nuer mais valorizam no gado é a sua produçào de leite, sorgo e leite são à base da dieta nuer. Entretanto a safra do sorgo é incerta devido aos períodos de escassez, nessas ocasiões os Nuer passam a ser sustentados pelo leite da vaca. Existem alguns problemas decorrentes da ordenha, sendo eles:  O número atual do rebanho não permite que os Nuer tenham uma vida completamente pastoril, como levavam antigamente. A economia mista é necessária.  A oscilação dos recursos, devido a epidemias e a transferência de riquezas, acentuam-se ainda mais pela categoria orgânica da dieta nuer, as vacas produzem leite apenas por um período após o nascimento do bezerro.  O meio ambiente e a necessidade de cereais não permitem que os Nuer sejam nomâdes, entretanto a alimentação a base de leite permite que eles levem uma

vida errante por um determinado período de tempo. O leite não exige transporte e nem estocagem, mas sua produção depende da água e da vegetação, o que permite o pastor nuer a ter uma vida errante. Os Nuer formam uma comunidade corporativa com seu rebanho, o gado não se resume a um objeto de interesse, possui grande valor social e utilidade econômica. O boi possui caráter cultural e sua proximidade garante ao homem sua subsistência, é também fonte de interesse e ambição. O gado é quem determina as ações dos Nuer, as obrigações físicas, sociais e psicológicas são satisfeitas pelo mesmo. A guerra contra povos estranhos visa unicamente o saque. O conflito dos Nuer contra os Dinka se difrenciam de outros conflitos primitivos, pois o gado é uma forma de riqueza que se reproduz e pode ser facilmente roubada e transportada. Devido a essa qualidade do gado os povos pastoris praticam muito mais a guerra do que a paz. Isso mostra que os Nuer não são completamente dependentes do seu gado, apenas aumentam seu rebanho por consequência aumentando a reserva de alimento através do saque, condição que faz parte de sua estrutura política. Mas devemos saber que resumir a guerra dos Dinka contra os Nuer em saque de gado é generalizar demais. A hostilidade expressada pelo gado explica algumas carcterísticas do conflito e da estrutura política, a luta em si só pode ser entendida enquanto processo estrutural.

5. O Sistema de Linhagem
O clã é o maior grupo de agnatos que traçam a descendência a partir de um ancestral comum. Não pode ser considerado um grupo de pessoas que reconhecem seu parentesco agnático, mas é uma estrutura genealógica muito segmentada. O relacionamento existente entre os membros da linagem conseguem ser definidos em termos genealógicos. Dessa forma um clã é um sistema de linhagem e uma linhagem é um segmento genalógico do clã. A palavra ultilizada pelos Nuer para linhagem é thok dwiel. Os clãs e linhagens da terra nuer possuem nomes, símbolos e rituais. O parentesco agnático é chamado pelos Nuer de buth, é considerado um relacionamento entre pessoas de um mesmo grupo. Entretanto o buth deve ser diferenciado do parentesco no sentido de relacionamento entre pessoas. Para os Nuer qualquer pessoa que eles possam ter um vínculo genealógico é\chamada de mar. Mar abrange os agnatos próximos e buth é ultilizada para os agnatos mais distantes. Dessa maneira o sistema de linhagem é composto por um sistema agnático e o sistema de parentesco é um sistema de categorias de relacionamento entre as pessoas. Os gurpos políticos não são os mesmos grupos de linhagem, mas muitas vezes possuem certa conexão e com frequência possuem o mesmo nome. Não existe nenhuma palavra Nuer correspondente à palavra clã. Thok dwiel é a expressão mais ultilizada quando os Nuer exprimem com exatidão sua linhagem agnática. Linhagem pode ser considerada um termo relativo. Quanto mais longe for o ponto de partida na linhagem de ascêndencia maior será o número de agnatos incluídos.

A menor linhagem Nuer são os filhos e filhas de um homem, eles formam um agrupamento doméstico. Os valores de linhagem são tão relativos quanto so valores tribais. O clã possui uma forma estrutural constante, já as linhagens são altamente mutáveis, criando novas bifurcações e fundindo antigas. A distância entre as linhagens variam de acordo com as posiçòes de cada uma na estrutura do clã. As relações entre linhagens de um mesmo clã não são igualitárias. As linhagens não podem ser consideradas comunidades cooperativas, mesmo que sejam frequentemente associadas a unidades territóriais, os membros de uma linhagem que vivem em determinada área consideram-se um grupo doméstico, o conceito de linhagem funciona dessa maneira no sistema político. Raramente um Nuer distingue sua linhagem de sua comunidade. Existe uma grande mistura de linhagens dentro das comunidades. Os Nuer afirmam que as lutas entre as linhagens levaram a suas linhagens a se espalhares pelo território. Existem dois fatores prováveis além das lutas, migrações e casamentos, que contribuíram para a dispersão dos Nuer, são eles: o fato de eles serem um povo pastoril e de não se prenderem por necessidade econômica e mística a nenhum lugar. Existem entre os Nuer os valores comunitários que direcionam o comportamento e atuam em situaçòes sociais independentes dos valores de linhagem, já os valores de linhagem controlam as relações cerimoniais entre agnatos. Os valores comunitários controlam também as relações políticas entre ogurpos de pessoas que vivem em aldeias. Ambos os tipos de valores controlam partes distintas da vida social nuer. Em cada tribo existe uma relação definida entre a estrutura política e os sistemas de clãs, em cada tribo um clã está associado com um grupo político no qual ocupa uma posição de desomínio sobre os outros grupos agnatos com quem convivem. As linhagens mínimas são associadas às seções terciárias. Dessa maneira um clã dominante constrói uma espécie de moldura, na qual é construído os sistemas políticos da tribo através de laços de parentesco. Segundo o autor existem quatro pontos importantes sobre esses clãs dominantes, são eles:  Não são todos os clãs que ocupam uma posição superior na estrutura social tribal.  Nem todo membro de um clã vivem na tribo em que seu clã possui posição de superioridade.   Um clã dominante não é necessariamente o maior clã da tribo. Um homem só é um dil, aristocrata, na tribo em que seu clã é dominante.

Os diel possuem muito mais status do que poder. Ele é um dios donos da região, do terreno da aldeia, dos poços de água e dos reservatórios de pesca. É o líder da tribo. Os dil não moram em um ambiente social aonde só haja aristocratas, as linhagens diel separam-se e os segmentos tornam-se núcleos de novas aglomerações. As linhagens se separam nào apenas em virtude das dimensões internas, mas porque os Nuer quando são lídres gostam de ficar em um local onde serão pessoas importantes.A estrutura agnática dessas famílias importantes so são ressaltadas em situações políticas, que dizem respeito ao menor segmento territórial Existem três categorias de pessoas: diel, rul, e jaang. Os diel podem ser considerados os aristocratas, os rul são os estrangeiros e os jaang os adotados. É comum entre as tribos Nuer adotar os prisioneiros Dinka e esses acabam por ser incorporados na linhagem de seus pais adotivos. Os Nuer não fazem distinção de status entre as pessoas que vivem com eles, a vida em comunidade supera as diefenças de ascêndencia. As regras Nuer de exogamia acabam com a exclusividade dos grupos agnáticos, forçando seus membros as se casarem com pessoas de outros lugares e consequentemente a criar novos laços de parentesco. Essas regras impedem a criação de grupo agnáticos independentes e criam extensos laços de parentesco. As linhagens são agnáticas apenas nos rituais. Os valores de parentesco representam um forte sentimento entre os Nuer, a maioria dos relacionamentos são baseados em termos de parentesco. A adoção e assimilaçào de linhagem são duas formas como as relações sociais são traduzidas em relação de parentesco. Uma terceira maneira é pela criação da mitologia de parentesco, essa maneira é muito ultilizada para afirmar as relações de parentesco existente entre as linhagens dominantes e os estrangeiros ou até mesmo entre os Dinkas que vivem no mesmo segmento tribal. As relações políticas são explicadas pelas relações mitológicas. Então, o sistema de linhagens de um clã pode ser considerado apenas até um ponto muito limitado como um registro verdadeiro da descendência. Não só sua profundidade temporal parece ser limitada e fixa como também a distância entre linhagens colaterais parece ser determinada pela distância política entre as seções com que essas linhagens estão associadas, e pode-se supor que uma linhagem somente persiste enquanto linha distinta de descendência quando é politicamente significativa.

Referência Bibiliográfica
 EVANS-PRITCHARD, E.E. Os Nuer. São Paulo: Perspectiva, 1978 (1940)