comportamento

Piracicaba, 8 de julho de 2012

| Caderno de domingo |

11

e por falar nisso Baixaria: a gente vê por aqui!
ente descobrir de onde tirei as falas abaixo e imagine uma pessoa, talvez uma criança, durante cerca de uma hora por noite, ouvindo “preciosidades” como estas, que você pode não ter percebido: - Ele está te manipulando... é um teleguiado dessa extraordinária... - Viciada em drogas... para faturar a minha grana... essa menina é uma bandida... - Eu sou uma megera... ela quer me destruir, me ferir... - Vai embora, eu não quero brigar com você... - Virou um marginal, um bandido, que entra na casa dos outros para roubar... - Fiquei decepcionada com você... vou lá e te entrego à polícia... - Olha a zona que está esta casa... Eu te tirei do lixão... Você tava ferrado... - Eu devia ter inventado uma mentira... Você é uma pirralha... - Abandonar a gente nesse purgatório... Aquela menina é um monstro... - Não enche o saco, você é muito chato... Esse idiota, essa gentinha... - Você é a mulher mais gostosa do mundo... - Está achando que eu sou um coador de café, que você descarta e joga fora? - Quem está com vontade de matar sou eu!... Eu mato essa desgraçada! - A gente vai ter que forçar isso! Não fala prá ning uém, hem? - Às vezes eu tenho vontade de me matar, de jogar tudo no inferno! - Prá continuar vivendo essa merda de v ida... Tenho que

Paulo Emerique é psicanalista, educador e doutor em psicologia

T

acertar contas só com você! de qualquer coisa! - Só pode estar com uma va- Pega um macho e gabunda... só dá patada... vai com ele!... Estou - Prá mim, ela foi atrás de ho- decepcionado conmem... Vai prá cozinha, vai! tigo... - Foi vítima de um sequestro - É só isso que relâmpago... Se tiver morrido, a gente recebe de está no IML... um filho, desprezo, - Meu Deus do céu, o que você abandono! aprontou, criatura? - Está correndo pe- Eu fui enfrentar eles, que- rigo na mão dessa deria brigar... Não tinha uma mer- sequilibrada... Fora dareca lá. qui! - Acha que alguém vai querer Pois é, na semana roubar sem uma faca?... Eles me passada consegui assisameaçaram... tir um capítulo e meio - Eu apanhei igual a um ani- (o segundo não supormal!... Tem um monte de mar- tei até o f inal) desta ginal por aí! Avenida Brasil, apresen- Ir a um terreiro e fazer um tada no horário “nobre” trabalho com um bode... Eu não da rede Plim-plim. vou me perdoar... Por acaso você tem - Vai ficar tirando com a mi- andado toda noite por nha cara, agora? Você está me esta Avenida que, dizem, sacaneando! parece o Brasil? - Eu estava desconfiada que Mais uma pergunta você tinha uma amante!... Tudo incômoda e alerta: seus péssimo, tudo mal... filhos estão ao seu lado - Tá zoando com a minha nessa hora? cara, você está com aquela caAs crianças aprendem o que chorra! vivem e o que ouvem, você tem - Você é a pessoa mais azara- consciência disto? da, é uma negação... CometenE por falar nisso, cada uma do crime... delas é como um Bob Esponja, - Você nunca mais vai ver absorvendo tudo a seu redor. aquele demônio! ... Eu vou me Um exemplo: há alguns dias intrometer... conversei com uma mãe que me - Ela comeu o pão que o dia- relatou: seu filho estava repetinbo amassou... do, em todo momento, sem sa- Prá continuar vivendo essa ber do que falava, a expressão merda de vida? “puta véia”. Ela se surpreendeu e - Atirou-se na frente de um riu de si mesma: “eu deixei esrevólver para sa lvar minha capar essa fala, e foi só uma vez, vida! no trânsito!” - Não tem homem que me Se basta uma vez para a sustente... Vai ter o título de criança gravar, quais serão os corno número um... frutos da exposição diária à TV? - Ela pula a cerca... Vá catar Na tese de doutorado que coquinho... Fala que eu não tô... defendi na USP (Assistir-Imi- Será que essa moça é enfei- tar-Brincar: um Estudo sobre a tiçada? É uma psicopata capaz Influência da TV no Comporta-

mento de Crianças Pré-escolares) pude comprovar o que tantas outras pesquisas já haviam demonstrado: que a garotada está permanecendo mais tempo em frente à TV do que nos bancos escolares. Ou seja, ela é agora a professora mais presente. E mais: dos “três pais”, a TV é aquele com quem a criança interage mais. Alguns pais argumentam que seus filhos assistem somente a programas infantis. No entanto, nos intervalos, as chamadas para novelas e filmes são sempre das cenas mais dramáticas e chocantes e, como vimos, basta uma exposição para sua memorização. Outros defendem que a TV é uma janela para a realidade e

dos telejornais. que nós criamos os filhos para Preparem-se para outras suro mundo. presas que desagradam aos eduSeria bom perguntar que re- cadores e pais responsáveis! corte do mundo a TV seleciona Para encerrar nossa converpara mostrar. sa de hoje, recorro novamente Assim, uma novela que falas- às frases anotadas na novela e se de um casal que se dá bem e com elas faço uma montagem vive em paz com seus filhos mui- que me parece um alerta necesto provavelmente teria um bai- sário a todos nós: xo índice de audiência. “Larga essa televisão, pensa!... Por incrível que pareça, as Ela está botando essas porcarias pessoas queremos ver drama, na sua cabeça!... Ela quer destraição, desgraças e saber da truir nossa família!” vida alheia e espiar pelo buraP.S.: mesmo sendo um crítico da fechadura, daí o Ibope de co da programação televisiva, programas com BBB... confesso que nesta quarta-feiE Freud explicaria, também, ra, dia em que envio a coluna porque a má notícia é boa em para o Erasmo ilustrá-la, estatermos de audiência. rei frente à TV, esperando que a Mas isto será tema de uma Avenida Brasil acabe logo e depróxima coluna, quando apre- pois possa ver os deuses do fusentaremos trechos anotados tebol abençoando o Coringão...

piriguete com orgulho
Rubens Vitti Jr.

Para Tatiana Barbosa, 30, a piriguete nada mais é que a nova perua: ‘Tem muita diabinha vestida de santa por aí’

las usam e abusam de roupas curtas e coladas, decotes, maquiagem, unhas impecáveis e coloridas e apostam no poder da sensualidade feminina. A escolha pelo estilo extravagante de algumas mulheres contemporâneas e a forma libertária de se viver, sem se importar com o que os Ao contrário de Suelen, Tatiaoutros pensam, é uma na namora há dez anos e não abre das bandeiras que a per- mão de sua vida compromissada. sonagem Suelen, interpre- “A Suelen sai com muitos homens tada pela atriz Ísis Valver- e isso é o caráter dela e não tem de na novela Avenida Brasil, nada a ver com o caráter de quem tem levantado durante o se veste igual a ela”, observou. A horário nobre da Rede Glo- vendedora contou que já sofreu bo. O seu estilo despojado preconceito por conta de seu estichamou a atenção da au- lo. “As pessoas me vêem e tomam diência, que logo a ape- suas decisões. Já fui muito julgada lidou de piriguete. Dis- pelos vestidos curtos e decotes. Já seminado na vida real, houve até um rapaz que não quis são poucas as mulhe- namorar comigo por conta disso”. res que assumem esse lado. A auxiliar administrativa Carolina Prata, 27, contou que já foi Longe das ati- chamada de piriguete, mas de mat u d e s m o r a i s neira carinhosa. “Não acho depreda personagem, ciativo quando usado como bormas muito pró- dão, agora quando usado como xima do estilo de termo para julgar ou determinar Suelen, a vendedo- o caráter de alguém a expressão ra Tatiana Barbo- passa a ser preconceituosa”, consa, 30, trabalha com tou. “Gosto de me sentir sensual moda há dez anos e em determinados dias, outros, innão abre mão de se telectual, fashion, conservadora vestir como quer para ou casual. Tem dias que me conqualquer ocasião. Suas sidero pacata outros, piriguete!”, roupas de grife, os mais explicou. de 200 sapatos e outra grande porção de acesConTra sórios, foram adquiridos A modelo Sabrina D’Melo, 21, com muito esforço. “Trabalho muito para nunca foi chamada de piriguete e sustentar meus não gostaria nunca que isso aconluxos”, disse. So- tecesse. Para ela, as mulheres que

E

rubens@jpjornal.com.br

bre o termo piriguete, ela não se importa muito. “Antes era a perua. Não tinha a piriguete. Agora entrou esse termo moderno para as meninas que usam roupas curtas, que chamam a atenção, mas é o que eu gosto”, assumiu, dizendo não considerar depreceativo. Para ela, roupa não acusa caráter. “Tem muita diabinha vestida de santa por aí. Às vezes o povo julga a gente pela roupa que vestimos. Quem vê assim, está muito mal informado”, contou.

são chamadas assim, é por que se comportam mal, se desvalorizam, são vulgares e acabam sendo tratadas como tal. Na interpretação da modelo, ser piriguete é ser vulgar. “Acredito que dá para ser sensual sem ser vulgar. Eu amo sair para balada, amo me divertir, uso saia curta, decote, transparência, mas com a consciência de que fica sensual sem vulgaridade”, afirmou. A também modelo Tamires Bizzarro, 24, disse que ninguém gosta de ser chamado de algo que desvaloriza a imagem. “Eu não me considero uma piriguete. Eu sou o tipo de mulher que quer casar, ter filhos,

gosto de sair, ir para a balada, mas sempre acompanhada do meu namorado”, afirmou. Para ela, a mulher tem que ser sensual, mas com o cuidado para não cair na vulgaridade. “Não me encaixo nesse perfil.” A psicóloga Nancy Erlach Danon afirmou que deve existir um bom senso entre a mulher que se sente segura, sabe o que quer, é determinada e a mulher vulgar. Suelen, a personagem da novela, segundo Nancy, influencia o comportamento das mulheres e ajudam aquelas que se identificam a se libertarem. “Muitas se baseiam e acabam tomando os comportamentos da Suelen como modelo

ideal. Para outras este comportamento incomoda muito”, disse. A piriguete, segundo Nancy, é a nova perua. “É somente um novo termo e com certeza sempre haverá novos termos, pois isto é o que chamamos de modismo”. Segundo a psicóloga, existe muito preconceito com as pessoas que se comportem como Suelen. “Elas são banidas da sociedade e até mesmo são conhecidas como pessoas vulgares. Se pensarmos bem, em uma comunidade de jovens adolescentes, uma menina se comportar como Suelen, com certeza, por mais segura que for, será considerada como vulgar.”

Nilo Belotto/JP