RESENHA: O Príncipe Nome: Patric Rodrigues Disciplina: Teoria política II Esta resenha é baseada na obra Nicolau Maquiavel denominada

“O Príncipe” contendo 26 capítulos relacionados diretamente com formas de governo é um manual de como manter-se no poder, a primeira edição do livro aconteceu no ano de 1532, dezenove anos pós ser escrito, na obra destinada ao governo da época ele deixa claro que o uso da força e leis bem elaboradas seriam os principais fatores para manter um governo, se o Príncipe usa-se dessas “artimanhas” de uma forma correta e moderada o mesmo manteria-se no poder por muito mais tempo ou então conseguiria uma estabilidade governamental. Segundo ele um governo não funcionaria apenas com uso de leis bem elaboradas e que quando necessário o uso de força bruta este deveria ser feito, mas apenas em casos extremos, a ideia dele é que muitas vezes ações geram reações e a “violência” exercida pelo príncipe apenas era um reflexo de um povo que necessitava de educação por estes meios. Maquiavel fala nos primeiros capítulos sobre como se manter no poder, nisto ele cita que um príncipe hereditário tem mais chances de continuar no poder a um príncipe incorporado ao um estado com tradição hereditária onde a coroa é passada de pai para filho e assim sucessivamente, ele também especifica que a queda de um governo é sempre causada pela negligencia de quem está a frente do poder, e que mesmo em tempos de paz é necessária uma atenção especial quanto a um possível estado de guerra, pois a sorte pega os desprevenidos, e mesmo o mais virtuoso dos príncipes deve estar com o foco na mesma. Todo aquele que é contra o seu governo logicamente se tornar um inimigo seu. O autor fala que um príncipe para dominar um Estado já dominado precisaria devastar o que ali existia, mas também poderia apenas extorquir em forma de impostos os recursos oferecidos pelo mesmo e deixar com que os habitantes ali presentes continuassem a viver conforme suas leis e costumes, o autor grifa que um povo que tem por habito viver em liberdade jamais se curvaria de diante de um príncipe no caso deste querer conquistar uma republica, neste caso o mesmo deveria agir antes de ser instalada esta forma de governo nas terras que ele visa ser suas. Um novo governante sempre deverá procurar ter como aliado os cidadãos, pois somente desta forma eles deixaram ser dominados, estes devem ver o príncipe como um “homem bom” e não como um tirano, ele não precisa do ódio dos seus súditos e sim da fidelidade deles.

Ele aconselha que um príncipe deve manter sempre sua figura publica impecável e transparecer um ar de defensor dos mais fracos, desta forma ele terá a simpatia dos súditos e consequentemente os problemas gerados por eles serão ínfimos ou inexistentes. Um estado necessita de um exercito e o melhor exercito é o do Príncipe, composto por seus súditos, cidadãos e servos. Um Exército precisa sempre estar pronto para uma suposta guerra e pra isto treinamento seria uma prioridade. Maquiavel fala sobre o auxilio de principados aliados para uma guerra e descarta a hipótese de que isto seja útil pois, ele alega que cada exercito tem a sua adestração e isto seria prejudicial, ele também fala sobre a contratação de mercenários que da mesma forma seria tolice pois estes homens não seriam leias e por costume agem sozinhos e desonestamente. Um príncipe não deve se importar com as considerações quando se é amado por seus governados, mas quando estes se revoltam, ele deve temer a todos, pois pode ser atacado internamente e externamente, sendo do primeiro modo por conspirações feitas por seus supostos aliados. Alguém que tem por meta alcançar a posição de poder deve sempre estar preparado para um guerra dentro e fora das suas fronteiras. Ao finalizar seu livro Maquiavel fala sobre as escolhas de um príncipe quanto as pessoas que o cercam, também fala sobre a situação que a Itália da época se encontrava e meios para recupera-la, ele conclui que apenas por meio da virtú um príncipe pode vencer a instabilidade da fortuna e assim conservar seu estado. Maquiavel escreve está obra talvez pensando em reconquistar seu emprego politico o qual havia perdido na época, para muitos ele é visto pós escrever como uma mente “maligna”, pelo fato de citar que para um governo de longa data seria necessário o uso de violência juntamente com o uso da razão por meio de leis. Não concordo com todas as suas ideias, mas se pararmos para refletir veremos que muitas das citações que ele faz em sua obra ainda são empregadas na gestão atual, uma delas que posso ressaltar é a de passar uma imagem perante seus “eleitores” apenas para manter-se no poder. Maquiavel pode ser visto apenas como uma mente que ia além do seu tempo, com ideias é pensamentos que não eram coerentes com a época e estas estão todas expressadas em O Príncipe.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful