HISTOLOGIA

Cartilagem, Osso, Músculo e Sistema Nervoso 1ºteste

Cristiana Miguel Maio de 2011 FML

Cristiana Miguel - Histologia – FML 2010/2011

1

A pedido de várias famílias, segue então a Sebenta relativa à matéria do 1º teste de Histologia. Não incluí Epitélios nem Tecido Conjuntivo porque são toneladas de imagens do Iowa, mesmo. Como o tempo escasseia, abordei só os temas seguintes, que me parecem mais pertinentes (cartilagem, músculo, osso e sistema nervoso). Peço desculpa a quem já fez teste de Histologia e apenas usufruiu da 1ª sebenta que fiz, mas a verdade é que, parecendo que não, juntar as imagens todas dá trabalho e leva algum tempo, pelo que me foi impossível concluir esta segunda sebenta a tempo,para além de que inicialmente nem sequer estava idealizada. Bom estudo histológico uma vez mais, e qualquer erro comuniquem! Cristiana Miguel.

P.S: Vá, não posso deixar de agradecer à Ana Marta Magalhães, à Ana Martins Rodrigues, ao Frederico Guerreiro, à Vanessa Pires e à Vera Fialho, que tanto me chatearam e incentivaram ontem depois da aula de Genética que lá decidi continuar esta sebenta x) #louvado sejas ó magalhães!# Agradecimento também a Sílvia Pimenta, que leu atentamente em primeira mão a 1ª Sebenta e me obrigou a estar longe do Facebook para fazer esta, e a Margarida Ferreira, que ainda me há de ajudar a fazer uma 3ª sebenta, eheh!

Cristiana Miguel - Histologia – FML 2010/2011

2

CARTILAGEM
     Tipo de tecido conjuntivo Composta essencialmente por colagénio tipo II, à excepção da fibrocartilagem em que predomina o tipo I Constituída também por proteoglicanos e glicosaminoglicanos (GAG) que conferem estrutura, entre outras funções Pericôndrio  camada de tecido conjuntivo denso que geralmente envolve a cartilagem Os condroblastos e os vasos estão presentes no pericôndrio, enquanto que os condrócitos estão presentes na cartilagem, que é avascular

Cristiana Miguel - Histologia – FML 2010/2011

3

Histologia – FML 2010/2011 4 . articulações) As fibras de colagénio não são discerníveis e parecem homogéneas ao microscópio. laringe. permitindo distinguir esta cartilagem da elástica e da fibrocartilagem Fibras de colagénio tipo II e agrecana (proteoglicano mais importante) Possui pericôndrio Condrócito Lacuna Matriz interterritorial Cartilagem hialina Matriz territorial Cristiana Miguel . traqueia. brônquios.Cartilagem Hialina     Tipo mais comum de cartilagem (nariz.

Histologia – FML 2010/2011 5 .Cartilagem hialina da traqueia Cartilagem hialina do septo nasal Cartilagem hialina no pulmão Pericôndrio Matriz interterritorial Cartilagem Hialina Lacuna Matriz territorial Condrócito Cristiana Miguel .

É semelhante à cartilagem hialina.Histologia – FML 2010/2011 6 . o meato auditivo externo. a cartilagem elástica apresenta pericôndrio Está presente onde é necessário movimento. à excepção das fibras elásticas escuras Fibras de colagénio tipo II.Cartilagem Elástica       Podemos encontrá-la entre as duas camadas da pele As finas fibras elásticas formam uma rede que é mais densa na porção central da cartilagem Ao contrário da fibrocartilagem. como a orelha externa. partes da laringe e epiglote. fibras elásticas e agrecana Pericôndrio Condrócito Lacuna Cartilagem Elástica Matriz Territorial Fibras Elásticas Cristiana Miguel .

Pericôndrio Cartilagem Elástica Condrócito Lacuna Fibras Elásticas Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 7 .

presença de versicana Grupos isógenos R  fibras em padãro regular I  fibras em padrão irregular Condrócito sozinho Cristiana Miguel . inserção de tendões.Fibrocartilagem       Caracterizada por uma quantidade considerável de colagénio em arranjos irregulares Condrócitos menos numerosos. sendo que podem aparecer sozinhos ou em colunas Condrócitos e fibroblastos Encontrada em: discos intervertebrais.Histologia – FML 2010/2011 8 . etc. Não tem pericôndrio Fibras de colagénio dos tipos I e II. sínfise púbica. meniscos.

Histologia – FML 2010/2011 9 .OSSO Cristiana Miguel .

bem como pelo canais de Havers  Os vasos sanguíneos e os nervos entram no osso pelos Canais de Havers.Osso seco    A matriz é constituída por colagénio tipo I. apesar de conter uma densa matriz calcificada Osteócito o principal tipo de célula o desenvolve-se do osteoblasto contido no periósteo ou no endeósteo o reside numa cavidade denominada lacuna  As lacunas estão interconectadas por um sistema de canalículos.     Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 10 . que rodeiam o conjunto de ósteons. encontramos as chamadas lamelas circunferenciais. e pelos Canais de Volkman para fornecer nutrientes e oxigénio aos osteócitos O osso compacto forma anéis concêntricos em volta dos Canais de Havers  Lamelas de Havers/concêntricas Um Canal de Havers rodeado por lamelas denomina-se ósteon As camadas de osso entre os ósteons são as chamadas lamelas intersticiais Nas camadas internas e externas de um osso compacto. proteoglicanos e glicoproteínas É um tecido altamente vascularizado.

ficando a matriz cartilagínea calcificada. e enzimas hidrolíticas que digerem a matriz orgânica          Zona de reserva de cartilagem  zona que contém cartilagem hialina não modificada à volta do local da ossificação Zona de proliferação de cartilagem  condrócitos em divisão rápida Zona hipertrófica de cartilagem  os condrócitos estão muito maiores do que na zona anterior Zona de matriz calcificada  a matriz cartilaginosa está impregnada por sais de cálcio Os condrócitos morrem.Histologia – FML 2010/2011 Separa as 2 cavidadades. na qual o crescimento do osso ocorre entre membranas formadas pelo mesênquima Osteoclastos  Células tipicamente multinucleadas.Ossificação endocondral  A formação do osso longo desenvolve-se num sítio primário ou secundário de ossificação. que libertam ácidos orgânicos que descalcificam o osso. a da epífise e da diáfise 11 . formando a Zona de Calcificação Células osteogénicas que formam osso primário caracterizam a chamada Zona de Ossificação Placa epifisária Cristiana Miguel . por uma processo chamado ossificação endocondral A deposição de cartilagem hialina precede o processo de ossificação Difere da ossificação intramembranosa.

Osteoblastos Capilares sanguíneos Espículas do osso primário trabecular A erosão da cartilagem acontece. O osso forma-se sobre as espcíulas de cartilagem calcificada  OSSIFICAÇÃO ENDOCONDRAL Cristiana Miguel . criando ESPÍCULAS.Histologia – FML 2010/2011 12 .

Ossificação intramembranosa     Limitada aos ossos que não são necessários para realizar uma função de sustentação inicial As células osteogénicas contidas no perósteo. endósteo e medula óssea são percursoras dos osteoblastos. e enventualmente. a sua principal função é reabsorção do osso. Cristiana Miguel . estando separada do osso compacto pelo endósteo. Osteoblastos  segregam osteóide.Histologia – FML 2010/2011 13 . que ocorre simultaneamente com a deposição óssea. um material composto por colagénio do tipo I Osteoclastos  osteoblastos “aprisionados” na sua matriz. dos osteócitos. A medula óssea encontra-se na cavidade mais interna do osso.

Osteoclasto Lacuna de Howship Osso recém-formado  ESPÍCULAS  aumentam e interconectam-se à medida que o crescimento prossegue  criam uma estrutura trabecular tridimensional semelhante ao osso maduro Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 14 .

MUSCULO Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 15 .

Histologia – FML 2010/2011 16 . Esquelético  Corte transversal Músc.Músculo esquelético o o Estriações Núcleos localizados perifericamente Músculo cardíaco o o o Células estriadas bi-nucleadas (e algumas mono-nucleadas) Discos intercalados  permitem que as células comuniquem eficientemente umas com as outras  esta comunicação directa permite que o músculo cardíaco funcione como um todo Muito vascularizado  numerosos capilares Músculo liso o o Células mono-nucleadas Não apresenta estriações Músc. Liso  Corte longitudinal Cristiana Miguel .

sendo possível observar o seu núcleo alongado.Histologia – FML 2010/2011 17 . Núcleos periféricos O endotélio dos capilares é facilmente visto num corte transversal Cristiana Miguel .   Liga-se aos ossos via tendão  tecido conjuntivo denso regular Os fibroblastos estão paralelamente às fibras de colagénio.O músculo esquelético é o principal responsável pelo movimento voluntário do corpo.

Os núcleos estão na periferia das células.Histologia – FML 2010/2011 Junção músculo-tendinosa Músculo estriado  eucromatina e núcleos alongados. 18 . Tendão  Os núcleos dos fibroblastos são mais finos. Cristiana Miguel . e observa-se heterocromatina.

Distinção: esquelético-liso-cardíaco Músc. Liso  citoplasma das células um pouco basófilo e vários núcleos escuros e alongados Discos intercalares Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 19 . Cardíaco “Padrão tipo ramo de árvore” quando visto em baixa ampliação Músc. Esquelético  contém estriações Músc.

Histologia – FML 2010/2011 20 .Epitélio de transição M. liso Tecido Conj M. liso Alguns vasos sanguíneos estão rodeados por uma camada de células de músculo liso Cristiana Miguel .

TECIDO NERVOSO Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 21 .

mais externa (rosa pálido). as células de Purkinje Profundamente na camada granular  região que se cora levemente  SUBSTÂNCIA BRANCA   Cristiana Miguel . cada um com uma camada superficial de substância cinzenta (córtex) e um núcleo de substância branca O córtex cerebelar apresenta 3 camadas: o Camada molecular. mais interna. com poucos neurónios e várias fibras nervosas não-mielinizadas o Camada granular.Histologia – FML 2010/2011 22 . com pequenos neurónios basófilos Entre as 2 camadas encontramos neurónios largos e proeminentes.Cerebelo   A superfície do cerebelo tem vários sulcos que o dividem em lóbulos.

Histologia – FML 2010/2011 23 .Cristiana Miguel .

a substância cinzenta é descrita como tendo uma organização laminar.Histologia – FML 2010/2011 24 . A 5ª e a 3ª camada caracterizam-se pela existência de maiores neurónios (células piramidais) Aqui. ao contrário da medula espinhal.Cérebro   O cérebro tem um córtex de substância cinzenta e uma área central de substância branca na qual são encontrados núcleos de substância cinzenta No córtex. ao invés de uma organização nuclear o A disposição dos neurónios em baixa ampliação dá a impressão de ter 6 camadas. a substância cinzenta está localizada externamente à substãncia branca Circunvolução cerebral Cristiana Miguel .

as meninges A mais exterior é chamada de dura-máter  tecido conjuntivo muito denso. contínuo com o periósteo do esqueleto e das vértebras O espaço entre a dura-máter e a aracnóide é o chamado espaço subdural A aracnóide contém trabéculas que a ligam à dura-máter e à pia-máter O espaço entre a aracnóide e a pia-máter é chamado de espaço sub-aracnóide  é avascular e contém líquido cefalo-raquidiano que envolve todo o SNC A pia-máter é uma camada muito fina de tecido conjuntivo laxo que cobre o encéfalo e a medula espinhal  contém numerosos vasos sanguíneos Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 25 .Prolongamentos neuronais: axónios e dendrites Córtex cerebral       O Sistema Nervoso Central é coberto por 3 camadas de tecido conjuntivo.

nucléolo simples e proeminente Cristiana Miguel . os corpúsculos de Nissl.Medula Espinhal       Substância cinzenta em forma de borboleta. a pia-máter. com os seus cornos dorsais (posteriores)e ventrais (anteriores) Fissura ventral/anterior média contém vários vasos sanguíneos e tecido conjuntivo A mais fina e mais interna camada das meninges. encontra-se “aplicada” na medula espinhal A substância branca está locadlizada externamente relativamente à substância cinzenta Podem-se observar grandes neurónios multipolares na substância cinzenta De realçar as dendrites.Histologia – FML 2010/2011 26 . núcleos de eucromatina.

Esfregaço de Medula Espinhal Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 27 .

Gânglios Simpáticos e da Raiz Dorsal       Gânglios  aglomerados de corpos celulares de neurónios fora da medula espinhal Gãnglios sensoriais (aferentes) contêm neurónios pseudo-unipolares Contêm os corpos celulares organizados em grupos Células satélite  células de suporte que rodeiam os corpos celulares Os neurónios têm geralmente um núcleo localizado centralmente Gânglios autónomos (eferentes) podem ser simpáticos ou parassimpáticos o Gânglios simpáticos  dispostos numa longa cadeia ao longo da medula espinhal (gânglios paravertebrais) ou na superfície superior da aorta (gânglios pré-vertebrais)  Os corpos celulares não estão dispostos em grupos e o núcleo está geralmente excentricamente localizado no corpo celular o Gânglios parassimpáticos  localizados nos orgãos inervados pelos seus neurónios pós-sinápticos Gânglio espinhal/ da raiz dorsal Gânglio simpático Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 28 .

Nervo Periférico  Feixes de fibras nervosas mantidas unidas por tecido conjuntivo e por uma camada especializada de células. o perineuro Feixes nervosos num corte longitudinal Feixes nervosos num corte transversal Cristiana Miguel .Histologia – FML 2010/2011 29 .

Histologia – FML 2010/2011 30 .Nervo periférico excitado Nódulo de Ranvier Nódulo de Ranvier Terminações de nervos motores  Induzem a contracção do músculo esquelético Cristiana Miguel .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful