You are on page 1of 3

Aula VI – Casamento – Do Processo para o Casamento Da Capacidade Interessa ao Estado que as famílias se constituam para o Casamento regularmente.

Por isso, cerca o casamento de um verdadeiro ritual, exigindo o cumprimento de uma série de formalidades. A lei considera relevante que o consentimento dos nubentes obedeça a certas solenidades, não só para que seja manifestado livremente, como também para facilitar a prova do ato. As formalidades preliminares dizem respeito ao processo de habilitação, que se desenvolve perante o Oficial Registro Civil (CC, art. 1.526, com a redação dada pela Lei n. 12.133, de 17-12-2009). Destina-se este a constatar a capacidade para o casamento, a impedimentos matrimoniais e da publicidade a pretensão dos nubentes. O Código Civil de 2002 inovou ao tratar, em capítulo próprio (arts. 1.517 a 1.520), da capacidade para o casamento, que deve ser denominada no processo de habilitação, fixando em 16 anos a idade mínima, denominada de idade núbil, tanto para o homem como para a mulher. Ordenando a matéria, o novel diploma tratou separadamente da capacidade nos arts. 1.517 a 1.520, dos impedimentos nos arts. 1.521 e 1.522, e das causas suspensivas nos arts. 1523 e 1524. Estas últimas eram, no Código de 1916, impedimentos não dirimentes, também denominados proibitivos ou meramente impedientes, que não tinham o condão de desfazer o casamento e apenas impunham sanções aos noivos. Os impedimentos considerados relativamente dirimentes no Código anterior são tratados no diploma de 2002 como causas de anulação do casamento (arts. 1.550 e s. ). Só são chamados de impedimentos, atualmente, os que o de 1916 tratava como dirimentes absolutos e que ensejavam a nulidade do casamento.

183. 1. a possibilidade de se apontar o impedimento. por qualquer pessoa capaz” (CC. . como já foi dito.522). art.522 do Código Civil de 2002. Das Causas Causas suspensivas são circunstancias ou situações Suspensivas capazes de suspendera realização do casamento. em qualquer fase do processo de habilitação e “até o momento da celebração do casamento”. somente cessando a oportunidade com a cerimônia do casamento. cuja oposição se submete ao prazo de publicação dos editais de habilitação. quando opostas tempestivamente. O Código de 2002 inclui entre as causas suspensivas a que estipula não dever o divorciado casar-se enquanto não houver sido homologada ou decidida a partilha dos bens do anterior casamento. as causas suspensivas devem ser articuladas no curso do processo de habilitação. até o decurso do prazo de quinze dias da publicação dos proclamas. mas que não provocam. do Código de 1916. que podem ser opostos no processo de habilitação “ até o momento da celebração do casamento do casamento. XII a XVI. simplificou o sistema de oposição de impedimentos de impedimentos ao declarar que podem ser opostos por qualquer pessoa capaz. diferentemente do que sucede no tocante às causas suspensivas.1. Correspondem aos impedimentos impedientes ou proibitivos do art. Diversamente dos impedimentos. Até o momento da realização da solenidade há. retrotranscrito. os respectivos impedimentos podem ser ofertados a qualquer tempo. quando infringiras. Diante da gravidade dos obstáculos impostos no interesse da própria sociedade. portanto.Dos Impedimentos O art. a sua nulidade ou anulabilidade.

com efeito. pela admissibilidade do casamento por procuração (CC.441. Não se admite. 226 da Constituição Federal. pois a lei visa assegurar a liberdade e a atualidade do consentimento matrimonial. Em razão da entrada em vigor da Emenda Constitucional n. em nome da lei. 66/2010. 1. 11. O princípio da atualidade do mútuo consenso sofre restrição. relativo à produção de prova testemunhal e audiência de ratificação. o presidente do ato.124. em pessoa ou por procurador especial. continua em vigor. art. § 2°. Do Divórcio . sendo necessário que a vontade de casar seja manifestada no ato de celebração. ouvida aos nubentes a afirmação de que pretendem casar por livre e espontânea vontade." O comparecimento dos nubentes deve se simultâneo. todavia. foram excluídos os incisos I.Da Celebração do Dispõe o art. vos declaro casados. e III. juntamente com as testemunhas e o oficial do registro.124-A do Código de processo Civil. da lei do Divórcio. declarará efetuado o casamento. o procedimento adotado será o previsto no art. exceto na parte em que alude à separação consensual. relativo ao divórcio consensual por escritura publica. 1.535 do Código Civil: Casamento Presentes os contraentes. acrescentado pela Lei n.120 a 1. de 4-1-2007. No divórcio direto consensual. uma declaração de vontade formulada anteriormente à solenidade. 1. por força do art. porque são incompatíveis com a suspensão das causas subjetivas e objetivas decorrentes da nova redação conferida ao § 6° do art. de vos receberdes por marido e mulher. Aduza-se que o art. 40. 1. eu. que dispunha sobre a comprovação da separação de fato.542). nestes termos: "De acordo com a vontade que ambos acabais de afirmar perante mim.