You are on page 1of 9

Escala Pentatônica

Como o próprio nome sugere, as escalas Pentatônicas são formadas por cinco notas. Cada escala pentatônica pode ser executada no seu estado fundamental (partindo da tônica) ou em quatro inversões, e por ser uma escala “cíclica”, a nota de partida (tônica) é também considerada como 1ª inversão. Analisando dessa forma, a escala possui 5 inversões. Se tocarmos as mesmas 5 notas, porém partindo de cada um de seus graus, chegaremos aos 5 desenhos da escala distribuídos pelo braço do instrumento, portanto são 5 desenhos de uma mesma escala. São amplamente utilizadas em improvisações por possuírem poucas notas e por serem de fácil assimilação e aplicação. A pentatônica maior pode ser vista com a escala maior sem o 4º e 7º graus, ou como um arpejo maior com sexta e nona:

T | ton | II | ton | III | ton e meio | V | ton | VI | tom e meio | VIII
A pentatônica menor pode ser vista como a escala menor sem o 2º e o 6º graus ou como um arpejo menor com décima terceira, portanto se visualizarmos a pentatônica menor como 1º grau (tônica), teremos a pentatônica maior como 2ª inversão. Os desenhos principais são o 1º e o 5º, pois são os que representam o tom maior (1º Desenho), e tom menor (5º Desenho).

Sugestões de Aplicação
Uma forma muito comum de aplicar a pentatônica é visualizá-la pela tonalidade menor gerando assim inúmeras formas de aplicação. As mais comuns seriam em cima dos seguintes acordes/graus:  V7 – Considerando esse acorde como “I7” de uma progressão blues, teremos automaticamente uma sonoridade blues devido a ambiguidade tonal existente entre a terça menor da escala e a terça maior do acorde dominante blues. As tensões/dissonâncias comuns nesse acorde são: 9ª, #9, 6ª ou 13ª. Im7 – Considerando esse acorde como “Im”, teremos uma sonoridade melancólica e introspectiva. Também podemos visualizar esse acorde com “Im7” de uma progressão blues menor. As tensões/dissonâncias comuns nesse acorde são: 9ª, 6ª, 13ª e 11ª.

 

IV7 – É muito comum usar a pentatônica menor do I grau em cima do IV7 de uma progressão blues. As tensões/dissonâncias comuns nesse acorde são: 9ª, sus4, 7sus4, 6ª ou 13ª.

IVm7 – Também é muito comum usar a pentatônica menor do I grau em cima do IVm7 do campo harmônico menor natural. Esse acorde também é comum na progressão de um blues menor. As tensões/dissonâncias comuns nesse acorde são: 9ª, 6ª, 13ª e 11ª.

Pentatônica Menor (Referência): .SHAPES: 1ª Inversão – Pentatônica Maior (Referência): 2ª Inversão: 3ª Inversão: 4ª Inversão: 5ª Inversão .

Exercícios de Memorização (Vertical) Exercício de Memorização (Horizontal) Cordas E e B: .

Cordas G e B: Cordas D e G: .

Cordas A e D: Cordas E e A: .

Exercício de Memorização (Diagonal) 1ª Inversão: 2ª Inversão: .

3ª Inversão: 4ª Inversão: .

5ª Inversão: .

É endorsee Tagima. além de atuar como consultor das marcas Landscape Audio e NIG Music. Para mais informações acesse os links abaixo: www. Na última edição do Tagima Dream Team lançou o CD “Meu Destino” de sua banda Worship. Já dividiu o palco com grandes nomes. Kades Singers. Alessandra Rangel (ex-caloura do Raul Gil). Frank Solari.youtube. Landscape Audio. clínicas. Sydnei Carvalho. Roger Franco.net www. Sparflex Cabos e Sergio Rosar. tendo gravado e produzido vários trabalhos.ricardosoares. Nig Music. Lançou em 2009 o CD “Higway” que conta com a participação de Edu Ardanuy. entre outros.myspace. Mariana Valadão (Diante do Trono). Atua como produtor e guitarrista de estúdio.com/ricsoares Contato: ricardo@ricardosoares. Alex Martinho Ricky Furlani. Marcelo Barbosa. Na área de didática atua ministrando aulas.net .O Autor Natural de Vitória–ES. workshops e como colunista de vários sites. Sydnei Carvalho e Roger Franco. como: Edu Ardanuy. Ricardo Soares vem conquistando cada vez mais espaço no cenário musical brasileiro. Basso Straps.com/ricardosoares www. Marcelo Barbosa.