You are on page 1of 4

AULA 1

HISTÓRIA

PROGRAMAÇÃO PARALELA - PP
NASCIMENTO DA IGREJA CRISTÃ
Perseguição e crescimento

O Cristianismo nasceu e desenvolveu-se dentro do quadro político-cultural do Império Romano. Durante três séculos, o Império Romano perseguiu os cristãos porque a sua religião era vista como uma ofensa ao Estado, pois representava outro universalismo e proibia os fiéis de prestarem culto religioso ao soberano imperial. Durante a perseguição e, apesar dela, o Cristianismo propagou-se pelo Império. As principais e maiores perseguições foram as de Nero, no século I, a de Décio, no ano 250, a de Valeriano (253-260) e a maior, mais violenta e última, a de Diocleciano entre 303 e 304, que tinha por objetivo declarado acabar com o Cristianismo e a Igreja. O balanço final desta última perseguição constituiu-se num rotundo fracasso. Diocleciano, após ter renunciado, ainda viveu o bastante para ver os cristãos viverem em liberdade.

Martírio de São Pedro, por Caravaggio

Fim das perseguições e o desenvolvimento da DOUTRINA
Em 313, o Imperador Constantino publicou o Edito de Milão legalizando o Cristianismo. Segundo a lenda, o imperador teria visto no céu uma cruz com a inscrição: "Com este símbolo vencerás", durante a Batalha da Ponte Mílvia, na qual venceu seu inimigo na disputa do trono. Então, converteu-se. Em seguida, fez devolver aos cristãos os seus bens, proibiu o trabalho nos domingos e o assassinato de escravos; restringiu a prática do divórcio; e, para ajudar os cristãos a levarem uma vida mais ascética, aboliu as leis de Augusto que estimulavam os casamentos. Ao fundar a cidade de Constantinopla, em 330, o imperador consagrou-a à Virgem Maria, mãe de Jesus. Embora essas medidas favorecessem os cristãos, elas garantiram a liberdade religiosa dentro do Império. Agora havia liberdade para todos os credos religiosos, do paganismo ao Cristianismo. O Imperador Juliano, tentou mais tarde, restaurar o culto pagão em Roma, sendo por isso chamado de Apóstata. O progresso do Cristianismo se acelerou a partir da sua oficialização. Foi nas camadas urbanas que ele encontrou mais adeptos. As populações rurais continuavam ainda presas aos valores pagãos. O Imperador Teodósio fez-se batizar em 380 e, em 391, aboliu definitivamente o paganismo. Nesse momento, o Cristianismo tornava-se a religião oficial do Império. Como religião oficial, sofreria muitas transformações.

Novos Horizontes
O Cristianismo, com a invasão dos bárbaros germânicos vindos do Oriente a partir do século IV, teve nova oportunidade de expansão. Missionários levaram a mensagem do Cristianismo para além das divisas antigas do Império. Winifrid, monge inglês que mudou o nome para Bonifácio, foi o grande apóstolo da Alemanha. Nos primórdios do século VI, no Natal, Clodoveu (Clóvis),

OBJETIVO - 1

verdadeiros tratados sobre a fé cristã. encarregados da parte material. No início da Idade Média. Os concílios estabeleciam o que devia ser aceito como definitivamente certo na doutrina da Igreja. de Alexandria. l de São Tiago e l de São Judas) e o Apocalipse (de autoria de São João). no entanto. o de Niceia. destinados a defender o Cristianismo e a rebater as acusações dos pagãos contra os cristãos. uns e outros suportaram a dominação do adversário de forma desigual e inconstante. estes dominaram o norte da África. encarregados da parte espiritual. O Imperador Constantino convocou o Primeiro Concílio. os muçulmanos permaneceram na península. 2 de São Pedro. O último a ser escrito foi o de São João. Um dos principais documentos apologéticos é o Discurso. Os principais escritos da primeira etapa foram os evangelhos de São Mateus. desembarcaram na Península Ibérica para conquistar. combatida pelo Concílio de Niceia. O relacionamento. o reino visigodo cristão e. Os magiares se converteram acompanhando o seu rei Santo Estevão. e os diáconos. de autoria do Bispo Ário. não era igual ao Pai. A segunda etapa é marcada pelos escritos apologéticos. Também foi demorada a organização interna da Igreja. em 325 (primeira assembleia de bispos de todas as partes do mundo romano. Essa ideia deu origem a outras heresias. Os escritos da terceira etapa giram em torno das heresias. Essa decisão do concílio sobre o Espírito Santo também deu apoio oficial para o conceito de Trindade. recebeu o batismo católico. portanto. desde inimigos em combates históricos a aliados episódicos contra vizinhos desafetos. em consequência. O Concílio de Constantinopla (381) estabeleceu que o Espírito Santo deve ser do mesmo ser que Deus Pai. Por oito séculos. serem detidos em Poitiers por Carlos Martel. o que completaria a Trindade. Com ele. parte do Oriente que havia sido cristianizado e. Ário pregava que Cristo não era Deus e. sobretudo da hierarquia do clero. Os evangelhos foram complementados com outros escritos: os Atos dos Apóstolos. A hierarquia da Igreja A organização da hierarquia da Igreja foi lenta. O Concílio de Calcedônia (451) estabeleceu a posição de que Cristo é realmente Deus e realmente homem. que negava a natureza divina de Cristo e. Carlos Martel detém o avanço árabe na Batalha de Poitiers A organização da Igreja A definição da doutrina da Igreja. para isso. durou séculos. segundo as circunstâncias históricas de cada século. A França é considerada a filha primogênita da Igreja. Escreviam. afinal. São Lucas e São João. O papel dos Concílios Ecumênicos. o Cristianismo sofreu ingerências dos senhores feudais. viu-se às voltas com o avanço muçulmano. com a missão de vigiar a integridade da doutrina e a prática do culto. sendo essas duas naturezas preservadas na sua pessoa.rei dos francos. Os padres e bispos cristãos defendiam a doutrina da Igreja contra os hereges. convocado para solucionar controvérsias). as Epístolas (14 de São Paulo. que Cristo era Filho de Deus e igual ao Pai. por volta dos fins do século I e início do século II. No começo do Cristianismo. A principal. o que levou a vida eclesiástica a sofrer uma decadência moral. havia apenas os padres ou presbíteros. por volta do século VII. tanto nos bispados como na Santa Sé. São Marcos. OBJETIVO . como dogma. Essas definições eram necessárias por causa das numerosas heresias que surgiam em toda parte. todo o Reino se converteu ao Catolicismo. Depois surgiram os bispos (vigilantes). como a do nestorianismo. com velocidade surpreendente. era a do arianismo. na definição da doutrina. os boêmios com São Wenceslau e os poloneses com o batizado do duque Miezko. Esse concílio estabeleceu. entre muçulmanos e cristãos conheceu altos e baixos. Esses escritos formam o Novo Testamento. A doutrina cristã A literatura cristã que serviu de base para a definição dos princípios do Cristianismo apresenta três etapas bem distintas. O Mediterrâneo. foi decisivo. não considerava a Virgem Maria como mãe de Deus.2 . no ano 711. nesse período. de São Cipriano. com seus dogmas e sua moral. 3 de São João.

embora o seu estatuto e influência tenham crescido quando Roma era a capital do Império. a) Que são heresias? b) Quais as principais reações da Igreja Católica diante das mesmas naquele período? 2) "A Igreja. A REVOLUÇÃO INGLESA DE 1640." (Franco Jr. a qual valendo-se do prestígio de que gozava junto aos altos dignitários da Igreja Bizantina.3 . coletando e distribuindo as esmolas que os pobres recebiam." (Adaptado de Christopher Hill. e Andrade Filho. 4) A Igreja Cristã foi a instituição mais importante durante a Idade Média. c) tentativa de mirar as bases políticas de apoio à sua irmã. que atraíam para o serviço monástico numerosos jovens. História Antiga e Medieval. a lembrança de que Deus tinha se revelado ao homem e por isso era possível representá-Lo de forma visível.Jobson de Andrade. O. podemos citar o (a): a) intolerância da corte imperial para com os habitantes da Ásia Menor. condenou tal prática por idolatria. Anatólia. 27. 1977) A partir do texto acima. Civilização Ocidental-Uma História concisa. o imperador Leão III. os ícones (imagens pintadas ou esculpidas de Cristo. SP. Enquanto Roma reclamava uma autoridade que lhe provinha de São Pedro (que. Rússia e muitas das terras eslavas. Martins Fontes. A Igreja educava as crianças. condenava a materialização da essência sagrada da divindade em pedaços de pano ou madeira.Atica. desencadeando assim a chamada "crise iconoclasta". Circulo de Leitores Ltda. Egito etc. aspirava secretamente a sagrar-se imperatriz. H. Constantinopla tornara-se a residência do Imperador e do Senado. escreva quais eram as funções sociais e políticas da Igreja Católica na Idade Média. durante toda a Idade Média. do batismo ao serviço fúnebre.O Grande Cisma O Bispo de Roma era tido pelos outros Patriarcas como "o primeiro entre iguais".SP. Mas quando a capital se mudou para Constantinopla. com isso de contribuírem para o Estado na qualidade de soldados. a sua influência diminuiu. O IMPÉRIO BIZANTINO. era frequente o governo dizer aos pregadores exatamente o que deviam pregar. p.) A essa divisão chama-se o Grande Cisma. 1994. b) necessidade de conter a proliferação de culto às imagens. que separou a Igreja entre a Igreja Católica no Ocidente e a Igreja Católica Ortodoxa Oriental no Leste (Grécia. recuperando os princípios originais do monoteísmo judaico-cristão. guiava todos os movimentos do homem. Uma série de dificuldades complexas (disputas doutrinárias. uma vez que o papado se posicionava contra a instituição dos ícones e exigia a sua erradicação. da Virgem e dos Santos) constituíam a "revelação da eternidade no tempo. segundo a tradição. Concílios disputados. OBJETIVO . R. Essa importância. com o credo islâmico que.) Apesar da extrema difusão da adoração dos ícones no Império Bizantino. obtida com o apoio dos alamanos.1985 Perry. continuou crescendo na medida em que a) associada à sociedade bizantina atuou no combate às heresias. Teodora. Bibliografia: Arruda. Síria. região onde o culto aos ícones servia de pretexto para a aglutinação de povos que pretendiam se emancipar. num contexto de reaproximação da Sé de Roma com o imperador bizantino. o sermão do pároco era a principal fonte de informação sobre os acontecimentos e problemas comuns. Dentre os fatores que motivaram a ação de Leão III. permitiu-lhe que organizasse um Estado em território conquistado aos saxões.. com as disputas doutrinárias ou procedimentais a serem frequentemente remetidas a Roma para obter uma opinião. d) aproximação do imperador. Marvin. A paróquia constituía uma importante unidade de governo local. impedindo-os. e) descontentamento imperial com o crescente prestígio e riqueza dos mosteiros (principais possuidores e fabricantes de ícones). morreu naquela cidade. Como os homens ficavam atentos aos sermões. em 726. a evolução de ritos separados e se a posição do Papa de Roma era ou não de real autoridade ou apenas de respeito) levaram à divisão em 1054. c) conseguiu ter êxito na conversão dos bárbaros germânicos. marinheiros e camponeses. a comprovação da própria encarnação. b) sua influência política. 1995 Exercícios 1) Uma característica da Idade Média foi o surgimento de heresias. 1985 Enciclopédia Temas e Debates. por meio do califado de Damasco. J. que já existia nos séculos finais do Império Romano. Portugal. e é considerado por ela o primeiro papa) e São Paulo. 3) Segundo a crença dos cristãos de Bizâncio. São Paulo: Brasiliense.

sobre o Sacro Império Romano-Germânico. pode-se assinalar corretamente: a) as desavenças entre os membros da hierarquia católica e o Imperador bizantino diziam respeito à cobrança das indulgências e à corrupção dos bispos. as imagens e os ídolos dos santos não eram objetos de adoração e culto. c) no Império Bizantino. b) significou o aparecimento de inúmeras seitas "reformadas". ocasionando: a) a criação da Igreja Cristã Ortodoxa Grega. ocorreu a ruptura entre o papado romano e o patriarca de Constantinopla. d) em Bizâncio. Após um longo processo de conflitos. 6) Na origem do chamado "Cisma do Oriente". d) a fundação da Igreja Cristã Protestante. 5) O ano de 1054 foi marcado pelo "Cisma do Oriente". que se desligaram da Igreja romana.d) aumentou seu domínio.4 . a Igreja era submetida ao Imperador. e) a divisão do Clero em secular ortodoxo e regular monástico. ao contrário do Cristianismo ocidental. OBJETIVO . e) fortaleceu seu papel no combate ao reformismo exigido pelos monges de Cluny. b) a transferência da sede do papado para a cidade de Avignon. através do Colégio dos Cardeais. c) o conflito denominado Querela das Investiduras.