You are on page 1of 15

NORMALIZAÇÃO GENÉRICA DAS ESTRUTURAS PARA ELABORAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO/MONOGRAFIAS UNIGUAÇU/FAESI – FORMATAÇÃO MONOGRÁFICA

APRESENTAÇÃO

De acordo com a estrutura delineada para a elaboração dos Trabalhos de Conclusão de Curso e Monografias desta IES1, referenciam-se algumas considerações acerca da estrutura a ser trabalhada, destacando as principais operacionalizações de cada componente. Vale ressaltar que o acadêmico obrigatoriamente deve consultar/pesquisar as obras de metodologia que constam no acervo da biblioteca, objetivando aplicar os conceitos metodológicos de forma e conteúdo consoantes aos preceitos metodológicos até então explorados pelos pesquisadores da área, e a internalização dos conhecimentos disseminados em sala de aula pelo docente da disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso, respeitando as normas de estágios específicas de cada curso, assim como as estruturas delineadas. Ademais, observa-se que os elementos pré-textuais, assim como os elementos pós-textuais referem-se única e exclusivamente as Normas Técnicas para a elaboração de Trabalhos desta Instituição e estão contemplados no NATAU. Finalmente, esta normalização especifica somente os itens textuais da estrutura monográfica, que exigem esmero e rigor científico por parte do pesquisador.

Saudações Acadêmicas,

Prof. Elói Junior Damke Diretor Pedagógico Uniguaçu/Faesi
No caso dos Estágios Curriculares Supervisionados deve ser obedecido o Manual de Normas respectivo.
1

a formulação do problema é mais específica: indica exatamente qual a diferença que se pretende resolver”. enquanto o tema de uma pesquisa é uma proposição até certo ponto abrangente. seu exame. Vale ressaltar que o problema deve ser formulado em formato de pergunta. conceituam problema de pesquisa como sendo uma questão que deve envolver intrinsecamente uma dificuldade teórica ou prática. crítica e solução.2 PROBLEMA DE PESQUISA Após a definição do tema de pesquisa e sua contextualização. é uma dificuldade. para intentar. . 84). a próxima fase é transformar o tema em um problema de pesquisa. permitindo desdobrar o tema em um problema de pesquisa. 127). de acordo com LAKATOS (2001. compreensível.. caracterizando dessa forma a investigação propriamente dita. limitando o seu campo e apresentando suas características. a contextualização é uma introdução que deve permitir ao leitor compreender o tema proposto de maneira clara e objetiva. que é mister determinar com precisão. isto é. 1. em seguida. 126).. o pesquisador deverá contextualizar seu tema delineado para a pesquisa de forma a identificar e possibilitar a formulação do problema de pesquisa. p. p. avaliação. p. destaca que o problema de pesquisa deve consistir em um enunciado explicitado de forma clara. . Assim. para a qual se deve encontrar uma solução. operacional. Sendo assim. Determinar solução significa enunciar um problema. componente próximo da estrutura. O tema de pesquisa.1 CONTEXTUALIZAÇÃO Nesta parte da estrutura.“é o assunto que se deseja provar ou desenvolver. CERVO e BERVIAN (2002. Já LAKATOS (2001. ainda sem solução.1 APRESENTAÇÃO 1. determinar o objetivo central da indagação. qual a dificuldade com a qual nos defrontamos e que pretendemos resolver.

Qual a influência de um eficiente sistema de custos na gestão empresarial. 2): Exemplo 1: Tema: A família carente e sua influência na origem da marginalização social Problema: . Problema: . 127) e EISELE (2005. p. consiste em um enunciado explicitado de forma clara. . e nos resultados financeiros da produção industrial de derivados de leite na indústria Laticínio X? Exemplo 3: Tema: O processo de planejamento estratégico como ferramenta para o desenvolvimento sustentável: o estudo de caso da unidade Y. p. assim.Para melhor compreensão.Qual a influência entre o grau de organização interna da família carente na marginalização do menor? Exemplo 2: Tema:Implantação da contabilidade de custos na indústria de laticínios X. seguem-se alguns exemplos construídos por LAKATOS (2001. Problema: . cujo melhor modo de solução ou é uma pesquisa ou pode ser resolvido por meio de processos científicos.Quais as contribuições oriundas da utilização de um processo deliberado de planejamento estratégico para a adoção de ações que conduzem a Unidade Y para o desenvolvimento sustentável? O problema. compreensível e operacional.

propõe-se uma resposta “suposta.3 HIPÓTESES E/OU PERGUNTAS DE PESQUISA Uma vez formulado o problema de pesquisa. a fim de obter uma vantagem competitiva de seus produtos. com a certeza de ser cientificamente válido. 2001. p. . o problema constitui uma sentença interrogativa e a hipótese. que deverá ao final da pesquisa ser corroborada ou refutada. sentença afirmativa mais detalhada. Assim. facilitando sua tomada de decisão. terá um eficiente controle gerencial.Quais condições exercem mais influência na decisão das mães em dar o filho recém nascido para adoção? Hipótese: As condições que representam fatores formadores de atitudes exercem maior influência na decisão das mães em dar ao filho recém-nascido para adoção do que as condições que representam fatores biológicos e sócioeconômicos. b) O segmento industrial que utiliza uma boa gestão de estratégia de custos. e nos resultados financeiros da produção industrial de derivados de leite na indústria Laticínios X? Hipóteses: a) A empresa que adota uma contabilidade de custos eficiente em seu processo industrial terá seus produtos unitários com valor do custo real. Exemplos de hipóteses: Exemplo 1: Problema: . 128).Qual a influência de um eficiente sistema de custos na gestão empresarial. c) Viabilizando sua contabilidade de custos a empresa obterá uma rentabilidade eficiente.1. Isto é uma hipótese (LAKATOS. Exemplo 2: Problema: . provável e provisória”. permitindo sua permanência no mercado.

. porém.1 OBJETIVO GERAL O objetivo geral está ligado a uma visão global e abrangente do tema delineado para a pesquisa. sendo que estas devem estar dispostas de forma interrogativa e norteadoras da pesquisa. descrito afirmativamente. perguntas de pesquisa. Operacionalmente. seguindo as premissas das hipóteses.Exemplo 3: Problema: .Qual a influência entre o grau de organização interna da família carente na marginalização do menor? Objetivo geral: Verificar qual a influência entre o grau de organização interna da família e seus impactos na marginalização do menor. 2 OBJETIVOS 2. Para maior compreensão do exposto. é o desdobramento do problema de pesquisa. relacionam-se abaixo os exemplos trabalhados anteriormente: Exemplo 1: Tema: A família carente e sua influência na origem da marginalização social Problema: . É uma indicação genérica do objetivo a ser alcançado. mas sim.Qual a influência do nível de exigibilidade do professor na melhoria da qualidade da leitura do aluno? Hipótese: Variável independente Nível de exigibilidade do professor Variável dependente melhoria da qualidade da leitura do aluno Finalmente. vale ressaltar que estudos exploratórios não possuem hipóteses.

b) compreensão. os verbos descrever. d) . esclarecer. e nos resultados financeiros da produção industrial de derivados de leite na indústria X? Objetivo geral: . enunciar. análise. registrar. praticar. distinguir. provar.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Os objetivos específicos devem apresentar caráter mais concreto.4). definir. 2. reunir. arrolar. Ex: verificar. 2004. diferenciar. compor. ilustrar. demonstrar. permitindo o atingimento e operacionalização do objetivo geral. inscrever. Ainda. constituir. p. examinar. os verbos apontar. c) aplicação. coordenar. inventariar. os verbos aplicar. o emprego de verbos segundo a formulação dos objetivos se apresentam de forma a determinar os estágios cognitivos de: a) conhecimento. examinar. classificar. investigar e experimentar. identificar.Qual a influência de um eficiente sistema de custos na gestão empresarial. constatar. segundo RODRIGUES (2004. comparar. Problema: . levantar. os verbos devem ser conjugados impessoalmente e estarem no infinitivo (RODRIGUES. sublinhar e nomear. expressar. interpretar. propor. discutir. organizar e esquematizar. traduzir e transcrever. localizar. comparar.Exemplo 2: Tema: Implantação da contabilidade de custos na indústria de laticínios X. traçar e usar. criticar. Devem ter a função intermediária e instrumental.Verificar qual a influência de um eficiente sistema de custos na gestão empresarial e nos resultados financeiros da produção industrial de derivados de leite na indústria X. os verbos articular. 4). analisar. debater. repetir. explicar. empregar. manipular. relatar. diagnosticar. e) síntese. os verbos analisar. p. Cabe destacar que para o estabelecimento dos objetivos geral e específicos.

Problema: . Problema: . escolher. c) Implantar o sistema de custos viável no processo industrial. avaliar.Quais as contribuições oriundas da utilização de um processo deliberado de planejamento estratégico para a adoção de ações que conduzem a Unidade Y para o desenvolvimento sustentável? Objetivo geral: Analisar a contribuição de um processo deliberado de Planejamento Estratégico para o desenvolvimento sustentável da Unidade Y. justificando a viabilidade da utilização da contabilidade de custos ideal a ser aplicado. selecionar.Verificar qual a influência de um eficiente sistema de custos na gestão empresarial e nos resultados financeiros da produção industrial de derivados de leite na indústria X. e nos resultados financeiros da produção industrial de derivados de leite na indústria X? Objetivo geral: . eliminar. b) Direcionar a pesquisa para um método específico. Exemplo 2: Tema: O processo de planejamento estratégico como ferramenta para o desenvolvimento sustentável: o estudo de caso da unidade Y.f) avaliação. para que a empresa obtenha o custo unitário correto dos produtos analisados. estimar. Exemplo de objetivos específicos: Exemplo 1: Tema: Implantação da contabilidade de custos na indústria de laticínios X. os verbos apreciar. validar e valorizar. preferir.Qual a influência de um eficiente sistema de custos na gestão empresarial. julgar. Objetivos específicos: a) Coletar dados no processo produtivo industrial na X. . visando confrontar o método utilizado com os métodos de Custeio Variável e ABC (ActivityBased Costing). viabilizando uma boa rentabilidade.

permitindo a ele a geração de conhecimentos válidos e verdadeiros (LAKATOS. b) Identificar. que possibilitam à empresa pesquisada adotar práticas que contribuam para o desenvolvimento sustentável. d) Apresentar estratégias. tratando das variáveis de pesquisa delineadas para o tema. detectando erros e auxiliando nas decisões do cientista. quais são as variáveis que impactam positiva e negativamente na administração da empresa. Especificamente. permite alcançar os objetivos. na literatura específica. poderá acarretar em plágio. o método é o conjunto de atividades sistemáticas e racionais que. oriundas do processo de planejamento estratégico. 83). Neste item da estrutura. Nesse sentido. uma vez que se ocorrer a omissão. através de ferramentas de diagnóstico ambiental. Ademais. com maior segurança e economia. 3 REFERENCIAL TEÓRICO O referencial teórico deve se caracterizar pelo levantamento exaustivo das referências que convergem ao tema proposto. o pesquisador deverá ter assiduidade e rigor acadêmico para que em nenhum momento as citações diretas (transcrições literais do texto) e citações indiretas (interpretações do texto) sejam omitidas. . p. 2001. 4 METODOLOGIA Todas as ciências caracterizam-se pela utilização de métodos científicos. as normas técnicas para a consecução deste item da estrutura encontram-se dispostas no NATAU. c) Elaborar o Planejamento Estratégico da Unidade Y . especificamente.Objetivos específicos: a) Resgatar. a metodologia serve de instrumento para o traçar do caminho a ser seguido. fundamentos teóricos acerca das variáveis: Planejamento Estratégico e Desenvolvimento Sustentável.

objetivando mostrar o caminho que o pesquisador irá traçar para o alcance dos objetivos pré-estabelecidos. b) delimitação do estudo – onde será realizado o estudo. recomenda-se que este busque no acervo da biblioteca da UNIGUAÇU/FAESI o acervo constante que trata de todas as variáveis metodológicas obrigatórias para a elaboração dos trabalhos de pesquisa. abaixo relacionamos alguns desdobramentos do item “perspectiva do estudo”. as pesquisas • podem ser classificadas como sendo pesquisa exploratória. a) Para melhor nível de compreensão do acadêmico. • NATUREZA DOS ESTUDOS: com base nos seus objetivos. 41-55). ex-post-facto. pesquisa-ação. tipo de instrumento de coleta utilizado. estas podem classificarse como sendo: estudo de caso. documental. participante e levantamentos (GIL. sendo estes: perspectiva do estudo – contém o tipo do estudo. PERSPECTIVA DO ESTUDO: • TIPOS DE ESTUDOS: quanto a classificação das pesquisas em relação aos seus procedimentos técnicos. técnica de análise de dados utilizada. p. estudo de campo. pesquisa bibliográfica. descritiva e explicativa. c) limitação do estudo – descrever as limitações encontradas quanto aos instrumentos de coleta de dados e outras dificuldades que possam ocorrer. CUNHAGEM DOS DADOS: os dados da pesquisa podem ser coletados e cunhados através dos seguintes instrumentos: a) pesquisa quantitativa – entrevistas em forma de questionários. três categorias devem ser delineadas e descritas. .Para a seção “metodologia” da Uniguaçu/Faesi. 2002. experimental. data da coleta dos dados e a população pesquisada. No entanto. tipo de fontes de dados. elemento este de maior nível de complexidade no que concerne a elementos metodológicos.

TIPOS DE INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS: o pesquisador necessariamente deve munir-se de instrumentos de coleta de dados. Nesse sentido. e novamente. de acordo com RODRIGUES (2004. entrevistas em grupo. artigos. o pesquisador pode observar o estado emocional e o comportamento do entrevistado. propriamente dados referenciais). as pessoas cooperam mais quando precisam apenas falar. indica-se ao acadêmico pesquisar as referências disponíveis na biblioteca. referencia-se algumas considerações acerca de alguns dos instrumentos de coleta de dados disponíveis: • • Entrevista: a) vantagens – pode ser utilizada em quase todos os segmentos da população. é muito flexível. técnicas projetivas. emocionalmente carregados ou verificar sentimentos . semi-estruturadas.b) pesquisa qualitativa – entrevistas em profundidade. (KERLINGER. p. escolhendo o instrumento que melhor convém em relação aos seus objetivos propostos. ou seja. as referencias de metodologia demonstram claramente modelos de instrumentos de coleta de dados. documentos. como se expressa e os seus sentimentos. tais como documentos. observação participante. 1973) TIPOS DE FONTE DE DADOS: os dados comumente empregados para permitir ao pesquisador atingir seus objetivos são dados primários (dados coletados in-loco) e dados secundários (dados de fácil identificação. estruturadas. Vale ressaltar que o instrumento de coleta de dados varia de acordo com a cunhagem proposta para a pesquisa e deve permitir mensurar e/ou avaliar os dados a serem coletados. podendo o pesquisador reformular a questão para maior entendimento. o que permite ao pesquisador a seleção. textos. Inúmeros são os instrumentos de coleta de dados. uso de diários. Ainda. 5). é mais adequada para revelar informações sobre assuntos complexos.

a facilidade de preenchê-lo. de crenças quanto aos fatos. a população pode ter maior confiança em seu anonimato sentindo-se livre para expressar-se livremente.Entrevista em Grupo Técnica muito utilizada em pesquisa de mercado. Para tanto deve com antecedência limitar os temas e ter um moderador para orientar o processo. da descoberta de padrões de ações. 1976) Questionário: vantagens – é menos dispendioso que a entrevista. como não existe um contato direto. dificulta a padronização das questões.Conteúdo das questões Os conteúdos das questões podem ser dirigidos quanto à verificação: a) b) c) d) dos fatos desde que tenham credibilidade.subjacentes de uma opinião. as pessoas podem simplesmente não responder o questionário. b) desvantagens – pode exigir respostas por escrito e complexas limitando a população que possui tal capacidade. o respondente é identificado pelo pesquisador e pode duvidar de sua boa fé em divulgar sua identidade. a quantidade de questões. (DEMO. e) do comportamento presente ou passado. 1974) . de sentimentos. o formato. pressiona o entrevistado a dar uma resposta imediata. tem natureza impessoal e assegura a uniformidade de uma mensuração para outra. . fatores que afetam (o patrocinador. pode ser aplicado a um grande número da população ao mesmo tempo. podendo pensar sobre o tema. o pesquisador pode contra-argumentar e verificar a reação. não pode ser aplicada a uma população ao mesmo tempo. b) desvantagens – é mais dispendiosa que o questionário. a população não sofre pressão para dar uma resposta na hora. a natureza da a) . (LODI. Juntam-se os grupos e isso permite e incentiva o debate no grupo.

a situação. Observação: Torna-se uma técnica cientifica conforme HIRANO (1979) na medida em que: serve a um objetivo formulado de pesquisa e é sistematicamente planejada. Observa-se o participante. o objetivo. natureza das pessoas que recebem o questionário). freqüência e duração. b) é sistematicamente registrada e ligada às proposições mais gerais. o comportamento. observação participante.carta que pede cooperação. a) . c) é submetida a verificações e controles de validade e precisão. A sua aplicação é limitada pela duração dos acontecimentos. b) observação sistemática – focaliza determinados aspectos do comportamento e pode ser feita em campo ou em experimentos controlados em laboratório. O pesquisador enfrenta quatro questões amplas quanto a: o que deve ser observado? b) como registrar a observação? c) que processos devem ser utilizados para tentar garantir a exatidão da observação? d) que relação deve existir entre o observador e o observado? a) Tipos de observação: observação assistemática – quando o observador é membro do grupo observado. a) Aplicação da observação A observação pode acontecer na vida real ou em laboratório.

Como exemplo de operacionalização deste item da estrutura. alinhado a técnica e cunhagem e análise dos dados definidos para a pesquisa. (análise de conteúdo). tecem-se as considerações que permitirão operacionalizar o objetivo. empregam-se técnicas estatísticas simples. . o pesquisador deverá declarar qual foi o a técnica utilizada para analisar os dados coletados. analisando e interpretando-os de maneira a responder seu objetivo específico proposto).Categoria de análise 1) visando analisar e interpretar o objetivo específico “a” desta pesquisa. o pesquisador. abaixo. entre outras). que por sua vez possuem a finalidade de responder o objetivo geral e o problema de pesquisa. faz-se a seguinte simulação: . mediana. Para estudos quantitativos empregam-se técnicas estatísticas costumeiramente mais aprimoradas para a análise dos dados. Dica importante: o pesquisador deverá atender aos objetivos específicos. devem ser contemplados os objetivos específicos da pesquisa. moda. onde para cada objetivo específico deve ser criada uma categoria que deve visar atender ao objetivo. desvio padrão. (a partir deste momento. que foi identificar quais as variáveis ambientais que influenciam as organizações de atingirem sua meta. especificamente. tendência central). ou estatística inferencial (regressão linear bivariada. Já para estudos qualitativos. dentre estas destacando-se: estatística descritiva (média. Uma técnica comumente empregada para operacionalizar o item análise e interpretação de dados reporta-se a criação de categorias de análise. deve destacar e interpretar os dados coletados. de acordo com e delineamento definido pela sua pesquisa. multivariada. análise documental e referencial e análise de conteúdo.• TIPOS DE INSTRUMENTO DE ANÁLISE DOS DADOS UTILIZADA: Neste item. 5 ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS Neste item.

Após a operacionalização da categoria de análise nº 1. além das variáveis julgadas pertinentes e conclusivas na pesquisa. de maneira a poder chegar aos resultados propostos no objetivo geral e problema de pesquisa. . contemplar os resultados atingidos em relação aos objetivos específicos que operacionalizaram o geral. até que todos os objetivos específicos sejam atendidos. com suas considerações e assim sucessivamente. cria-se a categoria de análise nº 2. o pesquisador deverá destacar. assim como assunções julgadas de relevância para a consecução da pesquisa. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Neste elemento da estrutura.

5. 5.1 CONTEXTUALIZAÇÃO (apresentação do tema) 1.3 HIPÓTESES OU PERGUNTAS DE PESQUISA 2 OBJETIVOS 2. data da coleta de dados e a população pesquisada).2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS (definição dos objetivos específicos) 3 JUSTIFICATIVA TEÓRICO E PRÁTICA 4 REFERENCIAL TEÓRICO (conhecimentos teóricos relacionados ao tema e problema de pesquisa) 5 METODOLOGIA 5.1 OBJETIVO GERAL (definição do objetivo geral da pesquisa) 2.2 PROBLEMA DE PESQUISA 1. TABELAS E QUADROS (se houver) LISTA DE ABREVIATURAS. técnica de análise de dados utilizada).ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS PARA CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO UNIGUAÇU/FAESI ELEMENTOS EXTERNOS Capa Errata (se necessário) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Folha de Rosto TERMO DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA AGRADECIMENTOS SUMÁRIO LISTA DE ILUSTRAÇÕES. SIGLAS E SÍMBOLOS (se houver) RESUMO E PALAVRAS-CHAVE ABSTRACT E KEY-WORDS ELEMENTOS TEXTUAIS 1 INTRODUÇÃO 1.1 PERSPECTIVA DO ESTUDO (contém o tipo de estudo.3 LIMITAÇÕES DA PESQUISA (descrever as limitações encontradas quanto aos Instrumentos de coleta de dados e outras dificuldades que possam ocorrer). tipos de fontes de dados. 6 ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS GLOSSÁRIO REFERÊNCIAS APÊNDICES (se houver) ANEXOS (se houver) FOLHA DE FUNDO .2 DELIMITAÇÃO DO ESTUDO (onde será realizado o estudo. tipo de instrumento de coleta de dados utilizado.