i , você va nciona o Fu Com ista Descubra pode levar do a Rev o Assinan Ilustrad ainda ar, e o Livro colecion ra casa.

ganhar os para 26 crom da Turminha pa com 1 ras 3 miniatu

A revista que ensina brincando Edição Especial – 2012 Editora: Sueli Ferreira de Oliveira Editora-assistente: Ágatha Lemos Projeto gráfico: Flávio Oak Ilustração de capa: Andrei Vieira Orientadora pedagógica: Carmen de Souza Coordenadora do projeto: Wiliane Marroni / DSA

Sara Campos/ Foto: Daniel de Oliveira

Serviço de Atendimento Ao Cliente Ligue grÁtiS: 0800 9790606
Segunda a quinta, das 8h às 20h Sexta, das 7h30 às 15h45 / Domingo, das 8h30 às 14h Site: www.cpb.com.br e-mail: sac@cpb.com.br redação: n-amiguinho@cpb.com.br

CASA PUBLICADORA BRASILEIRA Editora de Livros e Revistas rodovia estadual SP 127, km 106 Caixa Postal 34; CeP 18270-970 – tatuí, SP Fone (15) 3205-8800 Fax (15) 3205-8900 Diretor-Geral: José Carlos de Lima Diretor Financeiro: edson erthal de Medeiros Redator-Chefe: rubens S. Lessa Gerente de Produção: reisner Martins Gerente de Vendas: João Vicente Pereyra Chefe de Expedição: eduardo g. da Luz Chefe de Arte: Marcelo de Souza

Nosso Amiguinho: Marca registrada no instituto Nacional de Propriedade industrial, do Ministério da indústria e do Comércio. todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução total ou parcial de matérias deste periódico sem

autorização por escrito dos editores.

Livro Ilustrado

tiragem: 979.855 – 13248/25954

Miniatu da Turm ras inha

Aces

se:

www.descubracomofunciona.com.br
http://quebrandoosilencio.org

U

ma espiadinha ao redor e percebemos que as pessoas são diferentes entre si. os olhos delas, por exemplo, podem ser azuis, verdes, castanhos ou até da cor do mel. os cabelos podem ser ruivos, castanhos, loiros ou pretos. o formato dos olhos, a altura, a cor da pele e o tamanho do corpo não são iguais entre uma pessoa e outra. e todos devem ser aceitos e respeitados, mas você sabia que existem outras diferenças que também merecem nosso respeito? Quer saber quais são algumas delas? Há crianças que são consideradas gênios da turma, e há aquelas que têm muita dificuldade para entender uma matéria. elas não são diferentes? Sim, mas todas precisam se sentir amadas e acolhidas. não importa se um novo colega tem um sotaque diferente, uma limitação física ou menos dinheiro do que a gente imagina. ele deve ser tratado com todo o carinho! incluir é garantir que todos tenham a mesma oportunidade, com igualdade e respeito.

Iluminura

Turma do Nosso Amiguinho

Por favor, Turma, um de cada vez.

Eu levantei a mão primeiro, Sabino.

A Turma estava reunida no clubinho para resolver um problema... A gente tem que encontrar uma solução logo. Não dá mais para esperar.

Sim, Gi, eu sei. Pode falar.

Ai, ai. Agora fiquei mesmo confuso. É pra ter pressa ou não?

O que isso tem a ver, Cazuza?

Ah! Quem canta seus males espanta.

Mas está difícil! Precisamos de mais tempo para pensar. Precisamos nos concentrar. Cada um pega uma folha e escreve sua ideia. A que for melhor, a gente discute.

E se a gente fizer uma música para a Sofia? Eu estava pensando aqui: ela é nossa colega de classe, mas nunca participa das atividades físicas.

Então, caros amigos, de que maneira vamos ajudar nossa amiga Sofia?

Mas como ela vai participar, se é cadeirante?

4

A Gi e eu já havíamos conversado sobre isso. A gente poderia pedir que a Sofia começasse a ajudar a treinar as equipes das escolas.

Explique-se melhor, Luísa.

Humm.. Interessante! Pelo menos ela passaria a se envolver com o esporte de alguma forma.

Ela é muito Inteligente. Poderia pensar em estratégias para os times. É que eu estava me colocando no lugar dela. Eu também, muitas vezes, me sinto meio “excluído” porque... Ah, vocês sabem... todos dizem que eu sou meio desastrado.

O importante é que ela deixe de ficar triste, quieta em um canto, toda vez que estamos jogando. E a professora colocaria essas ideias em prática.

E você, Quico, o que acha? Não falou nada até agora. Por que ela vai continuar do lado de fora?

Sim, Quico, prossiga.

É disso que estou falando! Por que a gente não muda um pouco as regras dos jogos?

É como se a gente ficasse sempre um pouco para trás.

Quando a gente é assim, um pouco diferente, tudo o que deseja é ser igual a todo mundo. A Sofia não quer ser apenas uma boa estrategista... Seria incrível, Quico!

Teríamos que falar com a professora. Mas... será complicado.

Quico, Quico... não precisa dizer mais nada. Vamos colocar seu plano em prática já.

Como ela vai jogar a bola e movimentar a cadeira ao mesmo tempo?

É que eu pensei em um de nós empurrando a cadeira dela...

5

Vamos lá... Todo mundo animado.

No fim do jogo...

Muito obrigada, Turma. Vocês são mais que colegas de classe, são meus amigos de verdade.

Nós é que ficamos felizes por ver você assim, sorridente.

E ainda fez uma bela cesta.

Parabéns, Sofia!

Nem sei o que dizer... é um sentimento tão bom... mas vocês não têm como entender...

Como assim?

Foi dele a brilhante ideia.

O Quico é atrapalhado, Sofia e, por isso, acaba ficando meio de lado, às vezes. Ele conseguiu se colocar no seu lugar de verdade.

É, você foi demais! Venha aqui, Quico. Quero dar um abraço em você. Obrigada por me entender. Graças a você, tudo mudou! A aula que eu menos gostava é agora a minha preferida, porque nunca mais ficarei de fora.

Um de nós aqui sabe, pelo menos um pouco. Sofia, o Quico foi o responsável pelo que aconteceu hoje. Amigos, hoje nós aprendemos três importantes lições: a primeira é que quando nos sentimos mal com alguma coisa, devemos falar disso.

6

Após a aula, a Turma voltou, feliz, para o clubinho.

Desculpe, qualquer coisa, Quico. Mas ainda bem que você falou, porque a gente nunca iria adivinhar.

A segunda lição é que o Quico, o mais “atrapalhado” da Turma, foi quem encontrou a melhor saída para o problema da Sofia.

Então, nunca devemos menosprezar uma pessoa.

É, eu aprendi que, quando algo está ruim, a gente tem que quebrar o silêncio e conversar. E, terceira: Tudo fica mais legal quando damos uma chance a quem é diferente. Se o Quico não fosse da Turma, não seria tão fácil devolver o sorriso ao rosto da Sofia. E se ela não jogasse, a partida não teria sido tão emocionante! E eu. Eu aprendi mais uma lição...

E eu também. E...

Mas você não disse que era pra gente quebrar o silêncio? Acalmem-se. Eu já disse: é um de cada vez...

TexTo: Ágatha Lemos / Ilustração: Ilustra Cartoon

7

JOGO DAS SOMBRAS

Qual das sombras abaixo corresponde ao garoto cadeirante, que o noguinho está ajudando?

A B

C

E F

D
Acesse http://quebrandoosilencio.org
Resp.: B

8

IlusTRação: Chimello

GRUPO DE AMIGOS
indique quem não faz parte do grupo.

B A

C

E

Resp.: E

9

IlusTRação: Chimello

D

LABIRINTO

Ajude o cãozinho-guia a atravessar o labirinto e encontrar o menino deficiente visual que está conversando com o Sabino.

10

IlusTRação: Chimello

Resp.: enfeite do cabelo, cor do tênis, árvore, joaninha, flor à esquerda da foto, botão de flor à direita da foto, parte da cadeira de rodas

JOGO DOS 7 ERROS

observe as duas fotos que a Gi tirou desta nova aluna e descubra 7 erros que uma delas esconde.

IlusTRação : Seribelli

11

PONTINHOS

Junte os pontos e descubra quem está batendo um papinho com a luísa. em seguida, pinte o desenho.

IlusTRação: Seribelli

DECIFRE

Com as iniciais das imagens a seguir, desvende a frase.

12

DÊ SUA SUGESTÃO

imagine uma garota que não consegue ir à escola porque está com uma das muletas quebrada. escreva, abaixo, uma solução para o problema dela. o que você poderia fazer para ajudá-la?

Acesse http://quebrandoosilencio.org

13

IlusTRação: Seribelli

Dicas

vamos incluir! incluindo...

não Ser cortês ta cus dói e não sequer um centavo.

não há u relacion ma receita para ar bem com tod se pessoas as , mas o respeito as princípio éo de tud entende r quem o. Procure está por uma situação passando conside difícil o ra ué se sentir do diferente e ajude-o importa a n para o s te para você o u eu grup o.

todas as pessoas devem ser respeitadas, não importa o sexo, a idade, as origens étnicas ou as limitações.

IlusTRação: Chimello

Acesse htt p://quebra

ndoosilenc

io.org

14

er que o outro é As pessoas podem diz diferente, mas ele... qualquer outro. É um ser humano como tem direitos. tem deveres. todos precisam de chan ces É cidadão. para se desenvolver. Querem ouvir de você: “Junte-se a nós!”

você não sabe o que é acessibilidade? É dar condições para que uma pessoa que tenha alguma limitação possa se locomover com facilidade por espaços variados, usar transportes ou meios de comunicação. rampas, por exemplo, podem ser utilizadas por cadeirantes, que não podem usar escadas. libras é ótimo para quem não consegue ouvir ou falar. Já imaginou quanto se beneficia com o braile quem tem deficiência visual?

vagas e sp estacio eciais em n ônibus amentos, , filas d evem ser resp eitadas .

Quando não forem cumpridos os direitos de acessibilidade, o que a pessoa portadora de deficiência ou os familiares podem fazer? devem procurar um advogado, a oAB e, ainda, representar junto ao ministério Público estadual ou ao ministério Público Federal.

em algumas coisas, podemos ser diferentes; mas, em outras, somos todos iguais.

15

a Turminha te 2012, m Em a novidade

um para você!

1
a revista que ensina brincando

Assine a revista.*
NOV 2011

2

3

A Turma assiste

à Sinfonia das

Águas em solo

mineiro

4

Troque por uma miniatura da Turminha:

4 Palavras-chave

R$ 5,80**

1 minia da Turmtura inha

Faça sua troca

no site!

www.descubracomofunciona.com.br

*Ou renove sua assinatura.

Ganhe o livro ilustrado e os cromos colecionáveis.

**Este valor não inclui o frete para seu endereço. Veja o regulamento da promoção no site.

Junte as palavras-chave, que estão na cartela dos cromos

Nosso Amiguinho,

E XEMPLAR A VULSO : R$ 9,60

Imagens meramente ilustrativas.