This document refers about some configurations of Linux (Fedora and RedHat) and is written in Portuguese

(I'm going to try translate this document to English in the next days.)
1. Visualizar partições FAT e NTFS (windows)          1.1. Montar um FlashDriver 2. Configurar o grub (gestor de arranque)     2.1- Configurar o grub para arrancar várias distos instaladas no mesmo hd 3. Configurar RH 8.0 e 9.0 para língua portuguesa 4. Corrigir ausência de screensaver no KDE (RH8) 5. Configurar suporte multimédia em RH8 e 9 (.mp3 e .mpg) 6. Instalar/configurar MPlayer 7. Gravar Cds na consola (cdrecord e cdrdao) 8. Emular o DOS (correr programas DOS em Linux) 9. Instalar plugins no Mozilla 10. Instalar o Limewire 11. Apt-get em RedHat e Fedora Core 1 12. Ligação ADSL (sapo) Fedora Core 1 (Ethernet interface tap0 e nas0) 13. Ligação ADSL (sapo) Fedora Core 2 (Ethernet interface tap0 ) 14. SLACKWARE (configurações)   - estas configurações encontram-se também em: http://slackwarelinux.no.sapo.pt
• • • • • •

 Teclado  Roda do rato  Imprimir com cups  Aulologin (sem password e username  Instalar Evolution-1.4.4  Instalar Placa Gráfica Nvidia GeForce

15. Gravação de cds - emulação scsi quando a drive rw não é detectada (kernel 2.4)  ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------1. Visualizar partições FAT e NTFS (windows) Os diskos em linux são identificados da seguinte forma: Discos IDE: /dev/hda --> disco master no controlador primário (Primary Master) /dev/hdb --> disco slave no controlador primário (Primary Slave) /dev/hdc --> disco master no controlador secundário (Secundary Master) /dev/hdd --> disco slave no controlador secundário (Secundary Slave) Discos scsi (e SATA): /dev/sda --> primeiro disco scsi /dev/sdb --> segundo disco scsi (...) VIZUALIZAR PARTIÇÕES WINDOWS FAT (Windows 9x, Me) -Execute como root: #mkdir /mnt/win #mount /dev/hda1 /mnt/win ou, se estiver no slackware, aconselho: #mount /dev/hda1 /mnt/win -t vfat -r -o umask=0222 

Se não souber qual a partição em que está o Windows execute na consola # fdisk -l e ser-lheá apresentada uma lista de todas as partições Porém, acabou de montar as patições fat, mas quando fizer reboot terá de voltar a montar a partição, para a partição fat ficar montada durante o boot faça (editar e alterar a tabela de partições fstab): #vi /etc/fstab tecla a ou i acrescente a linha: /dev/hda1 /mnt/win Ou, no slackware: /dev/hda1 /mnt/windows vfat users,umask=0222 tecla esc + :wq NOTA: # --> como root para root (na consola) $ --> como utilizador su --> mudar de utilizador 00

vfat

defaults

00

- Exemplo de uma tabela fstab, com duas partições fat montadas (winc [hda1] e wind [hdc5]) LABEL=/ none LABEL=/home none none /dev/hdc3 /dev/cdrom /dev/fd0 /dev/hda1 /dev/hda9 /dev/cdrom1 ro --> read only rw --> read-write VIZUALIZAR PARTIÇÕES WINDOWS NTFS (Windows 2000 e WindowsXP) Primeiro que tudo execute como root: #/sbin/modprobe ntfs Se surgir alguma coisa na consola então o seu kernel não tem suporte para ntfs se não surgir nenhuma mensagem então o kernel tem suporte para ntfs. Se não tiver suporte para ntfs nas distribuições redhat poderá fazer download do módulo ntfs (no redhat8 e 9 é mesmo necessário)a partir daqui: http://linuxntfs.sourceforge.net/rpm/ mas antes de fazer download execute o comando: #uname -r --> isto para saber que kernel está utilizando Depois de fazer download do kernel-ntfs-(...).rpm instale: #rpm -ivh kernel-ntfs-(...).rpm (NOTA: O slackware 9.1 e 10 têm kernel com suporte ntfs) A seguir: Crie, tal como para o exemplo anterior, um ponto de montagem: #mkdir /mnt/win / ext3 defaults 11 /dev/pts devpts gid=5,mode=620 0 0 /home ext3 defaults 12 /proc proc defaults 00 /dev/shm tmpfs defaults 00 swap swap defaults 00 /mnt/cdrom iso9660 noauto,owner,kudzu,ro 0 0 /mnt/floppy auto noauto,owner,kudzu 0 0 /mnt/winc vfat defaults 0 0 /mnt/wind vfat defaults 0 0 /mnt/cdrom1 iso9660 noauto,owner,kudzu,ro 0 0

monte a partição: #mount /dev/hda1 /mnt/win -t ntfs -r -o umask=0222 Se quiser que a partição se monte automaticamente no boot, edite o fstab, e acrescente a linha: #vi /etc/fstab /dev/hda1 /mnt/windows ntfs users,umask=0222 00 1.1. Montar um FlashDrive - Se quiser montar um flash disk faça #mkdir /mnt/flash #mount /dev/sda1 /mnt/flash NOTA: O flash disk poderá não ser sda1, dependendo se existe ou não outros dispositivos scsi. Ou seja é sdax (onde x é o número da partição). Quando se utiliza a emulação scsi de ide para gravar cds (kernel 2.4), pode existir modificação na identificação do flash disk. Edite fstab (como acima) e acrescente a linha: #vi /etc/fstab /dev/sda1/ /mnt/flash auto defaults,users,noauto 0 0 - Exemplo de uma tabela fstab, com uma partições ntfs montada (winc [hdc1]), um drive cdromrw com emulação scsi (/dev/sr0) e um flash disk (pendisk) (/dev/sda1). Aqui os discos rígidos estão no controlador secundário(hdc) enquanto que os drives cdrom estão no controlador primário(hda e hdb - este emulado): /dev/hdc6 swap swap defaults 0 0 /dev/hdc9 / ext3 defaults 1 1 /dev/hdc8 /home ext3 defaults 1 2 /dev/hda /mnt/cdrom iso9660 noauto,users,ro 0 0 /dev/fd0 /mnt/floppy auto noauto,owner 0 0 devpts /dev/pts devpts gid=5,mode=620 0 0 proc /proc proc defaults 0 0 /dev/sda1 /mnt/pen auto defaults,noauto,users 0 0 #/dev/hdc1 /mnt/windows vfat user,utf8,umask=0222 0 2 /dev/sr0 /mnt/cdrom1 iso9660 noauto,users,ro 0 0 /dev/hdc1 /mnt/windows ntfs users,umask=0222 00 Nota: o primeiro algarismo é usado como comando "dump" e o segundo como "fsck". Ou seja, por exemplo, se o segundo algarismo for 1, fará com que fsck corra caso o disco não tenha sido conveniente mente desmontado ou tenha sido atingido o limite de montagens. 2. Configurar o grub (gestor de arranque) - O grub é um gestor de arranque muito utilizado nos dias de hoje, tal como o tradicional Lilo. Pode ser configurado, em termos simples, a vários níveis,: -escolher o OS que arranca por defeito -imagem de boot -tempo de espera antes do arranque, etc... Assim, edite o grub.conf executando: #vi /boot/grub/grub.conf e surgirá qualquer coisa deste tipo: ************************************************************************************* # grub.conf generated by anaconda # # Note that you do not have to rerun grub after making changes to this file # NOTICE: You do not have a /boot partition. This means that # all kernel and initrd paths are relative to /, eg. # root (hd1,0) # kernel /boot/vmlinuz-version ro root=/dev/hdc1

# initrd /boot/initrd-version.img #boot=/dev/hda default=0 timeout=10 splashimage=(hd1,0)/boot/grub/splash.xpm.gz title Red Hat Linux (2.4.18-14)     root (hd1,0)     kernel /boot/vmlinuz-2.4.18-14 ro root=LABEL=/ hdd=ide-scsi     initrd /boot/initrd-2.4.18-14.img title DOS     rootnoverify (hd0,0)     chainloader +1 *************************************************************************************** -Facilmente se entende que timeout=10 é o tempo de espera antes de ser carregado um sistema operativo, neste caso, temos dois sistemas:           -O redhat (kernel 2.4.18-14) --> title Red Hat Linux (2.4.18-14)           -O windows (designado aqui por DOS) --> title DOS -A linha splashimage temm a informação sobre a imagem que aparece no boot que neste caso está comprimida e é splash.xpm.gz        -Pode então mudar o tempo de espera no arranque de 10 s para outro valor -Pode mudar o title, p.e, de DOS para Windows -E, mais importante pode escolher que OS deve arrancar por defeito. -A linha defaulf= é que tem essa informação. O primeiro OS é sempre o zero (0), depois é só contar quantos tem e atribuir um nº. Por ex: default=0 => arranca linux por defeito default=1 => arranca DOS (windows) por defeito Nota: vmlinuz-2.4.18-14  é o Kernel e a sua versão está também indicada 2.1- Configurar o grub para arrancar várias distos instaladas no mesmo hd Às vezes desejaríamos instalar mais de que uma distro ou release de linux, ou de poder experimentar uma, sem ter que desistalar aquela com a qual trabalhamos e que já está configurada. Isso é fácil, basta criar mais uma partição (4 Mb chega) e configurar o grub. Só é necessária uma partição porque o linux que pretendemos instalar vai usar a swap que já está criada e podemos fazer que as duas distribuições partilhem a partição /home. Portanto é só criar uma partição / e instalar o novo sistema. Para configurar o grub: Edite o ficheiro menu.lst #vi /boot/grub/menu.lst basta depois adicionar as entradas dos outros linux, fazendo: title distro-instalada     root (hdax,y)      --------> o x=0,1 (0=disco master, 1=disco slave) (y= Z-1, ou seja seja se a partição for hda8 o y será 7)     kernel /boot/vmlinuz   root=/dev/hdaZ (Z=1,...9...) número da partição onde temos a partição / Exemplo de um menu.list do Grub para arranque de fedora core2, slackware 9.1, mandrake e windows ********************************************************************************* # Note that you do not have to rerun grub after making changes to this file # NOTICE: You do not have a /boot partition. This means that # all kernel and initrd paths are relative to /, eg. # root (hd0,4)

# kernel /boot/vmlinuz-version ro root=/dev/hdc5 # initrd /boot/initrd-version.img #boot=/dev/hdc default=0 timeout=05 splashimage=(hd0,4)/boot/grub/splash.xpm.gz title Fedora Core (2.6.6-1.383)     root (hd0,4)     kernel /boot/vmlinuz-2.6.6-1.383 ro root=LABEL=/ rhgb quiet     initrd /boot/initrd-2.6.6-1.383.img   title Slackware (kernel 2.4)     root (hd0,8)     kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hdc9   title Mandrake (kernel 2.4)     root (hd0,8)     kernel /boot/vmlinuz-2.4.25-2mdk root=/dev/hdc9   title Windows     rootnoverify (hd0,0)     chainloader +1 ************************************************************************************************ *******

3. Configurar RH 8.0 e 9.0 para língua portuguesa (isto é muito util para que o openoffice faça acentos)  - O redhat 8.0 e 9.0não reconhece ficheiros do windows ou outra versão linux anterior com acentos e outros caracteres latinos:  Solução: edite com o Vi o ficheiro /etc/sysconfig/i18n (como root (#), claro). Surgirá as seguintes definições: LANG=”pt_PT.UTF­8” SYSFONT=”UTF­8" o problema está no UTF. Com o VI apague UTF assim: #vi   /etc/sysconfig/i18n faça   Esc   :wq   ­ O fiheiro /etc/sysconfig/i18n deverá então conter as seguintes linhas LANG="pt_PT" SUPPORTED="pt_PT:pt_PT:pt" SYSFONT="latarcyrheb­sun16" depois, edite o ficheiro bashrc: #vi /etc/bashrc e acrescente, no fim, as linhas LANG=pt_PT LC_ALL=pt_PT LC_CTYPE=ISO-8859-1 LESSCHARSET=latin1 export LANG LC_ALL LC_CTYPE LESSCHARSET 4. Corrigir ausência de screensaver no KDE (RH8) - O scrennsaver no RH8 funciona em gnome mas não em KDE Solução:

Pode fixar este problema editando: $mkdir ./kde/share/applnk-redhat/System/ScreenSavers/ e copie para lá todos os ficheiros que se encontrarem em /usr/share/apps/kscreensaver/ScreenSavers/ da seguinte forma: #cd /usr/share/apps/kscreensaver/ #cp -r ./ScreenSavers/* ./kde/share/applnk-redhat/System/ScreenSavers/ Pode ainda consultar: http://bugzilla.redhat.com/bugzilla/show_bug.cgi?id=76760 Nota: . (ponto) --> significa ficheiro oculto           O comando cp -r ./nome_do_ficheiro/* /directório_de_destino  --> copia o conteúdo de uma pasta mas não a pasta! 5. Configurar suporte multimédia em RH8 e 9 (.mp3 e .mpg) -O redhat 8 não tem suporte para mp3 ou mpeg (questão de licenças), por isso o xmms não funciona neste formato. Isto acontece por faltarem os seguintes ficheiros: libmpg123.la  (Grave este texto com o nome libmpg123.la) libmpg123.so download de (a partir dos liks embaixo): libmpg123.so libmpg123.la  (Grave este texto com o nome libmpg123.la) Vá para o directório onde colocou os dois ficheiros anteriores e copie-os para usr/lib/xmmx/Input assim: #cp -r libmpg123.la /usr/lib/xmms/Input/ #cp -r libmpg123.so /usr/lib/xmms/Input/ faça download do rpm: mpg321-0.2.10-1.i386.rpm (p.e de http://rpmfind.net/  ou http://www.freshrpms.net )faça: #rpm -ivh mpg321-0.2.10-1.i386.rpm NOTA: Acho que agora já é mais fácil, basta ir a http://www.freshrpms.net fazer download de um pacote designado xmm-mp3, instalá-lo com rpm -ivh nome-do-pacote... (Ou então desistale o xmms #rpm -e --nodeps xmms e istale-o via apt-get ou faça download do xmms directamente de http://xmms.org que este não lhe falta nenhuma librarie e instale #rpm -ivh xmms-do-download ) Pronto. O xmms já funciona! Poderá ainda ser necessário abrir o xmms e ir a opções/preferências e colocar aRts como plugin de saída. Deste modo passa a ter também suporte MPEG , MOV, etc (com a instalação do mpg321) só terá que fazer download do Xine ou do MPlayer (isto para suporte vídeo). 6. Instalar/configurar MPlayer O MPlayer é o grande concorrente do windos media player da microsoft, no entanto, há que considerar que se encontra ainda na versão 0.90. De qualquer forma com ele é possíver ver vídeos, inclusivé do QuickTimes da Apple, bem como todas as extenções usadas num sistema Windows. Para instalar faça download, a partir do site http://www.mplayerhq.hu/homepage/dload.html , de: MPlayer-0.90pre9.tar.bz2 (o programa em si) mp-arial-iso-8859-1.tar (fontes) w32codec.tar.bz2 (codecs) e um skin à sua escolha

em seguida descompacte tudo assim: bzip2 -d MPlayer-0.90pre9.tar.bz2 tar xvf MPlayer-0.90pre9.tar.bz2 faça isto também para as fontes e para os codecs seguidamente crie o directório win32 em usr/lib/ e mova para lá os codecs descompactados: mkdir /usr/lib/win32/ mv ./win32codecs/* /usr/lib/win32 copie o MPlayer-0.90 para /usr/local #cp -r MPlayer-0.90pre9.tar.bz2 /usr/local/ #cd /usr/local/MPlayer-0.90/ #./configure --enable-gui #make (leva aí uns 10 minutos, não se preocupe) #make install pode apagar agora o directório MPlayer-0.90 assim: #cd /usr/local #rm -rf MPlayer-0.90 Copie as fontes para o mplayer. Vá para o directório onde estão as fontes descompactadas e faça, p.e: $cd /iso-8859-7/arial #mv ./arial-18/* /usr/local/share/mplayer/font/         (estamos a usar fontes arial tamanho 18) Copiar o skin: #mkdir /usr/local/share/mplayer/Skin/default/ mv ./nome_do_skin/* /usr/local/share/mplayer/Skin/default/ agora executamos um vídeo no MPlayer digitando o comando (como user $) $ gmplayer Provavelmente surgirá uma mensagem sobre as fonte. Quer surja ou não, vá para /home/seu_nome_de_utilizador e faça: cd /home/o_seu_nome_de_utilizador $mkdir /.mplayer/font #cd /usr/local/share/mplayer/ #cp ./font/* /.mplayer/font/ O que acabou de fazer foi adicionar as fontes a um directório que é criado em home/utilizador após a primeira utilização do mplayer e que se trata de um directório oculto (.) .mplayer. Crie um atalho no desktop de modo a que este execute gmplayer. Por vezes, não é automaticamente criada a possibilidade de zoom do vídeo, edite ou crie o ficheiro config /.mplayer  no directório home/o_seu_nome_de_utilizador $cd $ $vi /.mplayer/config (para criar ou editar o config) e acrescente a linha: zoo="yes" (no redhat 8.0 foi necessário fazê-lo mas no mandrake 9.0 não) :wq Como algumas distribuições de linux apenas permitem executar o mplayer como root (#), em baixo segue-se uma lista de comandos e opções para executar o Mplayer na Consola: gmplayer mplayer -vo xv -ao oss nome-do-video  mplayer -vo x11 nome-do-video  mplayer -vo x11 -framedrop -vop scale=640:480 nome-do-video  mplayer -vo x11 -framedrop -vop scale=800:600 nome-do-video

 mplayer -vo sdl -ao sdl nome-do-video  mplayer -vo sdl -ao sdl nome-do-video -sub legenda-do-filme.sub  mplayer -vo svga -bpp 16 nome-do-video.avi -sub legenda-do-filme.sub  mplayer dvd 1 -vo x11 -ao sdl 5. Gravar Cds na consola (cdrecord e cdrdao) - Um cd de música pode ser gravado de dois modos: Track At Once (TAO), ou seja, entre as faixas existe uma pausa de 2 segundos, ou Disk At Once (DAO), ou seja, não são adicionados os 2 segundos entre as faixa. Há casos em que o Disk At Once (DAO) é melhor, como por exemplo, um cd de música ao vivo. Para Track At Once (TAO) pode-se usar o cdrecord, para o Disk At Once (DAO), pode usar-se o cdrdao. Estos 2 programas executam-se na consola em modo não gráfico. - Gravar cds com cdrecord (Track At Once - TAO) : - MONTAR CDS LENDO FICHEIROS OCULTOS:  #mount -t iso9660 -o unhide /dev/cdrom /mnt/cdrom CRIAR IMAGENS DE CDS: $mkisofs -R -J -o file.iso /directório-de-origem-da-imagem VER QUAL O DISPOSITIVO DE GRAVAÇÃO: #cdrecord -scanbus GRAVAR: #cdrecord -v -eject -speed=4 dev=0,0 file.iso - Gravar cds com cdrdao (Disk At Once (DAO) :     Fazer: #cdrdao scanbus   (para determinar o parâmetros do dispositivo de gravação). Se surgir, por exemplo, a seguinte mensagem:  ######################################################### ###########    SCSI interface library - (C) Joerg Schilling    L-EC encoding library - (C) Heiko Eissfeldt    Paranoia DAE library - (C) Monty                                                                                                                                            Check http://cdrdao.sourceforge.net/drives.html#dt for current driver tables.                                                                                                                                          Using libscg version 'schily-0.5'                                                                                                                                         0,0,0: HP, CD-Writer+ 8200a, 1.0g                                                                         ######################################################### ############

 Fazer, na consola, : #cdrdao read-cd --device 0,0,0 novo.toc  Será criada uma imagem do cd     Gravar o cd a partir da imagem criada:  #cdrdao write --device 0,0,0 novo.toc 6. Emular o DOS (correr programas DOS em Linux) - download de dosemu-1.0.2-bin.tgz e dosemu-freedos-bin.tgz de ftp://ftp.dosemu.org/pub/dosemu/ -descompactar para o mesmo directório (e pela ordem descrita abaixo): $tar -zxf dosemu-freedos-bin.tgz $tar -zxf dosemu-1.0.2-bin.tgz - executar DOS no linux: $cd dosemu $./xdosemu -home - A opção -home faz com que o directório home passe a ser considerado como D: pelo dosemu. 7. Instalar plugins no Mozilla  --> plugin para java -Faça download do binário j2re-1_4_2-linux-i586.bin que está em : http://java.sun.com/j2se/1.4/download.html -Em seguida execute os seguintes comandos: #mkdir /usr/java #cp -r j2re-1_4_2-linux-i586.bin /usr/java #cd /usr/java -Instalar o binário #./j2re-1_4_2-linux-i586.bin #cd /usr/java/j2re1.4.2/plugin/i386/ns610 -Crar ligação simbólica no mozilla #ln -s /usr/java/j2re1.4.2/plugin/i386/ns610/libjavaplugin_oji.so /usr/lib/mozilla1.0.1/plugins -Atenção o mozilla pode não estar instalado em /usr/lib/mozilla-1.0.1, o comando geral será #ln -s /usr/java/j2re1.4.2/plugin/i386/ns610/libjavaplugin_oji.so ficheiro-onde-está-omozilla/plugins -Criar ligação simbólica no ficheiro mozilla do utilizador ln -s /usr/java/j2re1.4.2/plugin/i386/ns610/libjavaplugin_oji.so ~/.mozilla/plugins/libjavaplugin_oji.so JÁ ESTÁ! JAVA EM MOZILLA (LINUX)! :-) --> plugin para FlashPlayer - Basta ir ao site http://www.macromedia.com/shockwave/download/alternates/   -fazer download do binário executável -Executá-lo como root -Indicar, durante a instalação, o path, do mozilla (onde está instalado - ex: /usr/lib/mozilla) - o plugin será instalado em: usr/lib/mozilla-1.0.1/plugin --> plugin para o RealPlayer 8 - Fazer download do RealPlayer 8 a partir do site http://scopes.real.com/real/player/unix/unix.html -Istalá-lo: #rpm -ivh RealPlayer.rpm -O RealPlayer será instalado em /usr/lib/RealPlayer8/ -Basta copiar o ficheiro rpnp.so de /usr/lib/RealPlayer8/ para a pasta usr/lib/mozilla1.0.1/plugins ou outra caso o seu mozilla não esteja aqui, pode estar em (quando é instalado pelo utilizador e não vem pré-instalado) /usr/local/mozilla/plugins, da seguinte forma:

#cd /usr/lib/RealPlayer8/ #cp -r rpnp.so usr/lib/mozilla-1.0.1/plugins Notas: - fazendo Crt+T --> abre nova tab             - o realplayer pode ser executado na consola com o comando: realplay INSTALAR O LIMEWIRE O limewire está intimamente dependente de java. Temos portanto de primeiro instalar o j2re (download de J2SE JRE a partir de http://java.sun.com/j2se/1.4.2/download.html ) e seguidamente é que poderemos instalar o limewire (download de LimeWireLinux.bin a partir de http://www.limewire.com/english/content/download.shtml ). Instalar o j2re-1_4_2_04: #cd /directório-onde-está-o-j2re-1_4_2_04-linux-i586.bin criar directório java em /usr #mkdir /usr/java #cp j2re-1_4_2_04-linux-i586.bin /usr/java instalar o java VM #cd /usr/java #./j2re-1_4_2_04-linux-i586.bin Será criado um directório novo: j2re1.4.2_04 Editamos agora o ficheiro /etc/basshrc e adicionamos no fim as seguintes linhas: #emacs /etc/bashrc: (ou, #emacs /etc/profile, em Slackware) JAVA_HOME=/usr/java/j2re1.4.2_04 export JAVA_HOME PATH=$PATH:$JAVA_HOME/bin export PATH #reboot mover o LimeWireLinux.bin para o seu home e executar o LimeWireLinux.bin: ~./LimeWireLinux.bin basta executar um atalho que será criado em home (runLimeWire): ~./runLimeWire e o programa será executado

APT-GET EM RED HAT E FEDORA CORE 1 Fazer download de apt e suas dependências apartir de http://yarrow.freshrpms.net/ (nocaso de Fedora Core 1) #rpm -ivh apt-0.5.15cnc6-0.1.fc1.fr.i386.rpm Edite /etc/apt/sources.list: #emacs /etc/apt/sources.list Surgirá uma lista do tipo: ************************************************************************************************ ******************* # List of available apt repositories available from ayo.freshrpms.net. # This file should contain an uncommented default suitable for your system. # # See http://ayo.freshrpms.net/ for a list of other repositories and mirrors. # # $Id: sources.list.i386 378 2004-04-30 16:33:52Z dude $ # Fedora Linux Development #rpm http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/development/i386 core #rpm http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/1/i386 freshrpms

#rpm-src http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/development/i386 core #rpm-src http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/1/i386 freshrpms # Fedora Linux 1 rpm http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/1/i386 core updates freshrpms rpm http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/1/i386 tupdates rpm http://rpm.livna.org/ fedora/1/i386 stable unstable testing rpm-src http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/1/i386 core updates freshrpms rpm-src http://ayo.freshrpms.net fedora/linux/1/i386 tupdates ### Dag RPM Repository for Fedora Core 1 rpm http://dries.studentenweb.org apt/fedora/fc1/i386 dries rpm-src http://dries.studentenweb.org apt/fedora/fc1/i386 dries rpm http://macromedia.rediris.es/apt redhat/8.0 macromedia rpm http://apt.sw.be fedora/1/en/i386 dag rpm http://rpms.xcyb.org/fedora/1 i386 stable bleeding rpm-src http://rpms.xcyb.org/fedora/1 i386 stable bleeding rpm http://rpms.xcyb.org/fedora/1 i686 stable bleeding rpm-src http://rpms.xcyb.org/fedora/1 i686 stable bleeding rpm http://rpm.livna.org/ fedora/1/i386 stable unstable testing rpm-src http://rpm.livna.org/ fedora/1/i386 stable unstable testing rpm ftp://ftp.ussg.iu.edu/pub/linux/fedora.us//fedora fedora/1/i386 os updates stable rpm ftp://mirrors.usc.edu/pub/linux/fedora//fedora fedora/1/i386 os updates stable rpm http://mirrors.usc.edu/pub/linux/fedora//fedora fedora/1/i386 os updates stable rpm http://mirrors.kernel.org/fedora.us//fedora fedora/1/i386 os updates stable rpm ftp://mirrors.kernel.org/fedora.us//fedora fedora/1/i386 os updates stable rpm-src http://mirrors.usc.edu/pub/linux/fedora//fedora fedora/1/i386 os updates stable # Red Hat Linux 9 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/9/i386 os updates freshrpms #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/9/i386 os updates freshrpms   # Red Hat Linux 8.0 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/8.0/i386 os updates freshrpms #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/8.0/i386 os updates freshrpms # Red Hat Linux 7.3 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/7.3/i386 os updates freshrpms #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/7.3/i386 os updates freshrpms # Red Hat Linux 7.2 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/7.2/i386 os updates freshrpms #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/7.2/i386 os updates freshrpms # Red Hat Linux 7.1 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/7.1/i386 os updates freshrpms #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/7.1/i386 powertools dma #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/7.1/i386 os updates freshrpms #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/7.1/i386 powertools dma # Red Hat Linux 7.0 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/7.0/i386 os updates freshrpms #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/7.0/i386 powertools dma #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/7.0/i386 os updates freshrpms #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/7.0/i386 powertools dma # Red Hat Linux 6.2 #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/6.2/i386 os updates freshrpms #rpm http://ayo.freshrpms.net redhat/6.2/i386 powertools #rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/6.2/i386 os updates freshrpms

#rpm-src http://ayo.freshrpms.net redhat/6.2/i386 powertools ************************************************************************************************ **************************** Temos os lugares de onde o APT vai baixar os pacotes, que se chama "repositório APT" Vamos deixar comentadas todas as linhas que não tem a ver com a nossa distribuição, neste caso, não estão comentadas as linhas de Fedora Linux 1, e, acrescentamos as linhas rpm http://rpms.xcyb.org/fedora/1 i686 stable bleeding rpm-src http://rpms.xcyb.org/fedora/1 i686 stable bleeding que serão mais dois lugares apartir do qual o APT irá baixar pacotes. O primeiro passo para começar a usar o APT é: #apt-get update Depois é só fazer: #apt-get install pacote-a-instalar # apt-get upgrade Para procurar pacotes dos quais não se sabe bem o nome usa-se o comando apt-cache search <pacote> . Surge uma lista de pacotes, depois é só escolher o(s) que nos interessa(m) ex: # apt-cache search php Comandos apt-get: apt-get install <pacote> Instala um pacote e suas dependências.

apt-get remove <pacote> Remove um pacote e suas dependências.

apt-get upgrade Procura por pacotes mais novos para fazer atualizações.

apt-get dist-upgrade Faz uma atualização de versão da distribuição.

apt-cache search <termo> Procura por termo nas descrições dos pacotes disponíveis. LIGAÇÃO ADSL (sapo) Fedora Core 1 (tap0 e nas0) - kernel 2.4 Há duas possibilidades de ligação: Ethenet interface = tap0 e Ethenet interface = nas0 Usa-se nas0 quando o kernel já possui o driver speedtouch (speedtch.o) que deve estar em:  /lib/modules/2.4.22-1.2115.nptl/kernel/drivers/usb/ Usa-se tap0 quando o kernel não tem driver speedtouch e recorre-se ao firmware mgmt.o O Kernel do Fedora Core 1 já traz o driver mas a licação com gppp não se revela fácil para isso é mais fácil remover driver do speedtouch ou movê-lo para o directório home como se fará a seguir: Ligação Ethenet interface = tap0 (Fedora Core 1) (Kelnel 2.4) Este tutorial serve, em princípio para qualquer distribuição que use o Kernel 2.4 e

não só para o Fedora Core 1. Criar um directório home com o nome adsl, para onde serão feitos todos os downloads e onde serão decompactados $mkdir /Desktop/adsl Download de: http://sourceforge.net/projects/speedtouch  speedtouch-1.2.tar.gz http://www.alcateldsl.com                          speedmgmt.tar.gz http://wwww.roaringpenguin.com/pppoe   rp-pppoe-3.5.tar.gz   $tar -xvzf speedtouch-1.2.tar.gz $tar -xvzf speedmgmt.tar.gz $tar -xvzf rp-pppoe-3.5.tar.gz #mv /lib/modules/2.4.22-1.2115.nptl/kernel/drivers/usb/speedtch.o ~/ $cd /home/helder/Desktop/adsl/speedtouch-1.2 $./configure $make #make install copiar firmware: #cd /home/helder/Desktop/adsl #cp mgmt.o /usr/lib $cd /home/helder/Desktop/adsl/rp-pppoe-3.5 #./go # adsl-setup   Inserir estas opções:   username "username@isp" - o username eth "tap0" demand = "no" dns = "server" password = "password" - A password conf. password = "password" confirmar a password firewall = "0" save = "y" gravar e sair # emacs /etc/ppp/pppoe.conf (deverão mudar para) ETH=tap0 PEERDNS=yes DEFAULTROUTE=yes # emacs /etc/modules.conf  (inserir as seguintes opções)   alias char-major-108 ppp_generic alias /dev/ppp ppp_generic alias tty-ldisc-3 ppp_async alias tty-ldisc-13 n_hdlc alias tty-ldisc-14 ppp_synctty

alias ppp-compress-21 bsd_comp alias ppp-compress-24 ppp_deflate alias ppp-compress-26 ppp_deflate alias usb-controller usb-uhci   #emacs /etc/ppp/options (só devem constar as opções abaixo, se lá não estiverem tem que adicioná-las) lock usepeerdns # usar o dns atribuído pelo peer noipdefault # diz ao pppd que usas ip dinâmico defaultroute # para routear o dispositivo #emacs /usr/sbin/adsl-start (antes de fazer isto veja um pouco mais à frente se preferir iniciar a ADSL no boot do sistema) adicionar no início: cd /sbin ./modprobe tun echo Loading firmware... Please wait cd /usr/local/sbin/ ./modem_run -m -f /usr/lib/mgmt.o ./pppoa3 -vpi 0 -vci 35 -b -m 1 -c sleep 5 echo Dialing ... cd /usr/sbin e adicionar no fim: sleep 5 route add default ppp0 ctrl-x ctrl-s para gravar o ficheiro ctrl-x ctrl-c para sair do emacs    Estabelecer a ligação: #cd /usr/sbin #./adsl-start IMPORTANTE!!! - Se preferir que a ADSL ligue no boot do sistema (automaticamente), Não adicione nada ao asl-start Faça o seguinte: edite o ficheiro rc.local #emacs /etc/rc.local (no redhat e fedora) #emacs /etc/rc.d/rc.local (slackware) e adicione no fim estas linhas: /sbin/modprobe tun /usr/local/sbin/modem_run -m -f /usr/lib/mgmt.o /usr/local/sbin/pppoa3 -vpi 0 -vci 35 -b -m 1 -c /usr/sbin/adsl-start /sbin/route add default ppp0

LIGAÇÃO ETHENET INTERFACE = nas0 instalar (como foi dito em cima): speedtouch-1.2 rp-pppoe-3.5 Download de gpppoe Descompactar : gpppoe-conf-0.3-ss.tar.bz2 surgirá um directório user $cd user #cp ./lib/* /usr/lib #cp ./sbin/* /usr/sbin #mkdir /usr/share/speedtouch $cd /usr/share #cp ./speedtouch/* /usr/share/speedtouch #cp mgmt.o /usr/share/speedtouch (copiar o firmware) # cd /usr/sbin #./gpppoe-conf Seguir as indicações referidas em http://s1x.homelinux.net/gpppoe-conf.php para Fedora Core 1, consultar a página http://s1x.homelinux.net/content.php?id=32 Para iniciar ADSL: #cd /usr/sbin #./speedtouch-pppoe start 13. Ligação ADSL (sapo) Fedora Core 2 (Ethernet interface tap0 ) Kernel 2.6 Este tutorial serve, em princípio para qualquer distribuição que use o Kernel 2.6 e não só para o Fedora Core 2.

Bom, vou apresentar aqui um tutorial desnecessário, porque existe um outro, excelente, de Kmos, cujo link é: http://kmos.tondelaonline.com/stuff/speedtouch.htm Só que como já escrevi aqui um tutorial para ADSL em kernel 2.4, vou também, plagiar ou adaptar o do Kmos, de modo a estar aqui tudo. Primeiro, quase tudo como no tutorial anterior $tar -xvzf speedtouch-1.3.tar.gz http://prdownloads.sourceforge.net/speedtouch/speedtouch1.3.tar.gz?download $tar -xvzf rp-pppoe-3.5.tar.gz http://www.roaringpenguin.com/penguin/pppoe/rp-pppoe3.5.tar.gz Download do firmware KQD6both.eni (modem roxo) http://www.hystedjp.pwp.blueyonder.co.uk/speedtouch/latest/KQD6both.eni Download do firmware ZZZLboth.eni (modem cinzento) http://www.hystedjp.pwp.blueyonder.co.uk/speedtouch/latest/ZZZLboth.eni Quem usar o modem roxo faça download aqui (já está renomeado - pronto a usar) Deverá, a seguir, alterar-se o nome de qualquer um destes firmwares para bootboth.eni (se fez download do link na linha de cima já está renomeado e só precisa de executar os passos seguintes.

Mover o firmware para /usr/lib #cp bootboth.eni /usr/lib Fazer: $cd /home/helder/Desktop/adsl/speedtouch-1.3 $./configure $make #make install $cd /home/helder/Desktop/adsl/rp-pppoe-3.5 #./go # adsl-setup   Inserir estas opções:   username "username@isp" - o username eth "tap0" demand = "no" dns = "server" password = "password" - A password conf. password = "password" confirmar a password firewall = "0" save = "y" gravar e sair #emacs /etc/ppp/options (só devem constar as opções abaixo, se lá não estiverem tem que adicioná-las) lock usepeerdns # usar o dns atribuído pelo peer noipdefault # diz ao pppd que usas ip dinâmico defaultroute # para routear o dispositivo Edite o ficheiro rc.local #emacs /etc/rc.local em redhat e fedora #emacs /etc/rc.d/rc.local em slackware e adicione no fim do ficheiro rc.local: # ADSL /sbin/modprobe ppp_generic /sbin/modprobe ppp_synctty /sbin/modprobe n_hdlc /sbin/modprobe tun /sbin/modprobe usb-uhci /usr/local/sbin/modem_run -m -f /usr/lib/bootboth.eni /usr/local/sbin/pppoa3 -b -m 1 -c -vpi 0 -vci 35 /sbin/ifconfig tap0 up /sbin/adsl-start Reinicie o computador Depois faça: $ ou # cat /var/log/messages e verá se surgem os Nameservers. Se não der à primeira faça cat /var/log/messages de novo, se a ligação for

ADSL sapo, os Nameservers serão em princípio: nameserver 194.65.100.117 nameserver 194.65.5.2 Edite o ficheiro /etc/resolv.conf #emacs /etc/resolv.conf se não estiverem já lá os nameserver, adicione-os! Faça: $ping -c 3 google.pt para testar a sua ligação como user se não estiver ligado, experimente, como root #ping -c 3 google.pt testar a ligação como root Se estiver ligado como root mas não como user, mude as permições de /etc/resolv.conf ou seja altere o parâmetro do dono do ficheiro, de, root para o seu username. 14. SLACKWARE (configurações) Estas configurações não servem só para Slackware, apenas tratam de problemas mais frequentes em Slackware! TECLADO    gedit /etc/X11/XF86Config (slack 9.1) gedit /etc/X11/xorg.conf (slack 10) na secção do teclado:   Option "XkbRules" "xfree86" Option "XkbModel" "pc105" Option "XkbLayout" "pt"   Quando isto não resulta ========================================================= ====== Ir ao desktop e clicar: StartHere/Desktop/Preferences/Keyboard/Layouts (Só Slakware 10) Também existe o comando: #/usr/X11R6/bin/setxkbmap  (que nem sempre funciona) ========================================================= ========   o ficheiro: /etc/rc.d/rc.keymap deve também ser alterado para: -------------------------------------------------------------------------------------#!/bin/sh # Load the keyboard map. More maps are in /usr/share/kbd/keymaps. if [ -x /usr/bin/loadkeys ]; then  /usr/bin/loadkeys pt-latin1.map fi                 ---------------------------------------------------------------------------------------------RATO (RODA)    Section "InputDevice"   Option "Protocol" "ImPS/2" Option "ZAxisMapping" "4 5"    EndSection

    ACENTOS NO OPENOFICE    Apesar do teclado correctamente configurado o Slacware, e outras distros, costumam não fazer acentos nos documentos do openoffice. Isto resolve-se no Slackware da seguinte forma:   #gedit /usr/share/i18n/locales/pt_PT  acrescentar no fim do ficheiro pt_PT LANG="pt_PT" SUPPORTED="pt_PT:pt_PT:pt" SYSFONT="latarcyrheb-sun16"  a seguir:   #gedit /etc/profile  acrescentar no fim do ficheiro profile: LANG=pt_PT LC_ALL=pt_PT LC_CTYPE=ISO-8859-1 LESSCHARSET=latin1 export LANG LC_ALL LC_CTYPE LESSCHARSET    IMPRIMIR COM CUPS  Num Browser, onde se escreve o endereço escrever:   http://localhost:631/admin    Nos programas: onde está o comando lpr, substituir por lpr-cups (é necessário que o serviço cups esteja activado o que se deverá logo fazer na instalação)   DRIVERS PARA PLACA GRÁFICA NVIDIA GEFORCE   Download: http://www.nvidia.com/content/drivers/drivers.asp Exemplo de Driver: NVIDIA-Linux-x86-1.0-6111-pkg1.run #sh NVIDIA-Linux-x86-1.0-6111-pkg1.run Sem iniciar o X executar o script que instala o driver e Substituir no XF86Config ou xorg.config "Em device section" Driver "nv" ou Driver "vesa" por: Driver "nvidia" Em "Module section" colocar load"glx" Remover load "dri" e load "Glcore"   Pode ver aqui o exemplo do XF86Conf depois de configurado 

FAZER AUTOLOGIN-SEM PASSWORD    Executar: #/usr/sbin/gdmconfig  Depois é só seleccionar o autologin   INSTALAR O EVOLUTION-1.4.4    é necessário instalar antes:   mozillafirefox-0.8-i686-1jim.tgz (contem uma lib importante) libsoup-1.99.23-i686-2rob.tgz libgtkhtml-2.4.0-i686-1rob.tgz libgal2-1.99.10-2.i386.tgz gtkhtml3-3.0.9-5.i386.tgz    e só depois:   evolution-1.4.4-i686-2rob.tgz 15. Gravação de cds - emulação scsi quando a drive rw não é detectada (kernel 2.4)

Para gravar cds, e ver se o sistema detecta o drive cdrom/rw basta fazer: #cdrecord -scanbus e ver se ele aparece ou não o dispositivo de gravação Se não aparecer: #gedit /etc/lilo.conf adicionar:  append="hdx=ide-scsi" x=a,b,c,d, ou seja, o que for o drive cdromrw #cd /etc #lilo #reboot #cdrecord -scanbus Se usar o GRUB #emacs /boot/grub/menu.lst adicionar hdx=ide-scsi x=a,b,c,d, ou seja, o que for o drive cdromrw (no grub não é necessário o append)
e deverá ficar algo como (no grub): kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hdxy hdd=ide-scsi Faça reboot Quando o sitema tiver reiniciado, volte a fazer #cdrecord

-scanbus E aparecerá algo deste tipo e já poderá gravar cds: ********************************************************************* scsibus0: 0,0,0 0) 'HP ' 'CD-Writer+ 8200a' '1.0g' Removable CD-ROM 0,1,0 1) * 0,2,0 2) * 0,3,0 3) * 0,4,0 4) *

0,5,0 5) * 0,6,0 6) * 0,7,0 7) * scsibus1: 1,0,0 100) 'AIPTEK ' 'Pen Disk ' '2.04' Removable Disk 1,1,0 101) * 1,2,0 102) * 1,3,0 103) * 1,4,0 104) * 1,5,0 105) * 1,6,0 106) * 1,7,0 107) * ********************************************************************* Se não conseguir a partir de agora montar o cdrom/rw fazer: gedit /etc/fstab e substitua: /dev/cdrom ou /dev/cdrom1, etc por /dev/sr0 -->se o seu dispositivo for sr0! Poderá não ser; neste caso tínhamos: scsibus0., por isso é que é /dev/sr0, se surgisse, após o scanbus, scibus2, seria /dev/sr2. Nota: Este /dev/sr0 não passa da emulação de um dispositivo ide, neste caso, é o cdromrw /dev/hdb
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Comandos Descompactar ficheiros: tar -xvjf programa.tar.bz2 tar -xvf programa.tar tar -xvzf programa.tar.gzip Para instalar programas: cd programa $./configure $make $su (mudar para root) #make install ou #./configure && make && make install - Para conseguir instalar programs deste modo (programas não pré compilados em rpms) ten que ter instalado no seu sistema os seguintes pacotes:
• • • • • • • • •

XFree86-devel gtk+-devel glibc-devel make autoconf automake libstdc++-devel gcc egcs-c++

      Pacotes já instalados:

            rpm -qi programa

            Mostra as informações do pacote                        rpm -ql programa             Mostra todos os arquivos incluídos no pacote.                        rpm -e programa             Remove o pacote (como root)

      Pacotes ainda não instalados:

            rpm -qip programa-1.0.i386.rpm
            Mostra as informacões do pacote             rpm -qlp programa-1.0.i386.rpm             Mostra todos os arquivos incluídos no pacote.                        rpm -Fvh programa-1.0.i386.rpm             Faz update (root), caso o pacote da versão anterior esteja instalado.                           rpm -Fvh *.rpm             Vários rpms de updates no mesmo directório             rpm -ivh programa-1.0.i386.rpm             Instala o pacote (root).

Ver os processos em execução:

            $ps -x

O comando chmod

     Retirar  permissões de execução a toda a gente:           chmod a­x ficheiro       Dar permissões de execução a toda a gente:           chmod a+x ficheiro       Permitir apenas a leitura a toda a gente:           chmod 444 ficheiro    (r­­r­­r­­)      Permitir tambem a leitura a toda a gente:           chmod a+r ficheiro    (para alem do que estiver, fazer a+r)      Permitir a leitura e escrita ao grupo e aos restantes utilizadores:

          chmod go+rw ficheiro           chmod 066 ficheiro      Permitir todo o tipo de acesso a toda a gente:           chmod a=rwx ficheiro           chmod 777 ficheiro      Permissões tradicionais para ficheiro HTML:           chmod 644 ficheiro.html                     (rw­r­­r­­)           chmod 755 ficheiro.[gif,jpg,class,cgi...]   (rwx­r­xr­x)

Matar um programa pelo nome #kill -9 PID --> mata um processo pelo PID

            #killall /nome-do-programa  --> mata um programa pelo nome