You are on page 1of 14

Oriente Médio Para compreender a questão geopolítica do Oriente Médio é preciso uma visão ampla da história da região que

passa necessariamente pelo conhecimento da fundação do Estado de Israel. Se a existência de Israel atual é recente – a independência data de 1948 -, sua história é muito mais longa e se confunde com a do povo judeu e de seus antepassados, os hebreus, da Antigüidade. Pode-se aceitar que ela tenha começado com os patriarcas bíblicos, como Abraão, seu filho Isaac e seu neto Jacó, a quem, segundo o Gênesis (primeiro livro da Bíblia), Deus chamou de Israel. O nome de Israel se estendeu a uma estreita faixa de terra onde viviam os descendentes de Jacó, entre o mar Mediterrâneo, a península Arábica e a Síria cerca de 2 mil anos antes de Cristo. Por se tratar de um local que constitui uma ponte natural entre a Ásia, a África e a Europa, a região foi sempre disputada e – da Antigüidade até meados do século 20 – os grandes impérios ali se impuseram: egípcios, assírios, babilônios, persas, gregos, romanos, bizantinos, árabes, turcos e ingleses. Dispersão de um povo Todas essas invasões resultaram na dispersão dos judeus pelo mundo, em especial a partir de 70 d.C., quando este povo promoveu uma grande rebelião contra o domínio romano. As legiões de Roma reprimiram duramente a revolta e incendiaram o templo de Jerusalém, um símbolo da unidade política e religiosa hebraica. Somente uma parte do muro exterior continua de pé até hoje, constituindo um grande monumento religioso do judaísmo (O Muro das Lamentações). De qualquer modo, mesmo dispersos, sem um território que os abrigasse, os judeus conseguiram se manter como um povo ou uma nação, devido ao imenso apego a suas tradições religiosas e culturais, além de uma esperança – ainda que remota – de um dia retornar a Israel, a “Terra (a eles) prometida (por Deus)”, de acordo com a tradição bíblica. Em 2 mil anos de exílio, os judeus sempre constituíram minorias em outros países, sendo constantemente discriminados e perseguidos. O cristianismo, após tornar-se a religião oficial do Império romano, contribuiu bastante para isso, retirando a culpa da crucificação de Jesus que pesava sobre Roma e atribuindo-a aos judeus, que passaram a ser vistos como os “assassinos de Cristo”. Não é difícil imaginar o que lhes aconteceu durante a Idade Média ou a Contra-Reforma, quando a Igreja Católica imperava. O sionismo Em meados do século 19, a maior parte dos judeus se encontrava nos países da Europa oriental, como a Polônia, a Lituânia, a Hungria e a Rússia. Nessa época, a antiga Israel era uma província do Império turco, denominada Palestina. Ao mesmo tempo, uma onda de nacionalismo atingia a Europa com a unificação da Itália e da Alemanha. Desenvolveu-se, então, também entre os judeus um movimento nacionalista que se orientava pela idéia de recriar uma nação judaica no território de sua pátria ancestral. O

Em abril de 1947. a Haganah (“defesa”. David Ben Gurion. o Império britânico. em 1942. Os Estados Unidos e a União Soviética. as organizações judaicas passaram a resgatar os que escaparam do holocaustonazista e a embarcá-los clandestinamente para Israel. onde se construíam fábricas. um Comitê Especial das Nações Unidas propôs a partilha da Palestina em um Estado judeu (já com cerca de 650 mil habitantes) e um Estado árabe-palestino (com o dobro dessa população).movimento recebeu o nome de sionismo. eles já eram cerca de 170 mil e suas colônias agrícolas progrediam assim como suas cidades. vitorioso. A Inglaterra tentou impedir o desembarque dos refugiados. leu a declaração de Independência de Israel. rodovias. apesar da posição hostil da Inglaterra. Segunda Guerra A II Guerra Mundial gerou nova reviravolta no Oriente Médio. Independência de Israel Quando a ONU propusesse uma solução de consenso.). em 1920. tratava-se dos sobreviventes de um dos mais cruéis massacres da história. Com o fim da Segunda Guerra. Seu domínio foi marcado pelo desenvolvimento da economia e da infraestrutura da região (ferrovias. que se origina de Sion. Fascistas italianos e nazistasalemães apoiaram os árabes com armas e dinheiro para combater ingleses e judeus. Tel Aviv e Haifa. Afinal. . até a independência de Israel. num dos episódios mais vergonhosos da sua história. atraindo novas levas de imigrantes judeus. reconheceram rapidamente o novo Estado. que se manteve na clandestinidade desde sua fundação. A 14 de maio de 1948. para se defenderem. quando circularam notícias dos campos de extermínio na Europa. bem como criou um serviço de imigração ilegal para Israel. as potências do pósguerra. Data desse momento a deterioração da relação entre árabes e judeus. escolas e hospitais. os judeus criaram um exército. Por sua vez. Jerusalém. que seria o primeiro governante israelense. seis horas antes do término oficial do Mandato britânico. grupos judeus passaram a enfrentar tanto árabes quanto britânicos e a Haganah passou a trabalhar pelo fim do Mandato britânico na Palestina. aliaram-se a ela em combate ao inimigo comum. etc. Estes. impôs seu poder em todo o Oriente Médio. Em 1931. a antiga designação de uma colina de Jerusalém que passou a denominar esta mesma cidade bem como a própria Israel. Entretanto. sistemas de abastecimento de água. 28 anos depois. Mandato britânico Com o fim da Primeira Guerra. em hebraico). a Inglaterra abriria mão de seu Mandato na Palestina.

após romper com Mahmoud Abbas. em 1992. O braço armado foi o primeiro a usar atentados com homens-bomba na região. a Organização das Nações Unidas (ONU) desenvolveu um plano para dividir a Palestina entre árabes e judeus. responsáveis por vários atentados nos últimos meses em Israel. As Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa. na Faixa de Gaza. destruir Israel e transformar Jerusalém em uma cidade muçulmana. Já no início do século XX . hoje presidida por Mahmoud Abbas. Nos últimos anos. estimulou a imigração de judeus. inspirados por um movimento conhecido como sionismo. As origens dos atuais conflitos são anteriores à criação do país. é um dos menores países do Oriente Médio e tem 60% de seu território coberto por deserto. Conceitos Fundamentais Al-Fatah – Movimento pela Libertação da Palestina. Foi criada a partir de um acordo firmado em 1993 entre a OLP (Organização pela Libertação da Palestina) e Israel. por ser considerada o berço do povo judeu. ou Autoridade Palestina. com poder mais simbólico que efetivo. quando tomou o poder à força. quase tão longa quanto a dos 5 mil anos anteriores. que entraram em disputa com os povos árabes da região. Israel – Estado criado em 1948 na região histórica da Palestina. que preside a Autoridade Nacional Palestina (ANP). A sigla significa Movimento de Resistência Islâmica. Seu objetivo é criar um Estado islâmico no Líbano. O fato de ser o único país judeu em um área predominantemente islâmica marcou cada aspecto de suas relações diplomáticas. O movimento nasceu junto com a Intifada. Nos anos que se seguiram à II Guerra Mundial (1939-1945). é a organização oficial que administra a Cisjordânia – a Faixa de Gaza está sob o controle do Hamas desde junho de 2007. Faixa de Gaza – É um estreito território com largura que varia de 6 quilômetros a 10 quilômetros às margens do Mar Mediterrâneo. em junho de 2007. são os mais radicais membros da organização. na Cisjordânia. o Al-Fatah se tornou a mais forte e mais organizada facção palestina. mas também é a palavra que pode ser traduzida como “devoção” em árabe. políticas e demográficas. que passou a ser escolhido por eleições diretas a partir de 1996. Tem um presidente. tornouse um grande pólo de tecnologia e informática. Seu braço político faz trabalhos sociais em campos de refugiados. A principal cidade do território é Gaza.De meados do século 20 até o início do século 21. O braço político venceu as eleições legislativas palestinas em 2006 e tomou o poder à força. a Palestina. O grupo radical islâmico Hamas controla a região desde junho de 2007. a história de Israel e do Oriente Médio é marcada por tantos problemas e conflitos que constitui uma nova epopéia. Hamas – Grupo fundamentalista palestino que possui um braço político e outro militar. Os árabes . Sob a liderança de Yasser Arafat. Hezbollah – Organização armada terrorista formada em 1982 por xiitas libaneses. Inspirada e orientada pelo Irã e apoiada pela Síria. e um poderoso primeiro-ministro. econômicas. tem base no Sul do Líbano. ANP – A Autoridade Nacional Palestina. Seus cerca de 360 quilômetros quadrados de área são limitados ao sul pelo Egito e ao norte por Israel. As autoridades israelenses têm acusado o movimento de ataques terroristas contra Israel desde o início da nova Intifada.

‘Muro da Vergonha’ . com 60 conselheiros e o Conselho Nacional Palestino. A OLP também tem serviços de saúde. entre os palestinos e parte da comunidade internacional. Atualmente. Mesmo Jerusalém. que historicamente tem sido uma assembléia dos palestinos. a Autoridade Nacional Palestina assumiu muitas das funções administrativas e diplomáticas relativas aos territórios palestinos que antes eram desempenhadas pela OLP. O termo sionismo foi usado pela primeira vez para nomear um movimento em 1890. pelo filósofo austríaco judeu Nathan Birbaum.rejeitaram o plano. disseram que a construção da barreira tiraria território palestino. . judeus e muçulmanos. criando-se então um Estado independente em 1948. Sionismo – movimento político e religioso pela criação de um Estado judeu que surgiu no século XIX e culminou na criação do Estado de Israel em 1948. A OLP tem três corpos: o Comitê Executivo. em 1949. OLP . o número de atentados terroristas cairia de forma drástica. Sua extensão tem variado muito desde a Antigüidade. a montanha onde foi construído o Templo de Jerusalém . as áreas palestinas são a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Palestina – É uma região histórica situada na costa leste do Mar Mediterrâneo. continua sendo alvo de disputa. com 15 membros. já que o muro tornaria muito difícil a entrada de palestinos em seu território – assim. informação. No fim da guerra. no cruzamento entre três continentes. que foi habitada por diversos povos e é considerado local santo para cristãos. Israel ampliou seu território e anexou Golã. saúde. O nome vem de Zion. que os judeus consideram capital do país. o Comitê Central. e nos anos seguintes.forma como é conhecida. cinco nações árabes atacaram Israel. Imediatamente. Também ocupou a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. AsSaiga e a Frente de Libertação da Palestina. contudo. Em 1994. que inclui representantes dos principais grupos armados. finanças. a barreira que Israel construiu para separar suas próprias cidades da Cisjordânia. mas desde 1994 passou estas responsabilidades para a ANP. Os críticos. com 599 membros. abrigando facções como Al Fatah. que foi aceito pelos judeus. acentuaria as diferenças econômicas entre os povos e não contribuiria para a paz. Esta passou a ser uma espécie de guarda-chuva político e militar.A Organização pela Libertação da Palestina. grupo político criado em 1964 com o objetivo de formar um Estado palestino independente. Os israelenses alegavam que a medida era legítima.

2010:57). No campo demográfico. enquanto a PEA indiana crescerá a uma média anual de aproximadamente 0. analistas ponderam a possibilidade de a Índia reproduzir o milagre econômico chinês. 2007: 335). Obviamente. Fonte :Fundo Monetário Internacional. o desempenho econômico indiano tem se aproximado dos altos índices chineses de expansão e parece confirmar as previsões que apontam a Índia como uma potência econômica do futuro. Em termos absolutos. . as vantagens indianas podem ser agrupadas em três grandes categorias: democracia. calcula-se que. elaboração do Autor. embora expressivo. as principais vantagens indianas na corrida econômica contra a China. China e Índia estão destinadas a serem objetos de comparações. projeções das Nações Unidas estimam que a Índia superará a China como nação mais populosa do mundo em meados da década de 2020 (LUCE. nos próximos vinte anos. o crescimento da população indiana é dinâmico. Atualmente. a PEA chinesa decrescerá 30% – aproximadamente cem milhões de trabalhadores -. Em um primeiro momento. quando atingirá seu ápice (BARDHAN 2010: 128). demografia e diplomacia. de forma exploratória. como a migração rural. enquanto a PEA indiana crescerá rapidamente até a década de 2030. mas parece claro que o gigante asiático lidará com sérios desafios populacionais. foi apenas uma fração da expansão lograda pela economia chinesa. Por fim. Desde 1991. enquanto a população economicamente ativa (PEA) da China envelhece rapidamente. a China ainda possui formas alternativas para evitar a escassez de mão-de-obra.China e Índia: Perspectivas Acerca da Grande Corrida Econômica Asiática Devido à dinâmica da política internacional. O presente artigo pretende avaliar.8% (EBERSTADT. Na competição com a economia chinesa. no entanto. O argumento central enfatiza o grande potencial indiano para o crescimento. quando as reformas econômicas indianas iniciaram um expressivo processo de crescimento econômico. o crescimento da economia indiana. Estimativas apontam para um rápido declínio da PEA chinesa a partir de meados da década corrente. enquanto a Índia desfrutará de um dividendo demográfico. mas também ressalta que as assimetrias econômicas entre os dois gigantes asiáticos são muito grandes e dificilmente serão superadas na primeira metade do século XXI.

a Índia constrói alianças e projeta Soft Power com mais facilidade do que a China. atualmente. O rígido sistema chinês é vulnerável a protestos e demandas da sociedade civil. de forma que as instituições políticas chinesas são claramente superiores às indianas na promoção do desenvolvimento (BARDHAN.Fonte: Population Division of the Department of Economic and Social Affairs of the United Nations. os Estados Unidos apóiam explicitamente a ascensão indiana. Em síntese. 2007:277). especialmente se comparada ao modelo autocrático chinês. 2008: 550). O apoio norte-americano é facilitado pelo grande contingente de indo-americanos que vivem nos Estados Unidos e que. a democracia é uma importante fonte de Soft Power. Em segundo lugar. a maioria da literatura especializada concorda que a democracia indiana fornece grandes vantagens econômicas. Alguns autores questionam a superioridade econômica da democracia indiana. especialmente em longo prazo. tem sérias diferenças com a China. enquanto desenvolvem uma relação ambígua com a China (LUCE. pode catalisar o desenvolvimento de forma mais eficiente que o modelo autocrático chinês. 2010: 159). 2011: 201). configuram-se como o terceiro grupo de pressão estrangeiro mais poderoso no congresso norte-americano (KANDAR. Não obstante. Na esfera diplomática. sociedades mais livres são mais eficientes na produção de conhecimento especializado. Em terceiro lugar. A democracia indiana. de forma a equacionar as diferenças étnicas e culturais presentes na Índia. Tal vantagem política pode se refletir no campo econômico por meio de acordos de transferência de tecnologia. a democracia fornece canais legítimos de conciliação e resoluções de conflito. especialmente devido a tensões fronteiriças (NYE. Bardhan argumenta que o Partido Comunista Chinês foi capaz de realizar reformas que promoveram a descentralização e a meritocracia. que gera grande rejeição no ocidente. Em primeiro lugar. embora imperfeita. nações com interesse em limitar o crescimento da influência chinesa na Ásia. investimentos estrangeiros e tratados de livre-comércio. A aliança indo-americana é resultado do desejo manifesto dos Estados Unidos de contrabalancear a ascensão chinesa na Ásia. A Índia também desenvolve boas relações com o Japão e com a Austrália. a ascensão internacional indiana encontra muito menos resistência do que o crescimento do poder chinês. A democracia também estimula o empreendedorismo e torna o setor . especialmente devido aos altos níveis de corrupção e ineficiência vigentes no país. Até mesmo a Rússia. elaboração do Autor. uma vez que o intercâmbio de informações e pessoas não é limitado por nenhuma restrição institucional. que desenvolve uma parceria estratégica com a China no campo dos discursos políticos e comunicados diplomáticos. Em primeiro lugar.

ainda é inferior a U$ 2. tudo mais constante. Parece claro que o crescimento indiano é calcado na criatividade do setor privado.670. . fato que proporciona um amplo espaço para o crescimento do país. enquanto a expansão da economia chinesa depende do poder público (ECONOMIST. que enuncia que. valor que deve ser alcançado pela China em 2015 (ECONOMIST. maior é a dificuldade em sustentar altos índices de crescimento econômico. A Índia também sofre com problemas de infra-estrutura e escassez de mão-deobra qualificada. A renda per capita indiana.000. é importante ressaltar que as disparidades econômicas entre os dois gigantes asiáticos são imensas: a renda per capita chinesa é quatro vezes maior do que a indiana. tema que começa a preocupar a China. quanto maior a renda per capita de um país. dificilmente o país tomará o papel que a China atualmente ocupa na economia internacional. é provável que a democracia se mostre como uma vantagem indiana na disputa econômica com a China. embora não exista consenso a respeito do tema. por outro lado. mesmo que a Índia se torne o mercado emergente que cresce mais rapidamente no mundo. Assim. além de significativos desafios sociais. Uma quarta vantagem indiana está relacionada a um conceito econômico denominado efeito de alcance. Os fatores enunciados acima sugerem que o dinamismo da economia indiana pode superar o rápido crescimento chinês. Um estudo recente sugere que o crescimento econômico desacelera bruscamente quando a renda per capita supera US$ 16. Não obstante. o PIB chinês é cinco vezes superior ao da Índia e a corrente de comércio exterior da China é cinco vezes maior do que a indiana. Nesse sentido. 2010). Por fim. as democracias são mais adequadas para dirimir problemas relativos à desigualdade de distribuição de renda.privado mais forte e ativo. 2011).

Em alguns países o Estado também é dono de alguns meios de produção. principalmente nos países subdesenvolvidos. Considerando seu processo de desenvolvimento. Investem com o objetivo de conseguir a maior rentabilidade. pode-se dividir o capitalismo em 3 fases: capitalismo comercial. Outros meios de troca é o cheque e o cartão de crédito. ao passo que se uma empresa privada operar no vermelho. até ter sua hegemonia. » Meios de troca: o principal meio de troca é o dinheiro. atua como capitalista principalmente em setores básicos e de infra-estrutura. ela pode falir. ficando a maior parte da renda com poucos. aos poucos foi se sobrepondo sobre outras formas de produção. . em que é possível movimentar um fundo em dinheiro depositado no banco. industrial e financeiro. foi mais rápida na parte ocidental da Europa e mais lenta na parte central e oriental. também em países desenvolvidos tem crescido a distancia entre ricos e pobres. Características do Capitalismo Todos os países são diferentes uns dos outros. » Objetivo: o único objetivo é ter constantemente a obtenção de lucro. » Relação social: há uma grande desigualdade social. ou trabalho forçado por dívida.Capitalismo O capitalismo passou a ser dominante no mundo ocidental a partir do século XVI. não importando quem perca com isso. Mas em muitas regiões subdesenvolvidas e rurais ocorrem relações de trabalho ilegais. A lei da oferta e da procura funciona da seguinte maneira: se houver mais oferta do que procura os preços tendem a cair. Com um cartão bancário é possível fazer pagamentos sem o uso de dinheiro real ou cheque. » Funcionamento da economia: os agentes econômicos fazem investimentos se guiando pela lei da oferta e da procura. » Relação de trabalho: o trabalho assalariado é predominante. mas os capitalistas apresentam algumas características semelhantes. que ocorreu em sua fase industrial. A transição que houve do feudalismo para o capitalismo foi bastante desigual. como a escravidão. » Estrutura de propriedade: predomina a propriedade privada. A transição foi bem mais acelerada no Reino Unido. As empresas estatais recebem ajuda de subsídios do governo. sendo difícil ir a falência. Mas nestes últimos anos. O capitalismo foi se evoluindo gradativamente. que facilitou bastante o comércio. Essa lei é a essência da economia de mercado. do que nos outros países. se houver mais procura que oferta os preços tendem a subir.

e tirar a supremacia da Itália no comércio com o Oriente. Essa parte de trabalho não pago fica no bolso dos donos das fábricas. Mas o trabalhador produz um valor maior do que aquele que recebe em forma de salário. Houve uma expansão de potencias. Esse termo capitalismo comercial se deu porque o acúmulo de riquezas ocorreu por meio do comércio. e comprar das metrópoles coisas que necessitavam por preços altos. Neste período também se acumulava riquezas tendo uma balança comercial favorável. na política e cultura. pois promover e aumentar o poder do Estado. o que multiplicava o lucro dos produtores. através do Mediterrâneo. pois permitiu o grande acúmulo de capitais na mão da burguesia europeia. para que ocorresse a Revolução Industrial. mas também de escravidão e genocídios de muitos nativos da América e África. Uma de suas características mais importantes foi a de transformar da natureza. Por isso que o regime assalariado é a melhor forma de trabalho no capitalismo. O mecanismos da exploração capitalista foi chamada por Karl Marx de mais valia. mais exportar do que importar. Mais valia: o trabalhador assalariado recebe uma remuneração por cada jornada de trabalho. tem condições de comprar os produtos. O trabalhador assalariado alem de produzir mais. Foi uma época marcada por Grandes Navegações e descobrimentos. . no Reino Unido e depois em outros países. Essa acumulação inicial de capitais criou condições. na sociedade. visto que eram obrigadas a vender os seus produtos por preços baixos. A economia nesse período funcionava sob a intervenção governamental. A riqueza e o poder de um país era medido pela quantidade de ouro. prata e pedras preciosas.Capitalismo Comercial Essa etapa do capitalismo se estendeu do século XV até XVIII. ou seja. Essa fase foi fundamental para se desenvolver o capitalismo. O bom lucro vinha da produção de mercadorias. Durante o capitalismo comercial tudo que pudesse ser vendido como lucro virava mercadoria na mão dos comerciantes europeus. As colônias garantiam grande lucro. Assim todo produto vendido traz uma parte que não é paga aos trabalhadores. Com isso a escravidão foi “extinta” quando o trabalhador assalariado começou a predominar. O negócio mais lucrativo foi o tráfico de escravos negros. uma quantidade bem maior de produtos aos consumidores. A essência do sistema não era mais o comércio. como Espanha e Portugal. que tinham como objetivo descobrir uma nova rota para as Índias. minas e etc. Capitalismo Industrial O capitalismo industrial foi marcado por transformações na economia. permitindo o acúmulo de capitais. Os europeus comandaram esse processo de colonização e exploração.

e no Japão estava começando. Mas a consolidação só ocorreu após a Primeira Guerra Mundial. Houve a Primeira Guerra Mundial. Apesar de a primeira metade do século XX ser marcada por avanços tecnológicos. passou a haver um interesse para a pesquisa cientifica com o objetivo de desenvolver novas e melhores técnicas de produção. Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial. . matéria-prima e mercado para os seus produtos. o que levou a fusões e incorporações. Com o grande aumento da produção.Com o aumento da produção também houve o aumento de mão-de-obra. os Estados Unidos. Revolução Russa. quando as empresas ganharam mais poder e influencia. Eles adotaram o lema „A América para os americanos‟. A descoberta da eletricidade beneficiou não só as industriais como a sociedade em geral. e a produção em série crescia. o liberalismo. em fins do século XIX e meados do século XX. Consolidou-se uma nova doutrina econômica. principalmente o território da China. Em poucas décadas o capitalismo passou por crises e transformações. houve também competição para se ganhar mercados consumidores e novas fontes de matérias-primas. O inicio dessa nova fase capitalista coincidiu com o período da expansão imperialista (1875 – 1914). foi também um período de instabilidade econômica e geopolítica. Mudanças importantes estavam ocorrendo: a produtividade e a capacidade de produção aumentavam rapidamente. Com o desenvolvimento do motor. Passou a disputar territórios com as potencias europeias. trazendo monopolização em muitos setores da economia. Os Estados Unidos tinham como área de influencia econômica e política a América Latina. Um dos aspectos importantes desse período foi a introdução de tecnologias e novas fontes de energia. A grande concorrência favoreceu as grandes empresas. Foi nessa época que ocorreu a expansão imperialista na África e Ásia. Na segunda metade do século XIX. Em fins do século XIX também começou a surgir o Japão como potencia. e utilização de combustíveis derivados do petróleo. por causa do processo de concentração e centralização de capitais. O capitalismo dessa forma entrava em sua fase financeira e monopolista. foi aberta novas formas de transporte. A industrialização estava não só na Europa. energia. estava acontecendo a Segunda Revolução Industrial. mais também nos Estados Unidos. em que as colônias se especializavam em fornecer matérias-primas com o preço bem barato aos países que estavam se industrializando. Com essa partilha consolidou-se a divisão internacional do trabalho. ao contrário da fase comercial passou a ser um empecilho. Nessa época surge ema potencia industrial fora da Europa. Nessa nova fase do capitalismo a burguesia industrial. Esses continentes foram partilhados entre os países imperialistas. melhorando a qualidade de vida. Capitalismo Financeiro Com o crescimento acelerado do capitalismo passou a surgir e crescer rapidamente várias empresas.

foi o início do atual processo de globalização da economia. aço. Um dos maiores conglomerados do mundo é o Mitsubishi Group. . desde a retirada de matéria-prima da natureza até a distribuição das mercadorias. exagerada especulação com ações na bolsa de valores. que após a sua fusão. Já o cartel surge quando empresas visam partilhar entre si. restringindo a livre concorrência. que levou milhares de bancos e industrias a falência. Eles são corporações que atuam no capitalismo monopolista. que leva a fusão e incorporação de empresas de um mesmo setor de atividade. a industria européia passa a importar menos e exportar menos dos Estados Unidos. Essa crise se deu devido a grande produção industrial e agrícola. As empresas foram aumentando seus capitais através da venda de ações em bolsas de valores. O truste é o resultado típico do capitalismo. Em 1929 apesar de o capitalismo financeiro crescer houve uma grande crise. visam dominar a oferta de determinados produtos e serviços no mercado. sendo este plano fundamental para melhorar a economia norte-americana. mas pouca expansão do mercado de consumo externo. Keynes. Permitindo assim.A expansão do mercado de capitais é uma marca do capitalismo financeiro. navios. aparelhos de som. televisores. causando até 1933 quatorze milhões de desempregados. perdendo seus domínios coloniais na Ásia e África. estabelecendo um preço comum. Geralmente elevam o preço em comum. Foi um plano de obras publicas. se tornou o maior do planeta. Cartel – associação entre empresas para uma atuação coordenada. a formação de enormes corporações. pelo presidente Franklin Roosevelt. que o Estado não deveria se interferir na economia. Keynesianismo – política de intervenção estatal numa economia oligopolizada. Recebeu este nome porque seu principal teórico e defensor foi John M. Surgiram também através dos trustes os conglomerados. um determinado mercado ou setor da economia. O Mitsubishi tem como financiador o banco Mitsubishi. através de acordo. Nos Estados Unidos se consolidou um grande mercado de capitais. com o objetivo de acabar com o desemprego. aviões e etc. Mas em 1933 foi elaborado e colocado em prática o New Deal. Porem acreditava-se. automóveis. A livre concorrência e o livre mercado passam a ser substituídos por um mercado oligopolizado. O Estado também começa a intervir na economia. Esse período pós-guerra. Após a Segunda Guerra Mundial. as antigas potencias européias foram entrando num processo de decadência. segundo os preceitos liberais. TokyoMitsubishi. Resultantes de uma grande ampliação e diversificação dos negócios. Trustes – grandes grupos que controlam todas as etapas da produção. Os bancos passam a ter um papel importante como financiadores de produção. que fabrica desde alimentos.

que não raro utilizam as instituições bancárias para financiar seus próprios negócios e até mesmo para promover lavagem de dinheiro para a máfia russa. o endividamento do governo russo cresceu astronomicamente. a crise asiática ocorrida no final do mesmo ano culminou numa desvalorização acentuada do rublo. A maioria dos bancos russos são de propriedade de grandes empresários. enquanto o governo e o parlamento diferiam sobre a implementação de reformas estruturais e a base industrial russa enfrentava sérias dificuldades a partir da competição com produtos internacionais. Esta recuperação. no entanto.6 bilhões de dólares em 1999 para 763. bloco multilateral que engloba economias asiáticas. americanas e da Oceania. o maior desafio do país é diversificar sua produção e encontrar um modo de encorajar o desenvolvimento de pequenas e médias empresas – fragilizadas num ambiente corporativo dominado por oligarquias e atendido por um sistema bancário incipiente e disfuncional. a Rússia também melhorou sua posição financeira internacional desde 1998. reduzindo sua dívida externa de 90% do valor do PIB para cerca de 31% do PIB. Esses insumos correspondem a mais de 80% das exportações russas. a economia também sofreu um empurrão da crescente procura interna.O PIB do país saltou de 184. já sob influência do mercado livre. ao lado de um renovado esforço governamental em 2000 e 2001 para fazer avançar as reformas estruturais do setor tributário e trabalhista. o que faz da Rússia a 11ª economia mundial. reduzindo a vulnerabilidade do país perante crises externas e perante o humor dos investidores internacionais. a Rússia ainda se esforça na tentativa de estabelecer uma economia de mercado moderna para manter um crescimento econômico acelerado. foi assassinado ao deixar um estádio de futebol. o país teve uma taxa média de expansão econômica de 6. aumentou a confiança das empresas e dos investidores nas perspectivas russas para a segunda década de transição. Atualmente. o vice-presidente do Banco Central russo. Em anos recentes. em particular do petróleo (5. . apesar das disparidades homéricas na distribuição de renda.15 milhões de barris ao dia). metais e madeira. O país assistiu a uma severa contração da economia durante os primeiros cinco anos do pós-socialismo. poucas semanas após lançar um programa de transparência para o setor bancário.de 12 bilhões para 180 bilhões -.2 bilhões de metros cúbicos ao dia). Com a moeda desvalorizada perante o dólar. mergulhando a Rússia numa grave crise econômica em agosto de 1998. Somente a partir de 1997 a economia do país esboçou reação. a economia russa alcançou um elevado ritmo de crescimento a partir do ano 2000. tornando o país extremamente vulnerável às oscilações dos preços no mercado mundial. Com a recuperação parcial do câmbio.8% do PIB entre 1999 e 2004.7 bilhões de dólares em 2005. cresceu cerca de 12% por ano entre 2000 e 2004. Andrei Koslov.Rússia Quase duas décadas depois do colapso da União Soviética. que. Apoiada em preços mais altos do petróleo no mercado internacional. As fortes exportações de petróleo bruto também permitiram ao governo russo aumentar suas reservas internacionais em 168 bilhões de dólares . houve uma sensível queda no padrão de vida da população. em 1991. Bancos . A Rússia permanece fortemente dependente de exportações de matérias-primas. Na mesma velocidade da recessão e da fuga de capitais especulativos externos. Em outubro deste ano. Signatária do tratado de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec). Contudo. gás natural (157.

As carnes de origem bovina. não se limita às zonas rurais. por exemplo.com sua imensa população de 20 milhões de habitantes . Para suprir a demanda russa por insumos alimentícios.Outro desafio é o desenvolvimento econômico desproporcional entre as regiões russas: somente a capital Moscou. suínos e bovinos . que pouco cresceram nos últimos cinco anos. por exemplo. batatas e no abate de gado. contribui com 30% do PIB do país. obrigando o país a importar cada vez mais alimentos.e grãos. Kaliningrado e Ekaterinburgo.4 milhões em 2000. como as cidades de São Petersburgo. o Brasil tornou-se um grande parceiro comercial.7 milhões de toneladas em 1999 para 65. Apesar de registrar ganhos equivalentes a 5% do PIB em 2003.em especial as comunidades indígenas e rurais na Ásia . de água potável e de saneamento básico. produzidas nos Estados do Rio Grande do Sul e Mato Grosso. A mesma tendência se verificou na colheita de beterrabas. similar às condições de vida no fim da Idade Média. Também pode ser verificada em grandes pólos urbanos. onde considerável parcela da população enfrenta falta de energia elétrica. Alimentos – Se por um lado a exportação de petróleo gera lucros cada vez maiores para a Rússia. o setor não conseguiu retornar aos valores de produção da época soviética.é uma zona moderna sob a égide da tecnologia de ponta e com rendimento per capita próximo ao de grandes economias da União Européia. contudo. responsável principalmente pelo abastecimento de carnes – aves. . A safra de grãos. já representam cerca de 30% das exportações nacionais para a Rússia. que passou de 54.vive de forma extremamente precária. mercado que também importa metade de toda carne suína produzida no Brasil. o resto do país . Enquanto a metrópole . A ineficiência econômica. ainda é bastante inferior às mais de 100 milhões de toneladas anuais exportadas entre 1986 e 1992. a agricultura continua sendo uma área problemática.