You are on page 1of 8

O que é Contabilidade?

Contabilidade é a ciência que têm como objetivo o registro e o controle de tudo o que ocorre na empresa, representados por documentos específicos.

Profº Luiz José Rodrigues Junior

Quando que passa a ‘existir’ a Contabilidade, na empresa? 1º o que é empresa?

Uma empresa é uma pessoa jurídica com o objetivo de exercer uma atividade particular, pública, ou de economia mista, que produz e oferece bens e/ou serviços, com o objetivo de atender a alguma necessidade humana. Ou ainda, temos outro conceito: É um conjunto de meios técnicos, humanos e financeiros, organizados com vista à concretização de um determinado fim econômico, o qual passa pelo exercício de uma atividade orientada para a satisfação das necessidades dos seus vários stakeholders*, nomeadamente: os seus clientes (pela oferta de bens ou serviços), os trabalhadores (através do emprego e da contraprestação salarial), os acionistas (pela realização do lucro que remunera o risco incorrido), os credores (pelo reembolso do capital e juros em prazo acordado), dos fornecedores (pela procura de bens ou serviços), o Estado (pelo cumprimento das obrigações fiscais e legais), etc. *é a parte interessada ou de uma maneira mais ampla, são todos os envolvidos em Profº Luiz José Rodrigues Junior um processo

é limitada à participação dos sócios. É na ação que se materializa a participação do acionista. poderá o Estatuto trazer restrições à cessão. podem ser livremente cedidas. Entretanto.  2º tipos de empresa: Sociedade Limitada A sociedade por quotas com responsabilidade limitada. c) responsabilidade do acionista limitada apenas ao preço das ações subscritas ou adquiridas. Desta forma. as ações são títulos circuláveis. As ações. as normas da empresa e o capital social. em regra. forma de operação. Isso significa dizer que uma vez integralizada a ação o acionista não terá mais nenhuma responsabilidade adicional. Profº Luiz José Rodrigues Junior . d) livre cessibilidade das ações. formando uma sociedade empresária. Nelas o que importa é a aglutinação de capitais. através de um contrato social. de igual valor nominal – ações. é quando duas ou mais pessoas se juntam para criar uma empresa. Esse por sua vez será dividido em cotas de capital. inexistindo o chamado "intuito personae" característico das sociedades de pessoas. nem mesmo em caso de falência. b) divisão do capital em partes iguais. 36 da Lei 6. e não a pessoa dos acionistas. em regra. quando somente será atingido o patrimônio da companhia. o que gera uma constante mutação no quadro de acionistas. o que indica que a responsabilidade pelo pagamento das obrigações da empresa. em Direito.404/76[3]). tal como os títulos de crédito. onde constará seus atos constitutivos. Profº Luiz José Rodrigues Junior  Sociedade Anônima a) é uma sociedade de capitais. desde que não impeça jamais a negociação (art. no Brasil. refere-se à natureza jurídica de uma empresa constituída como sociedade.

não há necessidade de que a Sociedade registre a emissão pública de ações no órgão competente – Comissão de Valores Mobiliários (Lei 6. para sair da empresa. além de criar CLAUSULAS (regras) para as ‘N’ situações existentes na empresa (clausulas para endereço. Na FECHADA. os participantes da empresa (também denominados de acionistas) assinam e registram a empresa na JUNTA COMERCIAL.404/76[3]).385. Nome: Dados: Clausulas Profº Luiz José Rodrigues Junior . Na Companhia ou Sociedade ABERTA os valores mobiliários de sua emissão são admitidos à negociação no mercado de valores mobiliários(art. g) finalmente. onde ao final.. Profº Luiz José Rodrigues Junior Lei das Sociedades Limitadas (LO 10406/02 – Novo Código Civil) Contrato Social Sociedades Limitadas: São empresas formadas por PESSOAS. pode ser Companhia ABERTA ou FECHADA.). onde todas devem dar seus dados (informações pessoais). surgindo assim a pessoa jurídica (CNPJ). de 7 de dezembro de 1976).e) possibilidade de subscrição do capital social mediante apelo ao público. f) uso exclusivo de denominação social ou nome de fantasia. 4o. para participar da empresa.. da Lei 6.

necessariamente. para que exista uma empresa. Atendimento da parte burocrática da empresa. existir uma autorização do governo para que a mesma funcione. além de. poderá ser próprio ou alugado.SEDE Estabelecimento Basicamente. 2. farse-à presente a SEDE. mas sim todo um aparato para que a mesma exista de FATO (pois com a criação do CNPJ. gerando assim o ESTABELECIMENTO DA EMPRESA BENS CNPJ GOVERNO Alvará de Funcionamento Profº Luiz José Rodrigues Junior  1. prestando-lhes informações para tomadas de decisões precisas (usuários em contabilidade pode ser pessoa física ou jurídica). onde colocar-se-à todos os bens da empresa. a mesma passa a existir de DIREITO). tanto o usual. local físico. Objetivo da Contabilidade: Auxiliar o Administrador na tomada de decisões pertinentes a empresa. 3. 2. ou seja. Usuários externos: Pessoas que não fazem parte da organização Profº Luiz José Rodrigues Junior . Atender os usuários. Para que a mesma possa existir. Tal local. 1. quanto os bens ‘vendáveis’. Usuários internos: Pessoas dentro da empresa. não adiante somente haver a pessoa jurídica.

Continuidade. pois ela estuda o comportamento que sofre influência humana. Registro pelo valor original. Tais princípios estão embasados no parecer 774 do CFC. são divididos em seis (6): Entidade. Contabilidade Ciência Exata ou Social? Contabilidade é uma Ciência Social. ações. através de pesquisas. Competência e Prudência. regras estas que passaram a ser seguidas por todos. Até 2010 haviam sete (7) princípios. Tais princípios. além dos já citados. decisões que modificam o resultado final. existia o princípio da atualização monetária. Oportunidade. Profº Luiz José Rodrigues Junior  Representam a essência das ciências contábeis. ouve a identificação de regras que orientavam o registro dos fatos que afetavam o patrimônio da empresa. mas este foi revogado por uma resolução do Conselho Federal de Contabilidade Princípios Contábeis Profº Luiz José Rodrigues Junior .

ou seja. ou seja. ou seja. Profº Luiz José Rodrigues Junior  Continuidade Diz que a empresa deve ser avaliada na suposição que a entidade NUNCA será extinta. que suas operações iram continuar. Seus Ativos devem ser avaliados de acordo com a potencialidade em gerar benefícios futuros. Entidade Tem o patrimônio como objeto de estudo e determina que a contabilidade deve ter plena distinção e separação entre pessoa física e jurídica. o patrimônio da empresa JAMAIS confunde-se com o de seus sócios. assim como não misturam-se transações de uma empresa com atos de outra. Profº Luiz José Rodrigues Junior . mesmo que ambas sejam do mesmo grupo empresarial. devem ser analisados em estado futuro. NÃO no estado em que encontram-se no momento.

 Oportunidade Refere-se ao momento em que deve ser registradas as variações patrimoniais. 3 3 25 3 25 43 3 25 43 4 25 43 4 Profº Luiz José Rodrigues Junior  Registro pelo valor original Os elementos patrimoniais devem ser registrados pelo valor original.00 R$ 13. R$ 1. expresso em moeda corrente (no nosso caso.000.000.000.00 R$ 1. os registros devem ser feitos imediatamente e de forma integral. registram-se em REAIS – R$).000. onde.00 R$ 13.000.000.00 Profº Luiz José Rodrigues Junior .

000. As despesas e receitas devem ser contabilizadas no momento de sua ocorrência. independente de seu pagamento (total/parcial/nulo). R$ 200. anotar-se-à o menor valor para os bens e o maior valor para as obrigações.000.00 R$ 20. diante de duas alternativas igualmente válidas.330.00 R$ 100. 500 50 Competência 500 500 Profº Luiz José Rodrigues Junior 100 100 50 50  Expressa que.00 R$ 10. Tal principio adota a premissa de nunca antecipar lucros e sempre prever possíveis prejuízos.00 Prudência Profº Luiz José Rodrigues Junior . seu registro deve ser feito imediatamente e de forma integral.400.