You are on page 1of 8

www.canalmoz.co.

mz | ano 4 | numero 759 | Maputo, Quinta-Feira 26 de Julho de 2012
Director: Fernando Veloso | Propriedade da Canal i, lda
Sede: Av. Samora Machel n.º 11 - Prédio Fonte Azul, 2º Andar , Porta 4, Maputo | Registo: 18/GABINFO-DEC/2009

e-mail: veloso.f2@gmail.com | graficocanalmoz@gmail.com | Telefones: 823672025 - 842120415 - 828405012

Crime violento

Moçambique entre os 30 países com mais assassinatos no mundo
– refere o relatório de avaliação de crime e violência em Moçambique, lançado ontem em Maputo Em África, Moçambique figura como o 12º país com mais assassinatos. A nível dos países de expressão portuguesa, é o país com mais homicídios, depois do Brasil
Maputo (Canalmoz) – Moçambique é classificado como um dos países mais violentos do mundo, segundo um relatório de avaliação de crime e violência, lançado ontem em Maputo. No que diz respeito aos homicídios, Moçambique figura na lista entre os 30 países com maior ocorrência deste tipo de crime (assassinatos), a nível mundial. Quanto a assassinatos, no quadro de países apenas do continente africano, Moçambique figurando na 12ª posição. Em África há 55 países. Entre os países lusófonos, Moçambique é o 2º da lista com mais homicídios, depois do Brasil. A CPLP tem 8 países.

Publicidade

canalmoz. corrupção generalizada da classe política que. para defender os seus interesses privados. por dia. o país tem 22 milhões de habitantes.mz . os riscos são que. esta cadeia foi concebida para albergar 2500 pessoas. Neste momento. em média. uma média de 1500 novos reclusos/ mês são encarcerados nesta cadeia. Estão oito mil reclusos encarcerados na Cadeia Central da Machava. entre outros: crescimento do PIB em vez de desenvolvimento social. criação de uma cultura consumista que é praticada apenas por uma pequena minoria urbana mas imposta como ideologia a toda a sociedade. social. destruição ambiental e sacrifícios incontáveis às populações onde se encontram os recursos em nome de um “progresso” que estas nunca conhecerão. como a Rio Tinto e a brasileira Vale do Rio Doce A “maldição da abundância” é uma expressão usada para caracterizar os riscos que correm os países pobres onde se descobrem recursos naturais objeto de cobiça internacional. Segundo disse o próprio director. social. Os riscos desse condicionamento são. supressão do pensamento e das práticas dissidentes da sociedade civil sob o pretexto de serem obstáculos ao desenvolvimento e profetas da desgraça.5 milhões de habitantes. com a participação do Ministério da Justiça. agora visto como fonte de acumulação primitiva de capital. Sobre a reclusão. sociólogo português: As grandes multinacionais. Da visita que acabo de fazer colho uma dupla impressão que a minha solidariedade com o povo moçambicano transforma em dupla inquietação. Castigo Machaieie. Em suma. mas neste momento tem mais do que o triplo da sua capacidade. A primeira tem precisamente a ver com a orgia dos recursos na- Publicidade www. recordou recentemente que as cadeias moçambicanas foram concebidas na década 60 quando a população era de 9. se torna crescentemente autoritária para se poder manter no poder. Foi lançado em Maputo. Lembre-se que recentemente. Moçambique está entre os países do continente com maior taxa de aumento da população prisional a seguir ao Malawi. algumas bem conhecidas dos latino-americanos. Já Alice Mabota. Mas o verdadeiro problema que preocupa na cadeia central de Maputo é a sua superlotação. no final do ciclo da orgia dos recursos. novos 50 prisioneiros dão entrada naquela que é o principal estabelecimento prisional do país ou seja. numa entrevista ao Canalmoz. política e culturalmente do que no seu início.(Cláudio Saúte) por Boaventura de Sousa Santos Canal de Opinião Moçambique: a maldição da abundância? Maputo (Canalmoz) – Do Correio do Brasil com a devida vénia reproduzimos esta opinião do Professor Boaventura Sousa Santos. A promessa de abundância decorrente do imenso valor comercial dos recursos e dos investimentos necessários para o concretizar é tão convincente que passa a condicionar o padrão de desenvolvimento económico. Nisto consiste a maldição da abundância. O relatório versa ainda sobre outros temas da área de crime e violência. director da cadeia central de Maputo. a presidente da Liga dos Direitos Humanos.co. polarização crescente entre uma pequena minoria super-rica e uma imensa maioria de indigentes. apesar de constar entre os países com uma reduzida taxa da população prisional em África.2 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 O relatório é da autoria da “Open Society Initiative for Southern Africa”. aumento em vez de redução da pobreza. Ruanda e Benim. o país esteja mais pobre econômica. o estudo aponta que. político e cultural. Depois das investigações que conduzi em Moçambique entre 1997 e 2003 visitei o país várias vezes. explicou que.

e. Não é de esperar que nestas condições. 20-72012). que levava consigo para a Conferência da ONU. foi arbitrariamente impedido de entrar no Brasil e deportado (e só regressou depois de muita pressão internacional). Portugal) Os artigos de opiniao inseridos nesta edição são da inteira responsabilidade dos respectivos autores e não reflectem necessariamente o ponto de vista da direção do jornal. às organizações sociais é pedida uma autorização do governo para visitar as populações reassentadas como se estas vivessem sob a alçada de um agente soberano estrangeiro. relacionada com a anterior. A Vale é hoje um alvo central das organizações ecológicas e de direitos humanos pela sua arrogância neo-colonial e pelas cumplicidades que estabeleceu com o governo. Ao partir de Moçambique. dos cemitérios. denúncias dos atropelos da Vale. a discussão política é vista como distração ou obstáculo ante os benefícios indiscutidos e indiscutíveis do “desenvolvimento”. talvez petróleo anunciam um El Dorado de rendas extrativistas que podem ter um impacto no país semelhante ao que teve a independência. Sempre que as populações protestam são brutalmente reprimidas pelas forças policiais e militares. Fala-se numa segunda independência. Um autoritarismo insidioso disfarçado de empreendorismo e de aversão à política (“não te metas em problemas”) germina na sociedade como erva daninha. a sociedade civil está mais organizada.co. gás natural. A segunda impressão/inquietação. os novos-ricos têm medo da ostentação porque ela zurzida semanalmente na imprensa e também pelo medo dos sequestros. consiste em verificar que o impulso para a transição democrática que observara em estadias anteriores parece estancado ou estagnado. Tais cumplicidades assentam por vezes em perigosos conflitos de interesses. (Boaventura de Sousa Santos – sociólogo e professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Pelo contrário. algumas bem conhecidas dos latino-americanos.04%). violam impunemente os direitos humanos das populações onde existem recursos. a vigilância sobre a sociedade civil aperta-se sempre que nela se suspeita dissidência. procedendo ao seu reassentamento (por vezes mais de um num prazo de poucos anos) em condições indignas. num contexto controlado. há uma massa crítica de acadêmicos moçambicanos credenciados internacionalmente capazes de fazer análises sérias que mostram que “o rei vai nu”. é mais independente para atuar. níquel. uma frase do grande escritor moçambicano Eduardo White cravou-se em mim e em mim ficou: “nós que não mudamos de medo por termos medo de o mudar” (Savana. ferro. portanto. com o desrespeito dos lugares sagrados.canalmoz. Rio+20. a célula do partido continua a interferir com a liberdade acadêmica do ensino e investigação universitários. Não será um processo linear porque Moçambique é muito diferente de Angola: a liberdade de imprensa é incomparavelmente superior. pode estar em curso a angolanização de Moçambique. dos ecossistemas que têm organizado a sua vida desde há dezenas ou centenas de anos. As grandes multinacionais. Uma frase talvez tão válida para a sociedade moçambicana como para a sociedade portuguesa e para tantas outras acorrentadas às regras de um capitalismo global sem regras. apesar de tudo. Estarão os moçambicanos preparados para fugir à maldição da abundância? Duvido. São muitos os indícios de que as promessas dos recursos começam a corromper a classe política de alto a baixo e os conflitos no seio desta são entre os que “já comeram “ e os que “querem também comer”. As sucessivas descobertas (algumas antigas) de carvão (Moçambique é já o sexto maior produtor de carvão a nível mundial). os moçambicanos no seu conjunto beneficiem dos recursos. mesmo dentro da Frelimo. o sistema judicial.3 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 turais. celebram contratos que lhe permitem o saque das riquezas moçambicanas com mínimas contribuições para o orçamento de estado (em 2010 a contribuição foi de 0. Publicidade www. ou quando.mz . a partidarização do aparelho de estado aumenta em vez de diminuir. A legitimidade revolucionária da Frelimo sobrepõe-se cada vez mais à sua legitimidade democrática (que tem vindo a diminuir em recentes atos eleitorais) com a agravante de estar agora a ser usada para fins bem pouco revolucionários. entre os interesses do país governado pelo Presidente Guebuza e os interesses das empresas do empresário Guebuza donde podem resultar graves violações dos direitos humanos como quando o ativista ambiental Jeremias Vunjane. como a Rio Tinto e a brasileira Vale do Rio Doce (Vale Moçambique) exercem as suas atividades com muito pouca regulação estatal.

Edna Macuácua. sendo os últimos três indivíduos filhos do irmão mais novo da vítima. cerca das 20 horas. Edna Macuácua.canalmoz. José André. e Samuel Baptista. a data do fim das obras já foi reagendada três vezes e todos esses compromissos não foram cumpridos. Celso André. Segundo a porta-voz do comando provincial da PRM. em entrevista ao Canalmoz Inhambane (Canalmoz) – Um idoso. Osvaldo André. Celso Baptista. de 26 anos. Alegam que o falecido não lhes dava sorte. Entretanto protelou-se para finais de Julho corrente e também falhou! A cinco dias para o mês de Julho terminar. que resolveram fazer justiça pelas próprias mãos. segundo apurou a Reportagem do Canalmoz em Inhambane. acaba de falhar pela terceira vez consecutiva a data de entrega das obras concluídas. pelo desemprego.mz . Só dizer que é feiticeiro não justifica e também temos que saber com que prova souberam que o tal indivíduo é feiticeiro”. Gildo André. expressa. neste momento está a proteger os cidadãos acusados para que não sejam linchados pela população que está revoltada com esta história. de 29 anos. no povoado de Tsivela. Armando André.4 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 Filhos e sobrinhos agridem idoso até à morte por ser feiticeiro “Ainda prosseguem diligências para apurarmos a principal causa que levou eles a praticarem este tipo de crime. explicou a porta-voz da Polícia em Inhambane. Só dizer que é feiticeiro não justifica e também temos que saber com que prova souberam que o tal indivíduo é feiticeiro”. (Luciano da Conceição. são todos desempregados e culpam por isso o velho ora assassinado por eles. em plena escuridão da noite. em Inhambane) Município da Matola Empreiteiro falha pela terceira vez a entrega da estrada Mas a edilidade continua a manter confiança na “Vera Construções”… Maputo (Canalmoz) – O empreiteiro “Vera Construções”. “Ainda prosseguem diligências para apurarmos a principal causa que levou eles a praticarem este tipo de crime. no distrito de Massinga. Ou seja. de 22 anos. a entrega da obra www. na província de Inhambane. Luís André. província de Inhambane. A Polícia. vaticinam que por este andar este ano os linchamentos vão superar os do ano anterior (2011). Depois passou para a 1ª quinzena de Junho. Edna Macuácua. de 38 anos. de 29 anos de idade. de entre várias formas. A primeira data marcada inicialmente foi 28 de Abril passado. Um exército de desempregados O homicídio. foi agredido até à morte pelos seus seis filhos e três sobrinhos. Este é o vigésimo terceiro caso de linchamento a acontecer neste ano de 2012. de 28 anos. a quem foi concessionada a construção da estrada Zona Verde-Khongolote. segundo Edna Macuácua. de 41 anos. de 44 anos. no passado dia 23 de Julho corrente.co. De linchadores a candidatos a linchados Agora o grupo dos alegados assassinos é procurado pela comunidade para ser linchado. está relacionado com a “falta de sorte” dos filhos e sobrinhos. explicou a porta-voz da Polícia em Inhambane. que em vida respondia pelo nome Reginaldo Guambe. Isidro Baptista. de 64 anos de idade. em entrevista ao Canalmoz. já foram detidas nove pessoas acusadas de autoria deste assassinato. de 23 anos de idade. em que foram reportados 84 casos de matanças entre cidadãos nesta província. no município da Matola. Alguns residentes desta província.

removem-nos e sobem o pavimento. As duas placas que detalham o projecto – uma colocada no estaleiro do empreiteiro e outra no Conoluene – foram tapadas para não se ver quando termina o prazo e impedir que os munícipes possam eles próprios controlar o prazo de execução da obra. “Nos últimos anos. Humberto Santos também diz que as obras estão atrasadas devido ao comportamento pouco digno de alguns munícipes que não estão a colaborar. um dos encarregados da obra. pisam o pavimento. batem nos lancis durante à noite. facto que tem minado grandemente o seu desempenho”.300 metros da primeira rua até Conoluene”. Joga toda a culpa na natureza.5 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 ao Conselho Municipal da Matola só poderá acontecer por um milagre. impulsionar o comércio interno e externo. que dirigiu esta organização nos últimos três anos. segundo deixou transparecer. no seu discurso. por exemplo. que a direcção cessante deixou a organização num estado letárgico. para de- Publicidade www. A fiscalização está a cargo da Vereação de Obras e Infra-estruturas Municipais. Estão a usar vias alternativas para poderem continuar a servir os cidadãos das zonas servidas pela via em obras. promover o desenvolvimento da industria e comércio e as exportações de produto manufacturados e não manufacturados. Falando momentos após ter sido empossado como novo presidente da CCM em substituição de Américo Mpfumo. foram executadas pouco mais de 1500 metros. Queixam-se de estarem a danificar as suas viaturas por usarem vias alternativas. (Cláudio Saúte) Mudanças na Câmara do Comércio de Moçambique Nova direcção manda indirectas para general Mpfumo e seu elenco Maputo (Canalmoz) – A Câmara de Comércio de Moçambique (CCM) acaba de empossar oficialmente a nova direcção dos órgãos sociais que foi eleita numa assembleia-geral que teve lugar no dia 27 de Junho passado. Felisberto Manuel disse que o primeiro grande desafio do seu elenco. mostram que este Julho devia ser entregue a obra. Iniciaram a 28 de Novembro de 2011 e deveriam ter sido entregues a 28 de Abril passado. A posse foi conferida na terça-feira para um mandato de três anos: 2012-2015. disse Felisberto Manuel. O troço adjudicado é de 2. nas intempéries que ninguém se recorda de terem sido graves a ponto de poderem justificar tantos adiamentos.300 metros. pelo atraso das obras. “O empreiteiro não conseguiu cumprir com os prazos devido a chuvas que caíram na província de Maputo nos meses de Janeiro e Fevereiro. visando o fortalecimento da economia nacional através do incremento da produção agrícola. sacudindo qualquer responsabilidade pelos sucessivos adiamentos. No terreno a realidade mostra que ainda há muito trabalho.mz .2 milhões de dólares norte-americanos. a CCM tem estado a enfrentar graves problemas no seu funcionamento devido à falta de recursos financeiros. é de fazer com que a CCM volte a assumir as funções para as quais foi criada em 1980 que é de. Agora não se sabe ao certo para quando passará a ser o fim da obra. O troço em construção (da 1ª Rua – Conoluene) é de 2. O novo presidente do órgão deixou transparecer. neste momento. humanos e matérias.co. a “mãe natureza” deverá “sentar no banco dos réus e ser julgada”. Nos registos que apurámos quando ainda as placas não estavam tapadas. Agora só se ouvem protestos dos automobilistas que normalmen- te usam a via. A culpa é da…natureza Mais uma vez. Humberto dos Santos. As obras foram financiadas pelo Conselho Municipal da Matola num valor de 1. mas até agora. Tentámos puxar com o trabalho. disse.canalmoz.

Felisberto Manuel é o sétimo presidente que dirige esta organização que tem como principal objectivo organizar a participação das empresas nacionais nas actividades comerciais internas e internacionais.co. precisamos. de aumentar a nossa produção agrícola. O Conselho Fiscal é composto por Hermínio Matavele (presidente). O outro grande desafio da CCM. garantem a dinamização da economia nacional através da criação de novos postos de trabalho. em Moatize. sublinhou o novo presidente da CCM. anunciou que fez a oferta de cerca de 555 milhões de dólares para comprar a participação de 58. em segundo lugar. PCA do Barclays Bank Moçambique. salientou Luísa Diogo.mz . na sua óptica.9% das acções do projecto de carvão metalúrgico de Revuboè. ambos vogais.canalmoz. segundo o novo presidente.8%). à empresa Talbot Estate. Mas para que tal aconteça. Ivo Cau e Jorge Lúcio. Daniel Mondlane. Eduardo Duarte. Ontem a Anglo American. E desde então têm-se multiplicado negócios do género. Lurdes Cossa e Victor Alves. uma vez que. Presidente Executiva da Anglo American.3%) e pela Posco (com 7. na província de Tete. Este projecto. O primeiro negócio desta natureza que mais se notabilizou foi o da venda de acções da Riversdale à Rio Tinto. Novos órgãos sociais A mesa da assembleia-geral da CCM é presidida por Luísa Dias Diogo. que tem como vice Paulo Cardoso Júnior. Cynthia Carroll. Refira-se que a CCM foi criada em 1980 e conta neste momento com 500 membros. vamos ter que dinamizar o comércio interno e externo de modo a que as empresas nacionais incrementem a sua produção e competitividade a nível regional e no mundo em geral”. uma vez que ela é a base do nosso desenvolvimento. funcionando no total das suas capacidades. Segundo temos que incrementar as exportações dos nossos produtos agrícolas e assim podermos ver a nossa economia a crescer cada vez mais”. Tem como vice-presidente Silvestre Sechene e Elias Come como secretário. “Para dinamizar cada vez mais as nossas actividades económicas.4 mil milhões de toneladas de coque e de carvão térmico e a reserva está adequada à mineração a céu aberto. ao afirmar que o desenvolvimento da economia nacional passa pelo aumento da produtividade agrícola das exportações. está a prosperar. é imprescindível a participação de todos os seus membros”. é participado pela Nippon Steel Corporation (com 33.6 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 pois acrescentar: “Este é o principal desafio que a nova direcção da câmara terá de saber solucionar. Linda Guilherme Lang. com um potencial para apoiar a exportação em 6 a 9 milhões de toneladas por ano. Luísa Diogo. Geraldo Novela. que trabalhar juntamente com o Governo no sentido de melhorar o ambiente de negócios no país e. Luísa Diogo A opinião de Felisberto Manuel foi comungada pela antiga primeira-ministra e actual presidente da mesa da assembleia-geral da CCM. Alfredo Chambule. (Raimundo Moiane) Em Moçambique Multiplicam-se vendas de concessões mineiras entre multinacionais Maputo (Canalmoz) – O negócio de venda de concessões mineiras em Moçambique. apelou o novo presidente da CCM. O Conselho Consultivo é composto por Carlos Soeiro. para além da Talbot Estate. primeiro. outra companhia que também tem actividade no sector mineiro. O projecto de Revuboè tem recursos relatados no JORC de 1. “Mas para que isso aconteça teremos. é de apoiar as Pequenas e Médias Empresas. O presidente da direcção da Câmara é Felisberto Manuel. Julião Dimande. primeiro. disse: “A aquisição de uma participação maioritária em Revuboè correspon- Publicidade www. envolvendo multinacionais da área mineira.

Esta posição foi defendida por Linda Chongo. está com tendências a reduzir. na África do Sul. frisando que apesar da resposta ter sido lenta. que.mz . numa conferência de Imprensa organizada recentemente pela organização “Médicos Sem Fronteiras”. Estamos ansiosos por começar a trabalhar com o Governo de Moçambique e com os nossos parceiros para progredir numa perspectiva animadora”. com o objectivo de alcançar cerca de 600 mil pessoas até 2015). Esta conferência de Imprensa. (Redacção) Sociedade civil clama por mais fundos para combater HIV-SIDA Maputo (Canalmoz) – Organizações da sociedade civil moçambicana.7 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 de ao nosso compromisso estratégico de fazer crescer o nosso negócio mundial de carvão metalúrgico.co. os países mais afectados pela pandemia continuam a disponibilizar tratamento antiretroviral para as pessoas e a implementar as melhores tecnologias e estratégias de luta contra esta doença. e colocar todas as mulheres grávidas seropositivas em tratamento para o resto da vida (Opção B+) numa tentativa de acabar com a transmissão da mãe para o bebé. tanto dos doadores como do Governo. em Washington. “Eu venho de um país onde tragicamente nem metade das pessoas com necessidade de tratamento tem acesso a este. Canadá e Moçambique. A Executiva da Anglo American citada num documento da empresa enviado ao Canalmoz refere ainda que a transacção espera-se que venha a estar completada durante o terceiro trimestre de 2012. para ajudar a quem necessita em relação aos cuidados sanitários.canalmoz. Segundo um comunicado das organizações da sociedade civil. e pior ainda. Contudo ainda não o conseguem fazer sozinhos. prover um tratamento com menores efeitos secundários (TDF ou Tenofovir). do Movimento de Advocacia para a Saúde de Moçambique. O Revuboè está situado na mais atraente bacia de carvão de Moçambique. localizada em Moatize. Linda falou na conferência sobre a situação em Moçambique. Todavia. organizada dias antes da Conferência Internacional de HIV/SIDA. em cada Quinta-Feira max: 24º min: 13º max: 23º min: 12º max: 25º min: 13º max: 23º min: 21º max: 20º min: 13º max: 25º min: 17º max: 26º min: 17º max: 24º min: 15º max: 27º min: 23º max: 19º min: 10º Sexta-Feira max: 24º min: 18º max: 24º min: 16º max: 25º min: 17º max: 23º min: 20º max: 21º min: 10º max: 25º min: 17º max: 25º min: 15º max: 24º min: 14º max: 28º min: 23º max: 20º min: 09º Sábado max: 21º min: 16º max: 22º min: 17º max: 23º min: 19º max: 23º min: 19º max: 21º min: 13º max: 25º min: 19º max: 26º min: 17º max: 24º min: 16º max: 28º min: 23º max: 20º min: 09º Domingo max: 20º min: 15º max: 19º min: 15º max: 21º min: 18º max: 22º min: 20º max: 17º min: 12º max: 25º min: 18º max: 26º min: 18º max: 23º min: 16º max: 28º min: 23º max: 19º min: 09º Maputo Xai-Xai Inhambane Beira Chimoio Quelimane Tete Nampula Pemba Lichinga www. infelizmente estes planos estão em risco já que o país depende bastante do financiamento externo para o HIV/SIDA. serviu para alertar que. apesar dos novos dados das Nações Unidas realçarem o optimismo na luta contra o HIV-SIDA. por sua vez. viradas para a área de promoção dos serviços de saúde e para o combate ao HIV-SIDA. Moçambique finalmente tem planos ambiciosos. querem mais dinheiro. com fornecimentos aos nossos clientes a partir de cada uma das principais regiões de abastecimento de carvão metalúrgico localizadas na Austrália. procurando aumentar cada vez mais o número de pessoas em tratamento (actualPrevisão do Tempo até Domingo Capitais Provinciais mente cerca de 270 mil pessoas. e possui um número considerável de opções para o desenvolvimento de infra-estruturas.

contudo. cidade de Maputo. O grupo já representou Moçambique por cinco vezes no Brasil e Portugal e neste ano perfaz o seu segundo aniversário na área teatral. sob o ponto de vista dos mendigos. por sua vez. (Redacção) Má distribuição dos recursos no país Teatro vira atenção para crise financeira mundial Maputo (Canalmoz) – O grupo chama-se “Lareira”. 15 milhões de dólares adicionais para a implementação de pesquisa destinada a identificar intervenções específicas mais eficazes para determinados grupos populacionais. 4 não estão a recebê-lo. Há poucos com muito e muitos com nada”. “Foi dramatizado a aproximação dos mendigos. acrescentou Sérgio Libombo. As medidas anunciadas incluem: 80 milhões de dólares adicionais para apoiar abordagens inovadoras que garantam um tratamento adequado às mulheres grávidas seropositivas. uma vez que estes estão a ser mal distribuídos. isto porque nascemos muitos enquanto não há clareza no uso dos recursos. segundo disse. pois estes vivem dos restos que apanham nos contentores de lixo e com essa crise. Hillary Clinton. Decidiu dramatizar uma peça teatral “a cavaqueira do poste” que retrata os efeitos da crise financeira mundial. Nós queremos ver o nosso governo a aumentar o seu orçamento para a saú- de.mz . Ideias diferentes foram surgindo durante a encenação.canalmoz. os seus bebés e os seus parceiros. 20 milhões de dólares para o lançamento de um fundo que irá apoiar planos apresentados por países com vista a expansão de serviços para determinados grupos populacionais.U. O anúncio foi feito durante a sua intervenção na cerimónia de abertura da XIX Conferência Internacional sobre o SIDA. “Os líderes devem entender que a crise é uma realidade. reclamam o facto de não apanharem nada porque os que tinham dinheiro já tentam economizar muito mais”. (Redacção) EUA aumentam fundos de luta contra HIV-SIDA Maputo (Canalmoz) . também queremos que os doadores não virem as costas aos compromissos assumidos e abandonem milhares de mulheres.A secretária de Estado dos E.co. Mas. Uma peça apresentada no último sábado no Cine Teatro Avenida. Sérgio Libombo diz que “a cavaqueira do poste” refere-se a um mendigo que a cada dia vai a uma certa esquina. esperar que os “poderosos” possam lançar alguma coisa para ele se alimentar. 2 milhões de dólares de investimento ao Fundo Robert Carr de Redes da Sociedade Civil com vista a incrementar os esforços dos grupos da sociedade civil no apoio a determinados grupos populacionais. prometendo dar muito no que tange ao ensinamento social. e 40 milhões de dólares adicionais para apoiar os planos da África do Sul de disponibilizar serviços de circuncisão masculina voluntária para quase meio milhão de rapazes e adultos no próximo ano. que decorre de 22 a 27 de Julho corrente na capital dos Estados Unidos da América.. deixados por aqueles que podem comer de tudo quanto quiserem. crian- ças e homens cujas vidas estão em risco. anunciou esta semana o reforço do apoio Americano na luta global contra o HIV-SIDA. afecta a camada social baixa. concentrou os participantes a reflectir sobre este aspecto que.A. porque nós não os conseguimos salvar sozinhos”. (Arcénia Nhacuahe) www. Dias Santana referiu que a má distribuição da riqueza é um dos fortes factores da crise financeira no país.8 ano 4 | número 759 | 26 de Julho de 2012 5 crianças que necessitam de tratamento. A causa do aumento demográfico populacional é um dos aspectos defendidos por Libombo como causa principal da crise. visto que estes já não conseguem apanhar os restos que habitualmente têm recolhido nas esquinas. disse. disse citada no documento referido.