“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO”

OBRAS INDICADAS PELA COPEVE - UFPI
RESUMO DA OBRA

SONETOS
Vinícius de Moraes

a humildade.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” SONETOS (Vinícius de Moraes) SONETO DA CONTRIÇÃO 1º QUARTETO Veja o canto de amor do sonetista para com sua amada.COLÉGIO PRO CAMPUS . alumbramento. loucas e sem fim Quem és. não eu. Na mesma proporção. 2º TERCETO A alma. que és tu. 1º TERCETO Aqui há o grau comparativo de igualdade de onde. O clima.OBRAS INDICADAS . numa evasão total buscam nela lua a realização de seus sonhos. Observe que aumentando a intensidade dos sofrimento. dor.procampus. um pode não pode determina a obscuridade. Tudo que envolve um vai não vão.. o belo.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” .COPEVE . evasão. poética e indefesa Ó minha branca e pequenina lua! Desde os remotos tempos a lua provoca suspiros enamorados nos enamorados. É a magia. o amor é também fruto do mistério. por que tens olhos [escuros E mãos lânguidas.com. como o bem que estás nos [puros? Que paixão fez-te os lábios maduros Num rosto como o teu criança assim Quem te criou tão boa para o ruim E tão fatal para os meus veros [duros? E és tão pouco a mulher que anda [na rua Vagabunda. . É a lua! www.br 2 procampus@procampus.com. catarse. o momento de sedução que a lua prova e da fé àqueles que. o equilíbrio e a harmonia se junta para dar o alumbramento daquele momento de alteridade e sublimicidade. o enigma. E o que é o amor além de sofrimento. da dor. O que também é devido à presença e a saudade. alma e coração se eqüivalem na importância do amor. SONETO À LUA Fugaz. 2º QUARTETO Não obstante. a dúvida. aumenta também o amor dele para com ela.br . com que direito tens-me [presa A alma que por ti soluça nua E não és Tatiana e nem Teresa: Por que tens. e estás [em mim Impuro..

SONETO DO MAIOR AMOR Maior amor nem mais estranho [existe Que o meu. não mais que de [repente 1º QUARTETO Bem como em outros sonetos. como pronome relativo enriquecendo este terceto o que não diminui a antítese.br .UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” SONETO DE SEPARAÇÃO De repente do riso se fez-se o pranto Silencioso e branco como a bruma E das bocas unidas fez-se a espuma E das mãos espalmadas fez-se o [espanto.com. Fez-se do amigo próximo o distante Fez-se da vida uma aventura errante De repente.e vive a esmo www.br 3 procampus@procampus. 2º TERCETO Ainda continua na mesma antagonicidade entre claro / escuro. vibra. paixão / pressentimento. Europa / América (extremos do Oceano Atlântico. Observe a rima rica no 1º e 4º verso e a rima pobre no 2º e 3º verso.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . mas prefere Ferir a fenecer . mar / terra. a rima é uma forte aliada quanto à sonoridade. Além do mais a repetição do que.COPEVE . dos extremos. harmônico.procampus. quanto ao poder de musicalidade de que temo soneto. não mais que de repente Fez-se de triste o que se fez amante E de sozinho o que se fez contente.COLÉGIO PRO CAMPUS . fere E quando fere. 2º QUARTETO A adversidade entre as idéias dá origem à antítese uma preocupação extremada do autor na busca das extremidades.OBRAS INDICADAS . fica triste Louco amor meu quando toca. entre o mar / terra. que não sossega a coisa [amada E quando a sente alegre. entre céu / mar numa subjugação daquilo que é confortável. De repente fez-se o vento Que dos olhos desfez a última [chama E da paixão fez-se o pressentimento E do momento imóvel fez-se o [drama De repente. calmaria / tempestade e outras mais) 1º TERCETO Veja a dualidade entre tristeza / amante e sozinho / contente.com. aliás aflui ainda mais ou talvez na mesma velocidade.

Em "Quatro Sonetos de Meditação" o poeta não fala apenas de amor entre um homem e uma mulher.Lá ia ele embora.br .COLÉGIO PRO CAMPUS . SONETINHO A PORTINARI O pintor pequeno O grande pintor Ruim como um veneno Bem como uma flor Vi-o da Inglaterra Uma tarde.com. vi-o No ermo.br 4 procampus@procampus. Amor eterno. Não é por menos que Vinícius é considerado o mais apaixonado dos sonetistas e músicos do País. doce inverso das manhãs Translúcidas. eram amigos e certamente buscavam idéias e idéias um no outro. Um dos maiores pintores do modernismo brasileiro. do melhor amor. doido. Olhe com que velocidade. vadio Brodovski onde a terra É cor de pintura Muito louro. Amor é o lema na poesia e na música. elevou a arte da pintura brasileira aos padrões mais aceitáveis mundialmente falando.inverno sobre casas! Ó anjo das luminárias Preservador de santos e de estrelas Que importa a noite lúgubre escondê-las? www.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” E se a vê descontente. amor.procampus. ser amado. tardias e distantes Propício ao sentimento das irmãs E ao mistério da carne das amantes: Quem és. amor distante. do eterno amor enquanto dure. SONETO AO INFERNO Inverno. Mesmo que na vida esvai seu amor. estar amando. com que ânsia quer o sonetista amar. Portinari. É uma constante busca do maior amor.COPEVE . logo você encontrará outro amor e tocará sua vida e será ou quem sabe buscará sempre. E que só fica em paz se lhe resiste O amado coração.com. o amor. dá risada. e que se agrada Mais da eterna aventura em que [persiste Que de uma vida mal-aventurada. Viveu na mesma época de Vinícius. do rejuvenescer o amor.OBRAS INDICADAS . delirante Numa paixão de tudo e de si mesmo. que transfiguras as maçãs Em iluminações dessemelhantes E enlouqueces as rosas temporãs [instantes? Por que ruflaste as tremulantes asas Ala do céu? O amor das coisas [várias Fez-te migrar . É a vida que brota a todo instante de seus 20 anos. Explícita ou implicitamente em todos os sonetos o tema regente é o amor. amor próximo. vi-o Dentro da moldura De um quadro de aurora O olhar azul frio: . Fala principalmente da necessidade do renovo.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . Fiel à sua lei de cada instante Desassombrado.

br . Quero vivê-lo em cada vão momento www. e com tal zelo. dando ao sol todos os poderes naturais que lhe é devido. este morre no mar. É uma elegia aquilo que é fúnebre. Jazigo tudo que se encerra em féretro.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” .com. ao meu amor serei atento Antes.COLÉGIO PRO CAMPUS . que Aqui jaz o Sol Que criou a aurora E deu luz ao dia E apascentou a tarde O mágico pastor De mãos luminosas Que fecundou as rosas E as despetalou Possui a forma De todas as mulheres E morreu no mar. quando mais tarde me [procure Quem sabe a morte.COPEVE . já que o soneto foi escrito durante a estada do sonetista em Londres no ano de 1939. e sempre e [tanto Que mesmo em face do maior [encanto Dele se encante mais meu [pensamento. fim de quem [ama Eu possa me dizer do amor (que [tive): De tudo. No quarto terceto observamos que apesar de possuir a forma de todas as mulheres. talvez a opacidade do inverno europeu. EPITÁFIO Aqui jaz o Sol O andrógino meigo E o violento. "Propício ao sentimento das irmãs E ao mistério da carne das amantes:" A inocência virginal das irmãs e o pecado atenuante das amantes que buscam na carne a sua felicidade.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” O translúcido. morto. "Aqui jaz o sol".OBRAS INDICADAS . enterrado. angústia de [quem vive Quem sabe a solidão.br 5 procampus@procampus. Atente-se para os dois versos finais do primeiro quarteto. No segundo quarteto observamos que aquele que constrói (3º verso) é também o mesmo que destrói (4º verso). SONETO DE FIDELIDADE E assim.com. É o jogo de palavras para dar vida ao poema.procampus. Não é por menor que já no primeiro verso dá-se a construção.

das palavras mimetricamente colocadas nos devidos lugares.eu de amor pouco e vida [pouca Uma lua no céu apareceu Cheia e branca. outra no céu Mas que tinha deixado em meu [enleio Um sorriso de carne em sua boca Um gota de leite no seu seio. não teremos mais o mesmo poema e sim.. porém forte. a outra abandonada Uma nua na terra. SONETO DE DESPEDIDA Mas não partira delas. do cuidado em não pecar contra ti. efervescente. Que não seja imortal posto que é [chama Mas que seja infinito enquanto dure.br . Muitos e de muitas formas é utilizado para demonstrar qualquer plangência de amor platônico. Larguei-as pela jovem madrugada Ambas cheias e brancas e sem véu Perdida uma. outro. a mais louca Apaixonou-me o pensamento.COPEVE .OBRAS INDICADAS . Aqui há o excedente. Ambas brancas. cheias e sem véu.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” Em seu louvor hei de espalhar meu [canto E ir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ao seu contentamento. já que. Como passou depressa o tempo Como mudou a poesia Como teu rosto não mudou! www. o ápice do zelo. Enquanto eu amar-te é lindo. BILHETE A BAUDELAIRE Poeta. Foi só a lua aparecer e como um encantamento. o excesso.br 6 procampus@procampus. a mulher entregou-se ao amor do homem ao seu lado estava sem sequer uma palavra de persuasão.com. incapaz de contigüidade. as duas conforme o autor participação do ato. O véu está invocando a não virgindade de ambas.. deixa de ser sublime e passa a ser uma coisa qualquer. Oh amada! Pode-se notar o equilíbrio suave. Veja a bela construção deste soneto. dei-o Feliz . reencontro a rara Delícia de me deparar Com tua sordidez preclara Que não revia desde o tempo Em que te lia e te relia A ti. [emocianada A mulher a meu lado estremeceu E se entregou sem que eu dissesse [nada.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” .com. foi quando. quase uma hipnose. Este soneto é o mais conhecido de Vinícius. Caso o tiremos uma apenas.procampus. porém se acaso o amor faltar.COLÉGIO PRO CAMPUS . a Rimbaud. a Verlaine. um pouco à tua maneira E para distrair o spleen Que estou sentindo vir a mim Em sua ronda costumeira Folheando-te. é sublime.

o ar e a água representam as formas de construção deste planeta.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . Podemos perceber também a busca da mortalidade. feito pólen. Mas eu que não sou bobo.COPEVE . (só penso).OBRAS INDICADAS . digo nada. Muito bem: Antes que a terra a coma. Ao amigo Graciliano de tantas lutas e tantas vitórias... Porém metaforicamente Vinícius os elevou para a excentricidade da mulher que está ou pode ser formada a partir destes elementos. a terra.. Veja. MÁSCARA MORTUÁRIA DE GRACILIANO RAMOS A epopéia a Graciliano Ramos nos dá a noção do poder de canto que tem este soneto e seu viador. poetas considerados grandiosos na construção da poesia pura européia.br 7 procampus@procampus. Vinícius iniciou suas leituras lendo justamente: Rimbaud.. mínima e breve: A música do perfume Não guarda ciúme). de acridoce Feição. OS QUATRO ELEMENTOS O fogo.com. feito pó. feito fibra Feito pedra.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” Ao ler o soneto percebemos o encantamento que o discípulo tem para com seu mestre. feito o que é morto e [vibra Sua máscara enxuta de homem forte Isto revela em seu silêncio à escuta: Numa severa afirmação da luta Uma impassível negação da morte. As cássias escorrem Seu ouro a teus pés Conheço o soneto Porém tu quem és? www.procampus. Da paixão em que sempre se [queimou De seu duro corpo que ora longe [inverna. a chama [interna. desencantou-se Nele o íntimo arcanjo.. Feito só. Verlaine e Baudálaire. (Sê. É o sincronismo em ação. Há também presença picante no final do 2º elemento: a terra. Feito só sua máscara paterna Sua máscara tosca. é assim.COLÉGIO PRO CAMPUS . Inelutavelmente tu Rosa sobre o passeio Branca! E a melancolia Na tarde do seio. sua máscara austerizou-se Numa preclara decisão eterna. Conforme Otto Lara Resende. Feito pó. Ah. QUESTÃO DE VESTIBULAR ÁRIA PARA ASSOVIO O madrigal se escreve Se é do teu costume Deixa que te eu leve.. como eu.com.br .

Poética. e) catacrese. d) Devido às várias características da mulher e suas perscrutações o autor diz-se não conhecedor de mulheres.. Poética. e) B . www..Conforme soneto acima a figura de linguagem predominante. ida. aí!.. b) a mulher amada vista num deslumbramento todo cheio de utensílios. Homem. acessórios. b) antítese. QUESTÃO 03 . retirados do soneto. c) hipérbole.O soneto acima pode ser analisado.. Conheço o soneto Porém tu quem és? QUESTÃO 02 . aquela de carne e osso acometida também de pecados. QUESTÃO 04 . aparatos.com. d) metonímia. mas indaga a mulher.com.A presença mais acidentada da picante libido de Vinícius nesta obra está nos sonetos: a) Os Quatros elementos. a) o sonetista se diz conhecedor de todos os sonetos. dura pouco. sou pai. quem és? c) Apesar de conhecer o soneto o autor desconhece as artimanhas das mulheres.Marque a alternativa INCORRETA quanto aos versos acima. Soneto de Despedida. e) todas corretas.COLÉGIO PRO CAMPUS ...UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” QUESTÃO 01 . Poesia.. quem me dera. é a) metáfora. d) é um canto de amor. Poética. c) um soneto de canto e encantamento da mulher ideal. c) Os Quatro elementos. Amor.C e D são corretas ANFIGURI Aquilo que eu ouso Não é o que quero Eu quero o repouso Do que não espero. Ária para Assovio.br . Não aquela mulher subjetiva imaterial. b) o autor de diz conhecedor dos sonetos. Não quero o que tenho Não sei de onde venho Sei para onde vou.procampus. b) Os Quatro elementos.. sou um louco Amante.br 8 procampus@procampus.. sou a fera Poeta.COPEVE . d) Soneto da Rosa.OBRAS INDICADAS .“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . como a) uma metáfora. mas sim.

mas é ainda mais ambicioso.C A DISCUSSÃO DO SONETO VINÍCIUS DE MORAES estreou em 1933. com O Caminho para a Distância . atraído por uma incoercível.tudo com maiúsculas .COLÉGIO PRO CAMPUS . a) tem construção em prosa.B. A dedicatória mantém-se na mesma soberba altitude: A JEAN-ARTHUR RIMBAUD E JACQUES RIVIÈRE EM DEUS Em Forma e Exegese. mas certamente acima de todos os homens: A vida do poeta tem um ritmo diferente.br . 3 . aos vinte anos.um livro. fala à turbamulta.E. a que se sentia.B. olhava mais o céu do que pisava a terra. mais altissonante.COPEVE . compassivo para com os homens.o poeta reivindica um lugar privilegiado. embriagado pela vertigem das grandes abstrações e das grandes alturas. segue-se Forma e Exegese. Na verdade. d) pode ser considerada uma epopéia. terrena e já evidente . Sua alma sofre "pavorosamente a dor de ser privilegiada". ambos com A grande. eram entidades próximas.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” QUESTÃO 05 . 5 . 2 . O poeta espraia-se num ritmo solene. O poeta está comprometido. sem com ela confundirse. Amor e Anjo. é um sacerdote que.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” .A. Forma e Exegese respira o mesmo estro que O Caminho para a Distância. no qual o lírico dribla o cipoal de angústias metafísicas em que o "poeta altíssimo" andava enredado. Com invocações ao Espírito e à Verdade . como ser assinalado e meio esotérico. 4 . contudo. que é de 1935. E a sua alma é uma parcela do infinito distante.procampus. c) faz parte do modernismo brasileiro. do alto de sua sapiência. b) faz parte do Parnasianismo brasileiro. GABARITO: 1 .com. como um missionário. mais pomposo."Ausência"."em preparo". a começar pelo título.com.OBRAS INDICADAS . já está um dos primeiros poemas que Vinícius selecionaria para a sua Antologia Poética .um romance (O Conhecimento do Amor) e novo livro de poemas (A Face do Anjo). Ao primeiro livro.lei de gravidade. www. com "o infinito que ninguém compreende": Ele é o eterno errante dos caminhos Que vai pisando a terra e olhando o céu. no qual o autor anunciava de cara .pelo menos nas entrelinhas .br 9 procampus@procampus. dois títulos expressivos e reveladores. senão a face de um mesmo e único Mistério (também com M grande).Quanto à obra é CORRETO afirmar.

Ao contrário.. segundo o próprio autor. Descendo ao concreto o poeta faz as pazes com a vida. A inspiração confunde-se freqüentemente com o delírio. que vinha de 1922. de uma ênfase muito mais adolescente do que poética. a recolher as velas de sua desbragada inspiração. de "alegórico". freqüentemente mística". até que a aceitação do real o convide a deixar de ser inquilino do sublime. nasce do encontro e não do conflito. É um vidente. As metáforas. o poeta se dá conta de seus cinco sentidos alertas. encara o cotidiano e não se envergonha .. tornei-me em homem. Livra-se das penas de pavão e de águia que se tinha acrescentado. Não mais necessita de exacerbar. quem sabe. menos consciente de sua aristocrática missão de. o "ser ignorado". ou brasileiramente schmidtiano (não nos esqueçamos de que Schmidt.. E a mulher se encarna. A poesia já não é desdenhosa. quando ele estava. Caminha para assumir a sua naturalidade..com. uma eloqüência que abomina o silêncio e exerça o comezinho. procura apazigá-las. a menos que se tome a palavra no sentido vulgar. que só celebrava no altar de Rimbaud e outros clérigos de alto coturno. aflita e presunçosamente. Transcendental. até pelo título. homem entre coisas. Dentro de um contexto de reação às trivialidades. que a princípio a mudança lhe soe como empobrecimento.Dois Poetas). Nessa primeira fase. Descobre o chão em que pisa. ou "esotérico". objeto de um longo estudo apologético de Octavio de Faria . transitou do reino do sublime para o plano do real. A linguagem. é que Ariana. não se derrama em apóstrofes nem se despenha em cascatas espumejantes para inglês ver. mística. porém. de que Forma e Exegese.br . Poeta e cidadão se encontram. têm então envergadura condoreira e buscam. pois os eflúvios místicos . Despojou-se da contemplação narcisista de seus provavelmente imaginários tormentos pessoais.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . pandas. sim.OBRAS INDICADAS .procampus. tão coloquial quanto. guarda ainda a opulenta retórica da primeira fase e nela assenta como a luva à mão. Feito homem. com este. mas o que está para lá do que existe e o cerca. Ainda estará longe do padrão meio faceto e muito íntimo da www. é tão característica. Meu sonho. como se confessa. homem entre homens. A data da mudança que se operou no poeta não pode ser fixada com precisão. editor do livro de estréia de Vinícius. encerra "a sua fase transcendental. que de resto nunca lhe faltaram.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” Em 1936.de sua fase sublime sempre se mesclaram de inequívocos arrancos sensuais. como tinha de ser.COLÉGIO PRO CAMPUS .br 10 procampus@procampus. Já não é uma ave do paraíso. gravíssimo. o poeta quase imberbe é grave. desce ao natural. ainda que fabricado a duras penas. a Mulher. Cuida de entrever mais do que ver. O poeta deixa de fazer pose. as razões de sua angústia. pois. à escolha). sobretudo os inumeráveis"). mas a favor. não é contra. a "que perpetua o desespero humano". eu te perdi. que. É natural. à maneira de Rimbaud. às piadas e às rastaqüerices da onda modernista. cedo enjoa de orgulhosas inquietações mais ou menos postiças e. falam a mesma língua. sobretudo em O Caminho para a Distância. Desaparecem os sustenidos artifícios e os falsetes que não lhe pertenciam.vá lá . Manuel Bandeira (que de resto lhe fornece a epígrafe para aquele livro: "Todos os ritmos. mas é fora de dúvida que ele. o ritmo é largo. por vanglória de super-homem.a partir de Novos Poemas . senão ao coloquial. nem tanto. da aliança e não do atrito.COPEVE .com. bardo (ou de vate. O "fardo da carne" acentua os espasmos de uma adolescência literariamente manipulada para encher o seu farnel metafórico. foi. mais do que o sotaque antigo. o poeta imposta e alça a voz para cantar a "mulher desespero". Além de feroz o altíssimo. O que lhe importa não é ver o que existe e o cerca. e que estará próxima de um juvenil mistifório do que de um misticismo contemplativo.de falar como todo mundo. claudeliano. A verdade. entendem-se. no seu caso. surge Ariana.

Uma sublimidade pejorativamente angélica cede lugar ao "sentimento da fecundidade da vida". com uma flexibilidade musical capaz de fazer misérias. sim. e Garcia Lorca. esquece as profecias de timbre apocalíptico. tornamse familiares. De um certo desdém altivo. "a quem foi dado se perder de amor pelo seu semelhante". Mulher que trabalha. É a época das baladas. Tempo de guerra: "Balada dos Mortos dos Campos de Concentração". vir habitar o mundo: O mundo é bom.COLÉGIO PRO CAMPUS . Dispõe de um instrumento hábil e adestrado. A 'Balada das Meninas de Botafogo": a mulher já não tem nada da idealização de musa incorpórea. ressaibos da antiga sede de absoluto. a solidão. está mais . A fórmula viniciana de viver intensamente guarda.br .com. Vinícius divulga os seus primeiros sonetos. começa a assegurála. olha o céu. Talvez já não pense na posteridade e. "Máscara Mortuária de Graciliano Ramos". a certeza de que tudo afinal é pouco. em que se viram reminiscências lorquianas ("La Casada Infiel"). sensual e social. vai ser companheira e amiga: Não. Já n'O Caminho potra a Distância.e duvidosa. O poeta multiplica os seus ritmos e persegue a sua substância.OBRAS INDICADAS .com. mais desenvolto.COPEVE . O primeiro deles. o poeta está impregnado de uma consciência social que o convoca para as preocupações de seu tempo. de todas as mulheres. E porque aí também habita. www. pela ordem de paginação. é a vida "e só a vida. "A Última Viagem de Jayme Ovalle". O espaço é muito triste. sobretudo a partir de Cinco Elegias (1943).UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” famosa "Receita de Mulher". que não lhe era genuíno. Nada que é humano lhe é estranho. que anda de bicicleta. Senhor.. a mulher agora é de carne e osso. O poeta altíssimo está. Vinícius caminha assim para a compreensão e depois para a via larga e misericordiosa da absolvição geral: Tende piedade. tu não és um sonho. desvenda os próprios temas. mas já não é mais uma transfiguração perturbadora e etérea . A "Balada do Mangue". põe-se à vontade dentro de um lirismo que.espécie de fantasma inexistente de um castelo que também não existe. Volta-se para o tempo presente.procampus. finalmente. seu livro de estréia. "Balada de Pedro Nava". por isso. Pablo Neruda.br 11 procampus@procampus. Os largos verbos de largo fôlego despem a sua adjetiva púrpura de nobreza perfunctória . Das pobres flores gonocócicas à amada. ou qualquer coisa parecida: a consciência do insatisfatório. na boca das multidões.solto.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . "A Bomba Atômica". tens fadiga e tens pudor No calmo peito teu. é claramente. deixando de ser água das alturas infinitas. Sua manipulação do verso é acrobática.. Vinícius veste-se sob medida. quem sabe. Agora. com tudo o que ela tem de sórdido e de sublime". és a existência Tens carne. valorizado pelo martírio. cuja publicação na Revista do Brasil constitui um caso nacional. O poeta reconhece os amigos: "Soneto a Octávio de Faria". Revolta. A matéria do poeta. um autoconvite para abandonar o pranto. que habita em suma a cidade do real. "Rosário". mas sobretudo pisa a terra. "A Rosa de Hiroxima". "Saudade de Manuel Bandeira". Os poetas intelectuais franceses e os poetas metafísicos ingleses fazem parte de uma aventura espiritual encerrada. "Mensagem a Rubem Braga". contudo. o espaço e. A mulher agora é gente.

Olavo Bilac. No Brasil."Judeu Errante". esse espaço imponderável. nem por isso. Manuel Bandeira. está historicamente assegurado.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . os resultados foram positivos: o soneto não morreu. pelo convite a reformar uma fórmula esgotada e sempre inesgotável. Jorge de Lima. com razão. isto é. para oxigenar o provinciano e sufocante ambiente literário nacional. É preciso chamarse. Shakespeare. menos popular. para o poeta. sem a qual o soneto é apenas www.Mário de Andrade. o "Soneto de Devoção" e o "Soneto de Inspiração". natimortos.Cheio de dores tristemente mansas. Vinícius é um que aceitou o desafio e saiu-se bem dele. A seguir. Como era de esperar. amplia. o "Soneto de Contrição". o seu "Soneto de Intimidade". a bem dizer.com. poeticamente válida.COLÉGIO PRO CAMPUS . as duas mais altas vozes são de exímios sonetistas . ser criança. frios. Os próprios corifeus do modernismo . um perdido. Dois versos logo no primeiro quarteto definem uma pretensa filosofia de cunho romântico. que "depois do modernismo. na volta ao soneto. mas nítido.conquistaram o direito de cometer os seus sonetos sem renunciar à personalidade e à poesia. A lição camoniana. Alberto de Oliveira). só dá prazer dentro de um mínimo de regras. mas ressurgiu renovado e. da liberdade interior. um desesperado que se esforça em demonstrar-se que é impraticável conciliar a alegria de viver com a nobre missão de poetar. Essa marca só vai aparecer. quero crer. resiste a todas as revoluções. que por sua vez será petrarquiana.OBRAS INDICADAS . o "Soneto de Agosto". como todo ato lúdico.todos incluídos nos Novos Poemas . A mesma temática reaparece no terceiro e último soneto d'O Caminho . com dois quartetos e dois tercetos. foi Vinícius de Moraes que começou a criar gosto pelo soneto de forma regular". há mil maneiras de fazer um soneto. Uma vez na posse de sua língua pessoal. Não há a rigor grande poeta que não tenha sonetado .A vida é um sonho vão que a vida leva . como diz Paulo Mendes Campos. O movimento modernista. ao chão de todo mundo. se volta houve entre nós. precisou saudavelmente mover campanha mortal contra o soneto. de saída. tão século XIX: . Nas letras portuguesas. o soneto é. Carlos Drummond de Andrade .o "Soneto à Lua". a que se seguem .COPEVE .procampus. Charles Baudelaire. depois da rigidez parnasiana. "Amor nos Três Pavimentos" assinala a chegada de Vinícius ao mundo.de um soneto e de fato empreender. Vinícius nunca mais deixará de compor os seus sonetos. sem contar a estrambótica.Camões e Fernando Pessoa. logo. para meter-se na caminha de força . O soneto é. nessa inebriante conciliação da liberdade com a disciplina. que se abre com "Ária para Assovio". O soneto está em todas as literaturas e. são essencialmente modernos: respiram a mesma naturalidade de suas melhores composições. a reação simbolista floresceu com sonetistas do porte de Alphonsus de Guimaraens e Cruz e Sousa. mas perenes (Raymundo Correa. nos sonetos vinicianos. Seus sonetos. inimigo do soneto. Amar á ser feliz. Seu lugar. Composição poética de quatorze versos.Dante. O poeta entra na posse de um instrumento literário capaz de lhe dar. nítida e finalmente livre. que nada tem ainda da marca pessoal de Vinícius. o "Soneto de Katherine Mansfield". "um desafio e uma brincadeira". Forma poética popular desde a sua origem. em Novos Poemas. porém. Desafio sobretudo.com.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” É uma antecipação premonitória do itinerário que aqui procuramos rastrear. desde o século XIII. Observa Paulo Mendes Campos. Fundem-se aí a linguagem do amor e a linguagem da infância. obra pessoal. incorporada à Antologia mais tarde selecionada pelo poeta. responsável por algumas peças marmóreas. a carta de identidade de um poeta.br . brincadeira que. longe de serem acadêmicos. Já o segundo soneto d'O Caminho chora copiosamente: o poeta é um incompreendido. com disciplina e liberdade.br 12 procampus@procampus. ou equivalente. Petrarca.

OBRAS INDICADAS . que. o que no caso é também mais personalidade. o que quer dizer antipoético. ou segundo os caprichos do poeta.estão em todas as oiças.COPEVE . impávido. o que dá na mesma .originalidade. É fácil entender.ou camoniano. assim como a distribuição geométrica e visual em quartetos e tercetos. várias vezes acertou na mosca.procampus. pois. com o que dá provas de bom-gosto e discernimento. Conquistaram.pelo menos os ecos . em decassílabos espontâneos. em matéria de sonetos. segundo as exigências do tema. "A Pêra". que o público . de sua marca pessoal. é ajudada pelo seu melhor servo. ao longo de trinta e cinco anos de fidelidade à poesia. como faltava à bibliografia de Vinícius de Moraes este Livro de Sonetos. tendente ao sublime. Vários deles já correm mundo e freqüentam obrigatoriamente as coletâneas do gênero. como aquele.COLÉGIO PRO CAMPUS . eu poderia citar o "Soneto do Amor Total". inclusive . no soneto ou fora dele. Ou do "Soneto de Separação". o soneto é por certo a mais popular.os escolhos de um tema eterno. Metro e rima variam. A unidade da peça e até o galope dos versos. há de conduzir a mais liberdade. que ó coração. Aí está.“A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” . é fora de dúvida que Vinícius. impregnados.mesmo saber de coração. quase sempre heróicos.com. que aliás. para usar a expressão feliz de Carlos Parte de Moraes. com os seus sonetos. O cilício do soneto. mas tão-só conceituoso. sem querer bancar o profeta. Aqui se juntam todos os de sua lavra que o poeta considera realizados. que é. o direito à permanência. .já consagrou. um malabarista que não recua diante do salto mortal.UFPI “A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO” um exercício enfadonho e bem-pensante. cujos ecos . como todo recurso de ascese. www.br . Na mesma linha. que não me deixa mentir. De todas as formas poéticas. Vinícius construiu este Livro de Sonetos. porém. Desafiando e brincando. entre tantos. Também quanto a esse aspecto da acolhida popular. É o caso do "Soneto de Fidelidade". ainda que de sabor clássico . são bons arrimos para a memória.br 13 procampus@procampus. com o favor do público.com. ou seja . no caso.ou sobretudo porque de mais fácil memorização. atravessa. do qual se poderá dizer. fora a quadrilha em redondilhas. Saber de cor. por tudo isso.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful