Colégio de São José Química Orgânica (Q-II

)

Professora Valéria

Resumo dos Seminários
Fertilizantes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fertilizante

Índice:
Fertilizantes Petróleo Polímeros Sabões Vidro Supercola 1 2 4 5 6 6

Comer é um ato agrícola, disse um fazendeiro e economista americano, mas é também um ato ecológico e um ato político.
Quando falamos em sustentabilidade, pensamos em ações como não poluir, preservar áreas naturais, reciclar lixo, economizar água, dar preferência às fontes alternativas de energia etc. Mas raramente nos lembramos de relacionar uma de nossas atividades mais básicas com impactos negativos no meio ambiente: o ato de se alimentar. Nos primórdios da humanidade, a alimentação era baseada em frutas, raízes, carnes de animais caçados e outras fontes que não modificavam significativamente a natureza. Com o advento da agricultura e da domesticação de animais, há cerca de 12 mil anos, deu-se início à produção de alimentos. Os primeiros seres humanos eram nômades. Tinham com a terra uma relação descompromissada, permaneciam nela apenas enquanto podia retirar da natureza o suficiente para seu sustento. Quando os re-cursos diminuíam partiam para outro lugar. Até que perceberam que a terra exigia maior compromisso. Recebendo os cuidados necessários, seus recursos não se esgotavam e assim se podiam ficar mais tempo no mesmo lugar. Para cuidar da terra, foi preciso criar técnicas e instrumentos de trabalho. Assim, surgiu a agricultura. A princípio, havia apenas a agricultura familiar, contando apenas com ferramentas rudimentares ajuda de animais. e

A urbanização trouxe a tecnologia, que mudou o aspecto das fazendas. Nos países mais ricos, as maquinas passaram a representar quase 90% da força utilizada na agricultura. Hoje, a produção agrícola não serve apenas para alimentar a população de um país. Nesse empreendimento não se recorre somente à mecanização, mas à Química. Como conseqüência, a produtividade agrícola aumentou significativamente e as novas tecnologias fortaleceram a agroindústria. Entretanto, essas radicais mudanças sofridas pela agricultura também trouxeram conseqüências negativas ao meio ambiente. Os fertilizantes nutrem a terra e prejudicam o meio ambiente. Isso acontece porque são solúveis em água e, em períodos de chuva podem ser arrastados para lagos e rios. O excesso de nutrientes propicia a rápida proliferação de certos tipos de algas que dificultam a oxigenação e a passagem da luz levando a morte de vários animais e plantas aquáticas. Fertilizantes ou adubos são compostos químicos que visam suprir as substâncias sobrevivência São aplicados com o intuito produção. deficiências em vitais à dos vegetais. na agricultura de melhorar a

Quando a química interfere na agricultura? Os produtos químicos trazem benefícios ou prejuízos às plantações?

Com o crescimento populacional houve a necessidade de maior produção de alimentos, expandindo a áreas cultivadas. No entanto, nos últimos séculos ocorreu um acelerado processo de urbanização que diminuiu o espaço rural, justamente onde se produzem os alimentos.

As plantas necessitam de diversos elementos químicos e alguns desses elementos estão fartamente disponíveis no meio ambiente de nosso planeta e são diretamente assimiláveis pelas plantas. Outros como nitrogênio, apesar de fartamente disponível na atmosfera, não são diretamente absorviveis pelas plantas, ou o processo de absorção é muito lento face à demanda produtiva. Aos elementos normalmente adicionados pelos agricultores chamamos adubo. Podem ser aplicados através das folhas mediante pulverização manual ou mecanizada, via irrigação ou através do solo.

Resumo dos Seminários
Antes de se aplicar qualquer tipo de fertilizante ou corretivo de solo, deve-se antes fazer uma análise química do solo e em seguida encaminhá-la a um profissional competente para que não haja desperdícios e compras desnecessárias, ou ainda uso incorreto dos fertilizantes (o excesso de um nutriente e a falta de outro pode deixar a planta muito suscetível a doenças). Adubos orgânicos:
Esterco de curral – faz-se necessário que o adubo seja curtido, geralmente por trinta dias sob condições especiais. Resíduos de matadouros – são ossos, sangue seco ou farinha de sangue, chifres e cascos. Resíduos oleaginosos – subprodutos da indústria de óleos. Vinhaça – subprodutos das usinas após a destilação do álcool. Apesar de ser solução ácida, produz efeito alcalinizante. Resíduo de filtro prensa – é subproduto da usina de açúcar. – São cultivos que serão enterrados no solo: feijão de porco, feijão guandu, mucuna, feijão baiano e soja.

2
químicas existentes. É o método mais barato, prático e rápido para avaliar a fertilidade do solo.

resíduos animais ou vegetais, sendo de ação mais lenta que os minerais, visto que necessitam transformações maiores antes de se-rem utilizados pelos vegetais.

Análise foliar
A orientação mais segura para a produção é dada pelas análises de solo e foliar. Esta última indica o estado nutricional da planta, tanto em relação aos macro (nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre) como aos micronutrientes (boro, cobre, ferro, manganês, molibdênio e zinco) .

Acidez ou alcalinidade
Os adubos podem provocar acidez ou alcalinidade no solo. A mistura de alguns fertilizantes é conveniente, dependendo do tipo de solo, do seu pH e do que se cultivará. Ácidos - Nitrato de amônia, uréia, sulfato de amônia, fosfato de amônia, amônia anidra e sangue seco. Alcalinos – Nitrato de sódio do Chile, calcáreo dolomítico, nitrato de cal, cianamida, nitrato chileno potássico. Neutros – nitrocal, superfosfato, cloreto de potássio.

Classificação
Adubos minerais: São extraídos de minas e transformados em indústrias químicas. São diretamente assimilados pelas plantas ou sofrem apenas pequenas transformações no solo para serem absorvidos. Podem conter apenas um elemento ou mais de um. Os principais elementos fertilizantes são: nitrogênio, fósforo e potássio. Existem também os micronutrientes como bórax, sulfato de zinco dentre outros que podem ser agregados nos fertilizantes. Adubos orgânicos: São

Calagem
É uma etapa do preparo do solo para cultivo agrícola na qual se aplica calcário com os objetivos de elevar os teores de cálcio e magnésio, neutralização do alumínio e corrigir o pH do solo, para um desenvolvimento satisfatório das culturas.

Análise Química do Solo e Folhas
A análise química do solo prediz a disponibilidade dos nutrientes e possíveis barreiras

Petróleo
http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc15/v15a04.pdf

O petróleo, um dos recursos naturais dos quais a nossa sociedade é bastante dependente, é um assunto constantemente discutido na televisão e nos jornais devido à sua influência na economia.
para o fogo grego, uma hipótese aceita é de que fosse algum composto derivado da nafta. Acredita-se, ainda, que possa ter sido feita a partir de cal viva (óxido de cálcio, CaO), petróleo, nafta, enxofre e salitre (nitrato de potássio), dentre outras substâncias. Por sua vez, os jardins suspensos da Babilônia – uma das sete maravilhas do mundo antigo – construídos pelo rei

Primeiros usos
A palavra petróleo vem do latim petroleum (petro = pedra; oleum = óleo), óleo de pedra, O chamado “fogo grego” era uma mistura viscosa que flutuava e queimava até mêsmo em contato com a água, e foi muito utilizada pelos gregos bizantinos como arma de guerra. Muito embora não exista uma “formulação” exata

Uso do “fogo grego” numa batalha naval

3
Nabucodonosor, no século VI a.C., no sul do atual Iraque, foram assim descritos pelo geógrafo grego Stabo: Eles consistem de terraços superpostos, erguidos sobre pilares em forma de cubo. Estes pilares são ocos e preenchidos com terra para que ali sejam plantadas as árvores de maior porte. Os pilares e terraços são construídos de tijolos cozidos e asfalto. A subida até o andar mais elevado era feita por escadas, e na lateral, estavam os motores de água, que sem cessar levavam a água do rio Eufrates até os Jardins... Logo, sabe-se que asfalto era utilizado como aglutinante na fixação dos tijolos. A utilização de derivados do petróleo, como o asfalto e o betume, era comum na Antiguidade. Acredita-se que o uso do petróleo tenha se iniciado há cerca de 6 mil anos. Como não existiam ainda as atuais técnicas de perfuração, infere-se que as reservas encontradas estavam na superfície ou muito próximas dela, talvez tendo sido encontradas quando da escavação de poços d’água. Descobertas arqueológicas indicam que, já no século IV, o asfalto era empregado na construção de cidades. De acordo com a Bíblia, foi usado na Torre de Babel e na Arca de Noé (Gênesis - cap. 6, V. 14) como asfalto, para sua impermeabilização. Além disso, uma descoberta arqueológica, efetuada há alguns anos atrás, revelou indícios do emprego do asfalto, no século IV, como material de construção de cidades. Na Ásia Menor (Oriente Médio), onde se encontram atualmente as maiores jazidas petrolíferas do mundo, o imperador Alexandre, o Grande, da Macedônia, numa de suas ex-

Resumo dos Seminários
pedições observou, a presença de chamas surgidas do seio da terra e de uma fonte de combustível que chegava a formar um lago. Os egípcios utilizavam o petróleo para embalsamento de mortos ilustres e como elemento de liga nas suas seculares pirâmides, ao passo que os romanos e gregos usavam-no para fins bélicos. Muito antes da descoberta do Novo Mundo, os indígenas das Américas do Norte e Sul, serviam-se do petróleo ou de alguns de seus derivados naturais para inúmeras aplicações - entre elas a pavimentação das estradas do império inca. Por mais útil que fosse, jamais ocorreria aos mesopotâmios, egípcios ou persas que aquele líquido negro, grudento e mal cheiroso, poderia ter importância vital no desenvolvimento e riqueza de seus países. Hoje o petróleo responde por quase a metade de toda a energia gerada no mundo. Sem ele as usinas termoelétricas parariam de funcionar, deixando cidades às escuras. Veículos terrestres, navios e aviões ficariam parados, indústrias não produziriam nada e os habitantes dos países frios congelariam no inverno, sem o combustível da calefação domestica. pensar a vida sem eles. Sem o petróleo, a maioria dos materiais sintéticos não existiriam. Roupas de poliéster e tênis de nylon teriam que voltar a ser feitos de algodão. Um mundo sem plásticos hoje seria um pesadelo. Além do que, uma infinidade de processos industriais depende de insumos derivados do petróleo. Sem eles a indústria farmacêutica, por exemplo, não poderia fabricar uma série de medicamentos indispensáveis. Para completar, tanques e aviões de guerra também são movidos a petróleo. Se falamos em nações dispostas a ir a guerra para garantir seus suprimentos de combustíveis é porque sem eles é impossível guerrear. Ironia mortal, mas verdadeira.

Milênios antes de Cristo, o petróleo era transportado, vendido e procurado como útil e precioso produto comercial. No entanto, foi apenas no século XIX, nos EUA, que o petróleo teve seu marco na indústria moderna. Isso graças à iniciativa do americano Edwin L. Drake, que, após varias tentativas de perfuração, encontrou petróleo.

Derivados do petróleo

Aplicações do petróleo além dos combustíveis
E não pára por aí. Além dos combustíveis e lubrificantes que saem direto das refinarias, a nafta é um dos derivados do petróleo é a matéria-prima básica da indústria petroquímica, de onde vêm os plásticos, resinas, solventes e outros produtos tão presentes em nosso cotidiano que fica difícil

Restos de animais e vegetais mortos depositaram-se no fundo de lagos e mares e, lentamente, foram cobertos por sedimentos. As altas pressões e temperatura exercidas sobre essa matéria orgânica causaram reações químicas complexas, formando o petróleo. A idade de uma jazida pode variar de 10 a 400 milhões de anos.

Resumo dos Seminários Polímeros
http://www.brasilescola.com/quimica/polimeros.htm

4

Plásticos Fantásticos. Plásticos (polímeros) são conhecidos por serem bons isolantes: não conduzem eletricidade. Certo? Depende...
Um grupo especial de polímeros conduz eletricidade. E, além disso, emitem luz quando submetidos a um determinado potencial elétrico. "Descobertos" há menos de 30 anos, estes polímeros estão abrindo possibilidades fantásticas na indústria tecnológica, como monitores de plástico e músculos artificiais. A partir de agora entramos no mundo dos polímeros, pois plástico é uma denominação usada para um pequeno grupos desses materiais incríveis. A palavra polímero tem origem no vocábulo grego polumeres, composto por polu = muitas e meres = partes. Polímeros são, portanto, substâncias químicas formadas por muitas partes. A estrutura molecular de um polímero comsiste na repetição de pequenas unidades, ligadas por covalência, originando uma molécula bastante longa, de alta massa molar. Estas pequenas unidades são chamadas de monômeros (do grego, uma parte). A reação que promove a união dos monômeros para formar um polímero é chamada de polimerização. Para demonstrar a importância do estudo dos polímeros, basta mencionarmos que a variedade de objetos a que temos acesso hoje se deve à existência de polímeros sintéticos, como por exemplo: sacolas plásticas, para-choques de automóveis, canos para água, panelas antiaderentes, mantas, colas, tintas, chicletes, etc.

Todo cozinheiro sabe que o Teflon é um revestimento resistente empregado para cobrir utensílios domésticos, como panelas e frigideiras. O que nem todos sabem é sobre a origem e composição deste material antiaderente.

A composição do Teflon
O Teflon é o nome popular do polímero Politetrafluoretileno, a sigla PTFE ajuda na identificação deste composto de nome complicado que surgiu em meio aos experimentos do químico Roy Plunkett, no ano de 1938, enquanto realizava experimentos com gás tetrafluoretileno. Estudos revelaram também aspectos do novo polímero como:  Resistente a altas temperaturas (500°C);  Insolubilidade em solventes;  Resistência ao ataque por ácido corrosivo a quente;  Aspecto escorregadio.

foi empregado na fabricação de garrafas descartáveis, e recebeu a nomenclatura PET, esta é a definição própria para as embalagens compostas por poliésteres. Com as vantagens de ser facilmente manuseado e transportado, o PET se torna mais uma das praticidades do século XXI que chegou para substituir o vidro (pesado e frágil).

Silicone
Silicones são polímeros compostos por silício e oxigênio intercalados, contendo também grupos orgânicos na sua estrutura. O silicone foi inventado em 1943. O silicone pode variar de líquido viscoso a sólido, semelhante à borracha. Essa variação na forma física depende do tamanho da molécula, - moléculas menores: aspecto oleoso, sendo usado como impermeabilizante de superfícies, graxa lubrificante, cera de polimento, etc. - Moléculas intermediárias: silicone pastoso usado na fabricação de adesivos e selantes, como, por exemplo, colas de silicone, usadas na montagem e fixação de aquários e janelas de vidro. - À medida que a parte orgânica da molécula de silicone fica maior, as ligações se cruzam e o silicone assume o aspecto de elastômero, mais conhecido como borracha de silicone. Assim, passa a apresentar alta resistência e por isso é aplicado em equipamentos industriais e peças de automóveis, dentre outras.

PET: plástico do momento
PET, como é conhecido o polímero Polietilenotereftalato, chegou para revolucionar o mundo dos tecidos e embalagens. Surgiu após a Segunda Guerra Mundial e a cada dia vem sendo mais utilizado. O PET teve sua descoberta em 1941 pelos químicos Rex Whinfield e James Dickson. Enquanto trabalhavam com etilenoglicol, Rex e James notaram o aparecimento de um material pegajoso que, quando esticado, dava origem a longas e resistentes fibras, se tratava de um éster capaz de formar cadeias poliméricas. Devido a esta composição, foi definido como poliéster. O poliéster é usado até hoje para compor tecidos que não amarrotam, talvez por esta vantagem esteja a tanto tempo no mercado. Nos últimos anos

Perigo ao meio ambiente: A utilização e descarte inapropriados do PET, pelo fato de não ser biodegradável, o transformaram em um vilão para a natureza. A única solução para este grande problema é a reciclagem, a coleta seletiva é muito importante neste caso, através dela os plásticos são selecionados para posterior transferência ao tratamento especial que permite reutilizá-los novamente.

5
Para quem associa a palavra silicone apenas à vaidade feminina de obter seios maiores, apresentamos aqui outra aplicação deste polímero no universo feminino: o silicone é usado em formulações cosméticas, como por exemplo, em batons. mente rígida.

Resumo dos Seminários
Polímero à prova de bala
O cientista americano Stephanie Kwolek, no ano de 1965, na busca por um material com a resistência térmica do amianto e rigidez da fibra de vidro, acabou por descobrir um novo polímero. Como se sabe, as balas são feitas em aço e a velocidade que atingem ao serem lançadas, as tornam fatais. O Kevlar surgiu para mudar esta história: com a chegada dos coletes à prova de bala, o aço que era imbatível, se tornou frágil. Características do Kevlar: insolúvel, imune a ataque químico, resistente ao fogo, flexível e leve. Mais aplicações do Kevlar: Quando se adiciona fibras a este polímero, ele se torna mais resistente e então pode ser usado para a confecção de escudos militares, raquete de tênis, roupas espaciais, em carros de corrida de Fórmula Um, entre outras. O Kevlar se destacou mesmo por proporcionar maior segurança aos policiais, agora você já sabe de que é feito o colete que permite combater o crime sem maiores riscos.

Epóxidos
Também são denominados de poliéteres por serem derivados de um éter, podem ser encontrados na forma líquida e incolor, são solúveis em álcool, éter e benzeno. Os epóxidos são mais conhecidos por sua aplicação em colas, neste caso uma mistura de poliamida e resina epóxi se unem para formar outro polímero de cadeias cruzadas, a estrutura molecular deste novo polímero é extrema-

Em razão da estrutura rígida, as colas e cimentos do tipo epóxi são usadas para fabricar skates, tacos de golfe, raquetes de tênis, e até em asas e fuselagem de aviões. A resina epóxi possui uma função muito importante nestes casos: manter as fibras unidas.

Não se enganem, não é por aí que para a utilização dos polímeros, existe uma infinidade de outros polímeros e utilidades.

Sabões e Derivados
http://pt.wikipedia.org/wiki/Xampu http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/cabelo.html

E não é só em coletes que se aplica o material Kevlar, ele é usado também em revestimentos para motores de aviões para evitar que uma eventual explosão na turbina os danifique.

Após um dia de calor, nada como um bom banho, pois, além de relaxante e refrescante, o banho nos dá uma agradável sensação de limpeza.
É para satisfazer essa necessidade de higiene e limpeza que as indústrias químico-farmacêuticas fabricam e comercializam anualmente toneladas de produtos para a higiene pessoal. Os principais produtos dessa indústria são os sabões e os detergentes. Deles derivam os sabonetes, os xampus, os cremes dentais, os asbões especiais para máquinas de lavar louça e roupas, os detergentes desinfetantes, o sabão comum e outros. Sem dúvida alguma, é o sabão comum o mais antigo destes produtos. A técnica de produção desenvolvida foi passada posteriormente aos romanos, entre os quais adquiriu notoriedade. Conforme escritos encontrados no Papiro Ebers, datado de 1550 a.C., os povos orientais e os gregos, embora não conhecessem o sabão, empregavam, na medicina, substâncias químicas semelhantes - obtidas por um método similar ao de obtenção do sabão, utilizadas como bases para a confecção de pomadas e ungüentos. No século XVIII, os sabões finos mais conhecidos na Europa vinham da Espanha (Alicante), França (Marselha) e Itália (Nápoles e Bolonha). No Brasil, a difusão e produção do sabão demorou mais tempo, mas em 1860 já existiam fábricas de sabão em todas as cidades importantes.

A produção industrial de sabão
Os produtos utilizados comumente para a fabricação do sabão comum são o hidróxido de sódio ou potássio (soda cáustica ou potássica) além de óleos ou gorduras animais ou vegetais. O processo de obtenção industrial do sabão é muito simples. Primeiramente coloca-se soda, gordura e água na caldeira com temperatura em torno de 150ºC, deixando-as reagir por algum tempo (± 30 minutos). Após adiciona-se cloreto de sódio que auxilia na separação da solução em duas fases. Na fase superior (fase apolar) encontra-se o sabão e na inferior (fase aquosa e polar),

O Papiro Ebers é um dos tratados médicos mais antigos e importantes que se conhece.

E contém mais de 700 fórmulas mágicas e remédios populares além de uma descrição precisa do sistema circulatório.

Resumo dos Seminários
glicerina, impurezas e possível excesso de soda. A glicerina separada do sabão no processo industrial é utilizada tanto por fabricantes de resina e explosivos como pela indústria de cosméticos. Devido a isso, seu preço, depois de purificada, pode superar o do sabão. Quando procuramos na internet algo sobre sabão vem a frase: O sabão é um vamente graves, e a sua ingestão pode causar distúrbios como vômitos, cólicas abdominais e diarréia.

6
Pears, abriu uma fábrica em Isleworth em 1862. William Gossage produzia sabão de boa qualidade e preço baixo a partir dos anos 1850. Robert S. Hudson passou a produzir um tipo de sabão em pó em 1837, socando o sabão com pilão.

William Hesketh Lever e seu irmão James compraram uma pequena fábrica de sabão em Warrington (Inglaterra), em 1885, fundando o que ainda é hoje um dos maiores negócios de sabão do mundo, a Unilever. Estes produtores foram os primeiros a empregar campanhas publicitárias em larga escala.

Do ponto de vista químico, o sabão é um sal de ácido graxo. A reação química que produz o sabão é conhecida como saponificação. O sabão limpa porque as suas moléculas se ligam tanto a moléculas apolares (gordura ou óleo) quanto polares (água). Embora a gordura geralmente adira à pele ou à roupa, as moléculas de sabão ligam-se à gordura e tornam-na mais fácil de ser enxaguada em água. Quando aplicada a uma superfície suja, a água com sabão mantém as partículas de sujeira em suspensão, para que o conjunto possa ser enxaguado com água limpa. O hidrocarboneto dissolve sujeira e óleos, enquanto que a porção ionizada torna o sabão solúvel em água. Assim, permite que a água remova matéria normalmente insolúvel em água, por meio da emulsificação.

Bolhas
O estudo das formas das bolhas e dos filmes de sabão ou detergente é uma área que tem fascinado muitos cientistas e a primeira monografia escrita sobre este assunto foi em 1890 por C.V. Boys. A bolha é um filme fino de líquido circundado por gás (ar) por todos os lados. Este filme fino, ou no caso de bolhas de sabão, tem propriedades elásticas, ele pode ser esticado ou comprimido. O filme de sabão é composto por moleculas de sabão e água.

produto tensoativo usado em conjunto com água para lavar e limpar. Mas o que é esse negócio de tensoativo mesmo?

Tensoativos: uma nova classificação
Um tensoativo é uma substância capaz de reduzir a tensão superficial de um líquido devido a realização de interações intermoleculares entre as moléculas do líquido e as do tensoativo. Estas interações reduzem a tensão superficial do líquido, pois são de natureza diferente das interações entre as moléculas do líquido. Existem quatro tipos de tensoativos. Os sabões e os detergentes pertencem ao mesmo grupo. Sua utilização abrange uma enorme quantidade de produtos, desde xampus até aditivos alimentares. Embora não pareça, os sabões e detergentes possuem um grau de toxicidade que, apesar de baixo, pode tornar-se grave, dependendo do grau de intoxicação e
do tipo de produto que a causa.

A atuação de sabões e detergentes na limpeza
A água por si só não consegue remover certos tipos de sujeira, como, por exemplo, restos de óleo. Isso acontece porque as moléculas de água são polares e as de óleo, apoiares. O sabão exerce um papel importantíssimo na limpeza porque consegue interagir tanto com substâncias polares quanto com substâncias apoiares. Isso pode ser entendido analisando sua estrutura.

A espuma formada em rios poluídos com sabões e detergentes é uma ameaça à vida aquática.

Produção comercial
Até o advento da Revolução Industrial, a produção de sabão mantinha-se em pequena escala e o produto era grosseiro. Andrew Pears iniciou a produção de sabão transparente e de alta qualidade em 1789, em Londres. Com seu neto, Francis

O creme dental é um tipo específico de detergente.

Os sabões, se forem excessivamente alcalinos, irritam a pele. Se o uso for contínuo, pode, inclusive, causar dermatites. O contato prolongado do sabão com a mucosa ocular pode determinar lesões relati-

7
Podemos dizer que a cadeia apolar de um sabão é hidrófoba (possui aversão pela água) e que a extremidade polar é hidrófila (possui afinidade pela água). Atualmente existem muitos outros tipos de detergentes com estruturas diferentes, mas que, invariávelmente, possuem uma longa cadeia apolar e uma extremidade polar. cadas, pois removem a que reveste pedidas de afogadas.

Resumo dos Seminários
essas espumas camada oleosa suas penas; imflutuar acabam polir os dentes. Além disso, podem conter substâncias indicadas para prevenir a cárie e o tártaro, ou para clarear dos dentes. Mas cuidado: seu excesso pode causar distúrbios visuais. O bicarbonato de sódio também é muito utilizado; como é um alcalinizante, neutraliza os ácidos produzidos pela placa bacteriana. Os cremes dentais ou pastas de dente surgiram antes mesmo das escovas dentais. No Egito, as primeiras pastas de dente eram feitas para tentar aumentar a higiene bucal por meio de uma mistura de sal, pimenta, folhas de menta e flores de íris. De fato, os cremes dentais surgiram em 1850 por meio do trabalho do dentista americano Washington Wentworth Sheffield. Na verdade, a invenção se tratava de um pó que ajudava a limpar os dentes. Foi seu filho, Lucas Sheffield, que melhorou a invenção, alterando a fórmula inicial do produto e o colocando em tubos, da forma como conhecemos atualmente. Hoje em dia a pasta de dente vem numa variedade de sabores, sendo a maioria variações de menta. Outros sabores mais exóticos incluem: albricoque, canela, chiclete, erva-doce, gengibre, laranja e limão. Existem também pastas sem sabor. Em seu uso comum, a pasta de dentes deve ser cuspida. Alguns tipos de pasta de dente, se engolidas em quantidade suficiente, podem causar náuseas, fluorose ou diarréia. Por isso é recomendado às crianças muito jovens não utilizá-las,

Detergentes em geral também favorecem o processo de eutroficação — enriquecimento de águas naturais com nutrientes, especialmente fosfato e nitrato, provocando crescimento

A lanolina, substância comum em produtos de beleza, é extraída da oleosidade natural da lã de carneiro.

Xampu ou shampoo? A palavra shampoo vem da Indonésia e significa amassar ou massagear os cabelos. Os ingleses gostaram e importaram a idéia. Na língua portuguesa a grafia correta é xampu, apesar de o mundo comercial preferir a grafia inglesa.

Infelizmente o que sobra desses produtos após o uso não termina no esgoto. Em geral, os processos de lavagens industriais ou domésticos acabam canalizando os resíduos em lagos e rios. Sabões feitos de gorduras animais ou vegetais são biodegradáveis, não causando grandes alterações no meio ambiente. Dentre os detergentes existem os não-biodegradáveis que as bactérias não conseguem degradar. Detergentes não-biodegradáveis acumulam-se nos rios, formando camada de espumas brancas conhecidas como “cisnes-de-detergentes”, capazes de reduzir a penetração de oxigênio na água, afetando animais e plantas aquáticas. Muitas aves são prejudi-

exagerado de algas e efeitos secundários daninhos sobre outros. Mas não são apenas os detergentes não-biodegradáveis que causam problemas ambientais. Detergentes biodegradáveis contribuem para o aumento da população microbiana de lagos e rios, reduzindo o oxigênio na água. Assim, inevitavelmente, todas as formas de vida aquáticas que dependem do oxigênio dissolvido na água para sobreviver são prejudicadas.

Creme dental
Outro detergente de uso em nossa higiene pessoal é o creme dental, que deve ser usado nas escovações após as refeições, pois têm a função de remover as placas bacterianas, limpar e

Até meados do século XIX, o banho do corpo nu foi considerado pecado pela igreja, pois era uma prática dos pagãos gregos e romanos. Ainda neste século, membros de certas ordens religiosas continuavam a tomar banho vestindo camisola.

Resumo dos Seminários
sem supervisão de adultos. Um tubo de pasta de dentes fluoretada, se ingerido, pode levar a morte por envenenamento um animal pequeno ou uma criança. çam características como brilho, textura e maciez. O poder limpante do xampu geralmente refere-se a sua capacidade para remover gordura, sujeira e matéria estranha do cabelo e do couro cabeludo. A gordura aparece no cabelo na forma de sebo. O sebo exerce algumas funções importantes, como revestir a cutícula (a camada mais externa do cabelo), prevenindo a perda de água do interior do fio capilar — água que mantém o cabelo macio e brilhante. O revestimento também faz o cabelo parecer liso, além de prevênir o desenvolvimento de bactérias. Em condições ideais, a

8
pele humana tem uma Camada naturalmente ácida, com pH entre 3 e 5, enquanto o pH do cabelo está entre 4 e 5. A acidez devese à produção de ácidos graxos pelas glândulas sebáceas. Assim, o uso de alguns tipos de xampus pode produzir no pH do cabelo mudanças que promoverão alterações na estrutura capilar. O condicionador de cabelo aplica-se após o xampu para melhorar a textura e o aspecto do cabelo. Começou a ser usado após a primeira guerra mundial, e depois começou a ser fabricado com substâncias siliconadas para baratear.

Xampu
A diferença entre o vidro comum e o cristal As diferentes nomenclaturas são utilizadas para diferenciar os processos de fabricação e produtos finais distintos, embora utilizem a mesma matéria-prima.

Na composição dos xampus existem dois tipos fundamentais de substâncias: detergentes e amidas. As substâncias detergentes retiram a gordura, mas ressecam muito o cabelo. É aí que as amidas aturam: repõe parte da oleosidade, diminuindo o ressecamento. Diferentes xampus contêm diversas proporções de detergentes e amidas para atenderem aos vários tipos, além de terem em sua composição aditivos que real-

Com um quilo de caco, pode-se fazer 1 kg de vidro novo. O mesmo vidro pode ser reaproveitado quantas vezes precisar.

Vidros
http://www.cgimoveis.com.br/tecnologia/a-origem-do-vidro

Um vidro jogado na natureza leva 4000 anos para desaparecer.

Por definição, “vidro é um sólido amorfo. Qualquer material, inorgânico, orgânico ou metal, formando por qualquer técnica, que exibe um fenômeno de transição vítrea é um vidro”.
O vidro é uma substância inorgânica, homogênea e amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão constituída por: Areia, Calcário, Dolomita, Feldspato, Barrilha, Sulfato de sódio e sucata de vidro. Suas principais características são a transparência, a dureza e a capacidade de reciclagem total. Não é possível precisar ao certo a origem do vidro. Estudos têm apontado que os primeiros objetos de vidro de que se tem notícia foram encontrados dentro das pirâmides do Egito. Apenas próximo ao ano 100 a.C., as técnicas de fabricação se desenvolveram. Foi quando os Romanos começaram a utilizar o sopro, dentro de moldes, na fabricação do vidro, o que possibilitou sua produção em séie. Até 1900, a produção dessa matériaprima ainda era considerada uma arte quase secreta. O vidro é uma substância líquida, com um altíssimo grau de viscosidade à temperatura ambiente, variando em função da temperatura. O processo de fusão é muito complexo e envolve basicamente reações químicas entre as diversas matérias primas. A coloração é feita pela adição de substâncias como: cobalto para o vidro azul, óxido de cobre para o verde, óxido de ferro para o vidro bronze e sulfato de zinco para o fumê, etc. Quase 90% de todo o vidro fabricando no mundo é do tipo “vidro soda-cal”. A composição química deste tipo de vidro é resultante de vários fatores, entre os quais a facilidade de fusão, matérias primas mais fácilmente disponíveis e propriedades física-quimicas adequadas às maiores aplicações possíveis. O vidro tem incontáveis aplicações nas mais variadas indústrias, dada suas características de inalterabilidade, dureza, resistência e propriedades térmicas, óticas e acústicas, tornando-se um dos poucos materiais ainda insubstituível, estando cada vez mais presente nas pesquisas de desenvolvimento tecnológico para o

O Brasil alcançou um índice de 45% no reaproveitamento de embalagens em relação à produção total no País que é de 910 mil toneladas/ano, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Vidro.

9
bem estar do homem moderno nos mais variados setores, como por exemplo: Vidro plano, vidro oco (frascaria e embalagens), lentes, fibra ótica, lã de vidro, lâmpadas, enfim, uma gama incontável de aplicações.

Resumo dos Seminários
superfície muito lisa e com alto índice de reflexão de luz. Os espelhos vulgares são formados por uma camada de prata, alumínio ou amálgama de estanho, que é depositada químicamente sobre a face posterior de uma lâmina de vidro, e por trás coberta com uma substância protetora. Por sua vez, os espelhos de precisão são obtidos depositando, por evaporação sob vácuo, a camada metálica sobre a face anterior do vidro. Estes espelhos não podem ser protegidos o que implica que se realizem metalizações freqüentes. Existem diversos tipos de espelhos, os mais utilizados são os espelhos planos e os espelhos curvos. Os espelhos são fabricados através de uma reação química onde a prata está presente. seguros e são usados para o transporte de celebridades, como: presidentes, artistas, autoridades religiosas, etc. Em razão da aplicação, o vidro também recebe a denominação de vidro balistico. Uma película plástica (altamente resistente) é colocada entre duas partes de vidro temperado. Na forma prática, seria um sanduíche onde o plástico seria o recheio e o vidro as fatias de pão. Quando um projétil (bala, pedra ou ferramenta) toca o vidro balístico, este se despedaça, mas a película não o deixa desmoronar. O vitral originou-se no Oriente por volta do século X, tendo florescido na Europa durante a Idade Média. Amplamente utilizados na ornamentação de igrejas e catedrais, o efeito da luz solar que por eles penetrava, conferia uma maior imponência e espiritualidade ao ambiente, efeito reforçado pelas imagens retratadas, em sua maioria cenas religiosas.

Garrafa de Vidro

No segmento de bebidas, o vidro é um grande aliado para manter alta a qualidade e as vendas de cervejas e refrigerantes em todo o mundo. Em 1903, o americano Michael Owens criou a primeira máquina automática para produção de garrafas, viabilizando a fabricação de garrafas em larga escala. As garrafas de vidro também beneficiam o meio ambiente. Sua produção consome menos energia e reduz a emissão de poluentes na atmosfera. Por ser réutilizável, proporciona um menor descarte do lixo, reduzindo os custos com a coleta urbana e aumentando a vida útil dos aterros sanitários. Os vidros provenientes de embalagens devem ser reciclados separadamente de outros objetos de vidro, pois é necessário que este material passe por um processo de lavagem para remover possíveis resíduos antes de ser reutilizado.

Fibra óptica

A partir de um vidro laminado

e bem limpo, coloca-se sobre a superfície que se quer espelhar, um produto chamado Reagente de Tollens, que contém prata. Em seguida adiciona-se um aldeído, normalmente formol. Este aldeído reduz a prata que se adere firmemente à super-fície do vidro, formando um espelho. Também são feitos espe-lhos pela deposição de vapor de alumínio sobre uma super-fície, a baixa pressão. Assim são feitos certos plásticos prateados, como o Tetra Pak.

Apesar da longa história, o vidro ainda tem um futuro promissor. Tem um papel muito importante na telecomunicação, na forma de fibras ópticas. É possível transmitir dados, vozes e imagens por meio da passagem de luz através de fibras ópticas, transparentes, de vidro ou de plástico. A fibra óptica é finíssima como o fio de cabelo e praticamente substituiu o fio de cobre por possibilitar a transmissão de muito mais dados, cerca de 30 mil vezes mais que o fio metálico. Comparado ao fio de cobre, tem também a vantagem do custo mais baixo, da maior fidelidade na transmissão dos dados, da maior estabilidade química e da maior resistência a interferências eletromagnéticas.

Vidros à prova de bala
O vidro laminado, mais conhecido como vidro à prova de bala, tem se tornado uma grande auxiliar na luta contra o crime. Os carros que possuem esse acessório são considerados

O vidro resistente a balas, em vidros planos ou curvos é recomendado para:  veículos blindados  guichês de bancos  postos de gasolina  casas de câmbio  cabines de pedágio Quaisquer locais onde armas de fogo ou objetos atirados possam atingir o material de envidraçamento.

Espelhos

Um

espelho

é

uma

Resumo dos Seminários

10

Supercola
http://ciencia.hsw.uol.com.br/questao695.htm

A supercola merece o nome que tem: uma simples gota pode unir permanentemente seu polegar ao indicador, e mais rápido do que você possa dizer "ops!".
Super cola ultra-rápida Este produto hibrido excede todas as demais referencias em velocidade e superficies porosas , anteriormente impossiveis de colar , tais como a madeira.

Para se ter uma idéia, uma área colada de 6 cm2 pode segurar mais de uma tonelada. Mas como funciona este material extraordinário? A resposta está no seu ingrediente principal, o cianoacrilato (C5H5NO2). O cianoacrilato é uma resina acrílica que seca quase instantaneamente. O único gatilho que ele precisa são os íons hidroxila na água, o que é bem conveniente, já que praticamente qualquer objeto que se tente colar terá pelo menos vestígios de umidade na sua superfície. As moléculas do cianoacrilato começam a se unir quando entram em contato com a água e se enrolam em cadeias para formar uma malha plástica durável. A cola vai se tornando mais espessa e dura até que os filamentos moleculares não podem mais se mover. Se você acha que a capacidade do cianoacrilato de consertar objetos quebrados é demais, espere só até descobrir seus outros truques. Os vapores da supercola às vezes são usados em investigações criminais para detectar impressões digitais ocultas.

A cola gasosa reage com materiais que podem ter sido deixados para trás em impressões digitais (tais como aminoácidos e a glicose) e os torna visíveis.

Um outro uso interessante do cianoacrilato é para fechar ferimentos, substituindo os pontos. Os pesquisadores descobriram que trocando o tipo de álcool usado na supercola, de álcool etílico ou metílico para butílico ou octílico, o composto fica menos tóxico para os tecidos. Com mais pesquisas, esta prática pode se tornar mais difundida e acabar substituindo a necessidade de costurar lacerações. Aliás, se acontecer de você se encontrar numa "situação supergrudenta", um pouco de removedor de esmaltes de acetona ou água quente ajudam a descolar os dedos. Por que é que essas colas super potentes não colam no interior do próprio tubo? Se é uma cola super potente, deveria colar tudo, não é verdade? Mas não é bem assim. Para adquirir propriedades adesivas é necessário o contacto com o ar, o tubo de cola é revestido interiormente por um material a que a cola não adere. Adere, no entanto, à pele e é por isso necessário muito cuidado na sua utilização. Então concluímos que, como ela vem lacrada a vácuo a cola se mantem liquida, mantendo a substância adesiva longe do

contato com o ar , isso porque é a umidade da atmosfera que faz a supercola ficar grudenta. É só tentar deixar o frasquinho aberto pra você ver se não cola por dentro. As colas e os adesivos acompanham a História da Humanidade desde os seus mais remotos registros. Há 4000 anos, os egípcios usavam adesivos a base de resinas vegetais e produtos animais em muitos de seus utensílios e ferramentas. Os adesivos eram parte importante na manutenção das bandagens nas mumificações. Isto foi comprovado por desenhos e papiros onde são descritos diferentes processos de fabricação e usos destas colas.

Super cola instantânea Super cola standard para usos industriais maior versatibilidade em metais , plásticos borrachas e cerâmica.

Com um quilo de caco, pode-se fazer 1 kg de vidro novo. O mesmo vidro pode ser reaproveitado quantas vezes precisar.

O objeto a ser inspecionado

em busca de digitais é colocado em um recipiente aquecido e hermética-mente fechado; O cianoacrilato é introduzido. Ele evapora e ventiladores o fazem circular pelo recipiente;

Desde o início da artesania humana, as colas executam um papel importante na manufatura e restauro de móveis, na produção e reparação de instrumentos musicais e de adornos. E isso durante toda a História da Civilização... Mas a evolução dos adesivos não foi muito significativa até meados do século XVIII.

11
Em 1750 foi concedida a primeira patente de um adesivo na Inglaterra. A cola era feita de substancias extraídas da pele de peixes. Logo em seguida, diversas patentes foram emitidas para adesivos, cujos princípios ativos geralmente eram borracha natural, ossos, cartilagens e peles de animais, gomas e resinas vegetais, proteínas lácteas, caseína e etc. Na Primeira Guerra Mundial, a cola de caseína foi muito utilizada na construção de fuselagens e de asas dos aviões, cuja estrutura era quase que exclusivamente feita por peças de madeira. A utilização deste tipo de cola, bem como de outras ditas naturais foi abandonada pelos construtores de aviões devido à facilidade com que estes adesivos absorviam humidade e, consequentemente, desenvolviam fungos que enfraqueciam e destruíam a ação adesiva da substância. Em 1942, Harry Coover descobriu acidentalmente o cianoacrilato, ao pesquisar plásticos transparentes resistentes para o fabrico de miras de canhões, na Eastman Kodak. Vendo as possibilidades de um novo adesivo, a Kodak desenvolveu o "Eastman 910" como a primeira "super-cola."

Resumo dos Seminários
é verdade na maioria das vezes, quanto então é necessário algo como a cola mais forte do mundo, ou algo que cole plástico e metal de modo irreversível ou mesmo uma cola versátil, capaz de unir qualquer coisa. Mas há momentos em que é mais interessante uma cola reversível ou um adesivo que possa ser desativado apenas com luz. Na fronteira da tecnologia, onde os pesquisadores estão projetando dispositivos microeletromecânicos, colas reversíveis podem ser extremamente úteis como atuadores. Até na medicina, elas podem equipar particulas capazes de liberar os medicamentos sob condições específicas de ambiente. É justamente para essas aplicações de ponta, onde o controle em nível molecular é importante, que está chamando a atenção do mundo científico um novo adesivo reversível, descoberto por cientistas das universidades de Sheffield, Inglaterra, e Bayreuth, Alemanha. na área médica, seja no interior dos biochips ou do próprio corpo humano, que possui diferentes níveis de pH - o nível natural de pH de um órgão, por exemplo, pode ser utilizado para liberar os medicamentos trazidos em partículas carregadoras.

Nova super cola
Foi divulgada a desçoberta em Nova Iorque, um material aderente 100000 vezes mais fino que o fio de cabelo humano e resistente a altas temperaturas. As suas aplicações vão desde problemas caseiros até mesmo ao processo de fabricação de chips de computadores. Para criar o material 1000 vezes mais fino que colas vendidas atualmente, os inventores concentraramse na composição química do composto: nanotubos contendo sílica e oxigênio numa das extremidades e enxofre na outra. Para aumentar a estabilidade dos tubos, uma camada de cobre foi aplicada. Com isso, 100 gramas de produto custarão em torno de 35 dólares, o que é comercialmente viável.

Alterando o pH
No ambiente adequado, a nova cola reversível é tão forte quanto um adesivo epóxi comercial. Só que, para fazê-la descolar, basta tornar a solução mais ácida. Retorne a solução ao nível de pH original e a cola novamente volta a funcionar. A descoberta deverá ter grandes implicações na nanotecnologia, especialmente

Cola à base de água A cola é feita de polieletrólitos - polímeros carregados eletricamente e que são capazes de alterar seu formato em resposta a alterações em seu ambiente. Um polieletrólito pode se esticar em um nível de pH e se transformar em uma bola em outro nível de pH. Quando polieletrólitos de cargas opostas são colocados juntos em uma solução aquosa eles se grudam fortemente. Os cientistas já sabiam disso há muito tempo. O que não se sabia até agora era a força dessa junção e muito menos se sabia que o processo era facilmente reversível.

Colas reversíveis
Quando falamos de adesivos, pode parecer que quanto mais forte e durável for a cola, melhor será. Isto

Lembrem-se este texto é apenas um resumo de cada um dos temas, para informações mais completas pesquisem, busquem e formem seus próprios conhecimentos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful