Publicação online semanal com sede no Concelho de Vila Velha de Ródão

Direcção de J. Mendes Serrasqueiro – Paginação e Arte Final de Gina Nunes
Nº. 60 de 30 de Agosto de 2012 – Neste número: 12 Páginas

Editorial
Mendes Serrasqueiro

Vila Velha de Ródão

A inovação tem sido um dos factores de competitividade importantes em todas as realizações. Até nas simples decisões de estruturarem bem os “simples” programas das festas das nossas aldeias. Isto a propósito do que foi apreciado nas denominadas “Festas de Verão” no concelho de Vila Velha de Ródão… Sob o fraco, dirão alguns, sem inovações, dirão outras pessoas, muito razoáveis, digo eu, podendo até, sem favor, destacar algumas. Sobretudo, pelo empenhamento demonstrado pelas comissões organizadoras, nitidamente alheias à tão apregoada “crise”. Comentários, afinal, incontrolavelmente devido ao facto de todos nós “andarmos em crise”. O dinheiro não chega para as encomendas nem para as “bojecas” que nas festas populares eram o “abono de família” para as tesourarias. Há, portanto, que aplaudir quantos tiveram coragem e fizeram muito e, de certo modo, bem. Para o ano, talvez já se “respire” melhor…

Terras de Ouro
“Os rodanen ses podem orgulhar-se destas nossas “Terras de Ouro” - Diz Maria do Carmo Sequeira - Página 2

____ ==========================

Centro de Interpretação de Arte Rupestre do Vale do Tejo
Dia 21 de Setembro é inaugurado oficialmente o Centro de Interpretacão de Arte Rupestre do Vale do Tejo, instalado no edifício do Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento, na Praça do Pelourinho em V.V. de Ródão.

Falar Claro

Já ninguém acredita nos Políticos
- César Amaro

Programa
Dia 21 - 16 h. – Abertura

A POLÍTICA, é hoje sem margem para quaisquer dúvidas, um Poder Radical que está instituído em Portugal e que não depende de qualquer entidade patronal, e muito menos do cumprimento da legislação em matéria das regras do trabalho. Os Políticos
- Continua na pág.3

Pag. 2

Vila Velha de Ródão – Terras de Oiro
- Continuação da 1ª. Página

“Os rodanenses podem orgulhar-se destas nossas ‘Terras de Ouro’
“Aqui há cultura, história, natureza, flora e fauna raras”
“Implementar

uma estratégia de desenvolvimento”

--

- Texto da Presidente Maria do Carmo Sequeira

“O turismo constitui um dos sectores com maior crescimento da economia mundial e um dos sectores estratégicos para Portugal, atingindo, em 2011, cerca de 15,2% do PIB nacional”. “Para nos afirmarmos num mercado global cada vez mais competitivo e concentrado num pequeno grupo de grandes agentes devemos apostar na qualidade, nos recursos locais, na sustentabilidade, na diversificação da oferta, e na inovação criando produtos alternativos. O executivo a que presido tem plena consciência de que o turismo poderá constituir, no concelho de Vila Velha de Ródão, uma oportunidade para dinamizar a economia local e contrariar o despovoamento, se soubermos salvaguardar os importantes aspectos ambientais. Aqui há cultura, história, natureza, flora e faunas raras, paisagens espectaculares, gastronomia tradicional com produtos de alta qualidade, e baixa concentração humana nas actividades turísticas, o que permite um acolhimento personalizado. Por essa razão, a autarquia continua a implementar uma estratégia de desenvolvimento cujas acções permitirão reforçar “Ródão”, nos mercados nacional e internacional, como destino de excelência associado ao seu vasto e rico património natural, aos patrimónios histórico e cultural, à arte rupestre, ao ouro, ao linho e aos produtos da terra como o azeite, o mel, os queijos, os enchidos e os presuntos”
Em finais de Junho, por ocasião da Feira da Gastronomia e Actividades Económica, à qual “Ecos de Ródão” deu largo destaque, a presidente da Autarquia dirigiu-se assim, aos munícipes: “Os rodanenses podem orgulhar-se destas nossas Terras de Ouro”. E foi, “com muita honra” que dirigiu convite formal para que todos os visitantes as conhecessem e as visitassem, através dos expositores presentes na Feira da Gastronomia e Actividades Económicas que, como então sublinhámos, foi um acontecimento, a exemplo dos anos anteriores.
- Texto compilado do último “Boletim Municipal”

Pag.3

Falar Claro

Já ninguém acredita nos Políticos
Escreveu César Amaro
- Continuação da página 3 a quem é atribuída a categoria de profissionais, sem qualquer vinculação ao estatuto da produtividade, estão expostos constantemente e sujeitos à mercê de todas as críticas e acusações, quási e sempre de extrema gravidade. No momento de pretenderem atingir a sua ansiedade pelo poder, todos sem exceção, dizem defender, em termos demagógicos, os interesses e o bem-estar dos seus concidadãos. Lamentavelmente na realidade está provado precisamente o contrário. O que se passa presentemente em Portugal e com a maioria dos Portugueses, espelha bem tal consequência, na medida em que, cada vez mais, se vai perdendo a esperança de se conseguir ter um País capaz de suprir as grandes e graves dificuldades económico-financeiras e outras, resultantes, em grande parte, da governação danosa dos últimos seis anos, pela batuta do Partido Socialista, sendo responsável pela situação extrema de instabilidade, entrando mesmo na agonia de bancarrota. Em 2011 e pela via de eleições antecipadas, entrou-se numa nova governação, e, o Povo Português em geral, votou e acreditou que a coligação PSD/CDS-PP seria a tábua de salvação de um País em estado caótico. Durante a campanha eleitoral fizeram-se promessas e mais promessas, entre muitas, que não iria haver agravamento no aumento dos impostos; que os direitos e garantias dos trabalhadores em geral, e dos reformados em particular seriam respeitados. Inacreditavelmente, o governo praticou precisamente o contrário, mais grave ainda – mentiu ao País sobre todas as promessas a que se tinha comprometido nesta matéria. Não merece a pena comentar, porque os efeitos nefastos estão bem patentes no que respeita aos cortes nos subsídios de Férias e de Natal aos trabalhadores, incluindo os reformados, estes que descontaram durante uma vida inteira os valores exigidos, no sentido de, quando chegasse o tempo de reforma, recebessem os valores que lhe foram atribuídos e a que legitimamente têm direito. Veio a público que tal procedimento era inconstitucional, qual respeito e cumprimento da Constituição da Republica Portuguesa. A verdade é que o Governo ignorou, impondo abruptamente todos os sacrifícios e mais alguns ao Povo Português, não pela via da Justiça Social, porquanto, foram salvaguardados todos os interesses dos Lóbis e dos grandes grupos económicos, em detrimento da maioria daqueles que menos podem e já menos têm. O Senhor PrimeiroMinistro Pedro Passos Coelho veio a terreiro dizer que desconhecia a situação dramática em que encontrou o País, após a sua investidura. Daí que era inevitável tomar as medidas drásticas, aliás, prepotentes. Porém, o Senhor Primeiro-Ministro deveria ter o cuidado de saber em que condições o País se encontrava, e em face da situação, não se candidatava, evitando por esse motivo alimentar falsas promessas, que sabia de antemão não poder cumprir. Contudo, poderá eventualmente registar-se algum crédito nas suas boas intenções (onde o inferno está a abarrotar). Todavia, conceda-se o benefício da dúvida. A verdade é que o País, quer se queira ou não, a partir das eleições de 2011, não reuniu as condições suficientes e capazes de libertar o País da gravíssima situação em que se encontrava. Por essa razão, teve de recorrer e negociar resgates financeiros, através do Banco Central Europeu, da Comunidade Europeia e do Fundo Monetário Internacional, aquilo a que foi atribuído o nome de Troika, e que Portugal teve de aceitar. A partir daí o Governo da Nação ficou sem qualquer margem de manobra para poder gerir só por si os destinos do País, tendo de aceitar, como é óbvio, todas as exigências da chamada Troika, com predominância do seu servo – a Alemanha da Sra. Merkel. Convenhamos afirmar que o Povo Português não é “burro”, muito menos ingénuo. Neste contexto há que perguntar: Porque é que todos os Países que fazem parte da zona euro estão em grandes dificuldades financeiras, menos a Alemanha da Sra. Merkel? Não restam dúvidas certamente, que estes Países, ainda que contrariados, estão a contribuir para a construção do grande império Alemão. Não obstante, vem o Senhor Primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, na sua intervenção no Pontal, dizer que em 2013 Portugal poderá vir a recuperar da recessão em que se encontra. Senhor Primeiro-Ministro com o País a diminuir a sua produtividade, originada pelo encerramento diário do tecido empresarial, criando o caos no desemprego, - Continua na página 4

Pag. 4

Já ninguém acredita nos Políticos
- Continuação da página 3 com o decréscimo acentuado do crescimento da economia e com o custo de vida a aumentar hora-a-hora, como será possível estagnar tal recessão? Estará para aparecer algum milagre? Lá diz o velho e verdadeiro ditado- a Esperança é sempre a última coisa a morrer. Não estaremos já nessa agonia!!!. Estará certamente no crer da humanidade. O Futuro a Deus pertence.

Noite de Fados em Lentiscais

-

César Amaro.

ACICB promove viagem a Moçambique

A

Direcção

da

Associação

Comercial, Industrial e Serviços de Castelo Branco, (ACICB) Idanha-aNova e Vila Velha de Ródão, tornou do domínio público que vai promover, de 15 a 22 de Novembro próximo, uma viagem a Moçambique, com o objectivo de “incentivar e reforçar” as relações com aquele país. Para Adelino Minhós, presidente da direcção “esta
missão empresarial faz todo o sentido dadas as actuais circunstâncias nacionais e internacionais que obrigam os empresários a procurarem mercados alternativos e novas perspectivas de negócios”

Sábado, 22 de Setembro 20.30 horas Largo da Igreja

a fim de serem reforçadas as relações com os restantes países da CPLP. A Missão visa ainda avaliar da possibilidade de realização de investimentos naquele país, fazer apresentações das empresas e produtos e ainda estudar a possibilidade de se relacionar, comercialmente, com empresas locais. Nesta missão participarão também representantes da autarquia albicastrense, fortemente motivada pelos mesmos objectivos.

Elenco: JOANA GONÇALVES AMILCAR RIBEIRO JOSÉ JUVENAL
Guitarra – Hélder Machado Júnior Violas – José Luís Cleto João Machado Contrabaixo – Bruno Godinho

Pag. 5

Canal da Crítica
Por Marcos Lido

Quim Barreiros, dixi …
Muito perto de Castelo Branco, em Vila Velha de Ródão, tivemos três dias de “canal aberto” para apreciar uma romaria tradicional da Beira Baixa, em louvor de uma Santinha que em situação de seca prolongada poderia providenciar a queda de uma chuvinha! Fomos para ver mas… desta vez não aconteceu o milagre, ainda que quase quase se vislumbrasse! Afinal, foi bom que não, devido ao grande afluxo de pessoas e, consequentemente, da alegria que reinou durante os dias vividos em clima praticamente de verão, desfrutados em cenários de alguma beleza. Estive à “turista” durante as três noites e na oportunidade apreciei as atracções de palco – três grupos de baile, com destaque para os “Remix” e os “Clã”, muito bons em qualquer parte onde reine a animação e se goste de dançar, sobretudo o sucesso da actualidade, o “Kuduro”. Excelentes vozes e bailarinas brilharam na exibição dos “Remix’s”. Falaram-me, então, que domingo o grande espaço rebentaria pelas costuras com a presença do grande animador Quim Barreiros. Só que, Vila Velha de Ródão (segundo me contaram) não recebeu o grande entretainer como vinha sendo habitual. Muito entusiasmo, sim, curiosamen te mais por parte de uma juventude que não faltou, mas que, no cômputo geral das classes, apenas terá ajudado à meia casa. Mas foi lindo de se ver. Quim Barreiros “encheu” as medidas dos que foram, e que, apesar de tudo,ainda foram umas largas centenas. E o Artista “disse” que está ali p’rás curvas. Atoardas? Qual quê, o popular Joaquim Fernandes Barreiros, de Vila Praia de Âncora, foi igual a si próprio e continua a ser o artista português que os emigrantes adoram e que as praxes académicas continuam a não dispensar. E para alguns que foram à “Senhora da Alagada” para ver o cantor e escutar a sua habitual música irreverente, viram, desta vez, um Quim Barreiros à frente de um trio de ritmo, excelente que, indiscutivelmente, valorizou o seu espectáculo. De resto, conversando com quem por aqui sa be destas coisas, o saldo foi positivo, sobretudo e, necessariamente, porque o programa se cumpriu e em beleza.

\Freguesia de

Sarnadas de Ródão
Dia 1 de Setembro Festa de S. Sebastião Programa;
Ranchos Folclóricos de Sarnadas, V.V. de RóRódão, Cebolais de Cima e de Dornelas do Zêzere. Orquestra Típica Albicastrense

*****
Outras Festas no Comcelho:
Freguesia de Perais
Dias 7 e 8 de Setembro Nossa Senhora dos ReMédios, em Alfrívida

*****
Freguesia de Fratel
2º. Fim de Semana de Setembro em Juncal e na Ladeira – Arraiais Populares.

*****
3º. Sábado de Setembro Feira de S. Mateus, em Fratel – Arraial Popular

*****
4º. Fim de Semana de Setembro – Montinho Em louvor de S. João Arraial Popular “Ecos de Ródão” publica, gratuita – mente, todos os programas de festas que nos forem envia dos para o efeito.

Pag. 6

Duques de Bragança nos “States”

Em convívio com a
Comunidade Luso Americana

Fados de Coimbra
Largo do Espírito Santo, em Castelo Branco – Dia 7 de Setembro – 20.30 horas

Jantar de Honra com a presença de D. Duarte e de Dª Isabel de Bragança
Os duques de Bragança estarão de novo em New Jersey como convidados de honra no Jantar Anual da Real Associação de New Jersey, cerimónia que decorrerá dia 6 de Setembro, em Newark, no Restaurante Seabra, localizado no Ironbound daquela cidade, numa área regional onde estão radicados perto de cem mil emigrantes portugueses e luso descendentes. D. Duarte Pio de Bragança de 67 anos de idade, é pretendente ao trono de Portugal e detentor actual do título de duque de Bragança, reivindicando direitos dinásticos sobre os títulos de Príncipe Real de Portugal e Rei de Portugal, sendo, portanto, o chefe da Casa de Bragança e por inerência o chefe da Casa Real Portuguesa. De referir que os Duques de Bragança desfrutam de enorme prestígio e popularidade junto da Comunidade Lusa dos Estados Unidos.

Francisco Dias Vítor Morgado Zé Paulo Vítor Sá
Apoio: Junta de Freguesia de Castelo Branco

À memória de Neil Armstrong

Para o Presidente dos Estados Unidos, a memória de Neil Armstrong estará guardada na galeria dos “grandes heróis norte-americanos”. E não apenas “deste tempo, mas de todos os tempos”

Pag. 7

Aí estão os “soberanos” da TROIKA!
- Escreveu CRUZ DOS SANTOS - Coimbra

Parecem os “Donos do Mundo”, todos finórios e “enxutos”,
enfarpelados, cheios de jactância, hirtos, peganhentos, fazendo lembrar os “Meninos de Deus” esses cobradores de impostos, salvadores de Pátrias arruinadas, desfalcadas, saqueadas. Aí estão eles, esses nossos novos “patrões”, “manda-chuvas” da Europa, cheios de estilo, de semblante carregado, muito vistosos, lustrosos, fazendo lembrar Agentes do “KGB”. Dominadores, despóticos, imperiosos! Atrás desses “figurões” importantes e exploradores, seguem os nossos subservientes “chefes dos chefes”, de espinha curva, servidores, pedintes. Essa turma do “pé descalço”, nesta obscena copulativa do evangelho incompleto que ao mal oferece, bondosamente, a outra face. A fraqueza ali exposta, mascarados de sérios e bondosos. Não há mal nenhum nisso. Devemos, temos todos que pagar. A bem ou a mal. Mesmo aquelas dívidas “desviadas” por aqueles impostores da “fava-rica”! Esquerdas, direitas. Ordinário, marche! Aí estão eles, muito importantes, embelezados de sorrisos gordurosos, entram por aqui dentro, devidamente autorizados por quem de direito, e toca a fiscalizar, ordenando, sequestrando Juros, obtidos com o suor e o sangue, desse nosso Povo humilde, e sempre tão sacrificado, que agarrado ao medo e por amor aos filhos, aos netos e à Família, lá vão suplicando à Nª. Srª. De Fátima e a todos os “Santos”, um milagre para saírem desse inferno: a “Crise”! Enquanto assim se divertem os políticos, milhões de pessoas, e refiro-me mesmo a pessoas, postas entre parênteses, têm direito, por um período indefinido, talvez sem limite que não a própria morte, à miséria ou à sua ameaça mais ou menos próxima, e muitas vezes à perda de um tecto, à de toda a consideração social e mesmo a toda a auto consideração. Ao drama das identidades precárias ou naufragadas. Ao mais vergonhoso dos sentimentos: a vergonha! Visto que cada um se julga (é encorajado a julgar-se) senhor falido do seu próprio destino, quando não passou de um número metido por acaso numa estatística. Vamos tolerar isso, até quando? Cruz dos Santos - COIMBRA

Pag.8

ções Fictícias”

Na Biblioteca Municipal
De 7 a 13 de Setembro: Construção do Mural Zoológico do Projecto Bicharada

Escritores Convidados para “Residência Literária”
Com a poesia e os poetas como ponto de partida, escritores convidados para “Poesia, um Dia”, vão assumir na Biblioteca Baptista Martins, durante quatro dias e num momento aberto ao público, as suas reflexões. São eles, Jaime Rocha, jornalista; José Mário Silva, jornalista do “Expresso” e da revista “Ler” e Margarida Vale de Gato, doutorada em Literatura e Cultura Norte-Americana.

Um programa destinado a crianças dos 8 aos 13 anos. Com os artistas plásticos Ana Rita Pires e Mito Elias.

***** Ateliês
“Poesia, um Dia” incluirá nos quatro dias de abertura ao público na Biblioteca Municipal de Vila Velha de Ródão, os seguintes “Ateliês”: “A Leitura em Voz Alta”, pela Andante Associação Artística, destinado a professores, animadores, mediadores de leitura e interessados por esta matéria; “É absolutamente certo”, por Niels Fisher, para poetas e artistas plásticos e público de todas as idades;

***** “Poesia, um Dia”
“A poesia nem sempre resulta e nunca dá de comer. /Mas se falhar a economia haja outras coisas com matéria/ para nos darmos/ o que livre da miséria”
Margarida Vale de Gato

No quarto aniversário da Biblioteca José Baptista Martins, em Vila Velha de Ródão, tem início o projecto “POE SIA, UM DIA” que assinala a abertura a 19 de Setembro, para um novo tempo cultural que surgiu num momento exacto na sede do concelho, com novas palavras e gestos que abriram novos e frutuosos caminhos em Vila Velha de Ródão, que assumiu plenamente a sua condição de território onde há também poesia de mãos dadas com a cultura iniciada há milhares de anos com a inscrição das gravuras rupestres no leito do rio Tejo.

Exposições
Ilustrações Lebres + Papoilas, por Elisa Aragão e Teodora Boneva, que apresentarão ilustrações inspiradas em excertos de textos poéticos, reproduzidos em formato de postal que serão oferecidas aos participantes nas actividades.

Itinerâncias
“Aqui há Poesia” – Elsa Ligeiro, responsável da Produtora de Actividades Culturais “Alma Azul”, acompanhará poetas, actores, figuras públicas e voluntários da comunidade, a aluns locais públicos, onde serão lidos poemas.

Algumas propostas da Biblioteca de Ródão para o espaço “Poesia, um Dia” Espectáculo poético pela “Associação Artística <Andante>; - Private Z(oo)m – Tempo de Bichos, Por Mito Dias; - Projecto Voz, a cargo das “Produ-

Francisco Pinto Berkemeier
Ilustrará com a sua música e a sua classe em guitarra clássica, esta iniciativa da Biblioteca Municipal “Baptista Martins”.
- Ver programa definitivo na Biblioteca Municipal

Pag. 9 Vila Velha de Ródão

Passeios de Barco no Tejo Internacional

Turismo já no próximo sábado que duas das maiores empresas de animação turística no Geopark Naturtejo se juntam em parceria para passarem a realizar passeios turísticos no Tejo Internacional. Estes passeios, sempre acompanhados com guia, têm a duração de uma hora, com duas partidas – uma pela manhã: 10/ 11h.) e outra, durante a tarde – 16/ 17h. Como oferta aos turistas que visitam o Geopark Naturtejo e pretendam realizar os passeios de barco com partida de Vila Velha de Ródão para visita ao monumento nacional das Portas e Ródão têm desconto de 10% nos dois passeios. Domingos Leitão e Nuno Coelho, os dois responsáveis por este projecto esperam receber cerca de 5000 turistas já no primeiro ano. O preço é de 10 Euros para adultos e 5 Euros para menores dos 6 aos 12 anos.

É

R.do Arrabalde,28 6030-235 Vila Velha de Ródão.
Nº, 60 de 30 de Agosto de 2012

Neste número: 12 Páginas Semanário Regionalista Editado em Vila Velha de Ródão Director
J. Mendes Serrasqueiro

Paginação e Arte Final Gina Nunes E-mail mendes.serrasqueiro @gmail.com

Telefones
272 545323- 272 541077

Telemóveis
96 287 0251 – 96 518 3777

“Ecos de Ródão” é enviado às quintasfeiras entre as 20 e 22 horas Envio gratuito por E-mail Pode visitar todas as nossas edições em

ecosderodao.blog spot.com

Pag. 10

Secção de Paulo Miguel

Turismo – “Crise” em Vila Velha?
Eu sei que a Senhora sabe que eu sei que não foi pelo meu “artigo” que a Senhora mandou varrer as ruas e limpar os passeios de Vila Velha, mas eu e todos os rodanenses que gostam de ver a nossa vila limpinha já agradeceram!. Mas, agora, diga lá, Senhora Presidente, não fica mais bonita a nossa vila assim mais arrumadinha?... Também sei que a Senhora sabe que eu sei que o abandono que foi dado ao cemitério municipal será temporário mas, se perder um minuto do seu tempo precioso, verá o estado lastimoso em que o mesmo se encontra. E não vai gostar, de certeza... A Romaria da Senhora da Alagada já não é (já não foi…) o que era, noutros tempos! Não houve aquela tradicional alvorada com foguetes e arruada com a “nossa” Banda, O programa, algo fracote, dirão alguns que se terá ficado a dever à “crise. Mas, qual crise, direi eu... Crise só se for de valores que é o que falta por este país. A Comissão de Festas não terá noção de que qualquer aldeia deste concelho já faz uma festa ao nível daquela que era considerada a “festa rainha” do concelho rodanense? Crise? Turismo? … em Vila Velha? No domingo das festas em honra de Nossa Senhora da Alagada passaram por esta Vila uns quantos turistas (portugueses e estrangeiros) que procuraram onde almoçar. E enquanto uns sugeriam " tem aqui o Varanda da Vila" logo se retorquia que esse restaurante estava encerrado, Depois, apontava-se como hipótese o “Mangual,” que, igualmente, se encontrava encerrado. Disseram, então, que restaurante só na parte de baixo da vila. “O Júlio, idem, idem, aspas, aspas, ficando uma outra hipótese: o restaurante “Enxarrique”. Mas, qual quê já se contavam quatro restaurantes que se estavam nas “tintas” pelo turismo! Com o “Motorista” para férias, bolas, era de mais… Então só se poderia almoçar na “Estalagem Portas de Ródão”, não sendo garantido, já que é sabido que domingos e segundas-feiras aqueles serviços de restauração não têm cozinheiro e, pasme-se ó gentes, alguns dos seus hóspedes têm que ir comer a outro lado, provavelmente a Castelo Branco! E, agora, pergunto eu: há, realmente, “crise” na restauração em V.V.? E aquela “estória” dos “motards” que queriam servir-se do parque de campismo, a barraca que deu? Isto, Senhora Presidente, é o que resulta de não se terem pessoas competentes onde deviam estar! Eu sei que a Senhora sabe o que se passou. O que talvez não saiba é que, também eu sei o que se passou! Contou-me um passarinho … Por tudo isto, eu volto a perguntar: é tudo isto que temos para oferecer a quem nos visita? Quantos restaurantes estão abertos aos domingos? Quem é responsável pelo Parque de Campismo e para que serve esse bonito espaço se estiver fechado ou ali não estiver ninguém para receber quem o queira utilizar? A Srª Presidente do Município (desculpe lá…) também pode dar uma mãozinha para que isto melhor por cá! Será só uma questão de dialogo entre as partes interessadas. Como se verificou anos atrás, quando na Autarquia havia um Homem que hoje é uma saudade. Paulo Miguel

Pag. 11

os portugueses gostam tanto deste peixe?
Será que perdemos a América por causa do Bacalhau? Vários historiadores defendem que Portugal perdeu a América no Tratado das Tordesilhas com os espanhóis, para preservarmos a Terra Nova, a terra do bacalhau …
Há historiadores que defendem que o bacalhau está na origem do acordo firmado entre Portugal e Espanha em 1494 no qual Portugal procurou defender a Terra Nova protegendo assim a origem do fiel amigo, deixando de lado a América que Colombo veio a reivindicar para espanha. Os primeiros comerciantes deste peixe foram os Bascos, em redor do ano 1000. Já conhecedores do sal, comercializavam o peixe curado, salgado e seco, o que era feito nas próprias rochas, ao ar livre. Mas terão sido os Vikings os primeiros a usá-lo na alimentação. Desconhecedores do sal, secavam o peixe em tábuas de madeira até que perdesse a quinta parte do seu peso. Depois era cortado em cubos que eram guardados para a alimentação.

Portugueses os maiores consumidores
Os Portugueses são no mundo os maiores consumidores de bacalhau. Contudo, só a partir do século XV o peixe entra na dieta em Portugal, durante o período das Descobertas. Em 1497 os primeiros exemplares são trazidos da Terra Nova. Em 1508 o bacalhau já representava 10% da alimentação nacional. O Rei D. Manuel I, grande apreciador de bacalhau, criou um imposto sobre a pesca do bacalhau…

Vida de Bacalhau
Cada fêmea põe, por ano entre 4 a 6 milhões de ovos. Contudo, só cerca de 1% sobrevive e chega à fase adulta. Aos dois anos o bacalhau já tem 50 cm. Vive perto de 20 anos, altura em que atinge 1,5m e chega a pesar 50 Kgs. É um peixe estenoterno, (só suporta pequenas oscilações térmicas) o que significa que só pode ser chamado “dízimo da pescaria”. Aquele imposto destinava-se a patrocinar expedições para a pesca do bacalhau. As primeiras frotas pesqueiras eram pertença do Reino e só em meados do século XIX, altura em que o imposto sobre a pescaria foi abolido, se autorizou a que particulares se dedicassem, de igual modo, a este negócio. As primeiras embarcações privadas eram à vela, feitas de madeira e a pesca fazia-se à linha. Os homens do mar chegavam a trabalhar 20 horas por dia e o bacalhau foi, entretanto, uma revolução na alimentação, já que na altura em que começou a ser conhecido, os alimentos estragavam-se pelas precárias condições de conservação. A salga e a seca do bacalhau, além de garantirem, assim, a sua conservação, apuravam o seu gosto. Por tal facto, a disputa entre os países foi tanta, que o peixe esteve na origem de duas guerras, a primeira em 1532 entre a Inglaterra e a Alemanha e, a segunda em 1585 entre a Inglaterra e a Espanha. Actualmente Portugal importa cerca de 90% do bacalhau que consome, grande parte dele já salgado e seco, sendo assim tratado, dos alimentos mais completos, já que conserva toda a qualidade do peixe fresco. Rico em minerais, vitaminas e proteínas, apresenta uma taxa de gorduras de apenas 1gr./ 100 gr. de peso. Para além do mais, comido da forma mais simples – cozido – é de fácil digestão. Quando há necessidade de o temperar à mesa, tal deve ser feito com azeite português, virgem, com um acidez nunca inferior a 1º. Eça de Queiroz escrevia a seu tempo, que um bom tinto “é um casamento feliz com o bacalhau pela acção do tipo de sabores frutados do vinho, o que dá uma sensação gustativa indirecta da doçura que ameniza o gosto oposto salgado do bacalhau”. José Luis Gomes de Sá Junior foi, a certa altura, cozinheiro no Restaurante Lisbonen se. Aí criou a sua célebre receita, servida pela primeira vez em 1914.
- Continua na página 12

Pag.12

- Continuação da página 11 José Valentim, mais conhecido pelo Zé do Pipo, viveu no Porto onde era dono do Restaurante com o mesmo nome. A si se lhe deve a confecção do seu prato em que as postas de bacalhau eram cobertas por maionese e depois levadas ao forno a gratinar.

Os últimos anos da pesca do bacalhau
Nos últimos 20 anos assistiu-se a uma pesca excessiva do bacalhau, o que motivou que os cardumes fossem substancialmente reduzidos. A modernização da indústria pesqueira não foi alheia a este facto. O bacalhau tornou-se assim uma espécie em via de extinção o que motivou que a Comissão Europeia reduzisse drasticamente as quotas de pesca já a partir de 2006. Contudo, a Noruega, por não fazer parte da Europa comunitária, já disse que não aceitaria esta norma... Portanto, se gostam de bacalhau apreciem-no enquanto ele ainda está disponível...

In-Jorna USA

Newark, N.J. -

David Blanco venceu a Volta a Portugal em bicicleta Futebol Distrital
CDRC iniciou ontem, quinta-feira, dia 30, a sua participação no “Torneio Quadrangular”
Com a sua deslocação a Mação, o CDRC de Vila Velha de Ródão, está a participar no torneio quadrangular de futebol (não oficial). No próximo domingo, 9 de Setembro, o clube rodense jogará em “casa” defrontando a equipa do Estreiro, Para o mesmo torneio, seguindo-se a sua participação em mais dois jogos – Montargil/ CDRC (dia 16 de Set., 16 h.) e no dia 18 de Setembro, pelas 20 h, com a deslocação ao Crato.

Campeonato Distrital da I DiviSão, começa a 23 de Setembro CDRC joga em “Casa”
O sorteio dos jogos realizou-se na sede Da A.F.C.B., cabendo ao clube de Vila Velha de Ródão jogar o seu primeiro encontro, com o Pedrógão de S. Pedro, no Estádio Municipal de Vila Velha de RóDão, precisamente no dia 23, início do “distrital”, talvez um bom “handicap” para os rodenses.

O espanhol David Blanco (Efapel-Glassdrive) venceu a Volta a Portugal em bicicleta pela quinta vez, após a décima e última etapa, entre Sintra e Lisboa, ganha pelo sul-africano Reinardt van Rensburg (MTN Qhubeka). Pedro Bicudo, melhor português, foi 2º. da classificação. Depois de ter ganho em 2006, 2008, 2009 e 2010, igualando os quatro êxitos do português Marco Chagas, David Blanco confirmou o quinto triunfo e tornou-se o corredor com mais vitórias na principal prova velocipédica nacional.