You are on page 1of 2

A LINHA E O LINHO É a sua vida que eu quero bordar na minha Como se eu fosse o pano e você fosse a linha E a agulha

do real nas mãos da fantasia Fosse bordando ponto a ponto nosso dia-a-dia E fosse aparecendo aos poucos nosso amor Os nossos sentimentos loucos, nosso amor O ziguezague do tormento, as cores da alegria A curva generosa da compreensão Formando a pétala da rosa da paixão A sua vida o meu caminho, nosso amor Você a linha e eu o linho, nosso amor Nossa colcha de cama, nossa toalha de mesa Reproduzidos no bordado A casa, a estrada, a correnteza O sol, a ave, a árvore, o ninho da beleza (Gilberto Gil)

1) Nesse texto, com quem fala o poeta e o que ele revela a essa pessoa ? 2) Um dos primeiros versos sugere que um relacionamento amoroso envolve dois aspectos que se opõem e, ao mesmo tempo, complementam-se. Transcreva esse verso e explique sua resposta. 3) Levando em consideração o contexto, explique se as expressões “ ponto a ponto” (verso 4) e “aos poucos” (verso 5) sugerem a lentidão preguiçosa ou lentidão caprichosa. 4) De que forma o poeta imagina representadas no bordado as situações de conflito que podem ocorrer no relacionamento amoroso? Você acha adequada essa representação? 5) Na sua opinião, a “compreensão” estaria bem representada, no bordado, por uma “curva generosa”? Por quê ? 6) Desenhe como você representaria, no bordado, o trajeto dos seguintes momentos do relacionamento amoroso: a) Ciúme b) Monotonia c) Felicidade intensa 7) Nos últimos versos, o poeta imagina as figuras que se formarão no bordado: a casa, a estrada, a correnteza, o sol, a ave, a árvore, o ninho. a) No mundo real, essas figuras costumam aparecer em que tipo de bordado? b) Ao fazer referência a esses desenhos, o que o poeta sugere sobre seu relacionamento com a pessoa amada?

INGÊNUO. O AMOR VAI SENDO BORDADO VAGAROSAMENTE. E QUE TAMBÉM PODEM SER PERCEBIDAS NUM SENTIMENTO DE COMPREENSÃO. REVELANDO-LHE O DESEJO DE LIGAR SUA VIDA À DELA DE FORMA TÃO BONITA QUE ESSA RELAÇÃO SERIA COMO O DESENHO DE UM BORDADO.GABARITO 1) O POETA FALA À PESSOA AMADA. 4) ELE IMAGINA O TORMENTO REPRESENTADO POR UMA LINHA EM ZIGUEZAGUE. COM TODO O CUIDADO. (ESPERA-SE QUE OS ALUNOS PERCEBAM QUE ESSA REPRESENTAÇÃO É ADEQUADA. INQUIETANTE E. A FANTASIA SÃO OS MOMENTOS EM QUE A IMAGINAÇÃO CRIA AS SITUAÇÕES BOAS E ALEGRES. AO DIA-A-DIA. PREVISÍVEL) 5) RESPOSTA PESSOAL (ESPERA-SE QUE OS ALUNOS SE REFIRAM ÀS SUGESTÕES DE DELICADEZA. INGÊNUOS. . SINGELO E REPLETO DE TERNURA E PLACIDEZ. CONTIDAS NUMA LINHA CURVA E GENEROSA. NÃO TEM UMA DIREÇÃO DEFINIDA.) 6) PESSOAL 7) A) ELAS SÃO COMUNS NOS BORDADOS SIMPLES. B) ELE SUGERE QUE O RELACIONAMENTO SERÁ PURO. POR QUEM ESTÁ APRENDENDO A BORDAR OU POR PESSOAS SEM MAIORES SOFISTICAÇÕES TÉCNICAS OU ARTÍSTICAS. POIS O TORMENTO É ALGO CONFUSO. ESSES TRABALHOS GERALMENTE SÃO FEITOS POR CRIANÇAS. SUAVIDADE E CALMA. 2) E A AGULHA DO REAL NAS MÃOS DA FANTASIA/ O REAL REFERE-SE ÀS SITUAÇÕES CONCRETAS DA VIDA. COMO UM ZIGUEZAGUE. 3) AS DUAS EXPRESSÕES SUGEREM LENTIDÃO CAPRICHOSA.