You are on page 1of 11

Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Federal Relator do Recurso de Apelação nº 2001.03.99.051541-4, da Quinta Turma do E.

Tribunal Regional Federal da Terceira Região

Processo nº 2001.03.99.051541-4 THORNTON – INPEC ELETRÔNICA LTDA., já qualificada nos autos do Recurso de Apelação interposto pelo INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL, por seus procuradores, vem à presença de Vossa Excelência se opor aos acórdãos de folhas 353/355 1 e 366/375 2 por meio de Embargos Infringentes, com fundamento nos artigos 530 e seguintes do Código de Processo Civil, cumulados com os artigos 259 a 261 do Regimento Interno deste E. Tribunal, consubstanciado nas razões anexas, requerendo que o mesmo seja recebido nos seus efeitos devolutivo e suspensivo. Termos em que, Pede deferimento.

São Paulo, 23 de outubro de 2006.

Emerson Matioli OAB/SP 185.466

Carlos Eduardo de A. Navarro OAB/SP 140.981-E
1 2

Proferido no Recurso de Apelação. Proferido no Recurso de Embargos de Declaração.

com pedido de antecipação da tutela jurisdicional.RAZÕES DE EMBARGOS INFRINGENTES EMBARGANTE: THORNTON – INPEC ELETRÔNICA LTDA. com fundamento no artigo 66 da Lei 8. o juiz passou a julgar o feito. em suma. em face do Embargado. O juízo monocrático concedeu a antecipação “inaudita altera parte” e ordenou a citação do ora Embargado. entendendo exaurida a instrução probatória.99.051541-4 – EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Egrégio Tribunal! Colenda Turma! Ínclitos Desembargadores! 1 – Dos fatos A ora Embargante propôs a presente ação declaratória e condenatória pelo rito ordinário.383/91 e na declaração de inconstitucionalidade do mencionado tributo pelo Supremo Tribunal Federal. Após contestação e réplica. EMBARGADO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL .INSS PROCESSO Nº 2001. o direito a compensar valores indevidamente pagos a título de Contribuição Social incidente sobre pagamentos efetuados a autônomos e administradores. requerendo.03. Assim se pronunciou o juízo “a quo”: 2 .

º 8. instituída pelo inciso I do art. porquanto inconstitucionais. com parcelas vincendas da contribuição incidente sobre a folha de salários (art. até a absorção do crédito existente.” 3 (grifos alheios) dos Inconformado.212/91. afastandose a incidência do § 1º do art. e.º 8. extinguindo o processo com julgamento do mérito (Art. bem como dos valores recolhidos a título de contribuição previdenciária incidente sobre a remuneração de empresários e autônomos.º 8. Tribunal. 22 da Lei n. (i) a verificação do fenômeno da repristinação em relação às normas revogadas pelas leis declaradas inconstitucionais.º 7. a ocorrência da prescrição qüinqüenal. 22 da Lei n.212/91. 3 Trecho da sentença de folhas 242/250. devidamente comprovado nos autos. 3 . resguardado ao Fisco o direito de promover a verificação da exatidão lançamentos efetuados. declarando o direito da(s) requerente(s) promover(em) a compensação tributária dos valores recolhidos a esse título. quais sejam: preliminarmente.“Assim sendo. 269.212/91) e devida pelo INSS. mas observando-se o critério do § 3º do art. 89 da Lei n. instituída pela (sic) inciso I do art. para reconhecer a inexigibilidade dos valores recolhidos a título de contribuição previdenciária incidente sobre a remuneração de autônomos. o Embargado interpôs Recurso de Apelação a este E. PROCEDENTE o julgo pedido PARCIALMENTE da requerente.212/91. 3º da Lei n.787/89.º 8. e (ii) a impossibilidade de compensação dos valores pagos indevidamente pela Embargante. no mérito. reiterando as teses ventiladas na contestação. consubstanciado nos argumentos jurídicos aduzidos na fundamentação. 89 da Lei n. inciso I do CPC). administradores e avulsos.

sob o fundamento de que a Embargante não fez prova da ausência de transferência dos encargos aos consumidores. ficou prejudicada a análise da preliminar. rechaçando a tese de que o crédito reconhecido em sentença teria decorrido de tributo indireto. afastando a preliminar de prescrição e. Veio o decisium. redator do acórdão. Desembargador Federal Fábio Prieto de Souza. que foram conhecidos e rejeitados por esta C. aliás. sendo sorteado como relator o i. a razão assiste à Embargante quanto ao mérito. proferiu voto diametralmente oposto ao relator. Corte com contra-razões da ora Embargante. quanto ao mérito. Após breve relatório. negou provimento ao recurso do Instituto-Embargado e deu provimento à remessa oficial. A fim de suprir eventual obscuridade no julgado.Recebida a Apelação no duplo efeito. 4 Folha 328. os autos subiram a esta E. A i. o i. 4 . no entanto. proferido pelo i. Em razão do resultado. Em posição intermediária se deu o terceiro voto. deu provimento à Apelação e à remessa oficial. hoje lotada na Presidência da 8ª Turma. serve de voto condutor para o acórdão ora recorrido. Segundo o entendimento do d. Por esses fundamentos. há de ser reconhecida a prescrição qüinqüenal. aplicando à contribuição em comento a exegese do artigo 166 do Código Tributário Nacional. Turma. desembargador relator. a ora Embargante opôs Embargos de Declaração. Desembargador Federal André Nabarrete Neto. o que enseja o parcial provimento do Recurso de Apelação. mantendo a r. “para explicitar os critérios de incidência da correção monetária. Desembargadora Federal Vera Lucia Rocha Souza Jucovsky. que. sentença recorrida em todos os seus demais termos” 4.

). um terceiro efeito dos embargos de declaração. embora a Embargante pretenda se opor ao acórdão de folhas 353/355. Não obstante a questão não seja das mais tormentosas. 538 do CPC: ‘Os embargos de declaração interrompem o prazo para a 5 deve-se discorrer acerca da . conforme restará demonstrado nos parágrafos ulteriores. apelação. seja para comprovação de seus requisitos intrínsecos. devendo ser acolhida a fundamentação proferida no voto vencido da Desembargadora Vera Jucovsky. É o que dispõe o art. embora o acórdão recorrido esteja revestido de fundamentação jurídica.Ocorre que. que lhes é peculiar. razão pela qual o segundo acórdão sempre se incorpora ao primeiro. seja para aqueles extrínsecos. os Embargos de Declaração servem para complementar ou esclarecer a primeira decisão. Assim. a razão não pode lhe assistir. é o de interromper o prazo para a interposição de outros recursos cabíveis contra a mesma decisão (agravo. embargos infringentes.1 – Do cabimento do presente recurso Em análise preliminar. 2 – Preâmbulo 2. conforme pacífico entendimento doutrinário e jurisprudencial: “Além disso. Primeiramente tempestividade destes Embargos. cumpre demonstrar as razões de cabimento do presente recurso. indubitável que o termo “a quo” para a interposição do presente recurso seja a data da intimação quanto à decisão de folhas 366/375. recursos extraordinários etc. vale dizer que.

em grau de apelação.interposição de outros recursos. Da mera leitura do dispositivo retro. Não obstante o disposto no artigo 511 do Código de Processo Civil... devemos demonstrar o cabimento do presente recurso à luz do artigo 530 da lei processual civil. 261 – Os embargos infringentes não estão sujeitos a preparo. in verbis: “Art. Nelson Luiz. (. 530.. tal questão se mostra superada por este Tribunal.” Como últimas condições de admissibilidade. Cabem embargos infringentes quando o acórdão não unânime houver reformado. p. a seguir transcrito: “Art. 6 .” 5 (grifamos) Outro ponto que gera controvérsias em muitos tribunais brasileiros dá conta da (des)necessidade de preparo para os Embargos Infringentes. (ii) acórdão reformador de sentença e (iii) acórdão proveniente de sentença de mérito. por óbvio. No presente caso. 1ª ed. Malheiros. a sentença de mérito. de acordo com a disposição trazida pelo artigo 261 do RITRF3. por qualquer das partes’. 157. ou houver julgado procedente ação rescisória. verificamos três requisitos peculiares deste recurso. bem como o fato de que esta decisão foi modificada. São Paulo.)” Para adequação ao presente caso. o voto condutor do acórdão). 5 PINTO. 1999. razão pela qual devemos nos limitar à primeira hipótese. vemos que não se aplica a segunda possibilidade de cabimento (quanto à ação rescisória). quais sejam: (i) acórdão não unânime. Manual dos recursos cíveis. ainda que tenha sido parcialmente (observado. evidente que o Recurso de Apelação analisado teve como objeto uma sentença de mérito.

Com relação à decisão apelada. São Paulo. 7 .. Malheiros. ainda que também pareça trivial a não unanimidade do acórdão ora recorrido. são dotados de duplo efeito.2 – Do efeito suspensivo Os Embargos Infringentes. 1ª ed. cabe analisar a extensão do efeito suspensivo a ser atribuído aos presentes Embargos. PINTO. conforme será demonstrado nos parágrafos ulteriores. Turma. Nelson Luiz. a fim de que não haja nenhum óbice ao cabimento deste recurso. É que o acórdão de folhas 353/355 provém de voto médio . Manual dos recursos cíveis. originado por uma discordância entre os componentes da turma julgadora.Quanto ao primeiro requisito. e se no julgamento da apelação prevaleceu o voto médio. os embargos infringentes prolongarão 6 7 Folhas 330/352. as lições do Professor Nelson Luiz Pinto são esclarecedoras: “Quanto ao efeito suspensivo. parcialmente vencidas. p. segundo melhor doutrina. Nesse sentido. 142.” 7 Superadas essas considerações preliminares. 2. são cabíveis embargos infringentes por ambas as partes. 1999. a interposição dos embargos infringentes suspende os efeitos do acórdão embargado. Nesse sentido. mas ainda em sede preliminar. por divergência entre os três julgadores. sendo ambos limitados à matéria objeto da divergência. Por fim. requer que o presente recurso seja admitido e encaminhado para julgamento desta E. devemos fazer algumas observações que se mostram pertinentes. independentemente das alegações preliminares do Embargado. vejamos: 6 “Tratando-se de parcelas decomponíveis.

se faz necessário delimitar com exatidão a amplitude do voto vencido. 150. se também a apelação tinha esse 501/185. julgadores. Manual dos recursos cíveis. que fora alegada preliminarmente pelo ora Embargado em seu Recurso de Apelação. também os infringentes serão recebidos apenas no efeito devolutivo. vemos que a análise de mérito dos desembargadores acabou produzindo o mesmo resultado. São Paulo. no entanto. se a apelação que resultou no acórdão embargado tiver sido recebida no efeito suspensivo. 143. também não se verifica divergência entre os i. 8 .. Comparando-se o segundo e o terceiro votos. RePro 6/312. Nelson Luiz. São Paulo. p. Em relação à remessa oficial. ou seja.. 8 9 PINTO. esse feito se prolongará durante o julgamento dos infringentes. Malheiros. em relação à decisão apelada. que reforma o que fora estabelecido pelo juízo monocrático. 1999. reside apenas no que tange à aplicação da prescrição qüinqüenal. p. Manual dos recursos cíveis.os mesmos efeitos da apelação. a matéria que deve ser envolta com o manto da suspensão. ou seja. a amplitude da matéria objeto dos presentes Embargos.” 8 E o mesmo autor. 1ª ed. qual seja o desprovimento do Recurso de Apelação do Embargado. Malheiros. 1ª ed. acrescenta: “Efeito suspensivo – Dentro dos limites do voto vencido os embargos têm efeito suspensivo. tendo em vista a nova determinação dos critérios de atualização monetária. Assim.” 9 Para uma efetiva aplicação efeito (RT do efeito suspensivo. ou seja. 1999. PINTO. Caso contrário. em. ainda que sob fundamentos diferentes. Nelson Luiz. 87). se valendo da jurisprudência pátria. a controvérsia entre esses dois votos.

Nesse sentido. sem mais delongas. é que a mencionada lei complementar inova no ordenamento. Trecho do voto do Min. ficando sua aplicação limitada apenas às ações propostas após a entrada em vigor. 9 . no que diz respeito ao 10 11 Embargos de Divergência nº 435. opera-se a prescrição do direito à compensação após 5 (cinco) anos da homologação tácita. Tribunal Regional Federal. Superior Tribunal de Justiça . Como já é pacífico no E. acerca do descabimento da prescrição no caso em tela. II – A Lei Complementar nº 118/05. cabe dissertar.Posto isso. O entendimento dos tribunais. NÃO INTERPRETATIVA. aplicase a tese dos “cinco mais cinco” 11 se a homologação for tácita. incluído no ordenamento com o suposto status de norma interpretativa. para os tributos sujeitos a lançamento por homologação. relator no REsp nº 453. inclusive este E. advém do disposto no artigo 3º da Lei Complementar nº 118/2005. João Otávio de Noronha. ainda que sucintamente.1 – Da inaplicabilidade da prescrição Em primeiro lugar. 3 – Do Mérito 3. "I – Tratandose de parcelas referentes a contribuições sociais passíveis de autolançamento e. portanto. portanto.829-SP. vejamos: “COMPENSAÇÃO – TRIBUTO SUJEITO A LANÇAMENTO POR HOMOLOGAÇÃO – PRAZO DE PRESCRIÇÃO DO DIREITO – LC 118 – LEI NOVA.835-SC. 10 A única dúvida que resta. sujeitas à homologação. passemos ao mérito dos presentes Embargos Infringentes.

Cecília Mello / 2ª T – DJU 22/04/2005. razão pela qual deve prevalecer o entendimento exposto no voto da Des. que adotou um entendimento em consonância com o que vem decidindo o E.829-SP. servem os presentes Embargos para pugnar o voto condutor. III – (. uma vez ressaltar Desembargadora Federal Vera Jucovsky. que rejeita a argüição preliminar. restando-nos tão somente a análise dos juros de mora.2 – Da atualização monetária No que tange ao tema em epígrafe. mas uma lei nova. 12 10 . 15 Folha 352. os critérios adotados nos segundo e terceiro votos são absolutamente idênticos. Superior Tribunal de Justiça 13. Des. Min.99. julgadora aplicou a correção dos valores desde a “janeiro de 1996” 14. 3. o d. rel.. que se deu apenas em 1997 15. requerendo que prevaleça a decisão divergente em toda a sua extensão. vale mais o brilhantismo do voto proferido pela i. 09/05/2006. Fed. Quanto à correção monetária.)"” 12 (grifamos) Posto isso. Dessa maneira. Fed. ainda que sob fundamentos diversos.250/95. não deve ser considerada uma norma interpretativa. TRF-3ªR – Proc. mas tão-somente o termo inicial para a incidência dos juros. 1999. nos termos da Lei nº 9. Vera Jucovsky. 13 STJ-2ªT . relator para o acórdão entendeu que a atualização far-se-á a partir da propositura da ação. j.089242-0 – AC 531353 – Rel.REsp nº 453.seu artigo 3º. Enquanto a i.03. evidente que no presente caso não se opera a prescrição. 14 Trecho do voto da Desembargadora Federal Vera Lucia Jucovsky. João Otávio de Noronha.. não se discute a aplicação da taxa Selic. Nesse particular.

a admissão do presente recurso e o conseqüente processamento e julgamento do feito. 23 de outubro de 2006.466 Carlos Eduardo de A. Turma. ii) Independentemente da impugnação. Termos em que. a Embargante requer: i) A abertura de vista ao Embargado para. Emerson Matioli OAB/SP 185. apresentar suas contra-razões.4 – Do pedido Diante do exposto. em assim querendo. negando provimento ao Recurso de Apelação do Embargado. Pede deferimento. São Paulo. Navarro OAB/SP 140. iii) O acolhimento das presentes razões de recurso para o fim de reformar o acórdão recorrido. ainda que sob fundamentos diversos.981 E 11 . a ser conduzido por novo relator sorteado dentre os desembargadores federais que compõem esta C. nos termos do voto divergente.