You are on page 1of 10

Dicas de Redação

sobre Redação por Adilson Torquato adilson@algosobre.com.br

Vamos ver o que os examinadores alertam aos vestibulandos quanto a parte redacional: Avaliação, classificação e seleção "... O sistema de vestibular da Universidade de Brasília utiliza, além da Prova de Redação em Língua Portuguesa, de caráter discursivo... será corrigida por uma banca de examinadores..." Para tirar as dúvidas quanto a aplicação da Técnica de Redação: DISSERTAÇÃO. REDAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA A Prova de Redação em Língua Portuguesa tem o objetivo de avaliar a capacidade de expressão na modalidade escrita da Língua Portuguesa. O candidato deverá produzir texto dissertativo, com extensão mínima de 30 linhas e máxima de 60 linhas, legível, caracterizado pela coerência e coesão, com base em um tema formulado pela banca examinadora. Com a função de motivar o candidato para a redação, despertando ideias e propiciando o enriquecimento de informações, poderá haver, na prova, textos e outros elementos correlacionados ao assunto em questão. Os critérios de avaliação mais abrangentes referem-se ao desenvolvimento do tema, à observância da apresentação e da estrutura textual e ao domínio da expressão escrita. Em termos restritos, estabelecem-se critérios específicos ligados a cada item. Lembrete: Não se esqueça de responder ao questionário socio-cultural para o CESPE. Cuidado com letras maiúsculas fora da lógica dos Períodos construídos no texto! A LETRA

. a de forma confunde muito. . . Existe uma ciência que trata disto é a GRAFOLOGIA.Não ultrapasse as margens do papel tanto nas laterais quanto no topo e no fim da pauta. . .Nada de bolinha nos is. Para isto existem as faixas de limite do papel. Para nós o que interessa na Redação é a Estética da escrita e a aplicação da técnica de dissertação: .Não se perca em detalhes mas escreva com boa grafia (normalmente as moças prezam mais pela boa letra mas podem perder tempo enfeitando muito). Resumindo as últimas dicas.Nada de s parecido com j. . dois pontos e vírgula sem necessidade. com ritmo tranquilo e sem correria e bastante estética na redação para facilitar a leitura e a compreensão da estrutura de seus pensamentos e opinião pessoal ou dentro da sugestão do texto apresentado. .Não acelere o ritmo para acabar logo nem demore demais para não perder tempo.Nada de j com cara de s ou vice-versa.Nada de y com cara de g e vice-versa.Não escreva palavras com dúvida de grafia.Nada de ç com cara de ss. média. ponto e vírgula. O mais importante: Letra com firmeza e segurança. bem nítida. .Nada de h com cara de m maiúsculo.Nada de letra maiúscula onde deveria ser minúscula exceto se a norma pedir.Nada de m com cara de n.Não exceda em reticências. . podemos dizer que o ato de escrever exige: .Nada de sc com cara de x e vice-versa. .A letra pode mostrar a sua personalidade. . bem clara. .Nada de n parecido com r.Nada de t com cara de f.Nada de rr com cara de m ou vice-versa. . . ocupa espaço e não se pode distinguir a CAIXA ALTA da BAIXA. . . .Procure fazer uma letra manuscrita.

Bastante leitura acerca do assunto e concentração no que vai ser redigido. .Determinação em suas exposições e opinião final. Análise do texto e compreensão das estruturas gramaticais. Isto já é tema para uma tese de pósgradução em linguística por sua importância na análise de redações dos vestibulandos.Uma escrita legível. . com uma pressão forte e segura e sem muita tensão. . .Cuidado com a ortografia e as acentuações. . Isto depende do quanto escreveu. . .Calma e atenção. com uma velocidade rítmica regular (muitas vezes a turma começa a rabiscar e nada se entende no final).Reflexão no entendimento da mensagem (Eu escritor também sou leitor e mais que isto: Sou Examinador e Crítico de meu próprio texto.Meditação e concentração na formação de ideias. . sem muitos ornamentos na letra. . .Prática de Redação Dissertativa (quanto mais cedo começar a escrever melhor sua integração de estilo que é pessoal e ninguém faz duas redações iguais exatamente pela capacidade dialética de reter informações expondo-as na memória e dispondo-as de maneiras diferentes dentro de sua forma de pensamento). proporcional. atualizou e de sua segurança na dissertação. nem dilatada nem apertada demais. .Capacidade de coordenar suas ideias sem perder a facilidade de expressão. .. Autocontrole e fidelidade ao tema.Esquematização da estrutura e você viu muito disto nas dicas. O meu "Eu" se registra em minha redação pela organização. pela letra e pela lógica de meus pensamentos.Um plano articulado e você já aprendeu como fazê-lo.Muito exercício e treino. bem limpa sem borrões.

Atualização dos fatos através de jornais e revistas. ltrapassar a barreira entre o pensamento e o papel em branco não é uma tarefa fácil. Vamos começar?Então. .Não faça menos que o exigido e nem ultrapasse o máximo de linhas na dissertação da folha de Redação (Para isto você ganha uma folha de rascunho). O fundamental você já possui: a capacidade de pensar. sejam elas históricas. Isso não significa que você . pegue o lápis. o papel e…o que foi? Está difícil começar?Vamos pensar um pouco: A característica principal de um texto bem redigido está na qualidade de seu conteúdo. .Seleção e ordenação da ideia central que fortalecerá as acessórias mantendo a unidade da redação. Para tanto. concordâncias e análise sintática).Conhecimento de suas estruturas e técnicas. prezando pelas normas gramaticais (regências. você tem todo direito de ter dificuldades em redigir um texto. Por tanto. deve ser respeitada. . científicas.Ser fiel ao que escreve e sentir segurança (como vocês dizem: "sentir firmeza"). culturais.Uma estrutura com equilíbrio na exposição de ideias e regularidade de conjunto. é imprescindível estar bem informado sobre o tema à ser discutido. Basta agora aliar sua força de vontade à prática de escrever. A veracidade das informações..Uma redação espontânea e natural que agrade os dois lados da comunicação (vestibulando/examinador) mostrando harmonia e simplicidade na forma estrutural-lógica. .Idéias bem delimitadas com opinião pessoal e bem objetiva (quando exigida) ou de acordo com a análise do texto proposto para afirmar ou negar sua opinião (seu pensamento escrito). . Você já teve um despertar sobre este assunto! . .

viu e ouviu fazem parte do seu repertório pessoal. O ideal é nos esforçarmos para escrever nossas próprias idéias.deixe de questionar a respeito. Tudo o que você leu. preocupando-nos com o bom senso. Prática: Antes de começar a escrever. confrontamos o que já conhecemos com a novidade. faça à lápis. tanto do leitor quanto de quem redige o texto. Há que se lembrar que não existe um conteúdo neutro: sempre existe um questionamento à se fazer. São muitas as idéias que permeiam nosso pensamento. Já para os gregos. É preciso antecipar os questionamentos possíveis do leitor. No máximo 20 linhas. O diálogo (do grego dia =movimento através. Para lembrar: Não se critica ou reformula algo que não se conhece bem. lembre-se que o importante é dialogar com seu leitor. há um conhecimento pré existente acerca dos fatos históricos. mas sem manter uma postura reacionária. no sentido de manter um diálogo aprofundado e inteligente. O tempo todo. O tema é "As dificuldades que tenho para escrever". seu leitor será um aluno cursando o segundo grau . Se não houvesse questionamento ainda viveríamos em cavernas. desde que conheça bem o tema. acreditando numa verdade absoluta. . logos =palavra) com o leitor é fundamental. Assim. Primeiro. podemos dizer que: Você pode apoiar-se no conhecimento já existente ou da nossa cultura ocidental. a arte do diálogo tinha o sentido de convencer através da palavra. pois um bom texto depende muito do seu teor crítico acerca da realidade. sem se preocupar com a estrutura formal. Só reescreva. Como vimos anteriormente. Você pode questionar o conhecimento já existente. quando sentir-se mais seguro. deixando suas idéias esboçadas no papel. culturais e científicos em nossa cultura ocidental aceitos como verdadeiros.

meio e fim. miolo e final. Dialética é o processo de discussão do real. Reescreva o texto com suas palavras e adicione a conclusão. Para os filósofos marxistas.primeira. O raciocínio dialético deve ser aberto para novas idéias. Prática: Pesquise uma notícia recente de jornal. corpo e epílogo. desenvolvimento e conclusão são as partes que estruturam um ensaio. temos a introdução. ou seja. É como a estrutura de um edifício. introdução. mas possuir valores sólidos para resistir aos questionamentos.começo. ou seja. segunda e terceira parte. Imagine o que aconteceria se não existisse? .Aceitar ou não é uma questão de juízo de valores. O mais importante é compreender que um bom texto depende de uma boa estrutura. É uma oportunidade de observar a realidade sob vários pontos de vista. A estrutura do texto é muito importante. As três partes que estruturam o texto. Em seguida. A principio. fique tranqüilo. a união dos argumentos mais contundentes de cada idéia. Há três momentos no processo dialético do pensamento: TESE Idéia inicial ANTÍTESE Idéia contrária SÍNTESE União dos opostos A estrutura básica do texto que você escreve corresponde aos três momentos do raciocínio dialético. Para lembrar: Dialética é um conceito que define a arte do diálogo. Finalmente. Seus leitores são estudantes de supletivo para adultos. Todo juízo de valor implica em outro que o questiona ou contradiz. a conclusão. Mais adiante veremos com mais cuidado cada parte da estrutura. Esse processo do pensamento em se questionar e contradizer chama-se dialético. Introdução. Mas. Abstraia do texto a idéia principal e a idéia oposta. a descrição do tema ou idéia inicial. Máximo 20 linhas. também podem ser denominadas: prólogo. o desenvolvimento: O questionamento em relação à idéia inicial.

Esta última. quando o autor não se faz presente. Ela pode ser explícita. quando o autor se faz presente no texto. Você deverá pensar o desenvolvimento como uma ponte que levará o leitor da introdução à conclusão. os dados. Não há como começar a escrever. Cuidado para não desviar do tema principal ou colocar opiniões desconexas. Escreva um texto de no máximo 30 linhas sobre o tema:"O fim da ditadura e da . Aqui. a conclusão. sem ter em mente o tema delimitado. As dificuldades iniciais para escrever o texto pode estar justamente na delimitação do tema. Prática: O planejamento do texto é muito importante para seu sucesso. Os demais argumentos. as idéias. A não ser quando propositalmente. um quinto do texto. o desenvolvimento e principalmente. Exceto em um ensaio curto (10. a introdução deve ser sucinta. Portanto. clareza e objetividade acerca do tema escolhido são fundamentais. Utiliza-se as primeiras pessoas do singular (eu) e do plural (nós) do verbo. 15 linhas). a introdução. A delimitação pode estar implícita.O texto bem redigido certamente faz o seu leitor pensar sobre o assunto. o tema escolhido pode ser amplo demais e uma delimitação se faz necessária afim de evitar divagações. mas o leitor pode deduzir que o assunto está sendo delimitado. ocupando três quintos do texto no mínimo. ou seja. cuja a introdução pode se fundir com o desenvolvimento. deve ter um quinto do texto e encerrar a discussão.Ex:"Esta obra visa ensinar à todos que queiram aprender a redigir corretamente um texto…". Este é maior. o autor queira deixar a conclusão para o próprio leitor. Delimitado o tema. entram no desenvolvimento do texto. Não deve ultrapassar oito ou dez linhas. Ex: "O que pretendo com esse trabalho é tecer algumas considerações…". você terá a oportunidade de mostrar toda sua capacidade de argumentação e exposição de idéias. Ás vezes. apenas citando o argumento inicial. A delimitação da idéia central a ser desenvolvida se encontra geralmente logo na introdução. o questionamento.

todo discurso em que algo é CONTADO possui os seguintes elementos. um episódio. Ás vezes.com quem? . Os argumentos do desenvolvimento devem surpreender o leitor. Quando a proporção do texto que você escreve não corresponder ao ensinado. No vestibular. todas as vezes que uma história é contada (é NARRADA). Mas há situações impessoais que pode parecer presunção usar "eu acho.NARRAÇÃO Narrar é contar um fato. --. o narrador acaba sempre contando onde. A introdução deve ser um convite ao leitor para continuar lendo o texto.censura de imprensa no Brasil" Pesquise. Por: Sacipandur I. seja implícita ou explícita deve ser decisão sua. que fatalmente surgem conforme um fato vai sendo narrado: onde ? | quando? --FATO | como? A representação acima quer dizer que. por exemplo. enumere os argumentos e possíveis questionamentos antes de começar. Evite introduzir o texto com expressões muito usadas (lugar-comum). terminamos "enchendo lingüiça" ou o contrário: ficamos sem ter o que dizer. Seus leitores serão jornalistas recém formados. chavões. Suas idéias devem ser "saborosas" para atrair sua atenção. você pode estar com problemas em delimitar o tema. eu penso". Para lembrar: A delimitação do texto.

. pelo DESENVOLVIMENTO do enredo (é a história propriamente dita. A história contada. ou seja. passa por uma INTRODUÇÃO (parte inicial da história. assim sendo.. que são os agentes do texto. a história que é contada nesse tipo de texto.. por isso. recebe o nome de ENREDO. maioria dos VERBOS que compõem esse tipo de texto são os VERBOS DE AÇÃO. pessoa: ELE. Quando o narrador conta um episódio. representado no texto narrativo através dos tempos verbais.) ou IMPESSOAL (narra em 3a.. Assim.). O conjunto de ações que compõem o texto narrativo. como e com quem ocorreu o episódio. aquelas . ou seja. por advérbios de lugar e pelos substantivos que nomeiam as personagens. o "miolo" da narrativa.quando. às vezes( mesmo sem querer) ele acaba contando "onde" (=em que lugar) as ações do enredo foram realizadas pelas personagens. As personagens são identificadas (=nomeadas) no texto narrativo pelos SUBSTANTIVOS PRÓPRIOS. representado no texto pelos ADVÉRBIOS DE LUGAR. Além de contar onde . É o tempo que ordena as ações no texto narrativo: é ele que indica ao leitor "como" o fato narrado aconteceu. também chamada de prólogo). O lugar onde ocorre uma ação ou ações é chamado de ESPAÇO. que são justamente as pessoas envolvidas no episódio que está sendo contado ("com quem?" do quadro acima). o texto narrativo é sempre estruturado por verbos de ação. também chamada de trama) e termina com a CONCLUSÃO da história (é o final ou epílogo). por advérbios de tempo. É por isso que numa narração predomina a AÇÃO: o texto narrativo é um conjunto de ações. mas principalmente pelos ADVÉRBIOS DE TEMPO. As ações contidas no texto narrativo são praticadas pelas PERSONAGENS. que pode ser PESSOAL (narra em 1a pessoa : EU. Esse elemento da narrativa é o TEMPO. Aquele que conta a história é o NARRADOR. o narrador também pode esclarecer "quando" ocorreram as ações da história. o meio.

É "fotografar" com palavras. mas lindo! (carcterização subjetiva). os tipos de verbos mais adequados (mais comuns) são os VERBOS DE LIGAÇÃO (SER. Ex. etc. Ex. PARECER. por isso. ESTAR.representadas linguisticamente pelos ADJETIVOS .: Paulo está pálido (caracterização objetiva). II . alguma coisa ou algum lugar através de características que particularizem o caracterizado em relação aos outros seres da sua espécie. formando uma rede: a própria história contada.DISSERTAÇÃO Além da narração e da descrição há um terceiro tipo de redação ou de discurso: aDISSERTAÇÃO. TER. FICAR. concretas).aos seres caracterizados . 1-Caractarizado: pássaro / 2-Caracterizador ou característica: azul / O verbo que liga 1 com 2 : é Num texto descritivo podem ocorrer tanto caracterizações objetivas (físicas.pessoas que fazem as ações expressas pelos verbos. PERMANECER. Descrever. III. pois esses tipos de verbos ligam as características . quanto subjetivas (aquelas que dependem do ponto de vista de quem descreve e que se referem às características nãofísicas do caracterizado).DESCRIÇÃO Descrever é CARACTERIZAR alguém. O pássaro é azul . portanto. . CONTINUAR. é também particularizar um ser.representados pelos SUBSTANTIVOS.). No texto descritivo.