You are on page 1of 8

RESIDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES

ESTUDO DA GERAÇÃO DE BIOGÁS NO ATERRO SANITÁRIO DE CUIABÁ - MT COM VISTAS A GERAÇÃO DE CRÉDITOS DE CARBONO.

Autores: Aline Nayara Rodrigues São Pedro (1) Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso. Mayara Cristina Silva Marques(2) Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso. Patricia Alana S. Campos(3) Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso. Vanessa Ribeiro Murcilio (4) Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso.

Email (1) alinekittypink22@hotmail.com Telefone para contato (1): (65) 3661-2914.

calcular o potencial de geração de biogás no aterro sanitário de Cuiabá-MT bem como sua possível utilização como Mecanismo de Desenvolvimento Limpo. 1. 3.1Estudo de caso O aterro sanitário de Cuiabá localiza-se na estrada Balneário Letícia. que corresponde a cerca de 50% e é um gás de efeito estufa. O resultado para o comportamento da curva de geração do gás metano do aterro sanitário ao longo dos anos foi o esperado.ESTUDO DA GERAÇÃO DE BIOGÁS NO ATERRO SANITÁRIO DE CUIABÁ . Sitio Quilombo contando com uma área de13 hectares. 3. s/n. Neste trabalho tem-se como objetivo estudar o biogás. tendo como objetivo principal realizar o levantamento do potencial energético do aterro sanitário da cidade de Cuiabá – MT. . A massa de resíduos disposta a céu aberto (97/98) foi confinada em valas e em janeiro de 1999 entrou em operação o aterro sanitário.IPCC (1996). 1996).RESUMO A decomposição da matéria orgânica promove a liberação do biogás. L0 = MCF x DOC x DOCF x F x 16/12 Onde: L0: potencial de geração de metano do resíduo (m³ biogás/kgRSD). MCF: fator de correção do metano (%). F: fração de metano no gás do aterro IPCC (1996). DOC: fração de carbono degradável (kgC/kgRSD). 2.2 Métodos Estimativos para o Cálculo da Produção de Biogás em Aterros 3.2. Para o cálculo do potencial de geração de biogás no aterro foram utilizadas as equações da metodologia do Intergovernamental Panel on Climate Change .1 Potencial de Geração de Biogás no Aterro (IPCC. DOCF: fração de DOC dissolvida (kgC/kgRSD). bem como sua possível utilização como Mecanismo de Desenvolvimento Limpo. cujos principais constituintes são o gás carbônico e o metano.METODOLOGIA 3.MT COM VISTAS A GERAÇÃO DE CRÉDITOS DE CARBONO.OBJETIVO Este trabalho procura estudar os aspectos que envolvem o biogás de aterros sanitários. no caso da potência gerada existe a possibilidade de se abastecer um número considerável de residências.

23 481. pode ser calculada de acordo com a equação: EM= k.419.607.716.2 A fração de carbono degradável (DOC) é calculada a partir da seguinte equação DOC = 0.874.839. 014T + 0. Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Quantidade Anual de Resíduos 61.e-k(x-T) Onde:EM= Emissão de Metano (m³CH4/ano).16 (B+C) + 0. 1996).Rx.4 A vazão de metano.40 .2.877.30 D Onde: A: percentual de papelão e tecidos.08 115.79 103.09 Quantidade Acumulada de resíduos (t) 61.Lo.O fator de correção de metano varia em função do tipo de local.87 307.13 267.472.Rx = fluxo de resíduo no ano (kgRSD) obtido na tabela 7.34 163.74 103.L0 = potencial de geração de metano (m³biogás/kgRSD). 3.39 2 3. segundo o IPCC (1996).51 596.MT Componentes do Lixo Papelão e Tecidos Alimentos e Resíduos Orgânicos Resíduos de Madeira Fonte: Enterpa Ambiental (2001) % de cada componente 18 48.77 Onde: T: temperatura (ºC) na zona anaeróbia dos resíduos.158. B+C: alimentos e resíduos orgânicos. T = ano de deposição do resíduo no aterro. D: resíduos de madeira. em m³CH4/ano.16/12: conversão de carbono para metano.34 102.2. Tabela 3: Quantidade anual e acumulada de resíduos.28 = 0. recebidas no aterro de Cuiabá (2000 – 2011).36 110.3 A fração de DOC dissolvida (DOCF) DOCF = 0.40A + 0.269. x = ano atual.797.377. em toneladas. 3. estimada em 35ºC.2.abela 2: Composição gravimétrica do resíduo sólido Cuiabá.05 (IPCC. k = constante de decaimento (1/ano) =0. T.419. definidos.

∑Qx = soma das n estimativas de vazões de metano [m³CH4/ano].71.433.108.843.659 .892.24 961.58 146. 10-3 Sendo: ∑Qxton = peso em toneladas de metano no ano x. metano/ano]. ∑Qxton= peso em toneladas de metano no ano [ton. ∑Qxton= ∑Qx.908.43 kW. RESULTADOS E DISCUSSÕES Os cálculos se basearam em dados do Aterro Sanitário de Cuiabá – MT.3 Determinação da Potência A estimativa da potência foi feita com a menor geração do metano encontrada.436.47 150. 4. [ton metano/ano].259.716.513.87 155.76 1.89 1.176.90 Fonte: Relatório Projeto do Aterro de Cuiabá (2010). 3.82 1. 3.11 128. portanto esse estudo pode servir de base para o novo aterro a ser implementado.314.51 831. Considerando o consumo médio por residências sendo de 250 kW/mês.414. 3.56 130. R$ton Onde: ∑R$xtotal= valor obtido com a venda das RCE’s no ano x [R$]. a quantidade de residências pode ser estimada. R$ton= valor estimado de venda da tonelada de CO 2 equivalente [R$]. que possui previsão para ser fechado em 2011. 0.750.2006 2007 2008 2009 2010* 2011* 95. que segundo Baird (2002) para cada 1m³CH4 o potencial gerador é de 1.14 692.405.4 Cálculo da receita de carbono Necessário calcular e quantificar as emissões de metano e converte-las em dióxido de carbono equivalente. .5 Cálculo de estimativa do valor de renda das RCE’s ∑R$xtotal= ∑Qxton. 21.

de deposição de resíduos.29 2025 849039.24 3593032.52 3583536.8 4328117.122 2027 667877.91 2026 753030.57 2818909. Nos anos seguintes a produção continua.45 4064389.57 2534256.86 4040425.21 3948548.27 2589182.4.84 2020 1547050. onde o máximo de produção do gás ocorre no último ano de funcionamento do aterro.58 2028 592354.33 3178311.26 2021 1372110.1 Potencial de Geração de Biogás no Aterro Tabela 4: Emissão de metano (m³CH4/ano) Emissão de metano (m3CH4/ano) Anos 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 LGF (m3CH4/ano) Anos LGF (m3CH4/ano) 740348.72 5000000 4000000 3000000 2000000 1000000 LGF (m³CH4/ano) 2000 2003 2006 2009 2012 2015 2018 2021 2024 2027 2030 LGF (m³CH4/ano) 0 Anos Gráfico 1: Emissão de metano no aterro sanitário de Cuiabá – MT O resultado para o comportamento da curva de geração do gás metano do aterro sanitário de Cuiabá .98 4537242. ou seja.11 2023 1079340. .55 2022 1216952.18 4555567.27 2031 413271.MT ao longo dos anos foi o esperado.245 1751145.333 2030 465962.72 2016 2500148.18 2018 1966686.017 2029 525371.32 2024 957288.12 2017 2217432.31 4439511.98 2019 1744294. porém vai decaindo devido à falta de substrato para os microorganismos decompositores.16 4572061. se compararmos à curva total de produção do gás encontrado na literatura (gráfico 3).

6 2030 1325 48571.2 2019 1689 181828.2 2027 1899 69624 278 2012 474890.Gráfico 2: Produção de gás durante um período de 5 anos a partir de materiais orgânicos rapidamente e lentamente decomposto.6 314 2011 535435.2 572 2006 477705.8 820 2003 304315.2 2017 1191 231156 924 2002 297864 2018 1217 205012.8 507 2007 508701.4 2028 1684 61747.2 2024 2133 99792 399 2009 533282.6 2022 2034 126856.6 2029 1494 54763.6 2020 1856 161272. 4.6 1175 2000 87019.4 2021 1910 143035. colocados num aterro.2 2016 823 260625.8 727 2004 422301.6 2023 2087 112514.2 2031 Potência*10² (kW/mes) / Residências 6000 5000 4000 3000 2000 1000 0 2000 2003 2006 2009 2012 2015 2018 2021 2024 2027 2030 Residências Potência*10² (kW/mês) Anos .6 1042 2001 205819.4 2025 2149 88509.2 219 2014 373557. Fonte: Adaptado Tchobanoglous et al (1994).4 450 2008 521791.6 354 2010 537372 2026 2141 78501.2 246 2013 421185.2 Potência Gerada e Residências a serem atendidas Tabela 5: Potência estimada e número de residências que poderiam ser atendidas Ano Potência Residências Ano Potência Residências (kW/mês) (kW/mês) 348 293853.2 194 2015 331315.8 645 2005 464090.

de F. 149 pgs. pois precisa de um estudo mais aprofundado de custos. 2007. 622p. 2004. São Paulo.50 euros por tonelada de carbono equivalente (Mercado Carbono. . Análise de Modelos de Geração de Gases em Aterros Sanitários: Estudo de Caso. CONCLUSÃO A possível implementação de um projeto de recuperação do biogás no aterro sanitário de Cuiabá contribuirá para uma melhoria ambiental. Rio de Janeiro. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABNT . Recife. atuando de forma positiva para a questão global da mudança climática. 2007. Tese (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. SP: Trevisan Editora Universitária. M.963. I.37 em 30 anos. NBR . 2008.Tem-se a renda de R$ 34. 5. P. BAIRD.10. BORBA. Colin. R.Nota-se nos resultados obtidos que esta poderia abastecer um número considerável de residências ou até ser utilizada para outro fim energético. P.. Quimica ambiental.ed. fornecendo estrutura para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. ALVES. 6. 2010) e o euro custando na bolsa de valores R$ 2. A. Análise Experimental do Potencial de Geração de Biogás em Resíduos Sólidos Urbanos. 2002.Associação Brasileira de Normas Técnicas. C. 4. Existe também a possibilidade de implementação de um Projeto de MDL com o objetivo de capturar e queimar o biogás produzido no aterro e consequentemente gerar créditos de carbono. no local do aterro. 2 ed Porto Alegre: Bookman. Como Comercializar Créditos De Carbono. 2010). 47 pgs. S. No caso de geração de energia não se pode concluir que é viável. 5.004 Resíduos Sólidos Classificação. S.35 (BOVESPA.068... Tese (Mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco. 134 pgs ARAUJO.3 Renda de RCE’s Considerando o valor de 14.