1

C.E.P. Centro de Educação Profissional de Caxambu
Avenida Barão do Rio Branco, s/nº - PAVLH – Trançador Caxambu MG Telefax: 0 ** 35 3341 2260 - e-mail: cepcax@gmail.com
ESTRUTURA E ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO As demonstrações contábeis a serem elaboradas pelas entidades públicas ao final de cada exercício financeiro encontram-se regulamentadas no artigo 10 da Lei no. 4.320/1964, que traz textualmente: “Os resultados gerais do exercício serão demonstrados no Balanço Orçamentário, no Balanço Financeiro, no Balanço Patrimonial, na Demonstração das Variações Patrimoniais, segundo os Anexos números 12, 13, 14 e 15 e os quadros demonstrativos constantes dos Anexos números 1, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 16 e 17”. Em face da regulamentação pela Lei no. 4.320/1964, a estrutura das demonstrações contábeis do setor público brasileiro ainda esta fundamentada no controle do orçamento público, tendo seus ativos e passivos estruturados para verificar déficits e superátivis ao longo dos anos, seguindo a estrutura do Plano de Contas e Sistemas da Contabilidade Pública. Contas Patrimoniais Ativo Ativo Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Ativo Permanente Ativo Compensado Passivo Passivo Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Resultado de Exercícios Futuros Patrimônio Líquido Compensado Contas de Resultado Despesa Despesas Correntes Despesas de Capital Receita Receitas Correntes Receitas de Capital Deduções da Receita Resultado aumentativo do Exercício (variações ativas) Resultado Orçamentário Resultado Extra-Orçamentário Resultado Apurado

Resultado diminutivo do Exercício (variações passivas) Resultado Orçamentário Resultado Extra-Orçamentário Custos e Despesas

Ressalta-se que nem todas as contas contempladas no Plano de Contas vão compor as demonstrações contábeis do Setor Público, uma vez que algumas delas são objeto de mero controle, e podem assumir diversos enfoques.
Edna Márcia Magalhães Brochado

a segunda apresenta a despesa fixada.Patrimonial . a quarta coluna. De Capital .2 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO .Outras Receitas de Capital Operações IntraOrçamentárias Correntes . Operações IntraOrçamentárias de Capital .Tributária .Despesas de Capital . A primeira coluna de receita relaciona os títulos por categoria econômica e subcategoria..Agropecuária .De Serviços .. ESTRUTURA DO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO . 4.. o Balanço Orçamentário tem como objetivo demonstrar as receitas previstas e as despesas autorizadas em confronto com as receitas e as despesas realizadas. Esfera do Governo Balanço Orçamentário Período de Referencia Títulos Receitas Correntes .Despesas de Capital . a primeira coluna considera os títulos por tipo de crédito.Operações intra Orçamentárias Créditos Especiais Despesas Correntes .Operações de Crédito Alienação de Bens ..Segundo o art. a terceira demonstra o total da execução da receita e na quarta coluna calcula-se a diferença existente entre a receita prevista e a realizada.Industrial .Transf..Despesas de Capital Operações Intra Orçamentárias Soma Superávit Edna Márcia Magalhães Brochado . Do lado da despesa. a despesa executada e.. podem-se avaliar o grau de planejamento e o desempenho da arrecadação em determinado período.. a categoria econômica e grupo de despesa..310/1964.Operações intra Orçamentárias Créditos Extraordinário s Despesas Correntes . Do confronto entre as receitas.O Balanço Orçamentário possui quatro tanto do lado da receita como do lado da despesa. 102 da Lei no.Contribuições .Amortização de Empréstimos .Transf.Outras Receitas Correntes Receitas de Capital . a terceira. a segunda apresenta o montante da receita prevista. Soma Déficit Em R$ Despesas Fixação Execução Diferença Receitas Previs Execução ão Diferença Títulos Créditos Orçamentários e Suplementares Despesas Correntes . Pelo confronto das despesas pode-se analisar a postura da administração frente à autorização legislativa que limita a ação do dirigente (que nada poderá fazer quanto ao que não foi autorizado ou ao que exceder o limite de autorização) e a quantidade das estimativas de gastos por programas e estruturas administrativas. Correntes . a diferença entre as duas últimas.

também por categorias econômicas.00 00 55.00 Em R$ Diferença 5.000. mas as contas de execução orçamentária.0 55.000.000. 80.0 0 300.00 15.00 0.000.00 20.000.00 305.000.00). que também necessita de levantar informações relativas ao orçamento aprovado e o efetivamente executado.000.000. informações somente disponíveis nas contas de execução.000.00 Diferença -20.000.000.000.00 0 45. A diferença do lado da receita se dará por subtração entre a receita prevista e a receita executada.00 -5. 00 0.00 00 100. 00 0. incentivos fiscais.000. 00 45.00 0.000.000.00 275.00 305. além de evidenciar a receita líquida efetivamente arrecadada (deduzida de restituições.00 0.000. FECHAMENTO DO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO – O fechamento do balanço orçamentário será concretizado quando as três colunas do lado da receita forem igualadas às três colunas do lado da despesa: Esfera do Governo Balanço Orçamentário Período de Referencia Títulos Receitas Correntes Receitas de Capital Operações Intraorçamentárias correntes Operações Intraorçamentárias de capital Soma Déficit Total Receitas Previsão Execução 100. e por receita executada as efetivamente arrecadadas (R$ 305. subdivididos.00 0.00 Entende-se por receita prevista as receitas que se espera arrecadar no exercício (R$ 300.000.000. 00 45.00).000.000.00 -5.00 300.000. 95.00 Títulos Despesas Correntes Despesas de Capital Operações Intraorçamentária s correntes Operações Intraorçamentária s de capital Soma Superávit Total Despesas Previsão Execução 100.000. Já as contas de despesas estão dispostas por tipo de créditos (Orçamentário.0 0 0.000.00 -30. Isto acontece porque.0 0 -5.00 0 45.00 305. Edna Márcia Magalhães Brochado . O Balanço Orçamentário não utiliza as contas de receitas propriamente ditas.0 0 300.000. 120.3 Total Total ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Assinatura do Representante Legal Contador Responsável Assinatura do As contas de receitas estão dispostas por categorias econômicas (Receitas Correntes e Receitas de Capital).000.000.000. A diferença do lado da despesa será apurada subtraindo a despesa fixada da despesa executada.000. acompanhadas das respectivas fontes de recursos. ainda que não tenha sido paga (R$ 275.000.0 00 0 100.0 55. 80.000.00 00 55.0 0 30.000. O mesmo acontece com a despesa. o Balanço Orçamentário também traz a receita prevista. A despesa executada é relativa aos gastos que já cumpriram o fator gerador.000.000. Suplementar.00 0. entre outras deduções).000.000.000.0 0 25.00 300. Especial e Extraordinário).00).000.

teríamos: ROE = R$ 305.Despesa Fixada > Despesa Executada = economia orçamentária O resultado orçamentário do exercício (ROE) é apurado confrontando-se as receitas e as despesas executadas (arrecadação versus gastos).000. do lado da receita. Mas a despesa só poderá ser realizada até o valor autorizado. para que as colunas de diferença também fechem entre elas. Como os dados do Balanço Orçamentário são apresentados de forma consolidada.000. do lado da despesa).000.Anexo 1 – Demonstrativo da receita e da despesa por categorias econômicas.00 – superávit Registra-se que. em que podem ser observados os seguintes resultados: . 4.00 orçamentário – R$ 275. Ao apurar a diferença entre as colunas (previsão e execução. BALANÇO FINANCEIRO – Segundo o art. b) déficit orçamentário: receita executada menor que despesa executada.4 Para se apurar o déficit ou superávit. evidenciando todos os ingressos Edna Márcia Magalhães Brochado .000.00 e fixada uma despesa no mesmo valor.Anexo 11 – Comparativo entre a despesa fixada e a despesa executada. ANÁLISE E VERIFICAÇÃO DO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO A análise do Balanço Orçamentário é realizada através da comparação entre os valores constantes das colunas de Receita Prevista. fixado em lei. recomenda-se que em sua análise sejam também consultados os seguintes anexos previstos na Lei no. 103 da Lei no.00 = R$ 30. logo. deve-se atentar para a colocação dos sinais. . devem-se comparar as colunas Previsão da Receita/Fixação da Despesa e Execução da Receita/Execução da Despesa. o papel do Balanço Financeiro é demonstrar o fluxo de caixa da entidade. a receita pode ser arrecadada a maior ou a menor.Receita Prevista > Receita Arrecadada = Insuficiência de arrecadação . 4. .320/64. por ser prevista. Por exemplo. não houve déficit/superávit.Receita Prevista < Receita Arrecadada = excesso de arrecadação .320/1964: . No exemplo. Despesa Fixada e suas respectivas execuções.Anexo 10 – Comparativo entre a receita prevista e a receita executada. c) resultado orçamentário nulo: receita executada igual a despesa executada. foi prevista uma Receita de R$ 300. fixação e execução. podendo gerar os seguintes resultados: a) superávit orçamentário: receita executada maior que despesa executada.

Transferências Correntes . que são os grandes grupos de ações desenvolvidas pelo Governo.Restos a Pagar (pagos no exercício) . acompanhadas das respectivas fontes de recursos.Patrimonial .Transferências de Capital . Já as despesas orçamentárias estão dispostas por função.Outras Receitas de Capital Operações Intra-Orçamentárias Correntes . 4.Depósitos .Serviço da Dívida a Pagar (contrapartida da dívida não paga) ..Depósitos .Receita Extra-Orçamentária .Despesa Extra-Orçamentária ..Outras Operações R$ Extra-orçamentária ..Contribuições .320/1964 define a seguinte estrutura para o Balanço Financeiro: Esfera do Governo BALANÇO FINANCEIRO Período de Referencia Receitas Títulos Orçamentária Receitas Correntes .Agropecuária . conjugados com os sados de disponibilidades do exercício anterior e aqueles que passarão para o exercício seguinte.Outras Operações Edna Márcia Magalhães Brochado .Interferências Passivas .. ESTRUTURA DO BALANÇO FINANCEIRO No Balanço Financeiro.Amortização de Empréstimos .Alienação de Bens . Receitas de Capital. as receitas orçamentárias estão dispostas por categorias econômicas (Receitas Correntes... Receitas Correntes IntraOrçamentárias e Receitas de Capital Intra-Orçamentárias).Industrial .Restos a Pagar (contrapartida das despesas não pagas) . Operações Intra-Orçamentárias de Capital .De Serviços .Serviço da Dívida a Pagar (pago no exercício) . O Anexo 13 da Lei no.Interferências Ativas .Operações de Crédito . R$ Despesas Títulos Orçamentária Legislativa Judiciária Essencial a Justiça Administração Defesa Nacional Segurança Pública Relações Exteriores Assistência Social Previdência Social Saúde Trabalho Educação Cultura Direitos da Cidadania Urbanismo Habitação Saneamento Gestão Ambiental Ciência e Tecnologia Agricultura Organização Agrária Indústria Comércio e Serviços Comunicações Energia Transporte Desporto e Lazer Encargos Especiais Extra-orçamentária .Outras Receitas Correntes Receitas de Capital .5 e dispêndios de recursos no exercício.Tributária .

000. os títulos de natureza extraorçamentária aparecem nos dois lados da equação e isso gera alguma dificuldade de entendimento.00 180.Aplicações Financeiras Total Soma Saldo para o exercício seguinte Disponível . em nada interferindo no resultado financeiro apurado no exercício. No caso de restos a pagar de exercícios anteriores.Caixa . principalmente em relação aos restos a pagar.000.320/1964.00 0.00 Dispêndios Títulos Orçamentários Despesas Extra-orçamentária Direitos Obrigações Soma Disponibilidade para o exercício seguinte Total R$ 85. para compensar sua inclusão na despesa orçamentária (contabilizada pelo fato gerador).00 30. 4.00 70.000. Esfera do Governo BALANÇO FINANCEIRO Período de Referencia Ingressos Títulos Orçamentários Receitas Extra-orçamentária Direitos Obrigações Soma Disponibilidade do exercício anterior Total R$ 150. devem ser lançadas no Balanço Financeiro na coluna da receita extra-orçamentária. enquanto o saldo atual é demonstrado nos ingressos.000. Enquanto os títulos de natureza orçamentária explicam-se por si mesmos (nos ingressos. nos ingressos e nos dispêndios extra-orçamentários reside a maior complexidade do Balanço Financeiro. nos dispêndios.000.00 0.00 180. Edna Márcia Magalhães Brochado .00 25.00 180.Caixa . os restos a pagar do exercício são despesas liquidadas que ainda não foram pagas.00 0.000. são incluso nos dois lados da equação: na qualidade de passivos seu saldo inicial consta dos dispêndios.000. receitas e transferências recebidas.000. e que. Para elaboração do Balanço Financeiro. segundo a Lei no.Bancos .6 Soma Saldo do exercício anterior Disponível . a escrituração passa a ser pelo regime de caixa. despesas e transferências concedidas).Bancos .00 Ao incluir os restos a pagar na coluna de receita.00 110.Aplicações Financeiras Total ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Assinatura do Representante Legal Contador Responsável Assinatura do Segundo a STN.000.

000.Anexo 11 – Comparativo entre a despesa fixada e a despesa executada.000.00 – R$ 110. o resultado final alcançado e seus reflexos sobre a situação líquida financeira. O RFE também pode ser apurado pela diferença entre o saldo que passa para o exercício seguinte e o sado do exercício anterior.00).00 não sejam pagas no exercício.7 Por exemplo. As contas de receita e despesa são refundidas na conta sintética. Edna Márcia Magalhães Brochado . Para proceder à analise do Balanço Financeiro de forma consolidada.000.00). ocorre superávit.000. recomenda-se que em sua análise sejam também consultados os seguintes anexos previstos na Lei no. 4. expressando o resultado financeiro final.00 (SUPERÁVIT FINANCEIRO) Esse resultado não deve ser entendido como superávit ou déficit do exercício. R$ 30. portanto.00 (SUPERÁVIT FINANCEIRO) RFE = R$ 70.00 – R$ 0. Pela sistemática de elaboração do Balanço Financeiro. O resultado financeiro do exercício (RFE) corresponde à diferença entre o somatório das receitas orçamentárias com as receitas extra-orçamentárias e o somatório das despesas orçamentárias com as despesas extra-orçamentárias.Anexo 17 – Quadro Demonstrativo da Dívida Flutuante. .320/1964: . considere que nas despesas orçamentárias acima (R$ 85. esse valor foi incluído no lado da receita. Se as receitas forem maiores que as despesas. que é apurado na Demonstração das Variações Patrimoniais. o impacto desse valor na disponibilidade para o exercício seguinte. RFE = R$ 180. déficit.000.00 = R$ 70. como obrigações extraorçamentárias (R$ 30. O levantamento do Balanço Financeiro tem como objetivo evidenciar as receitas e as despesas financeiras do exercício. caso contrário.000.000. denominado resultado financeiro do exercício.Anexo 10 – Comparativo entre a receita prevista e a receita executada. Esse procedimento anula. .000.00 = R$ 70.

00 25. 1 1.1.00 50.2.0 0 0.9.00 25.000.000.00 45.000.00 0.000. 4 3.000.000.000.9.2.1.000.0 0 100.00 0.9.00 Bancos Conta Movimento Bens Imóveis Bens Móveis Receita a Realizar Receita Realizada Crédito Inicial Pessoal a Pagar Contas a Pagar Previsão Inicial da Receita Crédito Disponível Crédito Empenhado a Liquidar Crédito Empenhado Liquidado Crédito Pago Vencimentos Fixas e Vantagens 0.000.9.00 100.00 0.2.000.00 Crédito 45. 1 Conta Estado do Planalto Central Prefeitura Municipal de Caxambu Junho de 2012 Movimento Débito 50. 2 1. 2 2. 1 2.9.00 0.2. 5 2.00 0.00 10.1.00 45.1.00 0.2.00 0.00 100.00 0.00 100.2.00 45.2.00 0.000.00 0.00 0.000.00 25.000.000.00 0.1.00 10.4.00 0.00 0. 2 2.3.000. 1 1.00 25.4.00 20.000.000.00 0.9.00 50.00 0.00 0.00 0.000.9.000.00 Credor 0. 3 2.000.00 20.000.0 0 45.000. 2 1.00 45. 1 2. 2 1.00 45.00 50.00 0.00 100.00 0.000.00 45.00 20.000.9.0 0 20.2.8 Códig o 1.000.2.00 55.000. 1 2.0 0 50.00 Edna Márcia Magalhães Brochado .000.00 Saldo Devedor 5.1.000.000.00 0.1.1.000.000.00 100.

00 25.000.0 0 25.000. Centro de Educação Profissional de Caxambu Avenida Barão do Rio Branco.000.00 0 C.00 0.000.00 0.1.000.3.00 285.com ESTRUTURA E ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO .000.00 50.320/64.9 3. 1 Aquisição de Imóveis Impostos e taxas Incorporação de (Compra) Incorporação de (doação) Total Ativos Ativos 25.1. resultantes ou Edna Márcia Magalhães Brochado .00 50.2.00 25.00 10.00 10.00 560.0 0 560. 1 6. 1 6.00 0.PAVLH – Trançador Caxambu MG Telefax: 0 ** 35 3341 2260 . 4.1.000.000.0 0 0.4. 3 4.E. 104 da Lei no.000.000.00 0.0 285. s/nº .2.P.0000.00 0.00 0.CONTINUAÇÃO DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS Segundo o art.000.e-mail: cepcax@gmail.1. a Demonstração das Variações Patrimoniais (DVP) evidenciará as alterações verificadas no patrimônio.00 0.

4. e tem como objetivo apurar as alterações no patrimônio e. ou independentes da execução orçamentária. . compreendem: .as receitas que representam a arrecadação líquida dos recursos. .as interferências ativas.10 independentes da execução orçamentária. sem a qual não é possível a apuração do saldo patrimonial e o conseqüente fechamento do Balanço Patrimonial.as mutações ativas.320/1964: Esfera do Governo DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS Período de Referencia Variações Ativas Orçamentárias Receitas Interferências Ativas Mutações Ativas Resultado extra-orçamentário Receitas Extra-Orçamentárias Interferências Ativas Acréscimos Patrimoniais Soma Resultado patrimonial (déficit) Total R$ Variações Passivas Orçamentárias Despesas Interferências Passivas Mutações Passivas Resultado extra-orçamentário Despesa Extra-Orçamentária Interferências Passivas Decréscimos Patrimoniais Soma Resultado patrimonial (superávit) Total R$ ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Assinatura do Representante Legal Contador Responsável Assinatura do As Variações Patrimoniais são divididas em Variações Ativas (resultado aumentativo do exercício) e Variações Passivas (resultado diminutivo do exercício). a DVP é parte integrante do Balanço Patrimonial. As variações ativas extra-orçamentárias. decorrentes de transferências de bens e valores independentes da execução orçamentária entre as unidades. em virtude da execução orçamentária. e está prevista no Anexo 15 da Lei no. As variações ativas orçamentárias. ou resultantes da execução orçamentárias. em cumprimento às leis em vigor. são compostas pelas interferências ativas. o resultado do exercício. que registram as incorporações e desincoporações de receitas e despesas. ESTRUTURA DA DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS A estrutura da DVP é constituída pelos saldos acumulados durante o exercício nas contas de resultado. consequentemente. que refletem o equilíbrio do resultado da gestão de cada unidade. e pelos Edna Márcia Magalhães Brochado . Apesar de ser considerada apenas como um anexo.

11 acréscimos patrimoniais.000. contemplam: . as variações decorrentes de incorporações de créditos.000. e pelos decréscimos patrimoniais. que retratam. entre outros.00 220.000. em cumprimento às determinações legais.000.00 25. incorporação de obrigações e ajustes correspondentes. com a respectiva apuração do resultado do exercício: Esfera do Governo DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS Período de Referencia Variações Ativas Orçamentárias Receitas Interferências Ativas Mutações Ativas Resultado extra-orçamentário Receitas Extra-Orçamentárias Interferências Ativas Acréscimos Patrimoniais Soma Resultado patrimonial (déficit) Total R$ 455. que representam as variações ocorridas em função das baixas de créditos. .as despesas que representam a execução da dotação orçamentária.00 700.000.00 125.00 Variações Passivas Orçamentárias Despesas Interferências Passivas Mutações Passivas Resultado extra-orçamentário Despesa Extra-Orçamentária Interferências Passivas Decréscimos Patrimoniais Soma Resultado patrimonial (superávit) Total R$ 420.000. que refletem o equilíbrio do resultado da gestão.00 700. que registram as incorporações e desincorporações de despesas e receitas entre as unidades. que refletem as transferências de bens e valores independentes da execução orçamentária entre as unidades.00 690.00 40.00 75.000.000.000. As variações passivas orçamentárias. ou independentes da execução orçamentária. de cada unidade.00 ANÁLISE E VERIFICAÇÃO DA DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇOES PATRIMONIAIS Edna Márcia Magalhães Brochado .000. FECHAMENTO DA DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS O fechamento da Demonstração das Variações Patrimoniais se dará quando o total das variações ativas for igualado ao total das variações passivas.000.000.000.000.000.as interferências passivas.00 700.000.000.00 270.00 85. em virtude da execução orçamentária. .00 140. são compostas pelas contas de interferências passivas. ou resultantes da execução orçamentária.00 120.00 80. As variações passivas extra-orçamentárias.000.00 245.00 10.000.00 120. baixa de obrigações e ajustes correspondentes.00 105.as mutações passivas.000. basicamente.

o Ativo Permanente. direitos e obrigações e indicando o valor do saldo patrimonial (positivo ou negativo) da Entidade. BALANÇO PATRIMONIAL O Balanço Patrimonial é o demonstrativo que evidencia a posição das contas que constituem o Ativo e o Passivo.12 O levantamento da Demonstração da Variações Patrimoniais tem como objetivo a apuração do resulado patrimonial do exercício (RPE). significando capitalização. de outro lado. apresentando a situação estática dos bens. 4. 105 da Lei no. significando descapitalização. podendo traduzir se as receitas correntes estão sendo aplicadas nas despesas de capital. se as receitas de capital estão financiando as despesas correntes. b) déficit: variação ativa menor que variação passiva. ou. o Saldo Patrimonial e as Contas de Compensação. Ressalta-se a possibilidade de interpretação relacionada com o superávit do orçamento corrente (receitas correntes maiores que despesas correntes). ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Edna Márcia Magalhães Brochado . agregado ao saldo patrimonial acumulado no Balanço Patrimonial. da execução orçamentária ou de fatores independentes à execução orçamentária. confrontando-se as Variações Ativas e as Variações Passivas. Por meio da DVP é possível também avaliar o déficit ou superávit apurado no exercício resultado do planejamento. o Passivo Financeiro. c) resultado nulo: variação ativa igual a variação passiva. observando os itens mais relevantes que interferem no superávit ou déficit. podendo apresentar os seguintes resultados: a) superávit: variação ativa maior que variação passiva. que pode ser: Positiva Ativo Passivo Real Real Ativo Real > Passivo Real Negativa Ativo Passivo Real Real Ativo Real < Passivo Real Nula Passivo Real Ativo Real Ativo Real = Passivo Real Na DVP é possível avaliar os resultados orçamentários e extra-orçamentários. o Passivo Permanente.320/64. possibilitando a apuração da situação patrimonial líquida da entidade. o Balanço Patrimonial demonstrará o a Ativo Financeiro. Segundo o art. O RPE é. então.

bem como os créditos e valores que independam de autorização orçamentária para serem movimentados (§ 1º. 4. e de outros valores recolhidos por terceiros. Contas ao Ativo Circulante (com exceção dos Subgrupos Disponível e Créditos em Circulação).320/64). Classificados no grupo Exigível a Longo Prazo e Resultado de Exercícios Futuros. No Passivo Compensado. do art. cauções. 105 da Lei no.320/64). do art. 4. pela Demonstração das Variações Patrimoniais. 105 da Lei no. 4. 105 da Lei no. No Ativo Compensado estão representados os valores que não se integram ao patrimônio. O Passivo Real corresponde ao somatório dos valores do Passivo Financeiro e Passivo Permanente. após apuração do déficit ou superávit do exercício. mas que refletem as transações contábeis oriundas dos atos administrativos que em algum momento possam a vir a afetá-lo (§ 5º. as contas do Ativo Realizável a Longo Prazo e as contas do Ativo Permanente.310/64).320/64 define a seguinte estrutura para o Balanço Patrimonial: Esfera do Governo BALANÇO PATRIMONIAL Período de Referencia ATIVO Financeiro Permanente (não financeiro) Ativo Real Compensado Total R$ PASSIVO Financeiro Permanente (não financeiro) Passivo Real Patrimônio Líquido Compensado Total R$ O Ativo Financeiro compreende os recuros da execução orçamentária da receita e de outros valores adiantados a terceiros ou recolhidos por estes a título de depósitos. realizável a longo prazo e permanente (§ 2º. 4. Edna Márcia Magalhães Brochado . efeitos financeiros durante o exercício que dependam de autorização legislativa para amortização ou resgate (§ 4º. que independem de autorização orçamentária para sua realização.360/64). O saldo patrimonial (patrimônio líquido) é a diferença entre o Ativo e Passivo. estão representados as contrapartidas dos valores do Ativo Compensado. 4. As contas pertencentes a esse grupo estão basicamente concentradas no Passivo Circulante. não pagos e não devolvidos até o final do exercício financeiro (§ 3º. 105 da Lei no.320/64). do art. do art. do art. O Passivo Permanente representa os saldos das obrigações que não provocaram. de imediato.13 O Anexo 14 da Lei no. garantias e outros. Contas pertencentes aos Subgrupos: Disponível e Créditos em Circulação. 4. 105 da Lei no. O Passivo Financeiro compreende as obrigações provenientes da execução orçamentária da despesa. evidenciando as alterações patrimoniais ocorridas durante o exercício. O Ativo Real corresponde ao somatório dos valores do Ativo Financeiro e Ativo Permanente. O Ativo Permanente refere-se à execução de bens e valores que não interferem na movimentação financeira: realizável a curto prazo.

000.000.00 230.00 500. bem como os títulos de renda. NORMAS E PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS O art.320/64.000. No caso das contas retificadoras. conforme dispõe o art.os bens móveis e imóveis. . salvo nos casos em que a entidade tiver o direito ou obrigação de compensá-los.os valores em espécie. créditos e valores em espécie serão levadas à conta patrimonial.00 PASSIVO Passivo Circulante Passivo exigível a longo prazo Resultado de exercícios futuros Passivo Real Patrimônio Líquido Compensado Total R$ 85.000. por seu valor nominal. feita a conversão quando em moeda estrangeira à taxa de câmbio vigente na data do balanço. Esfera do Governo BALANÇO PATRIMONIAL Período de Referencia ATIVO Ativo Circulante Ativo realizável a longo prazo Ativo Permanente Ativo Real Ativo Compensado Total R$ 100. Essa informação encontra-se disponível no Balancete de Verificação. FECHAMENTO DO BALANÇO PATRIMONIAL Para elaboração do Balanço Patrimonial.000.404/76.00 140.000.00 Edna Márcia Magalhães Brochado .00 130.00 50.000.000.000. 106 da Lei no.as variações resultantes da conversão dos débitos. deverão figurar ao lado das correspondentes importâncias em moeda nacional.000. . deve-se ter em mãos o movimento de todas as contas patrimoniais.000.os débitos e créditos. 43 da Lei no. 4.poderão ser feitas reavaliações dos bens móveis e imóveis.00 220. e a sua diferença representa o valor da disponibilidade por fonte de recursos.00 20.00 125.00 130. exaustão e atualização monetária de ativos com exceção das empresas de direito publico que adotam os mecanismos da lei no. A Contabilidade Pública brasileira atualmente não possui mecanismos sistemáticos para apropriar depreciação.320/64 traz que a avaliação dos elementos patrimoniais observara as seguintes normas: . assim com os débitos e créditos. seus saldos deverão ser apresentados como valores redutores das contas ou grupos de contas que lhes deram origem. 6.14 Os saldos devedores e credores serão demonstrados separadamente. Tal fato limita o valor das informações patrimoniais disponíveis e diminui sensivelmente a transparência da gestão patrimonial do setor público. 4. .00 500. quando em moeda estrangeira. O fechamento do Balanço Patrimonial será concretizado quando o valor total do Ativo for igualado ao valor total do Passivo. Do confronto entre o Ativo e o Passivo Financeiro é apurado o saldo financeiro que serve de base para a abertura de créditos adicionas. .000. pelo valor de aquisição ou pelo custo de produção ou de construção.

320/64: . recomenda-se que em sua análise sejam consultados os seguintes anexos da Lei no. . o Patrimônio Líquido será apresentado no lado do Passivo de forma negativa. a estrutura de capitalização. ANÁLISE E VERIFICAÇÃO DO BALANÇO PATRIMONIAL O resultado patrimonial do exercício apurado na Demonstração das Variações Patrimoniais é agregado ao saldo patrimonial acumulado no Balanço Patrimonial. demonstrando o equilíbrio do Balanço. Na hipótese de o Passivo Real apresentar-se maior que o Ativo Real. sendo chamado de Passivo Real a Descoberto. a rentabilidade e outros indicadores econômicofinanceiros utilizados para a tomada de decisões. O saldo patrimonial pode apresentar. . portanto. 4.Anexo 15 – Demonstração das Variações Patrimoniais.15 O Total do Ativo e do Passivo devem ter o mesmo valor.Anexo 17 – Quadro Demonstrativo da Dívida Flutuante. os seguintes resultados: Saldo Patrimonial = Ativo Real – Passivo Real Ativo Real > Passivo Real = Ativo Real Líquido Ativo Real < Passivo Real = Passivo Real a Descoberto Como os dados do Balanço Patrimonial são apresentados por grandes grupos de contas. A avaliação da gestão do Balanço Patrimonial permite demonstrar a situação de liquidez. Edna Márcia Magalhães Brochado .Anexo 16 – Quadro Demonstrativo da Dívida Fundada.