You are on page 1of 11

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação GERADOR SÍNCRONO - II 1. Objetivos
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
1. Objetivos
Avaliar o controle e o desempenho de geradores de tensão alternada. Ve
eletromecânica de energia.
2. Motivação
As máquinas rotativas que utilizam a conversão eletromecânica de energ
tensão e fornecer energia elétrica têm como principais índices de mérito
tensão e o rendimento, que, de maneira geral, são parâmetros que caract
equipamentos de potência
1 . Como em todo gerador de tensão, há um
que provoca, com a passagem de corrente, queda de tensão e perda de p
necessário medir esta impedância para prever o comportamento do gera
importante verificar que a energia mecânica se converte em energia elét
processo de transferência de energia tem perdas.
3. Teoria
3.1 Resumo
• O circuito elétrico equivalente – (3.2) do gerador
fase, é representado por uma fonte de força-ele
pela corrente de excitação, com uma impedânc
Fig. 1.

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

fidelidade na conversão eletromecânica do sinal e a resposta em freqüência, ou seja, co induzidaseja,
fidelidade na conversão eletromecânica do sinal e a resposta em freqüência, ou seja, co
induzidaseja, contrárioe correnteao seudemovimento.excitação. Fig. 2; eq. (1)
mantém em todo o espectro (em freqüência) de utilização do equipamento.
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
3.2 Circuito elétrico equivalente
Interligando-se adequadamente as bobinas de um gerador tem-se um sis
tensões simétricas (mesma defasagem) e equilibradas (mesmo módulo).
tal sistema: com três geradores independentes ligados em Y, cada um eq
fase do gerador original, e alimentando uma impedância trifásica igualm
equilibrada e ligada em Y.
Nestas condições de simetria e equilíbrio, podemos analisar um circuito
denominado circuito equivalente por fase. As grandezas trifásicas serã
meio das relações entre valores de fase e valores de linha, anteriormente
Mesmo quando um gerador estiver configurado na ligação ∆ (delta) se u
estrela-equivalente para analisar o circuito elétrico.

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

Como em todo gerador, o valor da impedância interna pode ser calculad tensão A impedância
Como em todo gerador, o valor da impedância interna pode ser calculad
tensão A impedância em vazio por pela fase corrente do gerador de curto-circuito. tem característica Entretanto, indutiva. sabemos Na maior qu
é
o
resultado componente da força-eletromotriz real da impedância induzida é desprezado, nos condutores resultando do na estator, reatância a q
corrente sendo a impedância de excitação interna e da velocidade do gerador. de O rotação, seu símbolo conforme é verificado n
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
Gerador Síncrono I. Da mesma forma, com o gerador em curto-circuito,
corrente de excitação aumenta a corrente de curto-circuito. Então:
= E
0 [Ω]
X
=
S i
cte
I
exc
CC
A notação utilizada significa que os valores de tensão em vazio e de cor
circuito devem ser tomados com a mesma corrente de excitação. Todos
são valores de fase, às vezes se diz que a “unidade” de
unidade.
é
X
S
Outro cuidado que devemos ter na determinação da reatância síncrona é
da tensão induzida, pois
=
4.44 fN
[V]
E
0
φ
max
sendo a freqüência f [Hz] diretamente proporcional à velocidade de rotaç
Na maior parte das análises, nos referimos a uma reatância calculada para
nominais do gerador, especificamente a tensão nominal e a freqüência no
3.3 Ensaio em vazio e ensaio em curto-circui
Estes dois ensaios permitem obter características do circuito magnético e c
impedância interna do gerador. Devido às condições de simetria e equilíbri
podem ser feitas em apenas uma das fases do gerador.

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

experiência anterior, Gerador Síncrono I. Note, na Fig. 2, o efeito da satur No ferromagnético
experiência anterior, Gerador Síncrono I. Note, na Fig. 2, o efeito da satur
No ferromagnético ensaio em vazio e a influência determina-se da velocidade a curva característica de rotação do de gerador. saturação em
gráfico (
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
Fig. 2 Curvas características: de saturação em vazio e de curto-
No ensaio em curto-circuito, a máquina é posta a girar com velocidade con
se os valores eficazes da corrente de excitação e da corrente de curto-circu
podemos construir a curva característica de curto-circuito, ou seja, o grá
Note, na Fig. 2, que a característica é linear e independente da freqüência.
Explique porque a característica de curto-circuito
***Relatório:
acontece com os transformadores, e não depende da velocidade de
A reatância síncrona pode ser calculada com os resultados desses ensaios.
características são desenhadas em um mesmo gráfico. As linhas tracejadas
representam a seqüência de leitura e cálculo:
E
I
I
0
exc
CC

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

transformadores. Mas, nos geradores é possível ajustar a força-eletromotriz corrente de excitação, e, dentro de
transformadores. Mas, nos geradores é possível ajustar a força-eletromotriz
corrente de excitação, e, dentro de certos limites, corrigir a tensão de saíd
exemplo de cálculo para um gerador trifásico com as seguintes característic
ligação Y, 60 [HZ], 230 [V], 4 polos, reatância síncrona 20 [Ω]. Alimenta
trifásica resistiva, ligada em estrela, com tensão de linha aplicada de 200 [
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
condições, a carga consome potência ativa total de 2000 [W] e a corrente
gerador está ajustada em 0.8 [A]. Na Fig. 3 está a solução gráfica para o pr
Fig. 3 Diagrama de fasores para gerador alimentando carga r
A equação do gerador é:
)
)
)
=
[V]
E
0 +
V
jX
I
a
S
a
)
2
Adotando-se a fase da tensão de armadura
como referência resu
V
a
)
200
=
+
20
·
(5.77
0)
=
163 .25
∠ 45
o
∠ 0
[V].
E
j
0
3
163 .25 ·
A regulação do gerador nesta condição de carga é
=
20
Ajustando a corrente de excitação, podemos elevar a tensão na carga a 2
de armadura aumentará proporcionalmente à tensão de armadura, pois a
carga é constante, então:

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

é o valor necessário para se garantir tensão de 230 [V] na carga. Para se
é o valor necessário para se garantir tensão de 230 [V] na carga. Para se
de tensão induzida será necessário atuar no circuito de excitação, aumen
de excitação.
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
A curva de saturação em vazio nos forneceria a corrente de excitação ne
circuito magnético do gerador não saturasse, a força-eletromotriz induzi
proporcional à corrente de excitação, resultando em
= 0.8 ×
I exc
Portanto, o controle da corrente de excitação, ou da excitatriz, permite c
tensão na carga.
O torque, ou conjugado, necessário para se alimentar a carga pode ser ca
princípio de conservação da energia (ou da potência ativa): desprezando
elétrica das bobinas e o atrito no movimento de rotação, o gerador pode
conversor eletromecânico de rendimento 100%. Então,
C ·Ω =
=
=
3
cos
ϕ
P
P
V
I
mecãnica
elétrica
a
a
O gerador tem 4 pólos e gera tensão em 60 [Hz], então Ω = 60π [rd/s]. C
carga em 200 [V] devemos aplicar no eixo do gerador torque de 10.61 [
a tensão para 230 [V], aumenta a potência dissipada na carga e o torque
[N.m].
Se aumentássemos a corrente de excitação sem alterar o torque, o sistem
buscaria um ponto de equilíbrio diminuindo a velocidade, na tentativa d
tensão, ou melhor, não aumentar a potência ativa transferida à carga, poi
manteria constante seria insuficiente para sustentar a nova condição de c
(4) determina o ponto de equilíbrio entre o motor, que aplica torque ao e
que fornece potência elétrica (ativa) à carga. Não é possível aumentar a
saída sem aumentar a potência ativa de entrada. Em outras palavras, essa
um gerador de tensão alternada, mas não gera potência ativa, simplesm
energia (ou potência) mecânica em energia (ou potência) elétrica com al
menor que 100%.

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

A equação (4) pode ser entendida pelo princípio da ação e reação: ao for ativa
A equação (4) pode ser entendida pelo princípio da ação e reação: ao for
ativa à carga (elétrica), o gerador reage com torque negativo, contrário a
rotação, caracterizando-se assim como um receptor de energia mecânica
mecânica). É necessário, portanto, aplicar um torque externo que anule
mantenha a velocidade constante.
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
A conversão eletromecânica de energia se dá exatamente por esse meca
de acordo com a equação:
GERADOR SÍNCRONO - II
·Ω +
3
cos
ϕ =
0
[
V
I
C reação
a
a
O termo mecânico, por representar energia que entra no conversor, é neg
conversão de energia se dá no sentido elétrico-mecânico, como no caso
elétricos, o termo mecânico é positivo e a reação vem pela tensão induzi
contrário ao fluxo da corrente elétrica (força contra-eletromotriz induzid
A Fig. 4 pode ser utilizada para explicar a reação do sistema eletromecâ
chave K, haverá circulação de corrente elétrica. A força de Lorentz em u
por corrente elétrica é:
r
r
r
=
(
×
)
[N]
F
i
dl
B
que aplicada a um gerador produz força resistente, ou seja, contrária ao

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

Portanto, a expressão (5) representa uma média das forças, ou torques de r aparecem em
Portanto, a expressão (5) representa uma média das forças, ou torques de r
aparecem em todos os condutores do estator de um gerador, quando ele es
seja, fornecendo potência. Um caso curioso, no qual esta média é nula, é o
uma carga puramente reativa, seja capacitiva ou indutiva. Sem a parte real
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
não há fluxo de potência ativa e, portanto, o torque deve ser nulo. Resolva
apresentado tomando
GERADOR SÍNCRONO - II
velocidade constante sem a necessidade de se aplicar torque, pois adotamo
ideal, sem perdas elétricas (resistência das bobinas é nula) e sem perdas me
movimento pode se manter por inércia, pois o atrito é nulo).
***Relatório: Calcule a regulação do gerador nas condições de ca
carga capacitiva pura e carga com fator de potência 50% indutivo
mantenha o mesmo módulo de corrente utilizado no exemplo, calc
necessário para manter o movimento, e apresente o respectivo diag
conforme Fig. 3. Comente a influência da natureza da carga na reg
GERADOR SÍNCRONO – II
PARTE EXPERIMENT
1. Objetivos
Nesta experiência trabalharemos com um gerador trifásico, de freqüência n
e 4 pólos. Os seguintes fenômenos serão observados:
• Influência da natureza da carga na regulação do gerador;
• Conversão eletromecânica de energia.

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

A Fig. 1 mostra o grupo motor-gerador, a carga (elétrica) e os pontos de m
A Fig. 1 mostra o grupo motor-gerador, a carga (elétrica) e os pontos de m
experiência.
O motor a ser utilizado tem o estator fixado por parafusos que podem ser r
Assim, o torque aplicado ao eixo do gerador poderá ser medido pela reaçã
estator deste motor. O estator móvel aplica força contra uma balança, com
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
Fig. 1 Montagem do grupo motor-gerador
ANTES DE EXECUTAR UM ÍTEM DA EXPERI
AVISO GERAL:
TODO O CONTEÚDO DAS RESPECTIVAS INSTRUÇÕES.
2. Conhecendo o equipamento
Identifique na bancada os seguintes medidores e componentes:
• Grupo Motor-Gerador, composto de Motor de Corrente Contínua e

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

••• AmperímetrosCargaBancoelétricatrifásicotrifásicade capacitoresresistiva PEA 2211 – Introdução à
••• AmperímetrosCargaBancoelétricatrifásicotrifásicade capacitoresresistiva
PEA 2211 – Introdução à Eletromecânica e à Automação
GERADOR SÍNCRONO - II
3.
Característica de curto-circuito
Com o gerador configurado em 220 [V] e tendo os seus terminais em curto
mediremos a variação da corrente de curto com a corrente de excitação. A
mantida em 1800 [rpm], embora não seja necessário um controle rigoroso.
Os resultados do ensaio devem colocados na Tabela 1. Inicialmente, anote
nominais e a forma de ligação correspondente, de acordo com os dados de
ENSAIO IV
Ligação
=
220
[V]
=
[A]
V
I
NOM
NOM
[A]
[A]
I
I
EXC
CC
1.2
x
=
I NOM
1.1
x
=
I NOM
1.0
x
=
I NOM
0.9
x
=
I NOM
0.8
x
=
I NOM
0.7
x
=
I NOM
0.6
x
=
I NOM
0.5
x
=
I NOM
Tabela 1 - Ensaio em curto-circuito

Microsoft Word - GERADOR SNCRONO - II _rev1.doc

http://dc147.4shared.com/doc/G6WmxX_t/preview.html

L1,voltímetroL2 e L3deveráà chavemedirseccionadoraa tensão entretrifásica.duas linhas.