You are on page 1of 9

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO SERVIÇO SOCIAL KARLA JEANINY DOS SANTOS SOARES MARIA APARECIDA DA SILVA DIAS

ANDRIELLY CARINNY DIAS SILVEIRA CRISOSTOMO ELYS REGINA ALVES PEREIRA SANTOS

A IMPORTÂNCIA DA ÉTICA NA PRÁTICA PROFISSIONAL

Janaúba 2010

KARLA JEANINY DOS SANTOS SOARES
1

para a disciplina de Ética profissional Orientadora: Clarice da Luz Kernkamp Janaúba 2010 2 .MARIA APARECIDA DA SILVA DIAS ANDRIELLY CARINNY DIAS SILVEIRA CRISOSTOMO ELYS REGINA ALVES PEREIRA SANTOS A IMPORTÂNCIA DA ÉTICA NA PRÁTICA PROFISSIONAL Trabalho apresentado ao Curso de Serviço Social da – UNOPAR – Universidade Norte do Paraná.

..........................................................Introdução.....................................................................................................Referências...............A Ética e o Assistente Social....................Conclusão............................................................................... 4 3.....................SUMÁRIO 1....................................................................................... 4 2... 9 3 ...........................8 4.............................

nos direitos. um trabalho que era solicitado pelo estado. O Serviço Social era conhecido como uma profissão vocacional e que o 4 . cultura. Em 1947. O profissional de serviço social embasado na ética e na moral. O assistente social atua prestando serviço a sociedade. valores. O Serviço Social surgiu no Brasil na década de 30. mais precisamente no dia 29 de setembro. nos honorários. ligado a Igreja Católica. próprio de cada pessoa. Os princípios fundamentais deste código de ética eram o humanismo católico de origem Européia. A moral é um sistema fechado repleto de tradições. e ampliar seus conhecimentos. surge o primeiro Código de Ética da profissão que veio trazer valores morais. Trabalhava também com políticas assistenciais com a classe operária e no enfrentamento das questões sociais. deveres profissionais e sanções disciplinares. possibitando a abertura para as transformações e modernizações. costumes. A moral impõe que o homem se estabeleça com regras e torne o seu habitat mais honesto e saudável em sociedade.INTRODUÇÃO Este trabalho tem por objetivo relacionar a ética com a atuação do profissional de Serviço Social. Ética e moral estão relacionadas entre si. A ÉTICA E O ASSISTENTE SOCIAL A prática do assistente social é guiada por um código que regulamenta a profissão baseado nas proibições. consegue desenvolver seu trabalho respeitando os direitos e a liberdade dos seus usuários e através das política públicas engajar projetos baseados na lei em prol de uma sociedade mais justa e igualitária. A Ética designa ao profissional exercer sua profissão moldando sua ação com responsabilidade. Ser ético é romper com as tradições. executando as políticas públicas. em relação a Igreja Católica. defendendo a família da ameaça do comunismo. onde seus princípais objetivos era zelar pelos seus interesses.

o Serviço Social busca mudanças na sua atuação profissional. Na década de 60 surge avaliações e questionamento sobre a atuação do profissional principalmente no que diz respeito a burocralização e ao vínculo com a classe dominante. A profissão beneficiava o capitalismo monopolista e o desenvolvimento industrial e carregava consigo um comportamento consevador e assistencialista. Com o início da ditadura militar em 1964. e era dever do assistente social tratá-lo com respeito e dignidade. O trabalho realizado com o beneficiário. apesar dos vários cursos de pós-graduação e dos avanços ao longo do tempo. Surge então a idéia de reformulação do código de ética de 1947. O Código de Ética de 86. É importante lembrar que foi atráves deste Código que a profissão tornou-se liberal e de nível superior. Porém o Serviço Social não conseguiu o rompimento com sua história profissional.profissional teria que ser de preferencia mulheres vinculadas a igreja católica. rompendo com a classe burguesa e com as ideologias religiosas. Houve preocupação dos profissionais em realizar o trabalho com competência e eficiência. Este Código teve como um dos princípios fundamentais. estabelecendo instrumentos profissionais e os Institutos da Defesa Social. mas sem romper com o convervadorismo. abrindo espaço para outras pessoas exercerem a profissão. A primeira matriz consevadora que propõe atuar da mesma forma. a ruptura parcial com os valores religiosos tradicionais. tinha o bem comum como um princípio profissional. na luta por seus direitos. propondo tendendências de modernização. Surge então o movimento de reconceituação da profissão. É criado então o código de Ética de 1965 que trouxe uma visão mais moderna que o humanismo católico. foi elaborado no governo do presidente Ernesto Geisel. em meio a crises econômica no qual o Brasil se encontrava. como homens e pessoas de outras religião. O código de Ética de 75. moldada por deveres e direitos. a 2ª matriz propõe mudanças. Ele trouxe algumas novidades como a prática profissional. Os profissionais assumiram um maior compromisso com o proletariado. como era chamado o usuário. 5 . foi criado em meio a volta dos trabalhadores aos movimentos sociais.

respeitar. projeto societário. direitos humanos. históricas e políticas ocorridas nos anos 80. pluralismo. Os princípios fundamentais do Código de Ética são: liberdade. segurança e proteção ao usuário. Percebemos o que é de responsabilidade do assistente e o que deve ser encaminhado para outra competência. O Código de Ética Profissional dos Assistentes social aprovada em 15 de março de 1993 significou um marco na estabilização e definição da assistência social no Brasil na área profissional. o que ocoreu em 7 de julho 1993 e aprovando a lei 8. econômicas. A partir de então o campo profissional tem seus parâmetros embasados na ética.Devido as intensas mudanças. Ainda sobre o código de ética observa-se que é muito claro e objetivo. É vedado qualquer ato que venha a interferir ou prejudicar o colega.662 de regulamentação. ser solidário. no artigo 4º parágrafo V. Os orgãos representativos da profissão CFESS/CRESS exigiram que acontecesse essa revisão. cidadania. através de congressos e seminários. justiça social. detectando os direitos entre empresa e profissional onde o único objetivo é exercer um trabalho de qualidade. com relação a lei n° 8. compete ao assistente social orientar indivíduos e grupos de diferentes segmentos sociais no sentido de identificar recursos e de fazer 6 é fundamental para garantir privacidade. E a regulamentação poderia ser então providenciada historicamente. O sigilo profissional partes. As Leis nos dão subsídio para exercer a profissão respeitando o direito do usuário e sendo respeitada como profissional. articulação. e na relação de assistente social com outros profissionais o objetivo é ser colegas. qualidade e não discriminar. foi preciso revisar o Código Ética do Assistente Social. democracia.662. Nas relações com as instituições empregadoras. Dentre tais princípios destacamos os direitos humanos que. o que ocasionou o surgimento do novo Código de 93. garantindo uma boa convivência profissional entre ambas as . diversidade. e opiniões. Relacionados um com um outro eles são de grande importância para o amadurecimento da ética profissional. onde iria acontecer um grande debate para a construção de novos valores e bases para o novo código. na relação com os usuário devemos respeitar suas crenças.

Seus fundamentos são posicionados na atuação e comprometimento com a execução de deveres da profissão visando à justiça e a equidade. tendo a consciência que suas ações poderão fazer diferença no convivência da sociedade. programas e projetos na área de Serviço Social. sua base é ter a liberdade como valor social. que relacionamos com a lei n° 8. amparados pela lei.662.uso dos mesmos no atendimento e na defesa de seus direitos. Direcionando-os a buscarem seus direitos com segurança. supervisonar. O profissional deve desempenhar todas estas funções com competência e qualidade. no artigo 4º parágrafo XI: realizar estudos sócio-econômicos com os usuários para fins de benefícios e serviços sociais junto a órgãos da administração pública direta e indireta. paragrafo I: coordenar. sanando as necessidades populares com eficiência. elaborar. A qualidade também é imprescindível para um bom desempenho profissional. como na lei n° 8. pesquisas. É necessário que o assistente social ao estar nesta situação. no artigo 5º. Este projeto tem a finalidade de fundamentar uma sociedade de histórica para tradicional priorizando a liberdade como comportamento humano de princípios éticos que amadurecem o processo de crescimento. 7 . opção sexual ou religião. intervenha em favor do usuário para que ele tenha seus direitos garantidos independentemente de idade. avaliar estudos. classe social. Outro princípio é importante é: não discriminar. e lhes proporcionar acesso as políticas e programas sociais. O aumento do capitalismo limitou uma conquista de direitos e o projeto éticopolitico amadureceu uma idéia de conhecimento na produção de ética profissional protegendo principalmente a classe trabalhadora.662. executar. empresas privadas e outras entidades. interligando os princípios do código de ética com uma prática executada com sua particularidade diversificando e projetando os profissionais de serviço social a grandes e significantes vitórias. Sabemos que o projeto ético-político foi traçado por uma história de lutas e possibilidades de escolha. planos.

programas e serviços assistenciais elaborados na carência das questões sociais. acrescentando aos desenvolvimentos o positivismo do bem estar social. os debates a respeito da ética. As perspectivas decifram relações com dinâmicas e aprimoram as ações sociais exigindo movimentos societário. que ao longo do tempo foram dando base aos profissionais de serviço social para desempenhar suas funções responsabilidade. A partir da busca da cidadania e da defesa intransigente dos direitos humanos. liberdade. encarando desafios e relevando as dificuldades existentes na prática profissional. em busca de uma sociedade que proporcione aos seus cidadãos condições para viver com dignidade. Efetuar tais serviços é compromisso e competência de profissionais éticos com moral justa e necessária. foi que os profissionais começaram a atingir seus alvos e objetivos na luta pela transformação da realidade. Ligados diretamente com a ética e a moral os profissionais tiveram seus princípios fundados na qualidade de execução. igualdade e justiça social. percebemos que a renovação da teoria metodológica redirecionou os profissionais de serviço social a qualificar academicamente na aprimoração de seus conhecimentos emancipando sua defesa para expandir a sabedoria e eficiência na hora de prestar serviços à população. políticos e civis atendendo uma população com projetos. mas é evidente que os trabalhos coletivos tragam ações recíprocas de conquistas grandiosas. Apoiar a cidadania é efetivar os direitos sociais.CONCLUSÃO Diante de tudo que foi visto e exposto. Alguns dos fatores que proporcionaram a evolução da profissão foram as mudanças no código de ética da profissisão. 8 . É fato que exista em uma sociedade questões de difíceis soluções.

Karla Jeaniny dos Santos Soares .Elys Regina Alves Pereira Santos . Ética Profissional.planalto.br/ccivl_03/LEIS/L8662. São Paulo: Pearson Prentice Hall.Maria Aparecida da Silva Dias 9 . SANTINE. MOREIRA GOES.REFERÊNCIAS Lei de Regulamentação da Profissão de Assistente Social . 2009. Adarly Rosana. Maria Angela.htm>. Disponível em:<http://www.Andrielly Carinny Dias Silveira Crisostomo .LEI Nº 8662. Acesso em 16 de novembro de 2010. Trabalho cadastrado com sucesso! Anote seu número de protocolo: 61359612 Abaixo a relação de alunos do seu grupo: • • • • .gov.