You are on page 1of 8

IBP1073_12 ESTRATÉGIA COMPETITIVA PARA PROVER TECNOLOGIAS E PROJETOS BÁSICOS PARA A CONSTRUÇÃO DAS NOVAS REFINARIAS PREMIUM DA PETROBRAS

1 Baptista M.L.A.Claudia , Barbalho S.Adalberto 2,

Copyright 2012, Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis - IBP Este Trabalho Técnico foi preparado para apresentação na Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012, realizado no período de 17 a 20 de setembro de 2012, no Rio de Janeiro. Este Trabalho Técnico foi selecionado para apresentação pelo Comitê Técnico do evento, seguindo as informações contidas no trabalho completo submetido pelo(s) autor(es). Os organizadores não irão traduzir ou corrigir os textos recebidos. O material conforme, apresentado, não necessariamente reflete as opiniões do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Sócios e Representantes. É de conhecimento e aprovação do(s) autor(es) que este Trabalho Técnico seja publicado nos Anais da Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012.

Resumo
Atualmente, existem importantes fatores conjunturais que suportam a decisão de construir novas refinarias no Brasil, dos quais podemos destacar o crescimento do mercado interno e a descoberta de grandes reservas de petróleo na região sudeste do Brasil. Neste cenário, a Petrobras decidiu construir duas refinarias - PREMIUM I e II - com a capacidade total de 900.000 BPSD, que processarão misturas de petróleo nacional. Os principais objetivos, deste ambicioso empreendimento, são produzir diesel e querosene de aviação de alta qualidade, a partir de uma carga com elevado teor de nitrogênio, com mínimo investimento e cronograma desafiador. As duas refinarias terão o mesmo esquema de refino, direcionada para a maximização de destilados médios e atendimento aos mercados interno e europeu. A fim de garantir que o esquema de refino e as tecnologias adotadas forneçam o maior valor presente liquido ao investimento, decidiu-se realizar um processo de competição internacional de projetos para selecionar uma empresa responsável por prover todos os projetos básicos das duas refinarias. Como esta estratégia é uma abordagem nova para a Petrobras, desenvolveu-se um rigoroso processo de avaliação e acompanhamento. Foram contratadas empresas de notória competência e experiência na área de hidrorrefino para fornecer projetos conceituais avançados independentes, para uma refinaria de 300.000 BPSD, denominada PREMIUM II. A refinaria PREMIUM I será construída a partir do mesmo projeto, com dois trens de processamento. A empresa vencedora foi selecionada a partir de critérios técnicos e econômicos, tendo como destaques a utilização de tecnologias de ponta, o desenvolvimento de um diagrama de bloco da refinaria otimizado e com excelente integração energética. A estratégia de competição internacional permitiu que a Petrobras adotasse o melhor esquema de refino e as melhores tecnologias para as refinarias Premium. O presente artigo discute o processo de seleção das empresas, o esquema de refino escolhido e os resultados alcançados.

Abstract
Nowadays, there are major incentives for the construction of new refineries in Brazil: the increase of the local market and the discovery of huge oil reserves in the southeastern Atlantic coast of Brazil. In this scenario, Petrobras decided to construct two new refineries, Premium I and II, with a total refining capacity of 900.000 BPSD. The refineries will be designed to process a mix of Brazilian national crudes. The main objects of this ambitious project are to produce high quality diesel and jet fuel from an elevated nitrogen content feedstock, minimizing capital expenditure and schedule. Both refineries will have the same flow scheme with a target to maximize Middle distillate production for the European and local markets. In order to assure that the refinery scheme and the technologies selected will provide the best Net Present Value (NPV), it was decided to perform a Design Competition process to select the company to provide the basic design for all Premium refineries. As the concepts behind a Design Competition were new for Petrobras a rigorous process was developed and followed, which entailed contracting three benchmark companies with outstanding knowledge and experience in hydroprocessing to provide independent conceptual studies for a 300.000 BPSD refinery called Premium II. The vision was to utilize the same refinery scheme in the construction of the Premium I refinery which will have two identical trains processing 300.000 BPD. The awarded company was selected based on technical and economic evaluations, supported by state of the art hydroprocessing technologies, block flow diagram optimization and heat integration. This strategy allowed Petrobras to acquire the best refinery scheme and process designs for the PREMIUM

______________________________ 1 Consultora sênior- PETROBRAS 2 Gerente geral do Abastecimento- PETROBRAS

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 refineries. The present paper discusses the design competition process, the refinery scheme adopted and the results achieved.

1. Introdução
A Petrobras tem como proposta a construção, no Brasil, de duas novas refinarias com capacidade total de processamento de 900.000 BPSD de petróleo nacional, tendo como meta a produção de derivados Premium com especificações internacionais, visando à exportação para o mercado europeu e ao atendimento do mercado interno. Esta proposta de expansão do parque de refino brasileiro baseia-se em um cenário de crescimento do mercado interno e nas recentes descobertas de grandes reservas de petróleo na região sudeste. Atualmente, o Brasil é importador de óleo diesel e os estudos de mercado mostram uma tendência de crescimento do consumo deste derivado. A fim de solucionar o problema de abastecimento de óleo diesel, direcionou-se o esquema de refino das novas refinarias, conhecidas como refinarias PREMIUM I e II, para a maximização de destilados médios, a partir do processamento de uma mistura de petróleos nacionais, com elevado teor de nitrogênio. As refinarias produzirão óleo diesel de alta qualidade, atendendo às especificações EURO V, ou seja, com reduzido teor de enxofre (1 ppm) e número de cetano mínimo de 51. A refinaria PREMIUM I será construída no estado do Maranhão e terá capacidade de processamento de 600.000 BPSD, com dois trens idênticos de processamento de 300.000 BPSD. Já a refinaria PREMIUM II, que será construída no estado do Ceará, terá capacidade de 300.000 BPSD e um único trem de processamento. As duas refinarias terão as mesmas unidades de processo e tecnologias. Para garantir que o esquema de refino a ser implantado proporcione uma elevada receita operacional, com mínimo investimento, decidiu-se realizar um processo de seleção de projetos denominado Design Competition. Como esta estratégia é uma abordagem nova para a Petrobras, desenvolveu-se um rigoroso processo de avaliação e acompanhamento. A base do processo foi a contratação de três empresas internacionais com notório conhecimento e experiência comprovada na área de hidrorrefino, para elaborar projetos conceituais avançados independentes, das principais unidades de processo a serem implantadas nas refinarias, conforme o esquema de refino proposto, preliminarmente, pela Petrobras. Os entregáveis solicitados nestes contratos forneceram informações suficientes para a avaliação técnico-econômica das propostas apresentadas pelas empresas. A empresa vencedora seria responsável pela execução da fase 3 (FEL 3) do empreendimento das refinarias PREMIUM, ou seja, prover todos os projetos básicos, as tecnologias e o pré-detalhamento das unidades. O grupo responsável pela coordenação do processo definiu as premissas e pré-requisitos para a classificação das empresas, de forma a atender as exigências tecnológicas e garantir a consecução do esquema de refino mais rentável. O processo de competição internacional de projetos (Design Competition) foi desenvolvido em várias etapas, dentre elas a etapa de avaliação técnica e as etapas de avaliação comercial e econômica. A avaliação técnica englobou vários itens que caracterizam a tecnologia proposta e analisam os rendimentos e condições operacionais de cada processo, enquanto que a avaliação econômica foi baseada no calculo do valor presente liquido do investimento de intramuros. Durante as reuniões iniciais do contrato, foi esclarecido que as empresas teriam espaço para propor melhorias no diagrama de bloco, desde que mantivessem a premissa primordial de maximização de destilados médios. Outro ponto importante foi o estabelecimento de um prazo desafiador para a execução dos projetos. O presente artigo discute a metodologia adotada para a seleção da empresa vencedora, o esquema de refino final e os principais resultados alcançados.

2. Estratégia de Competição Internacional de Projetos
2.1. Bases do processo O grande incentivo para o estabelecimento do Design Competition foi a possibilidade de selecionar a empresa vencedora, a partir de bases solidas, uma vez que o nível de informação fornecido no contrato permitiria uma avaliação técnica e econômica do projeto proposto para a refinaria. Além disso, o processo competitivo garantiria o máximo empenho das empresas no sentido de apresentar um diferencial tanto na escolha das tecnologias como na redução do custo do investimento. A Petrobras definiu como meta a ser alcançada no processo três pilares: o Redução nos investimentos intramuros das refinarias PREMIUM, de forma a aumentar o valor presente liquido do empreendimento; 2

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 o o Elaboração de projetos básicos novos, adotando capacidades máximas nas unidades de processo e normas internacionais, para redução de custos; Otimização do esquema de refino da PREMIUM.

Como a meta de produção das refinarias já tinha sido estabelecida, a saber, maximização de destilados médios, a Petrobrás desenvolveu um diagrama de bloco preliminar, com algumas unidades de processo definidas e forneceu as empresas. A figura 1, a seguir, apresenta o diagrama desenvolvido, a partir do software de programação linear PIMS.

Figura 1. Digrama de bloco preliminar das refinarias PREMIUM De acordo com o diagrama, pode-se depreender que não haverá produção de gasolina no modelo proposto e que os principais produtos são Diesel, querosene, nafta petroquímica, GLP e Bunker. Os dois últimos produtos são para atendimento do mercado local e abastecimento dos navios na região, respectivamente. As unidades de processo responsáveis pela conversão são basicamente a unidade de coqueamento retardado e a unidade de hidrocraqueamento. Serão necessárias unidades de Hidrotratamento (HDT) para garantir as especificações finais dos produtos. A composição das cargas para as unidades de HDT foi uma variável manipulável pelas empresas. Como não há produção de gasolina, o esquema de refino não contempla a unidade de craqueamento catalítico. Este foi um ponto exigido pela Petrobras. O trabalho realizado pelas empresas consistiu em desenvolver um projeto conceitual das unidades principais de processo, a saber, Destilação atmosférica e vácuo, unidade de coqueamento retardado, unidade de Hidrocraqueamento e unidades de hidrorrefino. Além disso, as empresas poderiam propor otimizações no esquema de refino inicial. Definiu-se também que a carga das refinarias seria a mesma, composta de uma mistura de petróleos nacionais com API em torno de 25. O principal produto da refinaria é o diesel com especificações EURO V. Foi ajustada uma produção mínima de querosene, que poderia ser otimizada pela empresa. A produção de nafta petroquímica não foi fixada. A tabela 2 mostra as metas de produção estabelecidas no contrato.

3

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012

Tabela 2- Metas de produção. 2.2. Etapas do processo Como a estratégia de competição internacional de projetos é uma abordagem nova para a Petrobras, desenvolveu-se um rigoroso processo de avaliação e acompanhamento. A seguir são descritas as principais fases do processo. o o o o Qualificação das empresas participantes do processo de Design Competition; Elaboração das informações técnicas e definição dos entregáveis necessários para o desenvolvimento dos projetos conceituais avançados; Condução de reuniões técnicas com as empresas para acompanhamento dos projetos (Kick off meeting, Process design basis review e process flow diagram review); Avaliações: Comercial, Técnica e econômica.

A etapa de qualificação das três empresas que seriam contratadas e que participariam do processo teve como critério fundamental a seleção de tecnologias. Nove empresas participaram da pré-qualificação (Tecnólogos e empresas integradoras). As três empresas escolhidas são licenciadoras de tecnologias de hidrorrefino, com experiência comprovada e notórios conhecimentos na área, além de ter experiência na atuação como empresa integradora, responsável por subcontratar as tecnologias complementares, integrar e otimizar os projetos intramuros. Outro fator diferencial para a escolha das três empresas foi o fato de que as empresas selecionadas já haviam realizado testes em planta-piloto com cargas oriundas de petróleo nacional. Uma vez que a realização do trabalho deveria atender a um cronograma desafiador, não haveria tempo suficiente para a realização de testes experimentais. Com base em vários estudos feitos pelo CENPES em planta-piloto, é de conhecimento que o petróleo nacional apresenta desvios em relação ao comportamento estimado por correlações. Desta forma, as empresas que já tivesse feito estudos experimentais, conseguiram um diferencial em relação às demais. 2.3. Critérios para as avaliações técnica, comercial e econômica. A avaliação técnica foi realizada analisando-se os projetos desenvolvidos e a integração entre as unidades. O portal técnico foi classificatório, mas não decisório, ou seja, as empresas deveriam atingir uma nota mínima para se classificarem. A seguir, tem-se uma lista dos itens considerados na avaliação técnica. o o o o o o o o o o o o Variáveis Operacionais adotadas; Avaliação de Dimensão dos Principais Equipamentos; Utilidades e Integração Energética; Rendimentos e Qualidade dos Produtos; Plot Plan da unidade; Análise do fluxograma de processo ( PFD’s) Integração energética entre as unidades; Diagrama de bloco otimizado; Flexibilidade operacional; Perfil de rendimento global e qualidade dos produtos; Manutenção e confiabilidade; Aspectos de construtabilidade; 4

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 o o Número de projetos executados entre 2000 e 2010; Número de unidades em operação entre 2000 e 2010.

O resultado da avaliação tecnológica realizada com base nos dados dos projetos conceituais avançados elaborados pelas três empresas participantes do processo de Design Competition indicou que todas as empresas apresentaram um projeto viável para a refinaria PREMIUM, atendendo aos requisitos necessários de desempenho e segurança. Sendo assim, as três empresas foram aprovadas neste portal. A avaliação comercial consistiu basicamente no acerto do contrato de serviço técnico de engenharia e no contrato de licenciamento de tecnologia, pelo comitê de contratação, com cada empresa separadamente, levando em consideração todos os anexos contratuais. Alem disso, dois itens relevantes foram incluídos nas discussões: o valor total do contrato e o cronograma de entrega do projeto. Caso a negociação não fosse concluída, a empresa não seria classificada nesta etapa e não participaria da etapa de avaliação econômica. As três empresas também foram aprovadas neste portal. Dando prosseguimento ao processo de seleção da empresa, um critério importante para a escolha do melhor projeto conceitual avançado é o fator econômico. Nesta avaliação seria selecionada a projetista que apresentasse o projeto com o maior retorno econômico em relação ao capital investido. Para a consecução desta avaliação foi feito um trabalho detalhado de levantamento dos custos das unidades de on site projetadas, a saber, destilação atmosférica/vácuo, unidade de coqueamento retardado e unidades de hidrorrefino. Este levantamento foi elaborado com base no software internacional “AspenTech Capital Cost Estimatior (Icarus)” versão 2009 7.2, com ajustes para tributação, produtividade e salários do Brasil. Uma etapa importante que foi realizada concomitantemente com a entrada de dados no programa da Aspen Tech foi a etapa de análise critica das informações dimensionais dos equipamentos fornecidas pelas diferentes empresas. Após análise das informações, o grupo responsável pela avaliação econômica juntamente com a equipe do CENPES envolvida na etapa de avaliação técnica dos projetos adotou algumas premissas para equalização dos sistemas contidos nas propostas das três empresas, visando a corrigir possíveis irregularidades que poderiam desvirtuar a comparação dos custos dos projetos. Os cálculos de rentabilidade dos projetos foram feitos mediante o fluxo de caixa descontado dos projetos (VPL 25 anos), como é tradicional em avaliações econômicas da Petrobras, em projetos de investimento. Comparando-se os resultados de VPL (Valor Presente Líquido) e da TIR (taxa interna de retorno) dos diferentes projetos, tem-se que a empresa vencedora apresentou uma diferença considerável de retorno econômico em relação à segunda colocada, denotando que as alternativas inovadoras e as tecnologias adotadas foram substanciais para o resultado apresentado.

3. Destaques Técnicos da Empresa Vencedora
A unidade de Destilação Atmosférica/Vácuo projetada pelo consorcio formado pela empresa vencedora possui como ponto de destaque a retirada de gasóleo atmosférico (GAT) para ser refracionado na torre a vácuo. A integração energética do grupo vencedor foi a melhor dentre as projetistas, com destaque para a maior temperatura de saída da bateria de pré-aquecimento, menor uso de área por carga térmica na bateria e menor consumo de utilidades por destilado produzido. Devido à pressão mais alta no topo da torre de vácuo foi previsto trabalhar com pré-condensador no sistema de vácuo para economia de utilidades (vapor motriz) e redução de investimentos na unidade de destilação a vácuo. Em termos de hidrorrefino, a empresa ganhadora optou por integrar o hidrotratamento de Nafta de Coque ao de Querosene de Aviação (QAV) em uma só unidade. Nos projectors tradicionais de HDT de Nafta de Coque, normalmente utiliza-se nafta leve de destilação atmosférica, para controlar os disparos de temperatura que a carga de Nafta de Coque provoca. Ao trocar a Nafta da destilação, que não necessita de tratamento, pelo QAV que necessita, reduziram-se os custos de investimentos. Cabe ressaltar que, caso esta empresa tivesse seguido a rota tradicional, como as demais empresas fizeram, teria dimensionado a unidade de HDT de médios para tratar o QAV. Neste caso, em função das capacidades envolvidas, teria que optar por dois trens de processamento em paralelo, o que aumentaria o investimento. Outra decisão da projetista que favoreceu a adoção de um único trem de processamento nesta unidade foi optar por enviar 5

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 a parte mais pesada do diesel (Diesel de Destilação Atmosférica/Vácuo e Gasóleo Leve de Coque) para o HCC, ao invés de enviar para o HDT de Diesel. Outro destaque desta empresa, é que ela desenvolveu uma recuperação de Hidrogênio interessante do ponto de vista econômico. As correntes de Gás Combustível provenientes do HDT de Diesel e do HCC são comprimidas e a parte condensável é enviada para Nafta Petroquímica, que tem maior valor que o Gás Combustível, enquanto que a fração gasosa é enviada como carga para a UGH. Como as correntes de Gás Combustível do HDT de Diesel e do HCC são ricas em hidrogênio, há um aumento de rendimento de H2 na unidade de geração de hidrogênio (UGH) em relação à carga processada. Dessa forma, há economia, devido à redução da quantidade de Nafta para a carga da UGH, que será vendida como Nafta Petroquímica. O projeto da unidade de HCC é robusto e adota condições operacionais adequadas para a consecução dos objetivos de qualidade dos produtos e para a maximização de destilados médios. Os gases separados dos líquidos no HCC são enviados para purificação e recuperação de H2. Como essa corrente tem um alto custo, a recuperação se justifica. Outro fator a considerar é que devido ao porte elevado das UGHs, já fora dos padrões convencionais, uma redução na necessidade de produção de H2 pode reduzir um trem de reação extra ou mesmo uma unidade inteira. Como ponto de destaque, tem-se também que a empresa vencedora utiliza um sistema de compressão de H2 (make up de H2) comum para diversas unidades de Hidroprocessamento, barateando o custo da instalação. Em relação à unidade de coqueamento Retardado, o projeto apresentado é desafiador por utilizar apenas quatro tambores de coque, com a capacidade projetada. A tabela 3, a seguir, mostra a capacidade de projeto das unidades principais da empresa selecionada.

Tabela 3- capacidade das unidades principais. Na parte de integração energética, a empresa apresenta uma boa eficiência de troca térmica utilizando correntes de processo, alem de gerar vapor de média sem onerar a carga térmica dos fornos. Este fato, juntamente com a menor razão de reciclo adotada, faz com que o calor requerido pelos fornos seja menor do que o previsto pelas outras duas projetistas. Do ponto de vista de uso de resfriadores a ar, o projeto é bastante intensivo no seu uso. A vencedora também contempla um estudo mais detalhado em relação aos demais projetistas do ponto de vista de integração energética. A tabela 4, a seguir, ilustra os ganhos alcançados pela empresa vencedora. A otimização do diagrama de bloco e das condições operacionais das unidades de processo permitiram atingir o percentual de 77,2 % de destilados em relação ao cru, fato este que refletiu no resultado econômico. Além disso, o projeto apresenta flexibilidade para maximização de diesel ou de querosene de aviação.

6

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012

Tabela 4- Metas de produção e resultados alcançados

5. Discussão dos Resultados
Vários avanços são observados nos projetos das empresas participantes do Design Competition. Os mais importantes são descritos a seguir: o As unidades são de porte elevado, gerando economia de escala importante. Foi possível executar o projeto com um só trem de refino de 300 mil BPD, sem necessidade de projetar duas unidades de processo para o mesmo serviço; A integração de processos e a integração energética foram buscadas de forma intensa pelas projetistas, levando a uma otimização global da Refinaria e não somente dentro de cada unidade de processo; A integração da produção entre as diversas unidades é intensa, com busca cuidadosa da máxima produção dos derivados mais valiosos; As tecnologias empregadas são as melhores disponíveis para os serviços solicitados, sendo atualizadas e garantidas pelas projetistas; Várias soluções criativas foram apresentadas pelas projetistas, tais como compartilhamento de uma unidade para dois serviços, integração do circuito de hidrogênio para as três unidades de hidroprocessamento em uma só estação de compressão, com HDT de Nafta de Coque e QAV integrados; A certeza de escolher o melhor projeto pode ser aferida na diferença de Valor Presente Líquido do projeto das três projetistas.

o o o o

o

No âmbito da Petrobras está ocorrendo a quebra de alguns paradigmas de projeto e operação de refinaria, que poderão contribuir para o aprimoramento dos nossos resultados. Os casos mais notáveis são os seguintes: o Utilização de normas internacionais para projeto, o que deve baratear os custos dos equipamentos. Isso ocorre porque os fornecedores de equipamentos não necessitarão adaptar seus projetos a algumas normas específicas da Petrobras. As normas brasileiras de cumprimento legal continuam respeitadas; Unidades de Hidroprocessamento de grande porte, dispensando a divisão da mesma em dois trens e/ou reatores em série. Isso barateia o custo das unidades. Unidades de Coqueamento Retardado de grande porte, com quatro tambores; Utilização de GLP para complementar o anel de Gás Combustível, na ausência de Gás Natural. Essa opção evita queima de Óleo Combustível e previne a instalação de sistemas caros de abatimento de emissões; Envio de carga quente de uma unidade para outra, com economia de água de resfriamento e de tancagem de produtos intermediários. Os tanques intermediários servem para paradas de pouca duração de uma das unidades, sem parada das demais. O produto frio é processado posteriormente, como complemento da carga quente da unidade;

o o o o

Todas as projetistas contratadas apresentaram um projeto viável de refinaria para a Petrobras. Porém, há diferenças importantes entre os projetos e conseqüentemente diferentes resultados operacionais e de investimentos, bem como custo operacional (CAPEX e OPEX 25 anos). 7

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012

6. Conclusão
Com base nos excelentes resultados alcançados, tem-se que os objetivos do processo de Design Competition foram atingidos e a metodologia contribuiu para um considerável aumento no VPL do projeto, uma vez que a empresa vencedora apresentou o melhor resultado econômico, VPL (25 anos) e TIR.. O processo de competição estimulou a criatividade das empresas, que resultou num ganho econômico considerável para a Petrobras, a partir do desenvolvimento de soluções criativas e do uso de tecnologias de ponta.

8