You are on page 1of 4

Cambriana Lança Seu Álbum de Estreia, “House of Tolerance”

No dia 27 de Janeiro, a banda goiana Cambriana lançou na internet House of Tolerance, o seu álbum de estreia, disponível para download gratuito. Com influências de indie rock, folk psicodélico e música eletrônica – e de bandas como Radiohead, Grizzly Bear, The National e Brian Eno – as canções da banda têm agradado fãs e não-fãs do gênero. O álbum chega após o lançamento de dois singles no início de Janeiro que geraram grande repercussão e recepção uniformemente positiva: “The Sad Facts” (que já tem mais de 18 mil acessos no YouTube), descrita por um fã como “’Footloose’ para deprimidos”, e “Big Fish”. Além dos singles, o disco conta com mais oito faixas esteticamente diversas: “Vegas”, “Astray”, “Face to Face”, “Safe Rock”, “Better Days”, “Waitress”, “Swell” e “Invicto”. O lançamento do álbum foi coberto por vários blogs de música alternativa, incluindo Move That Jukebox, 505 Indie, e Rock ‘N Beats, e foi citado na revista Rolling Stone. Em pouco mais de uma semana, foram baixadas 1200 cópias do disco. A repercussão das músicas disponibilizadas permitiu que a banda recém-nascida alcançasse 1000 fãs no Facebook e 300 seguidores no Twitter em menos de um mês. Sobre a Banda Luis Calil (vocalista) começou a compor o álbum no final de 2010, e convidou Wanderson Meireles para contribuir no processo, já que os dois partilhavam de gostos e ambições semelhantes. Por morarem em cidades diferentes (Luis em Goiânia, Wanderson em Brasília), a composição do disco foi feita através da internet. Em setembro de 2011, Rafael Morihisa (guitarrista) e Israel Santiago (guitarrista), que já haviam tocado com Luis anteriormente, também se uniram ao projeto para a gravação do disco, estabelecendo a formação principal da banda. As faixas foram gravadas quase inteiramente no estúdio caseiro da banda, que se esforçou para obter o máximo de qualidade sonora. Os membros da Cambriana já têm ampla experiência ao vivo, tocando em casas de shows e festivais na região de Goiânia e Brasília há quase 10 anos, em projetos variados. Agora, contando com Pedro Falcão (baixo), Wassily Brasil (teclado) e Heloísa Helena (bateria), o foco da banda é executar ao vivo com precisão e atmosfera as canções do House of Tolerance durante todo o ano de 2012.
- Fabiano Ristow

Imprensa
Rolling Stone (rollingstone.com.br):

Move That Jukebox (movethatjukebox.com) “Vem de Goiânia um dos trabalhos mais promissores que o rock nacional deve vislumbrar em 2012. [...] Cambriana consegue, com competência absurda, se manter fiel a uma identidade muita própria. E o crédito vai para a gravação, produção e mixagem da própria banda, que levou quase todo o projeto de forma caseira e na raça. [...] Reserve 40 minutos do seu dia e tente não se maravilhar com faixas como a sombria “Safe Rock”, a vampireweekendiana “Big Fish” e a maravilhosa – e destaque descomparado do disco – “The Sad Facts”.” Meio Desligado (meiodesligado.com) “House of Tolerance, o CD de estreia, é carregado de uma sensibilidade rara na cena de Goiânia. Indie rock singelo que trabalha bem texturas e climas depressivos e remete a grupos internacionais contemporâneos como The National e Destroyer” 505 Indie (505indie.com.br) “Cambriana tem feito até o momento, música que transborda beleza, lirismo e generosidade. [...] Denominador comum entre todas as faixas é o cuidado da banda em trabalhar texturas, se divertir com efeitos sintetizados, backing vocals, linhas melódicas e rítmicas trabalhadas nas cordas, maximizando o leque de alternativas pra se explorar. [...]Cambriana é aposta deste blog como uma das revelações em 2012.” Rock ‘n’ Beats (rocknbeats.com.br) “É de Goiânia um dos melhores nomes nacionais deste ano. [...] Logo na primeira faixa, “Vegas”, é quase impossível não se deixar levar por House Of Tolerance. As influências claras de bandas como Grizzly Bear, Radiohead e Phoenix são muito aproveitadas pelos goianos, que fazem um som limpo, um tanto quanto psicodélico, easy listening e o melhor: próprio. [...] Destaque para o single The Sad Facts, definida por um fã da banda como a “Footloose dos deprimidos”. Com um quê de Lisztomania brazuca, tem tudo para virar um hit com seu refrão grudento.”

Beats Per Minute [EUA] (beatsperminute.com) “[The Sad Facts] começa relativamente simples - uma batida e uns acordes menores de piano mas logo encontra um ritmo agradável e, antes que você perceba - em meio a linhas de synth serpeantes, cordas sutilmente arranjadas e as melodias calorosas de Calil - ela invadiu sua cabeça.” Fita Bruta (fitabruta.com.br) “[...]é bom que “House Of Tolerance” exista e esteja recebendo tanta atenção. Ele já seria um triunfo só pelo fato de vir de um lugar que até pouco tempo só exportava dupla sertaneja e banda de rock “de roqueiro” e, no entanto, parece tão desligado da paisagem da música brasileira em 2012 que funciona como um respiro. É certamente mais do que todo mundo esperava e – às vezes – parece exatamente aquilo que a gente queria.” Monkeybuzz (monkeybuzz.com.br) “As faixas quase sempre soam simples, mas escondem harmonias bem trabalhadas e um toque charmoso do psicodélismo, e com muito do experimentalismo do Grizzly Bear presente no trabalho da banda. O estranhamento inicial ao ouvir o álbum, logo é substituído pelo êxtase de uma boa obra, completa e carregada de sonoridades diferentes, porem muito bem amarradas entre si.” Vida Ordinária (vidaordinaria.com) Um dos “10 artistas novos para prestar mais atenção. [...] As influências de The National e Radiohead são facilmente reconhecíveis, e se não bastasse essas ótimas inspirações, o som da banda também é de alto nível.” Som Alternativo [Portugal] (som-alternativo.com) “Os brasileiros Cambriana vêm inaugurar estes novos talentos que o Som Alternativo espera orgulhosamente promover.” Indie Rocker (indierocker.net) “Puxa, nem começou o ano e já encontrei uma das melhores bandas nacionais dos últimos tempos. [...]Enquanto escrevo isso, ainda estou sob o efeito estupefaciente que cada faixa da banda causou em mim. O que mais me impressionou foi a facilidade com que o grupo transita por diferentes estilos, com uma maturidade de banda veterana, acostumada a produzir faixas que fazem diferença. Os caras cantam em inglês, o som definitivamente não tem nada de “abrasileirado”, mas quem se importa?”

Outros: URBe (oesquema.com.br/urbe/) Always Louder (alwayslouder.wordpress.com) [entrevista] Indie da Depressão (indiedadepre.blogspot.com) Blog Converse All Star (http://www.converseallstar.com.br/blog/) Super Primata (superprimata.com) Guarulhos Pró-Rock (guaruprorock.com) Infinites Playlist (infinitesplaylist.blogspot.com) Paralelo Mundi (paralelomundi.com)

CONTATO E-mail: cambrianamusic@gmail.com Site oficial: cambrianamusic.com Twitter: @cambrianamusic Facebook: facebook.com/cambrianamusic YouTube: youtube.com/cambrianamusic