ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Fundamentos de Redes de Computadores

Camada física

Prof: Msc. Rafael Sousa

ROTEIRO
        

Introdução; Informação e Sinais; Modulação de sinal; Modos de Operação; Modos de Transmissão; Meios de Transmissão; Padrões Ethernet; Dispositivos Físicos; Topologias; Opções de Acesso; Bibliografia.

2

INTRODUÇÃO

Camada física é responsável por transportar os bits em um determinado enlace físico;

É a camada que especifica os tipos de cabos, dispositivos e padrões de tecnologias físicas;
Modo de transmissão dos sinais.

3

Sinais Digitais Sinais Analógicos 4 .INFORMAÇÕES  E SINAIS As informações digitais muitas vezes dever ser transformadas em sinais analógicos para trafegar em uma rede.

Se o sinal analógico pode assumir qualquer valor possível. Com isso torna-se inviável usar somente sinais analógicos para comunicação em rede. pois o sinal analógico é facilmente distorcido. Isso que dizer. não tem como o receptor distinguir se há algum erro no sinal.    5 . as informações são analógicas. que elas podem ser representadas em todos os valores possíveis.INFORMAÇÕES  E SINAIS No mundo real.

(ex: 0 v e 5 v). Na comunicação digital. apenas dois valores são possíveis: 0 ou 1. o receptor pode fazer controle de erro de sinal. O 0 e 1 são representados por dois níveis discretos de tensão.    6 .INFORMAÇÕES  E SINAIS Os computadores usam comunicação digital. Com isso.

Para isso. sinais digitais em uma rede precisam trafegar em meios analógicos. 7 .MODULAÇÃO  DE SINAIS Eventualmente. é preciso transformar o sinal digital para analógico e vice-versa. Essa conversão de sinais é conhecida como Modulação.     A placa de rede possui um modem. O dispositivo responsável por isso é o modem (MOdulador/DEMulador).

MODULAÇÃO  DE SINAIS O processo de comunicação envolve a transmissão de informação de um ponto a outro através de vários processos. MODEM Rede Telefônica MODEM 10010 10010 .

MODO DE OPERAÇÃO  Os enlaces de transmissão em redes podem trabalhar em 3 tipos de modo de operação:  Modo simplex. Modo full-duplex. 9   . Modo half-duplex.

10 .MODO DE OPERAÇÃO  Modo Simplex: Transmissão em apenas um sentido  Ex: Transmissão de televisão.

redes. 11 .MODO DE OPERAÇÃO  Modo Half-Duplex: Transmissão nos dois sentidos Um de cada vez  Ex: Walkie-talkie.

12 . redes.MODO DE OPERAÇÃO  Modo Full-Duplex: Dois sentidos simultâneamente  Ex: Telefonia.

É usada em enlaces de comunicação de dados de rede.  Serial: a transmissão é bit a bit. 13 . onde os bits são enviados de uma só vez.MODOS DE TRANSMISSÃO  Existem dois tipos de modo de transmissão:  Paralelo: é o tipo de transmissão que ocorre dentro do computador.

14 . ganham em custo e tamanho do cabo. que podem ser bem maiores. pois deve existir um cabo para cada bit.MODOS DE TRANSMISSÃO  Serial vs Paralelo:  Transmissões paralelas são mais caras e mais susceptíveis a interferências.  Transmissões seriais são mais lentas. porém. são mais rápidas. porém.

 Meios não guiados: é a transmissão via ondas eletromagnéticas. cabos coaxiais). cabos de cobre. (fibra ótica.MEIOS DE TRANSMISSÃO  Os meios físicos de transmissão podem ser classificados em dois tipos:  Meios guiados: são os meios sólidos para transmissão dos dados. (ar). 15 .

MEIOS DE TRANSMISSÃO  Existem basicamente 3 tipos de cabos de rede:    Cabo de cobre de par trançado. Cabo coaxial. 16  . Cabo de fibra ótica.  Cabos de rede são propensos a sofrerem interferências pois trabalham com altas frequências. Exigem cuidados especiais na sua fabricação.

Padrão Ethernet 10BASE-5.MEIOS DE TRANSMISSÃO  Cabo coaxial:  As primeiras redes ethernet utilizavam um tipo de cabo coaxial grosso e pouco flexível (thicknet). Era utilizado apenas um único cabo como backbone e todas as estações eram ligadas a ele através de transceptores. 17   .

MEIOS DE TRANSMISSÃO 18 .

MEIOS DE TRANSMISSÃO 19 .

MEIOS DE TRANSMISSÃO  Thinnet  Cabo coaxial mais flexível e fino. Utilizava conector BNC para conectar a estação ao cabo. Para fechar o circuito. Cada cabo se ligava ao outro através do conector T. 20    . utilizava-se terminadores.

MEIOS DE TRANSMISSÃO Conector BNC Conector T Terminador 21 .

A técnica de trançamento cria uma barreira eletromagnética protegendo de interferências. São compostos por 4 pares de fios de cobre trançados entre si. 22   .MEIOS DE TRANSMISSÃO  Cabos de cobre de par trançado:  Os cabos de cobre de par trançados são divididos em categorias que vão de 1 a 7.

MEIOS DE TRANSMISSÃO

23

MEIOS DE TRANSMISSÃO

Categorias:

Categorias 1 e 2:

não são mais reconhecidas pela TIA (Telecommunications Industry Association). Foram utilizados no passado mas não são adequados para Ethernet.

Categoria 3 (Cat 3):
primeiro padrão de cabo de par trançado especialmente desenvolvido para redes;  Utiliza frequência de até 16 MHz;  Possui, pelo menos, 24 tranças por metro.

24

MEIOS DE TRANSMISSÃO

Categorias:

Categoria 4 (Cat 4):
Não é mais reconhecido pela TIA;  Suportavam frequências de até 20 MHz.

Categoria 5 (Cat 5):
Suportam frequências de até 100 MHz;  Foram logo substituídos pelos cabos de categoria 5e.

Categoria 5e (Cat 5e, “e” de enhanced):
Suportam frequência mínima de 100 MHz;  Possuem normas mais estritas para reduzir interferências;

25

Não apresenta muito ganho em relação ao cat 5e e são mais caros.    26 .MEIOS DE TRANSMISSÃO  Categoria 6 (Cat 6):  Cabos de qualidade superior ao 5 e foi desenvolvido para redes gigabit. o padrão de rede ethernet gigabit permitiu o uso dos cabos categoria 5e. Frequência de até 250 MHz. Porém.

27 . pois suporta frequências de até 500 MHz.MEIOS DE TRANSMISSÃO  Categoria 6a (Cat 6a):   Criado para redes 10 Gigabit. Reduziu ainda mais a interferência entre os pares do cabo distanciando-os com um separador.

Está no estágio inicial de desenvolvimento.  28 .MEIOS DE TRANSMISSÃO  Categoria 7 (cat 7):  Cabos que podem vir a ser usados em redes Ethernet 100 Gbps.

STP (Shielded Twisted Pair): blindagem para cada par trançado. SSTP (Screened Shielded Twisted Pair): blindagem por par trançado e mais outra envolvendo todos. os cabos são denominados:   UTP (Unshielded Twisted Pair): sem blindagem.MEIOS DE TRANSMISSÃO  Blindagem:  Os cabos de cobre de par trançado podem ser blindados ou não. 29    . Quanto à blindagem. FTP (Foiled Twisted Pair): blindagem simples.

MEIOS DE TRANSMISSÃO UTP FTP STP SSTP 30 .

MEIOS DE TRANSMISSÃO  Conector de cabos de par trançado:  RJ-45 31 Blindado .

Esse revestimento é chamado de coating. 32    .MEIOS DE TRANSMISSÃO  Fibra ótica:  São feitas de Sílica (dióxido de silício). É análogo a um cano revestido internamente por espelho. O núcleo mais interno é revestido por um material que reflete a luz.

 33 . Por fim.MEIOS DE TRANSMISSÃO  Fibra ótica:  O cabo é então revestido por fibras de kevlar para protegê-lo. a camada mais externa é um revestimento de plástico. chamado jacket.

são utilizadas “fibras escuras”. 34   . é utilizada luz infravermelha.MEIOS DE TRANSMISSÃO  Fibra ótica:  Fibra ótica é imune à interferência eletromagnética. Na interligação de grandes distâncias. Para reduzir atenuação.

35 .MEIOS DE TRANSMISSÃO  Existem dois tipos de fibra ótica:   Monomodo (SMF): possuem o núcleo muito mais fino (de 8 a 10 mícrons). são mais caras e alcançam distâncias enormes (80 km) (2). Multimodo (MMF): possuem o núcleo mais espesso (62. são mais baratas e têm alcance reduzido (550 m) (1).5 microns).

MEIOS DE TRANSMISSÃO 36 .

PADRÕES ETHERNET  Os padrões Ethernet surgiram no PARC (laboratório de desenvolvimento da xerox.   O primeiro padrão ethernet transmitia dados a 2. O principal desenvolvedor foi Bob Metcalf. 1973). Era preciso interligar estações de trabalho em rede. EUA.  37 .94 Mbps utilizando cabo coaxial e permitia conectar 256 estações de trabalho.

PADRÕES ETHERNET 38 .

comunicação. 39  .PADRÕES ETHERNET  Hoje os padrões são desenvolvidos pela IEEE (Institute of Eletrical and Eletronic Engineers). O grupo responsável pelos padrões de rede é o “IEEE 802 LAN/MAN Standards Commitee”.  A IEEE possui diversos grupos de trabalho que estabelecem padrões em diversas áreas (elétrica. computação e tecnologias em geral).

(WiMAX)  802.3:  É o grupo responsável pelos padrões da rede ethernet cabeada.1:  802.15. os mais importantes são:  802. É o grupo responsável pelos padrões da rede ethernet sem fio locais. É o grupo responsável pelas redes sem fio de longas distâncias.PADRÕES ETHERNET  Dentre os padrões.11:    802. É o gupo responsável pelo padrão bluetooth.16:  40 .

10BASE-F (“F” de fiber optic). cabo de par trançado).   41 .3 (10 Mbps):  10BASE-2 e 10BASE-5 (cabos coaxiais). 10BASE-T (“T” de twisted-pair. ou seja.PADRÕES ETHERNET  Padrões 802.

Apesar de inferior. O 10BASE-2 tem alcance de 185 m e suporta 30 estações de trabalho.PADRÕES ETHERNET  10BASE-2 e 10BASE-5 (10 Mbps)  O 10BASE-5 tem alcance de 500 m e suporta 100 estações de trabalho. 42   . o 10BASE-2 se tornou mais popular por ser mais barato.

PADRÕES ETHERNET  10BASE-T (10 Mbps)  É o primeiro padrão baseado no uso de cabo de par trançado. O uso de hubs e repetidores estendem o alcance da rede. O comprimento máximo do cabo é de 100 m.   43 .

Pouco popular por causa do custo.PADRÕES ETHERNET  10BASE-F (10 Mbps)  Utilizava cabos de fibra ótica.   Tinha um alcance de 2000 m. Podia ser estendido utilizando repetidores. 44  .

 100BASE-TX.PADRÕES ETHERNET  Padrão Fast Ethernet (100 Mbps):  O padrão multiplicou por 10 o padrão anterior. É composto por três padrões distintos: 100BASE-T4.  100BASE-FX.   45 .

Foi superado pelo 100BASE-TX   46 . Não é muito utilizado pois a maioria das placas não dão mais suporte.PADRÕES ETHERNET  100BASE-T4 (100 Mbps):  Padrão especificado para cabos de par trançado categoria 3.

É utilizado em mais de 80% das instalações atuais. Placas de rede que utilizam esse padrão são muito baratas (aproximadamente 5 dólares). 47     . Tem alcance máximo de 100 m. Possui suporte ao modo de operação full-duplex.PADRÕES ETHERNET  100BASE-TX (100 Mbps):  É o padrão usado em cabos de par trançado categoria 5.

48 .   Pouco utilizado devido ao alto custo.PADRÕES ETHERNET  100BASE-FX (100 Mbps):  Padrão para cabos de fibra ótica multimodo. Atinge distâncias de até 2 km.

 1000BASE-SX.  1000BASE-LX.   Possui 4 padrões diferentes: 1000BASE-T.PADRÕES ETHERNET  Padrão Gigabit Ethernet (1 Gbps):  Multiplicou por 10 o padrão anterior.  1000BASE-CX. Foi finalizado em 1998.  49 .

PADRÕES ETHERNET  1000BASE-T ou GoC (1Gbps):  GoC (Gigabit over copper). 50    . Possui suporte ao modo full-duplex. Multiplica por 10 o padrão anterior mantendo o mesmo tipo de cabo categoria 5. Alcance máximo de 100 m.

pois utiliza tecnologia long-wave laser.  51 .PADRÕES ETHERNET  1000BASE-LX (1Gbps):  É o padrão para fibras óticas mais caro. Seu alcance é maior que o anterior podendo alcançar até 10 km com fibra monomodo.

Por ser mais barata. Utiliza a mesma tecnologia utilizada em CD-ROM. por isso seu custo reduzido. seu alcance é menor chegando no máximo a 500 m. 52   .PADRÕES ETHERNET  1000BASE-SX (1Gbps):  Também é um padrão para fibra ótica. mais barata pois utiliza tecnologia short-wave laser. porém.

53   .PADRÕES ETHERNET  1000BASE-CX (1 Gbps):  Padrão para cabos de par trançado blindado de alcance de. 25 m. Praticamente desapareceu depois do surgimento do 1000BASE-T. Foi pouco usado por sua limitação de distância se limitando a datacenters. no máximo.

6a: 100 m).  10GBASE-SR (Fibra monomodo: 300 m).  10GBASE-CX4 (Cobre par trançado: 15 m).   54 .  10GBASE-T (Cobre par trançado cat.  10GBASE-LRM (Fibra multimodo: 220m).  10GBASE-ZR (Fibra: 80 km). Os padrões são: 10GBASE-LR (Fibra: 10 km).PADRÕES ETHERNET  10 Gigabit Ethernet (10 Gbps):  Escala final dos padrões.  10GBASE-ER (Fibra: 40 km). onde a velocidade de transmissão é 10 vezes maior que o anterior.

DISPOSITIVOS FÍSICOS  Os dispositivos físicos mais comuns para montar redes são:      Repetidores. Switches. Hubs. Roteadores. 55 . Bridges (pontes).

Trabalha na camada 1 (OSI).DISPOSITIVOS FÍSICOS  Repetidores:   Realimentam sinais elétricos para estender alcance de cabos. 56 .

Trabalha na camada 1. 57 .DISPOSITIVOS FÍSICOS  Hubs:   Espalham os sinais que chegam nele para todos que estão conectados.

Trabalham na camada 2 (OSI) e usam endereço MAC para rotear pacotes.DISPOSITIVOS FÍSICOS  Switches:   Interliga hospedeiros de uma LAN sem espalhar o sinal para outros hospedeiros. 58 .

DISPOSITIVOS FÍSICOS  Switches:  Um switch pode operar de 4 formas:  Cut-through: transmite o pacote imediatamente ao identificar o endereço de destino.  Store-and-Forward: o switch armazena o pacote em memória para fazer verificação de erros para depois enviar. 59 .

mas pode alternar para store-and-forward caso haja muito erro de pacotes ou quando há enlaces com diferentes velocidades. 60 .DISPOSITIVOS FÍSICOS  Switches:  Um switch pode operar de 4 formas:  Adaptive cut-through: opera inicialmente em cutthrough. Pouco relevante com o full-duplex.  Fragment-free: recebe os primeiros 64 bytes para poder garantir que não houve colisão.

DISPOSITIVOS FÍSICOS  Switches:  Existem switches gerenciáveis (interface web). Existem switches de camada 3. onde também fazem roteamento utilizando endereços IP (não apenas MAC).  61 .

etc. Ex: redes sem fio e cabeadas. coaxiais e de par trançado.DISPOSITIVOS FÍSICOS  Bridges:   São dispositivos que trabalham na camada 2 (OSI) para interligar duas LANs. LAN A LAN B 62 . Essas LANs podem ser de tecnologias diferentes.

DISPOSITIVOS FÍSICOS  Roteadores:   São o topo da cadeia evolutiva. 63 . pois interligam redes distintas calculando a melhor rota. Operam na camada 3 (OSI) e utilizam endereços IP para rotear pacotes.

como a própria internet. enquanto roteadores interligam várias redes formando redes ainda maiores.DISPOSITIVOS FÍSICOS  Roteadores:  A diferença básica entre switch e roteador é que switches interligam vários computadores formando uma rede. 64 .

DISPOSITIVOS FÍSICOS 65 .

66 .TOPOLOGIAS  Topologia define a estrutura de interconexão física (não é disposição) das várias estações que compõem uma rede.

67     . Estrutura simples em relação à quantidade de ítens utilizados no cabeamento. As falhas são difíceis de localizar.TOPOLOGIAS  A topologia em barramento apresenta uma configuração multiponto onde todas as estações ou nós conectam-se ao mesmo meio físico de transmissão. Todos os hosts são diretamente conectados a este cabo (backbone). Uma topologia em barramento usa um único cabo que é terminado em ambas as extremidades.

Possui enlaces não dedicados (compartilhados entre todos os hosts do anel) ponto a ponto entre dois hosts. retransmitindo os sinais para o próximo dispositivo de rede até que seja encontrado o destinatário. 68   .TOPOLOGIAS  Na topologia Anel ou Ring os sinais circulam na rede em um único sentido e cada estação serve como repetidora. Na falha de uma estação toda a rede é interrompida.

Estrela estendida (extended star) . fácil de instalar e de monitorar. Esta topologia pode estender o escopo e a cobertura da rede. É mais tolerante a falhas.TOPOLOGIAS  Na Topologia Estrela todas as estações estão conectadas a um dispositivo concentrador. Todos os hosts comunicam-se com um nó central que distribui a comunicação para os demais nós.   69 .Une estrelas individuais ao conectar os hubs ou switches.

Cada enlace é dedicado entre dois hosts.TOPOLOGIAS  Na topologia em malha.    70 . Cálculo do número de enlaces: n(n-1)/2. todos os nós são interligados com todos os outros nós ponto a ponto. Difícil de ser implementada e configurada.

onde se utilizava a rede telefônica para transmitir dados.OPÇÕES  DE ACESSO Acesso discado:  Utilizado a partir de 1995. 71    . Era necessário modem para converter o sinal digital para analógico. Velocidade máxima de 56 kbps. Ocupava a linha telefônica enquanto conectado.

72    . Por isso o nome: Asymmetric Digital Subscriber Line.OPÇÕES  DE ACESSO Acesso ADSL:  Utiliza frequência diferente da de voz. sendo esta maior que aquela. A frequência para upload é diferente da de download. Utiliza a fiação de rede telefônica.

OPÇÕES  DE ACESSO Acesso ADSL: 73 .

  O cabo é compartilhado com vários assinantes.OPÇÕES  DE ACESSO Acesso via cabo:  Utiliza cabeamento de TV por assinatura (Coaxial). 74 . Também utiliza frequências diferentes da TV. diminuindo assim a banda disponível.

2004. Porto Alegre: Sul Editores.  KUROSE.BIBLIOGRAFIA TANENBAUM. 2010. Redes de computadores e a internet: uma nova abordagem. Andrew S. Rio de Janeiro: Campus. Carlos E. 2003.  MORIMOTO. Redes: Guia Prático.  75 . James F. Redes de computadores. São Paulo: Pearson Addison Wesley.