IBP1202_12 AUMENTO DA PRODUÇÃO E RECUPERAÇÃO DE PROPENO EM UMA UNIDADE DE FCC DA PETROBRAS Elisângela M. Penna1, Andrea de R. Pinho 2, Marcelo S.

Wolff3

Copyright 2012, Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis - IBP Este Trabalho Técnico foi preparado para apresentação na Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012, realizado no período de 17 a 20 de setembro de 2012, no Rio de Janeiro. Este Trabalho Técnico foi selecionado para apresentação pelo Comitê Técnico do evento, seguindo as informações contidas no trabalho completo submetido pelo(s) autor(es). Os organizadores não irão traduzir ou corrigir os textos recebidos. O material conforme, apresentado, não necessariamente reflete as opiniões do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Sócios e Representantes. É de conhecimento e aprovação do(s) autor(es) que este Trabalho Técnico seja publicado nos Anais da Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012.

Resumo
O propeno é uma das principais matérias primas petroquímicas e sua demanda vem crescendo rapidamente nos últimos anos. Projeções para os próximos anos indicam que o crescimento da produção de propeno via pirólise tende a ser menor do que o crescimento da demanda de eteno, criando um déficit na oferta deste produto. As unidades de FCC encontram-se em posição única para suprir este aumento na demanda por propeno devido à sua flexibilidade operacional. Embora sua principal aplicação nas últimas décadas tenha sido a produção de gasolina, a unidade de FCC é frequentemente explorada para maximizar outros produtos, tais como destilados médios ou GLP. Na seção de conversão do FCC, a elevação do rendimento de propeno inclui algum aumento da severidade reacional, que pode ser obtido através de uma maior temperatura de reação além do uso de aditivo catalítico à base de zeólita ZSM-5. Porém, além da maximização da produção de propeno no reator, um segundo objetivo deve ser perseguido: o aumento da recuperação do propeno na seção de recuperação de gases. Nesta seção, o rendimento final é afetado pelo desempenho do compressor de gases, o projeto dos equipamentos e esquema do processo. Eventualmente, novos equipamentos podem ser instalados, tais como chillers, visando à melhoria do sistema de absorção. Prevendo um real aumento na demanda por propeno no mercado nacional, este trabalho propõe-se a avaliar a adequação da seção de recuperação de gases de uma unidade de FCC da Petrobras, analisando os impactos que um novo perfil de rendimentos de produtos, onde se dobra a produção de propeno em relação à operação convencional, causaria sobre esta unidade. No trabalho foram identificadas as principais limitações e modificações que seriam necessárias para uma operação buscando a maximização da produção de propeno, além de sugestões de mudanças no hardware da unidade.

Abstract
Propylene is one of the major petrochemical raw materials and its demand has been growing rapidly in recent years. Projections for future years indicate that the growth in propylene production via pyrolysis tends to be lower than the growth in the demand for ethylene, creating a supply deficit of this product. The FCC units are in a unique position to meet this increase in propylene demand due to its operational flexibility. Although their primary function in recent decades has been the gasoline production, FCC units are often operated for maximizing other products, such as LPG or distillates. At the FCC conversion section, the increase of propylene yield requires some increase in reaction severity, which can be obtained by increasing reactor riser temperature, and the use of catalyst additives based on ZSM-5. However, besides maximizing the propylene production in the reactor, a second objective should be pursued: the propylene recovery increase in the gas recovery section. In this section, the yield is affected by the gas compressor performance, the equipment design and process scheme. Eventually, new equipments may be installed, such as chillers, aimed at improving the absorption system. Predicting a real increase in propylene demand in the Brazilian market, this study aims to evaluate the adequacy of the gas recovery section of a Petrobras FCC unit, analyzing the impacts that a new products yields profile, which bend the propylene production compared to a conventional operation, would cause on this

______________________________ 1 Engenheira de Processamento Pleno - Petrobras 2 Mestre, Consultora Sênior - Petrobras 3 Consultor - Petrobras

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 unit. In this paper, the main limitations and modifications that would be needed for an operation were identified, aiming at maximizing the propylene production, as well as proposed changes in the hardware of the unit.

1. Introdução
O propeno é uma das principais matérias primas petroquímicas e sua demanda vem crescendo rapidamente nos últimos anos. As projeções para o consumo de propeno nos próximos vinte anos também indicam crescimento constante no mercado mundial, o que se deve, principalmente, ao aumento da demanda por polipropileno. Adicionalmente, o propeno também é usado para produzir acrilonitrila, óxido de propeno, cumeno, ácido acrílico, uma série de álcoois e outros produtos. O processo de pirólise (steam cracking) existente nas Centrais Petroquímicas continua sendo a principal fonte de produção de propeno no mundo. Porém, neste processo o eteno é o produto principal, sendo o propeno apenas um subproduto reacional. As unidades de Craqueamento Catalítico, ou FCC, existentes na maioria das refinarias de petróleo, são a segunda maior fonte de propeno no mundo e o mesmo é um subproduto da produção de gasolina, dos destilados médios e do GLP. Unidades de FCC localizadas em regiões no mundo com alta demanda por gasolina, a exemplo da América do Norte, são responsáveis pelas maiores participações na produção de propeno para uso como matéria prima na indústria petroquímica. Outras tecnologias, como metátese de olefinas e desidrogenação de propano, ainda representam uma parcela apenas minoritária na produção mundial de propeno, mas em breve poderão ser estratégicas para suprir o aumento desta demanda. Por outro lado, as projeções para os próximos anos indicam que o crescimento da produção de propeno via pirólise tende a ser menor do que o crescimento da demanda de eteno, criando um déficit na oferta deste produto. Há duas principais razões para isto: as novas unidade de pirólise que estão sendo instaladas no Oriente Médio são predominantemente baseadas em gás natural, o qual apresenta rendimento de propeno menor que o obtido quando é utilizada nafta como matériaprima; o uso do gás de xisto no mercado norte-americano, muito mais vantajoso economicamente, substitui as cargas líquidas também diminuindo a produção de propeno na pirólise. Este déficit tende a aumentar no futuro dando oportunidades para as unidades de FCC e outras tecnologias suprirem o mercado de propeno. A Figura 1 apresenta uma projeção do crescimento da demanda de propeno e o aumento do percentual da participação de sua produção através de revamps de unidades de FCC e ainda de novas unidades de FCC que operarão em modo de produção para maximização de petroquímicos.
Delta Milhões de Toneladas Métricas por Ano (Base 2010)

40 35 30 25 20 15 10 5 0 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020

FCC Máx Propeno Refino & Petroquímica Pirólise

Figura 1. Previsão de aumento da demanda de propeno por processo, FCC para maximização de propeno, refino e petroquímica, pirólise, em relação a 2010 (Fonte: CMAI 2010, World Light Olefins Analysis). As unidades de FCC encontram-se em posição única para suprir este aumento na demanda por propeno devido à sua flexibilidade operacional. Embora sua principal aplicação nas últimas décadas tenha sido para produção de gasolina, a unidade de FCC é frequentemente explorada para maximizar outros produtos, tais como destilados médios ou GLP. A 2

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 maximização da produção de GLP pode ser considerada um passo intermediário rumo ao modo de operação petroquímico, uma vez que pode proporcionar também maior produção de insumos para esta indústria. O rendimento médio de propeno nas unidades de FCC da Petrobras que operam com cargas oriundas da Bacia de Campos é cerca de 5% em peso em relação à carga fresca. Entretanto, muitas das novas unidades de FCC que serão construídas no mundo ao longo dos próximos dez anos produzirão rendimentos de propeno muito maiores, algumas com valores tão altos quanto 20% em peso. No entanto, as unidades de FCC existentes também podem tirar proveito da forte demanda de propeno implementando modificações para otimizar tanto sua produção quanto sua recuperação. Na seção de conversão do FCC, onde ocorrem as reações de craqueamento catalítico, a elevação do rendimento de propeno inclui algum aumento da severidade reacional, que pode ser obtido através de uma maior temperatura de reação. Além disso, o uso de aditivo catalítico à base de zeólita ZSM-5, que realiza a quebra de hidrocarbonetos na faixa da nafta em olefinas mais leves, é essencial. Adicionalmente, pode ser alterada a pressão parcial e total do reator e realizadas ainda algumas modificações no hardware do conversor. Estas alterações podem facilmente dobrar a produção propeno de 5% para 10% em peso em relação à carga fresca. Porém, além da maximização da produção de propeno no reator, um segundo objetivo deve ser perseguido: o aumento da recuperação do propeno na seção de recuperação de gases. Nesta seção, o rendimento final é afetado pelos seguintes fatores: desempenho do compressor de gases, o projeto dos equipamentos e esquema do processo. Além disso, alterações nas condições operacionais das torres de fracionamento e de absorção, especialmente a absorvedora primária, responsável pela maior parte da recuperação do propeno podem auxiliar nesta recuperação. Eventualmente, novos equipamentos podem ser instalados, tais como chillers, visando à melhoria do sistema de absorção. Assim, prevendo um real aumento na demanda por propeno no mercado nacional, este trabalho propõe-se a avaliar a adequação da seção de recuperação de gases de uma unidade de FCC da Petrobras, analisando os impactos que um novo perfil de rendimentos de produtos, onde se dobra a produção de propeno em relação à operação convencional, causaria sobre esta unidade. No trabalho foram identificadas as principais limitações e modificações que seriam necessárias para uma operação buscando a maximização da produção de propeno. Também são apresentadas sugestões de mudanças no hardware da unidade visando à adequação da mesma frente a um futuro aumento de sua produção e recuperação.

2. Obtenção do Perfil de Rendimentos dos Produtos
Na etapa inicial deste trabalho foi previsto um perfil de rendimento dos produtos de uma unidade de FCC da Petrobras visando à maximização de propeno. O estudo foi realizado para uma única unidade, que possui potencial para comercialização do propeno excedente produzido, caso no futuro venha a ser realizada uma revamp na unidade com este propósito. Para prever um possível aumento no rendimento de propeno da unidade de FCC escolhida, se fez necessário a realização de testes em escala piloto de FCC da Petrobras no seu Centro de Pesquisas, o CENPES, tendo sido utilizada a unidade-piloto DCR (Davison Circulating Riser). Esta unidade-piloto reproduz em grande parte a seção de conversão de um FCC industrial, sendo equipada com um reator pseudo-adiabático e regeneração contínua do catalisador. Com a utilização deste equipamento foi possível prever um perfil de rendimento de produtos a partir do aumento de severidade do reator, isto é, aumento da temperatura de reação (TRX), relação catalisador óleo e temperatura de carga combinada (TCC). Juntamente com o aumento da severidade também foi possível avaliar o efeito na mudança do sistema catalítico da unidade com a utilização do aditivo ZSM-5 ao catalisador. A carga utilizada durante a realização dos testes na planta piloto foi 100 % gasóleo pesado oriundo de petróleo da Bacia de Campos, com características semelhantes à carga utilizada na unidade industrial escolhida. Foram realizadas ao todo 38 corridas na planta piloto em duas temperaturas de reação, 545 e 560°C, dentro da faixa de operação normalmente empregada nos FCC’s convencionais. A circulação do catalisador, e consequentemente a severidade operacional, foi alterada através da variação da temperatura da carga entre 120 e 370°C. A zeólita ZSM-5 foi misturada a um catalisador comercial (e-cat) recolhido em refinaria em diferentes proporções, produzindo misturas com as seguintes concentrações de ZSM-5: 0, 2, 4, 8, até 12% em peso. A Figura 2 abaixo mostra a variação do rendimento de propeno com os diferentes teores de zeólita ZSM-5 no catalisador para estas duas temperaturas de reação.

3

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012

Figura 2. Gráfico de % em peso de Propeno x ZSM-5. É possível observar nesta primeira análise que o aumento da temperatura de reação de 545 para 560 ºC, juntamente com a adição de 4% em peso de ZSM-5 ao catalisador possibilitam quase a duplicação da quantidade de propeno em relação ao valor original. O caso estudado para este trabalho analisa quais as mudanças deverão ser realizadas na unidade a partir do impacto no perfil de rendimento de produtos obtido através da elevação da temperatura de reação, de 545°C para 560°C, e pela adição 4% de ZSM-5 ao inventário catalítico, ou seja, os impactos causados pelas diferenças entre o perfil de rendimentos (1) e o perfil (2) na Tabela 1. Nesta tabela podem ser encontrados ainda mais dois perfis de produtos obtidos com a temperaturas de reação em 560°C e concentrações de ZSM-5 no catalisador de 8 e 12% em peso. A faixa de GLP engloba compostos com 3 ou 4 átomos de carbono. A nafta craqueada, normalmente produzida para incorporação ao pool de gasolina, compreende compostos com mais de 5 átomos de carbono até um ponto final de destilação de 220°C. O LCO (Light Cycle Oil) corresponde à fração de produtos líquidos com faixa de destilação entre 220-344°C, enquanto o ODEC (Óleo Decantado) compreende a faixa com ponto de destilação superior a 344°C. Tabela 1. Perfis de rendimentos teóricos obtidos pela unidade-piloto.
Colunas Perfis TRX (°C) % ZSM-5 Gás Ácido Gás Comb. sem Eteno Eteno Alcanos do GLP Propeno Iso-buteno Butenos lineares Nafta Craqueada LCO ODEC Coque Total 1 Perfil de Rendimentos (%p) (1) 545 0 0,2 2,2 1,1 3,4 4,9 1,8 4,7 44,0 15,4 14,9 7,4 100,0 2 Perfil de Rendimentos (%p) (2) 560 4 0,2 2,3 1,7 3,8 9,6 2,7 5,3 40,0 15,0 12,0 7,4 100,0 3 Perfil de Rendimentos (%p) (3) 560 8 0,2 2,2 2,0 3,9 10,9 2,9 5,7 37,2 14,9 12,8 7,4 100,0 4 Perfil de Rendimentos (%p) (4) 560 12 0,2 2,1 2,2 3,9 11,7 3,1 5,9 34,9 14,8 13,8 7,4 100,0 5 Delta de Rendimentos (2) – (1) 0,0 0,1 0,6 0,4 4,7 0,9 0,6 -4,0 -0,4 -2,9 0,0 6 Delta de Rendimentos (3) – (2) 0,0 -0,1 0,3 0,1 1,3 0,2 0,4 -2,8 -0,1 0,8 0,0 -

(1): e-cat UFCC Petrobras, TRX= 545 °C com 0% ZSM-5; (2): e-cat UFCC Petrobras, TRX= 560 °C com 4% ZSM-5; (3): e-cat UFCC Petrobras, TRX= 560 °C com 8% ZSM-5; (4): e-cat UFCC Petrobras, TRX= 560 °C com 12% ZSM-5. De acordo com as informações da Tabela 1, partindo do perfil (1) para o perfil (2), ou seja, a elevação da temperatura de reação de 545 para 560°C associada ao aumento do conteúdo de ZSM-5 no catalisador proporciona a 4

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 obtenção de um ganho no rendimento de propeno de 4,7 % p.. O aumento adicional de ZSM-5 de 4% para 8%, perfil (2) para perfil (3), contribui para uma elevação de apenas 1,3 % p. no propeno. Uma nova elevação no conteúdo de ZSM-5 para 12%, no perfil (4) fornece um ganho ainda mais reduzido, evidenciando a existência de um patamar no rendimento de propeno. Além disso, o aumento incremental de propeno é sempre acompanhado de um aumento da produção de correntes mais pesadas (ODEC), que possuem menor valor de mercado, e diminuição da corrente de nafta craqueada, destinada ao pool de gasolina. Desta forma, foi escolhido o caso de estudo descrito no perfil (2) com conteúdo de 4% de ZSM-5 no catalisador e temperatura de reação de 560°C, pois além de proporcionar uma elevação significativa no rendimento de propeno, fornece um perfil de produtos mais equilibrado, com baixa produção de correntes líquidas pesadas e ainda otimiza o uso da zeólita ZSM-5, cujo custo é mais elevado que o do catalisador comum de FCC com zeólita Y. Vale ressaltar que os perfis apresentados na Tabela 1 são os rendimentos teóricos dos produtos da unidade e representam os produtos gerados no conversor do FCC, isto é, antes de serem alimentados na seção de fracionamento e recuperação de gases. Desta forma, devido a limitações do processo, sempre haverá perdas entre as frações, apresentadas na Tabela 1, durante a separação dos produtos na unidade. Além disso, foi realizado um tratamento dos dados indicados no perfil (2) através do simulador SimCraqOT, simulador proprietário da Petrobras, o que permitiu uma adequação dos rendimentos frente aos obtidos em uma unidade de FCC industrial.

3. Impactos do Novo Perfil de Rendimentos na Unidade de FCC em Estudo
O aumento da produção de propeno na seção de conversão do FCC deve ser acompanhado por melhorias na seção de recuperação de gases para que não haja perdas deste produto. Desta forma, torna-se necessário saber como comprimir, esfriar e recuperar os produtos leves que foram produzidos a mais pela introdução deste novo perfil de produção. O perfil de rendimento dos produtos gerado poderá influenciar não só a capacidade requerida para o soprador como também o compressor de gases, assim como, as pressões de operação da planta, taxas do óleo de absorção para as absorvedoras e outros parâmetros de projeto. À medida que o rendimento de propeno aumenta, maiores são as cargas para os equipamentos, requerendo desta forma, mudanças que visam ao aumento de capacidade para manutenção da mesma recuperação de propeno anteriormente praticada pela unidade. É praticamente impossível aumentar esta recuperação sem investimento. Logo, em uma revamp, a melhor estratégia de custo-benefício depende largamente do hardware e dos limites reais dos equipamentos já existentes. Como o compressor de gases é o equipamento de maior custo da seção de recuperação, conhecer em avanço os limites deste equipamento torna-se uma tarefa essencial. Medidas efetivas para desengargalar o compressor de gases existente podem reduzir em 50% ou menos o investimento em relação a um novo compressor. À medida que a produção de propeno aumenta a recuperação torna-se mais difícil, porque mais compostos C3 e C4 precisam ser absorvidos e mantidos na corrente de GLP. Assim, a perda de compostos C3+ pelo gás combustível aumentará com a maior produção de propeno, se nenhuma condição operacional ou de projeto for modificada na unidade. A grande maioria das unidades de FCC é projetada para uma perda de 3 % molar e, em média, a corrente de C3+ apresenta entre 50 a 70 % molar de propeno. Com relação às medidas para aumentar a recuperação dos compostos de C3+ do gás combustível, uma série de ações a seguir podem ser executadas na unidade: aumentar o reciclo de nafta desbutanizada para a torre absorvedora primária, já que pode absorver mais compostos C3 e C4, por ser mais pobre que a nafta instabilizada em relação a compostos C4 e mais leves; maximizar a pressão de operação da absorvedora secundária até o limite do compressor de gases; diminuir as temperaturas das alimentações líquidas e gasosas para as torres absorvedora primária e secundária, podendo ser instalados permutadores para alcançar este objetivo; substituir os pratos convencionais das absorvedoras por pratos de alta capacidade ou recheios visando o aumento da eficiência de absorção destes equipamentos. Inicialmente foi criada uma simulação com o intuito de representar as condições operacionais da seção de recuperação de gases obtidas em um dia de teste industrial na unidade (simulação 1), isto é, temperaturas, vazões e perfil de pressão, que possibilitou criar um modelo e montar a sequência de módulos e parâmetros termodinâmicos ajustados para aquele determinado dia. Uma segunda etapa deste trabalho consistiu na verificação dos impactos na unidade de FCC pela introdução do novo perfil de rendimento dos produtos na simulação anteriormente criada para representar a unidade (simulação 2). O novo perfil de rendimento de produtos apresenta um rendimento de propeno duas vezes maior em relação ao praticado no dia de teste. Mas não apenas o propeno teve um crescimento expressivo como também os compostos com 2 e 4 átomos de carbono. Este fato está refletido no aumento da vazão volumétrica na sucção do compressor de gases e na diminuição do peso molecular desta corrente. 5

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 Resumidamente, dois fatores foram críticos para a unidade com a mudança do perfil em relação ao dia do teste industrial: primeiro foi o aumento da vazão volumétrica na sucção do primeiro e segundo estágio do compressor, 43 e 27% respectivamente, e segundo, o aumento em aproximadamente 4 vezes da perda molar de compostos C3+ no gás combustível, isto é, um aumento de 2,5 para 10,1 % molar. Considerando que em média a corrente de C3+ no gás combustível contém 60% de propeno, e que, do propeno que compõe a corrente de GLP 94% é recuperado, esta mudança de perfil causaria uma perda de aproximadamente 3 ton/h de propeno como produto final (Tabela 3), caso nenhuma condição operacional ou de projeto fosse modificada na unidade para reduzir a perda para 3 % molar. Também houve um aumento na carga térmica dos condensadores de interestágio do compressor de gases e dos condensadores de alta pressão. Estes valores aumentaram consideravelmente, 31 e 13% em relação ao praticado no teste industrial, devido principalmente ao aumento da vazão volumétrica para o compressor de gases. Outro fator já esperado foi o aumento das vazões de vapor que alimentam a torre absorvedora primária e a torre absorvedora secundária, em 38 e 56%, evidenciando o aumento da vazão de gás combustível, 57%, ocasionado principalmente pelo aumento da perda dos compostos de C3+. Uma avaliação rigorosa no compressor de gases da unidade foi realizada principalmente pelo aumento considerável da vazão volumétrica para os dois estágios da máquina. Esta mostrou que, para possibilitar a alteração para o novo perfil de rendimentos sem prejudicar o funcionamento do compressor, seria necessária a redução da perda de carga entre o vaso separador e a sucção do equipamento entre 100 e 200 gf/cm². Esta redução pode ser alcançada através do aumento da pressão no vaso separador, troca dos internos da fracionadora principal por pratos de alta capacidade ou recheios, alteração no projeto do sistema de topo e/ou nos condensadores de topo da fracionadora.

4. Sugestões de Mudanças Operacionais para Adequação da Unidade ao Novo Perfil de Rendimentos
A partir da identificação dos principais impactos na unidade, algumas simulações foram realizadas com o intuito de adequá-la para um patamar factível de operação, reduzindo a vazão que alimenta o compressor e a perda de C3+ a valores aceitáveis, minimizando desta forma, mudanças no projeto dos equipamentos. As simulações subseqüentes foram realizadas em etapas, onde cada uma introduziu uma mudança significativa à unidade. Seguindo esta estratégia, foi possível investigar quais mudanças operacionais seriam as mais efetivas para a adequação da unidade. A terceira simulação realizada (simulação 3) teve como objetivo ajustar a vazão do óleo de absorção enviado para a torre absorvedora primária, a qual, devido ao efeito da ZSM-5, havia sofrido inicialmente uma redução na vazão de nafta instabilizada oriunda do vaso de topo da fracionadora em 14% em relação ao dia do teste industrial. Para compensar esta diminuição, a vazão de reciclo de nafta estabilizada foi aumentada até o limite de capacidade da bomba de reciclo. A simulação visou apenas à redução da perda de compostos de mais de 3 átomos de carbono no gás combustível, já que há pouca ou nenhuma influência do aumento deste reciclo sobre a vazão volumétrica para o compressor. Com o aumento do reciclo de nafta estabilizada foi possível melhorar a relação L/V na torre absorvedora primária e com isto melhorar a absorção. Assim, foi obtida melhora na recuperação de C3+ na absorvedora primária e redução na perda de C3+ no gás combustível de 10,1 para 8,7 % molar. Uma quarta simulação (simulação 4) foi criada para avaliar o efeito da redução da temperatura de operação de saída, do lado do processo, dos condensadores de topo, interestágio, aftercoolers e do resfriador intermediário da absorvedora primária para 38ºC. Estas modificações visavam tanto à redução da vazão volumétrica dos gases que alimentam o compressor como à redução da perda de compostos C3+. Durante o dia de teste industrial da unidade os permutadores mencionados operaram com uma temperatura superior a 38°C, cabendo uma análise junto à refinaria para identificar porque os permutadores não atingem esta temperatura durante uma operação normal já que os mesmos foram projetados para esta temperatura, exceto os condensadores de alta pressão que foram projetados para 41 ºC. Além de subdimensionamento quanto a área de troca térmica dos permutadores, outra possibilidade seria a falta de água de resfriamento. Vale destacar que as demais modificações realizadas na simulação 3 foram mantidas nesta simulação 4. A redução da temperatura de saída do fluido quente para os permutadores mencionados apresenta um grande ganho para a operação voltada para a maximização de propeno. Somente com a redução da temperatura para 38ºC, a perda de C3+ no gás combustível foi reduzida de 8,7 para 5,7% molar. Porém, de acordo com avaliações dos equipamentos, apenas os permutadores de interestágio estariam aptos a resfriar o fluido quente de processo para 38 ºC. Assim, para um estudo econômico foram considerados 3 novos permutadores, considerando que os mesmos trabalhariam em paralelo com os equipamentos existentes. Logo, embora as mudanças acima sugeridas estivessem voltadas para simples mudanças de cunho operacional, alguns equipamentos não estariam aptos para atingir estas novas condições, mostrando a necessidade de alteração no projeto de alguns equipamentos e/ou a inserção de novos. 6

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012

5. Sugestões de Mudanças no Hardware da UFCC para Adequação do Novo Perfil de Rendimentos
Dando continuidade a avaliação da unidade frente à mudança no perfil de rendimento dos produtos, outras sugestões são feitas adiante, buscando principalmente a redução da perda de compostos de C3+ no gás combustível a patamares operacionalmente aceitáveis, o que tem uma relação direta com a produção de propeno. Ao contrário das sugestões anteriores, as próximas sugestões demandarão a priori mudanças no projeto dos equipamentos da unidade existente. 5.1. Aumento do Reciclo de Nafta Craqueada Acima da Capacidade da Bomba Na nova proposta, foi adicionado a uma quinta simulação (simulação 5), um controlador para fixar a perda de compostos C3+ em 3,0 % molar na corrente de topo da absorvedora secundária, isto é, no gás combustível. Para que fosse possível atingir esta especificação, a vazão do reciclo de nafta craqueada para a absorvedora primária foi a variável manipulada. Para reduzir a perda de compostos de C3+, até o valor estipulado, seria necessário aumentar a capacidade nominal de bombeamento da nafta craqueada de reciclo em duas vezes e meia. Este aumento causaria reflexos de diferentes proporções em todo o circuito da nafta craqueada de reciclo, isto é, na própria bomba de reciclo de nafta craqueada, na torre absorvedora primária, nos condensadores de alta pressão, no vaso de alta pressão, na bomba de carga da retificadora, na retificadora, desbutanizadora, nos refervedores da desbutanizadora e nos resfriadores finais de nafta craqueada. É importante notar que a redução da perda dos compostos de C3+ para 3 % molar poderia ser atingida. Porém, além de demandar mais que o dobro da vazão do reciclo de nafta craqueada original, seriam necessárias alterações nos seguintes equipamentos: nova bomba de reciclo de nafta craqueada, modificações na bomba de carga da retificadora, troca dos internos da absorvedora primária e da fracionadora principal, adição de um condensador a ar no topo da fracionadora principal, novos condensadores de alta pressão e de topo da torre desbutanizadora, novo refervedor para a torre retificadora e adição de resfriadores finais de nafta craqueada. 5.2. Recontato das Correntes de Nafta Instabilizada com a Nafta Craqueada de Reciclo O maior rendimento de propeno é acompanhado por uma vazão maior de vapores oriundos do vaso de alta pressão, o que aumenta a quantidade de compostos C3 e C4 a serem absorvidos. Este aumento eleva a temperatura na absorvedora primária devido ao calor latente dos componentes absorvidos. Intercoolers ou permutadores de recontato podem ser uma opção para a remoção deste calor no sentido de aumentar a capacidade de absorção. De acordo com a configuração típica da absorvedora primária, apresentada na Figura 3, a torre pode conter um pumparound que auxilia na remoção de calor deste equipamento, semelhante à configuração da unidade de FCC avaliada neste trabalho.

Figura 3. Esquema tradicional da absorvedora primária. Para o recontato o arranjo apresentado em alguns artigos da literatura sugere a mistura das correntes de nafta instabilizada e reciclo de nafta craqueada com a corrente de vapor de topo da absorvedora primária. Após a mistura, a corrente resultante é resfriada e o condensado que é recolhido no vaso passa a ser carga líquida no topo da torre 7

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 absorvedora primária. A parcela não condensada é a carga da torre absorvedora secundária, e caso uma fase aquosa seja formada, esta corrente poderá ser enviada para a unidade de águas ácidas, juntamente com as demais correntes aquosas da unidade. Basicamente passariam a existir três novos equipamentos na unidade, que incluiria um permutador casco-tubo trocando calor com água de resfriamento, um vaso e uma bomba para a carga líquida do topo da torre. Os mesmos estariam localizados entre a torre absorvedora primária e a torre absorvedora secundária, como representado na Figura 4. Uma sexta simulação (simulação 6) foi criada para representar esta nova configuração, que de acordo com os resultados obtidos reduz a perda de compostos C3+ no gás combustível para 4,4 % molar. Em outra opção mais simples de arranjo, também proposta na literatura, somente a corrente de reciclo de nafta craqueada faria o recontato com a corrente de topo da torre, enquanto a corrente de nafta instabilizada continuaria sendo alimentada no primeiro prato da torre absorvedora primária. Porém, os resultados de recuperação de compostos C3+ no gás combustível com este arranjo são inferiores ao anterior, obtendo-se ainda 5,1 % molar (simulação 7).

Figura 4. Proposta de recontato entre as correntes. A simulação criada para representar a mudança no hardware da unidade, baseada na Figura 4, também levou em consideração as mudanças propostas nas simulações do item quatro. Neste caso, foi mantida a capacidade nominal da bomba de reciclo de nafta craqueada. Como foi considerada a utilização de água de resfriamento no novo permutador, a temperatura de saída do lado do processo foi de 38ºC. Comparando os resultados deste caso com a quarta simulação, a perda molar de C3+ foi reduzida de 5,7 para 4,4 % molar, uma redução de aproximadamente 30% após a entrada dos novos equipamentos. Uma avaliação econômica deve ser realizada para avaliar se o investimento nestes novos equipamentos é compensado pela redução de 1,3 pontos percentuais na perda de C3+. 5.3. Utilização de Chillers Na literatura, também encontramos a sugestão da instalação de chillers na seção de recuperação de produtos do FCC para melhorar a absorção dos compostos de C3+ no gás combustível, como por exemplo, na descarga do compressor de gases, no pumparound da absorvedora primária e no permutador do recontato, conforme Figura 5. Porém, de acordo com os artigos, esta sugestão não seria necessária quando o rendimento de propeno estiver abaixo de 12% em peso em relação à carga da unidade de FCC, podendo vir a ser aplicado nestas condições apenas quando houver limitações dos principais equipamentos da unidade. Para valores abaixo de 12 % em peso a recuperação poderia ser realizada preferencialmente com o aumento da nafta de reciclo para a torre absorvedora primária.

8

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012

Figura 5. Proposta de recontato com a utilização de chillers Antes de seguir com a proposta da utilização de chillers na configuração apresentada na Figura 5, foi testada a adição de apenas um chiller por vez na configuração da unidade. O primeiro chiller testado foi o do pumparound da torre absorvedora primária (simulação 8), o segundo inserido na simulação foi o condensador de alta pressão (simulação 9) e por fim o permutador do recontato (simulação 10). Assim, a simulação 9 considerou dois chillers e a simulação 10, três chillers. Foi considerada água refrigerada entrando a 10ºC nos permutadores e a especificação imposta ao equipamento foi um approach de 5ºC entre a temperatura de entrada do fluido frio e a temperatura de saída do fluido quente de processo. Em um primeiro instante os equipamentos existentes não foram verificados nem os novos equipamentos projetados, apenas o efeito qualitativo da introdução de um sistema de água refrigerada em relação à perda de compostos C3+ no gás combustível e da recuperação global de propeno na unidade foi avaliado, conforme apresentado na Tabela 3. Tabela 2. Carga térmica total do sistema de resfriamento.
Serviço Carga Térmica Total (Gcal/h) Simulação 8 1,97 Simulação 9 9,52 Simulação 10 10,12

A carga térmica listada na Tabela 2 para a simulação 10 foi o resultado da soma das cargas térmicas dos chillers instalados no recontato, no condensador de alta pressão e no pumparound da primária. Assim como, o valor apresentado para a simulação 9 representa a soma das cargas térmicas dos chillers instalados no condensador de alta pressão e no pumparound da absorvedora primária. Pode-se verificar que o efeito da introdução do chiller no pumparound da torre absorvedora primária apresenta um valor de carga térmica bastante inferior aos outros dois casos, o que implica na instalação de um ciclo de refrigeração menor, e com patamares de perda de C3+ e produção de propeno na mesma ordem de grandeza dos outros dois casos. Este fato indica um menor custo de investimento na unidade pela introdução de um único chiller no pumparound da absorvedora primária. Tabela 3. Desempenho das simulações quanto à produção e recuperação de propeno.
Simulações Propeno na carga (ton/h) Perda de C3+ no gás combustível (% molar) Propeno no GLP (ton/h) Propeno Produto (ton/h) 1 9,9 2,5 9,5 8,9 2 22,5 10,1 18,8 17,6 3 22,5 8,7 19,4 18,3 4 22,5 5,7 20,7 19,5 5 22,5 3,0 21,9 20,6 6 22,5 4,4 21,1 19,8 7 22,5 5,1 20,9 19,6 8 22,5 3,6 21,6 20,3 9 22,5 3,1 21,8 20,5 10 22,5 1,0 22,6 21,3

A Tabela 3 apresenta de forma resumida o desempenho obtido através das simulações quanto a produção e recuperação de propeno na unidade. Para o cálculo do propeno como produto final foi considerado uma recuperação de 94% do propeno contido no GLP. Este valor foi o mesmo utilizado no projeto da unidade de propeno que fraciona o GLP em propeno e propano da refinaria objeto deste estudo. Observa-se também que a perda de C3+ no gás combustível tem 9

Rio Oil & Gas Expo and Conference 2012 influência direta na produção de propeno e a redução deste valor deve ser sempre perseguida para valores próximos de 3 % molar. Para cada simulação foram sugeridas diferentes propostas de mudanças operacionais e de projeto e, portanto, a escolha do caso otimizado deverá ser feita através de avaliações econômicas individualizadas para cada caso. No próximo item é apresentado um estudo econômico realizado exclusivamente para o caso em que o reciclo de nafta craqueada é aumentado e que neste trabalho foi representado pela simulação 5.

7. Estimativa Preliminar de Custo
Foi realizada uma estimativa preliminar do custo do empreendimento considerando a inserção de novos equipamentos na seção de recuperação de produtos do FCC estudado para o caso onde foi utilizado o reciclo de nafta craqueada para reduzir a perda de compostos C3+ para 3 % molar no gás combustível (simulação 5). Para esta estimativa foram consideradas as modificações e novos equipamentos citados no item 5.1 e apenas o custo dos equipamentos on-site, incluindo custos diretos e indiretos, com data base de novembro de 2011. Foi considerado que o projeto estaria na fase de FEL I para o levantamento de custos, o que implicaria em uma margem de erro entre -30% a + 50%. O programa utilizado para tal análise foi o software Capital Cost Estimator da Aspen Tech, versão 7.3.2. O custo estimado foi de US$ 33.300.000,00 podendo variar entre US$ 23.310.000,00 e US$ 49.950.000,00.

8. Conclusões
A tendência de crescimento do mercado de propeno vem apresentando uma oportunidade econômica para as unidades de FCC que atualmente são a segunda maior fornecedora de propeno para a indústria petroquímica no mundo. A elevação do rendimento de propeno sempre inclui algum aumento da severidade reacional, que pode ser obtido através de uma maior temperatura de reação associado ao uso de zeólita ZSM-5. Além da maximização da produção de propeno no reator, um segundo objetivo deve ser perseguido: o aumento da recuperação do propeno na seção de recuperação de gases. Com a utilização de dados obtidos experimentalmente em escala piloto, foi possível prever um perfil de rendimentos dos produtos proporcionando aproximadamente o dobro do percentual de propeno usualmente produzido em refinaria. A partir destes dados e levando-se em consideração dados obtidos de unidade industrial, foi possível identificar os principais impactos do novo perfil de rendimentos e as modificações que poderiam vir a ser implantados em uma unidade de FCC visando à adequação da mesma frente a um futuro aumento da produção e recuperação de propeno. Por fim, são apresentadas, através de diversos casos de estudo, sugestões de alterações no hardware da unidade para redução da perda dos compostos C3+ no gás combustível, a qual tem influência direta na produção de propeno, e, considerando-se um dos casos analisados, uma estimativa de investimento para adequação da seção de recuperação de produtos visando à minimização desta perda.

9. Referências
KNIGHT, J. and MEHLBERG, R. Creating opportunities from challenges: Maximizing propylene yields from your FCC. National Petrochemical & Refiners Association, San Antonio, 2011. COUCH, K. A.; GLAVIN, J. P.; WEGERER, D. A.; QAFISHEH, J. A. FCC propylene production - closing the market gap by leveraging existing assets. National Petrochemical & Refiners Association, San Antonio, 2007. GOLDEN, S.; PULLEY, R.; DEAN, F. C. Catalyst changes, downstream improvements increase FCC propylene yields. Oil and Gas Journal, 2004. GOLDEN, S.; KOWALCZYK, D.; CAMPAGNA, R. Increase Propylene Production and Recovery. World Refining, 2000. PINHO, A.R.; RAMOS, J.G.F. Avanços no FCC Petroquímico. 6° Encuentro Sudamericano de Craqueo Catalítico, Gramado, 2005.

10