Projetos de Instrumentação

Projeto básico
A estrutura sequencial de um projeto de instrumentação consiste de etapas a serem cumpridas de acordo com a evolução do projeto. Estas etapas podem ser visualizadas no fluxograma mostrado à seguir:

PROJETO BÁSICO

PROJETO DETALHADOO

INSTALAÇÃO e MONTAGEM

COMISSIONAMENTO

START-UP

SEQUÊNCIA DE PROJETO E INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTAÇÃO

Na etapa denominada engenharia preliminar, é quando o projetista terá o contato com os detalhes da planta industrial e agrupará todas estas informações de tal forma a consolidar o objetivo principal do projeto. Na fase da engenharia preliminar faz-se necessário várias reuniões, para que fique bem claro ao projetista de instrumentação, como funciona o processo da planta industrial e todas as necessidades de instrumentação e automação para seu controle, além dos detalhes relacionados ao sistema, tais como: instalações, produto manipulado, meio-ambiente, segurança, classificação de áreas, etc. A instalação e montagem da Instrumentação em uma planta industrial será a implementação de tudo, que foi projetado nas etapas anteriores: de engenharia preliminar e detalhada, sendo geralmente executada por empresas especializadas para tal. O comissionamento tem por finalidade verificar a execução da montagem, confrontando o que foi montado e/ou instalado com o que foi projetado. Nesta etapa, normalmente a(s) empresa(s) responsável(is) pela montagem não participam do comissionamento. O Start-up ou partida é realizado após a conclusão do comissionamento já com as correções necessárias identificadas pelo mesmo, portanto nesta etapa a previsão é encontrar uma quantidade de não conformidades bem menor que na fase do comissionamento, e principalmente permitir ajustes na instrumentação instalada possibilitando a entrega da planta em operação normal. PROJETO BÁSICO......1

Projetos de Instrumentação

Normalmente o investimento em instrumentação/automação fica em torno de 10% do investimento total de uma planta industrial, valor que pode variar de acordo com o tipo de indústria e sua necessidade de automação e controle. Vale lembrar que um bom projeto deve ter como premissa, a colocação da planta em funcionamento no menor tempo possível, com a melhor instrumentação envolvida e com o menor custo possível. Os documentos mais importantes a serem desenvolvidos nesta fase são: ² Critérios de Projeto (“Concept Project”) ² Fluxograma de Processo (“Process Flow Diagram - PFD”) ² Fluxograma de Engenharia (“Piping and Instrumentation – P&I”) ² Folha de dados do Processo “Process Data Sheet” ² Lista de Instrumentos ² Planta de Classificação da Área

Estes documentos serão analisados detalhadamente à seguir.

PROJETO BÁSICO......2

Seleção de válvulas.. Requisitos de instalação de instrumentos Seleção de painéis e salas de controle.3 . Simbologia. um documento denominado “Critérios básicos de projeto de instrumentação / controle e supervisão” que nos permite visualizar melhor a função deste documento. requisitos de equipamentos.. matéria-prima e produto final. unidades e escalas: Sistemas de intertravamento. capacidades do sistema. Alimentação elétrica e pneumática.. Neste documento deve constar objetivo. requisitos de segurança e futuras expansões.. necessidades de controle para o processo. Deve conter as diretrizes básicas para apresentação do projeto.. PROJETO BÁSICO. É mostrado nos anexos. detalhes de construção.Projetos de Instrumentação CRITÉRIOS DE PROJETO Consiste de uma condensação de todos os detalhes sobre o processo e o trabalho a ser realizado. a descrição de processo. tais como: • • • • • • • Seleção de instrumentos.

etc. temperatura. A figura à seguir.). pressão. A 2a. linhas de fluxo e suas características físicas.. as linhas de fluxo e as utilidades. viscosidade. os principais equipamentos de processo. Além das linhas de fluxo. mostra o exemplo de um fluxograma de processo para o projeto exemplo da planta química que estamos estudando... PROJETO BÁSICO. Pode ser dividida em duas partes. não mostrando a instrumentação envolvida. balanço material. vazão e composição.Projetos de Instrumentação DETALHAMENTO DO FLUXOGRAMA DE PROCESSO (PFD – PROCESS FLOW DIAGRAM) O Fluxograma de Processo. é em alguns casos densidade. viscosidade e até calor específico.4 . sendo uma a representação gráfica do processo e a outra uma tabela constando os dados do processo: A 1a.. normalmente na parte inferior do desenho é uma tabela constando os dados do processo. tais como: pressão. também chamado de Balanço Material é um documento geralmente desenvolvido pelo Engenheiro de processo ou engenheiro químico responsável pela planta. sendo que deve ser dada especial atenção às informações de processo que indicam as condições de operação de cada equipamento ou linha (vazão. etc... temperatura. normalmente na parte superior do desenho é uma representação gráfica do processo que mostra os equipamentos.. Esta folha deve mostrar os principais itens do processo.

..5 ..Projetos de Instrumentação PROJETO BÁSICO.

válvulas. que deverá utilizar como base para seu desenvolvimento. Requisitos de by-pass ou válvulas de bloqueio.6 . PROJETO BÁSICO . a menos que necessários à compreensão da função dos instrumentos. Rotâmetros. A figura a seguir mostra o exemplo de um fluxograma de Instrumentação e Processo para o projeto exemplo que estamos estudando.. e caso mais de um instrumento divida este ponto. As malhas de controle serão mostradas de forma detalhada indicando a instrumentação de campo e painel (local ou central) Os acessórios necessários à instalação dos instrumentos não devem ser mostrados neste desenho. Um instrumento que necessite de um ponto de amostra dedicado no topo ou no lado de um vaso deve ser mostrado como um ponto independente no P&I. O diagrama de Processo e Instrumentação (P&I) deve conter as informações mecânicas dos equipamentos e tubulações. motores. devem possuir válvulas by-pass para manutenção Conexões de instrumentos em vasos devem claramente indicar se serão montados no topo ou na lateral. O P&I é um documento de responsabilidade do Engenheiro de Instrumentação. Todos os equipamentos. válvulas de controle ou outros dispositivos instalados em linhas que não possam ser interrompidas. a folha de balanço material (fluxograma de processo) e as orientações de projeto Os seguintes pontos devem ser considerados nos (P&I): Instrumentos In-line e On-line devem estar claramente indicados através de correta simbologia. inclui detalhes do processo e dos equipamentos.. diferentemente do Balanço Material. eles devem estar sendo mostrado na mesma tomada. tubulações.Projetos de Instrumentação DETALHAMENTO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA (P&I – PIPING AND INSTRUMENTATION) O diagrama de Processo e Instrumentação (P&I). instrumentação para controle e seus tags são incluídos em um ou mais desenhos (P&I).. filtros ou válvula de dreno devem estar no P&I com especificação de tubulação e tamanho da linha referenciado.

Projetos de Instrumentação PROJETO BÁSICO ...7 .

.Projetos de Instrumentação PROJETO BÁSICO ..8 .

Projetos de Instrumentação DETALHAMENTO DA FOLHA DE DADOS DE PROCESSO PARA INSTRUMENTAÇÃO “DATA SHEET PROCESS” Deve conter as informações de processo básicas que permitirão a correta seleção e dimensionamento dos instrumentos: serviço. para registrar convenientemente os dados correspondentes à cada condição operacional. deve ser fornecida uma faixa de temperaturas que o mesmo deverá controlar durante o ciclo correspondente à produção da batelada. o engenheiro de instrumentação deve notar a falta desta informação e obtê-la com o engenheiro de processo ou o departamento de produção. Devem ser elaborados utilizando-se formulários padronizados. etc. condições mínimas..9 .. substituir os valores normais por faixas indicando os valores extremos destas variáveis durante um ciclo normal. poderão ser utilizadas diversas linhas da folha de dados. Se qualquer uma das informações necessárias da folha de dados do processo não estiver disponível. nestes casos. • Múltiplas Condições de Operação Nos casos em que um instrumento for sujeito a diferentes condições operacionais com razoável duração e frequência. Nestes casos torna-se difícil e inconveniente caracterizar valores “normais” para algumas variáveis. Do ponto de vista do projeto de processo. são as condições com as quais são feitos os balanços de massa e energia que são registrados no fluxograma de processo. normais e máximas das principais variáveis. Ex. Este caso pode exemplificado co unidades processando diversos tipos de carga.: Para um controlador de temperatura dos reagentes de um reator operando em batelada. condições de alarme. de forma a caracterizar qualquer uma delas como “normal”. Existem sistemas que normalmente não operam em estado permanente. Um exemplo típico destes sistemas seriam reatores processando cargas em batelada. O principal objetivo da Folha de Dados de Processo é agrupar em um único documento todas as informações do processo necessárias para a especificação dos instrumentos. e também com sistemas operando em regime de processamento e regeneração. segurança. PROJETO BÁSICO . DEFINIÇÕES E TERMINOLOGIA UTILIZADA NAS FOLHAS DE DADOS • Condição Normal de Operação Condição na qual uma unidade irá operar para cumprir os requisitos de sua carga nominal. produto.. Recomenda-se.

Vazão máxima é a vazão normal acrescida das folgas estabelecidas pelo processo. Temperatura mínima é a menor temperatura do fluido de processo durante a operação. As temperaturas máxima e mínima geralmente corresponderão à temperatura de projeto mecânico dos equipamentos aos quais os instrumentos estão ligados. Nestas condições. esta pressão máxima corresponde à pressão de ajuste das válvulas de segurança ou outros dispositivos de alívio de pressão que rotegem o sistema. esta pressão corresponde à pressão de projeto mecânico de equipamentos operando à vácuo. A vazão máxima dada pelo processo poderá ser acrescida.. Pressão máxima é a máxima pressão à qual o instrumento poderá ser sujeito durante a operação da unidade. incluindo condições anormais e de emergência. e na qual o instrumento deverá funcionar satisfatoriamente. incluindo condições anormais e de emergência.Projetos de Instrumentação • Definições para instrumentos de vazão Vazão Normal é a vazão correspondente a condição normal de operação. poderão ser tolerados critérios menos rigorosos de precisão e desempenho. incluindo emergências. • Definições para instrumentos de pressão Pressão normal é a pressão correspondente à condição normal de operação. folgas adicionais para enquadrar o instrumento num modêlo comercial ou padronizado. incluindo condições de emergência. PROJETO BÁSICO . Temperatura máxima é a maior temperatura do fluido de processo durante a operação. Pressão mínima é a menor pressão à qual o instrumento poderá ser sujeito durante a operação.10 . Fisicamente. Vazão mínima é a menor vazão na qual o instrumetno deverá funcioanr em condições anormais da unidade. conforme o caso. • Definições para instrumentos de nível Nível normal é o nível correspondente à condição normal de operação. em instalações usuais. • Definições para instrumentos de temperatura Temperatura normal é a temperatura do fluido de processo correspondente à condição normal de operação.. como carga reduzida na partida ou parada.. pela equipe de instrumentação. Esta pressão geralmente corresponde à pressão de projeto mecânico dos equipamentos e tubulações aos quais o instrumento está ligado.

As condições de referência.11 . • Temperatura: Fornecer os valores das temperaturas normal. Para sistemas operando em baixas temperaturas onde a temperatura máxima for a ambiente..20ºC Para vapores e gases... máxima e mínima. Para sistemas operando a temperaturas elevadas. serão: Para líquidos.... máxima e mínima.. • Densidade relativa Para líquidos a densidade relativa será dada em relação à densidade da água na temperatura de referência.. No caso de vazões volumétricas indicar também as condições (temperatura para líquidos... este dado pode ser omitido.. PROJETO BÁSICO ...1. pressão e temperatura para vapores e gases) nas quais a vazão está sendo fornecida.. • Fluido (Estado) Especificar o fluido de processo e entre parêntesis seu estado físico. este valor pode ser omitido....... a montante do elemento primário...Projetos de Instrumentação Nível máximo e mínimo são os níveis extremos esperados durante a operaçõa normal. a densidade relativa será dada em relação ao ar nas condições de referência. Para sistemas não sujeitos a vácuo e não havendo interesse especial em informar a pressão mínima... DADOS PARA INSTRUMENTOS DE VAZÃO • Vazão: Fornecer os valores de vazão normal. assinalar com o número da revisão e a linha na qual este dado se localiza. nas quais a temperatura mínima é a ambiente.. sua indicação é dispensável. • Pressão: Indicara a pressão normal.. Para gases e vapores........013 Bar e 0ºC (CNTP) DETALHAMENTO DE DADOS DA FOLHA • Revisão Quando algum dado constante da folha for revisto. partida e parada.. se o estado físico for evidente a partir da designação do fluido........ salvo indicação em contrário. este valor pode ser dispensado. máxima e mínima.. • Identificação Indicar a identificação do instrumento (“tag”) de acordo com a sistemática adotada.

Quando o instrumento for dotado de escala para indicação sua faixa será escolhida em função da pressão normal. Ponto de Atuação: Quando o instrumento for uma chave de vazão. máxima e mínima. podendo ser feitas omissões. indicálas em notas. a faixa da escala será escolhida em função da temperatura normal. será considerado igual a 1. DADOS PARA INSTRUMENTOS DE PRESSÃO • Pressão: Fornecer os valores de pressão normal. Se por motivo de processo. indicálas em notas. Para gases utilizar o mesmo procedimento ou preferencialmente indicar o peso molecula e fatores de compressibilidade.12 . porém cobrindo também as mínimas e máximas indicadas. conforme caso explanado no item “Dados para instrumentos de vazão”.. DADOS PARA INSTRUMENTOS DE TEMPERATURA • Pressão: Fornecer os valores de pressão normal. Quando o instrumento for dotado de indicação.Projetos de Instrumentação • Densidade: Para líquidos. Fator de compressibilidade: Para vapores e gases informar o valor do fator de compressibillidade nas condições de referência (pressão e temperatura de referência) e nas condições de operação (pressão e temperatura normais). cobrindo também as mínimas e máximas indicadas. PROJETO BÁSICO . • • Viscosidade: Indicar a viscosidade nas condições normais de operação. fornecer a vazão correspondente ao ponto de atuação da chave nas unidades indicadas para as vazões normal. máxima e mínima. • Temperatura: Fornecer os valores da temperatura normal. máxima e mínima. for desejável usar escala suprimida. fornecer as densidades relativas nas condições de referência (temperatura de referência) e nas condições de operação (temperatura normal). • Ponto de Atuação: Quando o instrumento for um pressostato. Se por motivo de processo. A pressão mínima pode ser omitida quando o sistema não for sujeito a vácuo. Se o fator de compressibilidade for omitido. for desejável usar escala suprimida.. A pressão mínima pode ser omitida quando o sistema não for sujeito a vácuo. • • Peso molecular: Informar no caso de vapores e gases. • Temperatura: Fornecer os valores da temperatura normal.. máxima e mínima. máxima e mínima. indicar a pressão correspondente ao ponto de atuação.

Projetos de Instrumentação • Ponto de Atuação: Quando o instrumento for um termostato. indicar o valor da temperatura correspondente ao ponto de atuação..13 ... PROJETO BÁSICO .

FATOR COMPRES. TEMPERATURA E PRESSÃO VAZÃO PRESSÃO ) MÁX. PROJETO BÁSICO . NORMAL MÍN. APROV. OPER. COND. COND. AR COND. PESO VISCOSIDAD MOLECUL E (cp) COND. REF..Projetos de Instrumentacao FOLHA DE DADOS UNIDADE: PROJETO: CLIENTE: Nº REVISÃO FOLHA 0 x de y FOLHA DE DADOS DE PROCESSO PARA INSTRUMENTOS DE VAZÃO. DATA POR VERIF. APROV. ( IDENTIFICAÇÃO FLUIDO TEMPERATURA (ºC) DENSIDADE MÁX. NORMAL MÍN. REVIS. NORMAL MÍN. OPER. REF. PONTO DE ATUAÇÃO NOTAS NOTAS: REVIS.14 . ( ) MÁX.. REVISÃO DATA POR VERIF.

máximo e mínimo. • Fluido: No caso de interfaces líquido/gás ou vapor especificar apenas o fluido inferior. máxima e mínima. • Viscosidade: Indicar a viscosidade do(s) líquido(s) nas condições normais de operação. • Temperatura: Fornecer os valores das temperaturas normal. indicar o nível correspondente ao ponto de atuação da chave.. máxima e mínima. Pressão: Fornecer a pressão normal. • Densidade: No caso de interface líquido/gás ou vapor.15 . informar a densidade relativa do líquido. No caso de interface líquido/líquido. Para sistemas não sujeitos a vácuo. especificar ambos líquidos inferior e superior.. o tipo de acordo com croquis numerados e as dimensões principais em milímetros.Projetos de Instrumentação DADOS PARA INSTRUMENTOS DE NÍVEL • Equipamento: Indicar a identificação do equipamento. fornecer ambas densidades. Poderão ser feitos as mesmas omissões já descritas anteriormente. PROJETO BÁSICO . • • Nível: Indicar os níveis normal. Para interfaces líquido/líquido. a pressão mínima pode ser omitida. • Ponto de Atuação: Quando o instrumento for uma chave de nível.

NORMAIS VISCOSIDAD E (cp) SUPERIOR REVISÃO PONTO DE ATUAÇÃO NOTAS NOTAS: REVIS. DATA POR VERIF. DATA POR VERIF. TEMPERATURA (ºC) MÁX.16 . TIPOS DOS EQUIPAMENTOS PROJETO BÁSICO . APROV.. NÍVEL ( ) MÁX. NORMAL MÍN. DENSIDADE NAS COND.. APROV. REVIS.Projetos de Instrumentacao FOLHA DE DADOS UNIDADE: PROJETO: CLIENTE: Nº REVISÃO FOLHA 0 x de y FOLHA DE DADOS DE PROCESSO PARA INSTRUMENTOS DE NÍVEL EQUIPAMENTO IDENTIFICAÇÃO TIPO IDENTIFICAÇÃO FLUIDO (ESTADO) SUPERIOR NORMAL INFERIOR MÍN. INFERIOR PRESSÃO ( ) MÁX. NORMAL MÍN.

pressão e temperatura para vapores e gases) nas quais a vazão está sendo fornecida. máxima e com a válvula totalmente fechada. máxima e mínima.17 .Projetos de Instrumentação DADOS PARA VÁLVULAS DE CONTROLE • Vazão: Fornecer os valores de vazão normal. PROJETO BÁSICO . Para sistemas operando em baixas temperaturas onde a temperatura máxima for a ambiente. O diferencial de pressão com a válvula fechada será usado para dimensionamento do atuador e também para estimar o CV mínimo.. Os dois primeiros valores serão usados para os cálculos dos CV’s normal e máximo. nas quais a temperatura mínima é a ambiente.. Para sistemas operando a temperaturas elevadas. este valor pode ser omitido. este valor pode ser dispensado. No caso de vazões volumétricas indicar também as condições (temperatura para líquidos. • Temperatura: Fornecer os valores das temperaturas normal. máxima e mínima. e consequentemente a faixa de CV nas quais a válvula deverá operar. • Pressão: Dar os valores da pressão normal. • Pressão diferencial (∆P): Fornecer a queda de pressão na válvula de controle na vazão normal. máxima e mínima a montante da válvula de controle..

FA T O R M ÍN . REF. APROV.Projetos de Instrumentacao FOLHA DE DADOS U N ID A D E : P R O JE T O : C L IE N T E : Nº R E V IS Ã O FO LH A FO LHA D E DADO S DE P RO CE SSO PAR A VÁLVULAS DE CO N TRO LE ( ID E N T IF IC A Ç Ã O F L U ID O NORMA L M Á X.18 . AÇÃO EM FALHA VISCOSIDADE PRESSÃO A MONTANTE ( ) NORMA L M Á X.. PROJETO BÁSICO . VAZÃ O REVISÃO TEMPERATURA D E N S ID A D E P E S O M O L (ºC ) NORMA L M Á X. DATA POR V E R IF . COMPR. O P E R . DATA POR V E R IF .. PRESSÃO D IF E R E N C IA L N A VAZÃ O ( NORMA L M Á X. R E V IS . CLASSE DE VEDAÇ ÃO NOTAS N O TAS : R E V IS . COND. M ÍN . M ÍN . C O N D .. M ÍN . A P R O V . ) PV PC ( ) CARACTERÍST.

Os instrumentos deverão ser grupados por variável e ordenados por malhas ou serviço que estão executando. Normalmente existe mais de um instrumento executando um mesmo serviço. pneumática. por exemplo: Indicador de nível. FLUXOGRAMA: Preenchido com o código do documento “Fluxograma de Engenharia – P&ID”. diagrama de malha. com os campos normalmente utilizado por este formulário e sua recomendação de preenchimento: SERVIÇO: Preenchido com a função a qual o instrumento ou a malha que o mesmo pertence está realizando. O tamanho deste desenho normalmente é A3. Na figura à seguir. Equipamento. INTERTRAVAMENTO.Projetos de Instrumentação DETALHAMENTO DA LISTA DE INSTRUMENTOS É o índice dos instrumentos da planta industrial. pode-se ver um exemplo de Lista de Instrumentos. de processo. LOC. planta de instrumentação pneumática. DIAGRAMA DE MALHA. (Localização): Preenchido com o local em que o instrumento está instalado. Linha ou Tubulação. TAG: Preenchido com o tag do instrumento. seguindo a ordem numérica de identificação (tag). FOLHA DE ESPECIFICAÇÃO: Preenchido com o código do folha de especificação. LISTA DE CABOS E PLANTA DE INSTRUMENTAÇÃO: Preenchido com o código do documento relativo ao instrumento. FAIXA E UNID. ordenados pelas suas identificações (TAG´s).19 .: Valores retirados da folha de especificação do instrumento. INSTRUMENTO: Descrição resumida do instrumento... PROJETO BÁSICO . Normalmente as opções mais comum são: Painel. fluxograma. TÍPICOS DE MONTAGEM. desenhos dos detalhamentos de instalação elétrica. Campo ou CLP. fazendo referência a todas as informações que lhes são pertinentes: serviço. planta de instrumentação elétrica. equipamentos ou linha onde são instalados. fabricante e modelo dos instrumentos. isométrico ou planta de tubulação.

NOTAS T-Tubulação E-Equipamento C-Campo F-Fornecido p/ Terceiros CLP-Sistema Supervisório NOTAS: PROJETO BÁSICO .: Data: PLANTA INSTRUM. MONTAGEM Rev.. FAIXA UNID. TAG FLUXOGRAMA INSTRUMENTO FOLHA DE ESPECIF. DIAGRAMA DE MALHA Nº : Nº Cliente: Folha Nº: Por: Verif.Projetos de Instrumentacao PROJETO .20 ..: TÍPICOS DE LISTA DE DIAGRAMA CABOS INTERTRAV.CLIENTE LISTA DE INSTRUMENTOS SERVIÇO LOC.

t Permitir ajustes na instrumentação instalada possibilitando a entrega da planta em operação normal.21 . t É quando o projetista terá o contato com os detalhes da planta industrial e agrupará todas estas informações de tal forma a consolidar o objetivo principal do projeto. desenhos e diagramas. requisições de compra. Qual o significado da etapa Comissionamento de um projeto de Instrumentação? t É quando serão desenvolvidos os cálculos de engenharia e seus memoriais. PROJETO BÁSICO . sendo geralmente executada por empresas especializadas para tal.. que foi projetado nas etapas de engenharia anteriores. Qual o significado da etapa Engenharia Preliminar de um projeto de Instrumentação? t É quando serão desenvolvidos os cálculos de engenharia e seus memoriais. organização de literaturas e documentos. t É a implementação de tudo. normalmente a(s) empresa(s) responsável(is) pela montagem não participam do comissionamento. ENGENHARIA PRELIMINAR INSTALAÇÃO E MONTAGEM START-UP SEQUÊNCIA DE PROJETO E INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTAÇÃO 2. especificações de instrumentos. t Consiste de conversas entre os Engenheiros de Processo Instrumentação para definição unicamente dos custos da Instrumentação. especificações de instrumentos. e de t É quando o projetista terá o contato com os detalhes da planta industrial e agrupará todas estas informações de tal forma a consolidar o objetivo principal do projeto. requisições de compra. desenhos e diagramas. Nesta etapa. 3. organização de literaturas e documentos. considerando a sequência evolutiva de um projeto e instalação de instrumentação. t Definição exata dos custos da Instrumentação no Projeto. t Verifica a execução da montagem. Complete o nome dos blocos que estão em branco na figura a seguir. confrontando o que foi montado e/ou instalado com o que foi projetado.Projetos de Instrumentação EXERCÍCIOS 1..

Nesta etapa. considerando a descrição de processo.PFD”). requisitos de segurança e futuras expansões. Qual o significado da etapa Engenharia Detalhada de um projeto de Instrumentação? t É quando serão desenvolvidos os cálculos de engenharia e seus memoriais. confrontando o que foi montado e/ou instalado com o que foi projetado.. PROJETO BÁSICO . t É quando serão definidos detalhadamente os custos de mão de obra e de instrumentação do projeto. 4. requisitos de equipamentos.22 . detalhes de construção.Projetos de Instrumentação t Verifica a execução da montagem. especificações de instrumentos. requisições de compra. 5. confrontando o que foi montado e/ou instalado com o que foi projetado. t É quando o projetista terá o contato com os detalhes da planta industrial e agrupará todas estas informações de tal forma a consolidar o objetivo principal do projeto. capacidades do sistema. matéria-prima e produto final. t Folha de dados do Processo “Process Data Sheet” t Planta de Classificação da Área 6. t Definir unicamente os critérios com relação a tecnologia dos instrumentos a serem utilizados na planta industrial. t Permitir ajustes na instrumentação instalada possibilitando a entrega da planta em operação normal.. t Verifica a execução da montagem. desenhos e diagramas. normalmente a(s) empresa(s) responsável(is) pela montagem não participam do comissionamento. t Confrontar os critérios definidos pela engenharia do processo com os critérios definidos pelo engenheiro de Instrumentação. Qual o principal objetivo da etapa denominada “Critérios de Projeto” dentro da Engenharia Preliminar de um projeto de Instrumentação? t Condensar todos os detalhes sobre o processo e o trabalho a ser realizado. t Fluxograma de Engenharia (“Piping and Instrumentation – P&I”). organização de literaturas e documentos. Qual dos documentos abaixo não são pertinentes a fase da engenharia preliminar de um projeto de Instrumentação? t Folha de Especificação de Instrumentos t Fluxograma de Processo (“Process Flow Diagram . Nesta etapa. normalmente a(s) empresa(s) responsável(is) pela montagem não participam do comissionamento. necessidades de controle para o processo.

t Definir através de datas. a programação das etapas do projeto. a programação das etapas do projeto. além das informações de processo que indicam condições de operação dos equipamentos e/ou linhas. onde serão identificadas várias informações necessárias para uma correta seleção e dimensionamento da instrumentação. linhas de fluxo e suas características físicas. Qual a função do documento ”Fluxograma de Processo (PFD-Process Flow Diagram)” em um projeto de Instrumentação? t Definir através de datas. Pressão normal. 7. motores. t São folhas utilizadas para compra da instrumentação. 9. válvulas. Energia elétrica. t Mostrar o fluxo dos produtos líquidos de uma planta industrial.. t É um conjunto de folhas padronizadas no projeto. Qual a função do documento ”Fluxograma de Engenharia (P&I Piping and Instrumentation)” em um projeto de Instrumentação? t Mostrar além do fluxo do processo. Qual o significado da folha de dados de processo para instrumentação em um projeto de Instrumentação? t É um conjunto de folhas que registram todos os cálculos desenvolvidos para a instrumentação. a instrumentação com seus tag´s e os equipamentos tais como: tubulações. t São formulários padronizados para registrar a atualização do processo que a instrumentação estará controlando. válvulas. 10.. etc. t Mostrar o fluxo dos produtos gasosos de uma planta industrial. 8. t Mostrar o fluxo dos produtos líquidos de uma planta industrial. a instrumentação com seus tag´s e os equipamentos tais como: tubulações. motores. mínima e máxima.Projetos de Instrumentação t Criar documentos de controle para o projeto. Tipo de fluído. t Mostrar os itens de processo. Qual dos conjuntos abaixo representa um grupo de informações normalmente encontrada em uma folha de dados de processo para instrumentação? t Identificação do instrumento (tag). PROJETO BÁSICO . t Mostrar os itens de processo.23 . etc. além das informações de processo que indicam condições de operação dos equipamentos e/ou linhas. t Mostrar o fluxo dos produtos gasosos de uma planta industrial. t Mostrar além do fluxo do processo. linhas de fluxo e suas características físicas.

mínima e máxima.3 Kgf/cm2. ν25ºC= 0. mínima e máxima. δ25ºC= 1. cSt. Qmax=3000l/h. Tnormal=25ºC. Tnormal= 25ºC. Qmax=5000l/h. • Linha de água fria para mistura: ∅= 1”. • Linha de transferência água para o tanque fechado: ∅=1”. δ40ºC= 0.5 kgf/cm2.3 Kgf/cm2. Qmax= 1300l/h. ν25ºC= 0. • Linha de retorno para tanque aberto: ∅= 11/2” . Qmax= 3700l/h. ν25ºC= 0.Fluido: água de processo. mínima e máxima.9 cSt. Energia elétrica. 11.5 kgf/cm2.3 Kgf/cm2.0. Pmax= 5 kgf/cm2. Pmax= 3. Pmax= 3. conforme informações à seguir: • • Linha de saída de água do tanque aberto: ∅= 2”. ν40ºC= 0.0.. Tnormal= 25ºC. t Pressão normal. PROJETO BÁSICO .0. Fluido: água de processo.9 cSt. Completar o diagrama de processo de uma Planta-Piloto industrial.0. Pnormal= 2. onde serão identificadas várias informações necessárias para uma correta seleção e dimensionamento da instrumentação. Fluido: água de processo.5 kgf/cm2. mínima e máxima. ν25ºC= 0. Tnormal=40ºC. Pnormal=2. mínima e máxima. t São formulários padronizados para registrar os vários fornecedores de instrumentos disponíveis no mercado. Linha de saída da bomba: ∅= 2”.5 Kgf/cm2. Vazão normal. δ25ºC= 1. Qual a função da lista de instrumentos em um projeto de Instrumentação? t É um documento tipo formulário que funciona como um índice dos instrumentos da planta contendo o tag destes instrumentos além de informações pertinentes ao mesmo. Pnormal= 2.3 Kgf/cm2. Pnormal=2. utilizando o desenho CT-PRO-003. Qmax= 5400l/h. Pnormal=0. t Pressão normal. Qnormal= 750l/h. Tipo de fluído.9 cSt. δ25ºC= 1. Identificação do instrumento (tag). δ25ºC (densidade relativa)= 1. Tnormal= 25ºC. Qnormal= 4500l/h. ν25ºC (viscosidade cinemática)= 0. Qnormal=2750l/h. t É um conjunto de folhas padronizadas no projeto.Projetos de Instrumentação t Identificação do instrumento (tag). Pnormal= 2.0 Kgf/cm2. Tipo de fluído. Tnormal=2 5ºC. 12. t São folhas utilizadas para compra da instrumentação.. Temperatura normal. Pmax= 3. Qnormal=1750l/h.9 .24 δ25ºC= 1. Tmax= 65ºC. Pmax= 5 kgf/cm2. Qmax= 5400l/h. • Linha de entrada do trocador de calor: ∅= 1”. Temperatura normal. Tipo de fluído.0.7 cSt. Qnormal= 2000l/h. Luminosidade no local.99.9 cSt. • Linha de água misturada (fria e quente): ∅=1”.

• Indicação de temperatura na linha de transferência água para o tanque fechado.25 . Atualizar Fluxograma de Instrumentação (P&I) de uma Planta-Piloto industrial. • Linha de ar comprimido de processo: ∅=1”.0185 cP.0. Tnormal= 25 C. utilizando pressostato (PSHH-10109) para medir a pressão da água na saída do tanque aberto após a bomba. 2 2 δ(25ºC. conectado a CLP com sistema supervisório. • Comando manual remoto (via sistema supervisório + CLP) de válvula de bloqueio na entrada da linha de ar comprimido. Tnormal=25ºC. utilizando transmissor de temperatura (TT-10207) e sensor de temperatura tipo PT100 (TE-10207) conectado a CLP com sistema supervisório. Pnormal=2. Qmax= 3000l/h.Projetos de Instrumentação • Linha de transferência água do tanque fechado para o tanque aberto: ∅=1”. Qnormal= 1750l/h. 0.. utilizando válvula solenóide (HY-10207) após válvula HV-10204. Qnormal=37. utilizando transmissor eletromagnético de vazão (FIT-10310).8 Kgf/cm .1bar)(viscos. absoluta) PROJETO BÁSICO .0. • Comando manual remoto (via sistema supervisório + CLP) de válvula de bloqueio na linha de transferência água do tanque aberto para o tanque fechado. Pmax= 5 kgf/cm . ν25ºC= 0.1bar)= 1. Pnormal=1. • Intertravamento para desligar a bomba em caso de alta pressão.50 Nm3/h.9 cSt. 13. com placa de orifício conectado a CLP com sistema supervisório.5 kgf/cm . µ(25ºC. utilizando o desenho CT-PRO-004 e CT-PRO-005. após válvula HV-10205. utilizando transmissor de vazão por ∆P (FIT-10105). 2 2 º δ25ºC= 1. conforme informações à seguir: • Indicação de Vazão na linha de saída de água da bomba. utilizando válvula solenóide (HY-10208).8 Kgf/cm .. Pmax= 4. • Indicação de vazão na linha de água misturada (fria e quente).

possuíra duas linhas. local e no sistema supervisório dos seguintes pontos: Temperatura.26 .5 Kgf/cm2 (Ponto de abertura de solenóide de segurança. O ponto de distribuição fica localizado a 50 metros de distância do compressor e cada uma destas linhas será bloqueada através de válvulas solenóides que serão comandadas pela I. sendo que sua saturação será monitorada por medidores de pressão diferencial.H.Projetos de Instrumentação 14. Tnor= Amb. • Quanto a instrumentação envolvida..M. PROJETO BÁSICO . ou seja caso a pressão ultrapasse 8.013. • Pressostato para medir a pressão e operar como sensor para segurança do reservatório. automaticamente a linha que estiver operando será bloqueada e a linha reserva passará a operar. conforme informações à seguir: • Todo o sistema será controlado por um CLP.. a ser instalado na sala do compressor. cada uma com seu filtro. • • • Manômetro para indicar a pressão do reservatório.. Qnor= 5 Nm3/h. onde também existirá uma I. 2 Linha de descarga do reservatório de ar comprimido: ∅=1 1/2”. utilizando o desenho CT-PRO. de tal forma que quando a pressão diferencial ultrapassar 0.M. Pmax= 8. Elaborar Fluxograma de Instrumentação (P&I) para automação de um compressor de ar. Deverá ser previsto um computador com software supervisório para monitoração e operação do sistema a ser instalado em ambiente à 100 metros de distância do compressor. deverá existir: • Medição e indicações na I. de texto ou gráfica possibilitando a partida e parada do mesmo. Vazão e Pressão do ar comprimido na saída do reservatório de ar comprimido. Dados de operação na descarga do reservatório de ar comprimido: Pnormal= 7 Kgf/cm2. para atuar quando a pressão atingir 9. • A sucção do compressor.3 Kgf/cm .H.H. • Válvula de segurança para aliviar a pressão do reservatório em caso de falha do controle. Qmax= 20 Nm3/h.0 Kgf/cm2 . • As linha para as 3 áreas serão: ∅=1”.5 Kgf/cm2 uma válvula solenóide abrir-se-á permitindo alívio de pressão. Tmax= 65 ºC • A linha de descarga do reservatório de ar comprimido será dividida em 3 sendo uma para o setor de instrumentação outra para o setor de mecânica e a última para o setor de Utilidades.M ou pelo sistema supervisório.

. • Transmissor eletromagnético de vazão (FIT-10310) para indicação de vazão na linha de água misturada (fria e quente). para indicação de Vazão na linha de saída de água da bomba. Obs. Transmissor de temperatura (TT-10207) com sensor tipo PT-100 (TE-10207) para indicação de temperatura na linha de transferência água para o tanque fechado. • • Pressostato (PSHH-10109) para medir a pressão da água na saída do tanque aberto após a bomba.: Utilizar os formulários apropriados para a elaboração das folhas de dados de processo.Projetos de Instrumentação 15. • Válvula solenóide (HY-10207) para comando manual remoto de válvula de bloqueio na entrada da linha de ar comprimido. • Válvula solenóide (HY-10208) para comando manual remoto de válvula de bloqueio na linha de transferência água do tanque aberto para o tanque fechado.. • Transmissor de ∆P com placa de orifício (FIT-10105).27 . PROJETO BÁSICO . Elaborar “Folha de dados de processo para instrumento” dos instrumentos e válvulas definidos no Fluxograma de Instrumentação (P&I) atualizado da PlantaPiloto industrial (CT-PRO.004 e CT-PRO-005) projetado anteriormente.

Obs..Projetos de Instrumentação 16. 17..28 . Analise o documento “Critérios básicos de Projeto de Instrumentação / Controle e Supervisão e responda: • Quais as unidades de medida a serem utilizadas para as variáveis à seguir: VARIÁVEL Temperatura Vazão (líquido) Vazão (vapor d’água) Vazão (gás) Pressão Nível UNIDADE • • • • Qual o tipo de material (mínimo) das partes em contato com o fluído levando em consideração resistência à corrosão? Qual o grau de proteção dos instrumentos que serão instalados ao tempo? Qual o tipo de rosca utilizada nas conexões elétricas dos instrumentos? Como deve ser a conexão ao processo dos instrumentos? PROJETO BÁSICO .: Utilizar os formulários apropriados para a elaboração da lista de instrumentos. Elaborar lista de instrumentos conforme projeto.