Direção Defensiva para Condutores de Veículos

Autor(a): Eduardo Victor Franco. 1ª Edição – 2011

Direção Defensiva para Condutores de Veículos

Todos os direitos desta edição são reservados a Cresça Brasil Editora S/A. É proibida a reprodução total ou parcial por quaisquer meios, sem autorização escrita da Editora.

ISBN: 978-85-8153-062-8

_______________________________________________________________________________________________

Cresça Brasil Editora S/A
Rua Jaime Santos, 530 – Jardim Aeroporto - Alfenas/MG – CEP 37130.000 Atendimento: 0800 722 0226 www.crescabrasil.com.br sac@crescabrasil.com.br

Sumário
Capítulo 1 – Direção Defensiva e Educação no Trânsito
1.1 1.2 Educação no Trânsito Riscos, Perigos e Acidentes

Capítulo 2 – Segurança no Trânsito
2.1 2.2 Fator Humano Veículos

Capítulo 3 – O Condutor (Motorista)
3.1 3.2 3.3 Condições do Motorista Posicionamento ao Volante Atenção e Concentração

Capítulo 4 – Condições de Trânsito – Vias
4.1 4.2 4.3 4.4 4.5 4.6 4.7 4.8 4.9 4.10 4.11 4.12 Velocidades Curvas Declives Ultrapassagens Estreitamentos de Pista, Pontes e Desmoronamentos Acostamentos Condições das Pistas Pistas Escorregadias Sinalização de Advertência e Informativa Passeios e Calçadas Vegetações Cruzamentos

Capítulo 5 – Adversidades Ambientais
5.1 5.2 5.3 5.4 5.5 O Motorista e o seu Ambiente A Chuva Aquaplanagem Neblina ou Cerração Vento

5.9 5.4 O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) Medidas Administrativas e Penalidades Recursos de Infrações Crimes de Trânsito Capítulo 8 – Obtenção e Renovação da Carteira Nacional de Habilitação .3 Poluições Lixo é na Lixeira Relacionamentos no Trânsito Capítulo 7 – Infrações e Penalidades de Trânsito 7.2 Carteira Nacional de Habilitação .CNH Obrigatoriedade do Curso de Direção Defensiva .7 5.8 5.2 7.1 8.1 6.CNH 8.2 6.6 5.1 7.10 Fumaça Iluminação Hora do Rush Tipos de Colisões Observações Gerais de Segurança no Trânsito Capítulo 6 – Noções de Meio Ambiente 6.3 7.

que antecedem aos acidentes. que antecedem aos acidentes. percebemos que as atitudes e os momentos. visa a melhor maneira de corrigir seus vícios enquanto dirige. também. pois. etc. estão diretamente ligados às ações dos condutores. pneus furados ou estourados. falhas nos freios.Apresentação Preparamos este livro para ensinar-lhe sobre os temas ligados à prevenção de acidentes automobilísticos tanto nas estradas e rodovias quanto em ruas dos centros urbanos e rurais. são ocasionados por fatores pessoais de risco (ultrapassagem mal planejada). Atualmente. a grande parte dos acidentes de trânsito pode ser evitada. (Quebra da barra de direção. 76% dos acidentes automobilísticos ocorridos. proximidade inadequada do veículo da frente e outros e 24% por problemas apresentados nos automóveis. mas. conscientizando e informando-lhe as ações a serem tomadas nas frações de segundos. A direção defensiva não somente demonstra o que pode ser feito por você quando está no trânsito.) Assim. excesso de velocidade. no Brasil. .

juntamente.Introdução O Código de Trânsito Brasileiro (CTB). em seus objetivos precípuos. Esse visa à diminuição dos alarmantes números de acidentes. trazendo diversos prejuízos e onerando o orçamento do Estado nos atendimentos a seus acidentados. que irão recrutar do motorista defensivo as maneiras adequadas e a hora certa para agir. sob a guarida da Lei nº 9. . gerando perdas para toda a sociedade. O curso de direção defensiva tornou-se obrigatório. proporcionar o conhecimento da capacidade de antecipação e o reconhecimento de situações críticas. desagregando famílias. estipula as normas e estabelece as diretrizes para a segurança no trânsito. que vigora desde o dia 22 de janeiro de 1988. com os cursos de meio ambiente e de primeiros socorros. prevenindo e preservando o seu entorno. que ocorrem em todo o país.503. tendo.

também.2 Riscos. que devem ser adquiridos e aplicados no convívio em sociedade. inesperado ou não. na conscientização e na mobilização de diversos valores. problemas familiares. que causa danos: pessoais. auxiliando. uma cobrança dos nossos governantes a respeito das ações de beneficiamento dos locais públicos. é preciso que cada um aja em seu próprio comportamento.Capítulo 1 Direção Defensiva e Educação no Trânsito Neste capítulo. irreparáveis ou fatais. 1. capaz de causar danos e prejuízo. sendo o motorista defensivo capaz de prever situações anormais. veremos que a direção defensiva está diretamente ligada às situações de rotina do trânsito. como: Os fatores humanos: estresse. a qual deve conscientizar-se e promover modificações quanto aos problemas estruturais e comportamentais existentes hoje em nosso trânsito. álcool e outros. 1. ocorre quando ignora-se ou menospreza-se as situações de riscos. é uma possibilidade de perigo. a fim de prevenir o seu envolvimento. O acidente é todo acontecimento desagradável. assim.1 Educação no Trânsito Para mudarmos o atual cenário brasileiro. cumulativamente. que pode ser contornado. efeitos de drogas. infeliz. sinalizado e evitado. Perigos e Acidentes O risco é uma circunstância. ambientais e/ou materiais. cansaço. sono. Devendo haver. . na mobilidade de todos. estado de saúde. muitas vezes. O perigo é uma circunstância de risco iminente. As atitudes para essa mudança estão na educação. vão agravando os perigos inerentes ao cotidiano do trânsito. A mobilização da sociedade é fundamental para que haja mudanças. pressa. As causas dos acidentes são desencadeadas por uma sequência de fatos críticos e circunstâncias que. que pode não se caracterizar em acidente.

em tudo o que fazemos há uma dose de risco: seja no trabalho.As condições adversas: de tempo. da via. saindo com seus automóveis em condições precárias. de luz. velocidades exageradas. alegando que não é de seu conhecimento. dos passageiros entre outros. Para se evitarem tais riscos. é quando os motoristas passam a arriscar a vida e a integridade de outros. uma vez que as normas e regras de convívio no trânsito são feitas em igualdade para todos. fazendo o uso de álcool e drogas. do trânsito. não podemos eximir ninguém de seus atos à vista das leis e das normas. É hora de recapitularmos! Vimos neste capítulo. dos pedestres e das condições adversas do tempo e outras que podem gerar acidentes. Conforme veremos mais à frente. Assim. Senão. pois é dever de todos adequarem-se ao que é imposto. praticando um esporte ou mesmo transitando pelas ruas. brincando. a capacitação dos motoristas é fundamental para tornarmos o trânsito mais seguro e fazermos uma harmonia condizente com as boas práticas do convívio em sociedade. em casa. dos veículos. etc. classificamos os motoristas como: Direção defensiva É a maneira de dirigir sabendo da falta de habilidade dos outros motoristas. poderá piorar ainda mais. viveremos em uma terra em que todos têm razão. e o que já é complicado. Direção agressiva É a prática das atitudes contrárias à direção defensiva. Como as regras impostas pelo CTB Código de Trânsito Brasileiro visam o convívio harmônico de todos os cidadãos na sociedade. . dançando. dos que esperam e preveem as ações de outros. com manobras arriscadas. que as atitudes que cometemos no trânsito nos remetem a pensarmos em nossa real ocupação na sociedade. Por isso. que deverão cumpri-las e segui-las.

2 Essa é composta por diversas ações e atitudes. é a melhor maneira de dirigir e de se comportar no trânsito. para aumentarem a confiabilidade de suas ações. da saúde. Esses comportamentos estão ligados necessariamente à: • • • Imprudência dos motoristas – ex.Capítulo 2 Segurança no Trânsito Vamos falar mais um pouco sobre a direção defensiva? Neste capítulo. tais como: antecipação das situações de perigo. pois é assim que atuaremos na preservação da vida. temos toda a capacidade de evitar a grande maioria dos acidentes. pois nossas ações podem provocá-los ou evitá-los. 2. que passamos a seguir quando dirigimos. sempre. Negligência dos motoristas – ex.: falta de atenção e falhas nas observações.: inexperiência e falta de conhecimentos. 1 Direção defensiva.: trafegar em velocidades inadequadas. Os riscos e perigos a que estamos sujeitos no trânsito estão relacionados com os motoristas. . esperando um ato de imperícia ou imprudência dos outros motoristas e dando margem para as tomadas rápidas de ações. 3 Demonstraremos o que é preciso aprender nos conceitos de direção defensiva. do meio ambiente e do nosso patrimônio. com as vias. para que se use esses conhecimentos com eficiência. Imperícia dos motoristas – ex. previsão dos acontecimentos à volta. com o ambiente e com nossos comportamentos. com os veículos. ou direção segura. aprenderemos os procedimentos que os motoristas defensivos devem ter com os veículos e com seus componentes.1 Fator Humano As ações que evidenciam os acidentes estão estritamente relacionadas ao fator humano. dirigindo sempre com atenção e responsabilidade.

rodas. conforme manual do proprietário. Os níveis de óleo do motor. sempre. de óleo hidráulico. com quebras e diversos tipos de panes que podem acontecer.2.2. Ações aparentemente simples podem fazer toda a diferença no trajeto. também.2 Pré-funcionamento do Veículo Uma inspeção visual simples. gerando assim um ônus ainda maior ao proprietário em sua manutenção corretiva. se as setas. os faróis. suspensão. de óleo de freio e o nível de água do sistema de arrefecimento devem ser observados diariamente. 2. o nível de água dos limpadores de para- . 2. entre outros componentes essenciais à locomoção. como os cintos de segurança e as carrocerias. Os desgastes decorrentes do uso dos automóveis são normais e devem ser acompanhados periodicamente. Existem. É necessário que todos possuam sistemas de iluminação. para garantirem a minimização dos impactos gerados após qualquer tipo de acidente. fornecendo desempenho com segurança. uma vez que alguns quesitos básicos que compõem os veículos requerem atenção por parte dos motoristas. pneus. Observe o funcionamento do sistema de iluminação do veículo. evitando transtornos com consertos. proporcionando as trocas de peças e componentes que possuem vida útil predeterminada. Manutenções periódicas realizadas adequadamente vão proporcionar uma maior vida útil do veículo. também. que são obrigatórios e devem estar sempre em boas condições.2.1 Manutenção Preventiva As manutenções de caráter preventivo são fundamentais para a conservação do veículo e do meio ambiente. Observe. que visam proporcionar condições ideais de dirigibilidade. os equipamentos de proteção em casos de acidentes. como por exemplo. deverá ser feita pelo motorista antes de colocar o veículo em funcionamento. antes da partida inicial do veículo.2 Veículos Os veículos são compostos por sistemas obrigatórios de segurança. a luz de ré. de freio e da placa estão acendendo corretamente. observar o nível de combustível e se alguma luz de advertência encontra-se com defeito.

pois ficam mais próximos ao corpo. pois.Equipamento que se ajusta na região do tórax e na região pélvica.brisa bem como as palhetas dos limpadores. se os parafusos das rodas estão todos apertados e se não está faltando algum.2.4 Cinto de Segurança Os cintos de segurança são equipamentos de uso obrigatório.Equipamento que se ajusta na região pélvica.Esse ajusta-se de forma mais confortável e segura ao corpo. Atualmente. Cinto pélvico ou subabdominal . tornando mais fáceis os movimentos de quem os usa. Cinto torácico ou diagonal . também. . quando você necessitar. Fique atento (a) às vibrações na direção. o que pode ser proveniente de buracos.2. em posição diagonal. de falhas na pista ou de corrosões (marcas de ferrugem) em sua composição. Observe. freie e se mantenha em condições ideais de dirigibilidade.Equipamento que se ajusta na região do tórax. ande com a calibragem dos pneus informada no manual.3 Pneus e Rodas O sistema de tração dos veículos está diretamente ligado aos pneus e às rodas. são usados três tipos de cintos. pode ser que os pneus estejam descalibrados. são os mais usados hoje. se não estão gastas ou ressecadas. desbalanceados ou a própria direção. aumentando a proteção em relação aos fixos. utilizados para limitar a movimentação dos ocupantes dos veículos. desalinhada. 2. pois pneus murchos comprometem a vida útil e fazem com que os veículos aumentem o consumo de combustível. 2. Mantenha em boas condições de uso o pneu sobressalente (estepe). Cinto de três pontos retrátil . impedindo que aconteçam choques bruscos destes contras as partes internas do carro ou que sejam atirados para fora do veículo. Cinto de três pontos . Sempre. ele será fundamental para a troca do pneu danificado. As rodas não devem estar amassadas. São eles que farão com que o carro impulsione.

sendo que as crianças de 0 a 7 anos e meio devem estar devidamente acomodadas em dispositivos de retenção (bebê conforto. Uso Correto do Cinto de Segurança O cinto deve ser ajustado ao corpo sem que haja folgas ou outro equipamento que o interponha ao corpo. as crianças para serem transportadas nos veículos devem obedecer ao uso dos equipamentos conforme sua idade. presas adequadamente aos cintos de segurança.Crianças com idade superior a 01 (um) ano e inferior ou igual a quatro anos. Somente nos veículos sem bancos traseiros (caminhonetas. 2.“Cadeirinhas” A Resolução nº 277 do CONTRAN que disciplina o transporte de menores de 10 anos e a utilização do dispositivo de retenção (bebê conforto. e os demais passageiros usando o cinto de segurança.5 Dispositivos de Retenção . cadeirinha e assento de elevação) para o transporte de crianças em veículos entrou em vigor em 01/09/2010 e estabelece as condições mínimas de segurança.Inspeção dos Cintos de Segurança Observe se os cintos não estão desfiando ou com cortes em sua extensão. etc. em “cadeirinhas” próprias. Cadeirinha .) as crianças poderão andar no banco dianteiro.2. cadeirinha e assento de elevação) fixados ao banco. que visam reduzir os riscos aos usuários em casos de colisão ou de desaceleração repentina do veículo.Crianças com até 01 (um) ano de idade. conforme o manual de instruções dos fabricantes destes equipamentos. limitando o deslocamento do corpo da criança. Vejamos: Bebê conforto ou conversível . confira se existem os travamentos adequados e se os cintos traseiros estão disponíveis para o uso imediato dos passageiros. sendo que as menores de sete anos e meio. pick–up's. Segundo essa resolução. Crianças até dez anos de idade devem andar no banco traseiro sempre. .

.2. aos escolares e aos demais veículos com peso bruto total superior a 3. Nos casos de veículos que possuem somente os bancos dianteiros é permitido o transporte de crianças de até dez anos de idade com o uso dos dispositivos de retenção. pois o veículo pode perder a estabilidade. principalmente. pois ele é que vai controlar suas ações de direção. aos de transporte autônomo de passageiro (táxi).5t. Você deve acompanhar o estado de conservação desse sistema e realizar as trocas descritas no manual do fabricante nas oficinas especializadas.Assento de elevação . 2. Cinto de segurança .Crianças com idade superior a sete anos e meio. Vale lembra que as essas normas não se aplicam aos veículos de transporte coletivo. que devem ser utilizados no sentido da marcha do veículo.2.6 Sistema de Suspensão O sistema de suspensão e amortecedores tem a finalidade de dar estabilidade ao veículo. O funcionamento incorreto desse sistema pode ocasionar acidentes. em curvas. 2.7 Sistema de Direção O sistema de direção dos veículos pode ser hidráulico ou mecânico. sendo responsável pela dirigibilidade do mesmo.Crianças com idade superior a quatro anos e inferior ou igual a sete anos e meio. principalmente em momentos em que movimentos ágeis deverão ser recrutados para evitarem acidentes. Verifique periodicamente as condições desse sistema. aos de aluguel.

os discos e o óleo do sistema de freios conforme o manual e seguir todas as trocas e manutenções preventivas. Pois é ele que funcionará como agente capaz de alertar.9 Sistemas de Freios Todos os veículos devem ser dotados deste sistema. etc. É importante verificar as pastilhas. diminuindo seu campo de visão. pisca alerta. luz de freio e de ré. informar e aumentar a visibilidade na condução dos veículos. 2. . pois é ele que vai garantir a segurança e a parada total ou parcial necessária para que não haja nenhum acidente. lanternas. Assim. faça sempre uma inspeção do real funcionamento de todos os itens. luz de placa.10 Pontos Cegos Estes são as seis colunas de sustentação do teto do veículo. dirigindo com previsibilidade.2. 2. pois você já terá se antecipado aos imprevistos. Evite freadas bruscas.2. Assim. dos passageiros e outros obstáculos que podem encobrir a visão do motorista quando esse vai realizar algumas manobras.2.8 Sistema de Iluminação Este sistema é de vital importância para sua segurança e a dos outros componentes do trânsito. como: faróis (alto e baixo). o acionamento brusco do freio não será necessário. além dos bancos e encostos de cabeça.2.

. para verificar a funcionalidade completa de todos os componentes de segurança e a real dirigibilidade. vimos que a direção defensiva engloba todas as fases em que o condutor tem a responsabilidade de dirigir um veículo. que se faz necessária para o uso público dos veículos automotores nas vias. antes mesmo de se posicionar à frente do volante e dar a partida no veículo. Vimos também que.É hora de recapitularmos! Neste capítulo. é necessário a averiguação do automotor. no momento em que ele está apto a se tornar um motorista responsável e conhecedor de seus deveres e direitos frente ao conjunto de normas e regras que regem o CTB.

O comportamento do motorista ao conduzir um veículo também é determinante para a prevenção de acidentes. o que está relacionado às situações de prevenção de acidentes. Ajuste corretamente o banco em uma posição onde você possa se sentir ergonomicamente confortável. III. 3. embriaguez. veremos que o condutor deve estar em plenas condições físicas. procure se preparar mentalmente para a tarefa com alguma antecedência e se for uma tarefa rotineira torne-a única. pois isso pode acarretar ações desagradáveis e até fatais.Os comportamentos inadequados e a distração são potenciais causadores de acidentes. I. a atenção máxima deve ser dada à condução do veículo. sonolência. cansaço.Sempre que for dirigir. em uma posição que você possa observar tudo a sua volta.Capítulo 3 O Condutor (Motorista) Neste capítulo.1 Condições do Motorista Várias são as condições que podem afetar o comportamento de um motorista: fadiga. evitando desgastes físicos e mentais. Os braços devem estar ligeiramente dobrados e as duas mãos sempre no volante. ajuste corretamente os retrovisores externos e o interno.2 Posicionamento ao Volante O posicionamento correto ao dirigir contribui para o bem-estar e para a sensação de conforto do motorista. 3. somente assuma a direção se realmente estiver psicologicamente e fisicamente apto. dificuldades visuais ou auditivas. Assim. II. não deixando que a sensação de “excesso de confiança” prevaleça. Quando se está dirigindo. entre outros. mentais e psicológicas para dirigir e aprenderemos sobre os cuidados que devemos ter enquanto dirigimos. não os tencione demasiadamente. mal-estares generalizados. . Dirigir sob essas condições é sempre muito perigoso.

ao dirigir um veículo. nunca. pois são nesses momentos em que menos esperamos. volte sua atenção ao foco. no volume muito alto do aparelho de som. evite dirigir após ter se envolvido em alguma discussão ou até mesmo não ter dormido o suficiente para restabelecer suas funções orgânicas. caso constate irregularidades. A concentração em suas ações.3 Atenção e Concentração Muitas das decisões que tomamos no trânsito são automáticas. Portanto. A condição psíquica também é fundamental. os mesmos que tomamos quando estamos em fase de aprendizado. sempre observe o painel. seu tempo de reação será sempre atrasado. pois a todo o momento nosso cérebro tende a se atualizar nos afazeres. observe a via. Outros fatores que acabam por influenciar na condução estão no uso indevido de telefones. etc. de aparelhos de televisão ou DVD à bordo. nas lembranças.Ao iniciar a partida no veículo. Sempre que se sentir um pouco desatento (a). Mas. o painel de sinalização do veículo. fazendo com que não tomemos os devidos cuidados. no trânsito. os sons e os ruídos emitidos pelo motor e verifique se está tudo normal à sua volta. nos problemas. A dificuldade de mantermos nossa concentração no que estamos executando é elevada. essas nos dão maior sensação de bem-estar e conforto ao dirigir e acabam. os retrovisores e tudo a sua volta. 3. às vezes. no transporte de animais de estimação soltos e de objetos que requerem total atenção para não virem a se quebrar ou colidir com algo dentro do veículo. que somos surpreendidos com acidentes. . é de fundamental importância para a condução segura. Faça dessa ação uma rotina. desligue o veículo e procure auxílio especializado. caso não esteja totalmente focado no que deve realizar. ingira bebidas alcoólicas ou outros tipos de drogas que afetam a sua percepção. esses momentos devemos reservar para quando finalizarmos nosso trajeto e chegarmos ao destino em segurança.

assim. você estará desenvolvendo-se e preservando o seu entorno social. mas também. Por isso. o veículo e o ambiente em que está inserido. Por isso. . pelo ato de não nos orientarmos adequadamente enquanto dirigimos e não termos as habilidades essenciais para prevermos tais acometimentos.É hora de recapitularmos! A grande maioria de acidentes que vemos no dia-a-dia é causada pelas falhas humanas. procure sempre atender à essas condutas. os fatores relatados nesse capítulo são de fundamental importância para a harmonia entre você.

devem ser objeto de total atenção dos condutores. as calçadas (os passeios). diminuindo a velocidade e observando a sinalização.1 Velocidades Os limites de velocidades são preestabelecidos de acordo com as características das vias e devem ser sumariamente respeitados pelos motoristas. a presença de pessoas. de ciclistas. de obstáculos. pois uma curva pode acarretar colisões. proporcionando um capotamento. dos buracos e dos obstáculos fazem com que o motorista defensivo preveja qualquer empecilho em sua trajetória. principalmente. Esses são na grande maioria dos casos devidamente sinalizados. mas. sistematicamente. que exigem a redução da velocidade e atenção na condução segura da via. 4. Assim. da presença de barro ou lama. das elevações.2 Curvas A força centrífuga (tende a forçar o veículo para fora da pista) e a centrípeta (força o veículo para dentro da curva. respeitadas para a prevenção de acidentes. sempre observe as condições de tráfego e as adversidades do tempo. tirar o veículo da via ou até mesmo a perda do controle. que exercem sobre os veículos em uma curva. A identificação do traçado das curvas. neste capítulo. do estado dos acostamentos. no qual temos que transitar de forma correta. . Sendo importante prestar atenção antes mesmo de se iniciar a trajetória em uma curva. das pessoas e dos animais e que têm em sua composição a pista de rolamento. entre outros fatores anormais.Capítulo 4 Condições de Trânsito – Vias Sabe-se que as vias públicas são as superfícies responsáveis pelo trânsito dos veículos. atravessando a pista contrária). segura e. de animais. fazendo com que seu percurso seja menos desgastante e sem surpresas desagradáveis. da largura das pistas. você estudará as condições e a diversidade do sistema viário. da existência de árvores às margens das vias. respeitando as regras. em muitos casos o canteiro central e todas as peculiaridades que as compõem. devendo ser. 4.

ultrapasse outros veículos somente onde a sinalização indicativa for positiva para ultrapassagens e as condições de tempo e espaço. pontes. portanto não desengrene e nem desligue o veículo. viadutos. confira se a velocidade do veículo à sua frente permite ultrapassagem de acordo com a potência do seu. Por isso. tanto as horizontais (faixas) quanto as verticais (placas). se necessário reduza a marcha e segure firme ao volante. 4.5 Estreitamentos de Pista.. sinalize devidamente seu veículo e observe o momento certo para executá-la. que podem executar um desvio repentino de direção. evitando que o mesmo atinja velocidades que fogem ao seu controle. seguindo a sinalização. pois você poderá ocasionar um grave acidente. desmoronamentos e etc. usando atentamente os retrovisores.4 Ultrapassagens Obedeça sempre a sinalização presente nas vias. jamais.3 Declives As descidas proporcionam maiores velocidades aos veículos. favoráveis. você deverá atentar-se a eles. barreiras. Onde houver um estreitamento de pista. túneis. Então. 4. Pontes e Desmoronamentos As pistas possuem em seus trechos espaços reduzidos devido a vários fatores.Assim. realize uma ultrapassagem em uma curva. procure sempre utilizar uma marcha adequada ao tipo de declive que você tiver à frente. utilize movimentos suaves e contínuos e. . 4. reduza a velocidade e se alinhe na faixa de pista adequada e observe os outros condutores. procure utilizar o freio antes da curva.

as rachaduras. barro ou outros produtos. O tráfego e a ultrapassagem nessas partes das pistas são proibidos. não movimente abruptamente a direção do veículo e aja com calma e prudência. pois só assim você terá o tempo certo para realizar as manobras necessárias. água. redobre a atenção no seu trajeto e diminua a velocidade.4. Evite transitar em altas velocidades enquanto estiver nesses trechos. em uma ação repentina para nos livrarmos de um desses obstáculos. dos que estão em direção contrária. evite pisar bruscamente nos freios. as ondulações e outros tipos de deformidades podem acarretar danos aos automóveis e provocar acidentes. cujo objetivo é advertir os condutores sobre as condições da via e o que acontece a cada momento do . para se evitarem acidentes e danos aos veículos. Os buracos. Caso perceba que a pista não está em boas condições. 4. Sendo que grande parte dessas não possui manutenção apropriada e rotineira. mantenha a atenção a todos os movimentos anormais que acontecerem ao seu redor. o que gera constantes desgastes e deformidades. observando o movimento de outros veículos. Caso necessite utilizá-los. Pois. 4. areia. sinalize aos outros usuários através do triângulo de advertência e do pisca-alerta. 4. principalmente. Manter uma velocidade mais baixa é a atitude mais recomendada para esse tipo de situação. devido ao alto grau de risco de acidentes.9 Sinalização de Advertência e Informativa A sinalização é um conjunto de sinais de trânsito. que fazem com que os pneus percam o atrito com o solo.8 Pistas Escorregadias As derrapagens são mais comuns nos trechos da pista onde há a presença de óleos.7 Condições das Pistas No Brasil. podemos “jogar” a direção do veículo contra outros ou até mesmo sair da via. é comum depararmos com diversos tipos de pisos nas vias.6 Acostamentos Os acostamentos são as partes das vias de rolamento destinados às situações de emergência ou socorro de veículos danificados e aos pedestres e ciclistas.

Sonoros. assim como orientá los sobre os mais diversos assuntos essenciais à orientá-los mobilidade do trânsito. Luminosos. Dispositivos de sinalização auxiliar. em distância compatível com a segurança do trânsito. Essa será colocada sempre em posição e em condições que a tornem perfeitamente visível e legível durante o dia e a noite. conforme normas e especificações do CONTRAN.trajeto. Horizontais. Sendo que as sinalizações de trânsito classificam classificam-se em: Verticais. .

a preferência sempre será do veículo que se aproxima pela direita e. galhos. 4. como: matos. nas rotatórias. prefira diminuir a velocidade.12 Cruzamentos Os cruzamentos são os maiores causadores de acidentes automobilísticos no trânsito. capins. obedecendo as normas gerais de trânsito. Caso isso ocorra. que podem prejudicar a sinalização normal da via. Nos cruzamentos em que não há sinalização. . Mesmo estando certo e com a preferência. 4.11 Vegetações Fique atento (a) à sinalização escondida atrás de árvores e outros tipos de vegetações. Nesses pontos.10 Passeios e Calçadas As calçadas ou passeios são exclusivamente para o uso de pedestres. O respeito à sinalização é de vital importância para o bom andamento do trânsito e para o convívio harmônico da sociedade. os riscos de acidentes. não se arrisque.Gestos do agente de trânsito e do condutor. de quem já está circulando na mesma. aumentando. observar bem e atravessar somente quando for seguro. tenha sempre bom senso. procure diminuir a velocidade e manter a atenção voltada para os dois sentidos da via a ser transposta. os pedestres serão forçados a transitarem nas vias. parada ou circulação nesses espaços. assim. Sendo vedada a utilização de veículos para estacionamento. 4. Caso não aviste nenhuma placa. devido à falta de atenção e ao excesso de confiança.. etc. redobre a atenção em seu trajeto.

sendo um dos maiores fatores de risco para a ocorrência de acidentes de trânsito. a gravidade das ocorrências. . mais do que observar a sinalização e os limites de velocidade. vimos que a velocidade é um fator determinante para se evitarem os acidentes.seguindo as condições de segurança da via. adaptando-se às condições meteorológicas e à intensidade de fluxo. Aprendemos. também. deve regular sua própria velocidade .dentro dos limites . determinando.Lembre-se: A velocidade máxima permitida para cada via será indicada por meio de placas e onde não existirem sinalizações. em proporção direta. do veículo e da carga. que o motorista consciente. o que valerá será o seguinte: É hora de recapitularmos! Neste capítulo.

as recomendações são: reduza a velocidade. Sendo o condutor defensivo aquele que adota procedimentos preventivos no trânsito. Essa reduz a visibilidade e umidifica a pista causando poças d’água e deixando o piso bem mais escorregadio. em bom estado. ligue os faróis baixos. redobre à atenção e mantenha distância segura do veículo à frente. nesses casos. agora. você deverá adotar atitudes que garantam a sua segurança e a dos demais usuários da via. dirigindo focado na segurança e na prevenção de acidentes. Em caso de chuva de granizo ou alagamentos. sempre.Capítulo 5 Adversidades Ambientais Falaremos. 5. é melhor parar em algum ponto seguro até que a ordem normal se restabeleça. pois esse momento é um dos pontos mais críticos para a segurança. preservando a vida humana e o meio ambiente. a visibilidade fica muito comprometida e a pista. com cautela e civilidade. apesar dos erros dos outros condutores e das condições adversas do trânsito e do tempo. as quais fogem ao controle do homem e afetam as condições de segurança do trânsito. 5. É importante redobrar a atenção desde o início da chuva. é coberta por uma camada de água.2 A Chuva A chuva é um fenômeno natural que pode gerar alguns problemas aos motoristas. Sob essas. Nas chuvas de maior intensidade.1 O Motorista e o seu Ambiente Dirigir defensivamente é conduzir de modo a evitar acidentes. . os quais ajudarão a manter o curso normal e em segurança. assim como os pneus. uma vez que a água se mistura ao óleo e às outras substâncias presentes na via deixando a pista mais lisa. Os limpadores de para-brisa devem estar em condições ideais de conservação. Algumas dessas condições adversas são condições naturais. sobre as adversidades ambientais e o que pode influenciar o motorista defensivo na direção. independente dos fatores externos e das condições adversas que possam estar presentes.

Em casos de extrema dificuldade de visualização das pistas. e se as correntes de vento não estão anormais. acenda a luz baixa do farol. Por isso.5 Vento O deslocamento de ar realizado por ventos muito fortes ou até mesmo o movimento de outros veículos pode prejudicar a estabilidade. 5. . é como se por alguns instantes o veículo plainasse na via. observe o ambiente externo. 5. Caso você encontre uma poça mesmo não chovendo. e só mantenha a viagem assim que as condições melhorarem. perdendo todo o contato com a pista e provocando a perda do controle da direção. reduza a velocidade antes de entrar nela e segure a direção firmemente para manter o controle do veículo. assim. evitando os acostamentos. diminua a velocidade e não pare o veículo. exigindo uma tomada rápida de ação.3 Aquaplanagem A aquaplanagem ou hidroplanagem é caracterizada pela perda de aderência dos pneus com o solo. pois esse também pode lançar objetos para a via. utilize-o antes. Assim. como a vegetação e a sinalização.5. a colidir ou causarem uma sucessão de colisões. 5. redobre a atenção ao encontrar essa situação.4 Neblina ou Cerração Em caso de neblina ou cerração. pois aqueles que o sucedem podem não visualizar sua presença inerte na via e virem.6 Fumaça Fumaças provenientes de queimadas às margens da via proporcionam uma menor visibilidade. Evite utilizar os freios quando for passar por uma poça d’água. diminua a velocidade e mantenha distância segura dos veículos. procure um lugar seguro para parar.

com os pedestres. entre eles: 1. 3. que geralmente usam a faixa mais à direita da via.Colisão em ultrapassagens.Colisão em cruzamentos. que circulam nos corredores das faixas de rolamento.Colisão com pedestres. se não observadas antes de executarmos alguma manobra. Assim. que passam entre os carros desrespeitando as faixas de travessia e com os ciclistas.Colisão com o veículo de trás. o que resulta em engarrafamentos e em um trânsito bem mais lento. utilize sempre a luz baixa do farol. considerada uma infração de trânsito grave. para que o veículo de trás não colida com o seu. 5. em determinados períodos do dia.5. 2. por mais rápida que seja. podem causar acidentes. Nesses momentos. 5. é comum um maior número de veículos nas vias. deve-se ter cuidado com os motociclistas. Sendo que o uso do farol alto deve ser restrito aos momentos em que não houver veículos à sua frente. 4. Em portas de escolas. ao cruzar outros veículos ou ao seguir um veículo à frente. dessa forma. é importante que sejamos vistos e que vejamos tudo ao nosso redor.Colisão com o veículo da frente. Essas condições. jamais pare seu veículo em fila dupla. 6. pois essa atitude. mesmo nas vias com iluminação. evite encurtar os corredores por onde os motociclistas passam e não freie bruscamente. o uso do farol é obrigatório a qualquer momento. E por medida de segurança nas estradas e rodovias e nos casos de motocicletas.9 Tipos de Colisões As colisões são causadas pelos impactos dos veículos e existem vários tipos. À noite. é prejudicial ao bom andamento do trânsito e. e o mesmo deve ser alternado para baixo. 5.8 Hora do Rush Na maioria das cidades. .7 Iluminação A luminosidade em excesso ou a escassez de luz pode ser prejudicial aos condutores.Colisão frente a frente. procure manter uma distância segura do veículo à frente.

Tente posicionar os retrovisores externos de forma mais aberta. . isso é o melhor a ser feito.7. gestantes. violentamente. Mantenha-os calibrados conforme o manual do veículo e de acordo com os pesos da carga e dos passageiros. pois uma freada mais brusca pode causar acidentes e quem realiza esse tipo de colisão está legalmente sem razão. 5. principalmente se o veículo não tiver direção hidráulica. procure distribuir o peso das bagagens no porta-malas. 7. 5.Colisão com motocicletas. 3. Sempre. o volante poderá girar. Crianças menores de sete anos e meio de idade. reduza a velocidade antes dessas ou utilize o freio motor.Colisão com animais. prendendo seus polegares ou até mesmo quebrando-os. 8. Evite frear nas curvas. 10. 6. mantenha distância ideal do veículo à frente e nunca “cole” atrás de outros veículos na cidade ou nas estradas. 8. utilize outro assento. Ligue a seta bem antes de fazer uma conversão. 11.Colisão em marcha a ré. 4. pois muito cheios podem diminuir a aderência. como um tronco de árvore. para aumentar o ângulo de visão e diminuir os pontos cegos presentes nas laterais dos veículos. assim você melhorará a estabilidade do veículo. caso seu veículo possua um dispositivo para desativá-lo. A razão para isso é: se a roda chocar contra um objeto externo. Deve-se dirigir com os polegares da mão para cima e para fora do volante. um buraco ou uma pedra. Evite encher demais os pneus.Colisão com ciclistas. se não. Nas viagens. 2.10 Observações Gerais de Segurança no Trânsito 1. 9. idosos e acento de bebês (cadeirinhas) não devem ser transportados em acentos com airbag.Colisão misteriosa (quando o condutor morre ou não assume a culpa pelo erro).

pois esse tem a função de desacelerar o corpo junto com a desaceleração do veículo. praticamos direção defensiva sem percebermos. não dirigindo apenas para si. Lembre-se – O motorista defensivo é aquele que adota um procedimento preventivo no trânsito. Aprendemos que para uma viagem (curta ou longa) transcorrer sem acidentes de trânsito é preciso obediência às normas. E que muitas vezes. quando acionado. infla instantaneamente. para não atrapalharem seus reflexos e sua atenção. é aconselhável em caso de emergência pressionar seu pedal com firmeza sem aliviar e. A prática das atitudes elencadas nesse livro fazem de você um motorista defensivo. de forma a automatizar os procedimentos e as atitudes corretas. Portanto. Em veículos com sistemas de freios. Evite o som alto e falar demais enquanto estiver dirigindo. pois esse. sem folgas. sempre com cautela e civilidade. Use o cinto de segurança. Esse não dirige simplesmente. à prevenção de acidentes e de situações incomuns. pois está sempre atento à segurança.9. entre o corpo e o banco. . Essas folgas permitem que o veículo desacelere enquanto o corpo continua na mesma velocidade e quando o corpo eliminá-las ocorrerá um choque denominado efeito chicote. lembre-se de alternar seus comportamentos. podendo causar um choque maior que o da colisão. incorporando essas técnicas ao seu cotidiano. caso necessário. vimos que as condições ambientais são fatores fundamentais para o bom desenvolvimento de seu veículo e o resguardo da integridade de tudo à sua volta. virar a direção sem perder o controle. mas. 11. 10. para todos que usam a via. O uso do cinto de segurança em veículos com airbag é muito importante. às regras e aos regulamentos do CTB. tornando o trânsito mais seguro. reconhecendo e abandonando antigos vícios e maus hábitos. É hora de recapitularmos! Neste capítulo. e que as condições adversas devem sempre ser respeitadas.

Sendo os veículos uns dos grandes “vilões” do meio ambiente. agora sobre as poluições. . para a redução desses agentes nocivos à saúde e ao meio ambiente. Falaremos. levando em consideração a qualidade da mesma. procure sempre verificar se seu veículo não está emitindo gases em excesso e nem. Assim. alguns componentes como: os monóxidos de carbono. pois as emissões de gases oriundos de seus escapamentos possuem em sua composição diversos agentes nocivos ao ambiente.1 Poluições 6. 6. Por isso.1 Poluição do Ar A poluição do ar.1. Sendo que danos ao aparelho auditivo podem ser irreversíveis e causar problemas graves de saúde. o lixo e os relacionamentos no trânsito. diariamente. consumindo combustível demasiadamente. assim você poupará seu dinheiro e o meio ambiente. óxido de nitrogênio e diversos materiais particulados (fumaça preta). O objetivo fundamental das leis ambientais é a preservação da vida humana. é necessário viver em um ambiente saudável e seguro. não utilize buzinas sem necessidade. hidrocarboneto. A regulagem do veículo e o tipo de combustível utilizado é parte fundamental da ação dos motoristas.Capítulo 6 Noções de Meio Ambiente Esperamos que você esteja gostando do Livro e aprendendo tudo sobre direção defensiva.1. em quantidades assustadoras. pois esses são sinais de que uma regulagem ou manutenção deve ser realizada. evite reduções de marchas e acelerações em excesso. vivendo em harmonia com os outros e também com o trânsito. 6.2 Poluição Sonora Os ruídos emitidos pelos veículos são prejudiciais à saúde de todos. é consideravelmente elevada. procure não utilizar o veículo caso o sistema de escapamento esteja danificado. Assim. produzida diariamente pelos veículos. que possuem alto poder nocivo e são lançados. que também influenciam o motorista na direção.

Precisamos lembrar: o respeito ao ser humano e as regras de convivência são os principais fatores para a melhoria da sociedade. causando inundações e alagamentos durante os períodos de chuvas. para que possamos promover segurança e tranquilidade para todos os usuários das vias. Vejamos alguns exemplos de boa conduta dos motoristas defensivos: 1. Assim.2 Lixo é na Lixeira Jamais jogue lixo nas vias públicas. Um caso passível de desentendimentos. os dejetos podem entupir o sistema de escoamento de água. pois a boa educação deve ser seguida tanto no trânsito quanto em outros setores e segmentos da vida cotidiana. o que infelizmente. pedestres e outros devem participar da organização na qual estão inseridos exercendo a cidadania com boas maneiras e hábitos. direcione se para a outra faixa e dê a passagem.3 Relacionamentos no Trânsito Nossos comportamentos no trânsito devem ser corretos e educados. sinalize. não acelere e nem obstrua a passagem dos outros e siga a sua viagem normalmente.Ao ser solicitado com um sinal de farol piscando. pois não adianta muito e o barulho somente aumentará sua irritabilidade em relação aos outros. Por isso. isso é uma questão de educação e de bom senso. seguro e educado. motociclistas. tem-se tornado muito comum. pacífico. sinalize usando as setas e gestos com o braço quando possível e espere pelo melhor momento. Pois. 6. motoristas. todos os usuários. é quando recebermos “fechadas” ou “fecharmos” outros veículos no trânsito. além de poluírem as vias. Existem momentos em que é necessário manter a calma e não propagar atitudes deselegantes e inconvenientes sofridas no trânsito. Ações simples e de boa convivência no trânsito são fundamentais para que você não se envolva em nenhuma “confusão”. . o conhecimento da legislação de trânsito é fundamental. 2. mantenha sempre uma lixeira dentro do seu veículo. mas que sempre deve ser evitado.6. Por isso. Isso não é vergonhoso e nem vai atrapalhar ou diminuir seu tempo de viagem. prejudicando. confira antes os retrovisores.Evite o excesso de buzinadas no trânsito. assim. Existem algumas ações que você pode incorporar à sua maneira de dirigir. que farão com que o trânsito se torne mais humano.Não mude de pista bruscamente. 3.

pois isso pode trazer-lhe consequências gravíssimas. acione a polícia e faça uma ocorrência. . no trânsito. pois. Sendo o bom relacionamento o que garantirá a condição de vida e de paz nas vias. todos devemos seguilas sem diferenciações. caso o outro motorista insista em discutir ou até mesmo em seguir-lhe. vimos que o ser humano é um dos elementos do ambiente e constituído de três partes: o biológico. por mais certo que você possa estar. nos diferentes níveis de sua evolução.Aja cordialmente com os outros motoristas e jamais pare o seu veículo para discutir ou reclamar com terceiros. Não arrisque sua vida por brigas no trânsito! É hora de recapitularmos! Neste capítulo. Aprendemos que a individualidade que compõe cada ser é o que faz a convivência em sociedade ser regida por leis e regras. o racional e o emocional. que estão sempre integrados e inter-relacionados entre si e com os outros elementos da natureza. ninguém é mais ou pode mais que o outro. Caso necessário.

7. As penalidades são caracterizadas em sua maioria pelas advertências por escrito e as multas são classificadas como leves. grave e gravíssima. como em casos dos acidentes provocados por uso de bebidas alcoólicas que produzam vítimas fatais. médias. em sua grande maioria. O objetivo é que com estas medidas. podendo ser tipificado como homicídio culposo e assim o cumprimento de pena de detenção que varia de 2 a 4 anos e a perda da Carteira Nacional de Habilitação . algumas infrações de trânsito passaram a ser tipificados como crimes. na legislação de trânsito em vigor. percebemos que. estamos sujeitos a algum tipo de pena.Capítulo 7 Infrações e Penalidades de Trânsito Neste capítulo aprenderemos um pouco sobre as infrações e penalidades enquanto dirigimos. os meios legais consigam conter a violência no trânsito. além da multa. . tendo os seus infratores. que caso chegue a 20 pontos no ano. o condutor tem uma pontuação somada ao seu prontuário. impostas para forçar os motoristas e seus veículos a estarem dentro da lei. existem mecanismos que visam coibir o grande número de acidentes de trânsito.1 O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) O CTB estabelece que os descumprimentos às leis de trânsito estão sujeitos à aplicação das sanções cabíveis. Com isso. que acontecem no dia-a-dia em nossas cidades. 7. Além do pagamento dessas. E esses atos podem ser de caráter administrativo ou as penalidades previstas no CTB. e com isso educar e transformar os motoristas que não possuem respeito às leis de trânsito. acarretará suspensão de conduzir por um mês a um ano.CNH. cujas medidas. Como forma de “frear” o crescente número de acidentes. penas de detenção.2 Medidas Administrativas e Penalidades Ao descumprimos as regras de trânsito. são de forma pecuniária.

7. Dirigir sob o efeito da ingestão de álcool ou outros psicotrópicos que geram dependência. Participar. de exibição ou de demonstração de perícia em manobra de veículos automotores. encarregar-se de um processo judicial e. que deverá julgá-lo em até trinta dias a partir da data de recebimento da notificação.multa de 120 (cento e vinte) UFIR e 5 pontos. multas. poderá receber penas que variam desde a prestação de serviços à sociedade. cabendo ao condutor impor sua defesa. não autorizadas pelas autoridades competentes. restituição ao erário. em vias públicas. O condutor que comete infrações.multa de 180 (cento e oitenta) UFIR e 7 pontos. 283 do CTB e será analisado junto à JARI (Junta Administrativa de Recurso de Infração) do órgão que interpôs a notificação de autuação.3 Recursos de Infrações O recurso de uma infração é previsto no art. além das penalidades impostas. pelas autoridades de trânsito. Os enquadramentos legais mais comumente observados são aqueles que devem ser evitados pelos motoristas. disputas ou competições automobilísticas.As medidas administrativas mais comuns são: retenção e/ou remoção do veículo e recolhimento da CNH ou permissão para dirigir e do certificado de licenciamento do veículo. Infração grave . pagamento de indenizações às vítimas e suspensão do direito de dirigir à detenção. Transitar em velocidades superiores à máxima permitida. sendo esses: • • • Dirigir sem a habilitação (CNH). Infração média . • . As infrações punidas com multa e os pontos computados classificam-se de acordo com a gravidade vejamos: Infração gravíssima . Infração leve .multa de 80 (oitenta) UFIR e 4 pontos. de corridas. administrativamente. se considerado culpado. 7.multa de 50 (cinquenta) UFIR e 3 pontos.4 Crimes de Trânsito Os crimes cometidos na direção de veículos automotores previstos no CTB aplicam-se às normas gerais do Código Penal e do Código de Processo Penal.

. estudamos que infrações de trânsito são as inobservâncias de quaisquer preceitos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). além das punições previstas no Capítulo XIX do mesmo código e às sanções do Código Penal Brasileiro. da legislação complementar ou das resoluções do CONTRAN. para se resguardar das sanções impostas. Vimos também que cabe ao motorista seguir a condução defensiva e o respeito às leis de trânsito. sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas indicadas em cada artigo.É hora de recapitularmos! Neste capítulo.

excluído o do motorista. obedecendo a seguinte ordem.Ser considerado apto por exame médico. 1. Essa deverá ser fornecida à pessoa que visa conduzir veículo automotor e elétrico e será concedida por meio de exames.condutor de veículo motorizado. 148 do Código de Trânsito Brasileiro estabelece que o exame de direção defensiva. do domicílio ou residência do candidato ou na sede estadual ou distrital do próprio órgão. 8. para pessoas entre 18 e 65 anos.Capítulo 8 Obtenção e Renovação da Carteira Nacional de Habilitação -CNH Neste capítulo estudaremos os requisitos básicos para a obtenção ou renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). para maiores de 65 anos.CNH A CNH .Ser penalmente imputável. cujo peso bruto total não exceda a três mil e quinhentos quilogramas e cuja lotação não exceda a oito lugares. não abrangido pela categoria A.condutor de veículo motorizado de duas ou três rodas. que deverão ser realizados junto aos órgãos ou entidades executivas do estado. II . I . e a cada 3 anos.1 Carteira Nacional de Habilitação . salvo aqueles que tenham obtido a mesma após 21/11/99 e desejam renová-la. para obtenção e/ou renovação da CNH. . com ou sem carro lateral. O Art. devendo o candidato preencher os seguintes requisitos.é um documento com validade e sua renovação dever ser feita a cada 5 anos.Saber ler e escrever.Possuir Carteira de Identidade ou equivalente. 2.Categoria B .Categoria A . deverá ser obrigatório para todos os candidatos. IV . III . conforme o Código de Transito Brasileiro (CTB). Os candidatos poderão se candidatar às categorias de A até E. (exceto para categoria A).Carteira Nacional de Habilitação .

Conselho Nacional de Trânsito. seja enquadrado na categoria trailer.3. quando pretender habilitar-se na categoria D.Categoria C . o condutor que não tem curso de direção defensiva e primeiros socorros deverá a eles ser submetido. o condutor deverá estar habilitado no mínimo há um ano na categoria B e não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos doze meses.Categoria D . .Categoria E . 8. o candidato deverá preencher os seguintes requisitos: . . ou. conforme o § 1º do Art.Estar habilitado: a) No mínimo dois anos na categoria B. Para habilitar-se na categoria C. ainda. 148. ou cuja lotação exceda a oito lugares. c) Não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos doze meses. Para habilitar-se nas categorias D e E ou para conduzir veículos de transporte coletivo de passageiros. 5.Ser maior de vinte e um anos.condutor de combinação de veículos em que a unidade tratora se enquadre nas categorias B. b) No mínimo um ano na categoria C. d) Ser aprovado em curso especializado e em curso de treinamento de prática veicular em situação de risco nos termos da normatização do CONTRAN .condutor de veículo motorizado utilizado no transporte de passageiros. de escolares. C ou D.condutor de veículo motorizado utilizado em transporte de carga. cuja unidade acoplada. Ao renovar os exames obrigatórios. 4. excluído o do motorista. reboque. conforme normatização do CONTRAN. tenha seis mil quilogramas ou mais de peso bruto total. Sendo a carga horária mínima desse curso 10 horas. cuja lotação exceda a oito lugares. cujo peso bruto total exceda a três mil e quinhentos quilogramas. semi-reboque ou articulada. de emergências ou de produtos perigosos. quando pretender habilitar-se na categoria E. ou no mínimo há um ano na categoria C.2 Obrigatoriedade do Curso de Direção Defensiva Conforme o CTB a obrigatoriedade do curso de direção defensiva é definida pela necessidade de formação de condutores conscientes e a educação dos mesmos visando a diminuição de acidentes.

medidas benéficas visam a segurança de todos. Boa sorte e Sucesso! . sejam esses presenciais ou on-line. independente de quem tenha razão ou de quem seja a culpa. além de reciclar o conhecimento dos mesmos e reduzir o número de acidentes no trânsito. os cursos preparatórios tornam-se imprescindíveis. É hora de recapitularmos! Neste capítulo. Essa prova é obrigatória e como o índice mínimo de acertos é 70% para a realização da renovação. de acordo com o DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito) entidade máxima do trânsito brasileiro. é nivelar o conhecimento de todos os condutores com os assuntos solicitados na primeira habilitação. A característica mais importante do motorista defensivo é ficar satisfeito ao evitar acidentes.O objetivo dessa prova. Muito bem! Espero que tenha aprendido bastante e coloque em prática a direção defensiva. vimos que cabendo a todos os motoristas e candidatos à obtenção da CNH enquadrarem-se nesse sistema. Sendo que a realização de todos os exames e cursos solicitados. vimos que o sistema brasileiro de obtenção e renovação da CNH é rigoroso e segue os padrões internacionais.