UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

THIAGO LUIZ POMKERNER

REVISÃO SOBRE PRIMEIROS SOCORROS PARA ACIDENTADOS COM ELETRICIDADE

TRABALHO DE CONCLUSÃO DA DISCIPLINA PCRMEI - ELÉTRICA

PONTA GROSSA 2012

ocorreu no mundo dois milhões de mortes ligadas ao trabalho no ano de 2002. ainda hoje. é grave e de certa forma é desconhecido pela grande maioria da população.094 mortes por acidentes do trabalho. verificou-se uma diminuição no número das lesões de maior gravidade. Com relação a acidentes do trabalho fatais. o respeito dos fabricantes na preparação de componentes elétricos. em todos os lugares. 2003). essas ocorrências são vistas como falta de sorte (Mendes. com um coeficiente de 0. partes e peças são inúmeras e contribuem para a segurança de todos no quesito elétrico. enquanto que. no imaginário dos trabalhadores. a fiscalização atuante e ainda assim os acidentes com eletricidade são frequentes e na grande maioria deixam sequelas graves. sempre há a nossa disposição uma fonte provedora de tensão para ser utilizada. Com relação aos acidentes causados por contato com eletricidade. foram registradas 3. Esta difusão de pontos e facilidades torna elevado o risco de acidente com eletricidade. O problema existe. e. Muitas teorias já foram criadas na tentativa de explicar os acidentes do trabalho.Introdução Eletricidade é uma das formas de energia mais difundida no planeta neste início de século. Segundo estudo apresentado em congresso organizado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). os autores que trataram do assunto são unânimes ao afirmarem que embora os mesmos não sejam os de maior ocorrência.000 segurados (Brasil. que nas nações subdesenvolvidas ocorreu maior número de mortes e acidentes graves. Sugestões mais recentes falam a favor de uma concepção multicausal que mostra um universo ampliado a ser explorado. de certa forma. A legislação que regulamenta o trabalho em eletricidade. sem falar que. ainda segundo a mesma fonte. . NR-10 é atual e suficiente. Os acidentes do trabalho. envolvem risco de vida extremamente elevado. A observância de empregados e empregadores. muitas vezes. Informou-se. 2004). Ela está presente em todos os segmentos da sociedade. nos países industrializados. no ano de 2001. são considerados por muitos como eventos inesperados. relacionando organização do trabalho e o gerenciamento da produção e não só a culpabilidade daquilo que está mais próximo aos fatos acontecidos (Mendes. 2003). as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que especificam equipamentos.17 óbitos por 1.

segundo e terceiro graus (Alcântara. Na maioria das vezes. não sendo necessariamente letal constituindo-se num conjunto de perturbações de natureza e efeitos diversos. e do fato de sua propriedade física ser invisível. com fraturas e outros traumatismos. fibrilação ventricular. ficando no fundo partículas da fusão do metal. queimaduras. pode vir a ser vítima de um acidente envolvendo a eletricidade (Alcântara. quando percorrido por corrente elétrica. menos avisada. Todas essas lesões são resultado de fatores que variam de pessoa para pessoa e até na mesma pessoa de acordo com as condições fisiológicas e ambientais. A duração desse tipo de choque é muito pequena. elíptica ou estrelada. 2003). transformação de energia elétrica em térmica. Choque produzido por contato com corpo eletrizado: aquele produzido por eletricidade estática. Podem-se classificar estas consequências em diretas. que provoca o destacamento da pele. 2003). cuja lesão mais simples é a “Marca de Jelinek”. lesões nervosas. em nosso dia-a-dia. 2003). Silva. mumificada. a eletrocussão pode provocar queimaduras de primeiro.Eletrochoque e outras causas de acidente e morte Choque elétrico. quando se tratar de quedas de níveis elevados. asfixia e anoxia. da intensidade. ou da palma da mão até a planta do pé (Alcântara. 1982). devido à curtíssima duração. Devido ao “efeito Joule”. As manifestações relativas ao choque elétrico dependendo das condições e intensidades da corrente podem ser desde uma ligeira contração superficial até uma violenta contração muscular que pode provocar a morte (Alcântara. são encontradas no local do acidente (Alcântara. o choque ocorre enquanto permanecer o contato e a fonte de energia estiver ligada. Os tipos mais frequentes de choque elétrico são aqueles em que a corrente elétrica circula da palma de uma das mãos à palma da outra mão. da voltagem e do trajeto da corrente (Alcântara. Outras lesões. da frequência. qualquer pessoa. 1982). 1982). que se manifestam no organismo humano ou animal. 1982). Choque produzido por raio: surge quando acontece uma descarga atmosférica e esta entra em contato direto ou indireto com uma pessoa. oftalmia elétrica. lesões vasculares e lesões ósseas. por uma diferença de potencial elétrico entre suas extremidades. Existem 3 categorias de choque elétrico:  Choque produzido por contato com circuito energiza do: surge pelo contato direto da pessoa com a parte energizada da instalação. Por conta da universalidade do uso da energia elétrica. e indiretas. da taxa de álcool no sangue. eletroplessão ou eletrocussão é uma síndrome desencadeada pela eletricidade artificial. uma lesão esbranquiçada e de consistência endurecida. Lima. 1994. como a metalização. Os efeitos desse tipo de choque são   . referindo-se às contrações musculares. este tipo de choque elétrico não provoca efeitos danosos ao corpo. Alcântara. com o centro encovado e as bordas elevadas. com forma circular. parada cardíaca. O corpo funciona como condutor de eletricidade. é indolor e fixa ao plano subjacente (Peixoto. o suficiente para descarregar a carga da eletricidade contida no elemento energizado.

os profissionais devem ser habilitados. pior será o seu efeito no mesmo. 2003). proceder ao nível de isolamento adequado. Pessoas com problemas cardíacos. Está é maior nas pontas dos dedos do que na palma da mão. e. enquanto que na corrente alternada é de 1 miliampére. realizar aterramento bem dimensionado. usar cores padronizadas para fase e para o neutro. e nesse nível é importante serem observadas as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) ou internacionais. quando o sistema entra em operação. Frequência – As correntes elétricas da alta frequência são menos perigosas ao organismo humano do que as de baixa frequência. seccionar e aterrar cercas sob-redes elétricas e. O limiar de sensação da corrente continua é da ordem de 5 miliampéres. Condições orgânicas do Individuo – Os efeitos do choque elétrico variam de pessoa para pessoa. As correntes elétricas de baixa intensidade provocam a contração muscular. aterrar equipamentos. e dependem principalmente das condições orgânicas da vítima..Quanto maior for a intensidade da corrente que percorrer o corpo. situação em que muitas vezes não consegue se desprender do objeto energizado. em se tratando de corrente alternada. trabalhar em rede desenergizada. A corrente elétrica passa a ser perigosa para o homem a partir de 9 miliampéres. estão mais propensas a sofrer com maior intensidade o choque elétrico. podendo ocorrer queimaduras graves e até a morte imediata (Alcântara. A pele molhada diminui a resistência de contato. e maior nesta do que no braço. deficiência alimentar. mentais. Resistência do Corpo – Também a resistência ôhmica varia de individuo para individuo. em zonas rurais.      . A epiderme seca tem uma resistividade que depende do seu estado de endurecimento (calosidade). com rigorosa observação das normas vigentes e com uso correto de equipamentos de proteção (Almeida. utilizar sinalização adequada. permitindo assim a passagem de maior intensidade de corrente elétrica. recomenda-se novamente que as tarefas sejam executadas por profissionais devidamente habilitados. Os idosos submetidos a uma intensidade de choque elétrico relativamente fraco podem sofrer sérias consequências. cabines de força com acesso restrito a pessoas qualificadas e portando todo o material correto para realização da tarefa. etc. 2005) Efeitos da Eletricidade no Corpo Humano Os efeitos do choque elétrico no corpo humano variam e dependem principalmente das seguintes circunstâncias:  Intensidade da Corrente . respiratórios. A proteção contra a ocorrência de choque elétrico deve ser evidente desde a fase do projeto de execução de serviços em eletricidade. usar equipamento de proteção. Na fase de instalação. 45 miliampéres para corrente contínua.intensos e imediatos. finalmente. Natureza da Corrente – O corpo humano é mais sensível à corrente alternada de frequência industrial (50/60 Hz) do que a corrente continua.

por outro lado quanto maior a duração mais danosa os efeitos. Garanta as funções vitais do acidentado (respiração e circulação). ele passa a ser percorrido por uma corrente elétrica cuja intensidade de acordo com a Lei de Ohm é em função da tensão e da resistência. Não tracione membros ou faça movimentos bruscos com a vítima. A corrente elétrica pode matar imediatamente ou pode colocar a pessoa inconsciente. Certifique-se de que há condições seguras o bastante para atendimento pré-hospitalar. Duração do choque O tempo de duração do choque é de grande efeito nas consequências geradas. o socorrista deverá estar atento a obedecer aos passos a seguir: · · · Mantenha-se calmo e evite o pânico. Faça uma avaliação primária da vítima e dê prioridade aos casos mais graves. choque e envenenamento. A sensibilidade do organismo a passagem de corrente elétrica inicia em um ponto conhecido como Limiar de Sensação e que ocorre com intensidade de corrente de 1 mA para corrente alternada e 5 mA para corrente contínua.Ao passar pelo corpo humano a corrente elétrica danifica os tecidos e lesa o tecido nervoso e cerebral. provoca coágulos nos vasos sanguíneos e pode paralisar a respiração e os músculos cardíacos. Não dê líquidos ou mesmo produtos para instalação. a corrente faz os músculos se contraírem a 60 ciclos por segundo. razão pela qual não se considera a eletricidade estática. Resistência do circuito Quando o corpo humano é intercalado ao circuito elétrico. e com isso a corrente também será alternada. estas correntes de altas frequências acima de 100000 Hz. sem risco para o socorrista e a vítima. Mantenha a vítima em posição confortável e aquecida. inconsciência. tais como: hemorragia abundante. parada cardiorrespiratória. Dependendo das partes do corpo intercalado ao circuito a resistência do conjunto pode variar. Primeiros Socorros à Vítima de Choque Elétrico Para prestar socorro a uma vítima de acidente ou mal súbito. Você poderá agravar o estado da vítima com manobras intempestivas. Não abandone a vítima para procurar socorro. as correntes de curta duração tem sido inócuas. ou seja. Frequência da corrente O Limiar de sensação da corrente cresce com o aumento da frequência. que é a frequência da corrente alternada. correntes com altas frequências são menos sentidas pelo organismo. cujos efeitos se limitam ao aquecimento são amplamente utilizadas na medicina como fonte de febre artificial. · · · · · · . Nessas condições pode-se fazer circular até 1 A sobre o corpo humano sem causar perigo.

pois se não for tomado o devido cuidado a pessoa que for ajudar pode ser tornar mais uma vítima. asma. O ser humano que está com parada respiratória e cardíaca passa a ter morte cerebral dentro de 4 minutos. Após qualquer atendimento de emergência. . Então se deve observar bem qual foi o contato que causou o choque. Infelizmente no Brasil não está incluído no currículo escolar as principais ações de Primeiros Socorros que todos os cidadãos deveriam saber. epilepsia. O caminho é a aplicação de técnicas de primeiros socorros por pessoa que esteja nas proximidades. pesquisas realizadas recentemente apresentam as chances de salvamento em função do número de minutos decorridos do choque aparentemente mortal. É importante ter em mente que a primeira coisa a ser feita é garantir a segurança do socorrista.· · O atendimento deve ser feito preferencialmente no solo. Antes de tudo. gravidez. Uma das mais perigosas é socorrer uma pessoa vítima de Choque Elétrico. por isso é necessário que o profissional que trabalha com eletricidade deve estar apto a prestar os primeiros socorros a acidentados. hemofilia. ligue para o Corpo de bombeiros 192 e solicite ajuda. bem como se possível. para não aumentar o número vítimas. diabetes. Devem ser prestadas informações corretas ao hospital sobe os procedimentos realizados. então não se deve esperar. pela análise da tabela abaixo esperar a chegada da assistência médica para socorrer a vítima é o mesmo que assumir a sua morte.). especialmente através de técnicas de reanimação cardiorrespiratória. As chances de salvamento da vítima de choque elétrico diminuem com o passar de alguns minutos. etc. Transporte à vítima para o hospital mantendo as funções vitais. a vítima deve ser encaminhada para um atendimento médico especializado. sobre os dados de saúde da vítima que você saiba (hipertensão.

intermitentemente. Caso haja dois socorrista que saibam fazer a massagem cardíaca. deve-se afasta-lo da vítima com uma madeira ou outro objeto isolante. procurando manter uma frequência de 80 a 100 massagens por minuto. verificando o pulso frequentemente. O socorrista deve verificar a eficiência da reanimação após 5 ciclos de 15 por 2. abrir e descobrir as vias aéreas. Se a pessoa não voltar. tábua.5 a 2 segundos cada). Se não existir inicie as Manobras de Ressuscitação (Massagem cardíaca). concomitantemente. Quando você não tem conhecimento do ocorrido. observando a ausência de movimentos do tórax e pulso. cadeira de madeira ou bastão de borracha. estendendo a cabeça da vítima. Depois que a vítima do choque não estiver mais em contato com o fio e você não correr riscos. Trate as queimaduras com gaze limpa e úmida. pele fria e arroxeada. até a presença de um suporte avançado. e a vítima apresentar. não-condutor de corrente. manchas hipoestáticas e pupilas . afrouxar as roupas. quando de tratar de um socorrista. parada respiratória e ausência de pulso em grande artéria. O socorrista deve-se certificar-se da parada cardiorrespiratória. sempre procurando a presença do pulso. então deve ser feita o atendimento da seguinte forma:      Verifique a presença de pulso. de modo a expandi os pulmões. envolva-as em jornal ou um saco de papel. É importante também estar com um calçado de borracha para evitar contato com superfícies que possam estar conduzindo energia. a ressuscitação cardiopulmonar deve ser feita utilizando o método de 1 ventilação para 5 massagens. Na ausência de pulso. como um cabo de vassoura. o socorrista deve fazer uma ventilação a cada 5 segundos (em caso de adulto). comprimindo o tórax 15 vezes. corda seca. lateralize-a. As manifestações são inconsciências.Se for um fio elétrico. depois se se deve colocar a máscara (Pocket Mask) na face da vítima e fazer duas expirações firmes e profundas (de 1. mas não respiração. alternando esse movimento com 2 ventilações. Quando a pessoa voltar. Outras atitudes a tomar:    Desligue o aparelho da tomada ou a chave geral. Empurre a vítima para longe da fonte de eletricidade com um objeto seco. continue fazendo a massagem até a chegada dos Bombeiros. palpar uma das carótidas por alguns segundos. Para o socorro deve-se colocar a vítima de barriga para cima. O socorrista que está ventilando deve. Afaste as pessoas curiosas que também possam se tornar novas vítimas. rigidez de articulação. Se tiver que usar as mãos para remover uma pessoa. A parada cardiorrespiratória pode ser provocada pelo choque elétrico. Emergência Cardiorrespiratória A ressuscitação cardiopulmonar é um conjunto de manobras utilizadas para restabelecimento das funções circulatórias e respiratórias para preservar a vida. fazer massagem cardíaca. Se houver o pulso arterial.

podendo atingir 5 horas ou mais. pode dar-lhe café ou chá quente. peito e abdome da vítima. esta não apresentar rigidez cadavérica. até que a vítima respire normalmente. palito. maior será a probabilidade de êxito no salvamento. com a máxima segurança possível e a máxima rapidez. O revezamento de pessoas. há possibilidade de salvamento. Antes de aplicar o método. inicie a respiração artificial. não permitindo que se levante ou se sente. mesmo que para isso precise usar força. nunca use as mãos ou qualquer objeto metálico ou molhado para interromper o circuito ou afastar um fio. bem como. Método da respiração artificial “Hoger e Nielsen”. alimentos. mantenha-a em repouso e agasalhada.                . As instruções gerais referentes à aplicação desse método são as seguintes:  Antes de tocar o corpo da vítima. outras pessoas devem ocupar-se deles. em caso negativo. Desaperte os punhos. O método de “Hoger e Nielsen” consiste em um conjunto de manobras mecânicas por meio da qual o ar. procure livrá-la da corrente elétrica. não lhe dê de beber. Agasalhe a vítima a fim de aquecê-la. por menor que seja.dilatadas. enquanto houver calor no corpo da vítima. Não faça qualquer interrupção. Não aplique injeção alguma. é forçado a entrar e sair alternadamente dos pulmões. Depois de recuperada a vítima. Quanto mais rapidamente for socorrida a vítima. outra pessoa deve cuidar dessa tarefa de modo a não prejudicar a aplicação da respiração artificial. na aplicação do método. Procure abrir e examinar a boca da vítima ao ser iniciada a respiração artificial. Não mova a vítima mais do que o necessário à sua segurança. a fim de evitar que se engasgue. ou quaisquer peças de roupa que por acaso apertem o pescoço. enquanto estiver aplicando o método. Ao ter o inicio a respiração natural. durante a aplicação deve ser feito de modo a não alterar o ritmo da respiração artificial. após a recuperação total da vítima. inicie o método imediatamente e deixe essa tarefa a cargo de outra pessoa. ·Não distraia a sua atenção com outros auxílios suplementares que a vítima necessita. A ressuscitação cardiorrespiratória deverá ser finalizada quando as funções vitais retornarem. a fim de retirar possíveis objetos estranhos (dentadura. O tempo de aplicação é determinado. examine a vítima para verificar se respira. por menor que seja na aplicação da respiração artificial. para possibilitar o revezamento de operadores. não perca tempo. na exaustão do único socorrista ou na presença de uma autoridade médica. colarinho. etc. em certo e determinado ritmo. sintonize o ritmo da respiração artificial com a natural. em caso de haver dificuldade em abrir a boca da vítima. para reanimação de vítimas de choque elétrico. A respiração artificial é empregada em todos os casos em que a respiração natural é interrompida. cinta. Desenrole a língua caso esteja enrolada. mesmo no caso deve se tornar necessário o transporte da vítima a aplicação deve continuar. Chame imediatamente o médico e alguém que possa auxiliá-lo nas demais tarefas. sem prejuízo da respiração artificial.). Não faça qualquer interrupção. não deverão ser realizados a ressuscitação cardiorrespiratória. examinar também narinas e garganta.

especialmente quanto às medidas de prevenção de acidentes.        Inicie a respiração boca-a-boca logo que a vítima esteja livre do contato com a corrente. até a respiração ficar normal. . a língua presa ao queixo vai para trás. é só em um estágio mais prolongado é que se verifica a parada cardíaca. Tão logo ouça a criança expirar. Toda vítima de parada respiratória perde a consciência e. por isso socorra a vítima rapidamente sem perda de tempo. método boca-a-boca para crianças      Deite a criança com o rosto para cima e a cabeça inclinada para trás. Feche bem as narinas da vítima usando o polegar e o indicador. método boca-a-boca para adultos. de forma que sua língua não impeça a passagem de ar. Coloque sua boca sobre a boca da criança e o nariz da criança. Levante seu pescoço com uma das mãos pela nuca e incline a cabeça para trás mantendo-a nesta posição. como no caso de pessoas intoxicadas por gases venenosos ou que sofram afogamentos. Levante seu queixo de modo que fique projetado para fora. Respiração de socorro. Coloque sua boca com firmeza sobre a boca da vítima. uma vez que os músculos do pescoço. Repita o movimento 16 a 20 vezes por minuto. apesar da ausência de oxigênio. não conseguem manter a base da língua afastada da parede posterior da faringe. Inspire profundamente o ar e sopre-lhe para dentro da boca da vítima até notar que seu tórax está se levantando. Respiração Artificial É chamado de respiração artificial o processo mecânico para restabelecer a respiração. Deixe a vítima expirar o ar livremente. Conserve a criança nesta posição de forma que sua língua não obstrua a passagem de ar. Na maioria dos casos de acidentes por choque elétrico. Respiração de socorro. soprando suavemente até notar que seu peito se levanta e seus pulmões se expandem. repita o método. Para isso coloque a vítima deitada de costas. Deixe a criança expirar livremente. a MORTE é apenas APARENTE. Conclusão No Brasil deveria ser mais amplamente discutido desde o nível escolar básico as técnicas e cuidados de atendimento de emergência para acidentados com eletricidade. relaxados.  Este caso aplica-se em qualquer caso de colapso respiratório. Use a mão que levantou o pescoço para puxar o queixo da vítima para cima. pois no inicio da asfixia o coração continua batendo e a circulação sanguínea é normal. em consequência. obstruindo a passagem do ar.

etc. As medidas de socorro de forma sintetizada podem ser descritas como: Cortar a corrente elétrica (por desligamento da corrente ou remoção da vítima). . mesmo que a vítima recobre os sentidos após os primeiros tratamentos no local. bacia. não só para manter a vítima em condições de ser efetivamente salva. chamada do serviço de emergência. fraturas expostas. por falta de conhecimento. por descontrole emocional diante da situação de emergência ou por negligencia. avaliação da segurança do local. Enquanto as medidas de socorro são aplicadas. É um tipo de socorro que exige persistência e conhecimento. quanto para não agravar seu estado físico decorrentes das lesões outras. Há notícias de pessoas que ficaram por mais de uma hora sendo assistida por socorristas nessa situação e posteriormente foram adequadamente atendidas e conseguiram sobreviver. tais como fraturas de coluna. deve-se buscar atendimento médico urgente. queimaduras. avaliação do estado da vítima e aplicação das técnicas de manutenção da vida. hemorragias.É muito comum os socorristas de acidentados com eletricidade tornarem-se vitimas também.

Efeitos.REFERÊNCIAS. FUNDACENTRO. de Segurança em equipamentos e circuitos elétricos.br/index4. n. D. v. de. São Paulo. Percepção de exposição a cargas de trabalho e riscos de acidentes em Pelotas. 08. São Paulo. & PAULA. p. Armadilhas cognitivas: o caso das omissões na gênese dos acidentes do trabalho. n. e ampl.E. 47-70. M. J. apostila sobre eletricidade. ALMEIDA.F. de. de. Anais. / out. 2. Rio de Janeiro. RS (Brasil). L. Saúde Pública. 03. Rio de Janeiro: Guanabara Dois. 20. R. BINDER.S. COISARADA MATERIAIS ELÉTRICOS. In: Congresso Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho. São Paulo. ALCÂNTARA. R. 2012a.vilabol.uol. 06. 5. 1979. R. RIBEIRO FILHO. 457-64. São Paulo: Atheneu. 17. 33. Saúde Pública. Rev. P. São Paulo. FUNDACENTRO. ALCANTARA. C. 02. Exame de lesões corporais.com. 1999. S. 1373-1378. 01. 07. R. (org. Texto on-line disponível na Internet via URL: <http://dalcantara. p. Perícia médica judicial. p. J. Lages SC coisarada@coisarada. LIMA. . et al. H. 1978. C. REIS. Patologia do trabalho. set. Arquivo acessado em 10 Set. 2. atual. & FREITAS. 4. Cap.net 05. 2004. MENDES.ed. 04.).html>. M.°. abr. I. 1980. 2003. v. In: _______. 1982. Segurança em eletricidade. Cad.