Trabalho de processo de fabricação Professor George *TIPOS DE ARAME TUBULAR Os tipos de arames tubulares encontrado atualmente são de acordo

com suas especificações no que se diz respeita ao uso do gás de proteção (esse flui pelo mesmo bocal de onde emerge o arame tubular, normalmente são utilizados gases como: Argônio, Helio, Dióxido de carbono ou ainda podendo ocorre a mistura desses). A utilização desses gases se dá pelas especificações requeridas do eletrodo. Os tipos de arames tubulares que utilizam gás de proteção são: - Arames tubulares rutílicos (com uso de escoria para promover um ótimo acabamento); - Arames tubulares básicos (com uso de escorias); - Arames metálicos (sem escoria). E para os que não utilizam gás de proteção, são conhecidos como: - Arame tubular autoprotegido. *Arame tubular rutílicos (com escorias); Esse tipo de arame leva o nome de rutílicos devido a sua composição que é o dióxido de titânio (TiO2) esta empregada nos eletrodos revestidos, permitindo que o ponto de fusão e a viscosidade da escoria seja controlados por uma faixa mais larga. O seu uso é devido a praticidade no seu manuseio, basta apenas uma ação suave do arco para dar uma excelente aparência ao cordão de solda. Quando a plicados na soldagem com baixas corrente o modo de transferência é “quase” do tipo aerossol, e em altas correntes o modo de transferência é aerossol (o arco se mantem em um comprimento constante, de modo que gotas extremamente finas sejam projetadas através do arco em queda livre), sendo altamente atrativo para o operador já que assegura uma excelente fusão lateral e uma melhor penetração, reduzindo os números defeitos, o gás usado para a proteção é o CO2. Esse tipo de arame tubular ainda pode ser subdividido em dois tipos: E70t-1 para altas taxas de deposição Característica especifica: • • É operado com altas corrente, produz poucos respingos e tem uma boa aparência do cordão de solda; A remoção da escoria se dá sem esforço; Ex1t-1para soldagem em todas as posições. Característica especifica: • • Cordão de solda com aparência regular, com no mínimo de respingo; Ideal para junta de topo com abertura na raiz e com o auxilio de cobre-juntas cerâmico;

*Arame tubular básico (com escoria).

produzindo um melhor o acabamento na solda. quando comparados aos arames tubulares rutílicos e metálicos. Operam preferencialmente com correntes continuas. As principais características são: • • • Grande variedade disponível de arames tubulares metálicos para se adequar a várias aplicações. *Arame tubular autoprotegido . e acima de 200A o modo de transferência é globular . que será transferido através do arco em glóbulos impulsionados pela força de arco). Quando em correntes a baixo de 200A o modo de transferência é o tipo curto-circuito. muitos são capazes de se igualar aos arames tubulares básico em termo de níveis de hidrogênio no metal de solda. O gás de proteção é o Ar + CO2 ricas em argônio Tem uma profunda penetração. Nesse tipo de arame tubular não se usa gás. que serve para aumentar a eficiência de deposição. esse ao tocar na poça a corrente aumenta e funde a ponta do arame. Mesmo quando os componentes básicos não estiverem presentes nos arames tubulares metálicos. Uma de suas vantagens é sua capacidade de soldar melhor sobre tintas de fundo que os outros tipos de arames tubulares. reduzindo a possibilidade de inclusões de escorias. Por essa razão. Nesse o principal componente do fluxo é o pó do ferro. são aplicados os arames tubulares básicos de modo que o modo de transferência é por curto-circuito (os curtos são gerados no arame. esse é queimado devido uma maior quantidade de fluxo. minerais voláteis e outros matérias) do fluxo. a proteção se dá pela decomposição dos componentes (metais. O metal que a solda forma tem propriedades mecânicas em um nível melhor e mais consistente. Outros tipos de arame tubular metálico que se incluem.O arame se aquecerá demasiadamente e formando grandes gotas de metal fundido. contidos no núcleo do arame. Produz fina camada de escória. produzindo depois da queima gases protetores. possibilitando a capacidade de soldar multipasses sem necessidade de remover a escoria. podendo ser usados também com misturas Ar + CO2. alguns dos primeiros arames tubulares com alta resistência foram do tipo metálico. *Arame tubulares metálicos (sem escoria).Para esse tipo primeiro é realizada a solda com o eletrodo revestido. em seguida é utilizado um tipo básico de escoria. *A base de níquel para aplicações onde é exigida tenacidade a baixas temperaturas *A base de cromo-molibdêncio onde se exige resistência à fluência *Com adição de cobre onde se exige uma resistência a corrosão. Na soldagem fora de posição. As principais características são: • • • O gás de proteção CO2.

estabilizar o arco. essa extensão faz com que atenção do arco diminua. O processo de soldagem com o arame tubular é feito da seguinte maneira. Taxas de deposição maior Não necessita de equipamentos especiais para a realização da solda. ou por falha dos soldadores (falha humana). cuja função é: . ou por causa de condições externas que impedem a fusão da solda e o endurecimento do ponto que foi soldado. a taxa de deposição aumetara. cujo interior é preenchido por um fluxo fundente. São aplicados nos processos de soldagem em geral e em aplicações especificas como reparos. Boa aparência de solda com aspecto limpo e escórias facilmente removíveis. Uma das características dos eletrodos autoprotegido é a sua grande extensão.proteção do metal de solda e da poça de fusão (a proteção acontece devido a queima do fluxo que libera os gases). essa faz com que o arame aqueça e a corrente diminua permitindo assim que o processo seja aplicado na soldagem de materiais finos e em peças de difícil ajuste. porque eles permitem correntes de ar maiores. O segundo processo a proteção é obtido pelos componentes contidos no fluxo.controlar a escoria. a primeira se dá com a adição do gás de proteção. Característica especifica: • • • • São aplicados para soldagem de aços carbono em todas as posições. que vaporizam e cobrem a poça para protegê-la durante a soldagem. Para esse tipo de arame tubular é comum a aplicação desse tipo em chapas finas a altas velocidades de soldagem. *PROCESSO DE SOLDAGEM COM ARAME TUBULAR . Os defeitos podem ainda acontecer em razão de outros fatores decisivos como: escolha da técnica (ou método) de soldagem incorreta para um determinado trabalho. Com relação a proteção exite duas especificações. *DEFEITOS. O arame tubular após receber o fluxo resultara em um metal com baixo teor de hidrogênio. soldagem fora de posição e soldagem de alta deposição. o arco elétrico é formado entre a peça e um eletrodo tubular metálico. o que reduz a possibilidade de formação de trincas. . . CAUSAS E SOLUÇÕES. é uma proteção adicional promovida pela adição do gás que flui atraveis do bocal da tocha. o mais comum CO2. ou a seleção inadequado das ferramentas para a realização da solda.inclusão de elementos de liga. aços ligados ao alumínio e para trabalhos em campo.Os eletrodos são maiores se comparados ao que usa gás de proteção. Se acontecer da corrente e a tensão aumentarem. Os defeitos de soldagem são facilmente percebíveis quando se usa um material inadequado durante o processo de soldagem. . Diferentemente do primeiro processo o segundo processo é usado especificamente para soldagem de aços revestidos de zinco. Esse processo é apropriado para produção de peças pequenas e soldagem de profunda penetração.

As medidas preventivas para solucionar esse tipo de defeito são: reduzir a velocidade de soldagem ou verificar os parâmetros de soldagem. As causas mais comuns deste tipo de defeito são: velocidade de soldagem muito alta. bocal muito curto. verificar o diâmetro do bico de contato ou substituí-lo se estiver desgastado. entre passes ou na raiz da solda. Respingo excessivo: São glóbulos de metal transferidos durante a soldagem e aderidos à superfície do metal de base ou à zona fundida já solidificada. junta mal preparada. os mais comuns na soldagem com arame tubular são os seguinte: Porosidade (Poro): é a formação de um conjunto de poros que é resultado da evolução de gases durante a solidificação da solda. corrente falhando ou irregularidade. contaminação pela penetração de impurezas e etc. As causa mais comuns deste tipo de defeito são: peças sujas. corrente de soldagem muito baixa velocidade de soldagem muito alta e etc. podendo esta localizada: na zona de ligação. Mordedura: é uma depressão sob a forma de entalhe. As causas mais comuns deste tipo de defeito são: gás de proteção insuficiente ou excessivo. ângulo da tocha incorreto. As causas mais comuns deste tipo de defeito são: direção e velocidade de soldagem. ajusta as peças. . pressão do gás de proteção muito alta. tensão do arco muito alta. ou entre passes da zona fundida. reduzir a tensão do arco e etc. As medidas preventivas para solucionar esse tipo de defeito são: aplicar a direção e a velocidade de soldagem adequada. aplicar a tensão do eletrodo correta. Falta de fusão: é uma fusão incompleta entre a zona fundida e o metal de base. verificar os parâmetros recomendados para o arame tubular em questão e as recomendações sobre a manipulação da pistola.Dentre os defeitos de soldagem. aplicar o ângulo da pistola correto. As causas mais comuns deste tipo de defeito são: manipulação incorreta do eletrodo. aplicar uma corrente baixa e etc. As medidas preventivas para solucionar esse tipo de defeito são: aumentar a corrente. Falta de penetração: é uma insuficiência de metal na raiz de solda. verificar quanto o vazamento e entrada de ar e etc. no metal de base acompanhado a margem da solda. realizar a troca do bocal. As medidas preventivas para solucionar esse tipo de defeito são: limpar as peças com escova ou lixadeiras. parâmetros incorretos ou manipulação incorreta da pistola. verificar quanto aos valores recomendados. tensão do arco muito alta e etc. As medidas preventivas para solucionar esse tipo de defeito são: antes da aplicação da solda verificar o fluxo de gás recomendado. ângulo da pistola incorreto.

resfriamento muito rápido da junta soldada. Suas causas mais freqüentes são altos valores de tensão residual. modificar o metal de base para um que tenha pouco teor de carbono. juntamente com a seleção do equipamento adequado e das melhores técnicas para um trabalho específico são fatores importantes na tentativa de se evitar os defeitos. como as que sustentam um grande edifício. . Os defeitos são problemas ainda maiores quando se tratam de solda de grandes estruturas. o que aumenta os custos com o retrabalho. na zona térmica afetada ou mesmo no metal de base. além de impedir que o trabalho tenha de ser realizado pela segunda vez. usar um resfriamento lento e etc. As medidas preventivas para solucionar esse tipo de defeito são: modificar o procedimento.Trincas: é uma descontinuidade produzida pela ruptura local do material. isso se dá pelo motivo delas poderem ser detectadas externamente ou internamente. Para esse tipo de defeito é feito uma analise mais rigorosa em relação as outras. escolher o arame adequado para aquele procedimento. Podendo ainda se localizar na zona fundida. teor elevado de carbono no metal de base. escolha errada do arame para o metal de base. a habilidade. Por esta razão. a descontinuidade mais grave em soldagem é a concentração de tensão.