BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 1) LÍNGUA PORTUGUESA – Albert Iglesia

Olá, prezado aluno!

Este material foi elaborado especialmente para você que irá se submeter à prova de AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO. Nele você encontrará um verdadeiro “bizu” dos principais assuntos que a ESAF poderá cobrar no concurso. Não é hora para nos prolongarmos com extensas explicações sobre o conteúdo programático. O objetivo aqui é fazer você lembrar pontos importantes do programa. Isso eu farei por meio de exercícios específicos. ORTOGRAFIA E ACENTUAÇÃO • ACERCA DE x A CERCA DE x HÁ CERCA DE a) Hoje falaremos acerca dos pronomes. (locução prepositiva – “dos” = de + os –, equivale-se a sobre) b) Os primeiros colonizadores surgiram há cerca de quinhentos anos. (refere-se a acontecimento passado) c) Estamos a cerca de quatro meses da prova. (refere-se a acontecimento futuro; distância)
1.

(ESAF/ANA/ANALISTA E ESPECIALISTA/2009) Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.

O Brasil possui cerca de(1) 4 milhões de hectares irrigados: área que pode ser triplicada em(2) anos. 20 É um dos países mais importantes(3) produção na de alimentos, mas, apesar de(4) vocação para a sua agricultura irrigada, ainda são necessárias estratégias para explorar racionalmente esse potencial. Hoje, a captação e o consumo de água para a irrigação representa(5), respectivamente, 46% e 69% dos valores totais captados e consumidos.
(Adaptado de Denise Caputo http://www.ana.gov.br/SalaImprensa/noticias)

a) 1

b) 2

c) 3

d) 4

e) 5

Comentário – Entenda “erro gramatical” como qualquer deslize (ortografia, concordância, regência, emprego de pronome etc.) na construção de frases. Somente nos interessam os itens 1 e 4. A expressão “cerca de” indica quantidade aproximada e está escrita com correção. A grafia da expressão apesar de (de valor semântico concessivo) não deve ser associada à da expressão a partir de, cuja parte inicial é constituída por dois vocábulos distintos e escritos separadamente. Resposta – Os itens 1 e 4 estão corretos e não correspondem ao gabarito oficial, que apontou a letra E, por haver problema de concordância entre o sujeito composto representado pelos núcleos “captação” e “consumo” e a forma verbal “representa”, que deveria ser “representam”.

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO

2.

(ESAF/ANA/ANALISTA E ESPECIALISTA/2009) Em relação ao texto, assinale a opção correta.

O Rio Paraíba do Sul tem cerca de 2/3 de suas águas retiradas do seu leito por uma obra de transposição em Santa Cecília (RJ). Essas águas são utilizadas para gerar energia elétrica e para abastecer a Região Metropolitana do Rio de Janeiro (cerca de 8 milhões de pessoas). Havia conflitos pelo uso dessas águas entre as diferentes regiões. Também nesse caso, a ação da ANA se pautou por definir um arcabouço técnico e institucional, estabelecendo regras de operação para o reservatório e de vazão mínima a ser liberada a jusante (rio abaixo), em determinadas épocas do ano, de forma a compatibilizar os usos.
(José Machado http://www.ana.gov.br/SalaImprensa/artigos/ set.2008.pdf)

A substituição de “cerca de”(ℓ.1) por acerca de mantém a correção gramatical do período. Comentário – Está claro que “cerca de” indica aproximadamente e “acerca de” significa sobre, a respeito de. Resposta – Item errado.
3. (ESAF/ANA/ANALISTA E ESPECIALISA/2009) Em relação ao texto abaixo, julgue a proposição seguinte.

5

10

O tratamento de esgotos é fundamental para qualquer programa de despoluição das águas. Em grande parte das situações, a viabilidade econômica das estações de tratamento de esgotos (ETE) é reconhecidamente reduzida, em razão dos altos investimentos iniciais necessários à sua construção e, em alguns casos, dos altos custos operacionais. Por esses motivos que mesmo os países desenvolvidos têm incentivado financeiramente os investimentos de Prestadores de Serviços em ETE, como os Estados Unidos e países da Comunidade Europeia. (...)
(http://www.ana.gov.br/prodes/prodes.asp)

A forma verbal “têm”(ℓ. 8) está no plural porque concorda com “os países desenvolvidos”. Comentário – Conjugados na terceira pessoa do singular, os verbos ter e vir não recebem acento: ele tem/vem. Caso o sujeito deles seja uma expressão equivalente à terceira pessoa do plural, o acento será obrigatoriamente empregado para estabelecer a diferença que houve no número da expressão: “...os países desenvolvidos têm/vêm...”
Eles

RESPOSTA – Item certo.
4.

(ESAF/MF/ATA/2009) Em relação ao texto julgue a proposição seguinte.

(...) Os envolvem

atos públicos, em procedimentos judiciais,

especial os têm como

que regra

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO
18 20

básica a transparência, o acesso dos cidadãos. – é sempre a exceção.

a O

publicidade contrário –

sem restrições e ou seja, o sigilo
(Zero Hora, 27/2/2009)

A forma verbal “têm”(ℓ.17) está no plural porque concorda com “Os atos públicos”(ℓ.16). Comentário – O emprego dos verbos TER e VIR realmente merece sua atenção, portanto fique atento. Ele tem – eles têm (verbo TER na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo) Resposta – Item correto. VERBO
5.

(ESAF/STN/AFC/2008) Assinale a asserção correta em relação aos sentidos e expressões lingüísticas do
trecho.

5

(...) O gesto põe pendências jurídicas que se arrastavam serve de alento para quem ainda busca benefícios funcionais. (...)

fim a havia décadas e reaver ou manter

Reescreve-se, mantendo-se a correção gramatical e a coerência textual, o período “para quem ainda busca reaver ou manter benefícios funcionais.” (l.6 e 7) do seguinte modo: para que se reavenham ou mantenham benefícios funcionais. Comentário – A Esaf requer de você cuidado com a correção gramatical e a coerência textual. Sua análise, portanto, deve considerar esses dois aspectos. Qualquer deslize invalida a alternativa. E foi isso o que houve ao se empregar o verbo reaver no presente do subjuntivo. Tal verbo só é conjugado nas formas em que o verbo haver é grafado com a letra “v”. Observem: Haver (presente do indicativo) Eu hei Tu hás Ele há Nós havemos Vós haveis Eles hão Reaver (presente do indicativo) – – – Nós reavemos Vós reaveis – Haver (presente Reaver (presente do subjuntivo) do subjuntivo) Eu haja – Tu hajas – Ele haja – Nós hajamos – Vós hajais – Eles hajam –

Resposta – Item errado.
6.
15

(ESAF/SEFAZ-SP/APOFP/2009 – adaptada) Em relação ao texto, julgue a proposição seguinte.

(...) taxa

Sabe-se Selic nunca

que repercute

uma plenamente

redução nas taxas

da de

) Aos bilhões empenhados para permitir ao Morgan digerir o Bear Stearns. Gritaram muito. PRONOME 7.15). o “se” justifica-se porque o verbo está sendo empregado como pronominal. Bebeu-se do vinho. 16/1/2009) Em “Sabe-se”(ℓ... aumentaram os seus spreads (diferença entre a taxa de captação e de aplicação). teríamos uma voz passiva sintética com sujeito representado pelo termo “o vinho” = o vinho foi bebido). Telefonaram para você. Gosta-se de você.. sem que haja referência a outro termo anteriormente identificado. o “se” indica que o sujeito é indeterminado. ao dinheiro sacado a fim de evitar a quebra das gigantes Fannie Mae e Freddie Mac. em março.. (. redescontadoras de hipotecas..) (O Estado de S. Vive-se bem. Em “Decepcionou-se” (l. o BC dos EUA. (caso a preposição fosse retirada – bebeu-se o vinho –. decidiram somar US$85 bilhões para salvar a AIG. as situações que caracterizam sujeito indeterminado. (. Decepcionou-se quem esperava tranqüilidade.. Editorial. . o governo e o Fed.. a) b) Comentário – Alternativa A: vejamos.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO juros dos bancos. (ESAF/STN/AFC/2008) Com base no texto.. com sujeito expresso no período: “que uma redução da taxa Selic. antes.) Não há medida mágica e salvadora que faça cotações se estabilizarem e o investidor recuperar o sono.” Resposta – Item errado. Comentário – Fique de olho na estrutura formada por VTD + SE. que. b) Pronome oblíquo SE junto a verbos de ligação.. 5 15 (. sob o pretexto da elevação da inadimplência.18).6). os verbos ficam sempre na terceira pessoa do singular: Ficou-se feliz.) Em “se estabilizarem” (l. o pronome “-se” indica voz reflexiva.. transitivos indiretos ou transitivos diretos cujos objetos diretos estejam preposicionados. pois ela geralmente caracteriza voz passiva. intransitivos. (. a) Verbo na terceira pessoa do plural. Paulo. assinale a opção incorreta.

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Não há então nenhuma das duas condições. A referência é ao termo “cotações” (l. 5), sujeito do verbo estabilizar-se, do qual o “se” é parte integrante. Atenção! Fique de olho em qualquer SE que surgir nas provas, principalmente nas da Esaf. Circule-o imediatamente e analise o verbo que o acompanha. A Esaf gosta de brincar com esse pronome. Pode esperar na sua prova uma questão sobre ele. Alternativa B: esclareço que verbos pronominais são aqueles que geralmente exprimem sentimento ou mudança de estado: admirar-se, arrepende-se, atrever-se, indignar-se, queixar-se, congelar-se, derreter-se etc. O pronome que os acompanha é parte integrante do verbo e não desempenha função sintática. Resposta – A CONJUNÇÕES E ORAÇÕES
8. (ESAF/STN/AFC/2008) Com base no texto, julgue a opção abaixo.

11

(...) O momento é que amenizem internacional. (...)

oportuno para o Brasil encontrar medidas os efeitos de uma eventual tempestade
(Jornal do Brasil, 18 de setembro de 2008, Editorial)

A redação O momento é oportuno para que o Brasil encontre medidas (l.11) prejudica a correção gramatical do período. Comentário – Preferiu o escritor usar a forma reduzida (de infinitivo) na aludida passagem. A forma desenvolvida proposta pela examinadora é igualmente correta. Comparem: O momento é oportuno para o Brasil encontrar medidas... O momento é oportuno para que o Brasil encontre medidas... No primeiro segmento sublinhado, tem-se oração reduzida, que é caracterizada pela presença de verbo nominal (gerúndio, infinitivo ou particípio) e ausência de conjunção. No segundo, surge a conjunção (“que”) e o verbo encontrar é conjugado no modo subjuntivo (presente), o que caracteriza oração desenvolvida. Frise-se que a caracterização do oração desenvolvida também é possível com verbo conjugado no indicativo. Resposta – Item errado.
9.

(ESAF/ANA/Analista e Especialista/2009) Em relação ao texto abaixo, analise as proposições a seguir.

O tratamento de esgotos é fundamental para qualquer programa de despoluição das águas. Em grande parte das situações, a viabilidade econômica das estações de tratamento de esgotos (ETE) é

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO reconhecidamente reduzida, em razão dos altos investimentos iniciais necessários à sua construção e, em alguns casos, dos altos custos operacionais. Por esses motivos que mesmo os países desenvolvidos têm incentivado financeiramente os investimentos de Prestadores de Serviços em ETE, como os Estados Unidos e países da Comunidade Europeia. No Brasil, o problema de viabilidade econômica do investimento público torna-se ainda mais agudo, devido à elevada parcela de população de baixa renda.No entanto, vale ressaltar que a água de qualidade também é um fator de exclusão social, uma vez que a população de baixa renda dificilmente tem condições de comprar água de qualidade para beber ou até mesmo de pagar assistência médica para remediar as doenças de veiculação hídrica, decorrentes da ausência de saneamento básico.
(http://www.ana.gov.br/prodes/prodes.asp)

5

10

15

a)

Mantém-se a correção gramatical do período se a conjunção “No entanto” (ℓ. 11) for substituída por qualquer uma das seguintes: Porém, Todavia, Entretanto, Contudo. Estaria gramaticalmente correta a substituição de “uma vez que” (ℓ. 12) por porquanto.

b)

Comentário – A conjunção “No entanto” inicia oração de valor semântico adversativo. A substituição dela pelas conjunções sugeridas pelo examinador preserva a correção gramatical do período. A oração principiada pela locução conjuntiva “uma vez que” exprime a causa ou o motivo de a água de qualidade também ser um fator de exclusão social. Porquanto também pode ser usada para substituir aquela locução sem que a correção gramatical seja prejudicada. CUIDADO apenas com o fato de que porquanto pode, ainda, integrar oração coordenada sindética explicativa. Fica aqui uma dica: porquanto = porque (subordinativa causal ou coordenativa explicativa); não deve ser trocada por conquanto (subordinativa concessiva). Parece bobagem, mas é isso que os examinadores gostam de explorar em provas. Resposta – As duas proposições estão corretas.
10.

(ESAF/MPOG/APO/2008) Em relação ao texto abaixo, analise a afirmação a seguir.

(...) A imagem predominante era a de que elas realizavam incursões esporádicas e oportunistas em vários mercados, sem objetivos comuns. A compra de parte do capital acionário da Rio Tinto, entretanto, passa a mostrar um alinhamento entre os interesses do Estado e os das estatais enquanto empresas, para assegurar o suprimento de commodities que sustente a rápida expansão econômica. (...)
(Valor Econômico, 8/2/2008)

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO O termo “entretanto” pode, sem prejuízo para a informação original do período, ser substituído por qualquer um dos seguintes: porém, contudo, todavia, conquanto, porquanto. Comentário – Textualmente, a oração integrada pela conjunção “entretanto” (note bem, aluno: no entanto – separado – e entretanto – junto) denota valor semântico de oposição, que contraria a informação do perío do anterior, ou que lhe serve de obstáculo. Assim se comportam as orações em que surgem as conjunções coordenativas adversativas porém, contudo, todavia e conquanto (subordinativa concessiva). O “x” da questão encontra-se na sua parte final: a conjunção porquanto, que surge em orações com valor semântico de causa ou explicação. Resposta – Item errado. CONCORDÂNCIA
11.

(ESAF/STN/AFC/2008) Assinale o segmento inteiramente correto quanto à morfossintaxe, concordância,
regência e coerência textual.

a)

O esgotamento do modelo de administração burocrática, que primava excessivamente pelo respeito às normas e procedimentos internos do setor público, obstavam-se a criatividade e a autonomia dos profissionais encarregados de ações que melhor atendessem às demandas da sociedade. Com o esgotamento do modelo de administração burocrática, que se regia excessivamente pelo respeito às normas e procedimentos internos do setor público, fomentou-se a criatividade e a autonomia dos profissionais encarregados de ações que melhor atendessem as demandas da sociedade.

b)

Comentário – Alternativa A – Percebeu o erro agora? Não? Olhe para a forma verbal “obstavam-se”. Quem é o sujeito dela? Acertou se você disse toda a expressão “O esgotamento do modelo de administração burocrática”, cujo núcleo “esgotamento” encontra-se no singular, o que exige que o verbo também permaneça no singular (obstava-se). Vou contar-lhe um segredo: a Esaf é campeã de empregar verbos no plural com o núcleo do sujeito no singular. Sabe qual a estratégia dela para enganar os candidatos? Primeiro ela escolhe como sujeito uma expressão longa, em que o núcleo (no singular) fique lá atrás. Depois ela emprega o verbo (no plural) após uma palavra ou expressão no plural. Toda essa engenhosidade é para que o candidato se distraia e perca de vista o verdadeiro núcleo do sujeito. Cuidado! Mesmo se você não percebeu esse problema, poderia se safar notando a ausência do acento grave indicativo da crase (outro assunto muito exigido pela Esaf) nos termos “a criatividade” e “a autonomia”: quem se obsta, obsta-se a algo ou a alguém. Empregue uma palavra masculina no lugar de “criatividade” e “autonomia”. Use, por exemplo, criador e autônomo. Lembrese da regrinha de ouro: ao(s) para o masculino, à(s) para o feminino.

(norma popular – ocorre que os pronomes TU e VÓS. em que o verbo auxiliar é de ligação [ser. Agrediram-se o deputado e o senador. estar.. A norma gramatical estabelece que o verbo e o sujeito de uma oração concordam em número e pessoa. .. para concordar com todos os núcleos) Saíste tu e Pedro. no falar do português do Brasil. Caíram uma flor e duas folhas. tu e os cidadãos (Nós) saímos..." (C.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Alternativa B – Está correta. ou “Saíram”. coerente.) "Todas estavam ainda verdes.fomentou-se a criatividade e a autonomia. possuir mais de um núcleo. A.) Quando o sujeito for composto. A. (ou “Caiu”.. transforme-a em voz passiva analítica ou verbal (aquela formada com uma locução verbal. a saber a) a estrutura “. (norma culta) Tu e os cidadãos (Vocês) saíram. (ou “Saíram”. D.. Tu e os cidadãos (Vós) saístes." (C. Na dúvida. para concordar com todos os núcleos. Anteposto ao verbo o verbo ficará sempre no plural (concordância rígida ou gramatical). verifica-se o seguinte: 1.. (ou “Saístes”. 3. Pai e filho conversaram longamente. isto é.”. ficar] e o verbo principal encontra-se no particípio): “. "O outono é mais estação da alma. Eu. D.” representa voz passiva sintética ou pronominal (formada por verbo transitivo direto seguido do pronome apassivador se). no entanto. Chamo a sua atenção para dois detalhes importantes.. As imagens e o som não estavam adequados. para concordar apenas com “uma flor”) Saiu o ancião e seus amigos.. Posposto ao verbo o verbo poderá ficar no plural (concordância rígida ou gramatical) ou concordará com o núcleo mais próximo (concordância atrativa). coesa. o que leva o verbo para a terceira pessoa) 2. são frequentemente substituídos por VOCÊ e VOCÊS. representado por pessoas gramaticais diferentes a primeira pessoa (NÓS) prevalecerá sobre as demais. e a segunda (VÓS) terá preferência sobre a terceira (ELES). a concordância deve ser feita no plural.foi fomentada a criatividade e a autonomia. b) o verbo fomentar foi utilizado no singular por concordar atrativamente com o núcleo mais próximo do sujeito composto: “criatividade”. de acordo com a norma popular) ATENÇÃO! Quando há reciprocidade.

podem dar margem a indenizações por dano moral. Resposta: Item errado.. Pronto! Eis as condições ideais pra o surgimento da crase. a crase não surge com a seguinte estrutura: singular + plural (guarde bem essa estrutura). a) O esgotamento do modelo de administração burocrática. 1 15 (ESAF/STN/AFC/2008) Analise a assertiva abaixo sobre aspectos lingüísticos do trecho a seguir. Em matéria concernente a responsabilização de sócios (. e frente a determinação contundente do Judiciário. se continuam. a expressão “margem a indenizações” rejeita o emprego do acento grave indicativo de crase. concordância. se usamos “ao” diante do masculino. que primava excessivamente pelo respeito as normas e procedimentos internos do setor público. 29/9/2008. (ESAF/STN/AFC/2008) Assinale o segmento inteiramente correto quanto à morfossintaxe. (João Luiz Coelho da Rocha. que primava excessivamente pelo respeito as normas e procedimentos internos do setor público.. .. devemos usar “à” para o feminino: . Bem.. Logo. Vamos analisar a segunda expressão de forma mais simples e prática.16) e “margem a indenizações” (l. que é indicada por meio do acento grave (`). Resposta – B REGÊNCIA E CRASE 12. b) Comentário – Epa!!! Aqui vale tudo. inibiam-se a criatividade e a autonomia dos profissionais encarregados de ações que melhor atendesse as demandas da sociedade. “frente a determinação” (l.) as quais. regência e coerência textual.17). Correio Braziliense. Experimente trocar a palavra “determinação” por “empenho”: . nessa circunstância. tolhia a criatividade e a autonomia dos profissionais encarregados de ações que melhor atendesse as demandas da sociedade. Comentário – O acento indicativo de crase deve ser empregado nas duas primeiras expressões. Devido ao esgotamento do modelo de administração burocrática... Entretanto..1). Nota-se a presença concomitante da preposição e do artigo.frente ao empenho. com adaptações) Falta o acento indicador de crase em: “concernente a” (l.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Ofenderam-se o jogador e o árbitro. meu amigo.. Qualquer probleminha é o bastante para invalidar a alternativa... 13.frente à determinação. Em “concernente a responsabilização” o adjetivo (termo regente) “concernente” reclama preposição “a” (é um caso de regência nominal) e o substantivo feminino (termo regido) “responsabilização” admite o artigo feminino “a”. Direito&Justiça.

com fundos públicos. desde já. arcando-o com os mesmos fundos. bem antes. omitiu-se o acento grave indicativo de crase. de outro. realizados mediante renúncia fiscal. a obrigação para si. a) Se o Estado estabeleceu o incentivo à prorrogação da licença-maternidade às trabalhadoras de empresas privadas. porque públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo realizados mediante renúncia fiscal. e. Aliás. é incongruente pensar que. Aliás. é incongruente pensar que. porque públicos também são os fundos. porque públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo. Substitua o termo feminino “as normas” por outro masculino: “pelo respeito aos regulamentos”. PONTUAÇÃO 14. bem antes. realizados mediante renúncia fiscal. deve. o poder público possa incentivar as empresas. Que tal? Notou a união da preposição com o artigo? Se usamos ao(s) para o masculino. Viu como não é tão difícil assim resolver provas da Esaf. Se o Estado estabeleceu o incentivo à prorrogação da licença-maternidade às trabalhadoras de empresas privadas. arcando-o com os mesmos fundos. é incongruente pensar que. realizados mediante renúncia fiscal. dar-lhes o exemplo e admitir. que de um lado. o poder público possa incentivar as empresas. deve. que financiam a política de incentivo. não se submeta ao objeto incentivado. aliás. Vamos para a próxima. de outro. Como no mesmo segmento também há o artigo definido feminino plural “as”. não se submeta ao objeto incentivado. e. usaremos à(s) para o feminino. Perguntemo-nos: pelo respeito a que? Às normas. é incongruente pensar. Essa já era. de outro. Respostas – Itens errados. de um lado. a obrigação para si. Se. arcando-o com os mesmos fundos. deve. de um lado. (ESAF/STN/AFC/2008) Aponte o trecho com pontuação correta. o Estado estabeleceu o incentivo à prorrogação da licençamaternidade às trabalhadoras de empresas privadas deve. aliás porque públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo. de um lado. estabeleceu o incentivo à prorrogação da licençamaternidade às trabalhadoras de empresas privadas. bem antes. desde já. com fundos públicos. Sim. e. Vamos descomplicar isso. não se submeta ao objeto incentivado.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Alternativa A – Em “pelo respeito as normas”. Se o Estado. com fundos públicos. desde já. a regência do substantivo “respeito” faz surgir a preposição “a”. dar-lhes o exemplo e admitir desde já a obrigação para si. dar-lhes o exemplo e admitir. dar-lhes o exemplo e admitir. Alternativa B – Ué!? De novo!? Está faltando o acento grave na expressão “pelo respeito as normas”. a crase surge obrigatoriamente. a obrigação para si. o poder b) c) d) . o poder público possa incentivar as empresas. bem antes.

A vírgula deve ser empregada obrigatoriamente para separar orações adverbiais antecipadas ou intercaladas (quando vierem na ordem direta.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO público possa incentivar as empresas. o segmento “aliás porque públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo. embora desse ao conteúdo uma pausa menor do que o ponto. é incongruente pensar. com fundos públicos. bem antes. O uso do ponto-e-vírgula serviria para esclarecer a informação. é incongruente pensar. A vírgula é facultativa quando a função adverbial for desempenhada por termo nominal: Neste momento.. que de um lado o poder público possa incentivar as empresas com fundos públicos e. o pelotão se pôs em fuga. surge sempre destacada (por meio de vírgulas. A exceção fica por conta dos casos em que entre tais termos haja outro intercalado. Espero. Para isso. já que a oração subordinada causal “porque públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo” encontra-se antecipada à sua principal.. Além disso. saíram. públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo.” melhor estaria em parágrafo distinto do anterior. Aqui o aluno deve admitir certa flexibilidade. não se submeta ao objeto incentivado. No mesmo trecho percebe-se a ausência de uma vírgula imediatamente após o vocábulo “aliás”. aliás porque.. Alternativa D – A oração “que financiam a política de incentivo” restringe o significado do vocábulo “fundos”.. realizados mediante renúncia fiscal. parênteses) do termo a que se refere. Os estudos dos sinais de pontuação ensinam-nos que entre o sujeito e verbo da oração e entre este e o objeto (direto ou indireto) não deve haver pausa. com adaptações) Comentário – Alternativa B – Um erro aparece logo no início: o emprego da vírgula separando o sujeito “o Estado” do verbo “estabeleceu”. travessões. não se submeta ao objeto incentivado. 29/9/2008. sinceramente. pois há muitos gramáticos e escritores que não a empregam. de outro. conferindo ao texto clareza. o emprego é facultativo): Ao anoitecer. dar-lhes o exemplo e admitir. deve. realizados mediante renúncia fiscal. pois a conjunção subordinativa “Se” foi indevidamente separada da oração condicional que introduz. Exemplo: Se o Estado. o emprego do ponto deveria ocupar o lugar da vírgula antes da palavra denotativa de ressalva “aliás”. Correio Braziliense. A oração “realizados mediante renúncia fiscal” é subordinada adjetiva explicativa (reduzida de particípio). a obrigação para si. arcando-o com os mesmos fundos. Ela equivale a . uma resposta satisfatória. Alternativa C – Houve o que chamamos de fragmentação de frase. e. Ruzzarin. arcando-o com os mesmos fundos. e) Se o Estado estabeleceu o incentivo à prorrogação da licença-maternidade às trabalhadoras de empresas privadas. Direito&Justiça. Por ter caráter acessório. (Jean P. estabeleceu. de outro. que é o responsável pela manutenção dos direitos sociais. desde já. particularizando-o.

que de um lado o poder público.”. Ressalte-se que a utilização do ponto-e-vírgula após “fiscal”. Ao mesmo tempo. tempo isolando a adjetiva explicativa) não encontra indicações nos estudos de pontuação. Pode haver algum exagero nesse epíteto.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO um adjetivo restritivo e funciona sintaticamente como oração subordinada adjetiva restritiva. ORDENAÇÃO) 15. Mas hoje está claro que a Constituição de 1988 promoveu um avanço no conceito de cidadania. descolada da realidade de uma economia moderna. COERÊNCIA. Comparem: Os alunos do Ponto que são inteligentes passarão. Até hoje. que são inteligentes. admite-se que no Ponto há alunos inteligentes e não inteligentes e que apenas aqueles passarão) Os alunos do Ponto. o emprego da vírgula é proibido para isolar tais orações.. Durante mais de 150 anos. ao mesmo. (oração subordinada adjetiva de valor semântico explicativo. Ulysses Guimarães. a Constituição ficou incompleta. pois separou indevidamente o verbo “pensar” do seu complemento: “que (. é incongruente pensar que. b) . sofre um aperfeiçoamento contínuo que leva muitos a considerála uma “colcha de retalhos” em eterna reforma.) o poder público”. os analfabetos – maioria ou um número expressivo da população – estiveram excluídos da vida política. Alternativa E – Os problemas encontram-se no trecho “. de um lado. chamada “cidadã” pelo então presidente da Assembléia Nacional Constituinte.aliás porque. a Constituição trouxe inovações que hoje parecem triviais. Faz vinte anos que foi promulgada a Constituição de 1988. Diferentemente do caso anterior. porque públicos também são os fundos que financiam a política de incentivos. (oração subordinada adjetiva de valor semântico restritivo.. “Ela contribuiu para sua popularização”.pensar. a) Por isso... o poder público.”. agora só há alunos inteligentes e todos passarão) Também a vírgula foi mal empregada no trecho “.. realizados mediante renúncia fiscal. da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). públicos também são os fundos que financiam a política de incentivo.. (ESAF/STN/AFC/2008) Assinale a opção que constitui continuação coesa e coerente para o texto abaixo.. em 1988. Resposta – A TEXTO (COESÃO.... eis a reescritura adequada: “. que de um lado. isolando oração subordinada adverbial antecipada (e. é incongruente pensar. o poder público.. diz o historiador José Murilo de Carvalho.. Conforme explicações anteriores. “E introduziu instrumentos legais importantes de afirmação democrática”...Aliás. realizados mediante renúncia fiscal. passarão.”.

avanços da Constituição. (ESAF/STN/AFC/2008) Os trechos a seguir constituem um texto adaptado do Editorial do Jornal do Brasil. depois da Constituição. um recurso conhecido como habeas data. Alternativa E – Mais uma vez o mesmo problema. Para atendê-los. O que se pode esperar é que a continuação do texto traga mais informações sobre essa falha.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO c) Pois a Constituição garantiu a eles o direito ao voto. 17 de setembro de 2008) d) e) Comentário – Nesse tipo de questão. o texto aponta para um aspecto negativo da Carta Magna. exatamente como ocorreu na letra B. porém. por meio de exemplos ou explicações mais detalhadas sobre o assunto. Ordene-os nos parênteses e assinale a opção correspondente. se não evita conflitos pontuais. Há ainda um capítulo inovador sobre meio ambiente e uma legislação sobre a questão indígena que. Alternativa D – Incoerência semelhante surge aqui: o emprego do pronome oblíquo os (“los”) como elemento de referência a termo não mencionado antes. não há motivos para se tratar do direito ao voto e do habeas data. Alternativa C – Por meio do pronome “eles” (elemento de coesão). Veja agora o que a Esaf propôs. Alternativa A – O período inicial de caráter conclusivo e o exemplo seguinte sobre uma inovação (quando o que se esperava era um exemplo característico do problema anunciado) desviam-se da linha argumentativa do texto. Tanto é que o racismo passou a ser considerado crime inafiançável. 15/09/2008. Resposta – B 16. o Código de Defesa do Consumidor. o Estatuto da Criança e do Adolescente e o Estatuto do Idoso. Perceba que o texto inicia ressaltando a importância da Constituição de 1988 para o avanço da cidadania. (Leandro Loyola. buscou-se fazer referência a elemento anteriormente mencionado. Revista Época. pelo menos protege a minoria. que estão desordenados. os elementos de coesão (conjunções e pronomes principalmente) que iniciam o trecho sugerido como continuação coesa e coerente. De uma forma ou de outra. Mas que elemento é esse? Além disso. o texto limita-se a discutir aspectos da Constituição e parece longe de uma conclusão. você deve atentar basicamente para dois aspectos: o assunto tratado no trecho inicial e a continuação apresentada pela banca. Em seu final. pois a expectativa é sobre algo negativo dela. Espera-se que a ideia final sobre o fato de a Constituição de 1988 ser incompleta seja retomada. . Falar da forma como o racismo passou a ser entendido e de outras inovações prejudica a coerência textual. foram elaborados nos anos seguintes um novo Código Civil. Também concedeu a todo cidadão o direito de saber todas as informações que o governo guarda sobre ele. assim como aos menores entre 16 e 18 anos.

Convém indagar que cenário e que relatórios são esses. 5 Comentário – Nesse tipo de questão. 1 d) 2. 3. 5. 5 c) 4. 3. Comece analisando a possibilidade de o parágrafo 3º. por meio do elemento de coesão “esse”.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO ( ) O resultado desse levantamento aponta para uma elevação da temperatura e para a redução das chuvas em parte da Floresta Amazônica. sendo ele mesmo o início do texto. a) 2. 2. nas próximas décadas. no período de 2071-2100. As ideias nele contidas exprimem muito mais a conclusão de um ponto de vista sobre determinado assunto do que a introdução dele. o que poderia transformar. já que antes (sendo este o parágrafo inicial) não há informações sobre eles e depois essa ideia não é desenvolvida no 3º nem no 1º parágrafos. Portanto as alternativas B. No 3º parágrafo. 3. vale a dica que dei ao comentar a questão anterior. Por quê? Porque. 4 e) 4. mas também as mais reticentes quanto à aceitação de metas de redução de gases poluentes. O 4º parágrafo faz menção a um “cenário dramático antecipado pelos relatórios”. o país terá um enorme handicap na hora de cobrar das nações mais ricas. Elimine a opção A. 4 . o uso racional dos recursos naturais. ( ) Explicando melhor esse resultado: o documento mostra que o clima da região se tornará cada vez mais quente e seco. correspondem a 18% do território brasileiro e a 30% da Amazônia Legal. 2. chegando a até 7 graus nas regiões do leste da Amazônia e no norte do Maranhão (levando-se em consideração um cenário mais pessimista. que. 5. 1. 1. Portanto esta hipótese está descartada. quando comparado com o atual clima da região. ( ) A temperatura deve aumentar em toda a região leste do Pará até o Nordeste. a maior e mais importante reserva de biodiversidade mundial num imenso semiárido. historicamente as maiores responsáveis pela poluição global. somados. há uma referência a certo “resultado” que. alcançar um relativo grau de crescimento sustentável e mantiver a política de incentivo aos biocombustíveis. 3. em condições mais otimistas. de acordo com as alternativas. 2. 4º. não encontra precedente. ( ) Estudo apresentado em Belém pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revela dados alarmantes sobre a devastação em dois Estados da Federação: o Pará e o Maranhão. C e E devem ser descartadas. 1. 5º ou 2º iniciar o texto. 5. 3. com alta concentração de gases do efeito estufa) ou a até 4 graus acima do atual. ( ) Se no plano interno o país conseguir reverter o cenário dramático antecipado pelos relatórios. b) 4. somente um deles pode ser o parágrafo de abertura. 1. com reduções de chuva que podem ficar entre 2 e 4 milímetros por dia.

B. vir depois dele. Professor Albert Iglésia .BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Para confirmar a resposta. Na verdade. Ocorre que o 3º parágrafo apresenta uma explicação melhor sobre o resultado dos estudos do INPE. Ora. que lógica teria a retomada (no 1º parágrafo) de tal resultado se sobre ele já fosse dada uma melhor explicação? Isso prejudicaria a progressão textual. C e E o 3º parágrafo vem antes do 1º (recebe uma numeração menor do que a dele). por isso. Desejo que Deus o abençoe e que o seu desempenho seja excelente. o 3º parágrafo detalha as informações contidas no 1º parágrafo e deve. Resposta – D São esses os “bizus” que julgo importantes neste momento que antecede a prova. perceba que nas alternativas A. Apenas na alternativa D essa situação é contemplada.

o mais impregnado do technical jargon que você vai enfrentar. e fazer você perder tempo.________ // b) lost . one in four workers was in a union.Feb 2006 (Adapted)] . now it’s one in 12.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 2) INGLÊS – Carlos Augusto USEFUL TIPS – DICAS ÚTEIS I. Habitue-se a registrar as principais manchetes do noticiário released by Associated Press (AP). The New York times. READING – A principal finalidade destas useful tips é tranqüilizar você.___________ Dec 2005 . Imagine esbarrar na past form ‘sought’. [Source: Newsweek Special Edition Task: Write the infinitive form of the verbs in bold + the translation: a) made . ler & ler. However. Usarei aqui trechos dos textos que caíram nas provas para AFT elaboradas pela ESAF para provar meus pontos essenciais. Então. Por motivos de copyright não posso usar artigos destas publicações. TIME. Reuters. Num dos livros que eu escrevi eu brinquei na resposta à pergunta: Quais as três coisas mais importantes na preparação de Inglês para Concursos? Respondi: Read. Você perceberá que a essência da reportagem é a mesma. mas o vocabulário usado é muito diverso. Agência France Press (AFP). buscar) se você não souber by heart (= de cor) as 3 formas deste verbo. Porque algumas past forms destes verbos diferem bem do infinitivo a ponto de travar sua leitura. como você chegaria ao infinitivo to seek (= procurar.ESAF/ AFT / 2006] . quanto ao que você provavelmente enfrentará na sua prova que se aproxima. II. SOME ESSENTIAL TOPICS A) Por que você deve estudar os principais IRREGULAR VERBS? Simples. read and read. ‘SEEING IS BELIEVING’ (Ver para crer) We made the mistake of transferring the industrial model of unionism of the last country to the 21st. por mais que possa soar engraçado é a pura verdade. leia um por semana. mas não deixe de ler. não há outra saída. BusinessWeek. ao máximo. We lost market share: in 1960. o que favorece a sua consolidation. Também sei que não é possível ler uma porção de textos em inglês todos os dias._________ // c) was . Você dever ler.

você tem unionism (= sindicalismo) D) MODAL VERBS Esses verbos auxiliares merecem atenção especial pois são encarregados de transmitir nuances de sentido aos verbos principais. por que não se familiarizar com outras. in the long run.) – relativo ao meio ambiente. ou seja derivadas: environmentalist (= ambientalista). Besides these. ler com mais fluência. is occurring in China and India on a heroic scale. its value is often questioned. so devoutly desired yet often so elusive for developing countries. Por que não se familiarizar logo com outras palavras da mesma ‘família’. Por que? Simplesmente porque permitem a você aumentar seu vocabulário consideravelmente e. Aproveito o fragmento inicial para destacar: b) union (n. No texto você tem environmental limits (= limites ambientais). além de união. Suponhamos que você esbarrou nas suas leituras no substantivo environment (= meio ambiente). Recorra à lista dos principais discourse markers da aula inicial sempre que precisar. economic growth is pulling millions out of poverty. Leia o fragmento seguinte: Midway through the first decade of the 21st century. In the 1960s and 1970s. Yet once affluence is achieved. o que indica a palavra yet above? ____________________________________________________ C) AFFIXES Sempre chamo a atenção dos meus alunos e alunas para os principais prefixos e sufixos em inglês. [Source: The Economist April 27th 2006 (Adapted) – ESAF / AFT / 2006] Task: As a discourse marker. Aproveito o fragmento acima para destacar: a) environmental (adj. Analise o trecho a seguir e explique o que would & will indicam: . economists started worrying about environmental and social limits to growth. no jargão trabalhista: sindicato.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO B) DISCOURSE MARKERS –MARCADORAS DO DISCURSO Nunca é demais enfatizar a importância destas palavras de que o autor se vale para fazer a transição de uma frase para outra ou de um parágrafo para outro. Se até nosso Presidente da República foi um importante union leader (= líder sindical). Growth.) – sindicato. Se você descobriu que union significa.

.. not countries.. obesity. and include addiction... "The Challenge of Affluence" accepts that the populations of poor countries gain from growth... Jamais deixe de organizar o seu estudo das palavras transparentes.. To survive... grupo muito mais numeroso de palavras.). capital is global and employers are global.. call up (.). The fruits of affluence are bitter ones.. ou true cognates.). sim de fato. na verdade. in a sense...... In a nutshell. em resumo: estude false cognates (como pretend que não significa pretender e sim. call off (. Global companies are going to need an organization that. Today. porém.ESAF/ AFT / 2006] Task: O que indicam os modal verbs will & would acima? ____________________________________________________ E) TRUE & FALSE COGNATES Já confessei em várias ocasiões que cometi o erro de super enfatizar os falsos cognatos em detrimento dos verdadeiros cognatos.. Companies...... but says that the main benefits of prosperity are achieved at quite modest levels..... will manage their labor and protect workers' rights. [Source: The Economist April 27th 2006 (Adapted) – ESAF / AFT / 2006 Task: Traduza a palavra ‘affluence’ no texto acima? ...)..BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO What would a global union look like? Think more corporate partnership than class struggle. ou actually que não significa atualmente e. unions need to find their niche. Task: Procure a one-word synonym para os seguintes phrasal verbs: call on (.. . Its central thesis is that rising living standards in Britain and America have engendered impatience.......... nos auxiliam na leitura de textos técnicos.. não perca tempo em decorar longas listas (e existem dezenas delas disponíveis na Internet) de false cognates.... e outros campeões de incidência)... A global union would set standard practices and codes of conduct .... F) PHRASAL VERBS Por que dar tanta importância ao estudo dos phrasal verbs? Porque não se consegue chegar ao significado da maioria deles mesmo quando se conhece o significado do verbo principal. which undermines well-being.. que por causa da raiz latina ou grega. fingir... Uma coisa é saber que o verbo regular to call sozinho normalmente significa ‘chamar’ e outra coisa completamente diferente é saber o significado de call + adv particle.perhaps even minimum wages and work hours... [Source: Newsweek Special Edition Dec 2005 . call down (. make the rules....Feb 2006 (Adapted)] ... ou seja. family breakdown and mental disorders..

c) fallen. direta ou indiretamente. como o próprio nome indica. No caso específica da prova para AFT. Eis aqui um simples exercício de tradução. coisas. Normalmente são idioms de difícil tradução para o português. etc. Uma vez mais. estabelecer uma empresa). We lost market share: in 1960._____________________________________________ unemployment rate -_______________________________________ union workers .____________________________________________ raise in pay . etc). para estudar para uma prova da Banca ESAF. as palavras de que nos utilizamos para identificar objetos. sentimentos. d) not decreased. According to the text. exercem uma função na frase) e das content words (ou seja. quase sempre é necessário desenvolver uma espécie de olho clínico para saber anotar as expressões-chave do textos que estiver estudando. one in four workers was in a union. além do vocabulário do economês. há dicionários volumosos só tratando deste assunto.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO É impossível saber todos os phrasal verbs do inglês.______________________________________________ market share -_____________________________________________ H) IDIOMS & COLORFUL EXPRESSIONS Além do estudo das principais function words (palavras que. quantas vezes você encontrou durante o nosso curso o phrasal verb to lay off (= demitir). the number of workers affiliated to a union has a) soared. você não pode ir para sua prova sem saber alguns dos principais deles. mas. É fundamental que você organize suas anotações com os termos mais usuais. a meu ver. irá explorá-las. e) gone up. to set up (= instalar. ou expressões mais incomuns. seja seletivo! G) TECHNICAL JARGON Você há de convir comigo que quem vai fazer concurso para AFT precisa conhecer uma porção de expressões do economês e do jargão trabalhista. Tenha certeza de que o examinador. now it’s one in 12. Ainda do trecho inicial da prova para AFT / 2006 elaborada pela ESAF: We made the mistake of transferring the industrial model of unionism of the last country to the 21st. Task: Verifique o quanto você está familiarizado com technical jargon: Outsourcing -______________________________________________ employment . b) stabilized. .

raise in pay (= aumento da remuneração. opulência) com influence (= influência. neste texto. unemployment rate (= taxa de desemprego). call off (= cancelar). I wish you all good luck! Prof. do pagamento). Carlos Augusto . call down (= repreender). o número de trabalhadores sindicalizados ‘caiu’ (has fallen). lost) – perder // to be (was/were.. influenciar). ou (e) has gone up (= elevou-se). market share (= fatia de mercado) H) IDIOMS & COLORFUL EXPRESSIONS Quer me parecer que o conhecimento da expressão to lose market share (= perder fatia de mercado) seja fundamental aqui. E não: (a) soared (= aumentou).BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO ANSWERS / TASKS A) IRREGULAR VERBS: a) To make (made.. employment (= emprego). . been) – ser. F) PHRASAL VERBS call on (= visitar). quase sempre indica tempo futuro e would indica o condicional. (*) Você deve se lembrar deste verbo no grupo dos indicativos do rise & fall. D) Will. ou (d) has not decreased (= não diminuiu). contudo). Answer: C Segundo o texto. nosso futuro do pretérito. E) TRUE & FALSE COGNATES Seria um erro confundir affluence (= riqueza. call up (= telefonar). como verbo modal. estar B) DISCOURSE MARKERS – Yet (= entretanto. está indicando contraste e poderia ser substituído por but. however. union workers (= trabalhadores sindicalizados). ou (b) stabilized (= estabilizou-se). G) TECHNICAL JARGON Outsourcing (= terceirização). made) – fazer // b) to lose (lost.

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 3) ESPANHOL – Gerardo Sanmarco Os antecedentes da ESAF e as circunstâncias em que se desenvolve o atual concurso de AFT nos levam a aconselhar aos concursandos a uma revisão especial dos seguintes conhecimentos e habilidades: 1.A ESAF hierarquiza o conhecimento semântico e gramatical dos nexos. aos períodos abrangidos. consecutiva. b) as relações de causalidade e conseqüência determinadas por nexos ou expressões verbais pertinentes e explícitas. que incluem a habilidade de não confundir comparativos de superioridades (“es más que”) com superlativos ( “el mayor de”) d) as relações de inferência.. temporal) e ainda não se confundir com nexos de família similar mas classe gramatical diferente.A ESAF considera que as principais habilidades que constituem a interpretação adequadamente decodificada de um texto estão: a) as relações de igualdade ou equivalência de significados. entre uma alternativa e alguma informação do texto.As questões classificatórias da ESAF são de tal complexidade que exigem um DOMINIO do CAMPO TEMÁTICO de conjuntura. concessiva. O concursando deve revisar especialmente as diferenças com o do Português: o “Pretérito Perfecto Compuesto Del Indicativo” (ellos han declarado) e o “Imperfecto del Subjuntivo” e suas duas terminações opcionais (si ellos declararan = si ellos declarasen). A ESAF vem testando persistentemente a dificuldade de reconhecer a terminologia de números grandes: 1 billón (1 trilhão). e bom revisar os grupos de vocabulário específico do trabalho que contém termos decisivos como Aportes = contribuições //// cotización = contribuição ///// jubilación = aposentadoria //// ahorro = poupança ///// cesantías = demissões //// paro = desemprego ///// aliento = estímulo //// escollo=obstáculo //// tipo de interes = tasa de juros ///// mermar = diminuir ///// rebasar = ultrapassar /////// deuda = dívida ////// duda = dúvida ///// añadir = acrescentar//// ralentización = desaceleração ///// subasta = leilão ///// desplome = despencar ///// previsional = previdenciários ///// Assim como os tradicionais termos gramaticais com grafia diferente do português.. produzindo uma terceira afirmação verdadeira. Por exemplo: pese a (locução prepositiva) é de classe gramatical diferente que “pese a que”(locução conjuncional) mas as duas são nexos concessivos. e aos territórios referidos. 2.A ESAF vem cobrando conhecimentos cada vez mais profundos sobre o sistema verbal do Espanhol. 6. que exigem a presença no texto de pelo menos duas afirmações Ou conceitos que possam ser relacionados obrigatoriamente. ou alheias ao texto principal. condicional. c) as relações de comparação.. 4. adversativa. Na atual conjuntura.. 3. O concursando precisa decorar os nexos por família (causal. mil millones = millardo (1 bilhão). intrusas...A ESAF costuma testar os conhecimentos específicos de vocabulário nas áreas temáticas da vaga procurada. como: Sin embargo = porém //// aunque = embora ///// mientras = enquanto ///// a lo mejor = talvez ////// a menudo = freqüentemente ///// todavia = ainda ///// aun = até ///// temprano = cedo ///// ello = isso ///// em cambio = ao contrario ///// 5. É fundamental “amarrar” esses números aos conceitos medidos. o que implica saber excluir as informações distorcidas. O desconhecimento dos assuntos informados pelo texto . Cuidado com as trocas de preposições que alteram as referências: não é a mesma coisa subir “el 10%” que subir “a 10%”.Os textos informativos sobre estatísticas de Emprego e Economia vêm com muitos números e percentuais.

es decir. cuyas indemnizaciones por despido(demissão) sean crecientes por cada año de servicio. un 7.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO multiplica exponencialmente a dificuldade de processamento dos dados e de suas relações “invisíveis”.25%. mulheres. b) O impacto da crise mundial sobre os sistemas previdenciários tanto no que se refere à arrecadação quanto ao que se refere às despesas da Seguridade Social. y el empleo. sin embargo(no entanto). en España el crecimiento ha caído un 4. a su entrada en vigor. Esta propuesta permitiría reducir la dualidad laboral.7 veces más que en la UE. a corto plazo. siempre que los recursos del presupuesto lo permitan. a título de ejemplo. También propone aplicar el modelo austriaco a las cotizaciones que financian dichas prestaciones. reducir el paro en las recesiones y servir de base del nuevo modelo productivo. propone que. A medio plazo. mediante el cual pueden acumularse parte de las cotizaciones en un fondo de ahorro al que el trabajador tenga acceso si queda parado o . alargando (estendendo) su duración hasta que la situación económica mejore.-(Espanha) El mercado laboral(de trabalho) español ha vuelto (voltou) a mostrar que destruye demasiado empleo en la recesión. desapareciendo la maraña (confusão) de los 16 contratos laborales actuales. Por el contrario. seguir aumentando transitoriamente el gasto en prestaciones.2%. aumentar la productividad. migrantes. 1. idosos. c) As alternativas de políticas públicas e privadas que vão dando certo diante da crise trabalhista e previdenciária (Chile) d) O combate específico a economia informal (sumergida) e) Os informes da OIT e outros órgãos sobre a situação trabalhista em situação prejudicada: jovens.9% y. por los ocho días por año trabajado de los actuales contratos temporales los primeros dos años. Asimismo. En todo caso. 1. para que no desincentive la búsqueda de empleo. informais e deficientes (discapacitados) Em relação a estes assuntos chamamos a atenção para uma leitura atualizada com base em alguns textos das fontes e do período em que o autor costuma escolher seus textos. manteniendo sólo la tutela judicial para despidos por razones discriminatorias. propone aumentar el nivel de la prestación por desempleo durante los primeros seis meses a cambio de reducir su duración posterior. propone revisar sus topes máximos que. desincentivan la búsqueda de empleo. no permiten mantener decisiones de consumo. especialmente em relação às conseqüências sobre o mercado de trabalho. Las indemnizaciones por despido podrían empezar(começar).9%. Este contrato único unificaría las causas de despido. La primera propuesta de "reactivación laboral en España" propone : en cuanto a la dualidad laboral. propone. Segunda. sólo exista un contrato laboral indefinido(por tempo indeterminado). O estudo das provas e procedimentos anteriores da Banca nos levam a supor que o pano de fundo das questões a resolver serão alguns dos seguintes temas de conjuntura: a) O cenário econômico mundial. al ser escasamente decrecientes. el empleo ha caído sólo un 1. ya comprometidas y. al ser relativamente bajos. y seguirían aumentando cada año hasta llegar a un máximo a partir del quinto año que debería aproximarse al de la media europea. en cuanto a la protección por desempleo.7 veces más que su crecimiento y 3. propone que no deberían superarse los costes medios actuales al diseñar su escalado anual. bastante por debajo de los 45 días actuales. es decir. la caída de la tasa de crecimiento de la UE a 27 ha sido del 4. Entre el segundo trimestre de 2008 y el segundo trimestre de 2009. a pesar de sufrir una recesión menor.

aplicar el modelo austriaco de un seguro de despido individual. La segunda propuesta es la del servicio de estudios económicos del BBVA que es similar pero complementaria de la anterior y que propone las tres medidas siguientes: Primera. pagado con las cotizaciones sociales. Representa una caída del 3. compañías de seguros y financieras con una caída del 8. la mayor contracción laboral privada se registró entre los bancos.646 empleados.1%. a pesar de la crisis. Este achique (redução) de la ocupación privada anuló el crecimiento del empleo de los primeros meses del año pasado y retrotrajo(retornou) el número de empleados registrados a los niveles de 2007. que tiene la ventaja (vantagem)de que puede llevarlo consigo a otra empresa. Asimismo. por la precariedad de ese tipo de ocupación. aunque (embora) por montos(quantias) menores.919. En la Industria la caída laboral fue del 2. Texto 2 .BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO si necesita formación y. industria automotriz y plásticos. Según los datos del INDEC del tercer trimestre. facilitando la movilidad. En proporción a la gente empleada.691. en tanto se mantuvo estable en el Poder Legislativo y entre las Empresas Públicas. En el sector público pasó lo contrario y. En cambio. los puestos de trabajo siguieron creciendo en forma ininterrumpida a lo largo de 2008 y en los tres primeros trimestres de 2009. Aunque no hay datos de la evolución del empleo en negro (informal) se estima que debe haber retrocedido en la misma proporción o con mayor intensidad. aumentó la ocupación en Calzados y en Fertilizantes y Agroquímicos. . Estos números incluyen al personal suspendido que.330. y a pesar del blanqueo (regularização) del personal en negro (informal) que rigió a comienzos de año. que llevó a muchas empresas a achicar (reducir) sus dotaciones de personal. aumentaron en 73.8%.7%.9%.1%.256.166 los puestos de trabajo en el sector público nacional y en las Provincias que transfirieron sus Cajas jubilatorias (previdenciárias): pasaron de 1. sigue registrando aportes(contribuições) a la Seguridad Social. respecto a la dualidad del mercado laboral. pero con una reducción muy fuerte en algunos sectores claves(chave) como autopartes (autopeças).3% y transporte y comunicaciones con una reducción del 2. hoteles y restaurantes con una merma (queda) del 5. puede acumular lo que quede en un fondo de pensiones hasta el momento de su jubilación (aposentadoria). Un parte de este incremento corresponde al personal desplazado (deslocado) de las ex AFJP (fundos previdenciários privados) que pasó a la ANSeS y a la AFIP. opta también por una solución mixta: por un lado. además. hay 5. Y hubo un leve retroceso entre los medios comunicación del Estado. la construcción con una baja del 7. En el único sector que cayó fuerte el empleo público fue entre los Bancos Nacionales que redujeron la dotación de personal de 20. Todo esto engloba al personal en blanco (registrado) y es consecuencia de la menor actividad que se produjo por la crisis. En cambio(ao contrario). propone reducir las cotizaciones (contribuições) sociales a las empresas que tiendan a despedir menos y aumentarlas a las que suelan(costumam) despedir más. en los primeros nueve meses de 2009 la cantidad de trabajadores registrados del sector privado se redujo en 227. en base a lo que declararon las empresas ante la Seguridad Social.393 a fines de 2008 a 18.035 empleos.Argentina Por el impacto de la crisis.711 asalariados privados registrados cuando a fines de 2008 sumaban 5.987 en el tercer trimestre de 2009.869 a 1.357..

Así. Esto. Según el parlamentario. Por ejemplo. unos US$1. El diputado (DC) Pablo Lorenzini ha liderado una verdadera cruzada en el Parlamento para exigir al Gobierno algún cambio (mudança) normativo que permita reajustar este año las pensiones de más de 600 mil jubilados.703. Un fuerte crecimiento de 50% mostró el patrimonio administrado del Ahorro Previsional Voluntario (APV) en la industria de los fondos mutuos durante 2009.142.831. tal como sucederá en este año.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Por su parte. existen ciertos mecanismos legales que permitirían ofrecer el reajuste. el número de personas que ahorran(poupam) bajo(sob) el concepto de APV gestionado por los fondos mutuos alcanzó a los 99. Y luego de los descuentos se redujo a $ 3. al tercer trimestre.878 millones. fue de $ 3. la cifra del total retirado del sistema fue de US$ 7 millones. también un 18.7% frente al mes inmediatamente anterior. el sueldo promedio de los asalariados privados en blanco(registrados).500 que regula el sistema previsional administrado por las AFP. señaló(assinalou) que el mismo cuerpo legal incluye un mecanismo de reajustabilidad cuando la inflación acumulada en 12 meses es negativa. en promedio.478.7% más que un año atrás. Las AFP controlan el 70% del mercado del APV en septiembre. Además. el saldo acumulado asciende (chega) a septiembre del presente año a US$ 4. pero cedieron terreno a los fondos mutuos (15%) y las compañías de seguros (11.7% más que un año atrás. Luego de los descuentos se redujo a $ 2.2%). Texto 3 – Chile Presión parlamentaria para reajustar jubilaciones(aposentadorias).030 millones. En tanto.769 partícipes en diciembre.4% en relación a igual mes del 2008. En cambio.755). en diciembre se observó una expansión de 6. la cifra más alta desde la creación de este instrumento. lo que ha sido calificado por Lorenzini y otros parlamentarios como injusto e inadecuado.9% respecto a noviembre 2009 (3. “A medida que las personas se informan sobre APV en fondos mutuos se incorporan. al totalizar $512. y antes de los descuentos(contribuições) de jubilación y salud. precisando que la inflación negativa no debiera (deveria) implicar una caída (reduçao) del monto(montante) de las jubilaciones (aposentadorias). según los datos de la Asociación de Administradoras de Fondos Mutuos de Chile (AAFM). los salarios superan al de los privados. En el sector público. El monto total de los depósitos realizados en dicho mes llegó a los US$ 49 millones. la Superintendencia de Pensiones podría interpretar el decreto Ley 3. lo que se traduce en un aumento de 3. un 18. las jubilaciones no sufrirán reajuste en términos nominales. porque al producirse el primer IPC acumulado negativo de la historia en Chile durante 2009. Por otra parte. . y en un incremento de un 35. De este modo. Texto 5 APV en Fondos Mutuos Creció 50% Durante 2009 Esta industria representa más del 20% del mercado total del Ahorro Previsional Voluntario. El sueldo promedio bruto fue de $ 3. mayo del año pasado fue el mes en que hubo un mayor avance en montos.267 millones. Texto 4 Chile Cuentas de APV alcanzan máximo desde su creación El número de cuentas de Ahorro (poupança) Previsional (previdenciária) Voluntario (APV) llegó a 704.091.

demostrando que cuando la gente se informa prefiere APV en fondos mutuos”. la medida tiene un efecto limitado ya que favorece sólo a 277 mil trabajadores. hay que esperar el impacto que tengan estos beneficios para analizar futuros cambios al sistema. habría que aumentar la tasa de cotización por sobre el 10% exigido hasta ahora. Cavallini dijo que espera continuar con la positiva tendencia del año pasado. Visiones antagónicas Pero las visiones en el Gobierno no son unánimes. explicó Mónica Cavallini. para que tengan un mejoramiento real en sus pensiones. Sin embargo(no entanto). Entre ellos(eles).462 millones. cifra que hizo (fez) subir la tasa de desempleo casi un punto porcentual. agrega. dado que no son pocos los que aún(ainda) piensan que APV sólo se hace a través de AFP y no saben que en fondos mutuos tienen más alternativas. recordemos que hace unos años representábamos el 2% de la Industria APV y hoy ya tenemos más del 20% de dicho mercado. agregó. de un sistema que tiene más de 3. según un informe de la Organización Internacional del Trabajo (OIT).7 UF -anunciada por la Superintendencia de Pensiones la semana pasada-. Reyes hizo un llamado a discutir. el subsidio a la cotización (contribuição) de los jóvenes que comienza a regir en 2011.95%. dijo.5% a 8. debatir y profundizar sobre este tema para mejorar las pensiones de los trabajadores. Claudio Reyes. . apoyó subir la cotización de los afiliados al sistema de pensiones (10% del sueldo imponible).368. Solange Berstein.5 millones de afiliados. “con tasas de crecimiento de patrimonio semejantes y abarcando cada vez más mercado. finaliza.2 millones de puestos de trabajo el pasado año en Latinoamérica y el Caribe. Texto 6.. de 7. lo que les permite acercarse(aproximar-se) más a su objetivo de inversión(investimento). La Superintendenta de Pensiones.. lo que ayudará a que personas de mayores ingresos incrementen el saldo en sus cuentas de capitalización individual. Texto 7. "En el caso de las rentas inferiores a las 64. A diciembre de 2009.4%. gerente general de la AAFM. "Hay medidas que tendrán un impacto más temprano(cedo) y hay que ir monitoreándolas permanentemente". Un tema que nosotros hemos puesto (colocamos) en el debate desde hace meses y que está teniendo sus repercusiones en distintos sectores". dado que tienen más combinaciones de carteras”. Por eso. planteó que la Reforma Previsional ya contempla medidas para aumentar los aportes de las personas en una AFP.Chile Subsecretario apoya el aumento de cotización(contribuição) de afiliados de las AFP El subsecretario de Previsión Social. Para este ejercicio. idea planteada (proposta) esta semana en "El Mercurio" por AFP Cuprum y que causó diversas reacciones en el sector. la obligación de cotizar para los independientes (que se inicia en 2012) y los incentivos para el ahorro previsional voluntario (APV) de la clase media.6 millones de cotizantes y más de 8.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO el tema es que se informen.7 UF. La autoridad destacó el alza en el tope máximo imponible (taxável) desde 60 UF hasta 64. por lo que los recursos administrados bajo(sob) concepto APV representan sólo el 2. la industria manejaba (administrava) en su totalidad un patrimonio efectivo de $17.OIT La crisis se cobró (engoliu) 2.

85% a 8.5% y 7.3% en 2008 a 10% en 2009.6% y 7. respectivamente.5 en 2008.7%.9% a 7. Miguel Del Cid. podría bajar en 2010. ni derechos laborales). Las figuras publicadas ayer muestran que el crecimiento de la economía aún (ainda) no impacta (afeta) en el mercado laboral. los varones (homens) se han visto más afectados por el aumento del desempleo. de 6. Maninat subrayó que antes de la crisis ya había otra crisis.9% en 2008 a 5. Dijo (disse) que la tasa de ocupación cayó de 54. donde ésta se había reducido de 11.6%. Indicó que el empleo informal se incrementó en 2. Sin embargo. de 7. Ecuador. (EFE)   Texto 8.8%).BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO La OIT pronostica que ese porcentaje.6% a 6.6% y el empleo formal cayó en 0.5% el año pasado. En Colombia la tasa de desempleo aumentó entre 2008 y 2009 de 11. Trinidad y Tobago y Venezuela.5% a 12.4% en 2002 a 7.9% en 2008 a 8.2%. Chile.1 millones de desempleados actuales.1% a 8. Uno de cada diez trabajadores en la eurozona está desempleado.5%. El director regional de la OIT.3% entre 2008 y 2009.5%. informalidad y sub empleo.0 . En el 2009. de pobreza.9% a 54. según el documento “Panorama laboral 2009”. Por ello Jean Maninat recomendó que los estados de la región pongan (coloquem) el empleo como centro de las políticas económicas y fomenten el diálogo social y la creación de empresas sustentables. El organismo indicó que la tasa de desempleo aumentó en 2009 en 12 de los 14 países estudiados. La situación confirma las preocupaciones en Bruselas de que se estaba produciendo un “crecimiento sin empleos”. mientras (enquanto) que en este mismo período aumentó en Argentina de 8.9% a 10%. de desarrollo insostenible (desenvolvimento insustentável) y de déficit de trabajo decente. mientras que la tasa de desempleo femenina continúa siendo superior a la de los hombres para el lapso analizado. puntualizó Maninat.8% y Panamá de 5. Los menores incrementos de la tasa de desempleo se registraron en Brasil. de 8.3%. Europa. pero (porém) la tasa de desempleo de este año supuso (supôs) un retroceso en la región. El informe de la OIT también indicó que en 2010 la región crecerá en promedio 4.3 veces mayor que la tasa de desempleo total. Solo se salvaron Perú y Uruguay. Costa Rica pasó de 4. que refleja los 18. y México aumentó su tasa de desempleo de 3. la economía de la eurozona se achicó (reduziu) un 4.2% de la fuerza laboral.1% en 2009 respecto al año anterior. Agregó que en 2009 el desempleo juvenil fue de 2. El director del Sistema de Información Laboral para la región. donde hubo (houve) una leve disminución. Jean Maninat. que subió de 8. hasta situarse en 8. al insistir en que el mercado laboral de la región se caracteriza por su alta informalidad. seis fueron en el sector informal”. “De cada 10 empleos que se crearon en 2009. por lo que se pronostica que el desempleo cederá de manera paulatina este año y se podrá situar en torno a 8. dado que la mano invisible del mercado no es suficiente para que haya desarrollo de empresas sustentables. Los mayores aumentos se observaron en Barbados. dijo que se observó en muchos países un debilitamiento de la capacidad de sus economías para crear empleo asalariado. La crisis financiera mundial no golpeó(castigou) a Latinoamérica y el Caribe como se esperaba en un inicio.1% (según la Comisión Económica para América Latina y el Caribe-Cepal). mientras que el empleo informal en empresas formales disminuyó en 1. expresó que se ha incrementado en la región el trabajo informal (sin protección social. una forma de trabajo que sigue siendo una manera de refugio frente al desempleo.

Los países que deberán hacer los mayores sacrificios son Grecia. La situación en algunos países es dramática. dueña (dona) de la quinta economía más grande en la UE. Actualmente Grecia tiene un déficit fiscal de 12. por ejemplo.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO por ciento. En España. El Pacto de Estabilidad adoptado en 1997 cuando se introdujo el euro establece que ningún Estado miembro puede tener un déficit fiscal superior al 3 por ciento y una deuda (dívida) pública mayor al 60 por ciento de su PBI. Los economistas de la oficina de Eurostat encargada de dar los datos explican que de la misma forma que un descenso del PBI no impacta inmediatamente en el empleo.1 a 7. el desempleo sigue creciendo y ya alcanza el 19. España. pudo (conseguiu) sobrellevar su peor recesión económica desde el fin de la Segunda Guerra Mundial –que encogió la economía un 5 por ciento– gracias a una reducción en los horarios de trabajo. De esa forma el desempleo tan sólo creció de 7. En Letonia llega al 22.8 y en Estonia al 15. Muchos esperaban que el fin de la recesión y el crecimiento de 0. el desempleo no sólo no retrocede sino que sigue creciendo y ya alcanza a un 10 por ciento de la población activa. Otros países han sabido (souberam) soportar los efectos de la crisis económica de mejor manera.5 por ciento. Irlanda y Portugal por los desequilibrios en sus cuentas fiscales.7 por ciento y una deuda pública de 113 por ciento del PBI. 13 de los 16 países de la eurozona no cumplen con las condiciones del pacto.2 por ciento.5 por ciento. El sucesivo aumento del riesgo país de Grecia promete desequilibrar las cuentas aún más. Las cifras de desempleo se suman a los problemas de los gobiernos de la eurozona para controlar las cuentas públicas. Alemania. En los círculos de Bruselas se teme que la misma desconfianza se extienda a otros países de la eurozona. Pero luego de la crisis económica. .7 para este año sirviera (servisse) para generar nuevos puestos de trabajo. la lógica de asegurar la estabilidad del euro parece primar(predominar) en Bruselas. lo cual ha provocado la reacción de funcionarios en Bruselas que presionan para que los Estados recorten gastos. lo cual podría provocar una reacción en cadena que acabaría con la estabilidad del euro. ya que Atenas debe pagar mayores intereses(juros) a sus acreedores (credores). Aunque (embora) las medidas de recorte del presupuesto (orçamento) podrían aumentar aún más el desempleo. lo mismo sucede a la inversa. Sin embargo (no entanto). la cual evitó despidos (demissões) masivos.

ou v Disjunção exclusiva ou “Ou Exclusivo” Condicional ou Implicação Se. então o chão fica molhado. b) Se o chão está molhado. será mais fácil achar a resposta da questão. suas tabelas-verdade. suas negações e as proposições equivalentes.. O conteúdo programático é imenso e serão apenas 10 (dez) questões. temos que conhecer os tipos de conectivos.. então não choveu ou não nevou. uma questão de estrutura lógica em sua prova.então ↔ Se. e) Se o chão está seco. e somente se Bicondicional ou Dupla Implicação Não ~ Negação Tabelas-Verdade: p q p^q pvq pvq p q p ↔ q ~(p ^ q) ~(p v q) ~(p v q) = ~p v ~q = ~p ^ ~q = p ↔ q V V V V F V V F F V F V V F F V F F V F F V F V V V F V F F F F F V V V V V F F ~(p q) ~(p ↔ q) = p ^ ~q p q (proposição condicional) =pvq F F V V (i) p é condição suficiente para q V V V F (ii) q é condição necessária para p F V F V F F F F Outros Conceitos Importantes: Tautologia: última coluna terá somente linhas com “V” (verdadeiro). Veja um exemplo de questão sobre o tema. Contingência: Corresponde a toda proposição composta que não se caracteriza como tautologia ou contradição. p q Resolução  1. Proposições Equivalentes p q ~q ~p p q ~p v q p ↔ q q ↔ p q) ^ (q p) p ↔ q (p pvq p ↔ ~q pvq ~p ↔ q Dica: Se cair questão de estrutura lógica. Conectivo Notação Denominação E ^ Conjunção Disjunção Ou v Ou. então choveu ou nevou. Sendo assim. Contradição: última coluna terá somente linhas com “F” (falso). Portanto.(AFRFB-2009-Esaf) Considere a seguinte proposição: “Se chove ou neva. Tipo de Proposição: Condicional Proposições Equivalentes: p q ~q ~p . 1. vou procurar destacar os pontos que considero mais importantes para a prova. então choveu ou nevou.. verifique todas as proposições dadas do enunciado da questão e ache as suas proposições equivalentes. deste modo. pelo menos.. pois. d) Se o chão está seco. então o chão fica molhado”. c) Se o chão está seco. Se chove ou neva. pode-se afirmar que: a) Se o chão está molhado. então não choveu e não nevou. cobrada no último concurso para AFRFB-2009: 1.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 4) RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO – Moraes Junior Prezado(a) aluno(a). Logo. então choveu e nevou. Estruturas Lógicas: É bem provável que tenha.

então não choveu e não nevou. ou Nenhum P é Q Pelo menos um P é Q. Quantificador Característica Negação Qualquer que seja x. Não há elemento comum entre P e Q Algum P é Q.sen b . ou Todo P é Q também pertence necessariamente a Q Pelo menos um P não é Q. Lógica da Argumentação e Diagramas Lógicos: Neste item.sen a . cos b + sen a . cos a a θ 90º b β c C a te to O p o s to b = H ip o te n u s a a C a te to A d ja c e n te c = cos β = H ip o te n u s a a sen β = tg β = tg β cot cot tg β C a te to O p o s to b = C a te to A d ja c e n te c b = sen β = a = b c c cos β a C a te to A d ja c e n te c gβ = = C a te to O p o s to b c c cos β gβ = = a = b sen β b a 1 = cot g β Teorema de Pitágoras: a2 = b2 + c2 => (seno β)2 + (cosseno β)2 = 1 Partindo do ângulo para achar o valor: (∞ = infinito)  Ângulo Seno 0º 0 30º 45º 60º 1 2 2 2 3 2 90º 1 180º 0 270º -1 360º 0 . Trigonometria: Você precisa saber as relações trigonométricas e os valores dos principais ângulos: Sen2 a + Cos2 a = 1 cos (a + b) = cos a . Gabarito: E 2. cos b . sen b sen (a + b) = sen a . se x pertence a P. cos b + sen b .b) = sen a . Algum P não é Q. Algum P é Q também pertença a Q Existe um elemento x tal que x pertence a P e Todo P é Q Algum P não é Q x não pertence a Q 3. é importante saber os quantificadores e suas negações. Existe um elemento x que pertença a P e Nenhum P é Q.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO p = Chove ou neva q = O Chão fica molhado p q => Chove ou neva O chão fica molhado ~p = Não choveu e não nevou ~q = O chão não fica molhado = O chão está seco Proposição Equivalente: ~q ~p => O chão está seco Não choveu e não nevou Resposta: Se o chão está seco. sen b cos (a – b) = cos a . cos a sen (a . cos b .

forem todos nulos. IX) Seja A uma matriz de ordem n (maior ou igual a 2) que possui todos elementos acima ou abaixo da diagonal secundária iguais a zero. Portanto. onde n é a ordem da matriz quadrada. det (AB) = det (A). então det A = 0. Nota: Como conseqüência da propriedade acima.det(B). na matriz incompleta. Dz => determinante da matriz obtida substituindo-se. a coluna dos coeficientes de z pelos termos independentes.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Cosseno Tangente Cotangente 1 0 ∞ 3 2 3 3 3 2 2 1 1 2 0 ∞ 0 -1 0 -∞ 0 -∞ 0 1 0 ∞ 3 3 3 1 4. det A´= k . A-1 = In (matriz identidade) temos: det(A. você  precisa saber das propriedades dos determinantes. onde n é a ordem da matriz quadrada A. Também é válida para divisão por um número k. y = Dy/D e z = Dz/D e.A-1)= det(In) => det A . de ordem n. det A = 0. a coluna dos coeficientes de y pelos termos independentes. X) Teorema de Binet: Sejam A e B matrizes quadradas de mesma ordem n. Neste caso. o determinante na nova matriz A´ será o produto de k pelo determinante de A. é possível obter a sua solução por meio do procedimento abaixo: x = Dx/D. VII) Seja A uma matriz de ordem n (maior ou igual a 2) que possui uma fila que é uma combinação linear das outras filas. IV) Seja A uma matriz de ordem n (maior ou igual a 2). iremos concentrar nossas resoluções em sistemas normais de duas ou três variáveis. det A-1 = 1 (o determinante da matriz inversa é o inverso do determinante da matriz). det A. assim sucessivamente. Dy => determinante da matriz obtida substituindo-se. Determinantes e Solução de Sistemas Lineares: Para resolver a maioria das questões. para as demais variáveis. tal que: det A´= . o determinante de A é o produto dos elementos dessa diagonal. se houver. Matrizes. Portanto. det (kA) = kn . det A = 0. No nosso caso.det A. VIII) Seja A uma matriz de ordem n (maior ou igual a 2) que possui todos elementos acima ou abaixo da diagonal principal iguais a zero. Como A . det A. S2: x + y + z = 4 (I) x – y + 2z= 2 (II) 3x + y – 2z = 3 (III) . III) Se multiplicarmos uma fila qualquer de uma matriz A. teríamos: det A´= (1/k) . obteremos uma nova matriz A´. det A. det A = 0. V) Seja A uma matriz de ordem n (maior ou igual a 2) que possui duas filas paralelas (duas linhas ou duas colunas) formadas por elementos respectivamente iguais. na matriz incompleta. Neste caso. Neste caso. D => determinante da matriz incompleta. é importante saber a Regra de Cramer: Para todo sistema normal.(n-1)/2. na matriz incompleta. Dx => determinante da matriz obtida substituindo-se. a coluna dos coeficientes de x pelos termos independentes. por um número k. Se trocarmos de posição duas filas paralelas (duas linhas ou duas colunas). se multiplicarmos toda a matriz por um número k. Portanto. Destaco as seguintes. VI) Seja A uma matriz de ordem n (maior ou igual a 2) que possui duas filas paralelas (duas linhas ou duas colunas) formadas por elementos respectivamente proporcionais.   I) det A = det At (matriz transposta) II) Se os elementos de uma fila qualquer (linha ou coluna) de uma matriz A. o determinante de A é o produto dos elementos dessa diagonal (secundária) multiplicado por: (-1)n. Para resolução de sistemas lineares.

.) Combinações Simples: corresponde ao número de subconjuntos possíveis de n elementos do conjunto A. Arranjos e Permutação: neste item. Iracema. temos: f(0) – (21/2 + 1) . com q elementos repetidos do tipo 1. f(x) − (x + 1) f(21/2 − x) = x1/3 x = 0 => f(0) − (0 + 1) f(21/2 − 0) = 01/3 => f(0) – f(21/2) = 0 => f(0) = f(21/2) x = 21/2 => f(21/2) − (21/2 + 1) f(21/2 − 21/2) = (21/2)1/3 => => f(21/2) − (21/2 + 1) f(0) = 2 (1/2).(n-2). ou América. para todo x inteiro. s elementos repetidos do tipo 3..BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO ⎡1 ⎢ ⎢1 ⎢ ⎢3 ⎣ 1 −1 1 1 ⎤ ⎡ x ⎤ ⎡ 4⎤ ⎥ ⎢ ⎥ ⎢ ⎥ 3 ⎥ • ⎢ y ⎥ = ⎢ 2⎥ ⎥ ⎢ ⎥ ⎢ ⎥ −2⎥ ⎢ z ⎥ ⎢ 3⎥ ⎦ ⎣ ⎦ ⎣ ⎦ Termos Independentes Matriz das Incógnitas Matriz Incompleta Análise de um sistema 1) Sistema possível e determinado: D ≠ 0 (uma única solução) 2) Possível e indeterminado: se D = 0 e todos os determinantes Dx. Pn (q. Com estas informações. Célia. m ⇒ potência de potência ⇒ multiplica os expoentes. Pedro. poder.n = n!/(n – n)! = n!/0! = n!/1 = n! Logo.p = n!/(n – p)! => número de arranjos de n elementos tomados p a p.(n-3)! = . etc.  Além disso. amor.(n-2)! = n.r!.. Pn = n!  An.( n − p ) ! ⎝ ⎠ ..21/6/21/2 = . Roma. considerando p elementos distintos escolhidos entre n elementos dados (p ≤ n).r. conclui-se que f(0) é igual a (retirei as alternativas): Resolução Para resolver a questão. f(0) – f(0) = 21/6 => => -21/2 .n Nota 1: Anagrama: palavra ou frase formada de outra por meio de transposição de letras como em Alice. os agrupamentos serão formados por todos os elementos do conjunto dado. Ex: 24 : 22 = 22 II) (xn)m = xn . r elementos repetidos do tipo 2. tomados p a p.s. Dy e Dz forem iguais a zero 3) Impossível: D = 0 e (Dx ou Dy ou Dz) forem diferentes de zero.2 -2/6 = . Permutações Simples (P): os arranjos são diferentes entre si somente em função da ordem de seus elementos..2 -1/3 6.2 (1-3)/6 => f(0) = ..) = n!/(q!. 5.(n-1)! = n. Este tipo de sistema poderá ser determinado se admitir somente a solução trivial ou indeterminado se admitir outras soluções além da trivial. Nota 3: Permutações com elementos repetidos: neste caso. Assim.21/6 – 1/2 = . An.(n-1). temos que saber duas propriedades de potências: I) xn : xm = xn – m ⇒ divisão de potências de mesma base ⇒ conserva a base e subtrai os expoentes. p = A n! = n.(n-1). Sistema linear Homogêneo: os termos independentes de todas as equações são nulos.( n − p ) ! Pp ou ⎛n⎞ n! (*) ⎜ p ⎟ = p !. Álgebra: Em álgebra.s!..(1/3) = 21/6 Como f(0) = f(21/2). são problemas que envolvem n pessoas em torno de uma mesa circular. f(0) = 21/6 => f(0) = . Nota 2: Permutações Circulares: Pn = n!/n = (n-1)! => normalmente. p p !. Todo sistema linear homogêneo admite pelo menos a solução trivial. o universo de possibilidades de questões é tão vasto que preferi selecionar uma questão possível de aparecer novamente em prova: (Auditor do Tesouro Municipal-Prefeitura de Natal/RN–2008-Esaf) Uma função definida no conjunto dos números inteiros satisfaz a igualdade: f(x) − (x + 1) f( 2 − x) = 3 x . todo sistema linear homogêneo é possível. n! = n. há um conjunto de n elementos. Pn = An. que é a solução identicamente nula. f(0) = 21/6 => f(0) – 21/2 . Combinações. C n. destaco os seguintes pontos:  Arranjos Simples: Os agrupamentos diferem entre si pela natureza e pela ordem em que os elementos são dispostos.

⎜ ⎟ = .e 3 ⎠ 3 ⎝ ⎝ ⎠ 3 onde: X = variável aleatória de Poisson. Graus de liberdade = n – 1 (para utilizar a tabela) Exemplo: Suponha que. = e −4 . dividir o nível de significância ( α ) por 2. em pessoas normais quanto à capacidade respiratória. além de um quadro resumo. ⎜ 1 + 4 + + ⎟ 0! 1! 2! 3! 2 6 ⎠ ⎝ 32 ⎞ ⎛ ⎛ 3 + 12 + 24 + 32 ⎞ 71 −4 e−4 . sendo representada por p(A/B). Principais Distribuições de Probabilidade: neste tópico gostaria de  destacar o teorema de Bayes e a distribuição de Poisson. Estatística Descritiva. multiplicar o nível de significância ( α ) por 2 (caso a tabela fornecida seja bicaudal). com média de dois petroleiros por dia. Testes de Hipótese e Análise de Regressão: neste item. Desse modo. Variáveis Aleatórias. λ −4 => Probabilidade = 8. + e .71828 = 2 petroleiros por dia x 2 dias = 4 petroleiros Probabilidade = f(0) + f(1) + f(2) + f(3) => => Probabilidade = 1 2 3 40 16 64 ⎞ ⎛ −4 4 −4 4 −4 4 e . a probabilidade de a refinaria receber no máximo três petroleiros em dois dias é igual a (retirei as alternativas): Resolução  Distribuição de Poisson: f (k ) = e −λ . ⎜1 + 4 + 8 + ⎟ = e −4 . também deixo um exemplo  como bizu. Kevin. σ n t (calculado) = X −μ s n multiplicar o nível de significância ( α ) por 2 (caso a tabela fornecida seja bicaudal). utilizar o nível de significância ( α ) dado. Probabilidade. + e .BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 7. relacionados aos testes de hipótese. sabendo‐se que o evento B já  ocorreu. a pressão arterial seja uma variável aleatória normalmente distribuída com média 12 e variância 4. λk λ = parâmetro da distribuição de Poisson (valor esperado ou número médio de ocorrências em um intervalo).  p(A/B) = n(A ∩ B)/n(B) => p(A ∩ B) = p(A/B). querendo provar que o diabetes causa aumento da . cobrada na última prova de AFRFB:  Probabilidade Condicional: Corresponde à probabilidade de ocorrer o evento A. k! k = número de petroleiros por dia. um renomado cardiologista brasileiro.P(B) => Teorema de Bayes (AFRFB-2009) O número de petroleiros que chegam a uma refinaria ocorre segundo uma distribuição de Poisson. e = número de Euler ou neperiano = 2. + e . utilizar o nível de significância ( α ) dado(caso a tabela fornecida seja bicaudal).  n < 30 e variância Número de Elementos da n < 30 e variância n ≥ 30 populacional ( σ ) conhecida Amostra (n) populacional ( σ ) não conhecida Distribuição Normal Distribuição Normal Distribuição t-Student Testes H0 → μ = X H1 → μ > X Unilateral à Direita H0 → μ = X H1 → μ < X Unilateral à Esquerda H0 → μ = X H1 → μ ≠ X Bilateral Distribuição Normal z (calculado) = Distribuição t-Student X −μ utilizar o nível de significância ( α ) dado.

Cálculos: α = 0.94 2 σ n 20 Como z(calculado) > Z(tabelado) => rejeita H0 => dizer que o diabetes aumenta a pressão arterial. que é menor que 30.005? Primeiramente. Portanto. pode ser utilizada a distribuição normal ou t-student. μ > 12 . os pontos em que as esferas tocam o chão formam um triangulo cuja área é (retirei as alternativas): Resolução . Deste modo. vamos montar nosso teste de hipóteses: Hipóteses: H 0 → μ = 12 H1 → μ > 12 => teste unilateral à direita Bom.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO pressão arterial. Desenhando a curva. obtendo uma média igual a 16.500 (50%) para cada lado da curva.995 α = 0. observou a pressão arterial de 20 pacientes portadores de diabetes.005 Z = 2.58 (à esquerda) (*) lembre que é 0. a depender se a variância populacional é ou não é conhecida.005 (nível de significância) X − μ 16 − 12 = z (calculado) = = 8. para n < 30 e variância populacional conhecida => distribuição normal.58 Cálculos: n = 20 Xm = 16 (média amostral) (desvio-padrão populacional) μ = 12 (média populacional) σ2 = 4⇒σ = 2 α = 0. teríamos: Aceita H0 Rejeita H0 0. sendo que cada esfera esta encostada nas outras duas. pela grande quantidade de conteúdo. Kevin está correto ao 9. Há que se ressaltar que a questão fornece a variância populacional (variância = 4) . com as hipóteses definidas. Geometria Básica: aqui também. Dado que a maior delas tem um raio de 4cm e as outras duas tem raios de 1cm.500 (*) – 0. A hipótese de Kevin é ou não é válida. deixo um exercícios de prova anterior  como bizu. ao nível de significância de 0. ou seja. Repare que n = 20. precisamos verificar qual distribuição utilizar.495 => Z (tabelado) = 2.005 => Área sob a curva = 0.005 (nível de significância) Área da Curva = 0.  (ANA-2009-Esaf) Três esferas rígidas estão imóveis em uma superfície plana horizontal.

D = N. a sua altura (h).iD. devemos ter atenção à diferença entre descontos racionais e comerciais. R+r = =1+4=5 r=1 R–r=4–1=3 a Teorema de Pitágoras: 52 = 32 + a2 => a2 = 25 – 9 = 16 => a = 4 Logo. corrigido nas condições de mercado.iD. Desconto Comercial. N = Ad.t) Taxa efetiva ou Taxa Implícita da Operação (ief): corresponde à taxa que deve ser aplicada ao valor atual para obter o valor nominal. Taxas de Juros. Equivalência de Capitais. duas a duas. Como é um triângulo isósceles. Matemático ou por Dentro (d): é o desconto que determina um valor atual (Ad) que. Anuidades e Sistemas  de Amortização: neste item. o triângulo formado é um triângulo isósceles de lados iguais a 4 e base igual a 2. resulta em um montante igual ao valor nominal. ief > iD => N = AD.t = N – AD AD = N – D = N – N.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO A questão descreve que as três esferas se tocam.t) Desconto Racional. Valor Nominal ou Valor de Face (N): valor do título na data do vencimento.(1 + ief. conforme abaixo: 4 h     4 1 1 Do Teorema de Pitágoras: 42 = h2 + 12 => h2 = 16 – 1 = 15 => h =  Área do Triângulo = Base x Altura/2 = 2 x 15   cm2 15 /2 = 15 10. divide a base em duas partes iguais.(1 – iD. Bancário ou por Fora (D): corresponde aos juros calculados sobre o valor nominal. Juros Simples e Compostos.t) id = ief . Logo.(1 + id. Valor Atual ou Valor Descontado (AD): valor do título na data do desconto. Desconto. o triângulo formado pelos pontos que as esferas tocam o chão seria: I – Vista frontal: base do triângulo (b) b=r+r=1+1=2 II – Vista lateral: lados do triângulo (a): as duas esferas menores estão sobrepostas. Veja:  Descontos Simples  Desconto (D): diferença entre o valor nominal e o valor atual.t = N.

Moraes Junior moraesjunior@pontodosconcursos. II – O número de dias para terminar a obra é inversamente proporcional à jornada de trabalho. números e grandezas proporcionais. e vice-versa. quanto maior produtividade. ou seja. (Assistente Técnico-Administrativo-MF-2009-Esaf) Com 50 trabalhadores. quanto maior o número de trabalhadores. propriedades. e vice-versa. n = número de períodos de antecipação Desconto Racional Composto: neste desconto. e vice-versa.8   Boa prova. . ou seja.P 5 . quanto maior a jornada de trabalho.(1 – d)n A = valor atual. problemas envolvendo as quatro operações nas formas fracionária e decimal. X P 50 8 5 24 ⇒ X = = 3 0 d ia s 0. conjuntos numéricos racionais e reais operações. razão e proporção. N = valor nominal. entre outros. d = taxa de desconto comercial. orientação espacial e temporal. menor o número de dias. formação de conceitos.P) = 0. Com 40 trabalhadores. Compreensão e elaboração da lógica das situações por meio de: raciocínio matemático (que envolvam.X = 24 ⇒ . menor o número de dias.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Descontos Compostos  Desconto Comercial Composto: é um desconto que incide sobre o valor nominal (N). regra de três simples e composta. com a mesmo produtividade. A = N.0 . raciocínio sequencial. 8 .8P 24 4 0 1 0 0 .com.(1 + i)n => A = N/(1 + i)n 11. de modo que N seja o seu montante. menor o número de dias. porcentagem). conjuntos numéricos complexos. trabalhando 8 horas por dia. o meu bizu refere-se a uma questão de regra de três direta e inversa. ou seja. discriminação de elementos: neste item. III – O número de dias para terminar a obra é inversamente proporcional à produtividade. em quantos dias a mesma obra ficaria pronta (retirei as alternativas)? Resolução  I – O número de dias para terminar a obra é inversamente proporcional ao número de trabalhadores. trabalhando 10 horas por dia. divisão proporcional. 8 = = = 0. deve-se calcular o valor atual (A). com uma produtividade 20% menor que os primeiros. uma obra ficaria pronta em 24 dias.8.8 ⇒ 0. Dias 24 X Trabalhadores 50 40 Jornada 8 10 Produtividade P (P – 20%. período a período. N = A.br .

acrescenta-se a noção de que as pessoas são também clientes dos serviços públicos. são três as características básicas que traduzem o caráter racional das burocracias. Podemos dividir a evolução da Nova Gestão Pública em três momentos: Gerencialismo Puro Economia / eficiência produtividade Contribuintes Consumerism Public Service Orientation (PSO) Efetividade / qualidade Accountability / eqüidade Clientes / consumidores Cidadãos No início. mas é correto. a despersonalização do relacionamento. através de medidas que visavam tornar o poder público mais leve. que nasce voltada para a eficiência. a resistência à inovação e às mudanças. Nele. criação de opções de atendimento. o formalismo exagerado. O termo “usurpação” pode parecer forte. que pode ser traduzido como “satisfação do consumidor”. ágil e competitivo: descentralização administrativa. a transformação da obediência à norma no próprio objetivo. de suas disfunções. Este é o Bizu de Administração Pública. (2) impessoais. desregulamentação. além da valorização do contribuinte. esquecendo os resultados. burocrático e gerencial”. Com a maior complexidade e a burocratização da sociedade moderna. Realizava-se a privatização. introduziu a perspectiva da qualidade como uma estratégia voltada para a satisfação do consumidor.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 5) ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA – Rafael Encinas Olá Pessoal. o entendimento de que os recursos são do contribuinte e este quer vê-los gastos com eficiência. Entre as disfunções temos: a centralização excessiva do processo decisório. decidiu-se por privilegiar a consciência de custos. O surgimento do estado burocrático implicaria a renúncia de responsabilidade pela liderança política e na usurpação das funções políticas por parte dos administradores. ou gerencialismo puro. . o objetivo é rever os conceitos mais importantes do edital e que a ESAF tem usado em suas provas. que são os problemas que surgem de sua aplicação. como incentivo à competição entre organizações públicas e adoção de um novo modelo contratual. Bresser afirma ainda que estes administradores tendem a “controlá-los cada vez mais completamente”. São sistemas sociais: (1) formais. Para Bresser. É muito importante diferenciarmos a teoria burocrática. Vamos ver agora um dos itens mais importantes do edital: “Modelos teóricos de Administração Pública: patrimonialista. pessoas insatisfeitas com a falta de resultados da burocracia e que não queriam mais pagar impostos. os burocratas tendem a retirar poder dos políticos. por isso querem qualidade. devolução de atividades governamentais à iniciativa privada ou à comunidade. Em virtude das revoltas dos contribuintes que vinham acontecendo. (3) dirigidos por administradores profissionais. período do Managerialism. o foco das reformas estava na busca pela eficiência. O consumerism. Num segundo momento.

A estratégia de JK direciona-se então para as estruturas “paralelas”. nasce com o objetivo de realizar a revolução modernizadora do país. A criação e expansão da administração indireta foi uma tentativa de escapar dos órgãos centralizados para que se instalassem novos princípios de uma nova onda de eficiência no setor público. podendo ser considerado como um primeiro momento da administração gerencial no Brasil”. e valorizar a competência técnica. A estratégia de descentralização do governo autoritário possuía semelhança com a criação da administração paralela de JK. que se referem à “Evolução da Administração Pública no Brasil”. O Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP) foi o grande órgão responsável por modernizar a administração pública. Descentralização. Os princípios da administração gerencial são: descentralização administrativa. Coordenação e Controle. Ganha vulto a “autarquização” de órgãos da administração direta. Com o início da Ditadura em 1964. tanto no governo de JK quanto na ditadura. Delegação de autoridade. dotadas de maior autonomia. segundo Bresser. mediante a criação de várias autarquias e sociedades de economia mista. a posteriori. organizações horizontalizadas. ao invés de autoreferida. principalmente em três áreas que são consideradas o tripé da implantação da administração burocrática no país: administração de materiais. O processo de modernização da Administração Pública. além das autarquias. . resultou no crescimento exagerado da administração indireta. descentralização política. A reforma tinha um caráter nitidamente descentralizador e buscava modernizar a administração pública através da utilização de instrumentos gerenciais de gestão utilizados pela iniciativa privada. A partir da década de 1930 tem início o desenvolvimento industrial do país. O decreto estabelece cinco princípios fundamentais que irão estruturar a administração pública: Planejamento. Juscelino Kubitschek tomou posse em 1956 e tentou implantar no Brasil a “Administração para o Desenvolvimento”. a afirmação dos princípios centralizadores e hierárquicos da burocracia clássica. um momento em que o autoritarismo brasileiro ganhava força. consubstanciada no Plano de Metas. No entanto. assim. controle por resultados. A sua aplicação no Brasil. Criado no início do Estado Novo. Representou. administração voltada para o atendimento do cidadão. Não podemos deixar de dar uma olhada nos itens 3. particularmente para as fundações de direito privado criadas pelo Estado. pressuposto da confiança limitada. mecanismos mais ágeis e flexíveis. com vistas a fugir da burocracia da direta. É iniciado um amplo processo de criação de estatutos e normas para as áreas fundamentais da administração pública. que já existiam desde 1938”. há um aprofundamento da busca pela flexibilização. “o aspecto mais marcante da Reforma Desenvolvimentista de 1967 foi a desconcentração (sic) para a administração indireta. de pessoal e financeira. Trata-se de um conjunto de idéias que defendia que era necessário reformar o sistema administrativo para transformá-lo em instrumento de modernização da sociedade. Segundo o Plano Diretor: “A implantação da administração pública burocrática é uma conseqüência clara da emergência de um capitalismo moderno no país”.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO No terceiro momento. “em síntese o Decreto-Lei 200 foi uma tentativa de superação da rigidez burocrática. as empresas públicas e as empresas de economia mista. no plano administrativo. o foco muda do cliente para o cidadão. Experiências de reformas administrativas e 4. Para Bresser. O Public Service Orientation está baseado na noção de eqüidade. industrializá-lo. de resgate do conceito de esfera pública e de ampliação do dever social de prestação de contas (accountability).

A ESAF já usou algumas vezes a seguinte definição da accountability horizontal: A existência de agências estatais que estão legalmente capacitadas e autorizadas. O segundo aspecto é a responsabilização do administrador público pelos seus atos e pelos resultados alcançados. Implica a existência de um agente de controle externo. horizontal e societal. Accountability. ou. Já a accountability vertical pressupõe a vigilância e sanções que eleitores exercem sobre os governantes. O Plano previa: a valorização do servidor público e o fortalecimento do núcleo estratégico. retirando do poder aqueles que não tenham cumprido com seu papel. burocrática ao extremo. dito de outra forma. Podemos afirmar que esta nova reforma de 1979 apresentava três principais linhas: (1) desburocratização da administração direta. . a qualificação de autarquias e fundações que exerçam atividades exclusivas em agências executivas. no que concerne à distribuição de responsabilidades. a tomar ações que ultrapassem da vigilância rotineira a sanção criminal ou impedimento em relação às ações ou omissões por outros agentes ou agências do estado que podem ser qualificadas como ilegais. a CF88 dá um passo atrás na caminhada rumo à administração gerencial. (2) desestatização: papel suplementar do Estado no campo da iniciativa privada. O Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. encarregado da gerência dos bens da coletividade. O PDRAE identificou quatro segmentos de organização do Estado. Já a responsividade refere-se à sensibilidade dos representantes à vontade dos representados. Segundo Bresser Pereira: “A Constituição irá sacramentar os princípios de uma administração pública arcaica. e a sociedade civil. irá criticar esta burocratização excessiva promovida pela CF88 e irá novamente tentar a administração gerencial no país.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Em 1979 registrou-se uma nova tentativa de reformar a burocracia e orientá-la na direção da administração pública gerencial. representando um retrocesso. A accountability pode ser classificada em três tipos: vertical. Esse é um conceito muito importante para a Administração Pública. em que toda a prioridade será dada à administração direta ao invés da indireta”. o eleitorado. (3) maior controle das empresas estatais. e a privatização da produção de bens e serviços para o mercado. com a criação do Ministério da Desburocratização e do Programa Nacional de Desburocratização. Uma administração pública altamente centralizada. Como ele administra bens pertencentes a terceiros. deve prestar contas desta administração. a publicização dos serviços não exclusivos com a transformação de fundações públicas em organizações sociais. à disposição dos governos de adotarem as políticas preferidas por seus governados. Esse termo abrange pelo menos três aspectos Obrigação em prestar contas Responsabilização pelos atos e resultados Responsividade O termo accountability abrange a relação entre o administrador público. trazendo de volta a rigidez burocrática. formas de relacionamento com a sociedade. hierárquica e rígida. e realmente dispostas e aptas. de 1995. Como reação ao loteamento de cargos após a redemocratização e por considerar que o excesso de flexibilização concedido à administração indireta era uma das causas da crise fiscal do Estado.

R-FISCAL DO TRABALHO

Por fim, mais recentemente ganhou importância o conceito de accountability societal, que surgiu para propiciar uma participação mais ativa da sociedade nas decisões governamentais, uma participação direta. Este conceito surgiu da insatisfação em relação às duas outras formas, que não estavam permitindo uma participação real da sociedade nas decisões governamentais. A accountability societal pode ser definida como:
Um mecanismo de controle não eleitoral, que emprega ferramentas institucionais e não institucionais (ações legais, participação em instâncias de monitoramento, denúncias na mídia etc.), que se baseia na ação de múltiplas associações de cidadãos, movimentos, ou mídia, objetivando expor erros e falhas do governo, trazer novas questões para a agenda pública ou influenciar decisões políticas a serem implementadas pelos órgãos públicos.

Governabilidade X Governança. Vinícius de Carvalho elaborou o seguinte quadro com os conceitos de três autores, e que a ESAF usa recorrentemente nas questões:
Autores Bresser Pereira Governabilidade Governança

Capacidade de governar derivada da relação Capacidade financeira/gerencial de de legitimidade do Estado e do seu governo formular e implementar políticas com a sociedade civil. públicas. Condições sistêmicas de exercício do poder pelo Estado e seu governo em uma determinada sociedade. Condições de legitimidade de um determinado governo para empreender as transformações necessárias. Capacidade da ação do Estado na formulação e implementação de políticas públicas e consecução das metas coletivas. Capacidade técnica, financeira e gerencial de implementar estas transformações.

Eli Diniz

Caio Marini

Novas tecnologias gerenciais: Reengenharia é o redesenho radical dos processos organizacionais, buscando melhorias drásticas. Ela busca redefinir os processos de forma a agregar valor ao cliente, mudando a forma departamentalizada para uma gestão por processos. Aqui é importante separar a teoria da prática. Muitas empresas usaram a reengenharia como desculpa para demitir pessoal, terceirizar. Mas a reengenharia é redesenho de processos. Não é automatização e enxugamento de pessoal, não é terceirização, privatização, não é reestruturação organizacional

O planejamento estratégico define os caminhos que a organização deve seguir para alcançar a situação desejada. Ele volta-se para a organização como um todo, é para o longo prazo e de responsabilidade de alta cúpula. As fases básicas segundo Djalma de Oliverira são: diagnóstico estratégico, definição da missão, definição dos instrumentos prescritivos e quantitativos e controle e avaliação. A Qualidade Total tem como princípios: a qualidade deve ser entendida como satisfação do cliente; deve ser um compromisso de toda a organização; o controle deve ser feito de forma descentralizada

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO

e por equipes; a qualidade deve ser buscada continuamente; deve-se buscar custos menores e eliminação de desperdício. O Balanced Scorecard focaliza o desempenho da organização sob quatro perspectivas: financeira, clientes, processos internos e aprendizado e crescimento. Contudo, este modelo não é obrigatório, cada organização pode desenvolver as suas próprias perspectivas. No setor público, a perspectiva financeira transforma-se em orçamentária e vai para a base do mapa estratégico, já que dará suporte às demais. O downsizing pode ser traduzido como achatamento e constitui a busca pela flexibilidade organizacional, eliminando níveis hierárquicos (delayering) ou terceirizando atividades acessórias (outsourcing). A SWOT é uma ferramenta usada no diagnóstico estratégico e sua sigla traz as variáveis do ambiente interno – forças e fraquezas – e do ambiente externo – oportunidades e ameaças. A diferença entre o ambiente interno e o externo é que o primeiro refere-se aquilo que está sob o controle do gestor, o segundo traz variáveis incontroláveis.

O Brasil caracteriza-se por ser um Estado Federal. A CF88 realizou uma ampla descentralização política, transferindo autonomia e poder para os governos estaduais e municipais. No entanto, o federalismo brasileiro é descentralizado em termos fiscais, mas isso não é acompanhado pela descentralização de competências, principalmente nas políticas sociais, que foram definidas pela CF88 como de competência comum entre União, estados e municípios. Adotamos como sistema de governo o Presidencialismo. Os autores identificam o nosso presidencialismo de duas maneiras: Presidencialismo plebiscitário: o presidente, usualmente mediante apelos populistas, estabelece um vínculo de legitimidade diretamente com a população, enfraquecendo a representação parlamentar. Suposição de que o capital político eleitoral do Presidente da República é uma força capaz de imprimir coerência a este sistema altamente fragmentado. Essa suposição tem como base a comunicação direta dos candidatos à presidência com o grande eleitorado nacional, a crença de que a adesão desse grande eleitorado é estável e propicia ao presidente, de maneira contínua, o poder político de que ele carece. Presidencialismo de Coalizão: devido à grande quantidade de partidos, forma-se um padrão de barganha fisiológica com o objetivo de formar maiorias. A "coalizão" está relacionada aos acordos feitos entre partidos, geralmente por meio da ocupação de cargos no governo e alianças entre forças políticas para alcançar determinados objetivos.

Todos os eventos do ciclo de gestão devem estar ligados a programas. O programa é conceituado no PPA como:
Instrumento de organização da atuação governamental com vistas ao enfrentamento de um problema. Articula um conjunto coerente de ações (orçamentárias e não-orçamentárias) que concorrem para objetivos setoriais preestabelecidos, constituindo uma unidade básica de gestão com responsabilidade pelo desempenho e transparência das ações de Governo.

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO

O ciclo está baseado na tecnologia gerencial PDCA, cuja sigla se refere a: Planejar, Implementar, Avaliar e Agir Corretivamente. É uma ferramenta que busca a melhoria contínua, alimentando o processo de planejamento com as informações geradas pela avaliação e pela identificação de necessidades de melhorias.

O controle externo está a cargo do Poder Legislativo, que tem como órgão auxiliar o Tribunal de Contas da União, mas que é independente, não estando subordinado ao Congresso. Além disso, os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário manterão, de forma integrada, sistema de controle interno com a finalidade de avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual, a execução dos programas de governo e dos orçamentos da União; comprovar a legalidade e avaliar os resultados, quanto à eficácia e eficiência, da gestão orçamentária, financeira e patrimonial nos órgãos e entidades da administração federal, bem como da aplicação de recursos públicos por entidades de direito privado; exercer o controle das operações de crédito, avais e garantias, bem como dos direitos e haveres da União; apoiar o controle externo no exercício de sua missão institucional.

então. o resto são meras "leis constitucionais". Constituição tem 2 sentidos: Lógico-jurídico: norma hipotética (imaterial. Vamos relembrar os pontos cruciais para a prova do AFT. capaz de se impor sobre o resto do ordenamento. Por decisão política fundamental entende-se a decisão base.tudo que está na constituição é capaz de se impor sobre o ordenamento. pensada . Hans Kelsen Sentido Jurídico . Assim. Segundo a doutrina.PolíTico Obra: O conceito político. pois a constituição escrita = mera folha de papel a Constituição é formada pelas "Forças Dominantes da Sociedade" = soma dos fatores reais de poder. só é constitucional aquilo que organiza o Estado e limita o Poder. o constitucionalismo moderno legitimou o aparecimento da chamada constituição moderna que é justamente definida como sendo a organização da comunidade política em um documento escrito no qual se asseguram as liberdades e os direitos e se fixam os limites do poder político. • Quadro resumo sobre as concepções (sentidos da Constituição): Autor Ferdinand Lassale Sentido ou Sentido Sociológico concepção Perceberam? de Constituição LaSSaLe SocioLógico O que dizia: Obra: A Essência da Constituição . pode basicamente ser definida como a norma escrita suprema em um ordenamento jurídico que serve para organizar o Estado e limitar os poderes do governantes face ao povo. Contemporâneo e rival de Schimitt . A constituição é uma decisão política fundamental "decisionimo". Esse é o chamado conceito ocidental de constituição ou conceito ideal de constituição. Constituição.defendia o "positivismo". escrita. Influência na Constituição da Áustria . Carl Schimitt Sentido político Perceberam? SchimiTT . Não adianta tentar colocar uma norma escrita. aquele que começou no século XVIII com a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos. Conceito formal de constituição .O que é uma Constituição? Constituição é um fato social. Lembrem-se que o conceito de Constituição que temos atualmente é fruto do chamado constitucionalismo moderno. Asism para Lassale tinhamos 2 constituições = a constituição real e a folha de papel. concreta que organiza o Estado.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 6) DIREITO CONSTITUCIONAL – Vitor Cruz Olá pessoal. • A ESAF adora cobrar conceitos relacionados à teoria da Constituição.como deveria ser) que serve base para o sentido JurídicoPositivo: Constituição efetiva.

as demais são ímpares). Foram outorgadas as Constituições de 1824. Legitimada pelo povo através de uma Assembléia Constituinte. Independe do conteúdo tratado. No Brasil tivemos 8 Constituições 4 promulgadas e 4 Outorgadas. ainda que não sejam essenciais. O importante é apenas o conteúdo. foram promulgadas as de 1891. as demais são pares). É extensa tratando de vários assuntos. Não precisa estar formalizado em uma constituição para ser um assunto constitucional. O que importa é o conteúdo e não como ele é tratado. Escrita Forma Não-Escrita Sintética Extensão Analítica Formal Conteúdo Material Elaboração Dogmática Documento Escrito (se único = codificada/se vários = legal). Analítica Formal Dogmática . Escrita e Codificada. mas posteriormente levada à aprovação popular (não deixa de ser outorgada). 1946 e 1988 (dica: A primeira é um número ímpar.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO • Classificação das Constituições: Tipos Outorgada Promulgada Conceito Imposta pelo governante. Por outro lado. Necessariamente escrita. 1937. Dispõe apenas sobre matérias essenciais (organização do Estado e limitação do poder). Consuetudinária (costumeira). 1934. Reflete a realidade presente na sociedade em um determinado momento. 1967 e 1969 (dica: A primeira é um número par. já que o importante é tão somente a forma. No Brasil (CF/88) CF/88 = Promulgada Critério de classificação Origem Cesarista Imposta pelo governante. Se estiver no corpo da Constituição será um assunto constitucional.

possui força jurídica. Flexível Alterabilidade ou estabilidade. Utilizada para ser aplicada em um determinado estágio político de um país. independentemente da eficácia. Não traça planos. Possui uma parte rígida e outra flexível.Possuem aplicação imediata.Possuem aplicação "mediata". um poder político. Ontológica ou conexão com a realidade Semi-rígida ou semiflexível Imutável Nominalista Normativa Semântica Normativa Dirigente Finalidade Garantia Dirigente Balanço • Normas de eficácia plena . deve ser observada por todo o ordenamento jurídico. pois ainda que não seja aplicável.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Histórica Consolidada ao longo do tempo. • Normas de eficácia limitada . Possui normas programáticas traçando um plano para o governo. Constituição negativa.É o poder inicial do ordenamento jurídico. Não podem ser alteradas É ignorada.Possuem aplicação imediata assim como as plenas. ou seja. apenas limita o poder e organiza o Estado. Efetivamente aplicada. Rígida Rígida (ou super-rígida já que possui cláusulas pétreas). não dependem da edição de uma lei para mediar os seus efeitos e não há previsão constitucional para que uma lei possa restringir os seus efeitos. Todos os outros (poderes . mas há previsão constitucional para que leis possam fazer uma contenção dos seus efeitos. • Poder Constituinte Originário (PCO) . Prescinde de procedimento especial para ser alterada. • Toda norma constitucional. Somente pode ser alterada por um procedimento especial. Em 1824 era semi-rígida. Criada apenas para justificar o poder de um governante. Não possui força jurídica. sintética. somente são aplicáveis após a elaboração de uma lei que venha mediar os seus efeitos. Pode ser alterada por leis de status ordinário. mais dificultoso do que o de elaboração das leis ordinárias. • Preâmbulo não é norma constitucional central. E não existe hierarquia entre elas. • Normas de eficácia contida .

Limitado .Poder político .Pois sua manifestação se condiciona ao rito estabelecido pelo art. CADA CARACTERÍSTICA TEM O SEU PRÓPRIO CONCEITO.Ilimitado. 3º ADCT). 60 §1º (Estado de sítio. A ESAF costuma colocar o nome de uma com o conceito de outra. é a base da ordem jurídica. • Poder Constituinte Derivado Reformador . 4.É o poder que os Estados possuem para elaborarem as suas Constituições Estaduais. art.Incondicionado – Não existe nenhum PROCEDIMENTO préestabelecido para que ele se manifeste. que era um procedimento bem mais simples que a reforma.Como vimos é ele que organiza e institui todos os outros poderes. CUIDADO.Autônomo .BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO constituintes derivados) são poderes jurídicos. 5. art. Uma parte da doutrina que resgata o pensamento "jusnaturalista" diz que o PCO deve ser limitado pelos direitos humanos supranacionais. Porém. a não ser que se mencione expressamente a doutrina jusnaturalista.Condicionado . ou soberano . Assim temos as seguintes limitações: Circunstancial . Trata-se da reforma da Constituição (CF. Responsável pela revisão constitucional. 4. para fins de concurso esta afirmação não é válida. irrestrito. 2. São características do PCO: 1.Não reconhece nenhuma limitação MATERIAL ao seu exercício.Pois foi instituído pelo PCO dentro da ordem jurídica.art.Inicial – É ele que dá início a todo o novo ordenamento jurídico. 3.É o poder de fazer emendas constitucionais. Bastava maioria absoluta em sessão unicameral (CF. É a faceta da autonomia estatal chamada de "auto-organização". defesa ou intervenção). 3.É o poder que se manifestou em 1993 e após isso acabou. e sim deriva do PCO. • Da mesma forma.Derivado – Pois não é o inicial. 60).Poder Jurídico .Ele não se submete a nenhum outro poder. 60. pois foram instituídos pelo originário. • O Poder Constituinte Originário possui características e cada uma dessas características possui um conceito. 2.Deve respeitar os limites impostos pelo art. • Poder Constituinte Derivado Decorrente . 6 . são características do Poder Constituinte Derivado: 1. . 60 CF. • Poder Constituinte Derivado Revisor .Permanente – porque não se esgota no momento de seu exercício.

Regime Político .Auto-organização: capacidade de instituírem suas próprias constituições (no caso dos estados) ou leis orgânicas (no caso dos municípios e do DF). • Facetas da autonomia política dos entes da federação: 1. Sistema de Governo .Autogoverno: capacidade de os entes governantes sem interferência de outros entes. existem 3 matérias que podem ser delegas aos Ministros de Estado. • Não se deve também confundir os institutos de organização política.art. 84.Auto-administração: capacidade de se administrarem de forma independente. porém. ou seja. • República – Características: a)Temporariedade.Federação. b) Hereditariedade.República (res publica = coisa pública).No Brasil não tivemos a chamada "limitação temporal". • O Presidente da República tem a competência privativa de tudo que está disposto no art. tomando suas próprias decisões executivas e legislativas. 60 §4º que traz as chamadas "cláusulas pétreas" expressas. c) Transparência na gestão pública e prestação de contas. OBS 1 . b) Eletividade. bem como ao PGR e ao AGU.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Procedimental . Essa limitação ocorre quando somente depois de decorrido certo lapso temporal a Constituição poderá ser reformada. • Monarquia – Características: a) Vitaliciedade. a auto-organização engloba a autolegislação.Autolegislação: capacidade de elaborarem suas próprias leis através de um processo legislativo próprio.Além das expressas. 4.art. Forma de Governo . temos também clausulas pétreas implícitas: O Povo como titular do PCO e a vedação à dupla revisão. 60. Material . No Brasil temos: Forma de Estado . 84 parágrafo único: 1. . devido disposição do art. OBS 2 . é proibido alterar o próprio art. embora devam seguir as diretrizes do processo em âmbito federal. escolherem seus 2.Presidencialismo. Deste artigo.Democracia mista ( ou semi-direta ou ainda semirepresentativa).Decreto Autônomo (inciso VI). levando a uma responsabilidade dos governantes. 3. 60 §2º (3/5 dos votos em 2 turnos em cada Casa). tal limitação pode ser encontrada em constituições de outros países.Para alguns autores. OBS .

por si só já possuem um Após o mandato . • Tratados internacionais: Em regra. o art. admitiu a acusação contra o Presidente por 2/3 de seus membros? Pelo Senado sim Pelo STF não Crime comum estranho às suas atividades (§4º) Lembrando que no caso do julgamento pelo Senado: ♦ Funcionará como Presidente (da sessão de julgamento) o do STF. não irá adquirir o status constitucional. ser feita por decreto autônomo que é integralmente delegável. 3. 5º §3º diz que os tratados e convenções internacionais serão equivalentes às emendas constitucionais. • Suspensão das funções do Presidente: O Presidente ficará suspenso (por 180 dias) de suas funções: Nas infrações penais comuns . a extinção de cargos públicos não poderá ser delegada. se necessário.Conceder indulto e comutar penas. Quem cumpre o exequatur é o Juiz Federal. caso não passem pelo rito de votação de uma EC. ♦ A condenação somente será proferida por 2/3 dos votos do Senado.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 2.após o Senado instaurar o processo. • Julgamento do Presidente da República: Tipo de crime Admissão Julgamento sim Crime de Responsabilidade Crime comum correlato com suas atividades A Câmara dos Dep. então. mas. e forem aprovados. quando poderão. se versarem sobre direitos humanos. após serem internalizados serão equivalentes às leis ordinárias. • A homologação da sentença estrangeira e a concessão do exequatur às cartas rogatórias é competência do STJ. Nos crimes de responsabilidade .quando o STF receber a denúncia ou queixa-crime. o STF entende que os tratados internacionais sobre direitos humanos. primeira parte).PROVER cargos públicos na forma da lei (inciso XXV. dos órgãos instituídos em lei (inciso XII). em cada Casa do Congresso Nacional. Observe que é apenas “PROVER” os cargos. salvo se vagos. porém. com audiência. • Atualmente. da mesma forma que uma emenda constitucional.

V susta leis delegadas exorbitantes ou quando o CN aprecia os pressupostos constitucionais da medida provisória. é a posição concretista.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO status de “supralegalidade” podendo revogar leis anteriores e devendo ser observados pelas leis futuras. No Executivo Feito pelo veto JURÍDICO do presidente. • Controle de Constitucionalidade: Conceito No Legislativo Controle Preventivo Realizado sobre projetos de lei ou propostas de emendas constitucionais Feito pelas câmaras de constituição e justiça (CCJ). • Atualmente a posição do judiciário na decisão de um mandado de injunção. • Não existe controle sobre normas originárias. ele fará com que desde logo o impetrante possa exercer o seu direito que está sendo frustrado. deverá colocar que o depositário infiel pode ser preso. Cuidado!!! Se a questão pedir expressamente que seja dada a resposta "SEGUNDO A CONSTITUIÇÃO". prisão civil por dívida do depositário infiel. Pela prerrogativa que o Presidente tem (somente o Presidente) de ordenar que seus subordinados não apliquem certa lei que ele considera inconstitucional Feito através das vias concentradas ou pelas vias difusas. não existe no Brasil. . • Atualmente. ou seja. 49. Somente existe prisão por dívida por motivo de obrigação alimentícia. através de Feito mandado de segurança impetrado por parlamentar (somente o parlamentar é legitimado) que considera que um projeto de lei inconstitucional está sendo levado à votação e não foi barrado pela CCJ. No Judiciário Controle Repressivo Realizado sobre a lei ou emenda já promulgadas Ocorre quando o CN usando sua prerrogativa do art.

desalentados. preguiçosos. donas de casa. em regra. empregadores.1. etc). não remunerados (desde que trabalhem pelo menos 01 hora na semana de referência). remunerado ou sem remuneração. 1.1.2. este BIZU não conterá todos os assuntos do edital. além de questões estruturais e conjunturais (mercados sazonais ou de . Nesse sentido. Pertencem à PNEA. O objetivo é que este material sirva como fonte de revisão e direcionamento para os assuntos mais importantes. se a questão. desalentadas ou desencorajadas. Nota: os que trabalham sem remuneração. É constituída pelas pessoas em idade ativa (PIA) que não foram classificadas como ocupadas nem como desocupadas. sem terem tido qualquer trabalho ou após terem saído do último trabalho que tiveram nesse período. A PNEA inclui aqueles que não trabalham e não buscam emprego (estudantes. explicitamente. playboys. PIA – É a população em idade ativa. estes não remunerados serão considerados ocupados. podemos destacar a insuficiência de demanda agregada da Economia. A PEA é subdividida em: ocupados e desocupados. Conceito de desalentados: são pessoas que não possuem trabalho e que procuraram trabalho por um tempo. fizer alusão ao fato de que os não remunerados tralharam pelo menos 01 hora completa na semana de referência. PEA – É a população economicamente ativa (força de trabalho). presos. CONCEITOS BÁSICOS 1.São classificadas como desocupadas na semana de referência as pessoas sem trabalho na semana de referência. Temos como ocupados: os empregados.1. desta forma. réus.1.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 7) ECONOMIA DO TRABALHO – Heber Carvalho Olá caros alunos.2. No Brasil. e aqueles que exercem atividade não remunerada por menos de 01 hora na semana de referência e não buscam emprego. entre elas. 2. durante pelo menos uma hora completa na semana de referência ou que tinham trabalho remunerado do qual estavam temporariamente afastadas nessa semana. mas desistiram por não encontrar qualquer tipo de trabalho. somente os mais importantes serão abordados. não são classificados como ocupados. 1.É a população não economicamente ativa. A PIA é subdividida em PEA e PNEA. OCUPADOS – Compreendem as pessoas que exerceram trabalho. os conta-própria (autônomos). Seguem os assuntos que eu acho mais importante em relação à Economia do Trabalho. a idade ativa começa aos 10 anos (inclusive). DESOCUPADOS . 1. ficaram desestimuladas. Tal subutilização deve-se a várias causas.Subemprego significa subutilização da mão-de-obra. mas que estavam disponíveis para assumir um trabalho nessa semana e que tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho no período de referência de 30 dias. atraso econômico e social. SUBEMPREGO . trabalho com remuneração adequada ou trabalho de acordo com as suas qualificações. No entanto. 1. PNEA . inválidos.

2. Pessoas sub-remuneradas: definem-se subremuneradas as pessoas ocupadas na semana de referência cuja relação do rendimento mensal habitualmente recebido de todos os trabalhos por horas semanais habitualmente trabalhadas em todos os trabalhos é inferior à relação do salário mínimo por 40 horas semanais. por exemplo). Assim: Taxa de desocupação/desemprego = Desocupados/PEA A taxa de desocupação dos homens é menor que a das mulheres. com o avanço econômico a tendência é cada vez mais esta diferença diminuir.Nível de desocupação .Taxa de atividade . Algebricamente temos: Taxa de inatividade = PNEA/PIA 3. mas gostariam de trabalhar mais horas que as efetivamente trabalhadas na semana de referência e estavam disponíveis para trabalhar mais horas no período de 30 dias. 3.É o percentual de pessoas ocupadas (empregadas) em relação às pessoas de 10 anos ou mais de idade (PIA).Taxa de desocupação .2. contados a partir do primeiro dia da semana de referência. é uma forte tendência a taxa de atividade/participação feminina atingir valores mais próximos à taxa masculina. como o agrícola.1. E a taxa de desocupação dos adultos é menor que a de jovens e idosos. É o percentual de pessoas não economicamente ativas em relação às pessoas em idade ativa.2 . Temos dois tipos de subocupação/subemprego: 2.Taxa de inatividade . à medida que a economia e o país cresçam e se desenvolvam.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO época.Também chamada de taxa de participação na força de trabalho.1 . Algebricamente temos: Taxa de atividade = PEA/PIA = (OCUPADOS+DESOCUPADOS)/PIA a taxa de atividade/participação masculina é maior que a feminina. ela certamente é o indicador mais importante e também o mais conhecido da população em geral. .Nível de ocupação . ou ainda taxa de desemprego aberto.4. no entanto. a taxa de atividade/participação adulta é maior que a participação jovem ou idosa. Então: Nível de desocupação = Desocupados/PIA 3.É o contrário do nível de ocupação.Também chamada de taxa de desemprego. 3. É o percentual de pessoas desocupadas em relação às pessoas economicamente ativas (PEA). Pessoas subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas: definem-se subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas as pessoas que trabalharam efetivamente menos de 40 horas na semana de referência.3 . é o percentual de pessoas economicamente ativas (PEA) na semana de referência em relação às pessoas em idade ativa (PIA).É o contrário da taxa de atividade. INDICADORES DO MERCADO DE TRABALHO 3. Assim: Nível de ocupação = Ocupados/PIA 3. É o percentual de pessoas desocupadas em relação às pessoas em idade ativa (PIA). no seu único trabalho ou no conjunto de todos os seus trabalhos.5.

A decisão de contratar ou não mão-de-obra passa pelo valor da produção de um trabalhador adicional. É o salário (W). também chamada de Produto da Receita marginal da mãode-obra (PRmgL). São os produtos adicionais produzidos pelo trabalhador contratado (PmgL) multiplicados pelos acréscimos na receita total em virtude das vendas destes produtos (Rmg). tanto sob a ótica do mercado de produtos. nem demite) quando a receita gerada por um trabalhador adicional for igual ao custo gerado por um trabalhador adicional. De forma técnica. a firma é tomadora de preços.6. sendo empregados. O CmgL é o custo adicional de cada trabalhador contratado. é o valor da produção de um trabalhador adicional. e mercado formal seria aquele que vive de acordo com a legislação vigente. possuem carteira de trabalho assinada. se ele demiti-lo. Como estamos em um mercado competitivo. Desta forma. é também chamada de Valor do Produto marginal da mão-de- . é feita a suposição de que as firmas buscam a maximização de lucros.PmgL = W A expressão do lado esquerdo. é o contrário da taxa de desocupação. o raciocínio do empresário é o seguinte: eu só vou contratar este trabalhador se a receita que ele me trouxer for maior que a despesa. De forma oposta. ele vai demitir quando o custo do trabalhador demitido for maior que a receita que este trabalhador aufere para a empresa. o trabalhador não remunerado e o envolvido em construção para o próprio uso e produção para autoconsumo. o conta própria não contribuinte.PmgL. o lucro é maximizado. para mercados competitivos Rmg=P. Ou seja.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 3. somente quando estamos em mercados competitivos. Reflete o percentual de ocupados em relação às pessoas economicamente ativas (PEA): Taxa de ocupação/emprego = Ocupados/PEA 5. Por último. quanto sob a ótica do mercado de trabalho. MERCADO DE TRABALHO FORMAL E INFORMAL – O mercado informal é aquele que vive à marginalidade da legislação. quando: RmgL = CmgL (1) A RmgL. os servidores públicos civis e militares. Assim. de tal forma que. o seu lucro (receita – despesa) aumentará. Então. DEMANDA POR TRABALHO DEMANDA POR TRABALHO EM MERCADOS COMPETITIVOS No modelo simplificado (para mercados competitivos) da demanda de mão-de-obra é suposto que as firmas trabalham em mercados competitivos (ninguém é forte/grande o suficiente para influir nos preços dos bens). reescrevendo a expressão (1): P.Também chamada de taxa de emprego. Dentro do mercado de trabalho formal estariam aqueles trabalhadores que. Já o mercado de trabalho informal seria constituído por aqueles empregados sem carteira assinada. que é constante e não varia. o empresário só estará em equilíbrio (não contrata. de forma que a RmgL = P. Neste nível de emprego. e aqueles que trabalham por contra própria e contribuem para a previdência social. e estes produtos adicionais serão vendidos no mercado exatamente ao preço de equilíbrio do mercado (P).Taxa de ocupação . Supomos também que estamos no curto prazo (somente o insumo mão-de-obra varia).

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO obra (VPmgL) e define a demanda de mão-de-obra em função dos salários nominais (W). quanto maiores forem os salários. para o monopolista.PmgL=Valor do produto marginal da mão-deobra) igualando o salário nominal. indicando preços menores à medida que se aumenta a quantidade produzida.PmgL) será sempre menor que o VPmgL (P. Este fato indicará um equilíbrio da firma monopolista em um nível de emprego menor que aquele praticado em mercados competitivos. Isto acontece porque o monopolista enfrenta uma curva de demanda de bens decrescente. já que PmgL = W/P. ocasionando inclinação decrescente da curva de demanda por trabalho.PmgL=Produto da Receita marginal da mão-de-obra) igualando o salário nominal (W). temos uma relação inversa. ao contrário do que ocorre para a firma competitiva. A curva de demanda da mão-de-obra é decrescente. o PmgL decresce. Como o PmgL decresce com o aumento de trabalhadores. Já os salários pagos pelos monopolistas não são necessariamente menores que aqueles pagos pelas firmas competitivas. será menor que o preço. Na concorrência perfeita temos o VPmgL (P. a Receita marginal. os salários (tanto os nominais W. porque a Rmg sempre é menor que P. Logo. Assim. Isto acontece porque o monopsonista enfrenta uma curva de oferta de trabalho crescente. pelo fato do PRmgL ser menor que o VPmgL. Caso passemos o P para o outro lado da equação. o nível de emprego e a produção são mais baixos no monopólio do que sob a competição. Desta forma. MONOPSÔNIO NO MERCADO DE TRABALHO Em um monopsônio no mercado de trabalho. temos: PmgL = W/P Se a demanda de mão-de-obra for em função dos salários reais (W/P). o monopsonista deve aumentar salários caso queira contratar mais mão-de-obra. Isto acontece porque quando aumentamos a quantidade de trabalhadores (L). quanto os reais W/P) também decrescem. indicando salários maiores à medida que se aumenta a mão-de-obra empregada. DEMANDA POR TRABALHO EM UM MONOPÓLIO NO MERCADO DE PRODUTOS Em um monopólio no mercado de produtos. o PmgL será a própria expressão que define esta demanda. Note que o PRmgL (Rmg. temos: Rmg . o monopolista deve reduzir os preços caso queira aumentar a sua produção. pois o monopolista pode enfrentar um mercado competitivo no mercado de trabalho.PmgL). . mantendo-se os outros fatores constantes. menor será o número de trabalhadores contratados. Assim. pela lei dos rendimentos marginais decrescentes. indicando que. a curva de demanda de mão-de-obra do monopolista estará à esquerda da curva de demanda da firma competitiva. PmgL = W (função dos salário nominais) No monopólio temos o PRmgL (Rmg. Quando uma variável do gráfico cresce e outra decresce.

quando os insumos capital e mão-de-obra são variáveis. Segue a expressão da elasticidade . temos: PRmgL = CmgL Como para um monopsonista. Neste ponto. a curva do CmgL encontra a curva de demanda. ao contrário do que ocorre para a firma competitiva. CmgL > W e PRmgL = CmgL. o custo marginal da mão-de-obra. será maior que o salário. que é dada pelo PRmgL. isto porque CmgL > W). minimizará o custo de produção quando ela utilizar capital e mão-de-obra até o ponto em que seus custos marginais relativos (W/C) sejam apenas iguais às suas produtividades marginais (PmgL/PmgK). Esquematizando o raciocínio. a firma. ele irá parar de contratar funcionários quando o PRmgL também for maior que W. o monopsonista demanda/contrata LE1 trabalhadores. Assim. a curva do CmgL ficará à esquerda da curva de oferta (indicando salários maiores para a mesma quantidade de trabalhadores.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Desta forma. Note que. Ou seja. É este salário WM que será pago aos trabalhadores no nível de emprego LE1. O equilíbrio do monopsonista ocorre quando a curva do CmgL encontra a curva de demanda (que é dada pelo PRmgL). se estivéssemos em mercados competitivos. emprego que maximiza os lucros. concluímos também que no monopsônio os salários são menores que aqueles pagos em mercados competitivos. temos: PmgL = W PmgK C Elasticidade salário da demanda A elasticidade salário da demanda para uma categoria de mão-de-obra é definida como a variação percentual no emprego (E) induzida por um aumento de 1% em sua taxa salarial (W). Daí. No ponto X. Ou seja. a firma contrataria LE2 trabalhadores. DEMANDA POR TRABALHO NO LONGO PRAZO No longo prazo. CmgL = PRmgL. dado um nível de produção pré-determinado. quando CmgL = PRmgL. conforme vemos na figura abaixo. ficamos assim: dadas as curvas de demanda e oferta em mercados competitivos a um salário de equilíbrio WE e a um emprego de equilíbrio EC. Algebricamente. condição de maximização dos lucros. a firma consegue uma oferta de trabalhadores necessários pagando somente WM (ponto Y da curva de oferta de trabalho). Assim. Ao nível de emprego LE1. no ponto X. para o monopsonista. no monopsônio. concluímos que no monopsônio os níveis de emprego são menores que em mercados competitivos.

se η<1. diminui a demanda pelo mesmo. mantidos os outros fatores constantes. A lei da demanda nos diz que aumento de preços/custos provocam reduções nas quantidades demandadas. O raciocínio é este: o aumento de salários (W) aumenta o custo do lazer. a demanda por lazer aumenta (já que o lazer é um bem). se η=1.É doutrinariamente aceito que a demanda por mão-de-obra tende a ser mais elástica no longo prazo. As leis Hicks-Marshall da demanda derivada Essas leis afirmam que. mantendo-se os outros fatores constantes. aumentando assim os incentivos ao trabalho. o que é o mesmo que dizer que a oferta de trabalho aumenta. Quando a oferta de outros fatores de produção é altamente elástica (isto é. Caso η>1. aumentará a demanda por lazer. (de maneira igual. elasticidade unitária. já que este é igual aos salários. reduzirá o custo de oportunidade do lazer. a oferta de trabalho cairá (a oferta de trabalho é o outro lado da moeda da demanda por lazer). à medida que a renda aumenta. Assim. com a renda constante. Quando a elasticidade preço da demanda do produto que é produzido por esta categoria de mão-de-obra é elevada. com os salários mantidos constantes. também chamada de elasticidade da demanda do próprio salário: η= A elasticidade salário da demanda segue as mesmas propriedades da elasticidade preço da demanda. OFERTA DE MÃO-DE-OBRA Análise da oferta de trabalho Qual o efeito do aumento de renda sobre a oferta de trabalho? A teoria econômica estatui que. podemos reescrever a afirmação da seguinte maneira: se a renda aumenta. coeteris paribus. Demanda por mão-de-obra: curto x longo prazo . Quando outros fatores de produção podem substituir facilmente a categoria da mão-de-obra. e diminuirá os incentivos ao trabalho. Desta forma. é chamada de efeito renda. Qual o efeito do aumento de salários sobre a oferta de trabalho? A teoria sugere que se a renda for mantida constante. Esta resposta das horas de lazer demandadas às mudanças na renda. a elasticidade da demanda do próprio salário para uma categoria de mão-deobra é elevada sob as seguintes condições: 1. se a renda aumenta. um declínio na taxa salarial.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO salário da demanda. a demanda por um bem aumenta. o emprego de outros fatores de produção pode ser aumentado sem aumentar substancialmente seus preços). um aumento na taxa salarial reduzirá a demanda pelo lazer. aumentos de salários causam maiores reduções no emprego no longo prazo do que no curto prazo. Isto é. temos demanda elástica. Quando o custo de empregar a categoria de mão-de-obra constitui uma grande parcela dos custos totais de produção. e 4. 3. e os salários mantêm-se constantes. 2. demanda inelástica. o aumento do custo do lazer.) . Logo.

O salário extra que deve ser pago para atrair os trabalhadores a ofertar sua mão-de-obra a trabalhos “ruins” é chamado de diferencial de salário compensatório porque o salário mais elevado é pago para compensar os trabalhadores pelas condições indesejáveis de trabalho. aumentos salariais reduzirão a oferta de trabalho (curva negativamente inclinada). é chamada de efeito substituição.Salário de reserva é o salário que torna o indivíduo indiferente entre ofertar ZERO horas de trabalho ou ofertar algumas horas de trabalho.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO A resposta das horas de lazer demandadas às mudanças nos salários. Se W0=16. Em particular. a empresa que oferecesse empregos com aspectos indesejáveis não poderia atrair os trabalhadores que deseja contratar. Existem somente dois tipos de empregos na economia. trabalho "limpo" (X=0) e trabalho "sujo" (X=1). Caso o efeito substituição seja dominante. a função utilidade para todos os trabalhadores é dada por: onde W é a taxa de salário oferecida pelo emprego e X é a proporção do ar da firma afetada pela poluição. Caso o efeito renda seja dominante. Tal mudança nas inclinações das curvas nos levará a uma curva de oferta curvada para trás. OS DOIS EFEITOS. CALCULANDO O DIFERENCIAL DE SALÁRIOS COMPENSATÓRIO AFT/2006 – ESAF – Suponha que todas as pessoas tenham a mesma preferência quanto a trabalhar num emprego que ofereça um ambiente poluído. Ótimo (Equilíbrio) do trabalhador . qual é o diferencial de salários compensatório de mercado? a) 11 b) 25 c) d) 9 e) 15 COMENTÁRIOS: . 2 – é o salário acima do qual se oferta horas positivas de trabalho. OS DIFERENCIAIS DE SALÁRIOS Os Diferenciais de Salários e a Diferenciação Compensatória .Renda econômica pode ser definida coma a quantia em que o salário de mercado supera o salário de reserva em um emprego particular. Imaginemos qual a implicação sobre a oferta de trabalho de uma pessoa que receba um aumento salarial. Seja W0 a taxa de salário paga por um emprego "limpo" e W1 a taxa de salário paga por um emprego "sujo". Se tal diferenciação não existisse. Seguem outras definições possíveis: 1 – é o salário abaixo do qual se oferta ZERO horas de trabalho. Rendas econômicas . aumentos salariais aumentarão a oferta de trabalho (curva positivamente inclinada). indicando um trecho positivamente inclinado a baixos níveis salariais e um trecho negativamente inclinado a altos níveis salariais. UmgL = W UmgC C Salário de reserva . A resposta da oferta de trabalho a uma simples mudança salarial envolverá tanto o efeito renda como o efeito substituição. mantendo-se a renda constante.O trabalhador atinge o seu ótimo ou equilíbrio quando a razão das utilidades marginais do lazer e consumo é igual à razão da taxa salarial e do preço do bem a ser consumido.

decorrências da discriminação que as minorias (mulheres. É o salário do emprego sujo (que será maior para compensar o aspecto indesejável da sujeira) subtraído do salário do emprego limpo. O nível de escolaridade está aumentando. A taxa de ocupação e participação das minorias (negros. 6. Assim. Então. temos as seguintes conclusões: • Salário compensatório do emprego sujo: W=25 • Diferencial de salário compensatório: W=25-16 Diferencial = 9 GABARITO: D MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL Tendências do mercado de trabalho. Então: Utilidade emprego sujo: (salário compensatório do emprego sujo) Assim. 4. 5. . jovens. Assim. Distribuição de renda está melhorando. A informalidade está diminuindo. O que irá garantir que o trabalhador permaneça no mesmo nível de utilidade (mesma curva de indiferença) mesmo trabalhando no emprego sujo é justamente o diferencial compensatório positivo (salário maior). é a diferença. idosos) é menor que aquelas verificadas para os homens adultos (grupo considerado como referência de comparação). que certamente são muito úteis na hora de resolver as questões. o trabalhador deve apresentar a mesma utilidade no emprego sujo e no emprego limpo. 2. pois sabemos a utilidade U=4 e sabemos também que X para emprego sujo é igual 1. Ao trabalhar no emprego sujo. 3. A taxa de desocupação e inatividade das minorias é maior que aquelas verificadas para os homens adultos.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO A questão quer o diferencial de salários compensatório. O trabalho infantil está diminuindo. A tendência é que estas diferenças venham a diminuir com o passar dos anos. o nível de utilidade deve ser o mesmo. Ou seja. mulheres. Ou seja: Diferencial compensatório = W1 – W0 Diferencial compensatório = W1 – 16 Pela teoria dos salários compensatórios. vamos aos cálculos: A utilidade é dada por: Nós possuímos o W0 e X para emprego limpo (X=0 e W0=16). na verdade. podemos calcular o salário W1 que será pago quando o emprego é sujo. podemos calcular a utilidade U0 quando o emprego é limpo: Utilidade emprego limpo: A utilidade para o emprego limpo é igual a 4. 7. Tais tendências são. negros) sofrem: 1. jovens.

o incentivo à informalidade deve ser tanto maior: quanto menor o tamanho das firmas. ainda é considerada bastante alta. assim. daí gerando incentivos ao aumento da informalidade.Mesmo quando o mercado está em equilíbrio ou em situação de pleno emprego. podemos asseverar que. Banalização de princípios e valores. Ela é. para a redução da taxa de desemprego. contribuindo. Quanto à evolução da informalidade no mercado de trabalho brasileiro. Fomento à cultura da sonegação e desrespeito às normas legais. A possibilidade de permanência no mercado de firmas menos produtivas. Ineficiências e custos econômicos adicionais. a busca por emprego e o tempo gasto nesta atividade serão a causa do desemprego friccional. apesar dela estar caindo nos últimos anos. na medida em que o setor informal tem capacidade de absorver mão-de-obra não qualificada que não encontra colocação no setor formal.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO O caso da informalidade Malefícios da informalidade: Geração de empregos de baixa qualidade e remuneração. propicia o alastramento da marginalidade e até mesmo tolerância em relação a ela. Clássicos x Keynes Segue um quadro com as diferenças entre as abordagens clássica e keynesiana: Variável/Teoria Salário nominal Salário real Equilíbrio Determinante da renda Aplicação Clássicos Flexível Flexível Keynes Fixo Flexível Pode ocorrer no pleno emprego. Lei de Say: oferta Lei da demanda efetiva: demanda cria a cria a demanda oferta. Evasão de recursos do Estado (sonegação de encargos trabalhistas e previdenciários). Curto prazo Longo prazo TIPOS DE DESEMPREGO E SUAS CAUSAS Desemprego friccional (Conjuntural) . já que algumas pessoas estarão “entre empregos”. o fato é que ela existe e abrange grande parte do mercado de trabalho. inclusive. conseqüentemente. ou seja. Apesar dessa série de aspectos indesejáveis associada à informalidade. ainda haverá algum desemprego friccional. mas a Pleno emprego maior probabilidade é de que ocorra havendo desemprego. Neste caso. Este tipo de desemprego é inevitável em uma . estarão em trânsito de um emprego para outro. bem vista por alguns. têm custos de produção majorados. o que gera perda de credibilidade das instituições. Do ponto de vista das firmas. menos qualificada a mãode-obra demandada e pior o desempenho da economia. A menor tributação provocada pela sonegação do setor informal cria a tendência à supertributação sobre as firmas produtivas. o que tolhe a expansão de firmas mais produtivas que respeitam a legislação e.

Desemprego sazonal . Outro conceito para o desemprego estrutural diz que ele é o desemprego decorrente da rigidez salarial. Dois tipos de políticas públicas se destacam. teremos um desequilíbrio ocupacional. podemos concluir que os desempregos surgidos da rigidez salarial devem ser considerados um tipo de desemprego estrutural. teremos um desequilíbrio geográfico. no que tange à influencia sobre o desemprego friccional:seguro-desemprego (aumenta o desemprego friccional) e serviço de informações (reduz o desemprego friccional). por insuficiência de demanda. deficiência ou insuficiência na demanda agregada da economia. como o próprio nome diz. nós temos o desemprego cíclico. desemprego keynesiano. temos o emprego agrícola e suas diversas fases de produção durante o ano. expansivas. é decorrente de mudanças na estrutura do emprego. e essa redução na demanda agregada da economia provoca redução na demanda agregada pela mão-de-obra. ainda. vejamos agora os salários de eficiência: Desemprego cíclico .BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO economia que esteja sempre em transformação.Quanto acontece alguma flutuação na atividade econômica (um “ciclo econômico”) que provoca redução. pelo poder de monopólio dos sindicatos e pelos salários de eficiência são tipos de desemprego estrutural. Ele surge quando mudanças no padrão da demanda de trabalho fazem com que surja diferença entre as qualificações requeridas e as fornecidas em uma determinada região. inflacionárias. também chamado de desemprego por deficiência de demanda. Desta forma. já que esses três fatores são causadores de rigidez salarial. anticíclicas ou anticrises. ou. Desemprego estrutural . Já as políticas restritivas. Logo. Neste caso. pró-cíclicas ou pró-crises aumentam o desemprego cíclico. o desemprego causado pela legislação do salário mínimo.O desemprego estrutural. Como principal exemplo. A TAXA NATURAL DE DESEMPREGO – Vários conceitos são possíveis: Taxa natural de desemprego é: taxa de desemprego em direção à qual a economia gravita no longo prazo taxa de desemprego de pleno emprego taxa de desemprego em que as vagas de emprego igualam o número de trabalhadores desempregados (haverá desemprego friccional) taxa de desemprego em que aumentos na demanda agregada não causarão novas reduções no desemprego a taxa de desemprego em que todo desemprego é voluntário (friccional e talvez sazonal) taxa em que o nível de desemprego não muda e em que tanto os fluxos rumo ao desemprego como sua duração são normais taxa em que a inflação de salários e preços é estável ou em níveis aceitáveis . O salário mínimo e os sindicatos já foram vistos. O desemprego estrutural ainda pode surgir quando há um desequilíbrio entre a oferta e a demanda por mão-de-obra em algumas áreas. antiinflacionárias.O desemprego sazonal é decorrente da sazonalidade da produção. Neste caso. reduzem o desemprego keynesiano/cíclico. A adoção de políticas expansionistas.

Chamamos este período de vacatio legis. Já nos estados estrangeiros o prazo é de três meses após a publicação. Se houver alguma alteração da lei durante o prazo de vacatio. Não que os outros artigos não possam cair. bem como têm maior incidência nos concursos públicos. trata–se de lei nova (art. §3o da LICC. dentro deste panorama. Mas é que em termos de estatísticas e importância prática. quanto pública. atingindo tanto matéria de ordem privada. A) Lei de Introdução ao Código Civil (Decreto-Lei nº 4. No entanto. §2o da LICC). Quando vamos prestar algum concurso. §1o. Ou seja. a primeira coisa a fazer é uma análise do Edital. LC n° 95/98. alguns itens são mais exigidos do que outros e. 3o. Ela trata dos seguintes temas: vigência e eficácia das normas jurídicas públicas e privadas.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 8) DIREITO CIVIL – Lauro Escobar DIREITO CIVIL – Prof. salvo disposição em contrário – art. 1o. §3o da LICC). a lei entra em vigor na data em que ela mesmo determinar. LICC). caput. Nosso edital (AFT/2009) pode ser considerado simples em relação a outros concursos na área fiscal. Neste item aconselho o aluno a se preocupar mais com os seis primeiros artigos. Com certeza pelo menos uma questão referente a este tema deve cair na prova. . §4o da LICC). No entanto. A contagem é feita incluindo-se o dia do começo e também o último dia do prazo. Mas. 2o. 2o.657/42) – Trata-se de uma lei pequena. o examinador procura exigir um pouquinho de tudo o que está no edital. 1o. o estudo torna-se mais fácil e o acerto destas questões pode fazer toda a diferença. eles se destacam. na prática. até porque. entrando a lei em vigor no dia subsequente à sua consumação integral (art. Este é o nosso mundo. Outros dois temas que costumam cair muito: a) Repristinação – ou seja. com apenas 19 artigos. As últimas provas realizadas pela ESAF em relação do Direito Civil são bem abrangentes. não revoga nem modifica lei anterior (art. alterado pela LC n° 107/01). 2o. o prazo recomeça a contar da republicação (art. Se alteração se deu após o prazo de vacatio. é considerada como um “Código de Normas”. ele não é muito extenso. como vimos. Lauro Escobar Meus amigos e alunos. fornece critérios de interpretação (hermenêutica). A LICC é um conjunto de normas sobre normas. não sendo muito extenso. Sabemos que não são muitas questões que irão cair. LICC). Em relação ao tema vigência das leis devemos nos preocupar com os seus princípios: obrigatoriedade (art. LICC) e continuidade das leis (art. Quando uma lei começa a vigorar? A regra geral (teórica) é de 45 dias após a publicação (art. estabelece mecanismos de integração das normas quando houver lacunas e contém também normas de Direito Internacional. que são os mais usados na prática. 1o. ultrapassando o âmbito do Direito Civil. 8o. apresenta soluções aos conflitos de normas no tempo e no espaço. têm maior probabilidade de cair. b) Lei Especial que estabeleça disposições gerais ou especiais a par das já existentes. exatamente por isso. Vejamos. uma lei revogada não se restaura por ter a lei revogadora perdido a vigência.

927/954). 2) Relativamente Incapazes: a) maiores de 16 e menores de 18 anos. com economia própria – 16 anos. nos casos em que não há poder familiar) – 16 anos. Em relação à capacidade o mais importante é saber a classificação: 1) Absolutamente Incapazes: a) menores de 16 anos. os costumes e os princípios gerais de direito. b) enfermidade ou deficiência mental sem discernimento. d) exercício de emprego público efetivo. c) pessoas que. que passa por três fases: a) Ausência (arrecadando-se os bens que serão administrados por um curador). apenas a do outro). A emancipação é a aquisição da capacidade plena antes dos 18 anos. sem desenvolvimento completo. sem que se possa afirmar qual delas deverá ser aplicada a um caso concreto. e) colação de grau em curso de ensino superior.001/73 – Estatuto do Índio). c) casamento – idade núbil → 16 anos.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Ás vezes. . os direitos do nascituro (o que está por nascer). b) ébrios habituais. O primeiro tema se refere à Pessoa Natural (todo ser humano considerado como sujeito de obrigações e direitos. d) pródigos (pessoas que dissipam seus bens). 1o até 78) e os Fatos. b) sentença do Juiz (ouvido o tutor. b) especialidade (uma norma é especial em relação a outra) e c) cronológico (baseado no princípio de que a norma jurídica mais nova revoga a mais velha) B) Código Civil. mas a lei põe a salvo. Aguarda-se mais dez anos. c) excepcionais. 3) Capacidade Plena – maiores de 18 anos ou emancipadas. desde a concepção. Critérios para solução do conflito aparente de normas: a) hierárquico (uma norma é hierarquicamente superior à outra). Por isso o art. viciados em tóxico e os que por deficiência mental tenham discernimento reduzido. o Ato Ilícito e o Abuso de Direito e a sua repercussão na Parte Especial do Código. aguardando-se por 10 anos o retorno do ausente). Neste item inserem-se a Prescrição/Decadência. Lembramos que os índios são regulados por legislação especial (Lei n° 6. b) Sucessão Provisória (é feita a partilha de forma provisória. Em relação ao fim da personalidade. mesmo por causa transitória. o legislador não consegue prever todas as situações que uma norma pode criar. Seu cônjuge é reputado viúvo. E um Juiz não pode deixar de julgar um caso alegando lacuna da lei. ou seja. Atos e Negócios Jurídicos (arts. sem qualquer distinção). independentemente de homologação judicial – 16 anos. que é a presença de duas normas conflitantes. o edital exige basicamente conhecimentos sobre à sua Parte Geral: Pessoas Naturais e Jurídicas (arts. não comparecendo neste período encerra-se o processo. 4o da LICC prevê: quando a lei for omissa. 104 até 232). o juiz decidirá o caso de acordo com a analogia. não puderem exprimir sua vontade. Isto depende de um processo. Em relação a ele. o item de maior relevância é o da morte presumida. Hipóteses: a) concessão dos pais (na falta de um deles. c) Sucessão Definitiva – na abertura já se concede a propriedade plena dos bens e se declara a morte (presumida) do ausente. f) estabelecimento civil ou comercial ou pela existência de relação de emprego. Finalmente a antinomia. por instrumento público. a Responsabilidade Civil (arts. O início da personalidade se dá com o nascimento com vida.

3. ou a pessoa de sua família. a classificação principal e a desconsideração da personalidade. 5. determinado ou determinável e c) consentimento (que diz respeito à vontade das partes). 2) Partidos Políticos. de grave dano conhecido pela outra parte. Os Elementos Essenciais dizem respeito à existência e validade do Negócio Jurídico. 3 Organizações Religiosas.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Em relação à Pessoa Jurídica. 4. 2) Interno → O Estado: a) Administração Direta: União. II. premido da necessidade de salvar a si. CC). Obs. Lesão (art. devendo ser alegado no prazo decadencial de 4 anos (art. relevantes do negócio de forma que se eu soubesse do defeito jamais teria praticado o ato. a dica é saber o seu conceito. Em relação ao Negócio Jurídico. CC). 167. Coação. II. 138 a 165. É a pressão física (ato nulo) ou moral (anulável) exercida sobre alguém para obrigá-lo a praticar (ou deixar de praticar) determinado ato. Configura-se quando alguém. OEA). . CC). Simulação (art. B) Pessoas Jurídicas de Direito Privado: 1) Fundações Particulares. assume obrigação excessivamente onerosa. no entanto a diferença está no seu objeto: exercício (ou não) de atividade mercantil. Territórios e Municípios. 50. desvio de finalidade ou confusão patrimonial. com intuito de impedir abuso da personalidade jurídica. possível. Desconsideração da personalidade jurídica (disregard of the legal entity) – Art. Fraude contra credores. beneficiando o autor do dolo ou terceiros. ou por inexperiência. Súmula 227 do Superior Tribunal de Justiça: “A pessoa jurídica pode sofrer dano moral”. com o fim de colocá-lo a salvo de uma execução por dívidas em detrimento dos direitos creditórios alheios. sob premente necessidade. Palavras chaves: organização e atividade. 2) Especiais – dizem respeito à forma prescrita ou não defesa em lei. Ocorre quando uma pessoa. Corrente majoritária → Teoria da Realidade Técnica. 6. Distrito Federal. 171. É a declaração enganosa da vontade. CC). a dica é saber bem os elementos essenciais e os defeitos de consentimento. de atos que desfalcam seu patrimônio. Prática maliciosa. 2. reconhecido como entidade com aptidões de direitos e obrigações. Defeitos do Negócio Jurídico (arts. Associações Públicas e demais entidades de caráter público criadas por lei (Fundações Públicas). 4) Associações – união de pessoas. Classificação principal: A) Pessoas Jurídicas de Direito Público: 1) Externo → Regulamentadas pelo Direito Internacional – Ex: outros países. Estado de Perigo. se obriga a prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta. CC) 1. Conceito: unidade de pessoas naturais ou de patrimônios. 157. para levar alguém à prática de um ato que o prejudica. Estados Membros. CC → atinge e vincula responsabilidades dos sócios (atingindo seus bens particulares). sem finalidade lucrativa. b) Administração Indireta: Autarquias. pelo devedor. 5) Sociedades – Simples ou Empresárias → ambas visam finalidade lucrativa. 7. que visa a consecução de certos fins. Dolo Essencial. Vejamos. 178. b) objeto lícito. Dividem-se em: 1) Gerais – são comuns a todos os negócios jurídicos: a) capacidade das partes. Em regra o ato é anulável (art. Ignorância ou Erro Essencial – recai sobre circunstâncias e aspectos principais. dando-lhe a estrutura e a substância. Emprego de manobras ardilosas ou maliciosas. – Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista são consideradas como Pessoas Jurídicas de Direito Privado. organismos internacionais (ONU. aplicáveis a apenas alguns negócios.

2. 4) A parte pode não alegá-la. para iludir terceiros ou burlar a lei. Prescreve em prazos mais ou menos 5. 4) A decadência decorrente de prazo legal não pode ser renunciada pelas partes: nem antes e nem depois de consumada. Exceções: quando a lei assim o permitir. pelo 3. alegada. ele pode saná-la. CC foi revogado. . O vício não pode ser sanado pela 4. Os efeitos se operam somente a retroage à data da celebração do negócio. Distinções entre Prescrição e Decadência PRESCRIÇÃO 1) Extingue apenas a pretensão (ação). No entanto. Em regra não prescreve. A renúncia pode ser expressa ou tácita. independente de arguição. mesmo nas ações patrimoniais. determina que a simulação é hipótese de nulidade absoluta do ato. Eficácia erga omnes ordem privada. DECADÊNCIA 1) Extingue o direito material pela falta de exercício dentro do prazo. 2) Os prazos são estabelecidos pela lei ou pela vontade das partes. A seguir forneço alguns gráficos comparativos que reputo importantes. partir da anulação. Além disso. 3) Na decadência decorrente de prazo legal o Juiz deve declará-la de oficio. Somente pode ser alegada 2. prejudicado. Os efeitos são extensíveis apenas para quem alegar. O art. Porém. É renunciável. O juiz não pode reconhecê-la de ofício. 2) Os prazos são estabelecidos somente pela lei. mas nunca em prejuízo de terceiros. momento). Quadro comparativo entre nulidade a anulabilidade Ato Nulo (nulidade absoluta) Ato anulável (nulidade relativa – anulabilidade) 1. 5. etc. 6. tempo (tácita). Pode ser arguida por qualquer interessado ou pelo Ministério Público. O vício pode ser sanado pela confirmação. entanto ele pode reconhecê-la de ofício. somente após a sua consumação. É importante notar que o novo Código Civil não trata mais a simulação como um defeito social. matéria de 1. Não interfere no direito material. legítimo interessado. Interesse do prejudicado. com o fim de criar uma aparência de direito. 194.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO visando a obter resultado diverso do que aparece. matéria de ordem pública. No 3. fundo patrimonial. Interesse da coletividade. 3) Atualmente pode ser declarada de ofício pelo Juiz. Efeito ex nunc (de agora em diante). Efeito ex tunc (desde aquele 6. (extensíveis a todos). negócios de exíguos ou em prazos decadenciais. Atinge indiretamente a ação. nem se convalesce pelo confirmação (expressa) ou pelo decurso do decurso do tempo. Não pode ser suprida pelo juiz. 4. A declaração de nulidade Não retroage.

5) Corre contra todos (efeito erga omnes). como regra. 7) Regra Geral → Prazo de 10 anos (art. transeuntes. b) Responsabilidade do empregado em face do empregador Se por um lado a responsabilidade do empregador é indireta e objetiva. 932. o empregador ou comitente são responsáveis pelos atos de seus empregados. no exercício do trabalho ou em razão dele. E isso independentemente de quem seja o sujeito vitimado pela conduta do empregado (outros empregados. a responsabilidade passa a ser da natureza objetiva. 7) Não há regra geral para os prazos. suspenso ou interrompido. Exemplificando: o empregado. não se admitindo analogia.c. Uma delas é a do seu inciso III. de impedimento ou 6) Causas suspensão → arts. CC arrola diversas hipóteses de responsabilidade civil por atos praticados por terceiros (chamada de responsabilidade indireta). 03.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 5) Não corre contra determinadas pessoas. Como o empregador responde de forma objetiva. Ou seja. Só pode ser obstada pelo exercício efetivo do direito ou da ação. 927. Eles podem ser de dias. fornecedores. curatela. terceiros estranho. 198. 186 c. Ex: cônjuges. 205. CC). por força do art. 199 e 200. Prazos Especiais → 01. etc. Finalmente agora algumas palavras sobre a responsabilidade civil e seu impacto no direito do trabalho A regra que vigora em nosso ordenamento acerca da responsabilidade civil é a subjetiva (art. era de responsabilidade subjetiva. como na hipótese da “atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar. responderão pelos atos praticados pelos terceiros ali referidos”. 934. a) Responsabilidade do empregador por ato do empregado O art. 04 e 05 anos (conforme a hipótese do art. 933. pois presumia culpa. o empregado.c. CC. logo a seguir pode acionar o empregado para reaver o . etc. Previstos em dispositivos esparsos pelo Código e Leis Especiais. 198. O prazo pode ser impedido. Esta situação. no exercício da atividade. Assim. I ambos do CC). Exceção → não corre contra os absolutamente incapazes (art. caput). 208.). causou danos a uma terceira pessoa. Não se suspende e nem se interrompe. riscos para os direitos de outrem” (parágrafo único do art. 202 CC. CC). No entanto. 206 e seus parágrafos. como clientes. poder familiar. por sua natureza. 6) Não se admite suspensão ou interrupção em favor daqueles contra os quais não corre prescrição. 02. 927. No entanto o atual art. No entanto admite-se uma série de situações em que a responsabilidade é objetiva. prevista anteriormente pela Súmula n° 341 do STF. serviçais e prepostos. ele deve reparar os danos suportados pela vítima. Causas de interrupção → art. CC determina que o empregador e o comitente “ainda que não haja culpa de sua parte. de forma culposa. meses e anos. Vejamos agora a aplicabilidade dos dispositivos sobre a responsabilidade civil na relação trabalhista. 197. CC pode ser demandado de forma regressiva. absolutamente incapazes. tutela. As causas estão expressamente previstas em lei. CC). c. art.

ainda que no ambiente de trabalho. forçando-o a desistir do emprego. por medo de perderem o emprego e da vergonha de também serem humilhados. uma vez que houve culpa (sentido amplo) do empregado. embora não haja previsão expressa. Caracteriza-se pela degradação deliberada das condições de trabalho em que prevalecem atitudes e condutas negativas dos chefes em relação a seus subordinados. No campo das relações de trabalho o dispositivo deve ser interpretado em consonância com o art. o desconto será lícito. No dizer da Dra Margarida Maria Silveira Barreto. ridicularizada. de dispositivos de lei ou de contrato coletivo. de um ou mais chefes dirigida ao subordinado. já no caso de dolo dispensa-se o pacto. Estes. Tratase de um ato ilícito. salvo quando este resultar de adiantamentos. A vítima é isolada do grupo sem explicações. É evidente que qualquer abuso por parte do empregador pode ser submetido a controle judicial. é a exposição do empregado a situações humilhantes e constrangedoras. §1o “Em caso de dano causado pelo empregado. A doutrina soluciona a questão da seguinte forma. repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. ao manobrar seu próprio veículo. em que predominam condutas negativas. inferiorizada. o direito de regresso somente se aplica no caso de responsabilidade subjetiva do empregado. que o empregador somente pode agir regressivamente contra o empregado se este tiver causado o dano com dolo ou culpa. no caso de dano causado por um terceiro. acabam rompendo os laços afetivos com a vítima e. Ou seja. 462 da CLT: “Ao empregador é vedado efetuar qualquer desconto nos salários do empregado. Se o dano do empregado foi causado por outro empregado. culpabilizada e desacreditada diante dos pares. sendo que o empregador não deve ser responsabilizado. relações desumanas e aéticas de longa duração. desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização. Outro ponto que deve ser abordado neste item é o ASSÉDIO MORAL. sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas. podendo o desconto ser efetuado de forma automática. No entanto. desde que esta possibilidade tenha sido acordada ou na ocorrência de dolo do empregado”. a responsabilidade é objetiva (do empregador). aplica-se a regra geral da responsabilidade subjetiva. colide com o carro do empregado que estava no estacionamento da empresa. também chamado de manipulação perversa ou terrorismo psicológico. c) Responsabilidade civil do empregador por dano ao empregado Uma situação interessante ocorre quando o dano é causado ao empregado (e não pelo empregado). Neste caso a responsabilidade é do cliente. cabendo ação regressiva. associado ao estímulo constante à competitividade. Neste caso não há uma norma expressa disciplinando matéria. instaurando o ’pacto da tolerância e do silêncio’ no coletivo. passando a ser hostilizada. Assim. Entende a doutrina. Situação diferente é aquela em que o próprio empregador colide seu veículo com o do empregado. enquanto a . Neste caso ele deve indenizar. no caso de culpa (sentido estrito) do empregado é necessária uma pactuação específica para os descontos em folha de pagamento.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO que pagou à vítima. Ex: um cliente do empregador.

financiado pelo empregador. o empregador. Assim.. prevista no art. Neste aspecto a matéria encontra-se sumulada no Enunciado n° 331 (atualizado) do Tribunal Superior do Trabalho. d) serviços relacionados com a atividade-meio da empresa tomadora. e) Responsabilidade civil em relações triangulares Atualmente é muito comum a chamada terceirização de serviços. Três espécies de responsabilidade podem decorrer de um acidente do trabalho: • • • Responsabilização contratual (reconhecimento da estabilidade acidentária prevista no art. Benefício previdenciário do seguro de acidente do trabalho. devendo o empregado.213/91. Na realidade esta é uma relação jurídica de natureza dúplice: um sujeito (tomador de serviços) contrata os serviços de outro (prestador de serviços) em um pacto de natureza civil e este contrata empregados. relacionado diretamente com o trabalho capaz de determinar a morte do obreiro ou a perda total ou parcial.. que exerce uma atividade que por sua própria natureza implica em riscos para os direitos de outrem. seja por um determinado período de tempo. Como vimos. c) serviços de conservação e limpeza. com eventual suspensão do contrato de trabalho). quando incorrer em dolo ou culpa”. além de outros que visem à melhoria de sua condição social (. no trâmite da ação. responde perante terceiros de forma objetiva pelos danos causados. XXVIII da Constituição Federal: “São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais. pois possibilita uma redução de custos com mão de obra e também a especialização dos serviços prestados. fragilizando e perdendo sua autoestima. No entanto. mas cumprido pelo Estado. seja definitiva. liberando este para concentrar seus esforços gerenciais em seu negócio principal. b) fato lesivo à saúde (física ou mental) do trabalhador. da capacidade para o trabalho.) seguro contra acidentes do trabalho. sem excluir a indenização a que este está obrigado. b) serviços de vigilância patrimonial.019/77. c) nexo entre o trabalho desenvolvido e o acidente e entre o acidente e a perda ou redução da capacidade de trabalho. optou-se pela responsabilização subjetiva. naquela mesma situação de risco responde de forma subjetiva perante seu funcionário. 118 da Lei n° 8. São só quatro as hipóteses lícitas de terceirização no ordenamento jurídico pátrio: a) trabalho temporário... o mesmo empregador. provar alguma conduta culposa (em sentido amplo) do empregador. Assim. d) Responsabilidade civil decorrente de acidente de trabalho.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO vitima vai gradativamente se desestabilizando. que prescreve: . Neste ponto há uma crítica muito grande da doutrina. Reparação dos danos (natureza civil). 7o. que irão trabalhar nas atividades-meio do tomador. Acidente do trabalho é aquele acontecimento mórbido. integram o conceito de acidente do trabalho: a) perda ou redução da capacidade laborativa. nos termos da Lei nº 6. a cargo do empregador.

A contratação irregular de trabalhador. 20 e 21. I . 71 da Lei nº 8. 5) Dano Moral Entendemos que.Não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de serviços de vigilância (Lei nº 7. desde que hajam participado da relação processual e constem também do título executivo judicial (art. 121/2003. o texto se refere expressamente que é parte integrante de sua competência “as ações de indenização por dano moral ou patrimonial.102. desejando a todos os votos de pleno êxito em seus objetivos. havendo uma Justiça especializada para apreciar as ações trabalhistas.019. das empresas públicas e das sociedades de economia mista. indireta ou fundacional (art. De forma inversa entende-se que a Justiça do Trabalho também deve apreciar eventuais desrespeitos do empregado para com o empregador. formando-se o vínculo diretamente com o tomador dos serviços.1974).1993). inciso VI. II. II .1983) e de conservação e limpeza. de 21.O inadimplemento das obrigações trabalhistas.Res.2003. das autarquias. . Finalizo. das fundações públicas. a chamada “Reforma do Judiciário” trouxe uma série de modificações no texto constitucional referente a todo Poder Judiciário. DJ 19. com muita tranquilidade e paz. LEGALIDADE .A contratação de trabalhadores por empresa interposta é ilegal.06. decorrentes da relação de emprego” (art. deve ela também apreciar as lesões aos direitos personalíssimos do empregado. Um forte abraço.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. e em especial à Justiça do Trabalho. implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços. III . numa relação de emprego. desde que inexistente a pessoalidade e a subordinação direta. IV . com vista a manter a harmonia e o respeito entre as partes contratantes. de 03. inclusive quanto aos órgãos da administração direta. Atualmente. quanto àquelas obrigações.06. salvo no caso de trabalho temporário (Lei nº 6.666. mediante empresa interposta. 114. CF/88).01. da CF/1988). por parte do empregador. 37. não gera vínculo de emprego com os órgãos da administração pública direta. de 20. A Emenda Constitucional n° 45. durante os estudos e na hora da prova. bem como a de serviços especializados ligados à atividademeio do tomador.11.

mas como a prova é para Fiscal do TRABALHO. vamos analisar os tópicos do edital. quando o texto legal começa a tratar do crime. segundo a qual se considera praticado o crime no momento da ação ou omissão. tenha algum conhecimento. são muito exigidos?” A reposta é negativa. dando atenção especial aos três temas. Diferentemente. assim. no todo ou em parte. terá uma atenção especial por parte do examinador. Fazendo uma análise detalhada das provas da ESAF e seguindo a lógica do que vem sendo exigido nos concursos. 7º. OS CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. mas não é muito exigido em prova. 3º / ART. Vamos analisá-lo! Logo no início do Código. Com relação a este tópico os artigos que você não pode deixar de ler são: • ART. São eles: • • • OS TÓPICOS REFERENTES AO CRIME. bem como onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado. OS CRIMES CONTRA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 9) DIREITO PENAL – Pedro Ivo Futuro Auditor Fiscal do Trabalho. 6º / ART. entretanto. mas não recomendo que perca muito tempo. 90% das vezes que o tema é cobrado a banca testa o candidato quanto aos conceitos de tempo e lugar do crime. Dito isto. Digo isto porque se pegarmos todas as questões da ESAF já exigidas na matéria Direito Penal chegamos a um percentual de 36% das questões versando sobre o crime e 34% tratando dos crimes contra a Administração Pública. Não deixe . Este tema é bem extenso. I. e os crimes contra a organização do trabalho. para o lugar do crime adota-se a teoria da UBIQUIDADE e. três assuntos serão essenciais ao candidato para garantir uma boa pontuação em Direito Penal. temos o assunto relação de causalidade. 4º / ART. considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ação ou omissão. 15 e 16 temos importantes assuntos que juntamente com o artigo 23 (excludentes de ilicitude) disputam a preferência do examinador. Lembre-se que o código penal adota para o tempo do crime a teoria da ATIVIDADE. 2-DO CRIME Este tema. 1 – DA APLICAÇÃO DA LEI PENAL Este primeiro ponto do edital não vem sendo muito exigido pela ESAF. ainda que outro seja o momento do resultado. sem dúvida. “Mas professor. acho quase impossível que a banca não aborde o tema. Sendo assim. Logo depois. nos artigos 14. PRESENTES NA PARTE GERAL DO CÓDIGO PENAL.

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO de conhecer bem a diferença entre a desistência voluntária. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA. É importantíssimo!!! Em relação aos demais grupos. Com relação a este tópico os artigos que você não pode deixar de ler são: • ART. nesta reta final de estudos.18.caput. atenha-se aos delitos tratados nos artigos 312 a 326. os crimes contra a administração são classificados em três grupos: 1. E 3. Cerca de 80% das questões da ESAF são exigidas daí. ou seja os cometidos por funcionário público contra a administração em geral.21 / ART. Além disso. não deixe de ler os seguintes artigos: • 331 / 333 e 337-A 4-DOS CRIMES CONTRA A PREVIDÊNCIA O edital de retificação especificou bem quais delitos contra a previdência precisam ser estudados. dê atenção especial para a diferenciação entre legítima defesa e estado de necessidade. CRIMES COMETIDOS POR ADMINISTRAÇÃO EM GERAL.20.II / ART. . 17 / ART. 16 / ART.23 3-DOS CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Este tema com certeza estará presente em sua prova e merece uma atenção especial. FUNCIONÁRIO PÚBLICO CONTRA A 2. Como você sabe. dê também atenção especial ao conceito de funcionário público previsto no artigo 327. Além disso. 14. CRIMES PRATICADOS POR PARTICULAR CONTRA A ADMINISTRAÇÃO EM GERAL. o arrependimento eficaz e o arrependimento posterior.II / ART. 15 / ART. Não acredito em uma profundidade grande nas questões e normalmente a ESAF exige a literalidade. Dentre os três. / ART.

3 – A ESAF não costuma ser muito criativa nas questões sobre este tema e. Consuma-se o delito no momento em que a pessoa constrangida passa ou não a fazer farte de sindicato ou associação profissional. 5-DOS CRIMES CONTRA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO Em minha opinião.A exercer ou não exercer arte. Constranger alguém. para impossibilitar o desligamento do serviço em virtude de dívida. Consuma-se o delito no instante em que o empregado não pode exercer direito assegurado pela legislação trabalhista. Desta forma. que constranger alguém. normalmente. no que diz respeito aos requisitos para a exclusão da punibilidade. indígena ou portadora de deficiência física ou mental. por exemplo. com suspensão deste. o trabalho ou ou ATENTADO CONTRA A LIBERDADE DE TRABALHO Na terceira. 2 .Por diversas vezes a ESAF apresenta questões nas quais cita cinco nomes de crimes e pergunta qual não se enquadra nos delitos contra a organização do trabalho. Na segunda. com a abertura fechamento do estabelecimento. ofício. Frustrar. ofício.A ESAF.. mediante violência ou grave ameaça. . Sendo assim. A pena é aumentada de um sexto a um terço se a vítima é menor de dezoito anos. faz-se necessário conhecer os NOMES dos crimes e não só as condutas. a participar ou deixar de participar de determinado sindicato ou associação profissional.A abrir ou fechar o seu estabelecimento de trabalho ou a participar de parede ou paralisação de atividade econômica. idosa. direito assegurado pela legislação do trabalho. profissão ou indústria. É necessário o conhecimento de que se trata do “Atentado contra a liberdade de trabalho”. com o EFETIVO exercício ou com a suspensão do exercício de arte. gestante. o bizu aqui é: Nesta reta final não perca tempo com a doutrina e preocupe-se em ler os artigos 168-A e 327-A em especial. Via de regra. normalmente. CONSUMAÇÃO Na primeira modalidade. ou a trabalhar ou não trabalhar durante certo período ou em determinados dias II. ATENTADO CONTRA A LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO FRUSTRAÇÃO DE DIREITO ASSEGURADO POR LEI TRABALHISTA Obrigar ou coagir alguém a usar mercadorias de determinado estabelecimento. Para ficar bem claro. profissão ou indústria. não se aprofunda no assunto. não basta saber. a cobrança recai sobre os seguintes crimes: CRIME CONDUTA Constranger alguém. não perca muito tempo com aprofundamentos e sim com a leitura dos dispositivos presentes no Código Penal. exige do candidato o conhecimento exato do que está disposto no Código Penal. Impedir alguém de se desligar de serviços de qualquer natureza. mediante violência ou grave ameaça: I. com a paralisação da atividade econômica. mediante fraude ou violência. Na quarta. mediante violência ou grave ameaça é crime.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Sendo assim. este é um tema é questão quase certa em sua PROVA e aqui sequem algumas “dicas” em relação a este tópico: 1 .

uma opinião: Não perca tempo com este assunto na reta final de seus estudos. 5 .099/95 E LEI N. direta ou indiretamente. Desejo sinceramente que seu esforço seja recompensado e que Deus ilumine sua mente no dia da prova. interesse privado perante a administração fazendária.137/90: 1. de que tenha a guarda em razão da função. vantagem indevida. direta ou indiretamente.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO mediante coação ou por meio da retenção de seus documentos pessoais ou contratuais. independente-mente da emigração de um local para outro dentro do território nacional. ou aceitar promessa de tal vantagem. solicitar ou receber. acarretando pagamento indevido ou inexato de tributo ou contribuição social.860. pois se há uma vaga aberta ela pode e será sua!!! No dia da prova estarei torcendo pelo seu sucesso! Abraços e bons estudos. para deixar de lançar ou cobrar tributo ou contribuição social. idosa. Exigir. não assegurar condições do seu retorno ao local de origem.LEI N. indígena ou portadora de deficiência física ou mental. A pena é aumentada de um sexto a um terço se a vítima é menor de dezoito anos. pela amplitude do assunto.259/2001) Até hoje a ESAF limitou-se a exigir 3 questões sobre o tema. para si ou para outrem. 9. Consuma-se o delito com o aliciamento. 3.LEI DOS JUIZADOS ESPECIAIS (LEI N. de forma bem objetiva. mas em razão dela. gestante. 2. ou cobrá-los parcialmente. Extraviar livro oficial. 10. Acredite em você e lembre-se que não importa a quantidade de candidatos. ALICIAMENTO DE TRABALHADORES DE UM LOCAL PARA OUTRO DO TERRITÓRIO NACIONAL Recrutar trabalhadores fora da localidade de execução do trabalho. dentro do território nacional. Patrocinar. 2. Trata da legislação sobre Prisão Especial para os Dirigentes de Entidades Sindicais e para o Empregado do Exercício de Representação Profissional ou no Cargo de Administração Sindical e exige a simples leitura sem qualquer aprofundamento. sonegá-lo. processo fiscal ou qualquer documento. ainda. Sendo assim. 6-DOS CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA O edital é extremamente restritivo quanto a este ponto sendo assim relembre apenas os delitos funcionais contra a ordem tributária presentes no artigo 3º da lei nº 8. Pedro Ivo . ou inutilizá-lo. mediante fraude ou cobrança de qualquer quantia do trabalhador ou. total ou parcialmente. 7 . DE 31/08/56 Esta lei presente no edital é tão pequena que não há nem como resumir. valendo-se da qualidade de funcionário público. ************************ Caro aluno. ainda que fora da função ou antes de iniciar seu exercício. Aliciar trabalhadores com o fim de levá-los de uma para outra localidade do território nacional.

nem que seja você a pessoa que ficou com a maçaneta na mão para fechar a porta. Para mim.. Não transforme essa jornada em uma guerra. em regra... até em nossa concepção da vida disputamos UMA vaga. não é ? E é a esse grupo de não-primeiros colocados a que me dirijo: não se impressione. mas com uma conta bancária mais gorda.. O importante é não desistir. pois. por mais que tenham que lutar contra vocês.. A verdade é que somos nossos maiores adversários. Não importa ser um dos primeiros. Tenham fé ! E mais. A vaga no concurso é algo que almejamos para melhorarmos nossas vidas e a dessas pessoas as quais me referi. certo ? de muita(o)(s) Pois é. Não precisamos ser “o 1º lugar”.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 10) SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO – Erick Moura Olá Estimados(as) Concurseiros(as). Já estão se imaginando sentados em sua baia como AFT do MTE? Imaginem a mesa de vocês cheia de processos. É comum vermos a história de sucesso Concurseira(o)s. Não se preocupem em que colocação vocês vão estar.. Procurem histórias de não-primeiros. Fomos 1º colocados quando fomos gerados. elas são maioria e são tão felizes quanto as outras. Todos prontos ? Então vamos nessa ! Vamos começar pelas siglas. você pode chegar lá. E nessa vaga conseguimos sucesso no ventre de nossas mães. Estamos de volta para nosso BIZU em mais uma reta final.. Elas são motivantes. o importante é entrar. Tenho filhos pequenos e consegui passar em mais de um concurso cuidando deles junto com a mãe. Vocês chegarão lá. sempre dos primeiros colocados. precisamos DA VAGA... o mais importante na vida é ser o 1º lugar no coração dos meus filhos e da mulher amada. mas podem criar um bloqueio em muitos. Provavelmente a maioria de vocês tenha passado por essa “Síndrome do Patinho Feio”. Procurem fazer dessa preparação uma viagem prazerosa e de persistência. Precisamos saber de toda elas ? . a qual devo minha imensa gratidão.. pois isso é conseqüência natural para 1 ou outro.

Estamos a trabalhar com o seguinte cenário em conjunto com Direito Previdenciário: 15 QUESTÕES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Interdição de estabelecimentos. a ESAF colocou no início da prova uma Lista de Siglas e Abreviaturas da disciplina Segurança e Saúde no Trabalho. Erick. Ressalto que essa é uma estimativa razoável em relação aos tópicos das duas disciplinas em conjunto. mas apenas um orientador. Vamos a eles. 154 a 201 Competências da SIT. Quem acompanhou nossos trabalhos já deve ter se acostumado. CLT – ARTs. Atenção que não sou vidente. ok ? Temos 11 Normas Regulamentadoras e mais um trecho da CLT que podemos considerá-la como sendo a “NORMA DAS NORMAS”. podemos ir adiante ? Ok. máquinas ou equipamentos Embargo de obras A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA: composição e regras previstas na CLT O Equipamento de Proteção Individual – EPI na CLT Medidas Preventivas de Medicina do Trabalho na CLT Atividades Insalubres ou Perigosas na CLT e respectivos adicionais Prevenção da Fadiga . das SRTEs. mas não fiz seu curso. setores de serviço. Empresas e Empregados em matéria de Saúde e Segurança no Trabalho. Vamos adiante colocando as orientações sobre esse BIZU. ok ? Desta forma. gostei de suas palavras.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO No último concurso. mas mesmo assim. Avalio ser razoável uma questão para cada NR. não há motivos para preocupação. sendo algumas relacionadas com a CLT e as NRs em conjunto. A ideia do nosso BIZU é apresentar um roteiro para revisão dos principais tópicos a revisar nessa Reta Final. colocaremos nossas orientações em quadros.

periodicidade e obrigatoriedade Atestado de Saúde Ocupacional – ASO: emissão.EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL . nossas próximas abordagens se referem às NRs e o MANTRA que passo a vocês é ter o conhecimento dos OBJETOS e CAMPO DE APLICAÇÃO DE TODAS AS NRs DO EDITAL. NR – 01 .EPI Responsabilidades das Empresas.EPIs Certificado de Aprovação – CA: prazos de validade Competências da SIT e das SRTEs em relação aos EPIs Tipos e exemplos dos principais EPIs constantes do Anexo I NR – 07 . nos próximos quadros. Estabelecimento. Canteiro de Obra. Empresa.DISPOSIÇÕES GERAIS Competências da SIT e das SRTEs na NR – 01 Definições de Empregado.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Pessoal. dos Empregados e dos Fabricantes Nacionais ou Importadores em matéria de Equipamentos de Proteção Individual . dos Empregadores. princípios e . Assim. Empregador. Frente de Trabalho e Local de Trabalho NR – 06 . Setor de Serviço. pois tomaremos como regra a obrigatoriedade de cada um saber do que as NRs tratam. composição e requisitos mínimos Relatório Anual do PCMSO Exames Audiométricos: procedimentos básicos tipos. periodicidade.PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Responsabilidades do Empregador e do Médico Coordenador em relação ao Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO Obrigatoriedade ou não das empresas possuírem Médico Coordenador do PCMSO Exames Médicos: tipos. não vamos colocar o tópico referente ao objeto e campo de aplicação.

10 Glossário da NR . fabricação.PROGRAMA DE PREVENÇAO DE RISCOS AMBIENTAIS – PPRA Conceitos aplicados ao PPRA Estrutura do PPRA Etapas do PPRA Reconhecimento dos Riscos Ambientais Registro de Dados no PPRA Responsabilidades de Empregadores e Trabalhadores no PPRA NR – 10 . capacitação e autorização dos trabalhadores Responsabilidades dos envolvidos nas atividades relacionadas com a NR .MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Instalações e Áreas de Trabalho: recomendações e requisitos Funções e Requisitos Básicos dos dispositivos de Acionamento e Parada Normas sobre proteção de Máquinas e Equipamentos Recomendações em relação à manutenção. importação. operação. venda e locação de máquinas e equipamentos Motoserras: dispositivos e respectivas funções .SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Prontuário de Instalações Elétricas: obrigatoriedade e conteúdo Medidas de Proteção Individual e Coletiva Sequências de Desenergização e de Reenergização de Instalações Elétricas Habilitação. qualificação.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO NR – 09 .10 NR – 12 .

Transporte Manual Regular de Cargas.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO NR – 13 . Casas de Caldeiras e Áreas de Caldeiras Condições de Segurança na operação de caldeiras e de vasos de pressão Requisitos para ser operador de caldeiras ou profissional com treinamento de segurança na operação de unidades de processo dos vasos de pressão Estágio prático para operadores de caldeiras e para profissionais com treinamento de segurança na operação de unidades de processo dos vasos de pressão Inspeção de Segurança de Caldeiras e de Vasos de Pressão e respectivos prazos máximos Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos – SPIE Instalação de Vasos de Pressão serem NR – 17 – ERGONOMIA Principais termos e respectiva definições: Transporte Manual de Cargas. Trabalhador Jovem e Pesos Máximos para mulheres e trabalahdores jovens no Transporte Manual de Cargas Requisitos mínimos para os assentos utilizados nos Postos de Trabalho . ou seja.CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO Definição de Caldeiras e Vasos de Pressão Definição de Profissionais Habilitados e requisitos para qualificados na operação de caldeiras e vasos de pressão Placa de Identificação de Caldeiras e Vasos de Pressão Documentação obrigatória e atualizada de Caldeiras e Vasos de Pressão Informações que constam no Prontuário da Caldeira e no Prontuário do Vaso de Pressão Dcumentação que segue com a caldeira e com o vaso de pressão em caso de venda ou de transferência de estabelecimento As 3 categorias de caldeiras Requisitos exigidos para as instalações de caldeiras.

BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Ergonomia nos Equipamentos dos Postos de Trabalho Disposições principais sobre as atividades de Processamento eletrônico de Dados – PED Condições ambientais de trabalho Iluminação do ambiente de trabalho Requisitos mínimos sobre a Organização do Trabalho de “checkouts” Requisitos mínimos para o mobiliário dos “checkouts” Treinamento para os operadores de “checkout” Modalidades de teleatendimento/telemarketing Requisitos mínimos para o mobiliário do posto de trabalho em matéria de teleatendimento/telemarketing Condições ambientais em matéria de teleatendimento/telemarketing Capacitação para os trabalhadores de teleatendimento/telemarketing NR – 18 . cozinha.CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CANTEIRO DE OBRA: área de trabalho FIXA E TEMPORÁRIA. Fundações e Desmonte de Rochas na indústria da construção . onde se desenvolvem operações de apoio e execução de uma obra Comunicação Prévia nas Atividades da Indústria da Construção Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – PCMAT: documentos e principais caracterísiticas ÁREAS DE VIVÊNCIA: instalações sanitárias. quando se tratar de frentes de trabalho com 50 ou mais trabalhadores Pecuiaridades e requisitos de cada um dos componentes das áreas de vivência Considerações relevantes sobre Demolição na indústria da construção Considerações sobre Escavações. lavanderia. ambulatório. área de lazer. vestiário. onde se desenvolvem operações de apoio e execução de uma obra FRENTE DE TRABALHO: área de trabalho MÓVEL E TEMPORÁRIA. alojamento. local de refeições. quando houver preparo de refeições.

Bandejões – obrigatoriedade ou não de seu uso. Considerações Relevantes e principais Atribuições Recomendações Técnicas de Procedimentos – RTPs Aspectos relevantes sobre a FUNDACENTRO em matéria de CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR – 31 . Rampas e Passarelas: tipos e características Medidas de Proteção contra Quedas de Altura: Sistema Limitador de Quedas de Altura – composição mínima.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Estruturas metálicas e de concreto Escadas. Instalações Elétricas Treinamento. PECUÁRIA SILVICULTURA. através do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho – DSST Competências do EMPREGADOR RURAL OU EQUIPARADO em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura. GRUAS e ELEVADORES DE CREMALHEIRA Andaimes e Plataformas de Trabalho: tipos e características Ancoragem: obrigatoriedade e pontos de ancoragem Considerações relevantes sobre Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética. Pecuária. Exploração Florestal e Aquicultura Competências e Direitos dos Trabalhadores Rurais . ELEVADORES DE TRANSPORTE DE MATERIAIS. considerações relevantes.SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NA AGRICULTURA. Acidente Fatal e Dados Estatísticos A CIPA nas empresas da Indústria da Construção: obrigatoriedade e composição Comitês Permanentes Sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção: CPN e CPRs – Composição. telhados e coberturas. ELEVADORES DE PASSAGEIROS. Telas de Proteção Movimentação e Transporte de Materiais e Pessoas: peculiaridades e requisitos de segurança de TORRES DE ELEVADORES. Silvicultura. EXPLORAÇÃO FLORESTAL E AQÜICULTURA Competências da Secretaria de Inspeção do Trabalho – SIT. serviços em flutuantes.

considerações relevantes e processo eleitoral de uma CIPATR Treinamento e cuidados com os equipamentos de aplicação dos agrotóxicos. Considerações Relevantes e principais Atribuições Gestão de Saúde no Obrigatoriedade e Prazos Trabalho Rural: Exames médicos – Atestado de Saúde Ocupacional – ASO na NR – 31 Serviço Especializado em Segurança e Saúde no Trabalho Rural – SESTR: composição. equipamentos e implementos AGRÍCOLAS: requisitos e consideraçoes relevantes Secadores e Silos Agrícolas: características e funções Pecuiaridades e requisitos de cada um dos componentes das áreas de vivência em relação às atividades previstas na NR – 31 Moradias familiares e suas peculiaridades em relação às atividades previstas na NR . atribuições e profissionais legalmente habilitados que o compõe Modalidades de SESTR Comissão Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural – CIPATR: objetivo. representatividade. Agentes Biológicos O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais . composição mínima. obrigatoriedade. periodicidade de reavaliação. Riscos Biológicos. reconhecimento dos riscos ambientais O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO e a NR – 32: conteúdo e observações relevantes .BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Comissões Permanentes de Segurança e Saúde no Trabalho Rural: CPNR CPRR – Composição.PPRA e a NR – 32: fases.31 NR – 32 .SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Principais conceitos previstos na NR – 32: Serviçoes de Saúde. adjuvantes e produtos afins Máquinas.

Não se esqueçam de que a leitura das NRs é fundamental. Para quem adquiriu o curso no PONTO. Medidas de Segurança. acidentes Radiações Ionizantes: Plano de Proteção Radiológica – PPR: obrigatoriedade. Gases e Vapores Anestésicos: descrição dos riscos no PPRA Quimioterápicos Antineoplásicos: área exclusiva. 3 e 4 Glossário da NR .2010.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Medidas de Proteção: recomendações gerais. conforme o previsto na NR – 32 Lavanderias. responsabilidades do empregador Prontuário Clínico Individual: tempo de registro e guarda Instalações radioativas e Serviço de Proteção Radiológica Braquiterapia e o Princípio da Otimização Serviços de Radiodiagnósticos Médicos e Radiologia Intra-Oral Resíduos e seu acondicionamento Condições de conforto por ocasião das refeições. 2. Drogas de Risco.32 Prezadas(os) colegas Concurseiras(os). recomendações. chega ao fim esse nosso BIZU de Segurança e Saúde no trabalho para o Concurso de AFT . caracterísitcas. Bons estudos e boa prova para todos ! Tenham fé ! Um abraço do Profº Erick Moura . proibições. Limpeza e Conservação Classificação dos Agentes Biológicos: Classes de Risco 1. Vacinação dos Trabalhadores Medicamentos. responsabilidades dos empregadores. sugerimos uma revisão com especial atenção em nossos quadros e esquemas.

enquanto o serviço não possui essa característica (por exemplo habilitação profissional e serviço social). o estudante. como por exemplo. que poderão ser benefícios ou serviços. O benefício é a prestação previdenciária dotada de conteúdo pecuniário (por exemplo. sendo apenas necessário que a pessoa seja maior de 16 anos e que não seja segurado obrigatório. Dessa forma. Veremos todas as prestações em detalhes no futuro. sendo que o segurado é aquele que efetivamente contribui para a manutenção do regime. pois já estava filiado o tempo todo. Os segurados possuem duas subespécies que são: segurados obrigatórios. A pessoa. o desempregado. uma aposentadoria). Naturalmente. Beneficiários O art. O beneficiário tanto poderá ser o segurado como o seu dependente. a filiação será compulsória. É impossível que uma pessoa seja segurado obrigatório e facultativo ao mesmo tempo. sendo aqueles que não exercem atividade remunerada. Segurados Os segurados possuem uma divisão. Por exemplo. não deverá fazer parte de um regime próprio de previdência social. para ser filiada como segurado facultativo ao regime geral. mas é beneficiado pela contribuição feita pelo segurado. e apenas a atividade lícita gera essa compulsoriedade de filiação (O traficante não é segurado obrigatório da previdência.. por isso..BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 11) LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA – Fábio Zambitte Prezados. a pensão por morte. A filiação como segurado facultativo não poderá ter feitos retroativos. sem contribuição ao RPPS). em detrimento da própria regulamentação prevista nas leis 8212/91 e 8213/91. Para tanto. que não exerça atividade remunerada vinculante ao regime geral. Aconselho que vocês estudem este assunto pelo RPS. com maior brevidade possível. enquanto o dependente não recolhe qualquer contribuição nesta condição. nossa intenção aqui é apresentar. uma vez que este tem filiação compulsória. deverá contribuir para um regime de previdência complementar. as prestações mais importantes são os benefícios. ingressarão no regime geral. caso o segurado obrigatório queira aumentar o seu benefício futuro.). A contribuição do segurado objetiva também manter um sistema protetivo para as pessoas que dele dependem economicamente. os temas mais relevantes para a prova de AFT. que é de suma importância para o sistema de custeio e maior ainda para o benefício. 9º do Regulamento da Previdência Social descreve melhor este ponto. o mesmo deverá provar ao INSS que trabalhava em data anterior à sua inscrição. e neste caso a sua inscrição como segurado obrigatório será retroagida. se a pessoa for servidor não poderá ser tida como segurado facultativo do regime geral. ou seja. . a partir do momento em que passam a exercer atividade remunerada lícita. pois já esta filiada a um regime próprio (salvo se licenciada. já que esta não é vertida em seu benefício exclusivo. que são as pessoas que exercem a atividade remunerada e. a dona-de-casa. Segurados facultativos são as pessoas que ingressam no regime geral por mero ato volitivo. lembrando que existem benefícios que são exclusivos do dependente. Boa sorte! I. O beneficiário sempre será tido como sendo pessoa física que faz jus a prestações previdenciárias. ou seja. Em outras palavras. o que só é possível quanto ao segurado obrigatório.

Observa-se que ambos os benefícios são prestações de risco. Lembre-se que previdência social deve atender o equilíbrio financeiro e atuarial. 9º do RPS. da filiação. Entretanto. e por isso que a carência de ambos é baixa. o auxílio. a partir do momento que deixasse de trabalhar. tempo de contribuição e especial). ou seja. e algumas doenças relacionadas pela legislação. o segurado deverá comprovar o perfazimento de um certo número de contribuições mensais. Dentro desta ótica. se filiava à Previdência. reconhecendo as peculiaridades de determinadas situações. mantém sua vinculação à previdência social. II) Carência A carência está prevista nos Art. Vejam.24 a 27 da Lei 8213/91. A lógica seria esta. A Previdência não abandona o segurado no momento em que deixa de exercer atividade remunerada. benefícios não programados. para CI. com todos os direitos inerentes à esta. automaticamente. Este é pressuposto e requisito para a obtenção e manutenção. criou o chamado período de graça.doença e o salário maternidade (este último. É importante estudar todos os segurados no art. Além dos acidentes. Cuidado: não são todos os benefícios que requerem carência. O fato deflagrador da filiação do segurado à previdência social é. mas não é assim que funciona. o exercício de atividade remunerada. e a dificuldade de retorno ao trabalho para os desempregados. não por vontade . facultativa e segurada especial). O falecido vai deixar pensão para os seus dependentes. Pode ainda essa carência ser dispensada no caso da incapacidade temporária ou permanente ter sido gerada por acidente de qualquer natureza ou causa (incluindo acidente do trabalho). Imagina o segurado que começa a trabalhar hoje e morre no primeiro dia de trabalho. somente de 12 contribuições mensais. o segurado deixa de trabalhar. no qual o segurado.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Feita essa prova pelo segurado surge para a previdência o direito de cobrar os valores devidos pelo segurado obrigatório. somente as quatro aposentadorias (por idade. como seria a “desfiliação”? A partir do momento em que deixasse de exercer atividade remunerada. em regra. invalidez. Ou seja. mesmo não exercendo qualquer atividade remunerada (e mesmo sem contribuir – daí o nome de período de graça). cujo evento determinante é imprevisível. A pessoa começava a trabalhar e. Até por que na maioria das vezes. para recebimento de alguns (e não todos) benefícios. por determinado período de tempo. seria excluída do sistema previdenciário. o legislador. respectivamente. e por isso a exigência de um mínimo contributivo nos principais benefícios. a filiação do segurado se dá como? Em regra. pois pensão por morte não precisa de carência. dispensam carência as doenças relacionadas ao trabalho (já que são equiparadas a acidentes do trabalho). com o início da atividade remunerada (para os segurados obrigatórios). e conceitua-se sendo o número mínimo de contribuições mensais para obtenção de beneficio. III) Manutenção da Qualidade de Segurado O período de manutenção da qualidade de segurado também é conhecido como “período de graça”.

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria Especial.até três meses após o licenciamento. Para os outros benefícios. ainda assim. não está exercendo atividade remunerada. pois está em gozo de benefício. é limitado no tempo e não conta para coisa alguma. recebendo benefício previdenciário. pois não teve contribuição mensal. Enquanto ele mantém benefício. o indivíduo faz jus ainda à proteção previdenciária. perde o emprego. Sofre acidente e fica afastado. fica doente. Então há hipóteses em que o segurado não exerce atividade remunerada. o segurado incorporado às Forças Armadas para prestar serviço militar.sem limite de prazo. Mas ainda assim mantém a qualidade de segurado sem atividade remunerada. mas sim porque é forçado pelas circunstâncias.até doze meses após o livramento. o segurado detido ou recluso. porque esse prazo pode até contar como tempo de contribuição. Então este primeiro é um período de graça atípico. E se o benefício durar 10 anos? Não interessa. Não existe mais perda da qualidade de segurado para estes. Assim. como veremos).até doze meses após cessar a segregação. ele mantém a qualidade de segurado. mas. quem está em gozo de benefício. Se não está trabalhando. que não tem prazo máximo de duração. ou seja. é demitido. salvo direitos adquiridos. em regra. perde todos os direitos inerentes a esta condição. além de ser ilimitado. Ocorre quando o segurado está em gozo de benefício. ele mantém a qualidade de segurado. Ex. Aí ele tem alta e volta a trabalhar.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO própria. mantém a qualidade de segurado. etc. isto mudou em parte com o advento da Lei 10. IV) Aposentadoria por Invalidez . ou seja. não tem mais vínculo com a Previdência e não terá mais direito a benefício de espécie alguma. E uma vez perdida a qualidade de segurado. na qual tem-se um período de graça. São os seguintes prazos: I . e VI . E manter a qualidade de segurado significa manter todos os direitos inerentes a esta condição. e até pode contar como tempo de contribuição. o segurado facultativo. quando é intercalado entre períodos de atividade. Enquanto está recebendo benefício por incapacidade. mas não conta como carência. Ultrapassado tal período de graça. II . O período de afastamento contará até como tempo de contribuição. naturalmente (há exceções. o segurado que deixar de exercer atividade remunerada abrangida pela previdência social ou estiver suspenso ou licenciado sem remuneração (2). V . IV . III . vai contar como tempo de contribuição somente se for decorrente de acidente do trabalho (o que conta e o que não conta como tempo de contribuição está no art. a perda continua valendo. 60 do RPS). obviamente não está trabalhando. Todavia.666/03 para: Aposentadoria por idade.até seis meses após a cessação das contribuições.: Segurado trabalhando. o segurado perde esta qualidade. o segurado acometido de doença de segregação compulsória. A exceção ao que acabei de dizer é justamente a primeira hipótese.até doze meses após a cessação de benefício por incapacidade (1) ou após a cessação das contribuições. Se não retornar ao trabalho (ficou afastado de vez). aí sim. Esta lei acabou com a perda da qualidade de segurado para esses 3 benefícios citados acima. o período de graça.

emitido pela empresa ou seu preposto. 20 ou 25 anos (homem ou mulher). art. 42 a 47. Beneficiários – todos os segurados Carência – 12 CM (ou nenhuma) Renda Mensal do Benefício – 100% SB Início do pagamento: I . a contar da data do início da incapacidade ou da data da entrada do requerimento. Durante os primeiros quinze dias de afastamento consecutivos da atividade por motivo de invalidez. contribuinte individual. 43 a 50. e II . Porém. art. especial ou facultativo. Evento determinante – incapacidade permanente para o trabalho e insuscetível de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta a subsistência. ao cooperado filiado à cooperativa de trabalho e de produção que trabalha sujeito a condições especiais que prejudiquem a sua saúde ou a sua integridade física. deve conter registros ambientais. avulso e cooperado (CI). art. todos os segurados. se entre o afastamento e a entrada do requerimento decorrerem mais de trinta dias. resultados de monitoração biológica e dados administrativos. É vedado o retorno ao trabalho com agentes nocivos do segurado percipiente da aposentadoria especial. a partir da data do retorno.213/91.213/91. durante 15. . RPS. O aposentado por invalidez que retornar voluntariamente à atividade terá sua aposentadoria automaticamente cessada. Evento determinante – exposição contínua e habitual a agentes nocivos físicos. art. É possível a conversão de tempo de atividade sob condições especiais em tempo de atividade comum (ver nota ao art. V) Aposentadoria Especial V. também. As disposições legais sobre aposentadoria especial do segurado filiado ao Regime Geral de Previdência Social aplicam-se.ao segurado empregado a contar do décimo sexto dia do afastamento da atividade ou a partir da data da entrada do requerimento. Carência – 180 CM. Beneficiários – em tese. 64 a 70. A comprovação da efetiva exposição do segurado aos agentes nocivos será feita mediante o perfil profissiográfico previdenciário. V. RPS. Lei n° 8. trabalhador avulso. entre outras informações. se entre essas datas decorrerem mais de trinta dias. com base em laudo técnico de condições ambientais do trabalho expedido por médico do trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho. Considera-se perfil profissiográfico previdenciário o documento histórico-laboral do trabalhador. 57 e 58. Lei n° 8. Início do pagamento – idem aposentadoria por idade. químicos ou biológicos. 70 do RPS).ao segurado empregado doméstico.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO V. que. Uma cópia do último deve ser entregue ao empregado em caso de rescisão de contrato. só INSS só admite o empregado. V. caberá à empresa pagar ao segurado empregado o salário (exceto o doméstico). A empresa deve manter laudo técnico e perfil profissiográfico previdenciário atualizado. Renda Mensal do Benefício – 100% SB.

V. art. art. se for o caso). A causalidade entre doença x trabalho é . 104. além do reconhecimento de causalidade entre o trabalho e a doença. incumbe à empresa pagar ao segurado empregado o seu salário. comprovadamente. afastar-se do trabalho durante quinze dias. O segurado empregado em gozo de auxílio-doença é considerado pela empresa como licenciado (+ pagamento da diferença. Início do pagamento – idem aposentadoria por invalidez. Beneficiários –todos os segurados. somente proporcionará a concessão do auxílio-acidente. Evento determinante – acidente + seqüela definitiva. Lei n° 8. Renda Mensal do Benefício – 91% SB. como indenização. Beneficiários – empregado (exceto o doméstico). em qualquer grau. prorrogando-se o benefício anterior e descontando-se os dias trabalhados.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO VI) Auxílio-Doença V. V. Não será devido auxílio-doença ao segurado que se filiar ao RGPS já portador de doença ou lesão invocada como causa para a concessão do benefício. e se dela voltar a se afastar dentro de sessenta dias desse retorno. por motivo de doença. segurado especial. 71 a 80. resultar. até a aposentadoria). 86. art. como se fosse remuneração. salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão. retornando à atividade no décimo sexto dia. Carência – não há. avulso.213/91. RPS. 59 a 63. Início do pagamento – a partir do dia seguinte ao da cessação do auxíliodoença. fará jus ao auxílio doença a partir da data do novo afastamento. Renda Mensal do Benefício – 50% SB (pode ser inferior a 1 SM). art. RPS. Evento determinante – incapacidade temporária para o seu trabalho ou para a sua atividade habitual por mais de quinze dias consecutivos. Durante os primeiros quinze dias consecutivos de afastamento da atividade por motivo de doença. na redução ou perda da capacidade para o trabalho que habitualmente exercia. não prejudicará a continuidade do recebimento do auxílio-acidente. Lei n° 8. a empresa fica desobrigada do pagamento relativo aos quinze primeiros dias de afastamento. VII) Auxílio-Acidente V. o valor do auxílio-acidente entrará no cálculo do SB. se for o caso. Se concedido novo benefício decorrente da mesma doença dentro de sessenta dias contados da cessação do benefício anterior. com redução da capacidade de trabalho (é pago quando do retorno ao trabalho. Se o segurado empregado. Carência – 12 CM. Na aposentadoria. quando.213/91. exceto de aposentadoria. O recebimento de salário ou concessão de outro benefício. A perda da audição.

Evento determinante – filho ou equiparado (tutelado ou enteado) menor de 14 anos ou inválido e segurado com remuneração inferior ou igual à R$ 798. Estes 120 dias poderão ser antecipados e/ou prorrogados em mais duas semanas. pela recuperação da capacidade do filho ou equiparado inválido. a partir dos sete anos de idade. art. ou R$ 19.24 para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 531.12 e igual ou inferior a R$ 798.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO necessária.213/91. Carência – não há. ou 60 anos ou mais. facultativa (ambas 10 contribuições mensais).12. V. avulsa e doméstica não há carência. e segurado especial (10 meses de atividade rural). RPS. Beneficiários – empregado (exceto o doméstico). Se acabar o período do salário maternidade e ela ainda estiver incapacitada. Há carência no salário maternidade para três seguradas: contribuinte individual. . suspende-se o auxílio-doença e inicia-se o pagamento deste último. Se a mulher conseguir levar a gestação até o dia do parto. Tal prorrogação ou antecipação terá que ser através de atestado médico específico. e de comprovação semestral de freqüência à escola do filho ou equiparado. Renda Mensal do Benefício – R$ 27. dependendo do risco ou recuperação da mulher. O direito ao salário-família cessa automaticamente: por morte do filho ou equiparado. se do sexo masculino. estando condicionado à apresentação anual de atestado de vacinação obrigatória. salvo se inválido. voltase a pagar o auxílio-doença. avulso. adoção ou guarda judicial para fins de adoção (as adotantes passaram a ter este direito somente em 2002). Nem mesmo o homem adotante tem direito. 65 a 70.19 para o segurado com remuneração mensal superior a R$ 531. Todas as seguradas têm direito ao salário maternidade. a contar do mês seguinte ao do óbito. terá direito aos mesmos 120 dias. art. 81 a 92. Mas imaginem que a gestante está no 1º mês e adquiriu uma incapacidade. nascimento. Para empregada. se do feminino. Lei n° 8. A lei diz que o benefício salário maternidade se inicia 28 dias antes do parto e se estende por mais 91 dias. Quando chegar a época do recebimento do salário maternidade. Quando o pai e a mãe são segurados empregados ou trabalhadores avulsos. totalizando 120 dias para a gestante.30 (por filho). ambos têm direito ao salário-família. quando o filho ou equiparado completar quatorze anos de idade.30. a contar do mês seguinte ao da data do aniversário. aborto não criminoso. pois somente assim seria um “acidente” (doenças relacionadas ao trabalho são equiparadas a acidentes) VIII) Salário-Família V. a contar do mês seguinte ao da cessação da incapacidade ou pelo desemprego do segurado. até seis anos de idade. Só as mulheres podem receber o salário maternidade. IX) Salário maternidade As hipóteses de recebimento do salário maternidade são: gestação. O que acontece? Receberá o auxílio-doença. o aposentado por invalidez ou por idade e os demais aposentados com 65 anos ou mais de idade. Início do pagamento – a partir da data da apresentação da certidão de nascimento do filho ou da documentação relativa ao equiparado.

A desempregada tem direito ao salário maternidade. Salvo se ocorrido após o sexto mês de gestação. a adotante também terá direito ao auxílio. o prazo de licença é de duas semanas.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Se a mulher possui dois empregos. pois já fechou a carência. ser estendida em mais 60 dias. Se a mulher recebe R$ 5.00. Já o valor do salário maternidade da empregada doméstica é igual ao seu salário contribuição. a mulher poderá requerer o benefício. assim proceda. Para o contribuinte individual e o facultativo será 1/12 do somatório dos 12 últimos salários de contribuição em período não superior a 15 meses.120 dias. mais dividido por 12. Atualmente. . por mera liberalidade.60 dias. Se a mulher pagou 10 salários de contribuição. terá direito a um salário maternidade que compreenderá os dois. Para a empregada adotante quem para é a previdência/INSS. o salário maternidade será de R$ 3416. receberá este valor a título de saláriomaternidade. Na adoção ou guarda judicial vai variar de acordo com a idade da criança: 0 a 1 ano . No caso de aborto não criminoso. A exceção é para empregada na hipótese de gestação. a lei prevê a possibilidade da licença maternidade.54. Dentro do prazo prescricional de cinco anos. Para segurado especial o valor padrão é de um salário mínimo. Se adotar mais de uma criança de uma só vez. 1 a 4 anos . utiliza-se o prazo referente à criança de menor idade. Regra geral. arcará com esse ônus. o valor do benefício será calculado como CI (1/12 do somatório dos 12 últimos salários-de-contribuição). podendo ultrapassar o teto de R$ 3416. desde que esteja em período de graça. A renda para a empregada e a avulsa é a remuneração mensal. Nesta situação. ainda assim terá direito. que será integral (120 dias). Se a doméstica ganha R$5. mas isso nada influi no saláriomaternidade. Se a mãe biológica já recebeu.30 dias.000. para a empregada. 4 a 8 anos . o documento apresentado será a certidão de nascimento. Caso o empregador. Se a mulher for requerer o salário maternidade após o nascimento da criança.000.00. quem paga o salário maternidade é o INSS. mas o benefício será calculado sobre a soma dos 10 salários-de-contribuição. O salário maternidade não pode ser menor que um salário mínimo. totalizando 180 dias.54. pois quem paga é a empresa e abate na guia de recolhimento (reembolso). de nascimento e de aborto não criminoso. podendo deduzi-lo do imposto de renda devido – nada se altera na legislação previdenciária.

sua consumação independe do efetivo recebimento da vantagem indevida. Tipo privilegiado: se o funcionário pratica.661/PR. Aqui vamos destacar os pontos principais relativos aos itens 11 a 18 da parte que constou como sendo Direito Administrativo. você tem que procurar esse verbo para bem definir o crime praticado. II – peculatodesvio (art. caput. Em geral. sendo este o exaurimento do crime. com infração de dever funcional (corrupção passiva própria privilegiada). DJ 03/08/2009. Marcos comete crime contra a Administração da Justiça. Marcos comete crime contra a Administração Pública. V – peculato mediante erro de outrem ou peculato-estelionato (art. a prática de contrabando ou descaminho. (ESAF/AFRFB/2009) À luz da aplicação da lei penal. o edital para o AFT também está muito abrangente. III. II – corrupção passiva: funcionário público que solicita. para os efeitos penais. 2. 312.DOS CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1. O campeões são os crimes praticados por servidores públicos contra a Administração Pública. 1ª parte). 2ª parte). previsto no § 1º do art. consumando-se no momento em que se consuma o crime do outro. ou desviá-lo. vantagem indevida. de que tem a posse em razão do cargo. ou.. julgue as afirmações abaixo relativas ao fato de Marcos. crime do funcionário público: facilitar. pegar computador da sua sala de trabalho e levar para casa junto com a impressora e resmas de papel em uma sacola grande com o fim de usá-los em casa para fins recreativos: I.545/SC. sempre indicando um verbo núcleo da ação.2006. ou aceitar promessa de tal vantagem. Cabível a aplicação do princípio da insignificância ao descaminho. 312. para si ou para outrem. que a lei não autoriza. Distinção: I – corrupção ativa: particular que oferece ou promete vantagem indevida. IV – peculato-culposo (art. pois levou computador de que tinha posse em razão do cargo. mas em razão dela. II. Não admite tentativa. e) II e IV estão corretas.478/PA. Gab. caput. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. cedendo a pedido ou influência de outrem. se posterior. b) CONCUSSÃO: Exigir. Marcos comete o crime de peculato-furto. emprego ou função pública. ao chegar na sua nova repartição. CÓDIGO PENAL . e quem trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública. d) CORRUPÇÃO PASSIVA: Solicitar ou receber. Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo. quando devido.000. d) Somente I está correta. com infração de dever funcional. c) EXCESSO DE EXAÇÃO: Exigir tributo ou contribuição social que sabe ou deveria saber indevido. Vamos ao principais: a) PECULATO: Apropriar-se o funcionário público de dinheiro. § 1º). 313). vantagem indevida. Marcos não cometeria o crime de peculato. III – peculato-furto (art. modificar. solicitar. Na parte de Ética. a) Todas estão incorretas. desviar. Os mais cobrados são apropriar. embora transitoriamente ou sem remuneração.: D – Comete peculato-apropriação. pois se valeu da facilidade que proporciona a qualidade de funcionário. Cabível a aplicação do princípio da insignificância ao peculato (STF. deixa de praticar ou retarda ato de ofício. inserir. para si ou para outrem. 312. a prática de contrabando ou descaminho. quem. e) FACILITAÇÃO DE CONTRABANDO OU DESCAMINHO: Facilitar. valor ou qualquer outro bem móvel. Sendo crime formal. IV. Crime do particular: contrabando ou descaminho. mas em razão dela. aí sim poder-se-ia dizer que teria se valido da facilidade que proporciona a qualidade de funcionário. pela saída ou pelo consumo de mercadoria. pois o peculato caracteriza-se pelo proveito próprio dado ao bem. Por fim. facilitar. HC 87. a pena imposta fica reduzida à metade. RHC 96. 29. e HC 96. descrito no enunciado do problema. Informativo 552). que se aproveita da falha do funcionário. receber. Se reparado o dano antes da sentença irrecorrível. A pena será . c) I e IV estão corretas. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. Informativos 418 e 438). no todo ou em parte. descaminho é iludir. Espécies: I – peculato-apropriação (art. desde que o valor do tributo sonegado não ultrapasse R$ 10. funcionário público concursado. Considera-se funcionário público.. é extinta a punibilidade. é peculato quando a apropriação dá-se em proveito próprio ou alheio. Pode haver tentativa.8. com infração de dever funcional.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 12) ÉTICA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA – Leandro Cadenas Olá amigo concurseiro. público ou particular. 312.00 (STF. § 2º): o peculato é o único crime deste Capítulo que admite a modalidade culposa. emprego ou função em entidade paraestatal. Se levasse computador de outra sala na repartição. é dizer. se o entregasse para pessoa da sua família utilizar. em proveito próprio ou alheio. exigir. importar/exportar/consumir produto lícito sem pagar os valores devidos. 312 do Código Penal Brasileiro. Contrabando é importar ou exportar mercadoria proibida. direta ou indiretamente. direta ou indiretamente. o pagamento de direito ou imposto devido pela entrada. emprega na cobrança meio vexatório ou gravoso. Assim. Na hipótese. as questões citam uma situação qualquer e perguntam qual o crime praticado. DJ 26/06/2009. recebe ou aceita promessa vantagem indevida. b) I e III estão corretas. exerce cargo.

III. III. b) crime de advocacia administrativa. X – ser assíduo e pontual ao serviço. em detrimento da dignidade da função pública. REGIME DISCIPLINAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DA UNIÃO: LEI Nº 8. sem prévia anuência da autoridade competente. I. 3º. Veja essa questão da ESAF que representa bem o que estou enfatizando: (AFT/ESAF/2006) O funcionário público que. I. direta ou indiretamente. O servidor é proibido de (com a conseqüente punição pelo descumprimento): I – casos de advertência: I. solicitar ou receber. III – observar as normas legais e regulamentares. parte dos crimes são parecidos com os antes vistos. II – exigir. São deveres do servidor: I – exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo. III . Patrocinar. como procurador ou intermediário. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. além dos previstos no Decreto-Lei n° 2.I – ausentar-se do serviço durante o expediente. II – ser leal às instituições a que servir. LEI Nº 8.III – recusar-se à obrigatória inspeção médica determinada pela autoridade competente. comissão.I – valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. IV – cumprir as ordens superiores.III – recusar fé a documentos públicos. Nessa Lei. personificada ou não personificada.VII – proceder de forma desidiosa.IX – recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado. valendo-se da qualidade de funcionário. de 7 de dezembro de 1940 . se na questão for expresso que se trata de crime tributário. III. VI – levar ao conhecimento da autoridade superior as irregularidades de que tiver ciência em razão do cargo. direta ou indiretamente. ou inutilizá-lo. exceto quando manifestamente ilegais.. XII – representar contra ilegalidade. ressalvadas as protegidas por sigilo. exercer o comércio.II – exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. III. III. ainda que fora da função ou antes de iniciar seu exercício. aplica-se esta lei e não o código penal. d) crime de peculato. IX – manter conduta compatível com a moralidade administrativa. art.VIII – utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. sonegá-lo. com a peculiaridade de serem específicos contra a administração fazendária. omissão ou abuso de poder. companheiro ou parente até o segundo grau civil. I. não se aplica o CP. II. III. b) à expedição de certidões requeridas para defesa de direito ou esclarecimento de situações de interesse pessoal. direta ou indiretamente.VIII – manter sob sua chefia imediata. III – patrocinar.VI – cometer a pessoa estranha à repartição. ou aceitar promessa de tal vantagem. c) às requisições para a defesa da Fazenda Pública.848. interesse privado perante a administração pública. para si ou para outrem. 3. sociedade de economia mista. sem prévia autorização do chefe imediato.II – participar de gerência ou administração de sociedade privada. Assim. 5. interesse privado perante a administração fazendária. V – atender com presteza: a) ao público em geral. comete: a) crime funcional contra a ordem tributária. I. II – casos de suspensão: II.VI – praticar usura sob qualquer de suas formas.I – cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa.III – atuar.. II. VIII – guardar sigilo sobre assunto da repartição. empresa pública ou fundação instituída pelo poder público.137/1990 – DOS CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA PRATICADOS POR FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS.V – aceitar comissão. fora dos casos previstos em lei. Gab.Constitui crime funcional contra a ordem tributária. e de cônjuge ou companheiro. . valendo-se da qualidade de funcionário público.Código Penal (Título XI. ou a partido político. A – Pratica o crime descrito na Lei n. 8137/90. Veja os crimes: I – extraviar livro oficial. I. exceto em situações de emergência e transitórias. I.V – promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. 321 . qualquer documento ou objeto da repartição. de que tenha a guarda em razão da função. valendo-se dessa qualidade. c) crime de prevaricação. Pelo princípio da especialidade. exceto na qualidade de acionista. ou cobrá-los parcialmente (note que esse tipo engloba tanto a concussão quanto a corrupção passiva). 4. XI – tratar com urbanidade as pessoas. emprego ou pensão de estado estrangeiro.IV – opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço. presente ou vantagem de qualquer espécie. processo fiscal ou qualquer documento. o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado. interesse privado perante a administração fazendária. em cargo ou função de confiança. art. prestando as informações requeridas. 6.II – retirar. mas em razão dela.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO aumentada da terça parte quando os autores dos crimes previstos neste Capítulo forem ocupantes de cargos em comissão ou de função de direção ou assessoramento de órgão da administração direta. total ou parcialmente. A ESAF adora essas duas listas: guarde-as bem. cônjuge.Advocacia administrativa. VII – zelar pela economia do material e a conservação do patrimônio público.IV – receber propina. para deixar de lançar ou cobrar tributo ou contribuição social. Capítulo I): III .patrocinar. patrocina interesse privado perante a administração fazendária. III – casos de demissão: III.VII – coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical. valendo-se da qualidade de funcionário público. e) crime de inserção de dados falsos em sistema de informações. cotista ou comanditário (redação dada pela MP nº 431/2008).112/90. acarretando pagamento indevido ou inexato de tributo ou contribuição social. em razão de suas atribuições. direta ou indiretamente. I. III. I. vantagem indevida. junto a repartições públicas.

§ 4º. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. XX – utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. d) Ressarcimento ao erário. em serviço. Mesmo aquele que não é agente público pode ser alcançado. VIII – aplicação irregular de dinheiros públicos. III – atentam contra os princípios da Administração Pública. XVII – aceitar comissão. XI – corrupção. sociedade civil. cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. exceto na qualidade de acionista. VI – destituição de função comissionada. nomeação. X – lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional. 10. 13. aquela que não se coaduna com as consequências pela prática dos atos de improbidade administrativa. Decore esse quadro. É agente público. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. em detrimento da dignidade da função pública. d) pagamento de multa civil. 37. LEI Nº 8. DE 02/6/1992 – LEI DA IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Quanto às infrações puníveis com demissão. desde que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. a ação disciplinar prescreverá em 5 (cinco) anos da data em que o fato se tornou conhecido. salvo em legítima defesa própria ou de outrem. como substituta da suspensão. IX – revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. Penalidades disciplinares: I – advertência. VII – ofensa física. por eleição. penais e administrativas são independentes. II – abandono de cargo. junto a repartições públicas. (ESAF/MPOG/EPPGG/2009) A Constituição da República previu consequências graves para os administradores que praticam atos de improbidade administrativa. todo aquele que exerce. 429. 17. emprego ou pensão de estado estrangeiro. presente ou vantagem de qualquer espécie. IV – improbidade administrativa. V – dilapidação do patrimônio nacional. II – atuar. b) Indisponibilidade dos bens. XIII – valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. a servidor ou a particular. A responsabilidade civil decorre tanto de ato omissivo quanto de comissivo. VI – corrupção. 8. Assinale. junto a repartições públicas. VI – insubordinação grave em serviço. Essa é uma das regras mais cobradas em concursos. V – destituição de cargo em comissão. após sentença condenatória transitada em julgado. 16. Gab. Será aplicada a demissão nos seguintes casos: I – crime contra a Administração Pública. Depois disso. XIX – proceder de forma desidiosa. na forma e gradação previstas em lei. mandato. III – aplicação irregular de dinheiros públicos. relaxe e comece a ler as . Gab. se houver. pelas sanções da lei de improbidade administrativa.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 7. por infringência das seguintes proibições: I – valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. II – improbidade administrativa. salvo a participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha. V – incontinência pública e conduta escandalosa na repartição. IV – cassação de aposentadoria ou disponibilidade.A suspensão dos direitos políticos. XVIII – praticar usura sob qualquer de suas formas. II – causam prejuízo ao erário. exceto: a) a perda da função pública. pelo prazo de 5 (cinco) anos. a) Suspensão dos direitos políticos. C . escreva-o em algum lugar disponível da prova. participação do capital social. Classificação dos atos de improbidade administrativa: são atos que: I – importam enriquecimento ilícito. Faça o mesmo com todas as fórmulas que você precisa e tudo aquilo que você teve que decorar pra prova. Afasta-se a responsabilidade administrativa do servidor no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. emprego ou função nas entidades mencionadas. 11. Antes de começar a fazer a prova. no que couber. As sanções civis. podendo cumular-se. Outra coisa importante de guardar é a lista das sanções. sem prejuízo da ação penal cabível. após sentença condenatória transitada em julgado. Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos. empregos ou funções públicas. e) Perda da função pública. designação. como procurador ou intermediário. cargo. XII – acumulação ilegal de cargos. a perda da função pública. direta ou indiretamente.CF/88. Não poderá retornar ao serviço público federal o servidor que for demitido ou destituído do cargo em comissão por cometer: I – crime contra a Administração Pública. e) proibição de contratar com o Poder Público. cotista ou comanditário. XIV – participar de gerência ou administração de empresa privada. c) ressarcimento integral do dano. o exservidor demitido ou destituído de cargo em comissão. Não poderá ter nova investidura em cargo público federal. III – demissão. entre as opções abaixo. b) a perda dos direitos políticos. em razão de suas atribuições. art. 12. III – inassiduidade habitual. comissão. 14. II – suspensão. para os efeitos desta lei. especialmente trocando por “perda dos direitos políticos e suspensão da função pública”: (AFRE-CE/ESAF/2007) São conseqüências da prática de ato de improbidade pelo agente público infrator. e de cônjuge ou companheiro. IV – lesão aos cofres públicos. XVI – receber propina. 15. B . sendo-lhe vedado exercer o comércio. como procurador ou intermediário. c) A perda da nacionalidade. VII – multa. e de cônjuge ou companheiro. 9. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. em detrimento da dignidade da função pública. XV – atuar. seja ele doloso ou culposo.

dirimir dúvidas a respeito da interpretação e apurar. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego.proteção à identidade do denunciante. 23. A EFICÁCIA E A CONSCIÊNCIA DOS PRINCÍPIOS MORAIS são primados maiores que devem nortear o servidor público. f) DIREITO À VERDADE: o servidor não pode omiti-la ou falseá-la. Comissões de ética: criada (em 60 dias) em todos os órgãos e entidades da Administração Pública Federal. como conseqüência. em fator de legalidade. II – da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas. g) A cortesia. O equilíbrio entre a legalidade e a finalidade poderá consolidar a moralidade do ato administrativo. d) REMUNERAÇÃO do servidor público: custeada pelos tributos pagos direta ou indiretamente por todos. Princípios: i . 20. conduta em desacordo com as normas éticas pertinentes. ii . Enriquecimento Prejuízo ao erário Violação dos ilícito princípios ressarcimento integral do dano SIM SIM SIM perda dos bens ou valores acrescidos SIM SIM NÃO ilicitamente ao patrimônio perda da função pública SIM SIM SIM suspensão dos direitos políticos 8 a 10 anos 5 a 8 anos 3 a 5 anos pagamento de multa civil Até 3 x Até 2 x Até 100 x enriquecimento prejuízo remuneração proibição de contratar com o Poder 10 anos 5 anos 3 anos Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios 18. como elemento indissociável de sua aplicação e de sua finalidade. A aplicação das sanções independe: I – da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. competindo-lhe conhecer concretamente de imputação ou de procedimento susceptível de censura. o cuidado e o tempo dedicados ao serviço público caracterizam o esforço pela DISCIPLINA. apenas. o oportuno e o inoportuno.aplicar o código de ética devendo. que já estarão anotadas na prova e poderão ser consultadas quando necessário. entre outras competencias. h) Filas. erigindo-se. bem como a Resolução e a Portaria que constam do edital. Prescrição das sanções: I – em cinco anos após o término do exercício de mandato.029/2007) 24.proteção à honra e à imagem da pessoa investigada. Praticamente todas as questões que cobram este Decreto e o seguinte. que deverá ser mantida sob reserva. Dê muita atenção aos deveres e àquilo que é vedado ao servidor público. a boa vontade. 22. O DECORO. SISTEMA DE GESTÃO DA ÉTICA DO PODER EXECUTIVO FEDERAL (DECRETO Nº 6. Deve também considerar entre o honesto e o desonesto. Apontarei algumas com maior probabilidade de serem cobradas. 25. devendo ser acrescida da idéia de que o fim é sempre o bem comum. no tratamento com as pessoas e com o patrimônio público. II – dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. Regras deontológicas (regem o comportamento dentro de uma determinada profissão): a) A DIGNIDADE. o conveniente e o inconveniente. e) Como regra. até por ele próprio. ainda que contrária aos interesses da própria pessoa interessada ou da Administração Pública. Penalidade aplicável pela comissão de ética: censura. Assim. a PUBLICIDADE de qualquer ato administrativo constitui requisito de eficácia e moralidade. de cargo em comissão ou de função de confiança. e por isso se exige. 21. o justo e o injusto. É encarregada de orientar e aconselhar sobre a ética profissional do servidor. b) ELEMENTO ÉTICO: não basta decidir entre o legal e o ilegal. reler e guardar suas regras.atuar como instância consultiva de dirigentes e servidores no âmbito de seu respectivo órgão ou entidade. como contrapartida. ou fora dele. se este assim o desejar. não tem outra opção: tem que ler. O ZELO.independência e . seja no exercício do cargo ou função. mediante denúncia ou de ofício.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO questões. ou qualquer outra espécie de ATRASO NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO: caracteriza atitude contra a ética ou ato de desumanidade e grave dano moral aos usuários dos serviços públicos. CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO CIVIL DO PODER EXECUTIVO FEDERAL – DECRETO Nº 1. Compete às comissões de ética: i . 19. ii .171/1994. e iii . c) MORALIDADE da Administração Pública: não se limita à distinção entre o bem e o mal. reproduzem a literalidade das normas. sem se preocupar com essas informações. que a moralidade administrativa se integre no Direito.

27. VIII – contraditório. à produção de provas e à interposição de recursos. de ofício ou em razão de denúncia fundamentada. por escrito. III – esteja litigando judicial ou administrativamente com o interessado ou respectivo cônjuge ou companheiro. do processo administrativo. X – interesse público e XI – eficiência. V. XIII – interpretação da norma administrativa da forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que se dirige.784/99. e) garantem-se aos administrados. XIII. primeiramente.784. Gab. II – tenha participado ou venha a participar como perito. inclusive retroativamente. VI – moralidade. de 29 de janeiro de 1999. Critérios a serem adotados: I – atuação conforme a lei e o Direito.784/99) 29. ressalvadas as hipóteses de divulgação oficial previstas na Constituição. em regra. decoro e boa-fé. III – objetividade no atendimento do interesse público. 9. Impedimento e suspeição precisam ser bem entendidos: a) É impedido de atuar em processo administrativo o servidor ou autoridade que: I – tenha interesse direto ou indireto na matéria. nos processos de que possam resultar sanções e nas situações de litígio. com as garantias asseguradas neste decreto. XI – proibição de cobrança de despesas processuais. 26.784/99 são quase sempre literais. conforme disposto na Lei n. suficientes para propiciar adequado grau de certeza. b) os atos praticados no processo administrativo são. IV – razoabilidade. de ofício. associação ou entidade de classe poderá provocar a atuação da cep ou de comissão de ética. Assim. b) Pode ser argüida a suspeição de autoridade ou servidor que tenha amizade íntima ou inimizade notória com algum dos interessados ou com os respectivos cônjuges. XII – impulsão. E – Lei nº 9. importante uma boa leitura dela. lembrando que as regras também se aplicam no caso de trabalho voluntário em organizações do terceiro setor sem finalidade de lucro. II – atendimento a fins de interesse geral. VII – indicação dos pressupostos de fato e de direito que determinarem a decisão. sobrinho. órgão ou setor específico de ente estatal. X – garantia dos direitos à comunicação. testemunha ou representante. 31. O processo de apuração será instaurado. XII. V – divulgação oficial dos atos administrativos. ou se tais situações ocorrem quanto ao cônjuge. independente de previsão expressa na lei. no prazo de dez dias. sem efeito suspensivo. os direitos à comunicação. sem prejuízo da atuação dos interessados. (ESAF/ATA-MF/2009) Quanto aos critérios a serem observados no trâmite do processo administrativo da administração pública federal. d) nova interpretação dada à norma administrativa deve ser aplicada a todos os casos sujeitos àquela regulamentação. tio). companheiro ou parente e afins até o terceiro grau (de bisavô a bisneto. restrições e sanções em medida superior àquelas estritamente necessárias ao atendimento do interesse público. visando à apuração de infração ética imputada a agente público. IX – adoção de formas simples. BOA PROVA!!! ESTAMOS TORCENDO POR VOCÊ!!! SUCESSO!!! LEANDRO CADENAS PRADO . salvo autorização em lei. III – motivação. CONFLITO DE INTERESSES NO SERVIÇO PÚBLICO (RESOLUÇÃO Nº 08/2003) 28. V – proporcionalidade. à apresentação de alegações finais. Relembre os princípios que a Administração Pública deverá obedecer: I – legalidade. aos interessados. c) a impulsão do processo administrativo compete. cabe aos administrados o pagamento das despesas processuais. à produção de provas e à interposição de recursos. vedada a renúncia total ou parcial de poderes ou competências. XI. parentes e afins até o terceiro grau. 30. Qualquer cidadão. IV – atuação segundo padrões éticos de probidade. memorizando suas regras. Leia e guarde as atividades que suscitam conflito de interesses. à apresentação de alegações finais. ressalvadas as hipóteses de sigilo previstas na Constituição. parágrafo único. VII – ampla defesa. 32. X. nos processos de que possam resultar sanções e nas situações de litígio. VI – adequação entre meios e fins. garantidos o contraditório e a ampla defesa. PROCESSO ADMINISTRATIVO FEDERAL (LEI Nº 9.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO imparcialidade dos seus membros na apuração dos fatos. II – finalidade. Do indeferimento da suspeição cabe recurso. vedada a imposição de obrigações. sigilosos. vedada a promoção pessoal de agentes ou autoridades. art. pode-se afirmar corretamente: a) em regra. irmão. agente público. vedada aplicação retroativa de nova interpretação. pessoa jurídica de direito privado. segurança e respeito aos direitos dos administrados. companheiros. As questões relativas à Lei nº 9. o investigado será notificado para manifestar-se. 2o. ressalvadas as previstas em lei. IX – segurança jurídica. VIII – observância das formalidades essenciais à garantia dos direitos dos administrados.

com base em concursos anteriores da ESAF. ou seja. O julgado a seguir já foi cobrado algumas vezes. como complemento à lei. f) Contraditório: assegura que a parte tem o direito de se manifestar sobre todas as provas produzidas e sobre as alegações feitas pela parte adversa. econômica. e) Razoabilidade e da proporcionalidade: qualquer ação tomada dentro da esfera pública deve ser pautada nesses princípios. b) A discricionariedade atribuída à autoridade administrativa.976/DF. reforma e pensão. O segredo está em sempre colocá-los numa balança. que deve ser rápida. Súmula Vinculante 5: A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição. (AFRE-CE/ESAF/2007) Sobre os princípios constitucionais da Administração Pública. de Mello. sob o risco de se ferir o interesse público. e o STJ acaba de editar uma súmula sobre isso: “A exigência de depósito ou arrolamento prévio de bens e direitos como condição de admissibilidade de recurso administrativo constitui obstáculo sério (e intransponível. Informativo 461). b) STF. art. Na outra. qualquer ato da Administração Pública deve zelar pelo interesse público nunca pelo interesse pessoal do agente público. Entre os princípios mais cobrados pela ESAF temos: a) Princípios basilares do Direito Administrativo: supremacia do interesse público sobre o particular e indisponibilidade do interesse público. consubstanciada pela liberdade de atuação. inclusive manter-se calado (art. além de caracterizar ofensa ao princípio do contraditório (CF. Todavia. aplicando-se mais ou menos cada um deles a depender do caso concreto. CF/88) e não produzir provas contra si. esse princípio também se relaciona diretamente com o princípio da isonomia. Vamos a eles. evitando-se anular completamente um em face de outro. poder interferir no julgamento da questão. não têm uma aplicação fixa e constante – devem ter incidência na maior medida possível. voltada para o alcance dos melhores resultados possíveis.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 13) DIREITO ADMINISTRATIVO – Leandro Cadenas Olá amigo concurseiro. Os princípios devem sempre ser valorados. ADI 1. para consideráveis parcelas da população) ao exercício do direito de petição (CF. excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. considerando-se todas as situações e circunstâncias que afetem a solução. Segundo Celso A. que deve pautar os atos dos agentes públicos. A primeira relaciona-se à finalidade pública. e não ao princípio da legalidade. mas ao órgão ou entidade administrativa a que está vinculado. O edital para o AFT está bem abrangente. A segunda indica que os atos administrativos não devem ser imputados ao agente que os praticou. B. A 35. autoriza a edição de resolução que crie direitos e obrigações aos administrados. os atos são imputados à entidade a que se vincula o agente público. Além disso. c) Moralidade: diz respeito à moral interna da instituição. com essa atuação. não a ele próprio. . XXXIV). Tentaremos destacar os pontos com maior probabilidade de incidência nessa prova. Gab. Súmula Vinculante 3: Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. marque a única opção correta. e) O princípio da eficiência. b) Impessoalidade: em duas vertentes. d) A publicidade não se constitui elemento formador do ato administrativo. a) O princípio da impessoalidade apresenta duas formas de abordagem. d) Eficiência: prega a otimização dos procedimentos em qualquer ação da Administração Pública. 5º. g) Ampla defesa entende-se a possibilidade que o acusado tem de usar todos os meios lícitos admitidos para provar o que alega. Privilegia o binômio qualidade x economicidade. implicando em coerência entre os meios e os fins. Coloquei também algumas questões para você treinar e ver como a ESAF tem cobrado. mas requisito de eficácia e moralidade. pode-se afirmar que ocorreu atentado ao princípio da moralidade. DJ 18/05/2007. c) Na situação em que a autoridade administrativa pratica ato com desvio de poder. além de legais. 36. 5º. art. tem o direito de. muito importantes pra prova: a) STF. não se faz possível a restrição dos atos de publicidade. 34. 5º. útil. PRINCÍPIOS DO DIREITO ADMINISTRATIVO 33. indica à Administração Pública a prestação de serviços públicos de forma racional e transparente. LXIII. honestos e conformes aos bons costumes e à boa administração. Portanto. inserido no texto constitucional pelo legislador derivado. LV)” (STF. Os atos devem ser. Guarde as Súmulas Vinculantes. não é possível a declaração de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo que deixe de observá-lo. Na primeira.

CPC e Lei nº 9. componentes da administração pública indireta. capacidade para estar em juízo). e) Descentralização: repasse de atividades de uma pessoa para outra. em especial os da impessoalidade. Por exceção. da igualdade e da moralidade. é entendimento pacificado no Supremo Tribunal Federal. F.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO c) STF. reforma e pensão. Nas democracias. d) Órgãos = entes despersonalizados. STF. c) quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. Alguns conceitos são fundamentais. autoadministração. reforma e pensão. § 6º. Suas funções são subdivididas entre os Poderes Legislativo. compreendido o ajuste mediante designações recíprocas.. inclusive na apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. com a atribuição de exercer o poder normativo das concessões e permissões de serviços públicos. os órgãos também podem ter capacidade judiciária (=capacidade de ser parte numa ação judicial. prazos processuais privilegiados: em dobro para recorrer e em quádruplo para contestar (art. Fixe-os: a) Estado = pessoa com personalidade jurídica. para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou ainda de função gratificada da administração pública direta. chefia ou assessoramento. Executivo e Judiciário. e) quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. de forma desconcentrada. originalmente.469/97. quando a sentença lhe for desfavorável (art. Súmula Vinculante nº 13: A nomeação de cônjuge. 37. sem exceção. as quais. vedam a prática do nepotismo”. excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. dotadas de patrimônio próprio. 10). (ESAF/AFC-CGU/2008) Quanto à aplicação de princípios constitucionais em processos administrativos. responsabilidade objetiva e possibilidade de ação de regresso contra seus servidores (art. art. que são dotados de eficácia imediata. 475. CPC) e garantia do duplo grau de jurisdição obrigatório.. É a autarquia ordinária. atuação em nome próprio. inalienável. ou delegação (por contrato/ato. personalidade jurídica de direito público. nos processos perante o Tribunal de Contas da União. Gab. que. ( ) A realização das atividades administrativas do Estado. é do Poder Público. até 3º grau. inclusive da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção. colateral ou por afinidade. companheiro ou parente em linha reta. da execução somente). do Distrito Federal e dos municípios. São criados através de lei de iniciativa privativa do chefe do Poder Executivo. V.) visto que as restrições por ela impostas são as mesmas previstas na CF. Agência Reguladora é uma autarquia criada sob regime especial. competência essa que. CF/88). (ESAF/ANA/2009) Quanto às características da administração pública federal brasileira e sua forma de organização. reforma e pensão. é transitório. seu comando e direção. 188. caracteriza a criação de pessoas jurídicas distintas. da titularidade e da execução). . II. impenhorável e imprescritível. inclusive a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. da eficiência. especialização dos fins ou atividades. (. exercem atividades típicas de Estado. indireta em qualquer dos poderes da União. d) quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. regida pelas normas do direito público. exceto reforma e pensão. b) Estado = povo + território + soberania + finalidade. C ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 37. analise os itens a seguir e marque com V se a assertiva for verdadeira e com F se for falsa. ADC 12/DF: A vedação ao nepotismo constante da Resolução CNJ 7/2005 “está em sintonia com os princípios constantes do art. c) Governo = centro de decisões do Estado. dos Estados. 38. constituindo súmula vinculante para toda a administração e tribunais inferiores. extraídas dos citados princípios. 37. É permanente. asseguram-se o contraditório e a ampla defesa a) mesmo quando da decisão não resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. Gab. inclusive a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. Também é muito relevante guardar as características mais cobradas de cada uma das entidades da Administração Indireta: a) Autarquias: criação por lei específica. b) quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. Informativo 516 (27/08/2008). ( ) Os órgãos são compartimentos internos da pessoa pública que compõem sua criação bem como sua extinção são disciplinas reservadas à lei. f) Desconcentração: repasse de atividades dentro da mesma pessoa jurídica. sujeita às regras licitatórias (Lei nº 8. Pode ser via outorga (por lei. viola a Constituição Federal.666/93).

Tal qualidade pode ser atribuída tanto às autarquias quanto às fundações. tem tratamento diferenciado: I – imunidade tributária recíproca. tenha por fim imediato adquirir. que as autarquias ou fundações governamentais qualificadas como agências executivas visam observar nos termos do Decreto n. A b) Fundação instituída pelo poder público é um patrimônio dotado de personalidade jurídica. CF/88). Segundo STF. ou impor obrigações aos administrados ou a si própria. mas podem ser também associações ou cooperativas. no caso das estaduais e municipais). . No entanto. modificar. que contribuem. Vamos relembrar alguns detalhes dos mais importantes. Idem com relação à Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária – INFRAERO. e Justiça Estadual. sujeição parcial ao direito público e ao controle do Estado. Quanto ao terceiro setor. é espécie do gênero autarquia. também empresa pública federal e Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia – sociedade de economia mista II – impenhorabilidade de seus bens III – regime de precatório (art. d) Convênios de cooperação são ajustes entre pessoas públicas entre si ou entre elas e particulares para realização de serviços ou obras públicas (art. extinguir e declarar direitos. Características próprias das sociedades de economia mista: capital misto público/privado. no caso das empresas públicas federais. Elementos e atributos são sempre cobrados. Não têm personalidade jurídica. Gab. A natureza jurídica mais comum é de fundação. Elementos: competência. a) Empresa Pública b) Fundação Pública c) Autarquia d) Sociedade de Economia Mista e) Serviço Social Autônomo. por ser prestadora de serviço público de prestação obrigatória e exclusiva do Estado. finalidade. com participação majoritária daquele. Gab. motivo. Sujeitas ao controle do Tribunal de Contas. 40. C c) Características comuns às empresas públicas e às sociedades de economia mista: criação e extinção por lei. voltadas ao desempenho de atividades de interesse público. Características próprias das empresas públicas: capital integralmente público. Sujeitamse ao controle do Tribunal de Contas e às regras de licitação. CF/88). as sociedades de economia mista têm como foro. Guarde o conceito: Ato administrativo é toda manifestação unilateral de vontade da Administração Pública que. c) Entidades de apoio são também pessoas jurídicas de direito privado. geralmente criadas pelos próprios servidores. diat autarquia fundacional.487/98: a) eficiência b) moralidade c) legalidade d) razoabilidade e) publicidade. 241. assinale qual princípio da administração pública. b) Organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP) são organizações não governamentais (ONGs) que cumpriram os requisitos da lei. personalidade jurídica de direito privado. 39. agindo nessa qualidade. CF/88). especificamente. A Administração firma Termo de Parceria com a OSCIP para executar um plano de modernização da Administração. vamos aos pontos de maior destaque pra prova: a) Organizações Sociais (OS): pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos. forma. (ESAF/EPPGG-MPOG/2008) A Agência executiva é a qualificação dada à autarquia ou fundação que celebre contrato de gestão com o órgão da Administração Direta a que se acha vinculada. 43. em geral. com universidades e hospitais públicos. introduzida no direito brasileiro em decorrência do movimento da globalização. Normalmente é um dos pontos com maior número de questões nos concursos. sujeição à fiscalização do Tribunal de Contas. ATOS ADMINISTRATIVOS 41. e auxiliam o Estado. a depender da matéria ou das partes envolvidas. 42. 100. e) Consórcio público é o ajuste entre pessoas públicas para consecução de interesse comum entre as partes (art. Destarte. transferir. neste segundo caso. Têm finalidades semelhantes às OSs. de regime especial e fundacional. exercendo atividades de interesse público. em especial os relativos à transparência administrativa. 2. Declaradas de interesse social ou de utilidade pública. 241. sob qualquer forma admitida em direito. Enquanto a empresa pública tem foros diferentes (Justiça Federal. resguardar.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO Agência Executiva é uma qualidade ou atributo de pessoa jurídica de direito público que celebre contrato de gestão. cujo princípio orientador é o da eficiência. São sem fins lucrativos. exclusivamente sob a forma de sociedade anônima. sem integrar a Administração Pública. Licitação: estão dispensadas se se referir a atividades contempladas no contrato de gestão. destinado à prestação de atividades públicas na área social. objeto. (Analista Jurídico-CE/ESAF/2007) Assinale a opção que contenha a pessoa jurídica de direito público que pode se apresentar nas formas ordinária. poderá ser processada perante a Justiça Federal. Especificamente quanto aos Correios – empresa pública federal. a Justiça Estadual. a ação. atividade de natureza econômica. desde que cumpram os requisitos legais. em geral. Têm personalidade jurídica. celebram contratos de gestão com a Administração Pública.

c) A auto-executoriedade garante que a Administração Pública possa fazer executar o ato. F. Não significa dizer que esse ato escapa ao controle judicial: poderá ser levado ao crivo desse Poder. encontra-se a presunção de veracidade a qual diz respeito à conformidade do ato com a lei. ou seja. termo é evento futuro e certo. Esse não é um atributo comum a todos os atos. ( ) Entre os elementos do ato administrativo. g) Imperfeito: não completou seu processo de formação. Delegar corresponde ao repasse de atribuições administrativas de responsabilidade do superior para o subalterno. Se ao administrador só cabe fazer o que a lei admite. A presunção é relativa. mas tão somente aos que impõem obrigações aos administrados. Pendente: para produzir seus efeitos. independentemente de sua concordância. V. F Gab. imperatividade. auto-executoriedade. depende da aprovação de outro ato. (ESAF/EPPGG-MPOG/2008) Em se tratando dos atos administrativos. V d) F. Não há controle judicial do mérito administrativo. que podem ser sanados. e da forma como nela previsto. V. se houver provocação da parte interessada. F. por si mesma e imediatamente. V. d) Nulo: é o que nasce com vício insanável. assinalando ao final a opção correspondente: ( ) Entre os atributos do ato administrativo. e avocar representa o caminho contrário da delegação. a) Diz-se que se presume legítimo determinado ato administrativo baseado no princípio de legalidade. c) O motivo é a circunstância de fato ou de direito que determina ou autoriza a prática do ato. f) Perfeito: é aquele que completou seu processo de formação. estando apto a produzir seus efeitos. até prova em contrário. . necessita da manifestação de vontade de dois ou mais órgãos diferentes. portanto. É também chamado esse atributo de Poder Extroverso. Vício = desvio de poder ou de finalidade. 45. Condição é evento futuro e incerto. D 47. Mérito administrativo = oportunidade e conveniência ao praticar o ato. ( ) A auto-executoriedade consiste em atributo pelo qual os atos administrativos se impõem a terceiros. pronto para produzir seus efeitos ou estar pendente de evento futuro. quando ato é praticado dentro dos limites impostos pela lei. que o homologa. sujeita-se a condição ou termo. em decorrência desse atributo. porém. se produziu algum ato. V. encontra-se a finalidade a qual é o pressuposto de fato e de direito que serve de fundamento ao ato administrativo. Pode ser apurado o atendimento aos princípios da razoabilidade e proporcionalidade. forma. se impõem aos destinatários independentemente de concordarem ou não com ele. um defeito que não pode ser corrigido. A presunção de veracidade refere-se aos fatos citados pela Administração Pública. F c) V. admite prova em contrário. a) F. então. b) Finalidade – interesse público – impessoalidade. convalidados. motivo e objeto. Atributos dos atos administrativos: presunção de legitimidade e veracidade. 46. F. decisão de recursos administrativos. V e) V. para que produza efeitos. b) Os atos administrativos são imperativos. não está apto a produzir seus efeitos. Motivação é a série de motivos externados que justificam a realização de determinado ato. Veja quais: a) Ato complexo: para que seja formado. estando apenas aguardando o implemento desse acessório.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO a) Competência: aqui o ponto sempre cobrado refere-se à possibilidade de delegação ou avocação. ou seja. presume-se que o fez respeitando a lei. independente de ordem judicial. h) Consumado: é o ato que já produziu todos os seus efeitos. F. matérias de competência exclusiva do órgão ou autoridade. o motivo alegado integra a validade do ato. é dizer. mas já completou seu ciclo de formação. nada mais havendo para realizar. Vício = excesso de poder. analise os itens a seguir e marque com V a assertiva verdadeira e com F a falsa. V. presume-se. porém. O que a ESAF mais pede é o rol de hipóteses onde é proibida a delegação: edição de atos de caráter normativo. acontece a avocação quando o superior atrai para si a tarefa de responsabilidade do subordinado. c) Válido: é o que atende a todos os requisitos legais: competência. finalidade. Pode estar perfeito. ( ) O objeto ou conteúdo do ato administrativo consiste no efeito jurídico imediato que o ato produz. 44. Pela teoria dos motivos determinantes. F b) F. A ESAF costuma cobrar algumas classificações com mais freqüência. CLASSIFICAÇÃO. F. e) Anulável: é o ato que contém defeitos. que os atos administrativos foram emitidos com observância da lei. b) Ato composto: é aquele que nasce vontade de apenas um órgão.

concedente fixa normas de prestação do serviço ou uso do bem público. lançando seus efeitos sempre à data da realização inicial do ato. no exercício de sua autotutela. pode o superior ratificar o ato praticado por subordinado incompetente. obra ou uso de bem público. A finalidade. 50. E SERVIÇOS PÚBLICOS 51. ou seja. A forma pode ser convalidada. com natureza de preço público. presume-se que os atos administrativos foram emitidos em conformidade com a lei. útil ou oportuno. b) permissionárias: é delegação de serviço público ou uso de bem público. Seus efeitos são proativos. Anulação e revogação são assuntos campeões de questões. c) A conveniência e a oportunidade da prática do ato constituem o mérito administrativo e apenas estarão passíveis de ponderação nos atos discricionários.987/95. (Analista-MPOG/ESAF/2006) A prática de ato administrativo. para prosseguimento na prestação do serviço. (ESAF/ANA/2009) Quanto ao regime jurídico a que se submetem os atos administrativos no ordenamento brasileiro. explícita ou implicitamente. exceto no exercício de sua atividade secundária administrativa. assinale a opção incorreta. Com relação à competência. e paga mediante tarifa. feita pelo poder concedente em cuja competência se encontra o serviço delegado. b) Caducidade: retirada do ato em face da superveniência de norma que incompatibiliza sua permanência. Assim. precedido de licitação. “ex tunc”. somente a execução ou uso. limitando-se às regras legais e constitucionais. c) Contraposição: edição de um ato que impede que o anterior siga produzindo seus efeitos. As características principais você deve memorizar: a) concessões e concessionários: é delegação de serviço público. não transfere a titularidade. desde que a prática do novo ato supra a falta anterior. mas que não é mais conveniente. desde que não seja fundamental à validade do ato. Gab. feita através de contrato bilateral. Assim. a ESAF não cobra muitas questões quanto a serviços. concessionário se sujeita às obrigações civis. para a própria Administração declarar a sua a) anulação b) convalidação c) inexistência d) presunção de legalidade e) revogação Gab. concessionário tem direito à manutenção do equilíbrio econômico-financeiro da concessão. feita através de contrato de adesão. A convalidação será sempre retroativa. o motivo e o objeto nunca podem ser convalidados. comerciais. d) De acordo com a teoria dos motivos determinantes. impõe sanções e reajusta tarifas. só pode revogar seus próprios atos administrativos. quando foi produzido com alguma ilegalidade. é motivo suficiente. feita pelo poder concedente cuja competência se encontra o serviço delegado. nos casos de extinção da concessão em face de termo contratual. contrato é de natureza administrativa. reversão é a incorporação dos bens do concessionário pelo poder público. só por ela pode ser revogado. por inadimplemento contratual por parte do concessionário. trabalhistas e tributárias. cabe à União fixar normas gerais de contratação. é possível a convalidação dos atos que não sejam exclusivos de uma autoridade. quando não pode haver delegação ou avocação. Em geral. aqui também vale a pena uma última leitura na Lei 8. no caso dos serviços . Opera efeitos retroativos. A 49. Você precisa saber bem suas características: a) Um ato é nulo quando afronta a lei. a) Configura desvio de finalidade a prática de ato administrativo visando a fim diverso daquele previsto. fiscaliza. “ex nunc”. “ex tunc”. b) Revogação é a forma de desfazer um ato válido. na modalidade concorrência. b) Em virtude de sua presunção de legitimidade. legítimo. desde que não se trate de matéria exclusiva. a execução do serviço pelo concessionário é por sua conta e risco. que é a retomada do serviço pela Administração Pública antes do prazo estabelecido. a situação fática que determinou e justificou a prática de ato administrativo passa a integrar a sua validade. exceto à parte não amortizada dos equipamentos que reverterão para o poder concedente. Trata-se de ato unilateral da Administração Pública. sem direito à indenização. poderá haver caducidade ou decadência. também é ato unilateral. com vício insanável de legalidade (ato ilegal). até prova em contrário. por interesse público. ou pelo Judiciário. e) Todos os atos administrativos nulos ou anuláveis são passíveis de convalidação ou saneamento.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 48. em todas as modalidades. poderá haver encampação. Outras 3 hipóteses de extinção do ato eventualmente são cobradas: a) Cassação: retirada do ato porque o destinatário descumpriu condições que deveriam permanecer atendidas a fim de dar continuidade à situação jurídica. Como é um ato perfeito. não cabendo ao Judiciário fazê-lo. na regra de competência. que não mais interessa à Administração Pública. com a conseqüente indenização do concessionário. Pode ser declarada pela própria Administração Pública. com direito à indenização.

56. Também é dito provimento derivado vertical e dá-se por merecimento ou antiguidade. 57. A nomeação. Cargos em comissão (= cargo em confiança) → servidores de carreira ou não. 54. A ESAF adora questões cobrando provimento derivado. não se exigindo licitação. modernamente. entre as principais diferenças com a concessão. 60. 39. dentro do mês de vencimento. IV. e) Apenas o item II está incorreto. na modalidade concorrência. Súmula 686. Guarde cada hipótese e garanta uma questão na prova!!! a) Readaptação: de quem sofreu limitação física ou mental. precário. A promoção é um movimento ascendente dentro da mesma carreira. com acréscimo de vencimentos e de responsabilidades. preenchidos por pessoas de confiança da autoridade competente e nas hipóteses de promoção na mesma carreira. Analise os itens a seguir: I. precedido de licitação.480/RJ). ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração. busca melhorar e aperfeiçoar o atendimento ao público. Tem lugar em situações de urgência e transitórias. (ESAF/EPPGG-MPOG/2008) O serviço público. tal contrato é sujeito às regras do direito público. 55. se a permissão é de uso de bem público. as concessionárias de serviços públicos de direito privado. CF/88. b) Reversão: do aposentado por invalidez que deixou de ser inválido ou a pedido. por 3 votos a 2 concluiu que há direito subjetivo à nomeação dentro do número de vagas (STF. a partir dessa decisão. Assim. mediante licitação. A investidura em cargo público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos. O Estatuto não é imutável.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO públicos. pelo qual a Administração Pública investe o particular na execução e exploração de serviço público. única possibilidade de provimento originário de cargo público diante da atual Carta Política. o mínimo de seis datas opcionais para escolherem os dias de vencimento de seus débitos. da prestação de serviços públicos. Recentemente a 1ª Turma do STF. não há direito adquirido que garanta imutabilidade do regime jurídico. discricionário. Provimento é o ato administrativo pelo qual se preenche o cargo vago. RMS 19. destaco a necessidade de contrato bilateral para este. a alteração do caput do art. III. e) Recondução: do reprovado em estágio probatório em outro cargo ou de quem ocupava o cargo do reintegrado. c) autorização é ato administrativo precário. 62. repassada via termo de autorização. . d) Apenas o item IV está incorreto. será feita por ato unilateral. Cargo de provimento efetivo é aquele assim definido em lei. Ao contrário. nos Estados. c) Todos os itens estão corretos. c) Aproveitamento: daquele que está em disponibilidade. considera-se concessão de serviço público a delegação de sua prestação. retornando sua redação original. ao enfrentar a questão. é precedida necessariamente de concurso público. feita pelo poder concedente. d) Reintegração: do injustamente demitido. feita pelo poder concedente à pessoa física ou jurídica ou consórcio de empresas. à pessoa jurídica ou consórcio de empresas. bem como licitação na modalidade concorrência e maiores garantias ao contratado. a) Apenas o item I está correto. são obrigadas a oferecer ao usuário. Para o STF. cautelarmente e com efeito ex nunc. RE 227. toda concessão ou permissão pressupõe a prestação de serviço adequado que satisfaça as condições de atualidade compreendendo a modernidade das instalações e a sua conservação. 59.478/SP). revogável unilateralmente e precário. onde se exige a existência de um Regime Jurídico Único (RJU) dos Servidores Públicos. Assinale a opção correta. Funções de confiança → servidores ocupantes de cargo efetivo.135 (02/08/2007) o STF suspendeu. Gab. a título precário. exceto nos casos de cargos em comissão. não cabe argüir violação ao direito adquirido contra mudanças no regime jurídico. 53. b) Apenas o item III está correto. mediante licitação. considera-se permissão de serviço público a delegação.: E SERVIDORES PÚBLICOS 52. que será preenchido via concurso público e que garante ao nomeado estabilidade após três anos de efetivo exercício. II. Importa reafirmar a importância de julgados do STF.962/2000. A orientação do STJ é no sentido de que o candidato tem direito à nomeação dentro das vagas previstas no edital (STJ. do STF: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. tornou-se inaplicável a Lei nº 9. 61. Na ADI 2. 58.

o servidor público passa a ter direito adquirido ao regime estatutário a que está submetido. Possibilidades de perda do cargo do servidor estável: a) em virtude de sentença judicial transitada. promoção. Exceções à responsabilidade objetiva do Estado: culpa exclusiva do prejudicado. Memorize todos os prazos citados neste resumo!!! 66. no caso dos juízes (primeiro grau) é o tempo para adquirir a vitaliciedade. A vitaliciedade constitui uma exceção à regra da estabilidade. Gab. Cargo de provimento vitalício também gera direito à estabilidade. Se não houver nexo causal entre o ato e o dano ou se houver culpa exclusiva da vítima. ou seja. sem titular. dê uma boa lida no art. assegurada ampla defesa. durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo. que será de dois anos de exercício. 70. independente de dolo ou culpa desta. aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO 63. Certa. na forma de lei complementar. Segundo o STJ. (ESAF/PGDF/2007) Embora a Constituição preveja responsabilidade civil objetiva do Estado pelos danos que seus agentes. diferentemente do que ocorre com as relações contratuais trabalhistas. ou teoria do risco administrativo: em havendo um dano provocado pela Administração. Praticamente impossível ter uma prova da ESAF sem cobrar as regras desse artigo. caso fortuito ou força maior. o estágio probatório tem duração de 3 anos. b) mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. na forma prevista em lei. ele deve ser reparado. com grandes chances de serem cobradas: a) Responsabilidade objetiva. c) a perda do cargo só se dará por sentença judicial transitada em julgado. 69. Outra característica própria. aposentadoria. 41. em todo ato praticado pelo poder público que gere dano a particular. falecimento. culpa de terceiro e força maior. b) a aquisição da vitaliciedade dá-se. estes também. d) para o cumprimento dos limites com a despesa com pessoal ativo e inativo. de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego. readaptação. 65. Gab. Estágio probatório é o período a que se submete todo o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo. por exemplo. Vacância é a situação do cargo público que está vago. A posse poderá dar-se mediante procuração específica. o dever de indenizar não surge. necessariamente. membros da Magistratura. 37 da CF/88. O prazo é de quinze dias para o servidor entrar em exercício. b) durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação. causarem a terceiros. dando mais garantias aos titulares dos cargos com essa prerrogativa. do Tribunal de Contas e do Ministério Público. leia também o art. posse em outro cargo inacumulável. (ESAF/AFC-STN/2008) Em relação ao regime jurídico dos servidores públicos. Neste ponto as perguntas da ESAF xostumam explorar os mesmos pontos. a seguir destacados. No caso dos membros do Ministério Público. não cabendo à legislação infraconstitucional ampliar esse rol. 67. É etapa obrigatória do processo de vitaliciamento a participação em curso oficial ou reconhecido por escola nacional de formação e aperfeiçoamento. contados da data da posse. demissão. Já que está com a CF aberta. d) adquirida a estabilidade. em até 30 dias da nomeação. . 68. sendo três as principais diferenças entre este e o cargo efetivo: a) a Carta Magna estabeleceu os cargos que devem assim ser providos. nessa qualidade. b) A responsabilidade por omissão é subjetiva. Acrescento também algumas importantes novidades. e) o servidor público estável somente perderá o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho. pode-se afirmar corretamente: a) a investidura em todo e qualquer cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos. na carreira. c) mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho. Por último.: B. As hipóteses já foram cobradas várias vezes: exoneração. após dois anos de exercício. c) são condições para a aquisição da estabilidade aos servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público: dois anos de efetivo exercício e avaliação especial de desempenho por comissão constituída para essa finalidade. o Estado poderá não ser obrigado a pagar indenização. quais sejam. na primeira instância. após 02 (dois) anos de exercício. terão as garantias da vitaliciedade. 64.

que o agente tenha agido com dolo ou culpa no surgimento desse dano. em caso de erro judiciário ou prisão além do tempo fixado na sentença (art. possibilitando-lhe ação indenizatória contra a pessoa jurídica de direito público ou de direito privado que preste serviço público.BIZU DO PONTO – AUDITOR-FISCAL DO TRABALHO c) Responsabilidade por atos legislativos e jurisdicionais: em ambos os casos. 37. respeitada a autonomia de cada entidade. Ambas erradas. j) Tratando-se de dano causado a terceiro. também é externo “o controle da Administração Direta sobre a Indireta”. No que pertine aos atos jurisdicionais. reforma e pensão. § 6º. (ESAF/PFN/2007-1) Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação. da CF. 77. e aplica-se tanto à Administração Pública quanto às pessoas privadas prestadoras de serviços públicos. não cabendo à legislação ordinária a ampliação dessas situações. II – hierárquico impróprio: realizado entre órgãos onde não há hierarquia direta. exercido nos limites da lei. CF/88: teoria da responsabilidade objetiva do Estado. por órgãos presentes em sua estrutura. a regra é a irresponsabilidade estatal por esses atos. Chama-se controle parlamentar. ou dos chefes sobre os subordinados. 5º. regressivamente. STJ. então. 73. LXXV). mas sim controle finalístico. a própria Carta Maior prevê a responsabilização estatal. h) Cabe ao Estado cobrar de seu agente o prejuízo que teve com a indenização. entende-se como possível a responsabilização do Estado no caso de edição de leis inconstitucionais ou leis de efeitos concretos. Exercido sob os aspectos político e financeiro. mas apenas na esfera penal. mas sim competências diversas atribuídas a cada um deles. pois seus atos se confundem com os próprios atos estatais. eficiência e mérito dos seus atos. à pessoa jurídica a cujos quadros funcionais pertença (STF. 76. 74. mas sim em ação regressiva. RE 591. relativamente a atos administrativos. diretamente. Dá-se sobre a legalidade. de forma que a um compete julgar recursos relativos a atos realizados por outro. Relembre a Súmula Vinculante 3 (item 4). . sempre que provado que houve dolo ou culpa: é a chamada responsabilidade subjetiva do agente. Essa costuma ser uma parte fácil da prova. outra. (ESAF/PFN/2007-2) Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. Anote os detalhes essenciais. empresas públicas etc). 75. CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 71. DJ 14/11/2008). cassação ou suspensão de ato administrativo que beneficie o interessado. O particular que sofra o dano não pode. dentro dos limites legais. 37. sobre os inferiores. d) Teorias previstas no art. 72.904. g) O direito de requerer a indenização prescreve em cinco anos. aquele realizado pelo Poder Legislativo sobre alguns atos da Administração Pública. f) O art. e) A responsabilidade civil das pessoas jurídicas de direito privado prestadoras de serviço público é objetiva relativamente tanto aos usuários do serviço quanto a terceiros não-usuários (STF. excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. ou ação regressiva. o agente público somente responde. reforma e pensão.133. Diz-se controle externo o exercido de um Poder sobre outro. consagra dupla garantia: uma em favor do particular. RE 327.874/MS. ou legislativo. III – finalístico: é a chamada supervisão ministerial. Essa responsabilização é efetivada através da ação de regresso. o servidor não responderá mediante denunciação da lide.espécies: I – hierárquico próprio: realizado pelos órgãos superiores. Gab. baseada na vinculação entre a Administração Pública Direta e a Indireta (autarquias. DJ 08/09/2006. Di Pietro. em prol do agente. em face da autonomia que essas pessoas jurídicas têm. i) Requisitos fundamentais para o exercício do direito de regresso: que haja dano ao particular indenizado pela Administração Pública com base em sua responsabilidade objetiva. Controle administrativo . inclusive a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. Chama-se controle interno o exercido no âmbito interno do mesmo Poder. ajuizar ação. No entanto. Não há subordinação. RE 344. contra o agente público. § 6º. com observância obrigatória das previsões constitucionais. em face da separação dos Poderes. teoria da responsabilidade subjetiva do agente. como já citado. O controle sobre a Administração Indireta é fruto do poder de tutela. que somente responde administrativa e civilmente perante a pessoa jurídica a cujo quadro funcional pertencer. Súmula 373: É ilegítima a exigência de depósito prévio para admissibilidade de recurso administrativo. Para a Professora Maria Sylvia Z. 26/08/2009).