POUPAR nas LIMPEZAS DOMÉSTICAS - Vidros: uso num frasco pulverizador uma mistura de água e vinagre em partes iguais

. Ficam lindos! - Espelhos: um esguicho de álcool puro num pano de algodão. Polir com jornais velhos. - Objectos com calcário: vinagre! - Louça: num frasco, misturo 1/3 de detergente + 1/3 de vinagre + 1/3 de água. Louça sempre desengordurada e brilhante! Para compotas “agarradas” ao fundo dos tachos: deixo de molho em água e sal e no dia seguinte sai tudo sem esforço. - Forno/ tabuleiro do forno sujo: uma pasta de bicarbonato de sódio e água (50% de cada), deixei actuar um dia e lavar/limpar. - Exaustor: ponho sobre o fogão umas folhas de jornal - para a sujidade poder cair à vontade! Abro o exaustor e tiro os filtros usados. Ponho-os de molho em água a ferver, detergente da loiça e vinagre. Pulverizo toda a zona a limpar com vinagre puro e deixo actuar durante uns bons 15 minutos. Faço uma primeira limpeza "anti-gordura" passando folhas de jornal (são absorventes, "apanham" a gordura dissolvida pelo vinagre). Lavo com detergente da loiça quase puro: aplico num pano torcido e espalho. Deixo actuar mais uns 10 ou 15 minutos. Enxaguo com água quente. Os filtros, depois de estarem umas horas (de um dia para o outro, por exemplo) de molho, são lavados. Cada filtro dá-me para pelo menos 3 temporadas de utilização... - Bicos do fogão: de molho numa mistura de água com vinagre. - Bancadas de cozinha e frigorífico: bicarbonato de sódio polvilhado num pano húmido. Limpar. Deixar actuar uns 2 ou 3 minutos. Enxaguar só com água. Alternativa: detergente da loiça anti-bacteriano e vinagre, esfrego tudo, deixo 5 minutos e passo tudo por água limpa. - Louças de WC: o mesmo que para os vidros (pulverizador uma mistura de água e vinagre em partes iguais). Alternativa: detergente da loiça anti-bacteriano e vinagre, esfrego tudo deixo 5 minutos e passo tudo por água limpa. Sanitas: polvilhar com bicarbonato de sódio. Pulverizar vinagre. Deixar "ferver" e correr a água. Resultados garantidos - desencarde qualquer sanita e desinfecta. - Juntas dos azulejos do WC (na zona da banheira): para juntas de azulejas amarelas, normalmente trata-se da acumulação de ferrugem da água. Com o tempo, a porosidade do material das juntas "guarda" a ferrugem que - mesmo insignificante - existe na água. Neste caso, uso bicarbonato - ponho um bocadinho numa tigela, e esfrego as juntas com uma escova de dentes velha humedecida. Deixo actuar durante cerca de uma hora e depois retiro com água. Regra geral, resulta. Se as juntas estiverem pretas, é bolor! Nesse caso, esfrego com a escova de dentes velha, mas uso vinagre. No caso de sujidade não específica - usa lixívia. Usa na mesma a escova de dentes velha. Retira com água. Esta era a minha solução antes de começar a evitar todos os químicos industriais.

- Manchas no mármore: 1. Manchas amareladas - esfrega com água e vinagre (mistura em partes iguais) de preferência com uma escova, e enxagua abundantemente com água fria. Não deixes estar muito tempo, porque o vinagre também penetra no mármore. 2. Manchas de gordura (ex: azeite). Experimentar esfregar com meio limão cortado. Conforme for ficando sujo, vai cortando rodelas fora. Enxaguar com água fria. 3. Ainda se pode tentar um polimento caseiro: com sal grosso de cozinha e um pano seco, esfregar bem a mancha. Limpar com água. - Chão de madeira: detergente da roupa (sim! tem propriedades hidratantes que resultam fantasticamente com a madeira!) + 1 esguicho de vinagre num balde água. - Chão de tijoleira: detergente da louça (uns pingos, basta!) + esguicho de vinagre num balde de água. - Tapetes e carpetes: Num frasco pulverizador, juntar 1/3 de álcool + 1/3 de vinagre + 1/3 de água. Pulverizar uma zona da carpete. Escovar com uma escova limpa. Deixar secar. Aspirar. Deixa as cores impecáveis e renovadas! A seco: o sal misturado em partes iguais com bicarbonato, polvilho com a mistura, esfrego com uma escova, deixo actuar umas horas e aspiro muito bem. - Móveis e portas de madeira verdadeira / antigos: a solução "detergente da roupa + vinagre" apenas tendo o cuidado de diluir muito bem em água e usar menos quantidade do que para limpar o chão. Tenho um frasco pulverizador que leva sensivelmente meio litro de água. Diluo cerca de uma colher de chá de detergente e acrescento um esguicho de vinagre. Agito muito bem. Depois pulverizo os móveis e limpo com uma flanela. Se sair muita sujidade (às vezes em móveis antigos até parece que "se derretem" em lixo!...) vou repetindo a operação até parar de sujar o pano. Normalmente, em móveis envernizados, o lixo não "agarra" tanto com os anos - e basta uma passagem (na prática, limpar o pó). Em móveis encerados, o lixo "agarra" mais (por exemplo, vão ficando mais escuros com o fumo dos fogões de sala). ROUPA Tirar nódoas: - de sangue, com água oxigenada; - de vinho tinto, com vinagre branco; - de azeite, com sal grosso; - de verniz das unhas: colocar um pouco de acetona em algodão em cima da nódoa (experimentar 1º num sítio da roupa que não se veja!). Ou papel absorvente em cima da nódoa (a base do verniz é gordurosa) e dar a ferro. De resina: primeiro, deixar secar bem, até ficar dura e só então raspar com uma faca (para não alastrar). Depois, pôr por cima da mancha que resta um papel absorvente (Ex: rolo de cozinha, se for roupa clara; jornal velho, se for roupa preta...) e aplicar o ferro de passar, o mais quente que o tecido aguentar. O calor derrete e o resto da resina e esta passa para o papel. - de ferrugem, é colocar em cima da nódoa sal e gotas de limão e pôr a corar ao sol. Funciona mesmo!

- de tomate: tentar retirar o mais possível do molho com um papel absorvente (rolo de cozinha, guardanapo...) sem esfregar - para não alastrar. Depois tentar limpar a nódoa com sumo de limão – p. ex. cortar meio limão e esfregar a nódoa com ele. Conforme for saindo a nódoa, vai-se cortando rodelas ao limão. No fim, pôr a peça de roupa de molho em água morna, com vinagre e líquido de lavar a loiça, durante umas horas. Depois lavar normalmente em princípio, não haverá mais nódoas. - de chocolate: 1º lavar com detergente da louça. Isto desengordura - retira a componente "gorda" da nódoa; 2º aplicar vinagre e esfregar gentilmente - a mancha castanha desaparecerá! - de tinta de esferográfica: costuma sair bem com alcool. Sugiro que esfregue os riscos com algodão apenas húmido - se estiver embebido, o álcool pode escorrer e alastrar a tinta, pelo que se for num sofá, pode ser desastroso. Outro tipo de tintas (ex.: marcado de ponta de feltro) saem bem com leite. A tinta de "caneta permanente" sai com lixívia... Os cuidados para não escorrer são os mesmos. -de vinagre balsâmico, assim como as nódoas vinho tinto, e de vinagre de vinho tinto: diluídas em água-ardente ("bagaço") ou vodka. Também resulta bem diluí-las em vinagre branco. - manchas de bolor ou mofo: pintas/manchas escuras (ás vezes são brancas, mas com relevo... se forem suficientemente grandes, ganham uma orla exterior esverdeada). SE se tratar deste tipo de manchas: 1) deixar de molho durante umas horas em água com vinagre - o ácido acético mata os fungos 2)se a roupa for branca, é mais rápido esfregar as manchas com água oxigenada 3) alternativa: ferver a peça de roupa com bicarbonato de sódio (2 colheres de chá por litro de água). Esta é muito eficaz, mas é preciso ter cuidado, porque nem todos os tecidos aguentam altas temperaturas - as lãs, por exemplo, mingam/encolhem imenso! Pessoalmente, só usei a fervura com bicarbonato no caso de peças de roupa de bebé, 100% algodão (branquinhas e/ou de cores muito claras), que estavam guardadas há muitos anos e tinham ficado amarelecidas e com bolor. Prefiro a solução de água com vinagre - que às vezes é suficiente (quando ainda não há manchas grandes, apenas as tais pintas pretas...). Só no caso das manchas arredondadas, de tamanho médio, com orla (na realidade, são as "pintas pretas" mais "crescidas") é que aplico água oxigenada. - Fixar a cor: a primeira lavagem de qualquer peça de roupa com cor forte (ex.: vermelho, azul escuro...) e que possa largar tinta NUNCA seja feita na máquina. Deve deixar de molho, em água com vinagre, para fixar a cor. Em princípio, a cor que está "a mais" é libertada - e depois as lavagens seguintes já podem ser na máquina. - Manchas de desodorizante que ficam nas camisas e muitas vezes criam uma camada muito difícil de retirar a solução é deixar as camisas de molho em água com vinagre (eu uso de cidra e deixo de um dia para o outro) e depois esfrega-se essa zona e lava-se normalmente na máquina.

PAREDES 1. Lápis de mina (de cor ou de carvão): antes de lavar, apagar simplesmente com uma borracha branca. 2. Lápis de cera e plasticinas: antes de lavar, encostar às manchas papel de cozinha absorvente (ou papel higiénico, ou lenços de papel...) branco e aplicar por cima o ferro de engomar bem quente, durante uns segundos. 3. Marcador de ponta de feltro ou esferográficas: um pouco de álcool num pano de limpeza, ou num bocadinho de algodão e esfregar gentilmente a parede (cuidado para os riscos não alastrarem; com álcool a mais, escorre - e ainda fica pior!). 4. Dedadas de gordura, comida, leite...: uma gota de detergente da louça num pano - esfregar ligeiramente a nódoa e limpar depois com pano húmido. As paredes pintadas limpam-se bem (depois destes procedimentos) pulverizando-as com água e vinagre (duas partes de água para cada parte de vinagre) e passando um pano bem limpo húmido. Esta solução desbota menos as cores da tinta do que a lixívia. DICAS para a casa ter CHEIRINHO BOM: - Aspirador: dentro do saco, colocar uma bolinha de algodão embebida em perfume. Eu comprei um frasco de litro de "água-de-colónia" com cheiro a lavanda numa "loja de chinês". Custou 1 Euro e posso garantir que ao fim de um ano ainda tenho muita! Ao aspirar, o ar da casa fica com cheirinho a lavanda! - Armários de roupa e gavetas: saquinhos com lavanda natural seca. No Verão, apanho grandes quantidades de lavanda, seco-a á sombra. Corto-a em pedacinhos e encho saquinhos de pano. É eficaz, até contra as traças! Quando começa a perder o cheiro, amasso os saquinhos nas mãos - e lá fica o aroma a soltar-se outra vez. - Cozinha: cascas de laranja e limão! Antes de deitar fora, ferver durante uns minutos num tachinho destapado. Versão para quem tem salamandra: colocar as cascas a seco em cima do ferro. Ao fim de uns minutos todo o espaço cheira bem. - Dentro do frigorífico: bicarbonato de sódio (basta uma tigelinha de bicarbonato lá dentro, que nunca mais ganha mau cheiro). PEQUENAS REPARAÇÕES - Desentupir canos: deitar no ralo (do lavatório, da banca de cozinha) uma chávena e bicarbonato de sódio. Despejar em cima uma chávena de vinagre. Deixar "ferver". Terminar com um balde de água a ferver. - Tapar furos de pregos nas paredes: usar pasta dentífrica branca. Deixar secar. Raspar cuidadosamente o excedente com uma faca.

HIGIENE PESSOAL - Desmaquilhante: usar vaselina esterilizada! É super-barata e retira qualquer vestígio de cosmético. - Discos de algodão para desmaquilhar : cortar retalhinhos de uma peça de roupa velha de algodão (ex: usei umas calças de fato de treino brancas, muito puídas; também dá toalhas de WC velhas,...) Ao fim de semana, ponho os quadradinhos de pano de molho em água com bicarbonato, e depois lavo na máquina. Ficam branquinhos outra vez! - Sabonete líquido para lavar as mãos: no distribuidor, 1/2 de água com 1/2 de gel de banho (o mais barato que encontrar!) - Banho: apenas sabonete de glicerina. Hidrata a pele que é um espectáculo! - Amaciador de cabelo: só e apenas vinagre, ou sumo de limão. Brilho, maciez, leveza, facilidade de pentear... Se o cabelo for seco, deve juntar-se apenas umas gotas de vinagre à última água da lavagem: depois de lavar a cabeça com o champô habitual, passo muito bem por água. No fim do banho, saio do chuveiro, ponho água morna no lavatório e junto umas gotas de vinagre. Mergulho o cabelo nesta solução durante um ou dois minutos. E só depois é que seco. Se o cabelo for oleoso, sobretudo na raiz, pode pulverizar-se directamente o vinagre no cabelo, fazer uma leve massagem no couro cabeludo e por fim enxaguar bem com água limpa. - Máscara fortificante para o cabelo: uma gema de ovo + 1 colher de chá de mel + gotas de whisky. Misturar bem. Massajar o couro cabeludo. Melhor que todas as que comprei no cabeleireiro! - Dentes brancos: uma escovagem por semana com bicarbonato de sódio. - Mau hálito/elixir: bochechar com água oxigenada. - Máscara de rosto purificante: uma clara de ovo batida em castelo. Espalhar no rosto. Deixar secar. Tirar com água fria. Pele luminosa e limpa! - Esfoliação: uma colher de açúcar no produto hidratante (rosto ou corpo). Esfregar em círculos levemente. Retirar com água. - Unhas fortes e menos peles: massajar com uma gota de azeite. Se mãos ásperas e gretadas, massajar também com um pouco mais de azeite, insistindo na base das unhas. - Banho relaxante (SPA em casa!): a usar em caso de necessidade... Numa banheira de água quente, deitar a seguinte mistura: 2 colheres de sopa de bicarbonato de sódio; 2 colheres de sopa de sal grosso de cozinha; raspa de um limão ou de duas laranjas. O PODER DA ÁGUA OXIGENADA a) como elixir dentário - acaba com o mau hálito. Basta gargarejar no fim de uma das lavagens diárias (eu prefiro á noite) com um "golo" de água oxigenada. Os dentes também ficam mais brancos e poderá ajudar no combate às gengivites.

b) como desinfectante dos pés - para quem tem problemas de transpiração a mais, e fica constrangido com o mau cheiro, é a solução mágica! Todas a noites passar água oxigenada nos pés, mata os fungos (causadores de micoses), elimina a tendência para a sudação (fim ao mau cheiro!) e amacia a pele. c) como desentupidor do nariz e alívio nas constipações - basta mistura 50% de água normal com 50% de água oxigenada e aspirar pelo nariz. Esperar alguns instantes e assoar. Garanto: é um alívio para as crises de sinusite! d) como desinfectante doméstico: manter as nossas escovas de dentes mergulhadas em água oxigenada é uma óptima ideia para evitar infecções na boca; passar um pano embebido nas banheiras dos bebés, é fantástico; e lavar as tábuas de cortar (carne, peixe, legumes,...) que usamos na cozinha também é excelente (mata as salmonelas!). Sugiro que uma vez por semana, mergulhem a vossa esponja de lavar a loiça em água oxigenada - mata os gérmenes todos, e assim podem usá-las em segurança muito mais tempo! e) para aliviar dores de garganta, porque funciona como anti-inflamatório: neste caso, deve-se usar a diluição em água, e fazer gargarejos por 2 ou 3 minutos. POUPAR na ENERGIA - Gás: cozinhar sempre na boca de gás com tamanho mais próximo do diâmetro do tacho/panela; usar sempre os testos; cozinhar quantidades maiores e congelar em doses individuais (ou para dois...) - Electricidade: tarifa bi-horária e só usar os electrodomésticos mais potentes nos horários de vazio (ex: ferro de engomar; secador de cabelo; alguns aspiradores...) para quem trabalha todos os dias, a melhor tarifa é a semanal. SE aquecimento da água for em "cilindro" eléctrico, comprar um temporizador para só ligar o cilindro durante a noite (água quente de manhã para o banho; á noite ainda estará morna...) Regular o frigorífico para o mínimo - uma temperatura de 3 graus negativos chega perfeitamente para a conservação de alimentos congelados (abaixo disto, é só para gastar sem necessidade!). Ter cuidado em desligar sempre da tomada todos os aparelhos com "stand-by" assim como os carregadores (telemóveis, PC, câmara fotográfica...) - Água: reduzir a capacidade dos autoclismos (com uma garrafa de 1,5 litros de água dentro deles, por exemplo. A cada descarga, poupa-se esta quantidade de água. É muito, no fim do mês!). Outra: enquanto a água do banho não "aquece", aproveitar a água que sai para um balde - dá trabalho, mas compensa! CONGELAÇÃO DE HORTÍCOLAS - Tomate: escolher o tamanho médio, até "apequenado" e sempre sem defeitos. Não lavar. Apenas congelar na arca. Podem ser usados directamente ou depois de descongelados, conforme o que se vai fazer com eles. Só não dão para salada. - Feijão-verde: o que tem forma de "cilindro", e parece uns "canudinhos", pode ser congelado inteiro. Deve ser escaldado com água a ferver por dois minutos. Escorrer e congelar. Depois pode ser cozido como se fosse fresco. O que é "achatado" deve ser logo cortadinho em

quadrados (para salada russa, jardineira de legumes, arroz...) ou laminado fininho (para sopa). Escaldar também antes de congelar. - Brócolos: desmanchar em raminhos pequenos. Escaldar por 2 minutos. Escorrer e congelar. Pode ser usado na sopa, em arroz, em crepes vegetarianos... - Espinafres ou nabiças: separar folha por folha. Tirar TODAS as sementes. Escaldar, escorrer e congelar. NUNCA descongelar antes de usar - vai directo para a panela da sopa, ou para a água a ferver (no caso de cozer para fazer esparregado)... - Favas: cozê-las um pouco (deixar ferver por cerca de 5 a 7 minutos). Escorrer. Congelar. Podem ser salteadas com presunto - muito rápido e muito saboroso! - Couve penca - para a sopa: segar em "juliana" grossa. Escaldar por dois minutos. Escorrer muito bem. Congelar. Vai directa, congelada, para dentro da base de sopa a ferver. - Couve-flor: pôr de molho em água fria, durante umas horas, em água com umas gotas de vinagre (pode ser de um dia para o outro). Este procedimento garante que não haverá insectozinhos escondidos na couve... Escorrer. Congelar. Pode deixar-se descongelar lentamente, à temperatura ambiente – fica como se estivesse acabada de colher... - Laranjas e limões: se quiserem aproveitar a casca, começar por retirá-la com cuidado (o mais fina possível. Pode ser congelada e servir para fazer chá, ou picar na picadora - ainda congelada. Fica-se com "raspa" para doçaria, por exemplo). Depois, espremer o sumo e congelar em saquinhos de plástico próprios para fazer "cubos de gelo". Podem depois fazer-se refrescos – ou, no caso do limão, usar em temperos. - Pimentos: podem partir-se em quadradinhos (para espetadas, por ex.) e em tirinhas (caldeiradas, guisados, arroz de marisco...). Lavar, retirar todas as sementes, congelar. Vai directo para o tacho! - Feijão de todo o tipo: vermelho, frade, canário, rajado... – normalmente, se estiver bem seco, não precisa de mais nada para poder ser guardado durante anos! Mas às vezes damos conta de que foi atacado por uns "bichinhos" (insectos minúsculos a que os lavradores chamam "piolho do feijão"). Neste caso, antes que o prejuízo seja grande, põe-se o feijão em água abundante. O que ficar a boiar á tona da água está furado e oco - deve ser deitado fora. O que fica "no fundo" está bom. Deixar este de molho umas 8 horas (ex.: durante a noite). Cozêlo em água SEM SAL (senão, fica duro e nunca mais coze!). Depois de estar bem cozido, temperar de sal e deixar por uma fervura (2 minutos bastam) para temperar. Escorrer muito bem. Deixar arrefecer. Congelar em porções (ex.: para uma feijoada de N pessoas; para uma sopa; etc.) - Grão-de-bico: exactamente o mesmo que o feijão – excepto que o grão gosta de ser posto em água com sal! Coze muito mais depressa. - Courgette e abóbora: descascar, cortar em cubos, NÃO LAVAR (se for molhada, depois fica mole...). Congelar. Vai directo para a panela da sopa! - Nabo: o mesmo que para a abóbora e para a courgette - mas pode ser lavado.

- Amoras e framboesas: podem ser apanhadas no verão, de preferência num dia de sol bem quente e bem seco. Lavar em água fria. Deixar escorrer e secar bem ao sol. Congelar. Podem fazer tarte de frutos silvestres em pleno inverno - basta deixar descongelar lentamente à temperatura ambiente. - Dióspiros: quando estão muito bem maduros (literalmente, a "desfazer-se"), tirar a casca e desmanchá-los numa taça que possa ir para a arca congelar. Quando quiserem servir, é só deixar descongelar, sempre à temperatura ambiente, e depois mexê-los com um cálice de vinho do Porto. Fica uma sobremesa deliciosa, que pode ser servida em tacinhas decoradas com um pau de canela. PUERICULTURA - Banho: sabonete de glicerina, puro. Sem perfume. Lavar a cabecinha, também (não é preciso champô!). É ultra-suave com a pele, hidrata e respeita o pH. Muito mais económico que qualquer outro! - Termómetro para a água do banho: perfeitamente dispensável. A temperatura deve medirse metendo o cotovelo (!!!) na água – se estiver morna e confortável no nosso cotovelo, estará óptima para o banho do bebé! - Limpar rabinhos quando se muda a fralda: óleo de amêndoas doces. Muito mais barato que usar as toalhitas. Protege contra as assaduras. Combate a irritação do xi-xi. E como aplicar/usar? No tempo em que o algodão em rama era "luxo", as mamãs usavam paninhos. Os mais macios? São retalhos de camisas velhas dos papás (atenção: só vale as de 100% algodão). Para não ter trabalho a fazer bainhas nos paninhos, a minha irmã cortava quadrados de tecido com uma tesoura própria para trabalhos manuais - as fazem o efeito ziguezague não deixam os paninhos esfiapar! Brilhante, não? - Primeiras papas: amido de milho (tipo "farinha Maizena") cozido em leite (ou uma mistura de 50% de água + leite, no tempo em que se comprava "leite inteiro" de vaca, directamente ao produtor - demasiado "forte" para os mais novinhos!). Saudável, nutritiva - e muito mais barata que as papas "industriais" actuais! - Limpar "farrapinhos" ou "sapinhos" (uns grumos brancos que aparecem na boquinha dos pequerruchos): nada de coisas da farmácia - basta água fervida, às colherinhas... - Sopa: para mamãs com pouco tempo, a sopa pode ser feita apenas uma vez por semana e congelar-se em doses individuais. Evitar a descongelação em micro-ondas: é melhor em "banho-maria". - Esterilizadores de biberões: podem ser dispensáveis, basta para isso colocar os biberões em água a ferver, assim como o aquecedor: aquecer o biberão em banho-maria. - Pomadas do rabinho: só devem ser colocadas caso o rabinho comece a ficar vermelho ou após um coco com xixi (que é o mais propício a criar a assadura no rabinho). - Roupa de bebés com nódoas: antes de mais, deves tentar retirar a maior quantidade possível de papa, sopa, iogurte, puré... o que for, raspando com uma colher ou faquinha, LOGO que

caia na roupa. Se deixarem os resíduos "sólidos" secarem, eles agarram ao tecido e é quase impossível que saia na lavagem. Depois, experimentar pôr de molho umas horas antes de meter a roupa na máquina, numa mistura de água com vinagre. Basta um esguicho de vinagre por cada litro de água. Não é preciso lavar com água mais quente que 60ºC! Se as nódoas persistirem – o que será raro, depois da acção do vinagre! – faz-se uma "pasta" com bicarbonato de sódio, aplica-se sobre a nódoa e deixa-se actuar por umas horas. Depois lavase normalmente.