DIMENSIONAMENTO DE TUBULAÇÕES E CÁLCULO DE PERDA DE CARGA Devemos sempre observar a velocidade recomendada para o escoamento de um fluído.

Alguns fabricantes recomendam aos seus clientes as seguintes velocidades de escoamento para o óleo hidráulico: - Para sucção e preenchimento: v = 60,96 cm/s à - Para retorno: v = 304,80 cm/s à 121,92 cm/s 457,20 cm/s

- Para retorno após ter passado por uma válvula reguladora de pressão do tipo alívio: v = 457,20 cm/s à 762,20 cm/s - Para pressão abaixo de 210 bar: v = 762,20 cm/s à 914,40 cm/s - Para pressão acima de 210 bar: v = 457,20 cm/s à 509,60 cm/s

* Observação: Seguindo estas velocidades estaremos contribuindo para que o sistema tenha um escoamento laminar (menor perda de carga) e o cálculo da tubulação invariavelmente resultará em um diâmetro comercial. Durante o escoamento do fluído através do sistema hidráulico, pode ocorrer uma perda de pressão (mais comumente denominada de “perda de carga”) que é devido a vários fatores. Para encontrarmos, através de cálculos, o valor da perda de carga, devemos seguir a seguinte fórmula: v2 . γ 1 ΔP = f . L . _____ . ______ D 9266 215915 ΔP – perda de carga do sistema [bar]; f - fator de fricção (adimensional); L = Li + Ls - comprimento total da tubulação [cm]; Li – comprimento da tubulação retilínea [cm]; Ls – comprimento equivalente das singularidades [cm]; D – diâmetro interno da tubulação [cm]; v – velocidade de escoamento do fluído [cm / s]; γ – densidade do fluído em Kg / m3 (igual a 881,1 Kg / m3 para óleo SAE-10); 215915 x 9266 – fator de conversão para uniformização das unidades.

CÁLCULOS: 1º Determinação do fator de fricção “f”: O fator “f” está ligado à temperatura do fluído e rugosidade interna do duto. nos fornece o comprimento total da tubulação “L”. etc) causam perdas de carga e aquecimento do fluído. Como é muito difícil se estabelecer uma queda de pressão para cada tipo de singularidade.45 à 0. Li e L: Qualquer restrição à passagem do fluído (curvas. 0 < R ≤ 2000 – escoamento laminar 2000 < R < 3000 – escoamento indeterminado R ≥ 3000 – escoamento turbulento 2º Determinação de Ls. bifurcações. f= X R X = 64 para tubos rígidos e temperatura constante. utilizando tabelas que nos auxiliem a isto. VER TABELA DE PERDA DE CARGA LOCALIZADA À soma de todos os comprimentos equivalentes damos o nome de “Ls”. = viscosidade cinemática do fluído em Stokes (0. R – nº de Reynolds R = v . X = 75 para tubos rígidos e temperatura variável (ou vice-versa). D . maior dificuldade terá o óleo para escoar. quanto mais rugoso for internamente o duto. através de cálculos. . onde: ‫ע‬ ‫ע‬ v = velocidade do fluído [cm / s].50 para óleo hidráulico). que será acrescentado ao comprimento da tubulação retilínea “Li” que. o que se costuma fazer é transformar. isto é. A esse tipo de comportamento damos o nome de perda de carga localizada. X = 90 para tubos flexíveis e temperatura variável. D = diâmetro interno da tubulação [cm]. por fim. essas singularidades em comprimentos equivalentes de canalização retilínea.

d.2 cm / s em linhas de pressão).3º Determinação de “D”: O diâmetro interno da tubulação é determinado à partir do cálculo da área da seção do duto “A” obtido através da vazão e velocidade do fluxo do fluído. Q=v. 5º Determinação de “γ”: Gama (γ) é a densidade do fluído em Kg / m3 e é igual a 881. f) O fluído utilizado é o óleo SAE – 10. Exercícios: 1º . b) A velocidade do fluxo do fluído é a recomendada na linha de pressão abaixo de 210 bar. – 2 “tês” de saída bilateral. – 4 curvas de 90º de raio longo. f.A A=Q/v A = π . qual será a força resultante de um atuador que possua diâmetro do êmbolo de 32 mm? 2º Dimensione um cilindro hidráulico comercial que trabalhe com pressão de 180 bar e precisa atingir mais de 100. b. d) O comprimento da canalização retilínea é de 1346 cm.1 Kg / m3 para o óleo SAE10. – 2 cotovelos de 90º de raio longo. c. e. .Sabendo que possuo uma rede hidráulica onde circula óleo com pressão de 75 bar.000 N no final de seu curso (não esquecer de recalcular a força após encontrar o novo diâmetro – comercial -). D2 / 4 D= 4. c) Os tubos são curvados e a temperatura do fluído é variável.A/π 4º Determinação de “v”: Deverá ser a recomendada (ex. 3º Calcular a perda de carga de um sistema sabendo que: a) A vazão máxima é de 18.925 l / min (5 gpm – galões por minuto). – 1 entrada normal.: 457.2 cotovelos de 45º. e) São encontradas as seguintes singularidades no sistema: a. – 1 registro de globo. .