Jorn Utzon Arquitecto dinamarquês (Copenhaga, 9.4. 1918 – ibid., 29.11.2008) formado pela Academia de Belas-Artes, em 1942.

Durante a II Guerra Mundial trabalhou na Suécia, finda a qual partiu para a Finlândia onde trabalhou com Alvar Aalto, viajando por países de diversos continentes (Marrocos, México, EUA, China, Japão, Índia e Austrália), recolhendo elementos que lhe permitiram reflectir e formular as suas próprias concepções arquitectónicas. A obra mais célebre de Jørn Utzon é o edifício da Ópera de Sydney, mas projectou numeros outros edifícios quer na Dinamarca, quer no Kuweit e no Irão, entre outros.

-Herman Hertzberger arquiteto Holandês contemporâneo de destaque Teórico -Principal condutor do movimento estruturalista em seu país. -O estruturalismo é inspirado nas investigações do antropólogo Levi-Strauss sobre relações entre as estruturas que regem os processos culturais, e consiste na análise de grandes sistemas, examinando as relações e funções das mínimas partes envolvidas. Hertzberger junta preocupações humanistas, de convivência e conforto -Segundo ele a forma nunca é definitiva pode ser sempre alterada e ou expandida -Herman Hertzberger é autor de várias obras, como a sede da companhia de seguros Centraal Beheer em Apeldoorn (1968-72), talvez a mais conhecida e admirada obra da arquitetura holandesa e que o tornou internacionalmente conhecido; o Centro Musical Vredenburg, em Utrecht (1973-78); e o Teatro Chassé, em Breda (1992-1995). - Grande parte do seu trabalho voltado para arquitetura escolar - Cada projeto significa uma pesquisa sobre a contribuição que o espaço pode proporcionar ao ensino e ao desenvolvimento das crianças - Algumas das escolas que Hertzberger projetou são adeptas a educação Montessori, que combina perfeitamente com sua arquitetura estruturalista. O Método Montessori, fundado por Maria Montessori, diz respeito a harmonizar a interação de forças corporais e espirituais, corpo, inteligência e vontade. As escolas do Sistema Montessoriano são difundidas pelo mundo. Público e Privado  Coletivo e Individual Publico é uma área acessível a todos em qualquer momento, enquanto o privado tem seu acesso restringido por alguém ou determinado grupo. A determinação como espaço publico ou privado e temporária já que depende do seu uso. Um espaço pode ser considerado semi-privado ou semi-publico devido sua utilização Zoneamento Territorial A influência dos usuários pode ser estimulada, onde se pode esperar o envolvimento necessário; e como isto depende do grau de acesso, das demarcações terrítóriais, da organização da manutenção e da divisão de responsabilidades, é essencial que o projetista esteja plenamente consciente desses fatores nas suas gradações adequadas. Edifício de Escritórios Centraal Beheer

segundo Hertzberger. A professora e os alunos decidem que aparência o lugar vai ter. escolhendo as cores.Os funcionários ordenam e personalizam os espaços dos escritórios. que fazem o possível para tornar essas áreas atraentes em benefício da comunidade. Ou seja usuários do espaço introduzem seu gosto pessoal para se sentirem mais confortáveis. Os edifícios possuem o mesmo sistema construtivo A praça urbana oferece oportunidade que todos se encontrem no dia-a-dia ou em eventos especiais A valorização de áreas sociais é uma das características predominantes nas obras de Hertzberger. Mas os resultados ainda são rígidos e impessoais comparado ao que cada morador poderia fazer se tivesse a oportunidade de usar um pequeno pedaço de terra. de pé. . Criou muros baixos na entrada em que se pode sentar. o acabamento de interiores foi completamente delegado aos usuários do edifício. eles construíram o tipo de espaço que queriam – no qual podiam trabalhar. deixando os ambientes de modo que possa ser organizado de diversas maneiras. e sim deixa espaço para o usuário intervir à sua maneira. ou seja dar uma personalidade ao local. dormir e receber seus orientadores. Faculdade de Arquitetura do MIT Os estudantes opuseram-se a ter de trabalhar em pranchetas de desenho arrumadas em filas longas e rígidas. O arquiteto decide onde o usuário/habitante vai poder dar sua contribuição. Cuidado em não deixar os espaços inutilizados. O Hall/corredor é comparado como uma “rua” As salas de aula dessa escola apresentam diferenças de nível. ESCOLAS APOLLO ( Projetada no início de década de 80) Duas escolas com sistema de ensino diferentes. o que possibilita que algumas crianças pintem ou modelem na parte de baixo enquanto outras executam trabalhos concentradas sem perturbações na parte de cima. CONCEITO DE OBRA PÚBLICA As novas área urbanas são de responsabilidade dos departamentos de Obras Públicas. todas voltadas na mesma direção. O professor. Usando restos de material de construção. O usuário se torna morador a partir do momento em que se envolve no arranjo /organização mobiliário de uma área. pode supervisionar toda a turma. os vasos e objetos de estimação. Centro Musical de Vredenburg Não apresenta soluções prontas. comer. As salas de aula desta escola são concebidas como unidades autônomas. o mínimo a se oferecer.

Depois séc. XIX – Época de ouro dos edifícios públicos. O Acesso público ao espaço privado As galerias surgiram para explorar os espaços internos abertos. tais como luzes. as partes ensolaradas ou as partes com sombras são as mais populares. trafego motorizado está sempre ausente ou longe o bastante para não atrapalhar Moradias Haarlemmer Houttuinen Reserva de 27 metros de trânsito (solução politica do que planejamento urbano). cercas baixas e bancos públicos. Assentamento em faixas: Evitar que os moradores tenham uma visão completa de seu vizinho. em formas e dimensões diversas que dependem das condições locais. Criação de novos espaços públicos e influência do turismo. altos ruídos de trânsito Os equipamentos necessários à rua. É um lugar seguro mesmo para as crianças pequenas. que possa ser apropriado e anexado por todos como um lugar que realmente lhes „pertença‟. O espaço público como ambiente construído. para não estimular a bisbilhotice e tendo uma maior privacidade. com o teto de vidro dão sensação de interior: estão do lado de “dentro” e de fora ao mesmo tempo . ruas estreitas dando boa visão das vitrines dos dois lados. livre do trânsito e com vista para os telhados da cidade velha. Ruas inteiras de comércio cobertas de vidro. que podem brincar ali enquanto seus pais podem ficar sentados em frente às suas casas. Dependendo do clima.” A RUA A rua é um dos melhores lugares para um contato social. quando a conservação e a administração de uma área comunitária “O arquiteto pode contribuir para criar um ambiente que ofereça muito mais oportunidades para que as pessoas deixem suas marcas e identificações pessoais.As coisas começam a dar errado quando as escalas se tornam grandes demais. As galerias de lojas existem em todo o mundo. estão distribuídos de tal modo que apenas um pouco de carros estacionados já são o bastante para obstruir a passagem de qualquer tráfego adicional Alojamento para Estudantes Weesperstraat As unidades de habitação pra os estudantes casados no quarto andar induziram à construção de uma rua-galeria. As passagens altas e compridas. que poderia ser vista como um protótipo para uma rua de convivência . comparando-se com uma sala de estar comunitária. estacionamentos de bicicletas. XIX – poucos edifícios públicos de forma integral. Como resultado não sobrou espaço para jardins nos fundos. Até séc.

.O lado de dentro está tão interligado com o lado de fora que não se pode dizer quando estamos dentro do edifício ou quando estamos no espaço que liga dois edifícios separados .