Perfuração

O ponto de partida na busca do Petróleo é a exploração ou prospecção, que realiza os estudos preliminares para a localização de uma jazida. A moderna indústria de exploração do petróleo utiliza métodos de investigação na procura dessas áreas onde essas condições básicas (geológicas) possam existir. Nesta primeira fase atuam duas ciências de grande importância.

São elas: Geologia: Que estuda Sua origem, constituição e os fenômenos Que atuam na terra. Geofísica: Que estuda os fenômenos físicos do planeta. .A segunda parte fica por conta da perfuração.

Perfuração: A perfuração ocorre em locais previamente determinados pelas pesquisas geológicas e geofísicas. Fura-se então, um poço pioneiro mediante o uso de uma sonda de perfuração. Este trabalho é feito através de uma torre ou mastro que sustenta a coluna de perfuração formada por vários Tubos. Na ponta do primeiro tubo encontra-se a broca que triturando a rocha, abre caminho nas camadas subterrâneas. Comprovada a existência de petróleo, outros poços são perfurados para se avaliar a extensão da jazida. Essa avaliação é que vai determinar se é comercialmente viável, ou não, produzir o petróleo descoberto. Caso positivo o número de poços perfurados forma um Campo de petróleo.

Sistema de Sustentação de Carga (Equipamentos): Torre ou mastro Subestrutura Estaleiro (base ou fundação) Sistema de Geração e Transmissão de Energia: Fontes de Energia Sondas Mecânicas Sondas Diesel Elétrica Sistema de Movimentação de Carga: Guincho Bloco de Coroamento Catarina Braço de elevação Cabo de Perfuração Elevador Sistema de Rotação: Mesa Rotativa Kelly Cabeça de Injeção ou swivel Top Drive Motor de Fundo Sistema de Circulação: 1-Fase de Injeção Tanque de Lama Bombas de Lama Tubo Bengala Mangueira de Lama Swivel Interior da Coluna Interior da Broca. 2-Fase de retorno: Anular Linha de Saída de Lama 3-Fase de Tratamento: Peneira Vibratória Desareiador Dessiltador Mud Cleaner Centrífuga Centrífuga de Alta Velocidade

Sistemas operacionais de uma Sonda Sistema de sustentação: É a parte que suporta o peso da coluna de perfuração do revestimento e da broca. Sistema de transmissão e geração de energia: É o local de produção de energia necessária para o acionamento dos equipamentos da sonda. Sistema de movimentação de carga: São os equipamentos que permite movimentar as colunas de produção, de revestimento e outros equipamentos. Sistema de rotação: Permite transmitir o movimento da mesa rotativa para a Broca. Sistema de circulação: São os equipamentos que permitem a circulação e o tratamento do fluido de circulação. Sistema de segurança do poço: São equipamentos que permitem o fechamento e o controle do poço. Sistema de monitoração: São os equipamentos necessários ao controle de perfuração.

Equipamento sustentação de carga Torre ou mastro: Suportar o peso da coluna e promover a altura necessária Para o içamento de uma seção de tubos a ser descida ou retirada do poço. TORRE: São estruturas de forma piramidal, construída com elementos de aço especial. As torres são estruturas mais robustas, próprias para as sondas que operam no mar, onde as condições de operação são muito particulares. As torres são montadas peça a peça. MASTRO: O Mastro é uma estrutura treliçada ou tubular, divida em módulos para fins de transporte. Articulado na sua base, o mastro pode ser montado ou desmontado horizontalmente, e colocado verticalmente em posição de operação, utilizando o guincho de perfuração e um cabo especial. O Mastro é apropriado para as sondas de perfuração terrestre, caracterizada pela sua grande mobilidade. Subestrutura: Prover um espaço de trabalho sob a plataforma, onde são Instalados os equipamentos de Segurança de segurança do poço. São construções em aço instaladas sobre bases ou fundações, propiciando espaço necessário para montagem da cabeça do poço e equipamentos de Segurança. A base ou fundação da sonda pode ser de madeira, concreto armado ou em aço, apoiada sobre o solo. Estaleiro: Servem para estocagem dos elementos tubulares, que ficam ao lado de uma Passarela. Precisam ser içados ou descarregados, facilitando o seu manuseio. É constituído de uma estrutura metálica formado de vigas que se apóiam sobre pilares.

Sistema de geração de energia A energia necessária para o acionamento dos equipamentos de uma sonda de perfuração é normalmente fornecida por motores diesel. Usando gás como combustível. A velocidade de torque variado afeta a produção de energia. A depender do modo de transmissão da energia para os equipamentos, as sondas de perfuração são classificadas em sondas mecânicas ou diesel-elétricas. Sondas mecânicas: Nas sondas mecânicas a energia gerada nos motores diesel é leveda a uma transmissão principal (compound) através de acoplamentos hidráulicos (conversores de torque) e embreagens. O compound é constituído de diversos eixos, rodas dentadas que distribuem a energia para todos os sistemas da sonda. Sondas diesel-elétricas: As sondas diesel-elétricas geralmente são do tipo AC/DC, no qual a Geração é feita em corrente alternada e a utilização é em corrente contínua. Motores diesel ou turbinas a gás acionam geradores de corrente alternada (AC) que alimentam um barramento trifásico de 600 volts. Este barramento, alternativamente, também pode receber a energia da rede pública. Pontes de retificadores controladores de silício (SRC) recebem a energia do barramento e a transformam em corrente contínua que alimenta a sonda. Os equipamentos auxiliares como iluminação, hotelaria que utilizam corrente alternadas, recebem a energia do barramento após passar por um transformador.

Sistema de Movimentação de Carga Permite movimentar colunas de perfuração, revestimento e outros equipamentos. Guincho: Recebe energia mecânica para a movimentação de cargas através da transmissão principal. É constituído por: 1. Tambor principal; 2. Tambor auxiliar ou limpeza de freios; 3. Molinetes; 4. Embreagens. Bloco de coroamento: É um conjunto estacionário de polias montadas em linha num eixo suportado por dois mancais de deslizamentos, localizado na parte superior do mastro ou torre . O bloco de coroamento suporta todas as cargas que são transmitidas pelo cabo de perfuração. Catarina: É um conjunto de polias montadas em um eixo que se apóia nas paredes externa da própria estrutura da catarina.

Gancho da catarina: Sustenta a coluna de Perfuração. Possui um sistema de amortecimento para evitar que os golpes causados na movimentação das cargas se propaguem para a catarina. Braço de elevação: É o equipamento usado para segurar a tubulação durante a movimentação. Cabo de perfuração: É um cabo aço trançado em torna de um núcleo ou alma, sendo que cada trança é formada por diversos fios de pequeno diâmetro de aço Especial. Elevador: É um equipamento com a forma de anel bipartido. Utilizado para segurar e movimentar elementos tubulares (tubos de perfuração e comandos).

Sistema de Rotação São equipamentos que transmitem rotação da sonda até a broca. Mesa rotativa: É o equipamento que transmite rotação à coluna de perfuração e permite o livre deslizamento do kelly no seu interior. Em certas operações, a mesa rotativa deve suportar o peso da coluna de pefuração. Kelly: É o equipamento que transmite a rotação proveniente da mesa rotativa até a coluna de perfuração. Pode ter dois tipos de seção: Em sondas onshore o mais comum é o de seção quadrada. Em sondas offshore é o de seção hexagonal, devido a sua resistência à tração, rotação e flexão. Cabeça de injeção ou swivel: É o equipamento que separa os elementos rotativos daqueles estacionários na sonda de perfuração. Sendo assim, a parte superior não gira e sua parte inferior permite rotação. O fluido de perfuração é injetado no interior da coluna através da cabeça de injeção. Existem dois tipos alternativos de aplicação de rotação na broca que elimina a mesa: 1. Top drive. 2. Motor de fundo. Top drive: Permite perfurar o poço de três em três tubos, ao invés de um a um, quando a mesa rotativa é utilizada. O top drive elimina o uso da mesa rotativa e do kelly. O menor número de conexões torna a operação mais rápida e mais segura para a equipe. Permite movimentação vertical da coluna. Motor de fundo: É um motor de giro colocado logo acima da broca. A coluna de perfuração não gira, o torque imposto a ela é nulo, e o seu desgaste fica bastante reduzido. O giro só se dá na parte inferior do motor de fundo, solidário à broca. É utilizado em poços direcionais. O torque é gerado pela passagem do fluido de perfuração.

Sistema de Circulação de Fluido São equipamentos que permitem a circulação e o tratamento do fluido de perfuração. ▪ Fase de injeção, Fase de retorno e Fase de tratamento. O fluido de circulação (lama) desce pela coluna, passa pelos jatos da broca, remove os cascalhos do fundo do poço trazendo-os até superfície pelo anular (espaço entre a coluna e o revestimento). Trajetória do fluido: superfície, fundo do poço e superfície. Equipamentos de Circulação de fluido: Tanques de Lama: Servem para armazenar e homogeneizar o fluido, com o auxílio dos agitadores e misturadores. Bombas de lama: Fornecer energia ao fluido para que ele circule em todo trajeto do poço. Bombeia fluido com auto teor de sólidos. Ampla faixa de pressão e vazão. Fácil manutenção e alta confiabilidade. Podem ser: Triplex - trabalha com 3 pistões. Duplez - trabalha com 2 pistões. Tubo bengala - tubo rígido: Conduz a o fluido até a mangueira de lama. Mangueira de lama: Recebe o fluido e conduz até o swivel. Swivel: Responsável pela injeção de fluido no interior da coluna de perfuração. Peneira de Lama: Separa os cascalhos que foram carreados pelo fluido. Desareiador: Conjunto de dois a quatro hidrociclones de 8” a 20” que separa a areia do fluido. Dessiltador: Conjunto de oito a doze hidrociclones de 4” a 5” que descarta partículas de dimensões equivalentes ao silte. Mud cleaner: Dessiltador com peneiras que permite recuperar partículas reduzindo gastos com aditivos. Centrifuga: Retira partículas ainda menores que o silte e que não tenham sido descartadas pelos hidrociclones. Desgaseificador: Retira o gás contido no fluido de perfuração quando necessário. Ex: Durante a perfuração de uma formação portadora de gás.