You are on page 1of 4

EJEF

Latrocínio - Modelo 1
Juiz(a): Dr. Relbert Chinaidre Verly Comarca: Uberlândia JUÍZO DE DIREITO DA 4ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE UBERLÂNDIA/MG Processo nº ..... Natureza: Artigo 157 § 3º, última parte, do CP Autora: ..... Réus: ..... ..... SENTENÇA Vistos etc. ..... e ....., ambos qualificados à fls. 02, foram submetidos a esta ação penal movido pela ..... como incursos nas sanções do artigo 157 § 3º, última parte, do Código Penal, porque, segundo a denúncia, no dia 31 de agosto de 2005, por volta das 23:40 horas, a vítima ....., transitava em seu veículo ....., cor ....., ano ....., placa ....., acompanhado do seu filho, o menor ..... Momente, quando, no cruzamento da avenida ..... com a avenida ....., foram surpreendidos pelos denunciados, que os abordaram anunciando um assalto. As vítimas obedeceram todas as ordens dos acusados, entregando para estes todos os seus pertences, sem esboçar nenhuma reação. Mesmo assim o primeiro denunciado agrediu o menor ....., chutando-o. O segundo denunciado, ao entrar no veículo, efetuou um disparo contra a pessoa de ..... não tendo este resistido e vindo a falecer no próprio local. Seu filho ..... Presenciou todo o acontecimento. Os denunciados fugiram levando o veículo da vítima e seus pertences. Sustenta, ainda, que no dia 1º de setembro de 2005, por volta das 08:30 horas, a pessoa de ....., gerente de vendas do Supermercado ....., situado no bairro ....., afirmou que duas adolescentes, ..... e ....., tentaram comprar no estabelecimento, com um cheque no valor de R$ 300,00 (trezentos reais) pertencente à vítima ..... . Argumenta que o gerente e uma funcionária, descobriram, ao ligar para casa de ....., consultando o cheque, que este foi morto um dia antes, vítima de um assalto. Ao tomarem conhecimento deste fato acionaram imediatamente a polícia, a qual teve acesso as filmagens do supermercado e através dessas fizeram uma busca e encontraram as jovens, as quais foram detidas nas proximidades do supermercado portando o cheque da vítima. A vítima sobrevivente, o menor ..... reconheceu ..... e ....., sendo aquele na DEPOL e este através de fotografia, como sendo os autores do latrocínio que vitimou o seu pai, e afirmou que o autor do disparo foi ..... . Juntou-se auto de apreensão (fls. 36 e 38), auto de reconhecimento de pessoa (fls. 43/44), auto de reconhecimento de fotografia (fls. 48), termo de restituição (fls. 56), laudo de avaliação (fls. 62) e laudo de necrópsia (fls. 63/64). Às fls. 86 foi recebida a denúncia, tendo sido interrogado o réu ..... (fls. 145/147), tendo sido determinado à expedição do edital para citação do acusado .... . Às fls. 150, o acusado ..... apresentou sua defesa prévia. Em ato contínuo, foi realizada a audiência de instrução onde foram ouvidas 03 (três) testemunhas de acusação e 01(uma) testemunhas de defesa do réu ..... . Às fls. 203 o acusado ..... não compareceu ao interrogatório designado, tendo sido decretada a suspensão do processo na forma do artigo 366 do CPP, mantendo a sua prisão preventiva anteriormente decretada. Na fase do artigo 499 o Representante do ..... nada requereu, deixando o advogado do acusado transcorrer o prazo in albis. Em alegações finais (fls. 218/225), o órgão do ..... pugna pela procedência da denúncia, com a condenação do acusado ....., por ter restado amplamente provado no bojo dos autos a autoria e materialidade do delito capitulado na denúncia. O assistente de acusação apresentou suas alegações finais (fls. 228/230) escoltando as alegações finais do ....., pleiteando a
http://www.ejef.tjmg.jus.br/home Fornecido por Joomla! Produzido em: 23 September, 2012, 17:12

que naquele momento o interrogando se aproximou do .. que a seu favor milita a atenuante esculpida no artigo 66 do CP.. entrou no carro e o outro elemento ao entrar efetuou um disparo a "queima roupa" contra o pai do declarante (. fls. estava urinando no terreno baldio..jus...... os documentos e demais objetos da vítima foram apreendidos nos autos em tela.. em seu interrogatório assim delineou os fatos: "que são verdadeiros em parte os fatos narrados na denúncia.... todo o acontecimento.) que por volta 01:15 saíram da casa de .. foi preso em flagrante pelos milicianos e.... e o interrogando foi até onde estava o menor e mandou que ele fosse descendo... que ficou conversando com a mulher de . ano .......... começou a urinar foram abordados pelos dois homens.EJEF condenação do acusado ..... Seu filho ...... cor ..... de nome de .. que o que estava armado era um homem claro.. que foi corroborado na fase judicial: "que na data de ontem por volta de 23:40 hs... que imediatamente ao ouvir o anúncio o declarante desceu do carro. . que quando . (..... Assim prestou as informações a jovem . na companhia do ... já que a mesma estava em busca do suposto acusado pelo cruel delito. sem esboçar nenhuma reação.. 11.00 (trezentos reais) preenchido resolveu ir até o supermercado . em sede de alegações finais (fls.00 (trezentos reais).. indo para a sua casa que fica no bairro ........ .......saiu..)". que eram dois homens.. em sua residência. ainda... que logo em seguida o . . no cruzamento da avenida . DECIDO Trata-se de ação penal pública que objetiva a apuração da culpabilidade do acusado . enquanto . A autoria delitiva do acusado ... da estatura mediana........ agrediu o menor ..tjmg. que durante o percurso .) "... que fica no Bairro . indo para casa deste último.. entregando para estes todos os seus pertences.... de barba curta.... sendo um armado e outro aparentemente armado...... Confrontando o interrogatório do acusado . onde por volta das 23:40 horas... que portava uma arma.. resolveu parar para urinar em um terreno próximo a Av. o relatório. começou a ser desvendada através dos depoimentos das referidas jovens detidas... neste interim o acusado ...... já em sede judicial o acusado . esforços não foram medidos para que o acusado fosse identificado e preso em flagrante delito. 231/235)...... que é testemunha ocular já que estava junto com o seu pai no instante da prática delitiva. e .. com o depoimento do filho da vítima ...vistou o veículo da vítima parado.. quando.. somente pelo fato de que no dia posterior a data do fato. Lado outro. ao entrar no veículo. .... Apurou-se todo o macabro plano criminoso empregado pelo acusado e terceira pessoa.... que então dormiram e no noutro dia . para fazer compras com o mesmo (... o menor ..... um talão de cheque...... onde mexeu em uma caixa de papelão a qual fica em cima cadeira.br/home Fornecido por Joomla! Produzido em: 23 September.... aparentando ter 24 anos e o outro homem era o que lhe foi apresentado nesta delegacia e reconhecido pelo declarante como sendo a pessoa de ......... 17:12 . o menor .)".... Quando estava junto com seu pai ............. (......... em apertada síntese.. Mesmo assim o acusado ... O acusado .......... sendo que um menor estava perto do carro e a vítima ... . sustentou que a sua participação no delito de latrocínio não restou devidamente configurada.. após tentaram descontar um cheque da vítima no Supermercado . sai do carro"... As vítimas obedeceram todas as ordens do acusado..... está delineado todo o contorno que deu a conduta delitiva imputada ao acusado .. 2012. a declarante e . com a avenida . de nome de . já que não estava devidamente revestido do liame subjetivo do tipo penal que é essencial para prosperar uma condenação nos moldes propostos pelo órgão ministerial. afirmando que estava portanto uma arma de brinquedo. transitava em seu veículo . demonstrando inconteste a sua autoria delitiva. seguindo pela ... bem como a sua autoria. primária e sem qualquer inserção no meio social. Assim. não tendo este resistido e vindo a falecer no próprio local.. devendo ser desclassificado para o delito de roubo.... chutando-o... estavam bebendo. já que http://www.. que o homem que estava armado anunciou o assalto dizendo: "é um assalto. efetuou um disparo contra a pessoa de ......... no delito cometido no dia 31 de agosto de 2005.. acompanhado do seu filho.. placa .. bem como da apreensão dos objetos pessoais pertencentes à vítima em poder do acusado ..... que o interrogando afirma que estava caminhando pela Av. assim depôs auto de prisão em flagrante de fls.. esquina com a Av.. Como é cediço da nossa gloriosa polícia mineira.......... que ao mexer na caixa achou um cheque preenchido de R$ 300. que os abordaram anunciando um assalto.) que então ..... dando um chute na "bunda" do menor (...ejef..... que ao ver o cheque de R$ 300. a vítima ... duas jovens foram detidas pela polícia. por ser o acusado pessoa pobre........ 13: " que ontem por volta de 20:00 horas foi até a casa do amigo de . vários documentos pessoais da pessoa de . e anunciou o assalto. É..... Sustenta. Neste liame.... ficou cuidando da vítima .. nos termos das reprimendas da conduta delitiva esculpida na peça acusatória. foram surpreendidos pelo acusado e ....

.. o liame subjetivo esculpido no artigo 29 do CP.. dispostos a enfrentar qualquer situação para assenhorar definitivamente os bens alheios. as circunstâncias em que se deu o delito.. realçando o nexo de causalidade da conduta acusado com o delito empregado na peça acusatória. tendo como resposta imediata à bruta e cruel morte na presença do seu filho... e.JUTACRIM 95/268). isso às vezes em concurso de agentes. bem como o horário....AC ... 17:12 .. capaz... que ceifou sua vida. A respeito diz a jurisprudência: http://www.br/home Fornecido por Joomla! Produzido em: 23 September.. a ponto da própria defesa técnica não sustentar em sede de alegações finais tudo aquilo exposto pelo acusado no seu interrogatório.. pois incumbiu de segurar o filho da vítima enquanto o acusado .. Isso para não dar azo a frustração de sua empreitada criminosa. Na judicatura nesta Comarca de . o entendimento que segue prevalecendo.. local e modus operandi. descrê-lo detalhadamente como aconteceu... estavam verdadeiramente dispostos a qualquer custo almejarem os bens da vítima.ejef.. que estava em companhia do acusado. isso de maneira consciente da conduta empregada. pudesse render a vítima ... quando reconhece o autor delituoso e descreve toda a sua empreitada. ainda. ainda. o dinheiro. pois este concorreu de maneira direta e eficiente. Lado outro. bem próximo do acusado..... e . que encontra-se dentro dos rol daqueles considerados os mais repudiados pela sociedade atual.Rel. ainda analisando as bem lançadas alegações do nobre e combativo defensor do réu. clamando tão somente para não fazer aquilo..... que é a vontade livre e consciente de praticar o crime complexo do latrocínio. ou seja.. saem pelas ruas a procura de vítima. enquanto esta cuidava da vítima . Assim.. assim. isso imbuído da falsa certeza que poderia convencer esse magistrado desta inútil estória.... que esta. é no sentido de que a palavra da vítima é preciosa no identificar o autor de assalto" (TACRIM-SP . não esboçou qualquer tipo de reação ao assalto.. previsibilidade do resultado morte... como aconteceu. Tal pretensão chegou a cair nas raias do ridículo. teve alguns minutos mais longos e terríveis de sua vida. ligados pelo dolo de praticar um crime comum. pois sua participação foi de fundamental importância para o seu êxito de sua empreitada. "que em momento algum seu pai ou o declarante reagiram" demonstrando que os acusados . Canguçu de Almeida . já que a vítima .. Assim. o mesmo aparentava estar armado e bem disposto de realizar o crime.... Neste liame. durante toda a empreitada criminosa. Neste contexto.EJEF demonstrando está que o acusado efetivamente agiu imbuído com o elemento subjetivo do tipo penal. Advém. Nossa jurisprudência pátria tem de maneira valorizado o depoimento de vítima em casos de crimes patrimoniais. que o acusado .... em seu interrogatório tentou montar um álibi fantasioso e esdrúxulo para tentar escapar das malhas da justiça desse macabro plano criminoso. já que ambos estavam armados.. já que o acusado . a ponto de matá-la caso fosse necessário. como aconteceu no caso em tela. essas não poderão ser acolhidas.. ressalto. já que estava pré-determinada as funções dentro da estrutura criminosa e os critérios subjetivos. para que pudesse ter a posse mansa e pacífica mais facilmente daquilo que é mais condenável no livro sagrado. demonstrado está que o acusado estava pré-disposto a concorrer a qualquer custo para a consumação do macabro plano delituoso. devendo à luz do consagrado princípio constitucional da individualização da pena e nos limites de sua culpabilidade receber as reprimendas adequadas para que não volte delinqüir.jus. de maneira efetiva concorreu para o delito de latrocínio em tela. Senão vejamos: "Em sede de crimes patrimoniais. pois chegou ao ponto de agredi-lo afastando-o do seu pai. com um tiro a "queima roupa". Extrai-se deste mesmo depoimento da testemunha ... já que dentro da estrutura criminosa encarregou-se de anular qualquer reação da vítima e testemunha ... o acusado . pois alçou-o sob a mira de um revólver e a sua coação física de maneira tal que nada pode fazer para livrar seu pai das garras do acusado .... que é a busca humana incessável e insaciável do vil metal. pude perceber que os criminosos que aqui tentam fazer uma verdadeira esquizofrenia a ordem pública e a paz social. sem nenhuma razão para retificações.. sem qualquer preocupação do que venha acontecer caso haja um óbice para a sua consumação. sem qualquer sombra de dúvida.. já que a participação do acusado no crime não foi de menor importância como quer sustentar. ceifou a vida da vítima ... É da Bíblia que o "amor ao dinheiro é a raiz de todos os males". soa claramente do bojo dos autos e recaí sobre os ombros do acusado a autoria delitiva deste crime. bem como concorreu diretamente para o êxito da empreitada criminosa. concorreu de maneira direta e eficaz para consumação do delito....tjmg.. pois como esclareceu a testemunha . 2012. já que prudentemente verificou a impossibilidade de se prosperar nessa linha de defesa...

.HC . Expeçam-se ofícios ao Instituto de Identificação sobre o resultado desta decisão e ao Diretor do Foro Eleitoral Local. ainda. que deverá ser devidamente corrigida até a data de seu efetivo pagamento. procedam-se aos cálculos de liquidação. mesmo em se tratando de autoria colateral. 25 de janeiro de 2006. em busca de lucro fácil. DISPOSITIVO ISTO POSTO. por já encontrar preso e não ser recomendável a liberdade e ainda se fazerem presentes os pressupostos da prisão preventiva. ainda que de maneira evaziva. P. como incurso nas iras do artigo 157 § 3º. extraia-se a carta de guia e remeta-na para a Vara de Execução Penal. a pena de multa na base de 15 (quinze) diasmulta. que deverá ser cumprida no regime fechado. Passo a dosar as penas do acusado . 2012. consoante disposto na LEP.tjmg. aos antecedentes. para fins do art. bem como guia para pagamento de multa. enfim. José Loyola . entabulada no artigo 65. cada dia-multa. Milita. em favor do réu a circunstância atenuante da confissão espontânea do réu prevista no artigo 65. em razão de reputar desfavoráveis ao réu as circunstâncias judiciais. Por fim. razão pela qual. as conseqüências que jamais poderão ser reparadas. 17:12 . alínea "d" do CP. à razão de 1/30 do salário mínimo. resultando na pena de multa em 12(doze) dias-multa. 15.ejef. a dosimetria das penas impostas deve refletir a maior ou menor atuação no planejamento e execução delitiva. .. já que o réu faz jus a mesma.br/home Fornecido por Joomla! Produzido em: 23 September. aos motivos (que em nada pudessem justificar a prática de um delito de alta reprovabilidade) e às circunstâncias dos crimes (que se deu por motivo banal.. a pena base. gravidade e repercussão do delito. diminuo na pena acima em 01(ano) ano de reclusão. FIXO-LHE. da CF/88. receber a benesse deste instituto. vigente ao tempo do fato. no prazo de dez dias. inciso III.. do CP. "No concurso de agentes.: Ponderadas as circunstâncias judiciais descritas no artigo 59. na medida da culpabilidade dos agentes" (2ª TARJ . em 22 (vinte e dois) anos de reclusão. à personalidade. recolhendo-se o valor ao Fundo Penitenciário. resultando numa pena final de 21 (vinte e um) anos de reclusão..RJTAMG 29/344). Após o trânsito em julgado. Fixo. e por tudo mais que consta dos autos. e. alínea "d" do CP.. lance-se o seu nome no rol dos culpados. RELBERT CHINAIDRE VERLY Juiz de Direito da 4ª Vara Criminal http://www. ainda. JULGO PROCEDENTE a denúncia de fls. penas estas que torno em definitivas à míngua de outras causas legais que determinem as suas exasperações ou atenuações. indispensável saber em que consistiu a conduta do partícipe. acima do mínimo legal pelo grau de culpabilidade. Uberlândia. atendendo à culpabilidade. do Código Penal. acolho a pretensão do acusado quanto a atenuante de confissão espontânea. I..Rel. a fim de se permitir também a fixação da pena nos limites de sua culpabilidade" (TAMG ..jus... R.. III. 02/05 para CONDENAR o réu . atenuando-a em razão da circunstância acima. pois em juízo assumiu a autoria do delito. Inexiste qualquer circunstância agravante em desfavor do réu. Subtraio do réu o direito de recorrer em liberdade.EJEF "Sob pena de não se reconhecer o nexo de causalidade e o vínculo psicológico para a realização do fato típico. à conduta social. podendo.Rel. inciso III. já que deixou uma família desamparada). Condeno-o ao pagamento das custas processuais.. Álvaro Mayrink da Costa).AC . última parte. sem escrúpulos.