You are on page 1of 18

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SÃO GABRIEL CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ARTES CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

MAYRA SILVA CUTRUNEO

PROJETO DE AÇÃO DOCENTE DO ENSINO FUNDAMENTAL

São Gabriel

Comunicação e Artes Campus de São Gabriel Curso de Ciências Biológicas Orientadora: Lurdes Zanchetta da Rosa São Gabriel .2 2009 MAYRA SILVA CUTRUNEO PROJETO DE AÇÃO DOCENTE DO ENSINO FUNDAMENTAL Projeto de ação docente do Ensino Fundamental Universidade da Região da Campanha Centro de Ciências da Educação.

o que não se faz sem abertura ao risco e à aventura do espírito”. Algo. 2004) . (Paulo Freire apud VALLE. nos tornamos capazes de aprender. muito mais rico do que meramente repetir a lição dada. por isso mesmo. constatar para mudar. somos os únicos que.3 2009 “Mulheres e homens. somos os únicos para quem aprender é uma aventura criadora. Aprender para nós é construir. Por isso. social e historicamente. reconstruir.

. . . . . .2 INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ADOTADOS DURANTE A PRÁTICA PEDAGÓGICA (ESTÁGIO). . . . . . . . . . . .1 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA 7ª SÉRIE. . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 COMPETÊNCIAS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2. . 07 2. . . . . . . . . . . . . . 08 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 5 AVALIAÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 06 2. . . . . . . . . .4 SUMÁRIO 1 JUSTIFICATIVA. . . . . . . . .1 OBJETIVO GERAL . . . . . . . 05 . . . . . . .2 METODOLOGIA ADOTADA DURANTE A PRÁTICA PEDAGÓGICA (ESTÁGIO). . . . 5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3. . . . . . . . . . .07. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 CONTEÚDOS A SEREM DESENVOLVIDOS DURANTE A PRÁTICA PEDAGÓGICA 10 (ESTÁGIO).13. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . 2 OBJETIVOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS. .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 . . 08 3. . . . 13 5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . .1 EXPRESSA NO PLANO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA . . . .2 4. . . . . . . . . . . . . . . . .3 HABILIDADES. . 4 METODOLOGIA . . . . . . 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 4. . .07 . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 EXPRESSA NO PLANO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA. . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 6 CRONOGRAMA . . . . . . . . . REFERÊNCIAS. . . 17 OBRAS CONSULTADAS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15. . . . . . . . . . . . .. . . . . .

sua construção e recriação permanente. MUNICÍPIO: São Gabriel PROFESSOR (A) ESTAGIÁRIO (A): Mayra Silva Cutruneo PROFESSOR (A) ORIENTADOR (A): Lurdes Zanchetta da Rosa PROJETO DE AÇÃO DOCENTE 1 JUSTIFICATIVA A escola. que garanta a todos as aprendizagens essenciais para a formação de cidadãos autônomos. . e participativos. de organização e de transformação do mundo. oportunizando o acesso ao conhecimento. COMUNICAÇÃO E ARTES ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DE ENSINO II DISCIPLINA DE CIÊNCIAS ESCOLA: Escola Estadual de Ensino Médio João Pedro Nunes SÉRIE: 7° série TURMA (S): 70. como um processo humano. objetiva proporcionar aos alunos uma aprendizagem onde o aprender através do fazer e a integração entre a teoria e a prática. busca uma educação de qualidade.6 UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SÃO GABERIEL CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. participativos e autônomos capazes de atuar na sociedade onde vivem. Sistema Digestório. A fora isso. Sistema Respiratório e Sistema Circulatório. 71 C/H: 40 horas/aulas PERÍODO: 23/03/2009 à 12/05/2009 UNIDADES TEMÁTICAS: Células e Tecidos. histórico e incessante de busca e compreensão. críticos. como espaço vivo e democrático. desenvolve competências e habilidades para a formação de seres críticos.

que a ação docente precisa de renovação. mas como meios para a aquisição e desenvolvimento destas capacidades. interesse e carinho pela disciplina que ministra em seus educandos e em si mesmo. tomando para si a responsabilidade de tornar prazeroso o ato de aprender. proporcionando a superação das dificuldades e a aprendizagem condizente com a realidade dos mesmos. estamos nos preparando e. Para que as inovações metodológicas cheguem às escolas é que. sendo infinitamente importante para nos tornarmos profissionais mais seguros e criativos. O estágio. necessitamos buscar instrumentos que voltem à atenção do aluno para a sala de aula. porque o cognitivo se desenvolve através da reorganização dos saberes. o conhecimento é acabado. com isso. O profissional. 2. devemos aliar os conteúdos à tecnologia e a prática. Enfatiza-se que os conteúdos curriculares devem atuar não como fins em si mesmos. tornar suas aulas cada vez mais atrativas e. gerar bom humor. dominar seu conteúdo. que ama sua profissão. num processo interativo onde o professor também possa interagir como sujeito do conhecimento consciente de seu papel como educador. o mestre deve perceber e respeitar as diferenças entre seus educandos. se dedica a ela de forma integral. naturalmente. Busca-se uma educação onde o aluno possa ser o sujeito de sua própria formação. com paixão e tenta dar o seu melhor. nada melhor que a vivência em sala de aula para nos mostrar se estamos no caminho certo para guiar a educação brasileira a novos horizontes. O que se propõe é uma visão de flexibilidade e articulação do conhecimento. Todos sabemos. Além disso. que em cada uma delas. Portanto. se entregar à profissão significa ser criativo. OBJETIVOS . nós. portanto. respeitar seus alunos e os conteúdos que ensina. é mais um degrau da longa escada de preparação que estamos trilhando. Para isso. futuros educadores.7 Não podemos conceber a aprendizagem como um processo que se desenvolve por etapas e. o professor deve refletir sobre papel que tem como co-protagonista do educando no palco da educação. Para o educador.

Capacidade de organizar pensamentos. críticos e flexíveis na autonomia intelectual. Valorização da vida. o papel das glândulas associadas ao tubo digestivo. 2. Espírito de pesquisa e busca. criativas e críticas nas quais os educandos possam identificar e compreender a Ciência como algo em permanente reconstrução. Conhecer e compreender. Capacidade de dialogar. Aplicação de conhecimentos às situações cotidianas aliando teoria e prática. Capacidade de criar.3 HABILIDADES • Identificar. compreendendo o papel de cada um de seus órgãos no processo digestivo.8 2. • • • • 2. Identificar e compreender os níveis de organização do corpo humano. • • • . mutável. Consciência de aprender a aprender com pensamentos autônomos. inventar e interagir com os recursos ambientais.2 COMPETÊNCIAS • • • • • • Auto conhecimento. e. Espírito cooperativo e de equipe. reconhecer e descrever a célula como unidade morfo-fisiológica fundamental dos seres vivos. interessantes. bem como suas estruturas e funções. Conhecer a anatomia do tubo digestivo humano.1 OBJETIVO GERAL Desenvolver aulas de Ciências atrativas. também. portanto. Integração coletiva com capacidade de comunicação e argumentação. Reconhecer os diferentes tecidos que formam o corpo humano e suas respectivas funções. críticos e sujeitos ativos de seus aprendizados. bem como parte integrante de seus cotidianos tornando-se. idéias e conceitos. assim.

Pesquisar sobre doenças do sistema digestório. leucócitos e plaquetas). . • • • Conhecer os componentes básicos do sistema respiratório humano. anorexia e bulimia nervosa reconhecendo a importância da higiene dos alimentos. 3 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 3. Aparelho Digestório • Órgãos e funções (dentes).1 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA 7ª SÉRIE Célula • Características. avitaminoses. • Conhecer algumas doenças relacionadas ao sistema respiratório. • • Conhecer os componentes básicos do sangue (plasma sanguíneo.9 • Conhecer a fisiologia da digestão. compreendendo o papel dos músculos do tórax e do diafragma na ventilação pulmonar (inspiração e expiração). • • • Conhecer os componentes básicos do sistema circulatório humano. Conhecer a estrutura do coração humano e identificar as principais artérias e veias ligadas a esse órgão. aditivos alimentares. • Célula animal e vegetal. • Tecidos: Tipos e funções. Conhecer algumas doenças do sistema cardiovascular. compreendendo o papel de cada um deles no organismo humano. Conhecer o sistema linfático e sua função e conhecer também o sistema imunológico. hemácias. obesidade. Conhecer e identificar os tipos de alimentos necessários ao bom funcionamento do organismo. compreendendo o papel de cada um deles no organismo humano.

• Funções. Intoxicação pelo CO2. Sangue: Elementos e funções. • Aparelho Excretor • Excreção: Tipos e órgãos. corantes. Vantagens da vida ao ar livre. Aditivos ( conservantes. Sistema Ósseo. Circulação sanguínea e linfática.).10 • • Alimentos. grupos sanguíneos. Funções. Doenças do aparelho circulatório. Veias a artérias. Higiene da respiração. Respiração (processo). Cuidados quanto ao consumo. Articulações. hematose. • Aparelho Urinário. . Aparelho Circulatório • • • • • Coração (Funções). fontes. • Higiene alimentar. Doenças cardiovasculares. • tipos de ossos. • esqueleto: funções. Poluição do ar. Prevenção de doenças. etc. Aparelho Respiratório • • • • • Órgãos e funções. Músculos • Tipos (funções e propriedades).

corantes. AIDS). Alimentos. fontes. 3. • Tecidos: Tipos e funções. Doenças sexualmente transmissíveis (gonorréia. Fisiologia. Glândulas • • Endócrinas e Exócrinas. Aparelho Reprodutor • • Aparelho Reprodutor masculino e feminino. Funções. Cuidados quanto ao consumo. • Célula animal e vegetal. Aparelho Digestório • • • Órgãos e funções (dentes). . sífilis.). Funções. Aditivos ( conservantes.2 CONTEÚDOS A SEREM DESENVOLVIDOS DURANTE A PRÁTICA PEDAGÓGICA (ESTÁGIO) Célula • Características.11 Sistema Nervoso • • Partes. etc. • Fases biológicas do desenvolvimento humano. Funções e localização. Sistema sensorial • • Anatomia. • Higiene alimentar.

bem como as questões sóciopolítico-econômicas devem fazer parte do currículo escolar onde os educadores devem . Circulação sanguínea e linfática. as mudanças propagadas em termos de Educação. Assim. Vantagens da vida ao ar livre. que o professor fique atento aos conteúdos. Doenças do aparelho circulatório. de construção e reconstrução coletiva dos saberes significativos. hematose. Prevenção de doenças. Respiração (processo). de sair do discurso para a prática. o conhecimento será um processo contínuo. • 4 METODOLOGIA 4.1 EXPRESSA NO PLANO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA Chegou o momento da ação. Veias a artérias. com aulas participativas e contextualizadas. Intoxicação pelo CO2. estudos. de forma interdisciplinar e transdisciplinar. É esperado que após reflexões. Doenças cardiovasculares. A constante leitura e releitura da realidade do aluno. de fazer acontecer a Escola que queremos. Sangue: Elementos e funções.12 Aparelho Respiratório • • • • • Órgãos e funções. trabalhando de forma motivadora possibilitando o desenvolvimento do senso crítico dos alunos. É importante estimular os alunos com conteúdos interessantes. seminários. Poluição do ar. Higiene da respiração. precisam sair do papel e ser vivenciadas. grupos sanguíneos. Aparelho Circulatório • • • • • Coração (Funções).

buscando soluções para os problemas do cotidiano. considerando os conhecimentos que o aluno possui. 4. para a apreciação dos educandos. é necessária uma avaliação inicial para o planejamento do professor e uma avaliação final de cada etapa de trabalho não implicando a instauração de um longo período de diagnóstico. É possível um ensino aprendizagem eficaz se a comunidade escolar comprometerse num trabalho integrado com metodologias adequadas e significativas. trabalhos em grupo e realizações de jogos didáticos. bem como a realização de atividades individuais. onde o aluno possa ler o mundo. é necessário que o professor planeje e escolha conteúdos significativos e adequados ao desenvolvimento dos alunos. trabalhando o erro e voltando no acompanhamento e na reorganização do processo de ensino e aprendizagem na escola. possibilitando que este construa a produção de novos conhecimentos. outros livros e textos científicos. na sua comunidade. organização e construção do conhecimento o livro didático dos alunos. seja presença e cúmplice na aprendizagem dos alunos. Nossa ação como educadores é desenvolver uma educação que promova o ser em todos os aspectos. Serão instrumentos de busca. Por isso.2 METODOLOGIA ADOTADA DURANTE A PRÁTICA PEDAGÓGICA (ESTÁGIO) Durante a prática docente as aulas de Ciências serão ministradas de acordo com a metodologia expressa no Plano Político Pedagógico e no Plano Integrado da Escola. Realizar-se-ão aulas na forma expositivo-dialogada. A tarefa do professor é criar condições para ensinar e implementar a metodologia cooperativa. construindo e reconstruindo constantemente o processo educativo. Outro recurso usado será a apresentação. pesquisas no meio eletrônico e vídeos sobre os assuntos tratados. acompanhe.13 estar comprometidos com a construção de uma escola democrática. capacitando-o a resolver os seus problemas e interferir de forma positiva. Discussões de situações problema e práticas. A aprendizagem deve ser significativa. Assim. de modelos de células procariontes e eucariontes (animal e vegetal) e de órgão e sistemas . partindo de sua realidade.

já que a capacidade de abstração deles ainda está em desenvolvimento. A avaliação é feita de formas diversas com instrumentos variados. As atividades práticas a serem realizadas têm como objetivo proporcionar ao educando um entendimento dos processos biológicos como a digestão do amido.14 do corpo humano para que os alunos possam formar uma imagem tridimensional e realista dos objetos de estudo.1 EXPRESSA NO PLANO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA Avaliar a aprendizagem num sentido amplo. Além disso. a construção de um modelo que explica a ventilação pulmonar e de um estetoscópio para auscultar o coração leva à construção de habilidades motoras nos alunos. a função detergente da bile. 5 AVALIAÇÃO 5. de classificação e reclassificação de alunos. a absorção de água pelas microvilosidades intestinais e as regiões da língua onde identificamos cada sabor. A verificação do Rendimento Escolar terá como objetivo: a) diagnosticar e registrar os processos do aluno e suas dificuldades. A verificação do rendimento escolar será desenvolvida em processo contínuo durante toda a etapa do ensino e observará os seguintes critérios: • avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno com função diagnóstica que oferecerá os elementos necessários para que o professor possa planejar a continuidade de seu trabalho. possibilitando assim uma maior compreensão. c) orientar as atividades de planejamento e replanejamento dos conteúdos curriculares. retomando os aspectos que não foram assimilados ou ampliando a abrangência do conhecimento do aluno com a introdução de novos temas de maior complexidade. aquisição de conhecimentos) quanto o desenvolvimento de suas habilidades (raciocínio. sendo o mais comum em nossa em nossa cultura a prova escrita. . b) fundamentar as decisões quanto à necessidade de procedimentos de reforço e recuperação de aprendizagem. • avaliação do aluno tanto no desenvolvimento cognitivo (isto é. As avaliações são contadas na forma numérica de zero (0) a cem (100) pontos.

onde o professor deve realizar no mínimo duas aferições. d) seminário. Avaliar é estimular o avanço do conhecimento é também reorientar ou não os caminhos da ação educativa. g) prova escrita. h) auto-avaliação. Assim o professor deve: • • • • deixar claro aos alunos os objetivos e critérios de avaliação e correção. e de crítica.) e de suas atitudes (inteligência emocional. responsabilidade.15 aplicação de conceitos. sentir-se responsável no processo de aprendizagem. O aluno por sua vez. sociabilidade. c) avaliação de tarefas feitas em casa ou em sala de aula. e) projetos. As avaliações previstas para cada bimestre ficarão a critério do professor quanto a sua estratégia e formulação. f) testes. 5. pois é ele quem aprende.2 INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ADOTADOS DURANTE A PRÁTICA PEDAGÓGICA (ESTÁGIO) As avaliações respeitarão os critérios estabelecidos pela escola que adota o sistema bimestral de avaliação. deve: • • ter a avaliação como instrumento de medida de sua evolução no processo de Conhecimento. Desta forma ele poderá utilizar os seguintes instrumentos de avaliação: a) ficha de observação. etc. auxiliar os alunos a superar as dificuldades apresentadas. reavaliar a sua prática em função dos resultados. capacidade de observação. b) trabalho individual ou em grupo. . abrir debates sobre as necessidades de mudança. etc). isto é.

respeito aos colegas e professores. pontualidade. testes e atividades práticas. considerando atitudes. responsabilidade. 6 CRONOGRAMA MÊS/ANO ATIVIDADES MAR 2009 ABRIL 2009 MAIO 2009 JUN 2009 Contato com a direção da escola Observação das turmas Elaboração Docente do Projeto de Ação X X X X X de X X X X X X X Elaboração do Roteiro Diário de Ação Docente Prática Docente Elaboração do relatório Seminário de apresentação resultados da Prática docente . interesse. capacidade de diálogo. assiduidade e capricho além da realização de trabalhos.16 A avaliação será feita diariamente de forma continua.

7ª série: Manual do Professor.]. . 2004. Ser humano e saúde.17 REFERÊNCIAS ESCOLA DE ENSINO MÉDIO JOÃO PEDRO NUNES. 2007.n. São Gabriel: [S. Cecília. 2007. Curitiba: Nova Didática.n. ESCOLA DE ENSINO MÉDIO JOÃO PEDRO NUNES. VALLE. São Gabriel: [S. Plano Integrado.]. Plano Político Pedagógico.

Porto Alegre: [S.18 OBRAS CONSULTADAS FURASTÉ. São Paulo: Ática. 14. ed. 2007. ed.ed. 7ª série. Fernando. Pedro Augusto. 2008.]. 3. Normas Técnicas para o Trabalho Científico. GEWANDSZNAJDER. . Ciências: Nosso Corpo.