You are on page 1of 3

A Missão dos Cristãos leigos Os Leigos são cristãos que têm uma missão especial na Igreja e na sociedade.

Pelo batismo, receberam essa vocação que devem vivê-la intensamente a serviço do Reino de Deus. Na Igreja existem as diversas vocações: a sacerdotal, a diaconal, a religiosa e a leiga. Todas são muito importantes e necessárias, pois brotam do Batismo, fonte de todas as vocações. Antigamente, a missão do leigo era relegada a segundo plano, valorizando-se só o sacerdócio e a vida religiosa. Mas depois do Concílio Vaticano 2, a vocação e missão dos leigos foram revalorizadas, conferindo-lhes a mesma dignidade dos sacerdotes e religiosos. Dentro da comunidade eclesial, os leigos são chamados a desempenhar diversas tarefas: catequista, Ministro da Eucaristia, agente das diferentes pastorais, serviço aos pobres e aos doentes. São chamados também a colaborar no governo paroquial e diocesano, participando de conselhos pastorais e econômicos. Não como simples colaboradores do bispo e dos padres, mas como membros ativos da comunidade, assumindo ministérios e serviços para o engrandecimento da Igreja de Cristo. Apesar desses serviços que desempenham na comunidade eclesial, a missão mais importante dos leigos é no mundo. Eles são chamados a realizar sua missão dentro das realidades nas quais se encontra no dia-a-dia. Na família, no trabalho, na escola, no mundo da política e da cultura, nos movimentos populares e sindicais, nos meios de comunicação, é chamado a testemunhar, pela palavra e pela vida, a mensagem de Jesus Cristo. Nessas realidades, é chamado a desempenhar sua missão, necessária e insubstituível. Por isso o papel do leigo não é ficar o dia todo na igreja, mas ser fermento nesses campos de vida e de atuação, ser "sal da terra e luz do mundo". Nesses ambientes deve se empenhar para a construção efetiva do Reino de Deus, "um reino eterno e universal, reino da verdade e da vida, reino da santidade e da graça, reino da justiça, do amor e da paz", como rezamos no prefácio da missa da festa de Cristo Rei. O reino de Cristo cresce onde se manifesta a atitude de serviço, a doação generosa em prol dos irmãos, onde há o respeito pêlos outros, onde se luta pela justiça e pela libertação. E tudo isso acontece de modo especial através

Felizmente. Por: Dom João Bosco Óliver de Faria Administrador Diocesano de Patos de Minas e Arcebispo Eleito de Diamantina http://www.br/texto/materia/bispo/49.com. sobretudo na Eucaristia. Quando os leigos assumem de fato sua missão específica. confiantes nas bênçãos divinas. fraterna e solidária." Na festa de Cristo Rei é importante refletir sobre a corresponsabilidade na construção do Reino. O Concílio Vaticano 2 e os ensinamentos do papa insistem muito na necessidade de os leigos participarem ativamente na construção de uma nova sociedade. sinal do Reino de Deus. Através dos leigos. impregnando-os da mensagem de Jesus Cristo. muitos têm entendido essa missão e se empenhado para bem cumpri-la. Os leigos devem assumir seu papel.catequisar. buscando nas celebrações. Devem participar da vida comunitária.htm . aperfeiçoando os bens criados e sanando os males. as forças de que necessitam para bem desempenhar sua missão na comunidade e no mundo. Vemos com muita esperança o crescimento hoje da tomada de consciência por parte de muitos leigos que compreendem essa índole específica de sua missão.da atuação dos cristãos leigos. semeando os valores evangélicos da solidariedade e da justiça. a Igreja se faz presente nos diversos ambientes sociais. podemos sonhar com uma nova ordem social. empenhando-se decisivamente na construção da sociedade justa. Acreditam nela e procuram exercê-la de modo digno e eficiente para que se faça cada vez mais concreta a promessa de Jesus: "O Reino de Deus está presente no meio de vós.

o Instituto propõe que se empenhem nos seguintes âmbitos: -Animação Missionária e Vocacional e pastoral juvenil nos Centros IMC e outros lugares. cristã. A comunidade tem um ritmo comunitário encontros para a formação pessoal e para o crescimento na consciência da escolha feita.. O empenho nos âmbitos missionários em Pátrias não tem limites de tempo. motivada pelo desejo de responder ao chamamento de cristo. Brasil. atitudes missionárias (trabalhar em comunhão e colaboração com a Igreja local. seja na evangelização. Requisitos Motivações de Fé. nos Centros Missionários da Consolata. -Actividades de promoção humana. partilhando o Carisma..catequistas. a Espiritualidade e o Projecto de Missão do Instituto.Apresentação Por LMC entende-se uma pessoa que. jovens que seguiram itinerários de formação e de crescimento na fé. -Meios de comunicação social. -Administração. habilitação a um serviço qualificado que responda a uma necessidade real da missão. -Administração e Evangelização dos não-cristãos (assistentes sociais. Instituto e outras forças missionárias). Formação de Voluntários Vivem em comunidades de fé. espiritual. Os LMC são. missionária ad gentes. com ritmo de oração e no empenho missionário laical concreto. -Acolhimento aos imigrantes. uma escolha de vida. saúde psicofísica e maturidade humana. Os conteúdos principais da formação LMC são: Formação humana. Mas o empenho num Projecto Missionário do Instituto é de 3 anos se forem para um país de língua diferente da sua e de 2 anos se for da mesma língua. laical. faz da missão ad gentes dentro ou fora do país. seja no campo técnicoprofissional. Países de Actuação Moçambique. . Projectos Aos LMC que realizam em Pátria a sua escolha de vida. na partilha e no espírito de família. carisma e espiritualidade do Instituto. -Construção civil. Portugal. Tanzânia. dado que os LMC fazem da Missão ad gentes uma opção de vida. -Educação (professores e quadros administrativos). normalmente. Tal empenho poderá ser renovável por um ou mais anos. Aos LMC que desejam partir: -Campo médico e sanitário. formadores de quadros). durante vários anos. na fraternidade. na Pátria ou nas Missões. na especificidade da sua vocação laical.