Disciplina de Imunologia Curso de Biomedicina

Imunidade aos Microbios Fungos

000 espécies – poucos são patogenicos para o homem • Não existe vacina •Eucariotos – maquinaria de sintese proteica e mecanismos de organização e replicação do genoma similar a células mamíferos • Drogas antifúngicas – efeito colateral sério •Parede celular rica em polissacarideos (quinias. glucana e mananas) .Classificação dos fungos • 70.

multicelular – requer processo de morte extracelular (mecanismos semelhantes bactéria extracelular) .Tipos de células fúngicas Células únicas = leveduras – pequenas para serem ingeridas pelos fagócitos (mecanismos semelhante bactéria intracelular) Hifas longas.

Oportunistas • Extra e intracelulares • Resposta Imune é uma combinação da RI humoral e celular . Sub-cutâneas. Sistêmicas. Cutâneas.Imunidade a fungos Micoses • Importante causa de morbidade e mortalidade em humanos • podem ser: endêmicas – esporos inalados do meio ambiente : oportunistas – só em imunocomprometidos Tipos de micoses: Superficiais.

Doença sistemica ocorre em usuários de drogas intravenosas e pacientes com linfomas e leucemias . corticosteroides) pele e membrana mucosa. Cryptococcus neoformans zigomicose – infecções superficiais da stemica . Paracoccidioides brasiliensis Esporotricose – nodulos cronicos e ulceras em tecido subcutaneo Blastomicose. Candida albicans. Coccidioides immitis. couro cabeludo unhas) Subcutânea Profunda (sistemica) Sporothrix schenkii – fungo saprofito Blastomyces dermatidis.Categorias de infecções fúngicas e seus agentes patogênicos Tipos de infecção Superficial Cutânea Microrganismos causais Malassezia furfur Dermatófitos Trichophyton.imunocomprometidos (AIDS. Oportunista Aspergillus fumigatus. coccicioidomicose. dissemina Aspergilose. criptococose. Imunossupressor. Histoplasma capsulatum. epidermophyton e especies de Microsporum Doença Pitiríase versicolor Dermatofitose (componentes queratinizados não vivos da pele. PCM – inalado do solo produz doença aguda pulmão. candidiase. histoplasmose. quimioterapia.

Macrófagos .Imunidade inata contra fungos -Barreira epitelial .ADCC -Citocinas . sistema complemento e coagulação -Neutrófilos . lectina ligante de manose.NK .Proteínas efetoras circulantes: CRP.

Imunidade inata contra fungos . colectinas MBL. proteinas A e D surfactantes – liga agrega e opsoniza fungos -Fagócitos .NE e Mos morte de fungos : degranulação e liberação de material tóxico nas hifas : ingestão de leveduras e conídias .Receptores reconhecem PAMPs (TLR2 e dectina – beta glucana) : morte intracelular – explosão respiratória .Defensinas – propriedade antifúngicas.

Imunidade inata contra fungos .

d. c. e.Liberação de citocinas e quimiocinas inflamatórias: a.Liberação de enzimas lisossomais: a.Proteína ligante de B12.Imunidade inata contra fungos os macrófagos são células-chave na reação imune a fungos.IL-6.Lactoferrina.Liberação de inibidores/ competidores de crescimento: a. b. . 2.IL-18.Catepsinas.IL-12.TNF. 3. b. 4. Os macrófagos são responsáveis por: 1.Liberação de reativos intermediários do oxigênio.IL-1. b.Hidrolases ácidas.

Defeito da Imunidade inata contra fungos .

ADCC Células B.Imunidade adaptativa contra fungos -Imunidade celular e humoral Célula T – produção de citocinas que ativam mecanismos fagocíticos e citotóxicos dos macrófagos e auxiliam as células B Th1 – IFNg – IgG1 e IgG3 (opsoninas) – NK .1 – reconhecimento de polissacarídeos AIDS – redução de LT CD4 – associada a ocorrência de infecções por fungos .

sorologia .DTH .Imunidade celular .Imunidade adaptativa contra fungos -Imunidade Humoral .

Imunidade adaptativa contra fungos Th1 X Th2 PCM branda PCM severa e disseminada (eosinofilia) -Resposta Th1 – proteção -Resposta Th2 – não protetora Resposta imune Celular – inflamação granulomatosa é mais sensível e é uma causa importante de injúria do tecido do hospedeiro Resposta imune Humoral – importante no diagnóstico sorológico .

Imunidade adaptativa contra fungos Th1 X Th2 .

Histoplasma capsulatum – vive no interior dos fagócitos.Exemplos de infeções fúngicas . eliminação pelos mesmos mecanismos contra bactérias -Cryptococcus neoformans – colonizam pulmões e cérebro do hospedeiro imunocomprometido – eliminado pela combinação de respostas Th1 e Th2 .Candida albicans – colonização inicia em superfícies mucosas – imunidade celular previne a disseminação do fungo .

Mecanismos de escape do fungo • Produção de cápsula Cryptococcus neoformans – produz capsula polissacarídea inibe a fagocitose. embora esse efeito seja revertido pelo mecanismo de opsonização do complemento e Ac • Sobrevivencia no interior de fagócitos através da neutralização dos intermediários reativos de oxigênio Histoplasma capsulatum – patógeno intracelular obrigatório que escapa da morte pelo macrofago entrando pela celula via CR3 e então alterando as vias normais da maturação do fagossoma • Liberação de produtos e antígenos fúngicos no sangue • Desvio da RI : Th1 – Th2 Fungos dermatófitos inibem a resposta de LT por retardar a destruição mediada por célula .

Imunidade a fungos .

Novas estratégias para tratar infecções fúngicas .Imunoterapia genérica – citocinas – IFN-g (ativar fagocitos) e G-CSF (reduzir neutropenia em paciente com cancer) .Reduzir a imunossupressão que leva a susceptibilidade a infecção fúngica .Vacina de DC para promover imunidade mediada por Th1 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful