You are on page 1of 7

O cérebro humano é constituído por três áreas distintas, o cérebro reptiliano, o cérebro límbico e o neocórtex.

O cerébro reptiliano (R), foi herdado evolutivamente dos répteis, este é reponsável pelas funções vegetativas. A região hipotalâmica, pode ser considerada como cérebro reptiliano, pois é a resposável pelo comportamento sexual, alimentar, de sonovigilia, agressivo e social. O cérebro reptiliano contribui para a sobreviência do indivíduo ou espécie, porém em animais cujo o cérebro é basicamente formado por esta parte, não se observam vínculos mais estreitos entre seus semelhantes. O cérebro Límbico desenvolveu-se evolutivamente em torno do cerébro R a partir de animais primitivos, este constitui o centro das emoções, possuindo,entretanto, uma intensa ligação com o cérebro R. Os animais que possuem esta estrutura têm maior estruturação familiar, preocupação com membros da própria espécie, cuidados com a prole, capacidade de defesa ampliada e divisão de alimentos. Ocorre também divisão social e respeito de hierarquia. Na espécie humana o cérebro L é o substrato das emoções primitivas, fazendo constante troca com o neocórtex para aprimoramento das emoções. O nercórtex, o cérebro humano, pois é a parte evolutivamente mais recente, confere ao homem a capacidade de fala, escrita, motricidade elaborada, realização de cálculos matemáticos, composição artistica, etc., ou seja, tudo aquilo que nos diferencia como seres humanos. O neocórtex tornou o homem racional e ampliou suas emoções e seu intelecto. Freud no estudo da psicanálise, adentrou no cérebro e o comportamento humano, desvendando muitos mistérios relacionados à mente humana. Para Freud nada acorre ao acaso e muito menos os processos mentais. Há uma causa para cada pensamento , para cada memória revivida, sentimento ou ação. Cada evento mental é causado pela intenção consciente ou inconsciente e é determinado pelos fatos que o precedem. O consciente é somente uma pequena parte da mente, inclui tudo o que estamos cientes num dado momento. Embora Freud estivesse interessado nos mecanismos da consciência, seu interesse era muito maior com relação às áreas da consciência menos expostas e exploradas, que ele denominava pré-consciente e inconsciente. Quando um pensamento ou sentimento parece não estar relacionado aos pensamentos e sentimentos que o precedem, as conecxões estão no inconsciente. No inconsciente estão elementos instintivos, que nunca foram conscientes e que não são acessíveis à consciência. Além disso, há material que foi excluído da consciência, censurado ou reprimido. Este material não é esquecido ou perdido, mas não lhe é permitido ser lembrado. Há uma vivacidade e imediatismo no material inconsciente. Memórias muito antigas

enceraram essas forças ou como mantenedoras da vida ou como incitadoras da morte. A maior parte da consciência é inconsciente. ação ou expressão que permite a satisfação da finalidade original. ele não se refere aos complexos padrões de comportamento herdados dos animais inferiores. e volta para o repouso. as fontes de energia psíquica. pode ser uma parte do corpo ou todo ele. não perderam nada de sua força emocional. O ciclo completo de comportamento que parte do repouso para a tensão e a atividade. todas as ruas em que morou. Instintos são pressões que dirigem um organismo para fins particulares. nem a forma como ela se completará. Ambas as formulações . Ali estão os principais determinantes da personalidade.quando liberadas à consciência. A fonte. a idéia de tempo não lhe pode ser aplicada. a sexual e a agressiva ou destrutiva. Freud fala sobre pulsões e instintos como pressessoras de ações tomadas pelo indivíduo. Freud desenvolveu duas descrições dos intintos básicos. As tensões são resolvidas pela volta do corpo ao nível de equilíbrio que existia antes da necessidade emergir. é dar ao organismo a satisfação que ele no momento deseja. é denominado modelo de tensãoredução. Suas últimas descrições. A finalidade é reduzir a necessidade até que mais nenhuma ação seja necessária. eles nem predeterminam a ação particular. etc. ela é determinada pela intensidade ou urgência da necessidade subjacente. Os processos mentais inconscientes não ordenados temporalmente. Refere-se aos aspectos físicos dos instintos como necessidades. Quando Freud usa o termo. O objeto de um instinto é qualquer coisa. A pressão é a quantidade de energia ou força que é usada para satisfazer ou gratificar o instinto. Os instintos humandos apenas iniciam a necessidade da ação. mais globais. uma finalidade. e pulsões ou instintos. O pré-consciente é como uma vasta área de posse das lembranças de que a consciência precisa para desempenhar suas funções. quando emerge a necessidade. Todo instinto tem quatro componentes: uma fonte. mas seus equivalentes nas pessoas. O pré-consciente é uma parte do inconsciente. uma pressão e um objeto. O primeiro modelo descrevia duas forças opostas. seus aspectos mentais podem ser comumente denominados desejos. Freud assume que o modelo mental e comportamental normal e saudável tem a finalidade de reduzir a tensão a níveis previamente aceitáveis. mas uma parte que pode tonar-se consciente com facilidade. Os instintos são forças propulsoras que incitam as pessoas à ação. Estas podem incluir lembranças de tudo o que você fez ontem. As porções de memórias que são acessíveis fazem parte do pré-consciente. Uma pessoa com uma necessidade continuará buscando atividades que possam reduzir esta tensão original. seu segundo nome. o tempo de modo algum os altera.

O id contém tudo que é herdado. o ego e o superego. O Ego é a parte do aparelho psíquico que está em contato com a realidade externa. os instintos que se originam da organização somática e que aqui encontram uma primeira expressão psíquixa. Se você imaginar seu depósito de libido como uma dada quantidade de dinheiro. É responsável por garantir a saúde. Os termos Libido e Energia Agressiva também foram objetos de estudo de Freud. a facilidade com que podedias-se passar de uma área de atenção para outra. Enquanto . Freud descreveu a natureza passageira da receptividade emocional como um fluxo de energia. sob formas que nos são desconhecidas. O superego se desenvolve não a partir do id. Embora as outras partes da estrutura se desenvolvam a partir do id.acima de tudo. O uso do termo por Freud era as vezes confuso. uma vez que ele os descrevia como quantidade mensurável. fluindo para dentro e para fora das áreas de interesse imediato. biológicos. Outra característica importante do Libido era sua "mobilidade".ele próprio é amorfo. idéia ou coisa. que se acha presente no nascimento. O id é sensível à necessidade. Uma vez liberada ou redirecionada. As observações de Freud à respeito da estrutura da personalidade renderam a ele três componentes básicos estruturais da psique: o id. segurança e sanidade da personalidade. auto-observação e formação de ideais. A teoria psicanalítica de Freud estava interessada em compreender onde o libido foi catexizada inadequadamente. portanto.pressupõem dois conflitos instintivos básicos. O id pode ser associado a um rei cego cujo poder e autoridade são totais. É o depósito dos códigos morais. exposta tanto às exigências somáticas do corpo como aos efeitos do ego e do superego. O Libido é a energia aproveitável para os instintos de vida. modelos de conduta e dos construtos que constituem as inibições da personalidade. Atua como um juiz ou censor sobre as atividades e pensamentos do ego. Esta energia obedece às suas principais leis. Os instintos são canais através dos quais a energia pode fluir. A Catexia é o processo pelo qual a energia libidinal disponível na psiqueé vinculada a ou investida na representação mental de uma pessoa. mas que depende de outros para distribuir e usar de modo adequado o seu poder. enquanto que o ego responde às oportunidades. esta mesma energia está então disponível para satisfazer outras necessidades habituais. contónuos e nãoresolvidos. catexia é o processo de investi-la. O id é a estrutura básica e mais central. caótico e desorganizado. mas a partir do ego. O ego é originalmente criado pelo id na tentativa de enfrentar a necessidade de reduzir a tensão e aumentar o prazer. Freud descreve tais funções do superego: consciência. que está presente na constituição.

o superego age tanto para restringir. A energia que é usada para acionar o sistema nasce no id. O propósito prático da psicanálise é na verdade. que é de natureza primitiva. a Fase Anal. Características adultas que estão associadas à fixação parcial na fase anal são: ordem. Enquanto é alimentada. as crianças geralmente aprendem a controlar os esfíncteres anais e a bexiga. de maneira a poder assenhorear-se de novas partes do id. existe para lidar realisticamente com as pulsões básicas do id e também age como mediador entre as forças que operam no id e no superego e as exigências da realidade externa. Ele fixa uma série de normas que definem e limitam a flexibilidade desde último. Freud descreveu a Relação entre os Três Subsistemas. fortalecer o ego.consciência. bem cedo. O superego. Fase Fálica. a formação de ideais está ligada ao desenvolvimento do próprio superego. A meta fundamental da psique é manter e recuperar. Freud concluiu. A obtenção do controle fisiológico é ligada à percepção de que esse controle é uma nova fonte de prazer. quando perdido. A Fase Oral. o ego e o superego o são em parte. a . que focaliza as àreas genitais do corpo. mas também age inconscientemente. a necessidade e gratificação estão concentradas predominantemente em volta dos lábios. fazê-lo mais independente do superego. dos dentes. atua como um freio moral ou força contrária aos interesses práticos do ego. a criança é também confortada. a Fase Fálica e a Fase Genital. proibir ou julgar a atividade consciente. É a primeira fase em que as crianças tornam-se conscientes das diferenças sexuais. já aos três anos a criança entra na fase fálica. língua e. um pouco mais tarde. A pulsão básica do bebê é receber alimento para atenuar as tensões de fome e sede. Esta fase é o período em que uma criança se dpa conta de seu pênis ou da falta de um. Na fase oral. instintiva. acalentada e acariciada. A auto-observação surge da capacidade de avaliar atividades independentemente das pulsões do id para tensão-reduçãoe independentemente do ego. ampliar seu campo de percepção e expandir sua organização. um nível aceitável de equilíbrio dinâmico que maximiza o prazer e minimiza o desprazer. as crianças aprendem com rapidez que o crescente nível de controle lhes traz atenção e elogios por parte de seus pais. Além disso. à medida que a criança cresce. Freud descreveu as Fases Psicossexuais do Desenvolvimento. novas áreas de tensão e gratificação são trazidas à consciência. emergindo do ego. O id é inteiramente inconsciente. aninhada. parcimônia e obstinação. Na fase anal. Entre dois e quatro anos. ocorre logo após o nascimento. A boca é a primeira área do corpo que o bebê pode controlar. emergindo do id. O ego. a maior parte da energia libidinal disponível é direcionada ou focalizada nesta área.

durante esse período. e sim um modo de satisfazer desejos não realizados. Ele indica que do ponde de vista biológico. Daí partem três linhas de desenvolvimento possíveis: uma conduz à inibição ou à neurose. A fase Genital ocorre com o início da puberdade e o consequente retorno da energia libidinal aos órgãos sexuais. O sonho é uma forma de satisfazer desejos que não foram ou não podem ser realizados durante o dia. O sonho é um caminho alternativo para satisfazer os desejos do id. A sublimação foi denominda a defesa bem sucedida. intelectuaisou culturais. combinadas e arranjadas de modo que as sequencias do sonho permitam uma satisfação adicional ou redução de tensão. quando a ameaça a . que. a função dos sonhos é permitir que o sono não seja perturbado. Sonhar é uma forma de canalizar desejos não realizados através da consciência sem despertar o corpo. tanto somático quanto psicologicamente. ligando-os a conhecimentos da vida do sonhador. da tensão ou desprazer. deslocamento e outras modificações em um desejo original. homens e mulheres desenvolvem sérios temores sobre questões sexuais. outra à modificação do caráter no sentido de uma complexo de masculinidade e a terceira. pode desenvolver-se em qualquer situação. Mais importante que o valor biológico dos sonhos são os efeitos psicológicos da elaboração onírica. inversão. Neste momento. Durante o sono necessidades não satisfeitas são escolhidas. Segundo Freud. Através da análise detalhada de dezenas de sonhos. esperado ou previsto. Quando em estado de vigília.partir de suas observações. A ansiedade é um problema frequentemente encontrado na psique. finalmente. O que Freud sustentou é que sonhos não são nem casuais nem acidentais. Segundo Freud. transformação. distorção. com frequencia metas artisticas. Freud foi capaz de mostrar que a elaboração onírica é um processo de seleção. embora essas não sejam descritas de maneira clara pelo conteúdo manifesto do sonho. a descoberta de que é castrada representa um marco decisivo no crescimento da menina. Na formação da personalidade Freud estudou os Obstáculos ao Crescimento. meninos e meninas estão ambos conscientes de suas identidades sexuais distintas e começam a buscar formas de satisfazer suas necessidades eróticas e interpessoais. os sonhos são um balanço parcial. o ego esforça-se para proporcionar prazer e reduzir o desprazer. à feminilidade normal. É provocada por um aumento. ele é desenvolvido para atingir necessidades específicas. Um sonho não aparece simplesmente. A sublimação é o processo através do qual a energia originalmente dirigida para propósitos sexuais ou agressivos é direcionada para novas finalidades. Quase todo sonho pode ser compreendido como a realização de um desejo.

aquelas que ocorrem no núcleo da família. A Formação Reativa substitui compotamentos e sentimentos que são diametralmente opostos ao desejo real. Este é o modo de defesa mais primitivo.parte do corpo ou da psique é muito grande para ser ignorada. formação reativa. racionalização. Para Freud. em anos anteriores. mas somos dirigidos por forças emocionais . projeção e regressão. todos os relacionamentos posteriores referem-se de várias formas aos modos pelos quais estes relacionamentos iniciais foram formados e mantidos. A Regressão é o retorno a um nível de desenvolvimento anterior ou a um modo de expressão mais simples ou mais infantil. que não somos basicamente animais racionais. é o ato de atribuir a uma outra pessoa. É o ato de dividir a situação de modo a restar pouca ou nenhuma reação emocional ligada ao acontecimento. idéia ou sentimento que emerge de outras fontes motivadoras. é uma inversão clara e. pessoas que reavivam em nós aspectos não resolvidos de nossas necessidades originais. É um modo de aliviar a ansiedade escapando do pensamento realístico para comportamentos que. O Isolamento é um modo de separar as partes da situação provocadoras de ansiedade. negação. A Repressão consiste simplesmente em afastar determinada coisa do consciente. neste mecanismo os aspectos da personalidade de um indivíduo são deslocados de dentro deste para o meio externo. A repressão nunca é utilizada de uma vez por todas. embora a repressão não fosse sempre totalmente bem sucedida. Freud estudou os mecanismos de defesa que o ego utiliza para proteger a personalidade contra a ameaça. do resto da psique. em uma de suas primeiras obras ele escreveu que era através de um esforço de vontade que os eventos provocadores de ansiedade podiam ser reprimidos. numa época em que se venerava a razão e negava-se tanto o valor quanto o poder da emoção. em geral. Tais mecanismos podem ser descritos como repressão. as primeiras relações. enquanto que o reprimido faz tentativas constantes para encontrar uma saída. ação. A Projeção. Freud nunca tratou a 'vontade' como um tópico de maior interesse. sentimentos ou intenções que se originam em si próprio. com grande frequência desempenhamos a dinâmica iniciada em nossas casas. A Negação é a tentativa de não aceitar na realidade uma fato que perturba o ego. A Racionalização é o processo de achar motivos aceitáveis para pensamentos e ações inaceitáveis. isolamento.no contexto Relacionamento Social. escolhendo. inconsciente do desejo. Segundo ele. são as determinantes. mas requer um constante consumo de energia para manter-se. muitas vezes. dominada ou descarregada. animal ou objeto as qualidades. É o processo através do qual uma pessoa apresenta uma explicação que é ou logicamente consciente ou eticamente aceitável para uma atitude. No contexto das emoções. reduziram a ansiedade. mantendo-a à distância. como companheiros. Freud descobriu.

A pessoa mais livre é aquela que é capaz de usar a razão sempre que for oportuno. O intelecto é um dos instrumentos acessíveis ao ego. . As emoções são as vias para o alívio da tensão e a apreciação do prazer. O que Freud percebeu com seus estudos sobre as camadas mais profundas da personalidade. pode ser abordado racionalmente.poderosas cuja gênese é inconsciente. levado à luz da consciência. foi que qualquer aspecto da existência inconsciente. e cuja vida emocional está aberta à inspeção consciente.