You are on page 1of 8

JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DE PRAÇAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA - AGOSTO DE 2010 - ANO IX - NÚMERO 46

Rua Deodoro, 176 - Edifício Soraya - 1º andar - Sala 11 - Centro - Florianópolis/SC - CEP 88010-020

VITÓRIA DA APRASC NAS AÇÕES DAS HORAS EXTRAS

Convenção dos praças homologa candidaturas para as eleições 2010.
Os praças bombeiros e policiais militares catarinenses organizados na APRASC decidiram apoiar as candidaturas de Sargento Soares para ser reeleito Deputado Estadual e Sargento Sobrinho para ser eleito Deputado Federal, depois de intensos debates, assembléias e convocação para prévias.
J. Costa recebe as incrições de Sobrinho e Soares nas prévias .

Decisão do juíz de direito Hélio do Valle Pereira determina que o Estado pague todas as horas extras trabalhadas pelos militares estaduais filiados a APRASC. Atualmente o Estado paga no máximo 40 horas extras aos praças, no entanto, a maioria excede este número de horas sem receber nada por isso, o que configura trabalho escravo. Porém o Estado recorreu da decisão e a ação foi suspensa. O processo será julgado em última instância pela Câmara de Direito Público. A APRASC avalia que pela decisão favorável nas horas vencidas obtida no STJ, temos grande chance de vitória.
PÁGINA 3

Cúpula da PM “confusa”:

Comando desrespeita decreto do Governador, exclui Presidente da APRASC, mas volta atrás e cancela exclusão!

PÁGINAS 4 E 5

Justiça manda PMSC reintegrar três praças PÁGINA 7

de todos os trabalhadores e trabalhadoras. Fotos: Alexandre Brandão e Rui Fernando.Centro . Orli Osni Nascimento CONSELHO FISCAL SUPLENTE Jair Ventura. que concordam com o desmonte dos sistemas de serviços públicos e com a privatização do patrimônio público.enfrenta a repressão e criminalização das organizações e dos movimentos populares.aprasc. Frederico Goedert Coordenação de Relações Públicas: Sando Marivaldo Nunes. Não é por acaso que a imensa maioria de nosso povo. Juliano de Quadros Espíndola e Sérgio Bacher Coordenação de Patrimônio: Luiz Carlos Rodrigues Coordenação de Assuntos Jurídicos: Edson Garcia Fortuna.abril / maio 2010 . desempregados. Ant6onio Inácio de Sá Coordenação de Direitos Humanos: Elton Biegelmeier.br / aprasc@aprasc. quando não alheia. As decepções e frustrações que se vive com os sucessivos governos. cujas riquezas produzidas sejam socializadas para quem trabalha e sejam voltadas às reais necessidades da humanidade e não ao acúmulo de capital para uma minoria. enfim. segurança. Para tanto. praças da Marinha do Brasil se revoltaram para não continuar comendo carne podre. Luciano Luiz de Souza.Edifício Soraya . Assim. sempre que se organiza.org. Djalma André Fernandes Textos e ediçâo: Rui Fernando. unidos pela emancipação humana e social.CEP 88010-020 . Antônio Wolny Bitencourte da Silveira CONSELHO FISCAL TITULAR Ronaldo Roque Claudino. terceirizados. Everson Henning e Elisandro Lotin. sobretudo. Como parte desta luta. a serviço da reprodução da dominação do império. apesar de atualmente poder votar e ser votados. este ano o Brasil também comemora os 100 Anos da Revolta dos Marinheiros. saúde.O Praça EDITORIAL www. Diógenes André Rodrigues da Silva.000 exemplares . Valdir José Figueiró. pescadores. nestas eleições é necessário que o povo trabalhador catarinense discuta e defenda programas e propostas que realmente representam seus anseios. Jornal da Associação de Praças do Estado de Santa Catarina (APRASC) Ano IX . dos que atuam em serviços essenciais como educação. transporte e descaso para com os demais direitos do povo trabalhador. Sidnei Will Coordenação de Assuntos Culturais: Tito Leonio Schuller.br Devemos votar em candidatos que nascem e se mantém nas lutas dos trabalhadores. inclusive. É preciso derrotar nas urnas estes que não dão respostas ao desemprego e a pobreza que aumenta a cada dia. Página 2 O PRAÇA AGOSTO DE 2010 . Maristela Xavier Coordenação de Saúde e Promoção Social: Paulo Ricardo Cardoso Luiz. saúde. Euclides José de Souza. Esta dominação está na raiz: da restrição da democracia. representantes do grande capital. das mazelas da fome. devemos votar naqueles que nascem da luta do povo trabalhador. formas de lutas que visam a melhoria da vida do povo e a construção de uma nova sociedade. levar chibatadas e sofrer as mais duras humilhações. precisa estar ligada a outras O voto é um direito de todos quando recupera a confiança em si mesmo.br Gestão Novembro de 2009 / Novembro de 2012 Presidente: Manoel João da Costa (Interino) Presidente: Amauri Soares (licencidado) Secretário Geral: Antônio Francisco da Silva 1º Secretário: Claudemir da Rosa 2º Secretário: Saul Manoel Honorato Filho 1º Tesoureiro: Antonio Edílson Gomes de Medeiros 2º Tesoureiro: Adilson Eliseu Pereira Vice-presidente Regional Grande Florianópolis: Charles Viccari Vice-presidente Regional Extremooeste: Pedro Paulo Boff Sobrinho (licenciado) Vice-presidente Regional Oeste: Lauri Nereu Guisel Vice-presidente Regional Meio-oeste: Vanderlei Kemp Vice-presidente Regional Planalto: Jairo Moacir dos Santos Vice-presidente Regional Médio Vale do Itajaí:Linésio dos Santos Vice-presidente Regional Alto Vale do Itajaí: Luiz Antônio de Souza Vice-presidente Regional Foz do Itajaí: Luis Fernando Soares Bittencourt Vice-presidente Regional Norte: Elisandro Lotin de Souza Vice-presidente Regional Planalto Norte: Lauri de Souza Sassi Vice-presidente Regional Sul: Flávio da Silva Damiani Vice-presidente Regional Extremo Sul: Luiz Adriano Minuto Ferreira Vice-presidente dos BBMs Grande Florianópolis: Manoel de Souza Vice-presidente dos BBMs Vale do Itajaí: Rogério Ferrarez Vice-presidente dos BBMs Sul: Clailton de Oliveira Vice-presidente dos BBMs Grande Oeste: Armindo Ariel Nunes Fortunato Vice-presidente dos BBMs Planalto: Moacir Tadeu Wasielewsky Coordenação de Imprensa: Everson Henning.org. Em 1910. Ao contrário. 176 . Tais instituições estão atreladas à ordem autocrática do capitalismo dependente. Quando o povo se mobiliza para lutar por seus interesses.1º andar . no entanto. que a este são fiéis e que por suas causas doam suas vidas. com o Parlamento e com os partidos políticos tradicionais não são por acaso.Florianópolis/SC . empregados das empresas privadas. Flori Matias.por liberdade e justiça social . Contudo. Votar e ser votado! Direito que hoje parece tão óbvio para os brasileiros foi conquistado com muita luta. os praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. de monopó- lios. Além destas conquistas. As mulheres puderam votar só a partir de 1932 e a maioria dos praças eram proibidos de votar antes da nova Constituição de 1988.Sala 11 .org. de latifúndiários e das oligarquias regionais. eleva seu nível de consciência. Revisão: Maurício Tomasoni e Everson Henning Diagramação: Rui Fernando. do desmonte dos serviços públicos de educação. Mas a luta no parlamento não pode ser isolada.Tiragem: 10.org. com a certeza de que eles serão a força dos praças e do povo catarinense no parlamento. Diretoria da APRASC.no 46 . consideram “natural” a implementação de uma política de desprestígio e arrocho salarial dos servidores estaduais.aprasc.br / imprensa@aprasc. é necessário que todos os trabalhadores se organizem como classe. Márcio Marcos Martins. servidores públicos. segurança. confia num programa de transformações sociais e. Esta ordem baseada na exploração e opressão das classes trabalhadoras e das massas populares está na origem das desigualdades econômico-sociais que assolam nosso país e as terras catarinenses. é valente e lutador: é capaz de grandes conquistas e de grandes feitos no enfrentamento dos desafios históricos. os praças estão lançando o companheiro Sargento Soares para a reeleição a Deputado Estadual e o companheiro Sargento Sobrinho a Deputado Federal. sabe-se da importância de mandatos parlamentares que defendam os interesses dos operários.Telefone (48) 3223-2241 Internet www. autônomos. os quais são os opostos daqueles defendidos pelos candidatos das oligarquias e dos novos conservadores. da miséria e do desemprego.Distribuição gratuita e dirigida Endereço Rua Deodoro. Hélio Leonor Koch. assim como todo povo brasileiro. camponeses. ainda têm muito que lutar para ter vida digna. Por essas razões. está sem esperanças em relação ao processo das eleições. direitos e garantias sociais . O nosso povo.

www.06.70-5 que tramita na comarca da capital e todos os ST RR sócios estão representados pela entidade. Todos os sócios nos dois períodos estão contemplados na ação.00 aos oficiais. Os interessados devem fazer contato com a assessoria jurídica da APRASC pelo telefone (48) 3222-6620. que está com o número 023.org. cença para tratamento de saúde estão sofrendo desconto no auxílio alimentação. indevidamente o desconto foi de 11%. ao votar na sentença. Página 3 . mas em especial aos ST RR que recebem por força da Lei 333/06 os proventos iguais aos de 2º tenente. convertida em Lei nº 15. mas agora vão receber por esse trabalho. Alertamos que o direito a correção monetária devida extinguiu-se em 2003.100. Na decisão emitida pelo juiz da Vara da Fazenda. A APRASC já impetrou ações coletivas visando res- Ação contra os descontos ilegais do IPESC/IPREV Ação de ressarcimento do auxílio alimentação A assessoria jurídica da APRASC constatou que os policiais militares que se afastam do trabalho em liO PRAÇA No intuito de expandir esse direito já consolidado nos tribunais e que está tornando-se acessível aos servidores de Santa Catarina. A APRASC defende que os policiais militares. o Estado se utilizava do trabalho de bombeiros e policiais em períodos extraordinários e sem nenhuma compensação financeira. É mais uma grande vitória da entidade para os seus associados! Ação dos ST RR APRASC protocola diversas ações na justiça 254 que estabelece que a diferença entre o maior salário (coronel) e o menor salário (soldado) não poderá ser superior a quatro vezes.815-0. os praças sócios da entidade a partir desta data não têm direito a tal benefício. Mas os trâmites pelos tribunais continuam até que a ação seja julgada em última instância. portanto. pagos com atraso pelo então APRASC ganha ação referente ao governo Paulo Afonso Governador Paulo Afonso.10. mas jamais esse sentimento de dever para com a comunidade pode ser utilizado pelo Estado para escravizar esses trabalhadores. a APRASC divulgará os procedimentos a serem adotados para que os aprasquianos também desfrutem de mais esse serviço. O Estado recorreu e nova liminar suspendeu temporariamente os efeitos da decisão em primeira instância. A ação refere-se à cobrança correspondente à correção monetária dos soldos dos meses de outubro. Esses profissionais eram escalados em suas folgas sob o pretexto da “necessidade do serviço” e não podiam contestar. A Assessoria Jurídica ingressou com a ação na Unidade da Fazenda Pública da Capital.aprasc. A vitória é fruto do trabalho do setor jurídico da APRASC. comparou o trabalho gratuito dos militares de SC ao trabalho escravo: “Seria defensável que ficariam integralmente à disposição da entidade . Até hoje o Estado de SC. A ação de 2006 está pendente de execução e tem o nº 023. enquanto a maioria dos servidores públicos trabalha de 160 à 200 horas por mês. no período de 1998 a 2004. Visando corrigir tal distorção a APRASC impetrou ação de número 023. a solução mais fácil sempre foi o aperto das escalas de serviço.034. ou pelo e-mail mbsadv@hotmail.067. O trabalho escravo vai deixar de existir na PM e no BM de Santa Catarina. determina que de agora em diante todas as horas sejam pagas devidamente no contracheque dos militares estaduais.APRASC.em regime equiparável somente a escravidão”. contrato de honorários. O percentual deveria ser de 8%. Isso significa que todo o policial e bombeiro militar filiado a Aprasc que ultrapassar as 40 horas extras mensais vai poder receber em seu contracheque as horas excedentes. por três desembargadores. sob pena de infringir os regulamentos militares. Amparado no regime de trabalho militar desses servidores. determina que policiais e bombeiros militares devem receber por todas as horas trabalhadas. policiais e bombeiros militares são submetidos a escalas de 24 horas de trabalho com 48 horas de descanso. se extingue em cinco anos. o profissional trabalha em média de 240 a 360 horas mensais.com. depois transformado em IPREV. Os associados que optarem pelo ajuizamento individual deverão providenciar os seguintes documentos: procuração. Tal ação foi impetrada pela APRASC em 2002 em nome de todos os associados da época. Então basta dar uma olhada no contracheque da referida data e saber se está ou não contemplado na ação.004309-4. histórico dos afastamentos.080. foi concedida a antecipação de tutela em caráter liminar. A decisão do magistrado concede a antecipação de tutela. O Juiz Jânio Machado. Na maioria das cidades de SC. declaração de assistência jurídica gratuita. se não requerido.br O Praça AÇÃO DAS HORAS-EXTRAS Fim da escravidão na Polícia e no Bombeiro Militar de SC Decisão obriga Estado a pagar horas excedentes aos praças aprasquianos A partir de agora o Estado de SC vai ter que pagar as horas excedentes trabalhadas pelos policiais militares. Ação para impedir descontos acima da margem consignável de 30% Ação da aplicação do artigo 27 da Lei 254/03 Objetiva fazer cumprir o dispositivo previsto na Lei AGOSTO DE 2010 Visa devolução de contribuições descontadas de forma ilegal pelo IPESC. na condição de prestadores de um serviço essencial. É como se o Estado se apropriasse de uma semana de trabalho desses servidores todos os meses. em uma das Câmaras de Direito Público. ou seja. em resposta a ação movida pela Associação dos Praças de Santa Catarina . além dos demonstrativos de pagamento dos meses respectivos (pelo menos um).000. Com a aprovação da MP 169. mas manteremos os associados informados da tramitação. Em cidades menores.58-4 e está em trâmite em primeira instância. visto que todo direito. O mais importante é que a ação já está em fase de execução. Ainda não há estimativa da data em que o Estado efetuará o pagamento. não cabe mais recurso. os compromissos assumidos serão cumpridos. não é raro encontrar escalas absurdas de 24 horas trabalhadas por 24 horas de folga. a exemplo da maioria dos Estados da Federação.160 de 11/05/10 que concedeu abono de R$ 2. tituição dos valores no ano de 2006 e 2008. porém. Nesse tipo de escala.00 aos praças houve não só a discriminação em relação aos praças. devem estar a disposição para atender a população quando necessário. negava aos profissionais o direito elementar de receber pelo seu trabalho. A listagem de sócios que entraram com ação é de 30/01/2008. A legislação vigente relativa ao assunto garante que as importâncias devem continuar a ser pagas quando do afastamento e assim a Assessoria Jurídica da APRASC também ajuizará uma ação coletiva visando o ressarcimento dos valores. que pleiteava a ação há cerca de três anos. A sentença proferida pelo Juízo da Vara da Fazenda da Comarca de Florianópolis no início de junho. novembro e dezembro de 1998. Devido ao problema crônico da falta de efetivo das instituições. somente sendo estendido o prazo para pagamento da dívida. Os militares provavelmente vão continuar a ser escalados extraordinariamente. ou seja.298. Alertamos que nenhuma ação fará com que as dívidas assumidas pelos praças deixem de ser pagas. e a outra tem o nº 023. e R$ 250.

com a totalização prevista para início de 2011. 3. defendemos a realização de cursos de cabos em todos os batalhões e do curso de sargentos na modalidade à distância. cancelamento imediato do odioso “conceito moral”.600. Criação de um fundo de seguridade para praças Bombeiros e Policiais Militares e para seus dependentes. possam ter acesso a tal benefício. como ocorre com outras associações. pelo Sindsaúde e pelo Partido Progressista e que até o momento prevê uma reposição de cerca de 41% a todos os servidores do Estado de Santa Catarina. não exporia policiais e bombeiros experientes a sacrifícios de terem que vir para a capital e. Ampliação do efetivo e melhoramento das condições de trabalho. a ampliação desse teto. A aplicação do plano implica em definição de um cronograma mínimo a ser seguido pelas instituições. Isso passa. com verba garantida e suplementada. Com a anistia. outros inúmeros estão longe do cumprimento de sua missão. com abertura de cursos de sargentos e de cabos de forma que todas as vagas existentes em ambas as graduações sejam ocupadas. Ampliação do Teto Salarial para recebimento da bolsa de formação da SENASP: Atualmente. 4. Além desses. Reivindicamos que os praças sejam representados pela APRASC. pois o tempo necessário é longo e o investimento na formação de novos profissionais é caro para o Estado. bombeiros e policiais. pois são justamente eles que estão e estarão nas ruas prestando segurança pública à sociedade. Gastos que não ocorreriam com a imediata aplicação da Lei de Anistia. Cumprimento da Lei 12. Com o recebimento de mais um abono. O cumprimento da Lei além de não onerar o Estado.00 (quatrocentos reais) no caso de estarem estudando. O cumprimento desta demanda aliviaria inclusive os cofres do Estado de Santa Catarina. e que foram prolongados pelos inúmeros processos a que os praças foram submetidos no ano de 2009 e 2010. Defendemos que se reivindique. especialmente os soldados.00 aos praças. 5. 8. Esta é a demanda que atinge todos os praças da Polícia Militar e do Corpo de bombeiros. criado de forma ilegal para impedir a promoção e a participação em cursos de praças que participaram das atividades da APRASC.br ELEIÇÕES 2010 Pauta de reivindicações dos praças da PM e BM 1.O Praça www. Moradia: Muitos praças ainda não têm a sonhada casa própria. os praças também precisam de representação similar. pelo Conselho Gestor do Estado. 7. Página 4 O PRAÇA AGOSTO DE 2010 . junto ao Ministério da Justiça e sua Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP). apenas os soldados novos estão abaixo desta faixa salarial. mesmo que o valor do abono seja inferior ao valor da bolsa. além do resgate da concórdia na Instituição. A abertura do dialogo implica em liberdade de uso por parte dos associados da APRASC da camiseta da entidade.191(Lei de Anistia): Sancionada em 13 de janeiro de 2010. Conforme demanda nacional da categoria e que prevê um piso de R$ 3. os cabos e os 3º sargentos. os policiais e bombeiros que recebem salário inferior a R$ 1. esta Lei ainda não foi cumprida em Santa Catarina. Reposição da Perdas Aplicação da Lei que prevê a reposição das perdas salariais dos últimos anos. sem qualquer restrição. não somente à instituição e seus poderes. Plano de Carreira Aplicação do Plano de Carreira dos praças. que somam praticamente a metade da remuneração dos praças. com a aplicação do que prevê a Lei 254/03. acesso às páginas da APRASC nos quartéis de forma aberta. em pleno vigor no que diz respeito à proporcionalidade remuneratória. que é a maior dentre todas as entidades existentes na segurança pública. um complemento salarial de R$ 400. terminamos o governo LHS com distorções salariais ainda mais graves que aquela existente em 2003. ainda. A política de abonos prejudica os servidores públicos de todas as categorias.aprasc. Um novo governo terá de restabelecer a escala vertical de salários. Não existe a menor possibilidade dos comandantes gerais representarem as demandas dos praças. propiciaria que tais policiais e bombeiros continuassem trabalhando em suas regiões durante a realização dos cursos. resolvendo com isso a situação salarial dos trabalhadores da Segurança Pública. 11. 9. Estabelecer que a meta da ética profissional é preservar a vida do cidadão e da sociedade reforçará nos trabalhadores a sua missão constitucional tornandoos executantes e partícipes mais ativos do processo. nenhum policial ou bombeiro de Santa Catarina receberá mais a bolsa.Regulamento Disciplinar As instituições militares de Santa Catarina estão com seus regulamentos disciplinares ultrapassados e com desvio do foco principal de sua finalidade. 2. O calendário de incorporação dos abonos que defendemos deve ser aplicado ainda no ano de 2010. de forma que todos os praças. e isso a história já mostrou inúmeras vezes. do Governo Federal. Até este mês de abril de 2010. Definir um calendário é resgatar a auto-estima e a valorização do trabalhador de Segurança Pública de Santa Catarina. se for o caso. 10. Para agilizar o preenchimento das milhares de vagas de cabos e de sargentos existentes e em aberto. bem como suas pensionistas. implica em economia.00 (um mil e seiscentos reais). livre participação dos praças nas atividades da entidade sem qualquer tipo de perseguição aos associados. podem receber. a sociedade catarinense poderia contar com dezoito excelentes profissionais para o trabalho de policiamento nas ruas de Santa Catarina. inicialmente. A diferença entre o maior e o menor salário ficou maior. Questão Salarial: Lamentavelmente. prevalecendo a discriminação objetiva e o sentimento de injustiça cravado na consciência de cada praça do nosso Estado.500. inclusive os da Reserva Remunerada. Piso Nacional de Salários Definicão e aplicação de piso salarial aos Policiais e Bombeiros. O plano de carreira está em pleno vigor e não tem sido aplicado por falta de vontade política nas instituições militares. de dezembro de 2003. Isto economizaria recursos públicos. desde que não prejudique o serviço.org. pois cumprem medida administrativa de afastamento enquanto durarem os Conselhos de Disciplina instaurados na Policia Militar. já garantida em Mandado de Injunção proposto pela APRASC. prevista no ainda vigente artigo 27 de Lei Complementar 254. Estabelecimento de diálogo com o Governo do Estado: Se as outras categorias de servidores públicos são representadas por seus sindicatos. Mas aos militares. amparado por Lei e calcado no profissional e sua responsabilidade para com a sociedade. 6. pela incorporação dos abonos. ela é mais perversa pela incipiente política de garantia de direitos a que a categoria está sujeita. O governo do Estado pode fazer convênio com a Caixa Econômica Federal para um programa de moradia. provocando desestímulo e fuga de excelentes profissionais para outras profissões que oferecem melhores salários e melhores perspectivas de carreira. tão abalada pelos acontecimentos no final de 2008. Defendemos a elaboração conjunta entre as categorias de trabalhadores das instituições militares de um Código de Ética e Disciplina.

confirmando a unidade da categoria. O Sargento Sobrinho lembrou que a Assembléia Geral realizada em março pela Aprasc decidiu indicar um candidato dos praças ao Congresso Nacional. trabalhistas. A decisão foi tomada por unanimidade na convenção realizada no dia 10 de julho. que construiu uma estátua em metal de cinco metros de altura em homenagem as Mulheres que Lutam e colocou a obra de arte na Praça Coronel Bertaso. só escutar. Os praças indicaram o Sargento Pedro Paulo Boff Sobrinho para ser eleito deputado federal e o Sargento Amauri Soares para ser reeleito deputado estadual. que. e o Sargento Soares indica como: “precisamos dessa generosidade. O deputado estadual Sargento Soares iniciou a convenção com um relato histórico da luta dos praças no Brasil por direitos políticos. dia 26 de junho. Tenho sentimentos. No evento. um deputado federal praça e aprasquiano. Como poderia haver ainda outros praças interessados em concorrer às eleições como representantes dos praças. no dia 15 de maio.org. A campanha começou! Agora os praças precisam trabalhar firme.aprasc. que institui o piso nacional para policiais e bombeiros militares. respectivamente. além de manter a cadeira já conquistada na Assembléia Legislativa. a Aprasc funcionou.. Concluindo o processo democrático entre os praças foi realizada a Convenção Estadual no dia 10 de julho que homologou por unanimidade as candidaturas de Soares e Sobrinho. que temos condições de mostrar o valor dos praças catarinenses lá no Congresso Nacional”. os Sargentos Soares e Sobrinho foram os únicos inscritos. entre outros. A convenção durou toda a manhã e foi encerrada com saborosa marmita popular. Se houver segundo turno nos reuniremos novamente para decidir sobre o assunto. prazo final para as inscrições. as eleições 2010. inclusive no sábado.. teve como ponto de pauta. não sendo necessária a realização das prévias.até quando o silêncio é a minha voz?”. de Chapecó. A Convenção também decidiu apresentar Pauta de Reivindicações aos (as) candidatos (as) ao Governo do Estado. os praças irão manter “nossa trincheira aqui na ALESC. Trouxe a placa que estava na estátua para homenagear a Aprasc. de gente pedindo votos. como as candidaturas dos praças nas eleições 2010. os praças decidiram ousar politicamente e eleger pela primeira vez por Santa Catarina. Cine Ritz. formado por esposas e familiares de praças também participou e declarou apoio incondicional às candidaturas dos praças. mais 22 PEC de interesse da segurança pública e redução da jornada de trabalho e o limite da propriedade de terras. foi realizada uma Assembléia Geral Extraordinária O PRAÇA Soares exibe placa em homenagem a APRASC feita pelo soldado Lohrentz. dessa capacidade de doação. contra o golpe civil/militar de 1964 e pela Constituição Cidadã de 1988. Assim. A placa ficará na sede da Aprasc. de Chapecó. entre outros avanços. de participação. por ser imprescindível na luta por propostas como a PEC 300. e a estátua já foi retirada da praça pelo artista. em Florianópolis. reconheceu os direitos dos praças de votar em e serem votados. e cravar um gabinete lá no Congresso Nacional para mostrar para o Brasil que temos mais do que camisas brancas com um símbolo bonito. em Florianópolis. de interesse de toda a Classe Trabalhadora. Sobrinho representa os praças na disputa por uma vaga no Congresso. A placa diz: “Não posso falar. O debate sobre o processo eleitoral A Assembléia Geral dos praças realizada dia 30 de março. As inscrições foram abertas. Precisamos empolgar pelo menos dez mil companheiros (as) para esta campanha”. ao som de violeiros aprasquianos. Página 5 AGOSTO DE 2010 . Porém.www. O Movimento das Mulheres que Lutam. de mobilização. que definiu pela realização de prévias. O artista Soldado Alberto Lohrentz. considera Soares.br O Praça ELEIÇÕES 2010 Praças definem candidaturas de Soares e Sobrinho Aprasquianos de todas as regiões do estado catarinense homologaram as candidaturas dos Sargentos Amauri Soares e Pedro Paulo Boff Sobrinho para deputados estadual e federal.

a criação da Diretoria de Tecnologia da Informa- Continuam a cometer injustiças por toda Santa Catarina Foi aprovada por unanimidade dos 29 deputados presentes numa sessão ordinária da Assembléia Legislativa no mês de maio a Medida Provisória (MP) 169. que se manifestaram contra o aumento das tarifas de ônibus. disse momentos antes da votação o deputado Sargento Amauri Soares (PDT). a criação de adicional remuneratório para soldados. que foram apresentadas pelo Deputado Sargento Soares nas comissões de Segurança Pública e Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa. Por enquanto. Mas a pedido dos Deputados Sargento Soares (PDT) e Odete de Jesus (PRB) o Governador Leonel Pavan deixou de assinar os documentos. terão menos vagas e a carreira pode “travar”. sem a participação da base do Corpo de Bombeiros na confecção dos textos.00. da base dos servidores”. afirmou o deputado. A Aprasc defende que sejam criadas vagas proporcionais entre to- dos os postos e graduações.00 até agosto. para oficiais superiores. Para ele. Dessa forma. no capítulo que trata do efetivo. A discriminação fere o artigo 27 da lei 254/2003.00 enquanto os praças ficarão com apenas R$ 250. no futuro. até que chegue em dezembro com R$ 250.00 para os oficiais. Os oficiais desfrutarão de R$ 2000. E para os praças a gratificação será R$ 50. do Litoral e Vale do Itajaí participaram da discussão sobre os projetos de organização básica do Corpo de Bombeiros Militar e de fixação do efetivo promovida pelo deputado Sargento Amauri Soares (PDT). durante solenidade militar no Grupamento de Busca e Salvamento da Capital. em relação ao número de vagas disponibilizadas para a progressão na carreira dos pra- ças. com prisões arbitrárias.00. O PRAÇA ciações com o governo do Estado. passando no mês seguinte para R$ 150. em especial liderado por estudantes. Soares também esteve em Imbituba solidarizando-se com Comunidades Tradicionais que estão sendo despejadas de seus lares e suas roças. Em junho os policiais e bombeiros receberam a primeira parcela do abono. Entre as propostas de mudança elencadas na reunião estão a inclusão do Quadro de Oficial Complementar ou Administrativo do Corpo de Bombeiros Militar. “As cúpulas não aceitam a democratização e a melhoria da situação ção. proporcionalmente. para que seja instalado um parque industrial na região. A primeira parcela será de R$ 400. a fim de aumentar as vagas no topo da carreira dos praças. Os servidores públicos contaram com deputado e com companheiros da APRASC para suas mobilizações e encaminhamentos de negoPágina 6 DEFESA DOS TRABALHADORES e os comandantes da PM trataram os manifestantes. O deputado se retirou do plenário afirmando que não votará em nenhuma medida que discrimine trabalhadores. Amauri Soares também defendeu o Movimento Social Urbano de Florianópolis. Sargento Soares criticou a postura do Governo e do comando dos Bombeiros. Sendo oito vezes maior a gratificação para os oficiais “possibilita ação na Justiça por ser ilegal a MP 169”. Soares criticou na tribuna da ALESC a forma truculenta como os governantes municipal e estadual Soares em reunião com comunidades de Imbituba AGOSTO DE 2010 . que diz que a diferença entre o maior e o menor salário não pode ser superior a quatro vezes. Os parlamentares pediram para o Governador adiar a assinatura dos PLCs e abrir os documentos à discussão. sem qualquer indenização. Soares ainda apresentou as emendas aprovadas em Assembléia Geral dos Praças. Uma das principais críticas dos praças na reunião sobre o conteúdo dos projetos é a criação de mais vagas.aprasc. cabos e soldados.O Praça www. “Estão criando um gargalo para evitar cada vez mais que os soldados cheguem a subtenentes”. A iniciativa partiu do parlamentar depois que os projetos de lei chegaram à Assembléia Legislativa no dia 23 de junho. cabos e sargentos que venham a assumir função de comando de grupo. as mudanças nas instituições militares têm acontecido “muito devagar” e sem a participação daqueles que estão mais diretamente envolvidos com o trabalho diário. ABONO Deputado defende reivindicações da classe trabalhadora Cumprindo um mandato em defesa da Classe Trabalhadora o Sargento Amauri Soares defendeu também os servidores da saúde e da educação durante suas campanhas salariais deste ano. a base dos praças. apenas o primeiro pedido foi atendido.00. mas elas foram rejeitadas pelos deputados. que concede gratificação (abono) discriminatória aos militares do Estado de Santa Catarina.org. no dia 30 de março. criticou um praça que prefere não se identificar. Foi formada uma comissão de praças do Bombeiro para elaborar emendas. e sem qualquer consulta às entidades representativas. como coronel e ten-coronel. que só virá na íntegra a partir de dezembro. A tramitação dos projetos estava prevista para começar no dia 14 de maio.br BOMBEIROS Praças do BM querem mudanças no Plano de Efetivo Praças do Corpo de Bombeiros da Grande Florianópolis.

Porém. presidente em exercício da APRASC foi comunicado de sua exclusão. Agora ela seguirá para o Senado. O Sd Claudir Silvério Schmidt retornou aos serviços no 2º BPM em Chapecó dia 12 de agosto. reuniu os profissionais do Corpo Jurídico da entidade e. mas a vitória finalmente chegou. configurando assim um descumprimento do Decreto do governador.www. na sexta-feira 13 de agosto o Sargento J. que ficaria obrigado a vetar projeto se fosse aprovado com os va- lores determinados. talvez já estivéssemos lutando pela regulamentação e não pela aprovação”. sendo aceito e efetivado pela Desembargadora Dra. Renílson Bezera. eram 24 pais e mães de família lutando por um salário digno. Em sua avaliação publicada no Fórum de Discussão da Aprasc. Três dias depois. à época coordenador. porém todas foram infrutíferas. Auderita Ramos de Oliveira. Costa afirma que “gostaríamos muito de poder ter estes valores já fixados no texto da lei. dia 16 o comando voltou atrás e reviu a exclusão do referido praça. não se pode admitir que lhes seja negado o direito básico de reivindicar melhores condições de trabalho e salariais. E para isso os três oficiais deputados teriam que abrir mão da fixação do piso no primeiro momento e nós estaríamos juntos buscando estes valores na regulamentação da lei”. Costa diz que “se a PEC tivesse sido votada. nos autos da apelação criminal de nº 134824-7 foi requerido o cumprimento do texto da lei. dos amigos e da APRASC. na segunda-feira. Piso que está garantido no Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 446. encabeçada pela Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS – PE). Nazari e do Sd Schmidt. Mais do que 24 homens. tomaram a decisão de ingressar na Justiça com uma ação para a garantia dos direitos dos associados. notadamente neste caso o presidente da APRASC. ainda que O PRAÇA alguns juristas considerem ilegais”. falta ainda a anistia de fato para os outros 18 aprasquianos excluídos da corporação. J. que segundo a legislação é de competência do poder executivo. assinou o Decreto nº 3433/2010. Ela anistiou os associados que haviam sido condenados a oito anos de prisão por participarem das mobilizações sociais. pois nada foi feito por parte do Governo. Ser excluído por exercer sua cidadania é uma das crueldades proporcionadas pelo militarismo. Afinal. em nenhum momento o Governo do Estado fez menção de cumpri-la. geralmente terminam em punições administrativas. embora os militares devam ter suas condutas norteadas pelos pilares da hierarquia e da disciplina. Desta forma. Página 7 . assim como fazem os comandantes com relação aos praças. Sendo que no caso dos praças o não cumprimento de ordens ou os transtornos causados.br O Praça No dia 3 de agosto o governador do Estado de Santa Catarina. Por fim J. juntos. referentes ao movimento reivindicatório de 2008. E quem quis demagogicamente estipular os valores já o fez na intenção de atingir o Presidente da República. Em março. Costa. Schmidt afirmou que “não há sensação melhor do que esta” e que os 90 dias que passou excluído da PM por ter supostamente participado do Movimento Reivindicatório de 2008 só foram suportáveis graças ao apoio da família.aprasc. Comprova-se com esta ati- Decreto suspende processos administrativos tude uma completa confusão e por que não dizer displicência por parte da cúpula da PM que a despeito do decreto ter sido publicado em 3 de agosto ainda manteve a lógica de perseguir e excluir os praças. J. sejam de qualquer espécie. Mas a afirmação mais consistente que o nosso presidente ouviu na capital federal é de que é inconstitucional estipular valores na PEC. alegando equívoco e que a exclusão estava suspensa. reintegrando-os aos quadros da PMSC. Luís Inácio Lula da Silva. que suspende até o fim deste ano os processos administrativos em andamento. Piso Salarial começa a tramitar no Congresso No dia 18 de maio o presidente em exercício da Aprasc. Porém. Leonel Pavan. A PEC 300 ou 446 foi votada e aprovada pelos deputados federais. Manoel João da Costa esteve em Brasília juntamente com representantes policiais e bombeiros de todo Brasil para acompanhar e cobrar dos congressistas a aprovação do piso salarial nacional para policiais e bombeiros militares.org. A conquista da Anistia aos 24 policiais militares excluídos devido a participação na Mobilização Social de 2000 é fruto de muita luta. e se aprovada dependerá de uma Lei de iniciativa do Governo Federal para ser implementada. Fica o alerta ao governador para que cobre das autoridades militares competentes o fiél cumprimento das ordens vigentes. A APRASC segue na luta por justiça e dignidade! Em Pernambuco justiça obriga Estado a cumprir anistia Foram necessários dez anos de uma espera sofrida. AGOSTO DE 2010 PEC 300 O Projeto tem vários autores deputados. Várias foram as tentativas de fazer cumprir o que regia a Lei nº 12. desde aquela época. mesmo sem a fixação do valor do piso. além de liberar as armas apreendidas. que substitui e aglutina a PEC 300. Os Subtenentes Nazari e Gilberto que haviam sido excluídos da reserva pela mesma injustiça devem retornar aos quadros da reserva até o fim de agosto.191/10. ANISTIA Jota Costa reúne-se com presidente da OAB exigindo da entidade posicionamento sobre o cumprimento da Lei de Anistia Praças são reintegrados O Desembargador Carlos Alberto Civinski concedeu parcialmente as liminares aos Agravos de Instrumento dos Sub Ten RR Gilberto. Getúlio Corrêa encaminhou ofício ao Comando para que cumpra a sentença. cada um querendo assumir a “paternidade” da proposta. Mesmo sendo uma Lei Federal. O juiz da vara militar. Costa sugere refletir “se devemos continuar insistindo ou se abrimos mão dos valores fixados no texto e partimos logo para uma votação imediata e avançamos para outro espaço de luta que é o de buscar o diálogo com os representantes da Casa Civil que irão construir a regulamentação da lei de acordo com a anuência do Presidente para fixar o valor do piso.

Tal discurso feito em primeiro momento pelo ex-governador LHS foi “comprado” por alguns que o “vendem” por toda a Santa Catarina. formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal. seja ele quem for o único espaço permitido é o espaço de servir e aquele que se insurge fazendo uso da cidadania é considerado um revolucionário ou outro adjetivo qualquer. define revolução da seguinte forma: “A Revolução é a tentativa. filósofo político e historiador italiano respeitado. os pormenores de uma lógica autoritária e demagógica. lamentavelmente. ao Praça. em seu inciso II. e visa a satisfação imediata das reivindicações políticas e econômicas”. Pois no futuro os mesmos estarão na mesma condição a qual sempre estiveram e que momentaneamente está modificada. Acaso o ex-governador LHS não assumiu diversos compromissos com a categoria? Por certo que sim e temos milhares de Praças que podem confirmar isso. o direito à cidadania nos dá a posse concreta desses direitos. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões. Mais lamentável ainda é que muitos tentem e efetivamente consigam dominar a mente e a racionalidade daqueles que se deixam enganar ou então pensam como os mesmos. deturpam conceitos como forma de confundir e dividir.org. O que de fato é um projeto revolucionário e até onde vai a má intenção de alguns que difundem mentiras como forma de confundir? Norberto Bobbio. Tal ocorre pelo simples fato de que para estes. acompanhada do uso da violência. como exemplo temos os direitos individuais. Optam por excluir. de explicitar para aqueles que desejam abrir a mente. bem como pela sociedade. ou seja. sociais e políticos (ou de participação na vida política). muitos ainda nos tratem como sub-cidadãos. O que se lamenta é que ainda hoje em pleno século XXI. muitos insistem em achar que os Praças não possuem direitos. Naturalmente que temos nossas ideologias. Assim sendo fica desqualificada qualquer tentativa daqueles que afirmam o contrário. ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social”. O cidadão assim passa a ser um titular de direitos individuais num Estado regido por leis e não por reis.br Revolucionários ou cidadãos? Por Sd Elisandro Lotin. todos necessários e fundamentais para a vida em sociedade e para o crescimento e engrandecimento da personalidade humana. Aos catadores das migalhas que sabem da verdade e que mesmo assim atacam sem argumentos resta a agilidade e a rapidez de recolherem o maior número de farelos possíveis para o momento. Historicamente temos sido relegados de todo e qualquer debate. geralmente de cunho pessoal.os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa.aprasc. Acaso aqueles que nos acusam dão tal oportunidade? Não. II .a soberania. constitui ser cidadão. Acaso aqueles que afirmam que somos “revolucionários” não fazem isto justamente afirmando a sua ideologia? Nossos projetos de uma sociedade mais justa e igualitária e que prime pelo respeito e pela dignidade da pessoa humana são justamente o oposto do projeto daqueles que nos atacam. 1º A República Federativa do Brasil. A Constituição da República Federativa do Brasil é e deverá ser sempre citada e fundamentalmente seguida em questões que digam respeito aos assuntos de organização do Estado e aos direitos do cidadão. IV . nas palavras de Bobbio. III . Proporcionamos a todos uma oportunidade de visualizar e vislumbrar um futuro diferente. Somos cidadãos e não súditos. “o retorno aos princípios que regulavam as relações entre as autoridades políticas e os cidadãos.O Praça ARTIGO www. E. ao contrário possuem sim intenções. pois só o fazem por má intenção. O PRAÇA um projeto revolucionário é no mínimo burrice. ou seja. para a surpresa geral têm aparecido nos últimos dois anos alguns “compradores” de tal falácia. Ao contrário. esquecendo e ignorando a evolução humana. por que estão se deixando enganar ou ainda por que tem interesses os mais diversos. V . inclusive e fundamentalmente pelas autoridades constituídas. pois estão sendo usados e se deixam usar. Todo o poder emana do povo. Assim. a cidadania é colocada como um princípio fundamental. Balizado nesta definição temos que a cidadania nos remete a um entendimento de que somos detentores de direitos. no ordenamento jurídico-constitucional e na esfera sócio-econômica. Lutar por direitos não constitui revolução. no entanto sabemos que aqueles que divulgam tal idéia. como sendo “um conjunto de direitos que dá a pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. que não têm cidadania e devem ser excluídos da vida em sociedade.” Em que momento a APRASC e sua diretoria pregaram a derrubada ou a substituição das autoridades através do uso da violência como forma de modificar o ordenamento jurídico constitucional? Em nenhum momento discursou-se ou incentivou-se a derrubada ou tomada do poder.a cidadania. separar e renegar principalmente o passado. nos termos desta Constituição. constitui-se em Estado democrático de direito e tem como fundamentos: I . Sobre os direitos a mesma afirma: TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS Art. impõem sua ideologia e não dão a oportunidade para que cada um avalie por si só o que é mais sensato.o pluralismo político. vice regional norte Nos últimos dois anos intensificou-se nos quartéis o discurso de que a APRASC e sua diretoria tem um projeto revolucionário e que utilizam a categoria para atingir seus objetivos. Confundir os direitos inerentes à cidadania com coletivos. assim como todos têm. que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente. por mínimo que seja. A definição de revolucionário descrita acima Página 8 derruba toda a tentativa de “colar” na entidade a pecha de organização revolucionária. buscado e incentivado por todos. O que a APRASC sempre fez foi buscar. o que é melhor.a dignidade da pessoa humana. ou seja. onde a alienação e os dogmas são o motor que os sustenta. de derrubar as autoridades políticas existentes e de as substituir. Ocorre que nossa forma de atuação é extremamente diferente. Cidadania é um termo associado à vida em sociedade e é definida por Dalmo de Abreu Dallari (Professor Emérito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo). AGOSTO DE 2010 . Após estes conceitos fica muito claro a intenção daqueles que difundem o discurso de que a APRASC e seus diretores são revolucionários. de burros não tem nada. nós por nosso turno temos o escopo de conscientizar. O surpreendente é que muitos dos “nossos” assumem tal mentira como verdade e fortalecem a lógica autoritária e demagógica de alguns. Percebam que já no título I da Constituição. deve ser seguido. nós Praças somos inferiores e para que a idéia de inferioridade seja assimilada tanto pelos Praças. social e cultural intrínseca ao homem e ao mundo. A lógica que impera é de que somos todos apenas meros serviçais. Parágrafo único. a fim de efetuar profundas mudanças nas relações políticas.