You are on page 1of 8

2º ESTUDO DE MARCOS – MARCOS 1:21-45

VERSÍCULOS 1:21-28 A AUTORIDADE DE JESUS 1. Jesus tem autoridade porque Ele é a própria Verdade – Ele não ensinava como os estudiosos, que citavam outras fontes. Ele falava dele mesmo. Ele não ensinava como um mestre, mas como o Filho de Deus, cujo conteúdo da mensagem vinha de seu próprio Pai. As pessoas ficavam atônitas e se perguntavam de onde vinha tamanha autoridade. Para alguns, porém, isso não soava como algo bom, mas como audácia e blasfêmia 2. Jesus tem autoridade porque ensina a Palavra de Deus fiel e corretamente – Os religiosos estudavam a Palavra como se ela fosse um amontoado de regras que eles deviam seguir para que eles pudessem, supostamente, se tornarem justos diante de Deus. Isso se tornou um peso para o povo, que tornou-se escravo daquilo que veio para libertar (Palavra de Deus). Os fariseus pregavam doutrinas criadas por eles, de maneira fria, por orgulho e ambição; Jesus pregava o ensino de Deus, com zelo e buscando a glória do Pai (notar as diferenças entre de onde veio o ensino, de que maneira era ensinado e sua motivação) (Observação: Quando Jesus aparentemente “altera” a Palavra de Deus/Lei (exemplos: Mateus 5:20-21 ou Mateus 5:33-34), ele não está mudando a Palavra, mas a INTERPRETAÇÃO feita pelos mestres da Lei. Deus deu a Moisés diversas leis a serem cumpridas (Dez Mandamentos, leis cerimoniais, leis civis e morais) que visavam estabelecer a justiça e a santidade em Israel. Elas não eram, por elas mesmas, modos de salvar o povo, mas sim demonstrações de obediência a Deus. Com o tempo, porém, os judeus se tornaram LEGALISTAS (observavam rigorosamente a lei, sem fazer nenhuma interpretação de seu sentido, sem atender à sua intenção e ao seu espírito). Isso tornou o judaísmo uma religião seca, fria e governada não mais por um Deus bondoso, mas por regras inflexíveis; além disso, passou a se pregar a salvação pelas obras, isso é, obediência à Lei. Isso os tornou orgulhosos, orgulho esse que era disfarçado de piedade e devoção a Deus. Na maior parte das vezes, a Bíblia vai chamar esses hipócritas de “fariseus”, “mestres da lei”, “religiosos” ou “escribas”. A partir desses fatos, é importante fazer uma distinção entre “Lei” (a original, vinda de Deus, que visava o bem do povo) e “tradição” (interpretação humana da Lei, que se tornou um peso). Por isso tudo, Jesus NÃO quebra a Lei de Deus, mas a cumpre verdadeiramente (Mateus 5:17-18); ele não segue a tradição, mas a intenção original do Senhor. Dessa maneira, a autoridade de Jesus vinha de sua obediência ao Pai e da sua fidelidade à Sua Palavra 3. Jesus tem autoridade porque vive o que prega e prega o que vive – Ele, diferentemente dos mestres da Lei, não era um hipócrita que fingia santidade em público e pecava às escondidas; Jesus nunca praticou o contrário do que ensinou: perdoou, amou e serviu em todos os momentos, da maneira como tinha mandado seus discípulos

Não é uma guerra de duas forças iguais. O Diabo NÃO tem intenção de se manifestar. seja através de sua vida moral/espiritual/psicológica ou física (como visto em Mateus 17:14-18). Ele utiliza de coisas boas (prazeres. roubar e destruir (João 10:10). A possessão é uma ação de Satanás a fim de destruir as pessoas – Se Deus é a vida. mas é claro que ele não se apresenta assim. Isso ensina que muitas pessoas que estão dentro de nossas igrejas podem estar nas mãos de Satanás. e o mais cheio também). somos capacitados a fazer a obra de Deus de acordo com Sua vontade. se essa influência satânica ainda não se dissolveu e/ou se manifestou. É interessante notarmos que o homem que caiu endemoninhado era um judeu e estava dentro da sinagoga durante o culto de sábado (principal culto da semana. aos seus próprios ensinos também) 3. e a presença do Filho de Deus se tornou insuportável ao demônio). Jesus tem autoridade porque seu ensino é sobre coisas eternas e realmente importantes. mas a essência. que tinham grandes discursos. Fica bastante claro que o homem já estava sob influência maligna há um tempo (não se sabe quanto). Se Cristo vem para fazer viver. decidiu não pecar. Hebreus 4:15 diz que Jesus foi tentado em tudo. ele prefere atuar secreta e silenciosamente nas vidas das pessoas. onde não pode ser descoberto (observação: a possessão demoníaca como a conhecemos é apenas a expressão visível de algo que está acontecendo internamente na pessoa. salvação e perdão. Jesus falava sobre eternidade. muitas vezes as pessoas estão possuídas sem demonstrar isso externamente. A possessão se deu dentro da sinagoga – A sinagoga era a igreja dos judeus. sonhos. mas a transformação verdadeira do ser humano O ENDEMONINHADO NA SINAGOGA 1. e não banalidades religiosas – Enquanto muitos fariseus preferiam discutir pequenos pontos teológicos e/ou culturais. A presença de Jesus é insuportável aos demônios. absoluto sobre . Isso é expressão clara da ineficácia e falta de autoridade dos mestres religiosos. Ao encher-se do Espírito Santo. ele não buscava a aparência do bem. Jesus é supremo. o Diabo virá para matar. mas nenhum poder. o pecado – representam a morte. Na verdade. Ali eles faziam seus cultos e ensinavam a Lei de Deus. O ÚNICO objetivo de Satanás é matar. e mesmo assim. 3. frequentava a sinagoga normalmente. e que. se mantendo fiel à Deus e à Sua Palavra (e logo. 2. A possessão demoníaca não é um espetáculo de Satanás para atrair atenção.fazerem. mas por vontade própria. Satanás – e seu maior aliado e ferramenta. sua mensagem não é para mudar a superfície. A pessoa que está sob influência demoníaca sempre terá tendências destrutivas. sensações. ao ter demônios dentro de si. amor ao próximo. As trevas não toleram a luz (Jesus) – Somente quando Jesus aparece e prega a Palavra é que o demônio não consegue mais ficar ali. satisfação de carências ou necessidades) a fim de atingir suas intenções. o homem caminha para a perdição e para sua própria destruição. o problema é a falta de autoridade daqueles que estão ao seu redor. e isso fica claro no texto quando percebemos que ele só “apareceu” quando Jesus estava no recinto. desejos.

sem técnicas ou palavras mágicas. O MINISTÉRIO DA ORAÇÃO 1. mesmo que seja lógico. Ele sabe que já perdeu a luta. que somos seus herdeiros 4. além disso. Os demônios não conseguem desobedecer à autoridade de Jesus – A ordem expressa de Jesus é suficiente para que o demônio seja retirado. Os demônios sabem quem Jesus é. Apenas a autoridade de Cristo é que pode ser usada contra o inimigo 6. (2) para comprovar o que falava (João 4:48) As curas de Jesus prenunciam a realidade do Reino de Deus. Jesus curava e libertava por algumas razões: (1) para o bem das pessoas. será sempre uma mentira que visa nos levar ao pecado e à nossa destruição Aqui é importante notarmos: até mesmo os demônios reconhecem a divindade e superioridade de Cristo. e assim também deve ser conosco. Jesus não aceita o testemunho de demônios – Mesmo que o demônio tenha falado verdades acerca de Jesus. conhecem sua identidade e poder – Satanás não acha que vai destruir a Deus ou a Cristo. está falando sua própria língua. Não há credibilidade NENHUMA naquilo que Satanás fala. mesmo à noite. onde não haverá doença. e quando mente. Cansaço não impedia Jesus de orar – Mesmo passando o dia inteiro em serviço. A autoridade dada a Cristo é arrebatadora. de modo que sua pregação consistia em palavras E demonstrações do que será esse Reino. joga luz sobre tudo. Os demônios creem e tremem diante de Deus (Tiago 2:19). sem objetos. enquanto alguns fariseus da época perseguiam Jesus. até os próprios demônios conheciam a Jesus. Se Cristo. e o que está escondido vem à tona (Efésios 5:11-13). não há salvação e relacionamento verdadeiro com Deus VERSÍCULOS 1:29-39 O MINISTÉRIO DA CURA E LIBERTAÇÃO 1. a única coisa que ele quer é levar consigo todas as pessoas que puder.qualquer tipo de força maligna. É importante lembrarmos que Jesus vem pregando as “Boas Novas do Reino” (Marcos 1:15). O diabo é o pai da mentira (João 8:44). Com isso aprendemos uma grande lição: é inútil ter mero conhecimento intelectual sobre religião ou Cristo. Jesus usou do seu momento de descanso para orar. Os fariseus o tinham e não criam. . interessante e tentador. causará o maior estrago possível 5. que era perfeito. Sem fé verdadeira no sacrifício e perdão de Cristo. tristeza ou dor (Apocalipse 21:4). Jesus atendia todos os que dele precisavam. Jesus usava todo seu tempo disponível para ajudar os que precisavam – Mesmo tendo passado o dia ensinando e libertando. Quando Jesus chega. Cristo o repreendeu e mandou-o calar. apenas não admitiu isso e enquanto puder. mas alguns se acham bons o suficiente para persegui-Lo.

Jesus passou a noite inteira em oração (Lucas 6:12-13). a progressão de seus efeitos. Filho de Deus. mas nos nossos lugares e momentos mais íntimos. Cristo não veio resolver apenas problemas temporais. Ele ensina isso ainda mais claramente em Mateus 6:5-6. as pessoas precisam ser parte dele. na verdade. e esses eram os motivos pelo qual ele viera 2. e. mas em primeiro lugar. contagiosa e degenerativa. imagine nós. no corpo todo. a doença penetra pelo corpo. fazia isso sozinho e no mais secreto dos lugares. a do espírito 3. mas com ações (sejam expressões de Seu caráter (boas ações) ou ações de poder (milagres)).inculpável. seu sintoma inicial era o descascamento da pele. mas principalmente os eternos. incurável. A doença – A lepra era uma doença. e por isso. mas expressar a Palavra de Deus. mas um refúgio de onde tirava forças e direcionamento para continuar seu ministério (por exemplo: antes de chamar os apóstolos. Para Jesus. A pregação é mais importante que os milagres– Ele deixou claro que pregar para a salvação deveria vir primeiro que a cura das doenças. a Sua vontade e o Seu Reino. Isso nos ensina que não devemos esquecer nossa vida terrena olhando somente para o céu e nem que vivamos somente a vida sem esperar a eternidade: nossa oração e serviço é para que a vontade de Deus seja feita na Terra ASSIM COMO ela é feita no céu VERSÍCULOS 1:40-45 O HOMEM LEPROSO 1. dava tanta importância à oração. pecadores e inconstantes 2. orar era buscar intimidade com o Pai – Jesus não via na oração uma obrigação. Jesus se afastava para orar. Na verdade. o apodrecimento de todo o tecido. . mais tarde. há algumas características em comum entre os dois: a profundidade da ação. mas também ao corpo ferida. A pregação tinha papel central no ministério de Jesus – Pregar não é somente falar algo. Jesus só tomava decisões depois de consultar o Pai). a lepra tornou-se o símbolo do pecado. porque importava que a doença primária do homem (pecado) fosse curada primeiro. a separação que os dois causam. Nossa vida de oração não deve ser exercida principalmente em reuniões e cultos. atingindo músculos. O MINISTÉRIO DA PREGAÇÃO 1. suas características contagiosas e a morte que causam. Não era uma doença meramente dermatológica. mas antes de desfrutarem das bênçãos desse Reino. sangue e ossos Por ter um aspecto horrível e geralmente ser mortal. Jesus nos ensina que as libertações e curas são parte de seu ministério e ação (por serem expressão da glória e perfeição do Reino de Deus). A pregação de Jesus era aos ouvidos e aos olhos – Jesus não apenas pregava com palavras. a falta de sensibilidade que lhes são comuns. as marcas que deixam. não somente a cura do corpo. não apenas à alma necessitada. a lepra era considerada castigo de Deus.

tornando-o limpo de sua doença e. era o sacerdote quem verificava os casos de doença e reintegração à sociedade) – de maneira que isso servisse de testemunho ao povo e aos sacerdotes . Isso se deu por alguns motivos: 1. O milagre – Jesus.2. Jesus queria ser conhecido por causa do que Ele disse.ultrapassou a barreira social que não lhe permitia ir aos lugares. mesmo sabendo que poderia ser morto por causa disso. claro). quem tocasse um impuro. Ele já estava na mais baixa posição social. sabendo da importância disso para aquele homem. e reconheceu sua incapacidade . É certo que nenhum fardo é dado a alguém que não consiga suportá-lo. com Jesus.teve profunda compaixão. Porém. Sua fé em Jesus foi tamanha que arriscou sua própria vida . Jesus tocou em uma pessoa que não era tocada ou abraçada a muito tempo. mas se importou com sua solidão também. de maneira que não apenas demonstrou compaixão pela sua doença física. . o leproso: . não concordemos com o que é “o melhor de Deus para nós”). Cristo não permitiu que os demônios ou pessoas falassem de sua identidade (versículos 34 e 44).e agradecer a Deus pelo fato. se fosse a vontade de Cristo. a cura aconteceria. nada disso aconteceu e o impuro foi purificado.assentiu com sua cura. Isso é importantíssimo. mas disse que. a fim de esperar pela morte lá para não contagiarem mais ninguém. porque segundo a lei judaica. como tinham as outras pessoas. mas o fez. . Jesus não precisava tocá-lo para ceder a cura.mandou-o certificar-se de que fora realmente curado (na época. e não pelo que demônios falavam ou pelo que a tradição enganada dos judeus previa . . O homem – Ao ir de encontro a Jesus. ao ver o homem: . Cristo veio justamente para os párias. através do sacrifício oferecido O PORQUÊ DO SILÊNCIO ACERCA DA IDENTIDADE DE JESUS Em alguns momentos dos textos que lemos. (Observação: às vezes a vontade de Deus é curar a pessoa a fim de demonstrar Seu poder e glória (como em João 9:1-7). Não exigiu sua cura ou algo do tipo.Jesus o tocou. ninguém tocava nesse homem (além do medo do contágio.[ 4. mas que prevaleça a Sua vontade”) e assim devemos fazer. Os doentes – Aqueles que eram diagnosticados com lepra eram considerados impuros e deviam sair da cidade. fracos e pecadores. fez e era. Além do mais. isolando-se em cavernas ou colônias de leprosos. Um leproso que se aproximasse da cidade poderia ser morto a pedradas 3. mas NEM TODAS as doenças terão a cura de Deus. e não asco.foi completamente submisso à vontade de Jesus. Assim Jesus também fez no Getsêmani (“Pai. e desses Jesus sente profunda misericórdia. também ficaria impuro. passa de mim o cálice. e que a soberania da ação de Deus visa o melhor.demonstrou profunda humildade diante de Jesus. mesmo que em nossa ignorância acerca do futuro. e por isso.

ao dizer que era O Filho de Deus. na verdade. mero carpinteiro sem instrução. Jesus não expulsava só para demonstrar poder. coisa que se dava porque (1) Jesus era a própria Verdade. Mostrar como o mero conhecimento sobre religião . Nada do que fez foi contrariando a vontade de seu Pai 2º ESTUDO DE MARCOS – MARCOS 1:21-45 VERSÍCULOS 1:21-28 1. (3) por ensinar a Palavra de Deus corretamente. mas principalmente para libertar o homem oprimido) 3. pelo seu ensino.João 6:26-27). e a autoridade de Cristo sobre eles era absoluta. Porque Jesus expulsava os demônios? (por saber que a intenção de Satanás é destruir as pessoas que estão sob sua influência. Cristo foi obediente em assuntos de ensino. a fim de libertar Israel da dominação romana e tomar de volta os territórios prometidos por Deus a Moisés.(observação: os judeus falavam de um Messias que viria como rei político. prática e morte. foi uma ameaça ao poder religioso e político de sua época) 2. Não trabalhem pela comida que se estraga. e Cristo. os demônios não conseguiam permanecer. o reconhecimento de quem era deveria vir de sua pregação (“A verdade é que vocês estão me procurando. não queria que isso fosse o motivo principal do povo para segui-lo – Jesus operou muitos milagres. diante de Jesus. e não mestre). porém. Ao mesmo tempo que queria ser reconhecido pelo que fez. (2) falava de algo que lhe era íntimo (por ser Filho. Jesus manda o povo não correr atrás de seus milagres temporários. (4) por viver o que pregava e (5) falava de coisas eternas) 2. Jesus queria esperar o tempo certo para revelar quem realmente era – O tempo previsto por Deus para a prisão e morte de Jesus ainda não tinha sido cumprido. A partir de que momento o demônio se manifestou? E porque os demônios saíam depois da ordem de Jesus? (os demônios suportavam os mestres da lei porque eles não tinham autoridade. Qual era a diferença entre o ensino de Jesus e os dos mestres religiosos? (mostrar que Jesus tinha autoridade – coisa que os religiosos não tinham -. mas ainda assim. Jesus. não porque viram os sinais miraculosos. buscarem a eternidade 3. mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos. não queria ser reconhecido como mero milagreiro. mas pela comida que permanece para a vida eterna” . mas. além de frustrar expectativas megalomaníacas. sabendo disso (João 7:1-8). não se expunha ao risco.

Qual foi a postura do homem diante de Jesus? . Jesus foi ao deserto sozinho porque sabia que nossa vida de oração deve ser majoritariamente feita em momentos e locais íntimos (como ele mesmo pregou em Mateus 6:5-6) 6.(fariseus) ou aceitação da divindade de Jesus (demônios) não é suficiente para salvação. comprovando o que falava ao expulsar demônios e curar. 7. e ela fez isso servindo. mas temos que ter fé verdadeira nEle) VERSÍCULOS 1:29-34 4. Logo após dizer que a pregação era seu maior objetivo. sabendo de sua missão. a cumpria imediatamente. Paulo repete essa “fórmula” em 1 Coríntios 2:4-5) VERSICULOS 40-45 8. Fazer paralelismo da lepra com o pecado e contextualizar a lepra: quem seriam os leprosos (excluídos por supostamente serem “sujos”) da nossa sociedade?) 9. novo nascimento e nova vida (a cura verdadeira e interior do homem). e não apenas libertação de curas temporárias. porque entendia a importância disso. mesmo dizendo que a pregação era o foco de seu ministério. Qual era o maior objetivo do ministério de Jesus? (mostrar como o maior objetivo de Jesus era a pregação para arrependimento. Qual foi a reação imediata da sogra de Pedro após a cura? (mostrar como a reação da mulher foi de adoração a Jesus. Que doença tinha esse homem? (falar um pouco sobre a lepra e a situação social dos leprosos. fé. devemos pedir que Deus nos abençoe para melhor estarmos à Sua disposição VERSICULOS 35-39 5. mas demonstrou poder. o que Jesus passou a fazer? (mostrar que Jesus. Falar como devemos agradecer a Deus pelas bênçãos recebidas adorando-O e servindo-O (e servir a Deus é servir aos outros também). Que horas Jesus se levantou para orar e para onde foi? (mostrar como. mesmo passando o dia inteiro adorando. Além disso. Jesus não se importou com o cansaço e foi orar. Cristo não apenas ensinou.

Jesus não se afastou do homem. Jesus não sentia repugnância do leproso. E o que Jesus mandou o homem não fazer? Porque? (mostrar que. (2) agradecer a Deus através de um sacrifício oferecido) 13. que não era tocado por alguém há muito tempo. Qual foi a reação de Jesus (internamente e externamente)? (mostrar que.34. porque sabia que seu tempo ainda não tinha chegado) . assim como no v. porque: (1) não aceitava o testemunho de demônios e/ou a visão errada que o povo tinha sobre o Messias que viria. incapacidade e total fé naquilo que Ele É e naquilo que Ele pode fazer) 10. como seria comum) 11. Segundo: Jesus DEMONSTROU – e não apenas SENTIU – compaixão. Jesus o abençoou física e emocionalmente) 12. Como podemos ver a importância do toque que Jesus deu no homem? (primeiro de tudo. ao tocar o homem. nossa postura deve ser de total submissão. mas pela sua pregação que transformava vidas interiormente. mas misericórdia e compaixão. porque não teve medo de ser contagiado.(mostrar que. porque Jesus sempre se compadece dos necessitados e fracos. Jesus não queria que a fama de milagreiro e/ou Messias fosse espalhada. O que Jesus mandou o homem fazer? ((1) se certificar da cura. Jesus mostrou sua supremacia diante da doença. (2) não queria ser seguido pelas curas exteriores. a fim de comprovar que não era um truque ou algo assim. Além disso da compaixão interna. (3) não queria criar maiores problemas por enquanto. diante de Jesus. diferentemente das outras pessoas.