You are on page 1of 10

Universidade Paulista Instituto de Ciência Humanas Psicologia

Projeto de Pesquisa

Práticas de atuação do Psicólogo no ambiente Escolar

Alisson Alves Brito Daniela Pimentel Gabriel Todres

Santana de Parnaíba, 2012

da Universidade Paulista . no curso de Psicologia.UNIP.Universidade Paulista Instituto de Ciência Humanas Psicologia Alisson Alves Brito Daniela Pimentel Gabriel Todres Projeto de Pesquisa Práticas de atuação do Psicólogo no ambiente Escolar Esse projeto de pesquisa foi desenvolvido para avaliação acadêmica. Orientador: Edison Pinheiro .

.

............................................ 1.................. .................. 1.....................................Sumário 1.......................................... 1................................................................................................................. Referencias Bibliográficas.1Revisão de Literatura...................3Hipóteses................ 2....4Justificativa....................................... Métodos e Procedimentos 2..............................................................................................................................................................1 Participantes....................2 Instrumentos...................................................................................2 Objetivos a) Objetivo Geral............................................... Introdução 1.................................................. b) Objetivo Específico....... 2.......... 3.....................

Após a promulgação da Lei n°5. Eram levantadas reflexões sobre as capacidades mentais. possibilitando um espaço mais amplo na área da educação. Para os psicólogos escolares esse trabalho agia em forma de prevenção e do desenvolvimento coletivo (MARINHO-ARAÚJO. Após a escola reconhecer sua necessidade em um auxílio de um profissional para lidar com tais problemas. 2010). Nessa mesma época foram realizadas pesquisas sobre deficiência mental em alunos pelo professor Clemente Quaglio (MARINHO-ARAÚJO. 2010). 2010). seja inserido nas escolas. que extendia a escolaridade obrigatória e gratuita. Alguns trabalhos buscavam novos focos de intervenção na área. e não obtia um resultado conforme o esperado (MARINHO-ARAÚJO. A Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE). (MARINHO-ARAÚJO. Em consequência disso pode-se perceber um crescimento na demanda dos alunos com dificuldade de aprendizagem (MARINHO-ARAÚJO. o que ocasionou uma vasta dificuldade de adaptação por parte dos alunos e das próprias instituições de ensino.692/71. Contribuindo para que o trabalho do psicólogo.1 Revisão de literatura A psicologia escolar teve seu início no Brasil. focado na área terapêutica. 2010). onde resultados revelaram que os mesmos associavam atuação psicológica a um trabalho clinico. 2010). onde evidenciou a necessidade de uma revisão nessa atuação que era baseada num modelo clinico. o psicólogo foi procurado a fim de compreender as queixas e trabalharem a favor das instituições de ensino (MARINHO-ARAÚJO. A partir do ano 2000 houve um avanço da discussão envolvendo a atuação do psicólogo escolar. desde então iniciou-se uma crise que se prolongou por duas décadas. Em 1970 os psicólogos escolares se mostraram insatisfeitos com a atuação que lhe estava sendo atribuída. 2010). foi analisada a forma com que o psicólogo atuava. . (MARINHO-ARAÚJO. 2010). Durante esse período foram levantados estudos e pesquisas com intuito de promover o trabalho do psicólogo junto a escola.1. foram discutidos os temas sobre a participação desse profissional na formação de professores e na elaboração do projeto político pedagógico da escola. Introdução 1. nasce no inicio da década de 1990. Com a criação dessas associações. como forma de intervenção. houve um crescimento na demanda de alunos de diversas classes sociais e culturais. uma vez que seu trabalho anterior não atendia com eficácia as demandas. Foi realizada uma pesquisa realizada por Rossi e Paixão (2006) com intuito de verificar a representação social da atuação do psicólogo escolar para os professores.

Em contra partida buscaremos o real trabalho desenvolvido pelo mesmo. Objetivo Específico Procurar saber de uma forma mais ampla as possibilidades de atuação do psicólogo dentro da instituição escolar. pois o psicólogo não está para interferir no processo de aprendizagem ou como a escola educa seus alunos. De acordo com nossas experiências e leituras de artigos nos deixa ainda mais interessados a investigar a fundo qual a representação do psicólogo para a instituição de ensino. Buscaremos compreender qual a expectativa da escola diante do trabalho do psicólogo escolar. não se sentem confortáveis ao trabalhar o psicólogo.1. . acaba sendo algo ruim.2 Objetivos Objetivo Geral Nossa pesquisa tem como objetivo conhecer e compreender a relação da Instituição escolar com Psicólogo. Nisso levantar questões de como é a forma que o profissional trabalha em relação a diversas demandas da educação e as queixas que são apresentadas na própria instituição que ele atua. Essa negação que à dentro das escolas por tarde dos outros integrantes do coletivo escolar. trabalhando junto com os pais e professores para garantir o crescimento do individuo e garantindo um desenvolvimento eficaz para as novas gerações. mas para junto com outros profissionais auxiliar e compreender problemas que afetam o desenvolvimento dos alunos psicossocial. sendo que muitas vezes profissionais que atuam junto nesse processo educacional. Sendo assim. entender melhor o que está sendo feito para melhorar a qualidade nesse processo educativo que vem sendo pauta em diversos debates sobre o nosso ensino no Brasil.

Apensar do numero de psicólogos atuantes na área escolar. comportamento inadequado.1. entre outras.3 Hipóteses Com base nos materiais consultados chegamos à hipótese de que em muitos casos o aluno é encaminhado ao psicólogo com a queixa de dificuldade de aprendizado. participando ativamente do plano de ensino. Podemos compreender que o psicólogo escolar busca trabalhar de forma preventiva. e em ultimo caso de forma remediativa junto aos alunos ou a instituição. compreendido e muitas vezes não aceito em algumas instituições. seu trabalho ainda é pouco esclarecido. diretamente ao corpo docente. .

uma maior compreensão e conhecimento da atuação do psicólogo educacional. .4 Justificativa Nosso trabalho visa possibilitar aos estudantes e aos profissionais da área.1.

1 Participantes • • Psicólogos que atuam na instituição de ensino. ou que recebem casos de queixas escolares frequentes. professores.2 Instrumentos • Entrevista semi-estruturada Realizaremos entrevistas semi-estruturadas com os participantes (Diretores.2. Corpo docente de instituições de ensino públicas e particulares. para colher informações e obter o relato de todas as partes envolvidas. 2. Todas as entrevistas serão gravadas com prévia autorização e transcritas. coordenação e profissionais da área de psicologia escolar). Métodos e Procedimentos 2. .

cienc. psicol. Referências Bibliográfica Neves.27 no. v. Em Psicol. (Campinas) vol. 2002 Marinho-Araujo (2010) Psicologia escolar no Brasil: considerações e reflexões históricas.3. Almeida. Batista. 2010 . Chaperman.22 n.2 Brasília jun. (2002). Formação e atuação em psicologia escolar: análise das modalidades de comunicações nos congressos nacionais de psicologia escolar e educacional. Em Estud. prof.3 Campinas July/Sept.