You are on page 1of 11

Creditos Nefastha – Mini-cenário multigênero Criação e texto: Rodolfo Santos Arte e composição da capa e ilustração interna: Diego de Almeida Revisão: Igor “Valente” de Oliveira Costa Editoração eletrônica: Adriana Almeida Edição: Marcelo Telles Nefastha – Mini-cenário multigênero é um material produzido pela REDERPG. 2 .

cujo poder é indescritível. mas não existem muitos deles. Não se sabe como elas se cravaram nas pedras. o qual faz com que os habitantes e as construções sejam levadas para outro reino. Histórias contam sobre uma mistura de passado e presente. Nefastha flutua incansável. Nos Primordios “Eu vivo aqui desde que. poucos restaram para contar as histórias do mundo original. sem explicação. passando por sobre reinos e continentes. um fantasioso que nunca é visto andando nas ruas durante os dias. a cidade de todos. que previu o fim daquele mundo e salvou o povo daquele lugar. Ellesia. num piscar de olhos. numa batalha sem fim. que ainda chegarão. mas voar sobre o meu próprio mundo. Dos moradores antigos. das mais variadas cores e tons. Entre eles temos: o velho Dim. e o stress causado pelo sequestro costuma causar grandes problemas. flutua por sobre as montanhas e oceanos de todos os mundos. Nenhum mago da cidade pode afirmar quais as propriedades daquelas joias. antes que ela levantasse voo. Há quem diga que a fonte de energia que mantém a cidade no ar pode se esgotar um dia. como qualquer outro lugar. Muitos tentaram fugir das barreiras da cidade. uma elfa de feições confusas. não sobre terras das quais nunca saberei o nome. e Kid. abaixo do solo. que os cristais ganharam poder durante o confronto e que agora estavam descontrolados. companheiros. Escutem esse som. com magia desconhecida e desacreditada. preparados para quase qualquer coisa. ou se já estavam lá.. Era uma prisão. Uma cidade que carrega inúmeras culturas de tempos antigos e modernos. mas a maioria é considerada absurda. mas nunca para em apenas um deles. Os mais experientes aventureiros. por causa de algo aterrorizante que ela tenha visto antes de perder a voz por completo. Temam. mas começou a passar por uma crise.Nefastha “Está começando. Não adianta temer por si mesmo. No alto. unidos em um só local. Moradores dizem que ele não é visto na luz do sol por ser um vampiro. mas somente um conseguiu. perdidos na cidade que existe em lugar nenhum. eterna. um homem de idade incontável. e os poucos que ainda vivem perderam a sanidade pelo longo caminho. viajando pelos planos mais macabros. já estão perdidos. Nefastha flutua há anos. Assim. São gemas brilhantes. e não bate muito bem. Todos os lados. com exceção de uma minoria natural de lá. o rosto coberto por uma máscara de cachorro cinzento. Ainda assim acredita que conhece mais Nefastha do que eu?” Nefastha era uma cidade comum. no lugar dos céus. A cidade voa. mas muitos apostam nos cristais que cercam as montanhas rochosas abaixo das construções. e muitos dos moradores acreditam apenas que foi uma coincidência. de climas variados e culturas surpreendentes. havia terra. encontraram rachaduras ao redor de toda a cidade. os cristais causam um segundo efeito ainda mais espantoso: sem aviso. dizem. amigo. O tremor destruiu casas. querem voltar a seus lares.” Dizem as lendas que. Há várias teorias. A Terra Voadora “Eu sempre sonhei em voar. e de ninguém. Essas viagens descontroladas levam uma cidade inicialmente medieval para mundos dos mais fantásticos habitantes e. muda. Tinha seus moradores. tinha planos diferentes para Nefastha. do nada. querem voltar para suas casas. ampliando a população e as diferentes classes e raças presentes no local. há uma cidade. sem controle. e usou todo seu poder para tirar a cidade daquele caos. antes de Nefastha se levantar aos céus. O mundo original de Nefastha teve problemas. Essa é Nefastha. além de manter a cidade toda no ar. e nenhum guerreiro conseguiu retirar sequer uma delas com força bruta..” Ninguém sabe ao certo o motivo de Nefastha voar. sempre 3 . Nefastha rodopia no lugar e surge em outra região. se colocaram em posição de batalha. continente ou mesmo mundo. cercada por cristais mágicos de origem há muito esquecida. mas nada disso foi comprovado. derrubou torres. mundo ou continente. matou crianças que brincavam nas ruas. acreditam que a cidade apresentou uma defesa milenar. de monstros e máquinas. mas uma coisa é certa: todos os seus moradores. que cada vez mais se enchia de gente estranha e culturas diferentes. onde coexistem. ditos como oráculos pelo povo. Velhos. pois magia nenhuma naquele mundo seria capaz de levantar tamanhas construções. Mas. alguém é carregado para cima. criada por deuses antigos.. esse ruído macabro que suga as vidas. com raças que nem sempre se dão bem.. e vários se preparam para o momento em que Nefastha cairá dos céus. mas foram surpreendidos. e a grande maioria deles está louca graças ao ocorrido com seu lar. mas sempre aparece à noite. esperando por um ataque de demônios ou coisa parecida. que diz ainda estar vivo por magia. e até hoje não parou. Temam pelos outros. que fazem uma parada. Os que aqui estão. ainda mais quando se trata de pessoas oriundas de mundos diferentes. se erguendo aos céus e desaparecendo no mesmo. Ninguém ousa comentar sobre as estranhas coisas que ocorrem na cidade. mas alguns foram surpreendidos por um terremoto nunca antes visto. Outros arriscaram que um mago muito poderoso. tido como sagrado. A cidade. estava a caminho da destruição. Esse é um mistério que apenas os primeiros moradores da cidade sabem. as vestes sempre diferentes. Os mesmos cristais que a carregam por cima das nuvens causam um efeito descontrolado de teletransporte. num mundo qualquer. Em vez disso. os cristais se preenchem de um brilho intenso que só cessa quando o local todo se teletransporta para outra dimensão.

e lá morreu. Humanos ficaram perdidos nessa batalha. bárbaro dominante entre os anões. Nefastha se expande. uma ruune que lutava com lanças de eletricidade. No centro. e vice-versa. O caos se instalou em Nefastha: os elfos e os anões. O elfo viveria em Incante. quando o sol de um mundo desconhecido surgiu por sobre o duelo. onde anões têm contato com magia e elfos com tecnologia. Durante essas viagens. mas as vendas continuaram. como uma bandeira da paz). Luviel. a cidade dos ares tinha apenas humanos e elfos. novas pessoas chegavam. Da Guerra a Tregua “Só há uma coisa melhor do que um orelhudo em um espeto: um orelhudo queimando em um espeto!” Em princípio. Nefastha trouxe gente de mundos mais modernos. o Balcão da Bandeira. o que pode não ser boa coisa. que é a natureza. como a floresta que veio junto dos kobolds e a caverna misteriosa que trouxe os dragões. máquinas que falavam e pensavam. e os okans. e assim a “paz” surgiu em Nefastha. como foi visto acima. o terreno quase todo tomado por tralhas e casas especializadas em maquinaria pesada. da mais inesgotável fonte de energia de qualquer mundo. que é o símbolo da trégua. Tanya e Luviel chegaram a um acordo simples. os nanicos ajudaram os modernos a repararem as máquinas vaporizadas e aprenderam com eles o uso da pólvora. cada sequestro traz de seis a doze pessoas. Nefastha teria território para que as raças inimigas não precisassem se encontrar. sem mortes desnecessárias. notaram o erro no ato. erguida algum tempo depois no mesmo lugar de sua morte. e o título de comandante ficou para a guerreira que o desafiou pela liderança de Frontera. Incante é uma armadilha para invasores. impiedosas. 4 . Um dia.Sequestros “Estão chegando. construtos de aço e vapor. as batalhas tenderam a ser violentíssimas.. Com o stress de não poder voltar para casa pesando nas mentes. mas são apenas boatos. Várias conseguiram correr. mas há casos maiores. e assim seria. Os cristais emitem um som esquisito. sem entender o que acontecia. e só notam quando já estão dentro das barreiras da fortaleza voadora. e se dividiram em duas novas raças: os ruunes. o anão em Frontera. algo estranho acontece. vieram anões. animais treinados para matar. assim como as variações de raças existentes no mesmo lugar. No meio vive quem quiser. em seu novo lar. ainda há muito mais espalhado pela cidade. A cada sequestro. assumiu o comando dos elfos e de Incante. ogres. por azar. se tornou um imenso mercado de vendas. com pequenas fábricas de construção de armas de fogo e armaduras de vapor. uma terra onde a magia reina e as ilusões confundem os inimigos. assustadas. mas uma garota caiu em meio aos ataques dos dois líderes. por outro lado. goblins. atual líder dos elfos. e a batalha cessou naquele mesmo momento. kobolds. mas que funciona desde então. Dias e mais dias de destruição e morte fizeram com que as pessoas que chegavam por meio do sequestro fossem forçadas a guerrear antes mesmo de entender o que acontecia a elas. pois os elfos ainda odiavam os anões. ao leste. Enquanto os de orelha maior se uniram às criaturas da natureza. Há quem diga que existe um comércio ilegal dentro dessas vendas. novos irmãos. e seu filho mais velho. numa trégua simbolizada por uma estátua da garota. que chegam a trazer as residências juntos dos sequestrados. e até dragões. dos anões. que já não se admiravam muito. e nenhum deles pisaria em solo adversário. Sequestro é como os habitantes chamam o ato de roubar alguém de seu mundo natural para as províncias da cidade amaldiçoada. surgiu no centro do embate. sem que fossem necessárias batalhas. como o de metal batendo contra milhões de pedras rígidas. surpreendendo-os com feitiçaria antiga e poderosa. de onde nunca mais poderão sair. pilhas de corpos se formando no centro da cidade. usando da tecnologia e do armamento junto dos anões.” A cada vez que Nefastha se teletransporta para um mundo diferente. portando armas de fogo. Cada território era guardado por sentinelas prontos para matar. Mas quem está em Nefastha há algum tempo sabe o que isso quer dizer: um sequestro. Dizem que Veros ficou louco depois de um tempo. sem opção. o arrependimento corroeu suas mentes.” Hoje em dia. mas o calor da batalha e a gritaria impediu que qualquer um deles escutasse alguma coisa. Nefastha é dividida em duas regiões: Incante. Aqui vivem os anões. ou coisas maiores ainda. Khatar foi morto em duelo logo a seguir. mas a cada viagem que ela fazia. Vieram homens de armaduras pesadas. Muitos discordaram da ideia. A magia dos cristais trouxe a Nefastha um grupo de crianças inocentes que. seu território aumenta consideravelmente. o elfo e o anão. O centro da cidade. O som do sequestro se iniciou. A batalha seguiu incessante. como uma caverna ou uma tribo toda de kobolds dentro de uma floresta mediana. A luz fraqueja. e Frontera. sente-se um tremor. declararam guerra. usando apenas o talento dos ferreiros anões e a tecnologia dos modernos. o que acabou forçando a cidade a separar seu território em duas partes: Frontera. aprendizes da magia élfica e preservadores da natureza. Veros. tem as construções mais pesadas. Dividida. em algumas passagens. O banho de sangue se espalhou por cada rua de Nefastha. Mas o que mais causou problemas à cidade é que. dos elfos. onde uma raça poderia vender para a outra. Tanya. o corpo destruído pela guerra. defendiase com magias dos golpes e disparos de Khatar. como ficou conhecido o mercado (ganhou este nome por estar próximo da estátua da garota que morreu. Geralmente. As pessoas não percebem o que está acontecendo. A Cidade “Aqui vivem os elfos. o oeste. ensurdecedor. A trégua não era o mesmo que o fim da batalha.. Porém. e então tudo volta ao normal. Ambos.

Incante é desenvolvido até certo ponto. armaduras mecânicas e implantes de metal mágico. defesas escondidas com elfos munidos de flechas mágicas que nunca errariam um alvo. os ogres e alguns trolls. e é ela que os ensina a mágica com a qual se defendem. assim como seus equipamentos. Além dos construtos. mas a vida em Nefastha mudou vários hábitos. criadores das armaduras e escudos mais resistentes. e usam estas sem piedade para destroçar seus adversários. as máquinas pesadas movidas a vapor e cristais mágicos de vários mundos. mas nada foi comprovado até hoje (e o povo de Frontera reza para que sejam apenas boatos). assim como as criaturas fantásticas sequestradas para a cidade amaldiçoada. os anões se tornaram mestres na fabricação das armas de fogo. No subterrâneo. Mas vai custar o dobro do preço. Hoje em dia. desde as moradias até as espadas e escudos. O exército formado em Incante é poderoso. filho do antigo líder Veros. mas que. Armas de fogo. Alguns até arriscam dizer que os dragões do Covil das Lendas também estão ao lado de Incante. Luviel. A visão longínqua da raça permite que os guardas acionem todas as defesas rapidamente. é quase inexistente um arco élfico que dispare flechas sem algum tipo de mágica. os maiores líderes elfos. Já acima do solo. Hoje em dia. mas sim aqueles que lhes podem ajudar. usada pela tecnologia como combustível. As casas. mesmo que o inimigo ainda se aproxime ao longe. como disfarce. é o que motiva os elfos a lutar usando apenas sua força de espírito e de pensamentos. e que usam esta como combustível. e eles não têm muito direito de reclamar. vindas dos modernos. construtos de vapor. O oxigênio é o suficiente para alimentar uma máquina destrutiva. pois a maioria deles vêm de mundos onde disputavam os subterrâneos com essas criaturas. dragões imensos de força inacreditável. ao que tudo indica. que entenderam como melhorias em suas construções. num poderio imenso de vapor e cristais. Os ferreiros podem não ser tão experientes quanto os de Frontera. dos anões e dos ruunes. Entretanto. perfeccionistas nas espadas e machados. Os elfos preferem a magia à tecnologia. existem árvores com construções sobre galhos altíssimos. mais por sua feitiçaria desconhecida e seus rituais macabros do que por força bruta. Os elfos zombam. Para lidar com isso. e todas elas foram novidades para os nanicos. Ao lado de casas. eles são os professores e os homens. A natureza vive aqui. defesa que as flechas élficas não podem destruir. e o orgulho dos pequenos é ferido a cada ofensa. como os goblins. e só. possuem fortalezas grandiosas onde constroem seu armamento e cuidam de suas máquinas. pois muitos deles vêm de mundos onde as divindades estão acima de tudo. em grande quantidade. os ruunes cuidam da construção de uma muralha metálica ao redor da região de Frontera. Além dos elfos. sentinelas fortemente armados e sem medo de atirar em qualquer coisa com orelhas maiores que o convencional. odeiam orcs e goblins mais do que tudo. como os adversários. agora têm proteção metálica em todas as paredes. desde que não seja para um elfo. o que deixa o inimigo surpreso com osefeitos inesperados da defesa. costumam ser um imenso empecilho. afinal. Foi a favor da trégua e fez o acordo com Tanya. Frontera “Sabedoria se mede por orelhas. Porém. assim como os poderes que usam para guerrear. O grande medo de Incante são os construtos. A natureza. e maquinaria é uma arte considerada demoníaca. O mais comum é que tudo seja encantado com mágica de primeiro nível. já que até mesmo os ruunes precisam de autorização para adentrar em uma destas tocas de subsolo. Ou até posso vender para um elfo. com um poderio destrutivo imenso. mas a feitiçaria que dominam faz com que as armas sejam tão fortes quanto as adversárias. Nestas “casas nas árvores”. Fraqueza também. controlada por homens ou anões. mas como vivem abaixo do solo ainda é um mistério. usam todo o seu poder no desenvolvimento de fortificações mágicas para suas armas. incluindo nessa lista as temidas flechas élficas. que agora parece muito mais civilizada. moram vários kobolds e goblins. daqueles que vivem pela tecnologia ao invés da natureza.” Incante é a parte leste de Nefastha. as criaturas da cidade se aliaram aos elfos por vontade própria. Foi difícil para os goblins se acostumarem a viver nas alturas. mesmo que muitos de sua raça fossem contra tal decisão. antes escavadas abaixo de construções comuns. ao menos as comuns. artimanha usada para derrubar as máquinas de guerras dos ruunes. Graças a esse aspecto naturalista. como criaturas que se escondem dentro do Covil das Lendas. abaixo apenas de Luviel. possuem um verdadeiro arsenal de maquinaria para guerrear.” Terra do oeste. lar dos elfos e dos okans. com guaritas espalhadas por toda a região de Frontera. sem pilhas de corpos espalhadas por todas as esquinas. fica bem claro que os bárbaros de pernas curtas não temem os orelhudos. como explosões ou relâmpagos. temidos pelos elfos. Balcao da Bandeira “Posso vender o que você quiser. No início. mas suas construções não são tão duradouras. Foram muitas as tranqueiras trazidas a Nefastha pelos que se denominam ruunes. do homem que brinca de deus. apenas pupilos. mas essa tem a desaprovação de muitos. humanos que optaram pela magia ao invés da tecnologia trazida pelos modernos. para que assim se equilibre com o talento de armaria e máquinas dos anões e ruunes.” 5 . criaturas não muito fortes ou inteligentes. a “paz” foi boa para a cidade dos ares. tomando como medo de receber um ataque surpresa. é o atual governante dessa região de Nefastha e seu comando é razoável.Incante “A magia dos okans nunca vai superar a magia dos elfos. os anões eram um povo bárbaro.

Como é uma área não afetada pela guerra. Recebeu esse nome graças à estátua da garota que morreu durante a batalha de Veros e Khatar. de paz. anotando as descobertas. ao redor da escultura de mármore que homenageia a inocente vítima da guerra. entre outros. formado por elfos e anões. Há sempre aquele clima frio de espionagem. enquanto os elfos têm seus quebra-cabeças de luzes e as batalhas de ilusões. ganhando assim vantagem na guerra. ou pequenos que fabricam armas especiais para os orelhudos. não vê meu rosto. dia marcado pelo início da trégua entre as raças. Junto das vendas. tanto de elfos quanto de anões. nem se lembrará de minha voz. no qual anões caminham entre as vendas élficas para aprender sobre sua magia. Anões trouxeram jogos de escavação. contanto que ele possa pagar (e não ligue de receber alguns “elogios carinhosos”). inclusive trair a própria raça. Alguns ainda comentam por baixo dos panos sobre um grupo perigoso. Os ruunes trouxeram o arremesso. Ninguém acredita prontamente nessas histórias. Há muitos outros passatempos espalhados pelo mercado. enquanto os elfos vendem itens encantados pela própria magia. pedaços de construtos inutilizáveis e ferramentas de conserto de armas. tanto anões quanto elfos abrem suas lojas para vender suas mercadorias. que seriam as maiores ameaças existentes em Nefastha. todos jogados com a própria magia. entre outros. gastas. como os jogos que cada raça ou pessoa trouxe de sua cidade ou reino. que pode estourar novamente a qualquer momento. onde todos vendem de tudo. como os jogos dos goblins e dos kobolds. Amanhã. existem barracas que vendem de tudo. Mesmo assim. Muitos dos líderes temem que esses momentos de descontração sejam as horas em que os inimigos descobrem sobre os equipamentos do adversário. fusão da maquinaria anã com a feitiçaria élfica. como a caça à galinha ou a busca do tesouro escondido. Lá. Okans têm jogos mais simples. Anões jogam panos velhos no chão e despejam armas de fogo antigas. o mercado não para. mas estes costumam ser arriscados e “sem noção”. Há rumores sobre uma conspiração dentro do Balcão da Bandeira. que consiste em lançar um aro de metal por sobre o corpo de um construto veloz. Alguns falam sobre elfos que se vendem aos anões. de homens que fazem de tudo pelo dinheiro. Hoje. mas a maioria muda de assunto ao invés de dar uma opinião concreta. o mercado possui diversos divertimentos para o lazer do povo. enquanto os elfos aprendem sobre o funcionamento das pistolas e garruchas. fazendo perguntas e comentários. responsável pela venda de construtos do vapor encantados por magia. A Danca das Vestes “É uma pena. poções e ervas criadas artificialmente em jardins mágicos.” 6 . o que não é muito bem recebido pelos mais teimosos. enquanto o mesmo tenta se esquivar. com tesouros e lembranças escondidas sob uma terra fofa.Balcão da Bandeira é o nome dado ao mercado central de Nefastha. o que serviu como uma espécie de “bandeira branca”. e as pessoas não se incomodam em vender para o inimigo.

em termos. e suava frio. Eram aproximadamente cinquenta homens no total. das intrigas e desavenças. as árvores cresceram. a magia trouxe até a cidade uma imensa caverna. o que causa uma mistura insuportável para a maioria dos estômagos. com uma expressão de endoidecido. que se escondem do mundo externo na escuridão das árvores mais densas. Tomou a frente da expedição e. até mesmo nos galhos das árvores. e que foi necessário um construto dos anões para isso. Você já viu um elfo sem magia?” A maior defesa. Com 7 . gritando em desespero: dragões. Todos são homens e mulheres. Conforme os elfos deduziam. construto. gritou. elfos mais astutos decifraram algumas de suas palavras: Okune. todos estão juntos numa comemoração. mas de muitos outros. apaixonados. babou nas roupas e foi levado de maca por outros anões. se divertem. aproveitam para se encontrar e satisfazer suas paixões. não existem elfos ou anões. Okune usou a máquina de guerra dos anões. Nada é proibido na Dança das Vestes. todos retornam às suas casas e aguardam pela noite. difíceis de entender. um elfo sem muitos poderes mágicos. se estende com corridas de cavalos entre as raças. Se eram dragões. mas o festejo não para. Desde então. trêmulo. competições de arco e flecha e apresentações de canto. ninguém mais ousou enfrentar a caverna. enquanto a lua brilha no céu escuro. Logo na entrada. crescendo em abundância. Apenas um retornou. a floresta trouxe consigo dríades e lobisomens. Plantas de inúmeras espécies surgiram. e dizem que ele continua até hoje a balbuciar coisas estranhas sobre os ocorridos daquele dia. o que torna ainda mais confuso essa magia que circunda o local. espadas congelantes. Durante uma das viagens da cidade dos ares. Dolgir confirmava. e enfrentou seu inimigo. como se nunca tivessem guerreado. etc. não hesitou. Estudantes da natureza afirmam que as flores que nascem na floresta das sombras não são oriundas apenas de seu mundo de origem. fêmeas e machos. ouviram rugidos e urros amedrontadores. Bebem juntos. mesmo ouvindo aquilo que poderia ser sua morte. estava Okune. ele surtou. mas ninguém pode afirmar com certeza. sem revelar suas identidades. dos elfos é a magia. Em meio à loucura. uma poção feita com ervas conhecidas por alguns orelhudos era capaz de restaurar um corte profundo em minutos. com os materiais novos encontrados na cidade e os estudos mais recentes. entre alguns sentinelas élficos. Quando o sol se põe. Neste dia. sem sua armadura ou suas armas. vítimas de um sequestro. Com ela. e qualquer coisa até o limite de seu poder. Há casos de envolvimento de anões e elfos. uma homenagem diferente é feita em seu nome. elfos e anões se juntaram. Além de goblins e kobolds. fala sério. Dolgir falava coisas estranhas. cobertos por vestes e máscaras. Chegou correndo. e hoje ela é lar de kobolds e goblins. mas esses não são e nunca serão comentados em outro dia senão neste. Esquecem por uma noite da batalha sangrenta que travaram. contanto que sejam recentes. Alguns falam sobre outras criaturas que habitam aquelas matas. Era Dolgir. para invadir o covil. do ódio que carregam. quer que eu acredite que ali existem dragões?” Não há lugar mais tenebroso e arriscado em Nefastha do que o Covil das Lendas. Concluíram que Okune tinha se mostrado corajoso o suficiente para enfrentar a ameaça de dentro das cavernas. podem ser encontradas plantas dos mais variados tipos. dragões. Com um pouco de esforço. mesmo com relutância. À tarde. Nessas florestas. Antes. Floresta das Sombras “Isso não é uma casa da árvore!” Quando um grupo de kobolds veio a Nefastha. Começa pela manhã. Entre o restante. mas com enorme coragem. e seus efeitos mais efetivos. tanto em sua raça quanto pelos anões. Magia “Dizem que só podemos conviver com uma coisa perigosa por vida. voltando como covardes para trás. poderes concedidos à raça logo ao nascimento. os orelhudos podem criar equipamentos enfeitiçados. em um sequestro. que é a noite em que humanos de raças distintas. é possível encontrar todo tipo de bebida e comida típica de diversas regiões de vários mundos. o que tornou as poções élficas mais variadas. irmão de Khatar. a pele jorrava sangue. e não parou de crescer. geralmente com uma peça de teatro dos elfos ou demonstrações de malabares com lâminas dos anões. flechas explosivas. que se encerra ao amanhecer. quando então começa a verdadeira comemoração: a Dança das Vestes. Covil das Lendas “Ah. a mágica. Esse evento nada mais é que a essência da trégua das raças. como se revivesse a cena. As roupas traziam cortes imensos. como se as raízes modificassem conforme as viagens da cidade dos ares. assim como o maior ataque. a que anões nunca terão acesso. Junto dele entraram vários elfos e anões trajando os construtos de guerra mais poderosos. Como a curiosidade não permite que a mente das pessoas esqueça algo que ela desconhece. mas ele foi curado rapidamente pelos clérigos elfos. mas Okune ficou conhecido como herói. que se adaptou ao terreno com extrema velocidade. ninguém pode confirmar. Nessa noite. ruunes ou okans. dançam. a feitiçaria vinda da natureza. Muita gente já morreu comendo coisas que causaram alergia ou bebendo poções que eram venenos para outras raças. a floresta aumentou. Agora. seu lar. não há brigas ou inimigos. a floresta das sombras. que ficou conhecida como o Covil das Lendas. veio junto deles. Dolgir nunca se recuperou.A cada ano que se passa da morte da garota. o que elfo algum jamais tinha feito. Ela se plantou no solo da cidade voadora. pois salvara um deles. e metade do grupamento preparado para a invasão tremulou. Na Dança das Vestes. Conforme o território se expandiu. há líquidos capazes de recuperar pedaços amputados de corpos. A magia é tão perigosa quanto as mulheres. Quando perguntaram a Dolgir sobre o que eram os monstros.

A prática desse tipo de magia negra. ou culpá-lo por estar lá. a disputa de mercadorias do Balcão da Bandeira é assustadora. Em silêncio. Surpreendentemente. Magia é algo que sempre surpreenderá os anões e ruunes. aqueles em quem deveriam acreditar. O Futuro da Guerra “O que eu tenho contra anões? Eu tenho espadas. referindo-se a eles apenas como Os Criadores. banhando o solo com sangue e criando pilhas de corpos. e muitas ofensas e ameaças podem ser escutadas nas tavernas de cada região. Entretanto. e a religião se fortaleceu como apenas um culto. os elfos derrotam seus oponentes à distância. desde uma simples cura para gripe até um incêndio líquido. pois eles não conseguem prever o próximo ataque de um adversário que não se move ou fala.. Existem inúmeros tipos desses construtos. os famosos construtos de guerra. Os territórios ainda são divididos. mas a bomba está prestes a estourar. cimitarras. é o que diz o acordo feito entre Luviel e Tanya. ainda há os bárbaros que não abandonaram a essência. Como já tinham facilidade na construção de armas brancas. Assim. Com a chegada da trégua. controlando-o como marionete. como tanques de rocha e metal. pois sempre há notícias de invasores. existem diversos tipos de máquinas. Assim. e as batalhas tendem a ficar cada vez mais sangrentas graças a esse confronto entre sabedoria e tecnologia. pois é considerada blasfêmia. para quem oravam e faziam pedidos. todos os deuses das mais variadas culturas poderiam ser honrados como iguais. Mesmo assim. a paz não reinou por completo. com canos imensos e duplos. os ruunes trouxeram consigo as armas de fogo. mas é impossível ignorar o fato de que um membro de sua família morreu no território inimigo. eles nunca conheceram Nefastha. a raça dos pequenos aprendeu com êxito e velocidade a construir armas de fogo. é difícil encontrar vinte pessoas que tenham vindo do mesmo mundo. a magia não traz mortos à vida. flechas de fogo. Do outro lado da moeda. ampliando suas mágicas. a magia pode se aliar à ciência para criar poções incríveis.” Mesmo após a trégua. e vai destruir muito de Nefastha quando o fizer. O confronto não cessou. de uso no cotidiano de cada elfo ou okan. substituindo partes do próprio corpo por peças mecânicas. entre outras. a mágica élfica facilita diversas áreas da vida comum.” A religião é um tema vasto em Nefastha. sem nomes. enquanto outro orelhudo prepara seu jardim com uma versão mais leve de seu feitiço cortante. desde especialistas em movimentação. Aprendendo a construir e operar essas máquinas. Invasores são abatidos. e a suportam bem. e alguns se tornaram melhores guerreiros atiradores do que foram com seus brutos machados de guerra.os ingredientes corretos e uma boa dose de sabedoria. o povo de Frontera não liga para a opinião alheia. e existem histórias de magos que estudam isso pelas sombras. assim como auxilia na criação de barreiras e proteções para futuros ataques. um ato de provocação contra os deuses. esperando pela hora em que irá incendiar novamente. O mesmo guerreiro que lançava labaredas imensas pelas mãos pode acender uma tocha ou fogueira com apenas um dedo. Além deste.. há feitiços que permitem a um mago levantar um corpo da tumba. dos mais variados usos. As Maquinas “As máquinas só servem para esconder o rosto deformado desses anões. e usam das lâminas pesadas para lutar. assim como a operar as máquinas trazidas de tempos modernos. mas tinham suas crenças e lendas. De qualquer modo. Uma arma dessas pode atingir um alvo em movimento a muitos metros de distância. nas 8 . A magia é a única esperança dos elfos contra a maquinaria pesada de combate dos anões. os elfos se reuniram num conselho e decidiram retirar o nome de seus deuses. operado por um homem em seu interior. os anões aprenderam a usá-las como se nascessem para esse tipo de arma. quando as batalhas se tornaram menos frequentes. perdendo a mente e o corpo na imensidão do mundo dos mortos. sem a necessidade de um arco e flecha. Essas armas do próprio corpo são extremamente poderosas. e o que verdadeiramente importa é o poder conquistado com esses artefatos. afinal. a necromântica. os anões se tornaram uma raça mecanizada em Nefastha. adicionando apenas a maquinaria a seu corpo. é extremamente proibida entre os próprios elfos. Pensando nisso. apenas aguarda frio. que veio somente com a morte de uma garota inocente. os anões mudaram por completo seu modo de pensar. Além dos construtos e das máquinas de guerra. sendo o mais famoso movido a cristais e vapor. mas consideradas deformações e vistas com repudio pelos elfos. Os construtos são a esperança dos anões contra a magia poderosa dos elfos. restou aos anões a tecnologia trazida pelos autodenominados ruunes.” Não capazes de utilizar a feitiçaria élfica. armaduras e implantes de metal. dependendo da prática e da precisão do atirador. até triplos. e dá-los a falsa sensação de altura. como as Religiao e Crencas “Se um dia existiram deuses. os anões nunca foram muito religiosos. mas há aqueles que já tentaram. graças às defesas quase impenetráveis de seus corpos. pistolas e as garruchas. Infelizmente. deixando de lado o orgulho para usar de táticas injustas. anões nas propriedades élficas e vive-versa. que unia e preservava a mente dos elfos. a magia se tornou costumeira. até gigantes colossos que se movem sem a necessidade de um operador. Deformando seu próprio corpo e abandonando a honra de lutar cara a cara com seus oponentes. os líderes tentam segurar a batalha que está por vir. Fora da batalha. e impossível formar um culto para somente um deus. Esse confronto pode estar cada vez mais perto.

Politica “Que diabos é uma eleição?” Nunca houve política muito justa em Nefastha. ninguém mais escapou de Nefastha. com um sorriso imenso no rosto. Rezavam pelos mortos. algumas possíveis. com o auxílio de uma máquina e de feitiçaria. anões e ruunes juntaram-se tentando construir um dirigível. Uma guerra se acabou. outras absurdas. Khatar governou durante a guerra. e matou Khatar sem hesitar. nenhum elfo jamais tentaria algo contra seu líder. trazendo mais e mais moradores de diversos reinos e mundos para dividir espaço na cidade dos ares. O que é muito diferente dos anões. e criou na cidade seu laboratório secreto de pesquisa. Não lutava de lado algum do conflito. A máquina usada por Atilla foi destruída com o uso. até o dia da trégua. como se houvesse um plano maior por trás de tudo isso. A maioria da raça acredita que o atual líder não seria capaz de tomar a frente numa guerra. sem regras. Nenhum elfo foi contra essa decisão. O Jogo da Vida Alguns mais sem juízo comentam sobre um jogo de apostas entre deuses ou entidades malignas que envolve vidas humanas. mas isso não era motivo para alarde. mas não aceitaria jamais o legado de paz proposto por Luviel.” Anos se passaram desde que Nefastha deixou seu mundo de origem. apostando nos resultados e. Atilla desapareceu na frente de todos. O povo viu nela a esperança da vitória. colocando dificuldades contra os “jogadores”. e a trégua está por um fio. e os guiou pelo caminho certo durante a batalha. onde eles jogam pessoas variadas em um mesmo lugar. e isso lhes fortalecia. Tanya venceu. mas como cada anão vinha de um mundo. Mas como voltar? Ninguém tem ideia do que fazer para voltar às suas casas. outras chegaram. com o incidente da garota. Seu nome era Atilla. Depois disso. e muitos se preparam para chegar ao comando se Luviel cair. Já os anões. Era algo como sangue real e. O Plano do Mago Há quem conte sobre um mago poderoso que viveu em Nefastha desde sua origem. Elfos tentaram as mais poderosas magias de teletransporte. Muitos tentaram tomar seu trono em duelos.quais depositavam toda confiança e esperança. mesmo que não acreditasse no potencial deste. Porém. sem piedade. Pessoas morreram. Desde muito tempo antes. vez ou outra. A Fuga “Escapar daqui? É fácil! Tão fácil quanto navegar no céu com um barco de dobradura. mas ela acabou concordando com a trégua proposta pelos elfos. várias teorias foram criadas pelo povo para a cidade de Nefastha e sua estranha magia que impede as pessoas de fugirem. o trono de líder dos ruunes era disputado em um duelo até a morte. é claro. 9 . os elfos acreditavam que a linhagem de comando seguiria no sangue. mesmo que muitos tenham dado a vida por isso. mas algo sempre impede que as pessoas deixem Nefastha. São teorias únicas. fizeram-no procurado primordial da cidade. preparando cada detalhe sem que ninguém suspeitasse. e este foi Veros. Oravam também para os reis da raça. mas ainda assim há quem acredite em cada uma delas. e nenhum dos sábios elfos conseguiram notar o feitiço que ele usou. salvando assim sua vida e seus estudos macabros. o que viam como um deus a ser descoberto. que preferiam acreditar no que se podia tocar. e fez então seu plano secreto. e os humilhando quando necessário. mas já era tarde. deixando-as em convivência para assistir suas intrigas e problemas. o que desapontou seu povo. as confusões causadas por estes nomes era motivo de brigas e afins. Os elfos escolheram o mais nobre. Ao perceber isso. nunca mais se ouviu falar dele. Mas o quê? Apenas um homem escapou de Nefastha até hoje. mas suas decisões nem sempre foram tão boas quanto as do pai. e teve de ser substituído por seu filho. e ele nunca se denominou ruune ou okan. cada dia com mais segredos. Veros enlouqueceu. derrotando seus desafiantes sem dificuldade. Elfos mantiveram a prática de acreditar nos deuses até então. que agora seriam honrados como líderes e entidades. É como se um feitiço muito mais poderoso bloqueasse a saída de qualquer pessoa. mas não foi bem assim. Depois disso. o que deixou todos boquiabertos. por lealdade e fé. apenas se focou em voltar para casa. do mesmo modo em que acreditavam em seus deuses. o mago não teria tempo de salvar seu material. e os sequestros continuam. Ergueram templos. usando assim sua magia para levitar a cidade e tirá-la daquele plano de existência. Veros governou os elfos com zelo e carinho. Porém. cada dia mais explorado. e sobreviveu bem após a morte da inocente. Estudou a magia dos elfos. Teorias de Nefastha “Quer ouvir a história de um nobre bardo?” Com o passar dos anos. Com a destruição daquele mundo se aproximando. Tanya o desafiou. se mostrando um líder exemplar e comandante glorioso. e ela nunca mais retornou. homenagearam a própria raça com um palácio das armas. assim como sequestra outras de vários mundos diferentes. e honraram seus hábitos. Tudo isso é resultado da preocupação e desespero que os homens têm por não conseguirem voltar para suas casas. aprendeu a mecânica dos anões. estátuas de suas lendas. e pelo subterrâneo. com eleições e escolhas pelo povo. Luviel assinou o acordo de trégua com Tanya. onde guardavam o machado e o martelo dos guerreiros mais valiosos para o grupo. Seu experimento já estava completo e. Quando descobriram que ele espionava ambas as raças. mas Tanya nunca perdeu.

Muita gente de sua região era contra essa decisão. apenas se virou e foi embora. elas usam seus poderes para reunir o máximo de pessoas possíveis em Nefastha. única razão que teria para viver. o Louco “Eu acho que aquele cigarro estava com pouco gengibre. dizendo que seu objetivo é matar o máximo de pessoas que puder dentro das províncias de Nefastha para criar então um exército de mortos-vivos e dominá-los. mas ainda sou um elfo.. mas nada fez.” Apesar de ser um lugar fora de todos os mundos. mas ela não hesitou. ao menos por um tempo. Dim. Luviel. uma mais sem nexo do que a outra. com vida própria. o Pai dos Elfos “Anões são tão nobres quanto uma casa de rameiras. mas sabe que a guerra pode estourar novamente a qualquer momento. em especial os anões. Viu Veros enlouquecer pela morte da garota.” Luviel era filho de Veros. Bruxaria Um círculo de bruxas infernais pretende fazer um ritual que precisa de milhares de sacrifícios. Tanya. há um cristal imenso. mas a próxima líder de Frontera. Herdeiro do Trono “Posso não ser como meu pai. É difícil manter 10 . mas foi morto em um duelo pelo trono. Para isso. nesse dia. Entretanto. e fez de tudo para trazê-la de volta à vida. e diz viver na cidade desde seu mundo original. mas Khatar foi embora também. Vai endoidecer por isso. o Rei Barbaro “Você é fraco por ter piedade. Ficou bem claro. e tenta se preparar para isso. e que não tem rosto hoje graças a isso. logo de início. durante a maior parte dos confrontos com Incante. O Necromante Rumores sobre um necromante maligno se espalharam pelas ruas. onde executarão a sentença final para todos que ali vivem. foi substituído por seu filho. e assumiu a liderança de Incante assim que o pai ficou louco. Além destas. oriundas de diversas localidades. Estava presente no momento em que a inocente morreu. Sua batalha contra Khatar causou a morte de uma garotinha. sacrificaria um enorme número de corpos para que trouxesse sua paixão de volta à vida. pessoas que marcaram a história da cidade. eu sou uma lenda. e teve de enfrentar vários desafios pelo posto. já que ninguém sabe o que está acontecendo.” Veros comandou os elfos durante as batalhas incessantes com os anões. até o momento em que as crianças foram sequestradas para Nefastha. há inúmeras outras teorias sobre Nefastha. Amor alem da Vida Um feiticeiro apaixonado perdeu sua amada. seja boa. que o herdeiro não seria capaz de comandar a raça durante uma nova guerra. e isso abalou sua mente.. Veros. Personalidades “Muito prazer. A batalha poderia estar perdida para os elfos. Não pretendia aceitar a trégua mesmo depois da morte daquela criança. seja má.O Centro de Tudo Dizem que no centro de Nefastha. mas ele fez diferente: propôs um acordo de paz e trégua a Khatar. Cada um desses nomes tem uma história diferente para contar. ela sabe que um dia aparecerá um ruune ou anão capaz de derrotá-la e. forçando todos a obedecerem suas vontades. como assumiu a escória de homem que é!” Tanya assumiu o trono de Frontera quando Khatar se recusou a aceitar o acordo de paz. que negou. O Ladrao de Almas Pessoas contam sobre um ladrão de almas. que usa de seu poder para iludir suas vítimas naquele mundo paralelo. Tanya e o Governo pela Forca “Aquele que for contra mim. e honrarei todos vocês. Desde então. completando assim sua magia proibida. que é o verdadeiro responsável por toda essa feitiçaria que levita e teletransporta a cidade voadora. onde poderá se alimentar de suas existências. será declarado fim à paz. e parou de lutar na mesma hora. perdendo a posição para Tanya.” Dim é velho morador de Nefastha. abaixo até mesmo do subsolo dos anões. Como líder. trazendo cada vez mais pessoas para sua realidade. Dizem até que Kid foi o primeiro alimento do ladrão. Khatar. mas nada pode ser afirmado ou desmentido. Sem condições de manter seu reinado. assuma.” Khatar era o rei dos ruunes e anões. elfo. Em sua última tentativa. aceitou sua proposta. Nefastha também tem seus nomes conhecidos. mas nem mesmo os maiores feitiços do universo poderiam reverter a morte. pois Veros enlouqueceu. governante de Frontera. Luviel governa com calma. acabou com aquela batalha inútil. Ele é controlado por alguém que planeja reunir pessoas de todos os mundos para criar um exército diferenciado e invencível.

Depois daquele dia.” Kid é o maior mistério de Nefastha. tentando se preparar para o conflito que o aguarda. Hoje “Há quanto tempo estamos aqui? Há quanto tempo esperamos por uma saída?” Atualmente.. Ellesia. e muitos acreditam que tenha perdido a voz assustada com alguma visão que teve. mas essa história foi confirmada apenas por um anão com pouco cérebro restando. Atilla. saltando sobre casas e correndo pelas ruas. Chegou a confirmar uma versão da história sobre Okune ter usado um construto dos ruunes para enfrentar as criaturas. mesmo que nunca retornasse. enlouqueceu. o homem é visto todas as noites pela cidade. e desde então nunca mais foi visto. mas ninguém descobriu o que ele fez para isso. Aquele que Escapou “A saída está bem na cara de vocês!” Atilla é um nome misterioso em Nefastha.. fez com que ele desaparecesse da cidade voadora. Construto. voltando sem o seu construto e com uma marca enorme de corte no peito. moradora original de Nefastha. nunca mais ouviram falar em Okune.uma conversa normal com ele. Ela é muda. Foi o único a escapar de lá. A elfa tem uma expressão confusa. Ele nunca se identificou como ruune ou okan. Tanya espera aquele que vai derrotá-la e assumir o trono de Frontera. e ele nunca aparece pelas manhãs. e não é muito social. Kid. enquanto se preparam para o festival da Dança das Vestes. Nefastha se encontra na mesma situação: Luviel comanda os elfos com calma. A cidade de todos. A noite é. Alguns acreditam que Dim guarde segredos incríveis sobre a cidade. apesar de ninguém nunca ter confirmado o fato dele ser capaz de usá-la. construiu uma máquina que. Foi a única pessoa a conseguir escapar de Nefastha. meu caro.” O elfo que se tornou herói durante a exploração do Covil das Lendas... peça aos bardos para cantarem sobre mim. sozinhos. Sem ideias. e aproveitou isso como disfarce para aprender um pouco sobre cada cultura.” Ellesia é uma elfa. ninguém nunca viu seu rosto. Vestindo sempre vestes de cores e modos diferentes... Dolgir. mas ninguém sabe o que ele faz da vida.” Dolgir era o irmão de Khatar. tentando entender o que aconteceu. e ninguém mais ousou se arriscar dentro do Covil das Lendas. 11 .. a Sem Palavras “. e como poderão sair dali. Cada um vive a sua vida. a Testemunha “Okune. Estudando a magia dos elfos e a mecânica dos anões. Infelizmente. e estava presente no Covil das Lendas quando o grupo de elfos e anões investigou o lugar. construto e dragões. Essa é Nefastha. Além disso. o que levou muitos a acreditar que Kid é um vampiro. a máscara de cachorro cinza sempre cobrindo o rosto. mas dizia algo sobre Okune. que não tem juízo ou senso algum. com o auxílio de feitiçaria. e de ninguém. Dragões. tão inacreditável que abalou seu corpo e sua mente. mas seria meio impossível conseguir alguma informação útil com ele. mas muitos elfos preferem não acreditar que um dos seus usaria uma máquina de Frontera. o Balcão da Bandeira mantém as negociações com ambos os lados da cidade. o Heroi “Se eu não voltar.. Sua idade é incontável. sem soluções. o Sem Rosto “O dia não é para sangue. Okune. declarando guerra mais uma vez. com seus milhares de anos. tenebrosa e sinistra. e ele mesmo diz que vive apenas pela magia. Alguns acreditam que ele enfrentou sozinho os dragões. usando um construto de Frontera. geralmente se isolando na própria casa.