You are on page 1of 2

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM ALTA HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO : REALIZADO PELA UFF/RJ ATRAVÉS DO PROGRAMA DE ATENDIMENTO A ALUNOS COM ALTAS

HABILIDADES E SUPERDOTAÇÃO(PAAAHSD) Autora: Alessandra da Silva Souza Avila Amaral 1– Orientadora: Profª. Drª. Maria Vitória Campos Mamede Maia2; (UFRJ; Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE). Palavras – chaves: inclusão, atendimento educacional especializado, altas habilidades, superdotação INTRODUÇÃO A pesquisa de dissertação, em curso no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ), na linha de pesquisa Políticas Públicas e Instituições Escolares, tem como tema O Atendimento Educacional Especializado realizado pelo PAAAHSD da UFF. Trabalhamos com a hipótese de que o AEE, realizado pelo Programa em questão, tem levado a disseminação de práticas pedagógicas inclusivas que permitem a capacitação de futuros docentes a identificarem os alunos com altas habilidades/superdotação, possibilitando uma mediação social que incentivará o desenvolvimento do potencial do aluno com altas habilidades/superdotação. O AEE realizado pelo PAAAHSD tem acontecido desde 2009 e a partir de 2010 ele acontece junto à nova disciplina oferecida como optativa para a Pedagogia e como eletiva para os demais cursos de licenciatura oferecidos pela UFF, intitulada SSE 000247 - Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades/Superdotação. Cabe ressaltar que para nós as práticas refletirão o processo dialético de inclusão/ exclusão conforme apresentados por AINSCOW, BOOTH e SANTOS a partir do qual todos têm suas próprias percepções sobre uma idéia complexa de práticas inclusivas/ exclusivas. Assim, a dimensão das práticas, idealmente falando, deveria refletir valores (culturas)inclusivos e que não tivessem contradição com suas respectivas políticas (que seriam, consequentemente, também, inclusivas). OBJETIVOS A pesquisa tem como objetivo geral apresentar o que o PAAAHSD tem realizado desde 1992 como um projeto de extensão, pesquisa e ensino no qual alunos da graduação de Pedagogia e Licenciaturas da UFF têm a oportunidade de contato com as crianças e adolescentes com altas habilidades/superdotação e a partir disso, pensarem em intervenções pedagógicas possíveis/legais para que tais sujeitos sejam devidamente estimulados em relação a seus potenciais. Essa pesquisa visa também abordar o PAAAHSD como proposta de Atendimento Educacional Especializado ao aluno com altas habilidades e superdotação conforme preconizado pelo Decreto 6571 de 17/09/2008 fomentando, por meio das práticas de enriquecimento e aprofundamento, novas culturas sobre o AEE ao aluno com altas habilidades/superdotação na perspectiva de uma educação inclusiva apresentada por normas legais nacionais e internacionais dentro de um olhar de culturas, políticas e práticas. METODOLOGIA Serão realizados os seguintes procedimentos: primeiro, uma pesquisa de campo na qual será fotografado e filmado os atendimentos realizados no PAAAHSD nas aulas da disciplina Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades/Superdotação ; segundo, uma pesquisa a fontes documentais, relatos historiográficos sobre o início do Programa etc. com a qual terei contato com a história do Programa e suas propostas; terceiro, a análise do acervo de dados documentados para ver o número de atendimentos, as características sócio-econômicas dos alunos atendidos, como é feito o acompanhamento dos alunos atendidos junto às escolas, o impacto que o atendimento educacional especializado trouxe na vida escolar do aluno, etc; quarto, a construção de um mapa que mostrará o número de alunos atendidos por regiões do estado do Rio de Janeiro e a relação/comparação desses índices com os índices nacionais e internacionais. Por fim, aplicarei um questionário semi-aberto junto aos alunos da Licenciatura e da Pedagogia da UFF que têm participado ou participaram do
1

Mestranda do PPGE/UFRJ, Linha Políticas Públicas e Instituições de Ensino. Técnica em Assuntos Educacionais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro-UNIRIO. Participa do Laboratório de Pesquisa, Estudos e Apoio a Participação e a Diversidade em Educação.
2

Professora Adjunto do Departamento de Fundamentos da Educação, Faculdade de Educação da UFRJ. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação da UFRJ.Doutora em Psicologia PUC-Rio, Mestre em Letras PUC-Rio, Pos-graduação em Psicopedagogia (UNICEUB_CEPERJ); Coordenadora do grupo de pesquisa Criar&Brincar: o lúdico na escola, com o projeto sobre problemas de aprendizagem, comportamento anti-social e jogos como forma de intervenção na escola, ligado ao Programa de Pós-Graduação em Educação do Departamento de Educação da UFRJ.Vice coordenadora do grupo de pesquisa Lapeade, ligado ao Programa de Pós-Graduação em Educação do Departamento de Educação da UFRJ. Pesquisadora convidada da UFPR - Instituto de Psicanálise - Departamento de Psicanálise.Pesquisadora convidada da USP - Instituto de Psicologia; Autora do Livro " Rios sem discurso": reflexões sobre a agressividade da infância na contemporaneidade. Vetor:SP, 2007. email: mariavitoriamaia@gmail.com

Brasília: da Educação. SANTOS.M. 18. bem como no de ser instrumento para capacitar educadores. Secretaria de Educação Especial.. emocionais e sociais para que possam desenvolver seus potenciais de forma autônoma e saudável. S. 2006. M. M. graduação ou cursos de formação continuada nas áreas o específicas de Educação Especial. políticas e práticas.(organizadoras) Inclusão em Educação Diferentes Interfaces. UNESCO/CSIE. que valorize o papel da cultura na formação do homem.& AINSCOW. MELO. Decreto 6571 de 17/09/2008. constituindo-se num serviço disponibilizado pela escola para oferecer o suporte necessário às necessidades educacionais especiais dos alunos.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/D6571.C. ( http://www.. Tendo em vista o contexto da modernidade com rupturas e mudanças de paradigmas da educação especial para uma educação inclusiva na qual os sistemas se adaptam às especificidades dos alunos e não o inverso. espera-se que o AEE oferecido pelo programa de extensão em questão faça o papel de mediação social de crianças e adolescentes que ainda são excluídos de nossos sistemas educacionais por não termos uma escola pública de qualidade e principalmente por não termos profissionais educacionais capacitados para identificar e incentivar o desenvolvimento do potencial dos alunos com altas habilidades/superdotação. BIBLIOGRAFIA BOOTH.metodológico que permita a recuperação de uma pesquisa que muito pode contribuir para a capacitação de novos educadores que terão sua formação ampliada para se ter um olhar mais individualizado de seu aluno dentro de uma perspectiva da educação inclusiva na qual o professor passa a planejar suas ações a partir das necessidades e potencial de seu aluno e não a partir de um sistema. não podemos aceitar que alunos com altas habilidades/superdotação tenham sua escolaridade estagnada por falta de mediação social.PAAAHSD. professores. pais e famílias a identificarem os alunos com altas habilidades/superdotação em suas especificidades educacionais. sobretudo. 2009.M. Curitiba: Editora CRV. 2007. Brasília: Ministério da Educação. 3 O professor especializado em Educação Especial deve comprovar pós-graduação. que suplementa (a educação regular). Index para Inclusão: desenvolvendo a aprendizagem e a participação na escola. BRASIL. Logo. favorecendo seu acesso ao conhecimento. e também aos alunos da Licenciatura e da Pedagogia que não participaram do projeto. PEREIRA. CONCLUSÕES A confirmação da hipótese de que o Atendimento Educacional Especializado realizado pelo PAAAHSD contribui para a construção de novas práticas pedagógicas inclusivas na formação de docentes dos cursos de Pedagogia e Licenciaturas da UFF. 2005. BRASIL/MEC/SEE A Sala de recursos multifuncionais: espaços para atendimento educacional especializado.planalto. para fazer uma análise comparativa que terá como objetivo ver a relevância do Programa na formação dos educadores a partir de um olhar de culturas. em um processo crítico teórico . Educação do Aluno com Altas Habilidades/Superdotação: Legislação e Políticas Educacionais para Inclusão. 2ª Edição.gov. mas. Secretaria de Educação Especial.htm acessado em 25/08/2011) ______________DELOU. RESULTADOS Espera-se como resultado desta pesquisa divulgar junto à Academia.. .. DELOU já preconizou que se quisermos construir uma nova sociedade com base em novo paradigma.T. o trabalho de pesquisa que tem sido desenvolvido pelo PAAAHSD junto à sociedade. conduzido por professor especializado3. § 2° e 3 da Resolução do CNE/CEB 2/2001. mas principalmente à comunidade que perpassa por ela como alunos. Por isso. no caso dos alunos com altas habilidades/superdotação sendo uma ação do sistema de ensino no sentido de acolher a diversidade ao longo do processo educativo. técnicos e pessoas da sociedade em geral que procura nas universidades atendimento especializado em diversas áreas. O que os tornarão capazes de produzir conhecimento nas diversas áreas do saber. faz-se necessário construir novos olhares sobre essa modalidade de atendimento educacional especializado que constitui serviço de natureza pedagógica. C. é importante ter em vista a possibilidade de inserir esses levantamentos não apenas em uma perspectiva de guarda e patrimonialização. no sentido de atendimento educacional especializado. Ver artigo nº.